‘Previdência’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: previdência

    Geral

    Aposentadoria: 5 passos para deixar de trabalhar por obrigação

    14 de julho de 2017

    5-passos-para-deixar-de-trabalhar-por-obrigacao

    Educador financeiro dá orientações para quem busca, no futuro, a possibilidade de parar de trabalhar por necessidade financeira

    O fim da aposentadoria

    Com a sanção da reforma trabalhista pelo presidente Michel Temer, mais trabalhadores têm demonstrado preocupação em formar um colchão que garanta uma aposentadoria no futuro sem a necessidade de reduzir seu padrão de vida atual.

    Reinaldo Domingos, educador financeiro e presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros) dá orientações para quem busca, no futuro, a possibilidade de parar de trabalhar por necessidade financeira.

    1. Conheça o número da sua independência financeira

    Defina com quantos anos deseja se aposentar e qual padrão de vida quer ter neste momento, chegando a um número mensal. Considere as despesas, as atividades e os sonhos que deseja conquistar no período.

    Entenda que você precisa acumular um capital que renda o dobro do que deseja ter mensalmente. Por exemplo: caso deseje obter dessa aposentadoria privada R$ 2 mil por mês, seus investimentos precisarão render R$ 4 mil por mês. Assim, você saca metade e deixa a outra metade rendendo, para que o dinheiro se recapitalize e se preserve.

    2. Corte gastos

    Caso tenha dificuldades para poupar mensalmente, corte gastos. Faça um diagnóstico financeiro por 30 dias, anotando todas as suas despesas, separando por categorias como alimentação, transporte, vestuário, educação, guloseimas, etc.

    Dessa forma, você reconhecerá seu comportamento financeiro e saberá quais hábitos pode mudar para diminuir ou eliminar despesas e conseguir poupar para deixar de trabalhar por obrigação.

    3. Poupe mensalmente

    Poucas pessoas têm o hábito de poupar mensalmente, especialmente para sonhos de longo prazo, como o da independência financeira. Para não perder o ritmo, tenha seu objetivo sempre em mente: ele irá te mover e motivar.

    Além do sonho de longo prazo, tenha também outros de médio e curto prazo, a serem realizados mais rapidamente. Neste caso, faça poupanças diferentes.

    4. Preserve rendas extras


    Resgate de contas inativas do FGTS, restituição do imposto de renda, 13º salário, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), aumentos salariais, bônus, comissões, rendimento das aplicações financeiras, etc. Você pode direcionar todas as rendas extras para adiantar o sonho da independência financeira.

    5. Invista no fundo mais adequado

    Invista os valores – tanto de rendas extras quanto o poupado mensalmente para a independência financeira – em fundos adequados para sonhos de longo prazo, como previdência privada e títulos do Tesouro Direto.

    Como essa é uma reserva muito importante, fruto de anos de trabalho, caso queira diversificar e investir em ações, por exemplo, é aconselhável destinar apenas cerca de 10% para essa modalidade, considerando o alto risco da aplicação.

    Até o próximo post.

    Geral

    Mr Crazy Kicks: Homem que passou por dificuldades financeiras conta como conseguiu se aposentar aos 34

    6 de julho de 2017

    Blogueiro que passou por dificuldades financeiras conta como conseguiu se aposentar aos 34, sendo que o seu irmão mais novo o fez perceber que não havia necessidade de ganhar mais, mas sim de gastar menos!!!

    Hábitos que atrapalham sua vida na hora de construir riqueza

    Com pseudônimo Mr Crazy Kicks, o blogueiro de viagens que se aposentou aos 34 anos após ter uma conversa muito esclarecedora com seu irmão mais novo. Conforme conta em texto, a grande virada da sua vida aconteceu ao perceber que o parente, que trabalhava como garçom, conseguiu juntar US$ 60 mil durante a faculdade sem fazer nenhum investimento, mas sim com uma atitude muito simples: economizar.

    Mr Journey Kicks, Homem que passou por dificuldades financeiras conta como conseguiu se aposentar aos 34, Aposentadoria, Previdência, Independência Financeira, Blogueiro, Blogueiro de sucesso, Blogueiro Rico, Blog de viagem,Rico, Riqueza

    De família de classe média-baixa, ele conta que passava dificuldades e não tinha dinheiro para comprar roupas e outros itens básicos durante os diversos períodos de desemprego de seus pais na infância. “O pior que sofri foi a vergonha de precisar usar as roupas da minha irmã mais nova para ir à escola”, descreve.

    Aos 14 anos, Kicks conseguiu seu primeiro emprego em uma cafeteria, ganhando US$ 30 por dia. Com economias deste trabalho, passou a investir em títulos bancários CD (Certificate of Deposit) com retorno de 5% ao ano, e percebeu que era possível fazer seu dinheiro render. “Como eu preferia jogar videogames a trabalhar em uma cafeteria, eu realmente gostava da ideia de fazer dinheiro sem trabalhar”.

    O WalMart foi o segundo trabalho do blogueiro que, recebendo US$ 10 por hora, conseguiu pagar por seus estudos cortando grama nas lojas do supermercado. Posteriormente, continuou trabalhando enquanto cursava a faculdade de engenharia da computação.

    O erro: gastos

    Após a formatura, passou a trabalhar na área que cursou. “Conseguir um emprego de verdade foi um verdadeiro alívio para mim. Celebrei meu sucesso saindo para comer fora, comprando brinquedos e passando noites em bares quando quisesse. Após alguns anos, comprei uma casa e um novo carro”, conta o blogueiro. “Tinha 23 anos e estava vivendo”, relata.

    Enquanto gastava todo o seu dinheiro assim que recebia, não pensava no futuro. Foi nessa época que veio o que chama de “momento eureca”.

    Virada

    Ao saber do dinheiro que seu irmão mais novo havia juntado US$ 60 mil – muito mais do que o próprio tinha em sua época de faculdade – sem investir em nada extraordinário e com um emprego que pagava pouco. “Eu não precisava ganhar mais, eu precisava gastar menos – muito menos”, escreveu.

    Neste ponto, seu salário era de US$ 60 mil ao ano, os quais gastava quase que completamente. “Na universidade, vivia com uma fração disso”, relembra. Foi aí que veio a verdadeira virada.

    Seu casamento custou US$ 20 na prefeitura da cidade; ele vendeu o carro chique e substituiu por um popular; continuou comendo e bebendo o que gostava, mas dentro de casa. A partir daí, as economias começaram a “empilhar dinheiro em suas contas bancárias”, conta.

    Após tomar as providências para gastar menos, ele e a esposa decidiram investir essas sobras. Três fundos de investimento atrelados a taxas prefixadas fizeram parte do portfólio de longo prazo escolhido pelo casal para impulsionar os ganhos. “Eram muito mais simples e livres de stress”.

    Liberdade

    No trabalho, passou a recusar projetos estressantes, usar jeans no escritório e buscar projetos em pesquisa – área pela qual se interessava mais. “Conforme você cresce na engenharia, você também para de fazer o trabalho divertido”, diz.

    Tanto o blogueiro como sua esposa usaram investimentos simples e cortes nos gastos para largarem os empregos em corporações tradicionais. A meta era que se aposentassem em 2020, mas eles conseguiram em 2016 e 2017.
    mrcrazykicks.com/my-journey-to-financial-independence

    Até o próximo post.

    Geral

    Corrida de saques aos fundos de previdência privada

    23 de maio de 2016

    Eis mais uma conquista alcançada pelo governo afastado:
    – A crise faz saques na previdência privada subirem 22% no 1º trimestre de 2016.

    Muitas famílias seguem endividadas, com orçamento menor devido ao desemprego, quebra das suas empresas ou simplesmente devido ao menor poder de compra com inflação alta. Isto faz com que o brasileiro acabe gastando aquela “gordura” que tinha nos investimentos, antes intocáveis, mas agora com a corda no pescoço das dívidas aumentando como uma bola de neve, tem sido a melhor opção do que pagar juros exorbitantes aos bancos. Solução pode se dizer que é paliativa, pois a ideal seria as pessoas reduzirem o padrão de gastos que tinham nos tempos de bonança, ou seja, adequar o orçamento à realidade que o país vive atualmente.

    adeus-cruzeiro

    Obrigado por tudo madrasta Dilma!

    Geral

    Conquistas financeiras para os jovens

    21 de abril de 2016

    No momento em que as pessoas se preocupam com investimentos ou finanças pessoais, a idade vai estar ao lado de quem está em torno seus 20 a 30 anos. Para quem começar investir e cuidar bem das finanças já nesta fase da vida pode ter imensos ganhos financeiros no futuro. Desta forma, o site Business Insider (13 things you should accomplish with your money before turning 30) listou coisas que uma pessoa deveria conquistar com próprio dinheiro antes de completar 30 ano. A InfoMoney colocou 11 destes itens que podem ajudar o jovem brasileiro. Confira abaixo:

    • Negocie seu salário
      Você não pode sentar e esperar que um aumento ou um bônus caiam no seu colo. Mesmo que seu chefe perceba o quanto você trabalha duro e é eficiente, ele ou ela não pagarão mais a você necessariamente. Você precisa pedir aquilo que deseja. O expert em finanças pessoais Farnoosh Torabi atesta: “você não consegue aquilo que merece. Você consegue aquilo que negocia”.

    • Construa um fundo de emergência
      A vida é chega de inesperadas, e muitas vezes caras, surpresas. Por isso que é crucial construir um fundo de emergência. O total a ser poupado é bastante pessoal, mas a regra geral diz que é importante ter reservado de três a nove meses de despesas. Até os 30 você já deve ter feito isso.

    • Invista em você mesmo
      As pessoas mais ricas e bem sucedidas estão constantemente exercitando seus cérebros e procurando maneiras de continuar a aprender depois da faculdade ou de qualquer tipo de educação formal. Isso inclui investir em cursos, conferências ou livros, por exemplo. Também invista na sua saúde, pode ajudar muito.

    • Poupe pelo menos 10% de suas receitas para a aposentadoria
      A aposentadoria nunca está distante demais para ser negligenciada, especialmente levando em conta que o tempo está ao seu lado quando você é jovem. De fato, quando você começa a poupar é muito mais importante do que o quanto você poupa, o que significa que a década dos 20 é crítica nesse sentido.

    • Estabeleça metas para poupar dinheiro
      Existem algumas despesas que provavelmente chegarão em um futuro próximo: uma casa, carro, férias e filhos, apenas para mencionar alguns, que requerem um hábito de poupar bastante regrado. O melhor jeito de conseguir isso é criar metas de poupança e então começar a acumular o quanto antes para alcançá-las.

    • Estabeleça metas de patrimônio
      Além das metas de poupança, é importante também estabelecer metas para as suas receitas anuais e seu patrimônio. O dinheiro não vai aparecer do nada, você vai ter que trabalhar para isso. Se você quer construir um bom patrimônio, precisa ter uma meta clara e específica antes de começar mesmo a se planejar para alcançá-la.

    • Faça um seguro
      Ninguém quer lidar com seguradoras, é algo complexo e confuso, mas aos 30 você precisa de cobertura adequada. Isso significa ter seguro saúde, de casa e de carro, por exemplo. Dependendo da sua situação, até um seguro de vida ou para seu animal de estimação podem ser opções interessantes. Também é inteligente que você crie um hábito de reavaliar seus seguros para ver se eles ainda cobrem o que você precisa e estão dentro do orçamento.

    • Crie um método para acompanhar seus gastos
      Aos 30, você já deve saber muito bem o quanto de dinheiro que está entrando e quanto está saindo. Além de se assegurar que você ganha mais do que gasta, você vai querer ser uma ideia muito certa se você está ou não no caminho certo com suas economias. Estratégias para controlar o fluxo de caixa incluem marcar cada compra feita em uma planilha ou caderno, ou ainda procurar aplicativos que possam fazer isso.

    • Tente fazer um bico
      É muito fácil focar em cortar os gastos e esquecer das receitas, mas as pessoas mais bem sucedidas contam com vários canais para conseguir dinheiro. Existem várias maneiras de como conseguir mais dinheiro, seja realizando pequenos serviços que tragam remuneração, ou ainda com outras formas de receita passiva, como alugando equipamentos, por exemplo.

    • Não invista somente em planos de previdência
      Ao se preparar para a aposentadoria, é claro que os planos de previdência são os instrumentos mais procurados pelos investidores no Brasil, mas é importante também procurar outras opções de investimento. Warren Buffett, o maior investidor do mundo, por exemplo, recomenda investir em fundos de índice de baixo custo para a aposentadoria.
      previdencia-social-x-previdencia-privada

    • Faça seus pagamentos automaticamente
      Com toda a tecnologia atual, não há desculpa para atrasar um pagamento. A maior parte das contas pode ser paga online e você ainda pode estabelecer a alternativa de pagamentos automáticos. Se você automatizar o pagamento de contas como TV a cabo, internet, telefone, entre outras, não terá que se preocupar sempre e nem atrasar os pagamentos.
      infomoney.com.br/onde-investir/previdencia/noticia/4894544/conquistas-financeiras-que-voce-tem-obrigacao-alcancar-antes-dos

    Veja também:

    Previdência privada vale a pena?

    Geral

    Viver de Renda Passiva

    28 de maio de 2015

    Quem já não é rico e nem é herdeiro de uma grande fortuna, precisará planejar para alcançar a vida que tanto deseja no futuro. Para isto se faz necessário que descubra porque a renda passiva é a chave para a sua liberdade financeira.

    Afinal de contas, o que vem a ser uma renda passiva?
    É o dinheiro que você ganha sem gastar um tempo significativo. É aquele dinheiro que trabalha para você e não ao contrário. É a criação de um sistema que vai continuar a funcionar mesmo depois que você pare de gastar seu tempo nele ou no mínimo irá diminuir a sua necessidade de atenção.

    Lembre-se que viver de renda passiva é ter uma fonte de renda constante.

    Coaching Educação Financeira - Viver de Renda Passiva

    Leia mais a seguir:

    Até o próximo post.

    Geral

    Previdência privada (IR) ou LCI (isenção)?

    24 de novembro de 2014

    Sempre que chega-se ao fim do ano muitos investidores fazem esta pergunta a si próprios: vale a pena investir em previdência privada, modalidade PGBL, para obter a restituição de IR no ano seguinte?

    Esta pergunta nunca foi fácil. Atualmente está ainda mais difícil com a quantidade de ativos ofertados isentos de imposto de renda no mercado.
    De fato, o PGBL sempre foi a aplicação “queridinha” dos clientes para o final do ano, visando a restituição de IR no ano seguinte.
    O PGBL trata-se apenas de um diferimento de imposto de renda, desta forma no fim da aplicação, o investidor pagará imposto sobre o valor total resgatado, tanto rendimento quanto principal. Ele obtém vantagem está justamente na postergação do pagamento desse imposto. Logo se torna possível capitalizar esse IR postergado.
    No caso dos instrumentos isentos, os recursos investidos já forma tributados, o que implica em não existir restituição.

    Neste artigo PGBL ou LCI? Qual o melhor investimento para esse fim de ano? a TAG Investimentos fez a conta e chegou a uma conclusão bem prática para o prazo de 10 anos de investimento.
    Eles consideraram o IPCA em 6,5% e a taxa de juros em 11,25%. Confiram a seguir:

    – Se a opção (ao PGBL) for uma LCI/LCA a uma taxa de 97% do CDI, o PGBL é melhor desde que ele rode acima de 86% do CDI.
    – Se a opção (ao PGBL) for uma debênture incentivada AAA com prêmio de 5% acima da inflação, o PGBL é melhor desde que ele rode acima de 92% do CDI.
    – Se a opção (ao PGBL) for uma debênture incentivada A com prêmio de 7,5% acima da inflação, o PGBL é melhor desde que ele rode acima de 114% do CDI.

    Ressalta-se que na análise acima não foram levados em conta a questão sucessória (ausência de inventário), onde a previdência sempre leva vantagem.
    Leia também:

    1. Previdência privada vale a pena?
    2. Aposentadoria e o rei dos dividendos
    3. Luiz Barsi: O Rei dos dividendos na BM&FBOVESPA
    4. Viver de renda e independência financeira
    5. como se aposentar

    6. Quando se aposentar?
    7. Principais aplicações de Renda Fixa

    Até o próximo post.

    Geral

    Maneiras de jogar seu dinheiro no lixo

    19 de novembro de 2013

    Saiu hoje um ótimo artigo na Exame sobre o que não se deve fazer com o dinheiro, desta forma, evitando o seu desperdício. O título é 15 maneiras de jogar seu dinheiro no lixo, por Priscila Yazbek. Acaba detonando vários mitos. Vale a pena destacar:
    – Algumas formas de usar o dinheiro que são o mesmo que depositá-lo diretamente na lata de lixo;
    – Se você não for uma pessoa muito atenta à forma como gasta seu dinheiro é possível que você esteja jogando ou já tenha jogado milhares e até centenas de milhares de reais no lixo.

    Confira a seguir os itens das 15 maneiras de jogar seu dinheiro fora e evite que elas sejam aplicadas a você:

    1. Não fazendo o financiamento de imóvel mais barato;
    2. Abastecendo o carro com o combustível mais caro;
    3. Comprando o óleo mais caro sem necessidade;
    4. Usando um plano de celular não adequado ao seu uso;
    5. Usando o modelo errado de declaração do imposto de renda;
      No modelo simplificado da declaração de imposto de renda, o contribuinte substitui todas as possíveis deduções por um desconto único de 20% dos rendimentos tributáveis, sem a necessidade de detalhar seus gastos.

      Mas quem tem dependentes, possui um plano de previdência privada da modalidade PGBL ou tem despesas médicas pode deixar de aproveitar uma restituição maior ou pode pagar mais imposto do que deveria caso opte pelo desconto de 20%. Isto porque o modelo completo permite as deduções de gastos com dependentes, consultas médicas, planos de saúde, aportes feitos ao PGBL, etc. O ideal é preencher a declaração com todas as possíveis deduções e deixar que o programa da Receita calcule qual dos dois modelos é o mais vantajoso para o contribuinte.

    6. Contratando pacotes de serviços bancários caros ;
    7. Deixando dinheiro na conta corrente;
    8. Atrasando a fatura do cartão;
    9. Pagando multas de trânsito;
    10. Viajando na alta temporada;
    11. Comprando título de capitalização;
    12. Pagando o seguro de automóvel mais caro;
    13. Comprando um carro que consome muito combustível;
    14. Pagando por coisas que você não usa;
    15. Comprando as marcas mais caras.

    Link para o artigo completo:
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/15-maneiras-de-jogar-seu-dinheiro-no-lixo

    Leia também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Exame: Quando vale a pena abandonar seu plano de previdência

    6 de setembro de 2013

    Ótimo artigo para que você saiba como avaliar se você pode ganhar mais ao sair do seu plano de previdência.
    Vale a pena conferir na Exame:
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/aposentadoria/noticias/quando-vale-a-pena-abandonar-seu-plano-de-previdencia
    moedas

    Sucesso na decisão de cada um.

    Leia também:

     

    Até o próximo post.

    Geral

    Previdência privada vale a pena?

    2 de maio de 2013

    O cidadão que pensa investir em um plano de previdência privada para garantir uma aposentadoria tranquila, já deve ter ouvido falar de duas siglas bastante comuns: PGBL e VGBL.
    PGBL quer dizer Plano Gerador de Benefício Livre e VGBL significa Vida Gerador de Benefício Livre. Ambos são planos previdenciários que permitem que você acumule recursos por um prazo contratado, sendo que neste período, o dinheiro depositado vai sendo investido e rentabilizado pela seguradora que você escolheu.
    Em ambos planos o contratante passa por duas fases:
    – Período de investimento: ocorre quando estamos trabalhando e/ou gerando renda. Esta é a fase onde se forma o patrimônio.
    – Período de benefício: ocorre a partir da idade que você escolhe para começar a desfrutar do dinheiro acumulado durante anos de trabalho. A maneira de recebimento dos recursos você escolherá, sendo possível resgatar o patrimônio acumulado e/ou contratar um tipo de benefício (renda) para começar a receber mensalmente da empresa seguradora.

    Deve-se ressaltar que tanto o período de investimento como o período de benefício não precisam ser contratados com a mesma seguradora. Assim, uma vez encerrado o período de investimento, o participante fica livre pra contratar uma renda na instituição que tiver escolhido.

    A diferença principal entre PGBL e VGBL está na tributação. No PGBL você pode deduzir o valor de suas contribuições da sua base de cálculo do IR(Imposto de Renda) , com limite de 12% de sua renda bruta anual.
    Desta forma você poderá reduzir o valor do imposto a pagar ou aumentar sua restituição de IR. Fazendo uma suposição de que um contribuinte tenha um rendimento anual bruto no valor de R$ 100 mil, no PGBL, ele poderá declarar no imposto de renda R$ 88 mil.
    O imposto restante sobre os R$ 12 mil aplicados em PGBL só será pago no resgate deste dinheiro, porém preste atenção no fato de que este benefício fiscal só é vantajoso para quem faz a declaração do IR completa e são tributados na fonte.
    Aos que fazem declaração simplicada ou não é tributado na fonte, como autônomos, o VGBL parece ser o mais viável, pois este plano é indicado para quem pretende diversificar os investimentos ou quem pensa em aplicar mais de 12% de sua renda bruta em previdência.
    O motivo é que num VGBL, a tributação acontece apenas sobre o ganho de capital.

    Baseada no que pesquisei até hoje em alguns bancos, sites, revistas, etc., julgo pessoalmente não valer a pena investir em previdência privada. Exceto no caso em que a empresa para qual se trabalhe pague pelo menos uns 50% da previdência privada, fora isto, o IR e as taxas tornam este investimento inviável. Prefiro até poupança à previdência privada. Pior mesmo só título de capitalização.
    assobio

    Enfim, o investidor deverá fazer as próprias contas, pesquisas e tirar as conclusões sobre a viabilidade da previdência privada para si. Também é recomendado pesquisar, estudar e simular antes de fazer a diversificação de investimentos por conta própria para alcançar a tão sonhada tranquilidade na aposentadoria/independência financeira, claro, sem esquecer para quem é beneficiário, que a Previdência Pública não deve ser descartada, jamais!

    Sucesso na decisão de cada um.

    previdencia-social-x-previdencia-privada

    Leia também:

     

    Até o próximo post.