‘Guest Post’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Guest Post

    Convidados

    Tecnologias que facilitam a organização financeira

    5 de julho de 2021

    Tecnologias que facilitam a organização financeira
    A tecnologia pode ser uma grande aliada da sua organização financeira. Confira algumas ferramentas que visam facilitar a gestão do seu orçamento.

    Organizar as finanças é um passo importante para quem deseja alcançar grandes realizações. Para muitos consumidores, no entanto, trata-se de uma tarefa complicada, que demanda tempo e paciência, cada vez mais raros. E é aí que a tecnologia pode ajudar. 

    Neste artigo apresentaremos diferentes ferramentas tecnológicas capazes de tornar a gestão financeira muito mais simples e rápida. Confira a seguir.

    Por que usar a tecnologia na organização financeira?

    O principal motivo é que as nossas vidas estão se tornando cada vez mais complexas, com novos produtos e serviços surgindo a todo momento. Quem antes pagava três ou quatro contas regulares, como água, luz e fatura de cartão, agora se vê diante de uma variedade maior de boletos e faturas todo mês.

    É muito comum, por exemplo, que os consumidores atuais possuam mais de uma conta bancária e mais de um cartão de crédito. Se por um lado isso significa acesso a mais bens e serviços, por outro, significa mais trabalho para quem deseja organizar a vida financeira.

    E nessa tarefa a tecnologia pode ser de grande ajuda. Falaremos a seguir de ferramentas tecnológicas recentes, ou nem tão recentes assim, que podem facilitar a gestão do seu dinheiro, a sua forma de consumir e a compreensão de como funciona o seu orçamento. 

    Lembrando que a organização financeira é de suma importância para quem deseja sair das dívidas e poupar dinheiro, de modo a adquirir um patrimônio muito desejado ou fazer investimentos.

    Ferramentas que podem te ajudar

    Contas e carteiras digital

    As contas digitais representam muito menos burocracia e muito mais conforto para os consumidores. Através de um smartphone ou outro dispositivo eletrônico com acesso à internet, o consumidor pode, com alguns cliques, realizar operações que antes só podiam ser feitas numa agência bancária. É possível conferir saldo e extrato, fazer transferências, pagar boletos, fazer investimentos, contratar crédito, etc.

    As carteiras digitais funcionam de forma semelhante, mas servem principalmente para fazer compras e pagamentos de forma rápida e segura. Também conhecidas como e-wallets, elas já fazem bastante sucesso entre os brasileiros.

    Essas carteiras são usadas para pagar os mais diversos produtos e serviços, como compras online, serviços de aplicativo, contas de água, luz e telefone, etc. Elas são integradas às contas bancárias ou aos cartões dos consumidores, que podem usá-las para fazer pagamentos apenas com o smartphone.

    Contas e carteiras digitais são ferramentas seguras, que usam tecnologias avançadas de segurança, como criptografia, biometria e comando de voz. Os seus usuários devem apenas tomar os cuidados normais para qualquer serviço eletrônico. Os principais são:

    • Escolher senhas únicas e difíceis de serem descobertas
    • Não compartilhar as informações da conta
    • Não deixar a conta aberta em qualquer lugar
    • E ter um bom antivírus.

    Planilhas e aplicativos financeiros

    Manter um documento com todas as suas informações orçamentárias é importante para entender o funcionamento das finanças pessoais e, assim, eleger prioridades de gasto, poupar dinheiro e não se perder em dívidas.

    Antigamente, isso era feito de forma manual, num caderno ou agenda, o que acabava deixando o planejamento confuso. Felizmente, hoje já existem diversas tecnologias que podem ser usadas para organizar o orçamento. 

    A mais básica são as planilhas eletrônicas, como o Excel, que já ajuda muito a classificar diferentes tipos de gastos e despesas, e também a fazer as contas.

    Além disso, também existem aplicativos mais específicos. Esses apps de organização financeira disponibilizam ferramentas muito interessantes, como avisos de gastos excessivos, atualização automática das despesas, uso de hashtags, etc. Como são usados no smartphone, os consumidores já não podem dizer que falta tempo para organizar as finanças.

    Plataformas online de comparação

    O crédito é uma parte importante da nossa vida financeira. Independente do tamanho da sua renda, serviços como empréstimos, financiamentos e capital de giro são úteis para adquirir bens de grande valor e aumentar o seu patrimônio.

    Antigamente, era mais complicado ter acesso a esses serviços de crédito, devido à burocracia das instituições de crédito convencionais. Felizmente, já existem diversas fintechs (empresas inovadoras do setor financeiro) que disponibilizam ferramentas avançadas de simulação, comparação e análise de crédito.

    A simulação online de empréstimo ajuda o consumidor a entender as condições do crédito, como valor das parcelas e Custo Efetivo Total (CET). As plataformas de comparação possibilitam ao consumidor comparar diferentes opções de crédito e encontrar a mais adequada para cada situação financeira.

    O empréstimo online, quando é oferecido por empresas confiáveis, é muito mais rápido e fácil de ser contratado que os empréstimos convencionais, além de ser um serviço seguro.

    Importância do planejamento financeiro

    O planejamento financeiro não é importante apenas para empresas ou pessoas ricas. Ele é uma ferramenta que todo consumidor pode usar para ter controle sobre seu dinheiro e para realizar sonhos, em vez de sofrer com pesadelos. 

    Embora pareça complicado, planejar as finanças pessoais traz grandes resultados, como se livrar e negociar dívidas altas que colocam o consumidor na situação de negativado. 

    Além disso, é possível começar uma poupança, mesmo reservando uma quantia pequena do orçamento mensal. Por fim, um grande benefício do planejamento financeiro é ter uma base sólida para começar a investir, seja na aquisição de um imóvel, em títulos de renda fixa ou até no mercado de ações.

    Educação financeira constante

    Conteúdos como esse que você acabou de ler são importantes para expandir o conhecimento sobre temas financeiros. A boa notícia é que no blog do Juros Baixos, você pode encontrar muitos outros conteúdos semelhantes, tratando de questões como crédito, planejamento financeiro, economia, novidades financeiras, bancos, fintechs, etc.

    Além disso, também postamos vídeos regularmente no nosso canal do YouTube. Eles são uma forma didática e divertida de colocar a educação financeira em dia.

    Convidados

    90% dos brasileiros nunca tiveram acesso a educação financeira

    21 de junho de 2021

    90% dos brasileiros nunca tiveram acesso a educação financeira

    A importância da educação financeira e a introdução de crianças em finanças pessoais

    A educação financeira é um tema que não chega a ser recorrente na própria cultura brasileira.

    Ausente nas grades curriculares das instituições de ensino, também não está presente com frequência necessária no âmbito doméstico.

    De acordo com pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, 42% da população brasileira tem alguma aplicação financeira.

    Portanto, quando se trata sobre finanças, o Brasil ainda tem muito o que aprender e evoluir.

    Uma pesquisa realizada pelo Instituto Axxus em capitais do Brasil contou com cerca de 700 responsáveis analisando as reações de crianças que recebiam educação financeira e as que não tinham sequer contato com o assunto.

    Uma média de 90% dos adultos entrevistados nunca aprendeu a administrar o próprio dinheiro, nem em casa e nem na escola.

    Além disso, 43% das crianças que não têm acesso à educação financeira reagem mal quando os pais negam alguma coisa. Por esses e outros motivos, a pesquisa reforça a importância da educação financeira no Brasil.

    BRASIL X MUNDO

    Alguns países têm o ensino de educação financeira como prioridade em suas nações desde a educação infantil. Como é o caso da Finlândia, que passou por uma das maiores revoluções no ensino público em todo o mundo.

    Segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a ONU, o sistema de educação Finlandesa ocupa o primeiro lugar.

    O sistema educacional na Finlândia é completamente gratuito. Ademais, a carreira da magistratura é uma das mais valorizadas e prestigiadas no país, por que a educação para os finlandeses faz parte da cultura.

    A Finlândia, assim como outros países melhor desenvolvidos como a Noruega, Dinamarca, Suécia, Israel e Canadá são os que mais investem em educação financeira infantil.

    De acordo com a OCDE, a alfabetização financeira deveria ser obrigatória no currículo escolar das crianças. Já que faz parte das noções básicas de desenvolvimento para uma sociedade justa e igualitária.

    Afinal, a importância da educação financeira na base educacional vai muito além do individual. O impacto da alfabetização financeira ainda na infância é responsável por mudanças no desenvolvimento do indivíduo e, a longo prazo, da sociedade.

    A CRIANÇA PODE TER MESADA?

    A melhor maneira de começar a ensinar crianças a lidar com dinheiro é a prática. Por isso, quantias dadas mensal, semanal ou diariamente ajudam na hora da criança lidar com dinheiro e ter noções básicas de custo e economia.

    Elas também devem aprender que o dinheiro precisa ser merecido. O primeiro passo é definir um valor para dispor do orçamento. Nesse caso, o valor deve estar de acordo com a capacidade financeira de cada grupo familiar.

    A prática leva a perfeição

    Depois que definir o valor inicial, é importante que as crianças entendam sobre objetivos e metas. Com o que ela quer gastar? Com o que vai gastar? Como gastar? É tudo questão de planejamento.

    Esse momento é imprescindível para que a criança tenha senso de responsabilidade com o próprio dinheiro.

    Também é importante ensinar sobre os custos, como poupar dinheiro e como eles podem adquirir o que quiserem a partir de uma boa economia. Saiba mais detalhes sobre como ensinar na prática aqui.

    Atenção às responsabilidades

    É importante que a criança use o valor da mesada para comprar o que gosta, sem esquecer de fazer uma economia.

    Por isso, a depender da renda familiar, o filho pode ser educado com hábitos e um estilo de vida condizente de crianças com as mesmas condições financeiras.

    Ajudar a delimitar o que será comprado com a mesada e o que você pode pagar são importantes para que ela compreenda sobre responsabilidades.

    Combine regras específicas

    Se funcionar no seu ambiente familiar, vale atrelar a mesada a regras e tarefas da casa. Faltar a escola, esquecer de lavar a louça, responder de forma grosseira, etc, são atos falhos.

    Cada vez que a criança fizer um desses, ou outros atos, será um real a menos – ou o valor que você preferir estabelecer em casa.

    É importante deixar claro que a finalidade, nesse modelo, é ensinar que o dinheiro só pode ser recebido a partir de uma rotina e da responsabilidade com os compromissos.

    CARTÃO DE DÉBITO PARA CRIANÇAS

    Agora que você já sabe um pouco sobre educação financeira para os pequenos e seus benefícios, é válido estar atento à possibilidade de ter um cartão exclusivo.

    Para quem não quer lidar com dinheiro em espécie na hora de cuidar da mesada das crianças, o Banco Bari tem uma solução.

    O grande diferencial é a junção de tecnologia e educação financeira, por isso, surgiu a Multiconta Digital Banco Bari.

    Nela, você tem acesso a Conta Controle que é uma ferramenta exclusiva para te ajudar a separar recursos para gastos específicos, como uma mesada.

    É o jeito perfeito de organizar e controlar gastos. Você pode gerenciar suas despesas com até 2 cartões de débito adicionais exclusivos e personalizados. Ou seja, seu filho pode ter o próprio cartão de débito.

    BENEFÍCIOS DA CONTA CONTROLE

    Tudo começa com o controle de gastos. Você define exatamente o gasto recorrente e o valor destinado ao seu cartão. Você também pode ter um cartão personalizado para sua conta controle.

    É só definir uma categoria e partir para o abraço.

    Com os cartões exclusivos e personalizados que a Conta Controle permite, você pode nomear como quiser. Já pensou no seu filho tendo um cartão com o nome dele? Ele vai adorar!

    Você pode escolher nome, cor e emojis que vão te ajudar a identificar mais facilmente na hora do extrato. Tudo isso feito dentro do aplicativo do Banco Bari. Além do mais, você que é pai, pode acompanhar os gastos do seu filho.

    Na Conta Controle também é possível programar transferências em um dia do mês ou da semana, ou transferir com apenas alguns cliques o valor de sua escolha.

    Agora ficou muito mais fácil entender sobre mesada e o fato de que seu filho pode sim ter um cartão de débito para chamar de seu! Se você quer continuar por dentro dos nossos conteúdos educativos, fique ligado no site do Banco Bari que sempre tem muita novidade preparada especialmente para você!

    Convidados

    Tudo sobre empréstimo para negativado

    16 de junho de 2021

    Tudo sobre empréstimo para negativado

    Linhas de créditos disponíveis para este público têm juros maiores, mas podem ajudar o indivíduo a reorganizar as finanças

    Obter crédito após entrar em inadimplência é um verdadeiro desafio. Segundo o Serasa, 61,4 milhões de brasileiros que encerraram o ano passado endividados vão sentir na pele essa complexidade ao pedir um empréstimo.

    Em 2020, as transações em aberto mais representativas dos brasileiros, de acordo com o Serasa, foram feitas em Utilities (luz, água e gás), Telecom, Varejo e Bancos & Cartões.

    Alguns inadimplentes foram beneficiados por setores que ampliaram os prazos de quitação, como as financeiras, e com a proibição de corte de serviços prestados pelas fornecedoras de utilities. Outros até conseguiram usar o Auxílio Emergencial para quitar as dívidas, o que fez com que 2020 registrasse, pela primeira vez em quatro anos, uma queda no total de inadimplentes.

    Apesar disso, o cenário não é favorável para os que continuam inadimplentes: quanto mais eles demoram para pagar uma dívida, mais ela aumenta e, em contrapartida, o crédito diminui, tornando mais longínqua a chance de sair do cadastro de devedores.

    Felizmente, nem tudo está perdido. Alguns players se arriscam no mercado de empréstimo para negativado, ajudando os brasileiros a sair do buraco.

    Como funciona o empréstimo para negativado?

    Mesmo que você esteja com o nome negativado, ainda é possível conseguir um empréstimo pessoal. Alguns bancos e operadoras oferecem possibilidades para ofertar o dinheiro com uma garantia de que o pagamento acontecerá.

    As mais comuns destinadas a quem está com o nome sujo são:

    • Empréstimo consignado

    • Empréstimo com garantia (imóvel ou veículo)

    • Empréstimo para autônomo negativado

    • Empréstimo com cheque

    • Empréstimo sem comprovação de renda

    Para qualquer uma das linhas de crédito, o cliente passará por uma análise que verificará o tipo de dívida pendente, o histórico de inadimplência e uma análise de crédito.

    Alguns tipos de dívidas (como Utilities e Varejo) são mais facilmente aceitos. Se tratar da primeira dívida do cliente, as chances aumentam. E se houver potencial de pagamento, é muito mais provável conseguir um empréstimo, mesmo com o nome sujo.

    A desvantagem é que, na lógica das financeiras, clientes negativados apresentam maior risco de calote, e, portanto, devem pagar juros mais altos. A contratação de crédito com garantia pode ajudar a amenizar as taxas, mas com certeza elas não serão tão atrativas quanto para clientes com um score alto.

    Como solicitar empréstimo para negativado?

    Graças à tecnologia, é possível entrar com um pedido de empréstimo sem sair de casa, realizando com segurança a operação via Internet.

    Independentemente da instituição financeira com a qual você pretende negociar, os documentos exigidos são os de praxe, como RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de rendimentos, CLT e, no caso de autônomos e empresários, extrato bancário.

    É preciso fazer um cadastro dos dados pessoais do usuário no site escolhido para solicitar o empréstimo, juntamente com os documentos, e informar a quantia desejada, além de responder algumas perguntas.

    Atualmente, é possível receber um retorno sobre as linhas de crédito disponíveis para o indivíduo em menos de dois minutos. Caso a oferta seja interessante, o aceite é feito on-line e o dinheiro cai na conta no prazo estipulado.

    Como não cair em roubadas?

    Como os empréstimos para negativados contam com altas taxas de juros, é preciso avaliar se essa é a melhor saída para conseguir dinheiro e organizar as finanças. Caso contrário, o cliente pode se endividar ainda mais e complicar a sua situação.

    Além disso, o público que busca esse tipo de empréstimo tende a estar mais vulnerável a fraudes.

    Só o golpe que oferece falsos empréstimos pelo WhatsApp cresceu 198% entre 2017 e 2019, apontam dados do site Reclame Aqui. Com a popularização das chamadas fintechs, é possível que este número seja ainda mais expressivo nos últimos anos.

    Quem vai contratar uma linha de crédito deve buscar bancos, financeiras e seus representantes oficiais que sejam autorizadas pelo Banco Central do Brasil para tal. Também é preciso conferir a segurança do site, a reputação da instituição e jamais realizar pagamentos antecipados.

    O ideal é que, após quitar as dívidas e sair do cadastro de inadimplentes, o consumidor consiga se reorganizar financeiramente e evitar novos endividamentos.

    Convidados

    Saiba como funciona a anuidade do cartão de crédito

    10 de junho de 2021

    Saiba como funciona a anuidade do cartão de crédito

    Sabia que existe cartão de crédito sem anuidade e que você pode negociar esta taxa com seu banco? Então leia este texto para descobrir como!

    Se você tem um cartão de crédito ou está pensando em solicitar um, provavelmente já ouviu falar da anuidade. Essa taxa costuma ser cobrada mensalmente e pode representar um significativo valor anual.

    Por isso, fizemos este texto para explicar a você o que é a anuidade do cartão de crédito, como ela funciona e quais maneiras você tem de conseguir anuidade grátis.

    Além disso, você também pode solicitar um cartão de crédito sem anuidade, porque já existem diversas opções no mercado.

    Então leia este artigo até o final para obter todo o conhecimento sobre este tema.

    O que é anuidade?

    A anuidade é uma taxa cobrada pela sua instituição financeira para que você use o cartão de crédito e aproveite o seu benefício.

    Geralmente, esta taxa é cobrada mensalmente e no mesmo dia, além de ser automática. Porém, há bancos que fazem a cobrança de três em três meses ou até anualmente.

    Muitos bancos, principalmente os mais modernos, oferecem anuidade grátis para isso ser mais um benefício do cartão de crédito. Porque o valor, apesar de parecer pequeno, faz bastante diferença quando você analisa o quanto foi gasto ao final do ano.

    Por que ela é cobrada?

    Esse valor é cobrado para compensar os custos envolvidos em oferecer um cartão de crédito. Além dos gastos de produção e envio do cartão, os bancos também costumam disponibilizar diversos benefícios aos seus clientes, como programa de pontos, descontos em lojas parceiras e cashback.

    Essas vantagens também têm custos relacionados, mais um fator que justifica a anuidade do cartão de crédito.

    Como negociar

    Primeiramente, já comentamos que existem várias opções de cartão de crédito sem anuidade. Mas, além disso, muitos cartões oferecem grandes descontos ou até deixam de cobrar essa taxa a partir de um certo gasto mensal na fatura.

    Assim, verifique o seu contrato com o banco para não perder oportunidades pagando um valor desnecessário.

    Além disso, você também pode negociar com o seu banco porque tem um valioso poder de barganha. Você pode alegar que outros bancos não cobram anuidade e que quer esse benefício para continuar usando o cartão.

    Outra estratégia é mostrar que você é um cliente antigo, paga corretamente as suas faturas e ainda tem gastos altos, merecendo, assim, anuidade grátis.

    Pode ser que o banco te ofereça um desconto na parcela. Mas, vale a pena você insistir na isenção de anuidade. Se a sua instituição financeira não concordar, recomendamos que você avalie se deve continuar com ele ou migrar para um outro banco.

    Melhores cartões sem anuidade

    Diante dessa realidade, vamos mostrar para você quais são os três melhores cartões de crédito com anuidade grátis. São muitas opções. Por isso, reunimos os cartões com mais benefícios, além de serem seguros e consolidados no mercado.

    Cartão de crédito Nubank

    O Nubank é um dos maiores bancos digitais do Brasil. Ele oferece cartão de crédito com anuidade grátis e muitos outros benefícios.

    Primeiramente, o seu dinheiro na conta Nubank rende 100% do CDI, o que é mais do que a poupança. Além disso, caso queira, você pode participar do programa de pontos Nubank para trocar pontos por viagens e produtos, mas esse é um programa pago.

    O Nubank também oferece um aplicativo de celular bastante completo em que você consegue fazer pagamentos, fazer transferências, gerar boletos, solicitar aumento de limite do cartão, fazer investimentos e até simular empréstimo.

    O banco tem a premissa de desburocratizar procedimentos e atender bem o cliente, o que também se aplica à anuidade grátis do cartão.

    Cartão de crédito Banco Pan

    O Pan é mais um banco que busca simplificar procedimentos para oferecer o melhor serviço ao cliente.

    Ele conta com o cartão básico que não cobra anuidade. Para solicitar este modelo, basta comprovar renda de pelo menos um salário mínimo. Assim, você poderá aproveitar todas as vantagens do banco, como os descontos em lojas parceiras e o dinheiro em conta rendendo 111% do DI.

    Porém, com esta modalidade mais simples do cartão Pan, você não tem acesso ao programa de pontos do banco.

    De qualquer forma, mesmo que você analise e opte por um cartão mais premium, pode obter desconto de até 100% na mensalidade através do programa Pague Menos.

    Cartão de crédito C6 Bank

    O C6 Bank é mais um banco digital que oferece cartão de crédito sem anuidade. Ele também tem outras vantagens interessantes.

    Você pode personalizar o seu cartão escolhendo a cor e o nome que será escrito nele. Além disso, ele proporciona pagamento por aproximação e conta com cartão virtual.

    O C6 Bank também oferece o programa de pontos Átomos. Nele, você acumula pontos e os troca por passagens aéreas, produtos ou até dinheiro na conta.

    Além de tudo isso, o cartão é internacional e também funciona na modalidade débito.

    Onde comparar online?

    Apesar de termos feito um resumo dos melhores cartões de crédito com anuidade grátis, há dezenas de opções disponíveis e vale a pena você fazer uma comparação entre elas para checar o melhor cartão em seu caso.

    Por isso, preparamos para você um material explicando sobre os diferentes cartões de crédito e possibilitando o comparativo entre eles.

    Considerações finais

    Este artigo teve o objetivo de explicar o que é a anuidade do cartão e como ela funciona. Porém, também demos dicas de como negociar este valor para obter anuidade grátis. Mesmo que isso pareça difícil, lembre-se que você tem um grande poder de barganha com o seu banco, principalmente se for um cliente antigo e pagar as suas contas sem atrasos.

    Além disso, também te mostramos as melhores opções de cartão de crédito sem anuidade explicando os principais benefícios que cada banco oferece.

    Assim, esperamos que você tenha tirado todas as suas dúvidas sobre este assunto e possa tomar decisões mais conscientes sobre o seu cartão de crédito.

    Convidados

    11 milhões de MEIs, brasileiros veem alternativa para burlar a crise

    17 de maio de 2021

    11 milhões de MEIs, brasileiros veem alternativa para burlar a crise

    Os microempresários por necessidade recorrem ao crédito como forma de complementar o capital de giro do negócio em um cenário de crise

    O número de novos microempreendedores no país cresceu. Foram 2,6 milhões de solicitações para a abertura de MEI (microempreendedor individual) em 2020, de acordo com o Sebrae. É a maior adesão em cinco anos, totalizando mais de 11 milhões de CNPJs ativos que se enquadram na categoria.

    Os novos MEIs são 20% a mais do que o registrado no fim de 2019, e há algumas explicações para o seu crescimento.

    Em períodos críticos, é comum que os brasileiros recorram ao empreendedorismo por necessidade. O fenômeno já foi visto em 2015, quando a taxa de empreendedorismo no país foi de 39,3%, o maior índice em comparação com os 14 anos anteriores. Portanto, em um ano que ficou marcado pelos desafios enfrentados pela economia e saúde em meio à pandemia, o novo recorde não é surpreendente.

    No ano passado, o número de desempregados no Brasil também bateu recorde desde o início da série histórica: 13,4 milhões de pessoas estão fora do mercado de trabalho. Outros 5,5 milhões de indivíduos já desistiram de procurar emprego – são os desalentados, conforme a classificação do IBGE. Para os especialistas, as oportunidades só irão melhorar conforme a vacinação avançar no Brasil.

    Em meio a este cenário, para sobreviver, a alternativa é começar a pensar a montar uma pequena empresa, e os pequenos negócios são fortes no Brasil. Hoje, o MEI representa 56,7% dos negócios ativos no país e 79,3% de todas as empresas abertas no ano de 2020.

    Segundo dados do Mapa das Empresas, do Ministério da Economia, todos os estados apresentaram crescimento no registros de MEI quando comparados a 2019. O estado com maior crescimento nos registros de MEI foi o Amazonas (+29,7% em relação ao ano anterior), enquanto o Tocantins teve a menor alta (+1,9% em relação ao ano anterior), com apenas 15.206 novos microempresários cadastrados.

    De repente MEI

    Não é por acaso que a abertura de MEI atrai tantos adeptos.

    O MEI é uma modalidade empresarial individual com processo simplificado para abertura de empresas e regime especial de tributação. Ao se cadastrar, o microempresário passa a possuir um CNPJ, que assegura facilidades com a abertura de conta bancária, pedidos de crédito e emissão de nota fiscal, ao mesmo tempo em que ganha obrigações e direitos de uma pessoa jurídica.

    O faturamento do MEI é de até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6.750,00 por mês). É um valor significativo, especialmente quando observamos que é quase cinco vezes superior ao rendimento médio mensal real domiciliar per capita do brasileiro, que, segundo o IBGE, é de R$ 1.406,00.

    Para se enquadrar, não é permitido ser sócio ou titular de outra empresa, o que não é problema para o interessado, que, na maioria das vezes, está entrando pela primeira vez no empreendedorismo.

    Além disso, o MEI pode ter até um funcionário CLT que receba um salário mínimo ou o piso da categoria em questão.

    Acesso ao crédito para microempreendedores

    Dada a pandemia que agravou as dificuldades enfrentadas pelos pequenos negócios, várias esferas do governo se mobilizaram para apoiar quem vive do microempreendedorismo.

    O Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (PRONAMPE) é um destes. Criado pelo governo federal durante a pandemia, ele destinará, em 2021, até R$ 5 bilhões para que microempresas e empresas de pequeno porte utilizem o recurso contratado para investimentos e capital de giro isolado ou associado ao investimento.

    Em São Paulo, o governo estadual anunciou pacote emergencial de estímulo para empreendedores dos setores mais impactados pela pandemia, com taxa de juros de 0,35% ao mês, limite de crédito de até R$ 21 mil e prazo para pagamento de até 24 meses. Há carência de até 60 dias para capital de giro.

    O microempreendedor que enfrenta obstáculos ou que não tem tempo para aguardar a liberação dos empréstimos do governo também opta pelo crédito de instituições privadas.

    No Bom pra Crédito, plataforma digital que reúne credores e tomadores de crédito, as solicitações de pessoas que declararam como motivação um negócio próprio cresceram 41% no comparativo entre 2019 e 2020. Estes pedidos praticamente dobraram quando observado apenas o primeiro trimestre – antes e no início da pandemia: a alta foi de 91,7%.

    A plataforma também registrou aumento nos pedidos de crédito por usuários que se declararam empresários. No comparativo 2019 x 2020, a alta foi de 37,5%. Já em relação ao primeiro trimestre de 2019 x 2020, o crescimento nos pedidos de empréstimos feitos por empresários foi de 140%.

    A demanda por crédito pessoal nos pequenos negócios brasileiros dobrou em 2020, conforme aponta o Sebrae, e os dados revelam que as variações acompanharam esta necessidade das empresas. Os recursos foram usados principalmente para capital de giro, que impactou não só os negócios, mas também o poder aquisitivo do indivíduo.

    Convidados

    9 tendências de negócios que terão maior foco pós-pandemia

    22 de abril de 2021

    9 tendências de negócios que terão maior foco pós-pandemia

    Confira 9 tendências que farão parte da rotina das empresas depois da pandemia

    As empresas passaram grande parte dos últimos meses lutando para se adaptar a circunstâncias extraordinárias.

    Embora a luta contra a pandemia da Covid-19 ainda não tenha sido vencida, com uma vacina à vista, há uma luz no final do túnel.

    2021 será o ano de transição. Os indivíduos, as empresas e a sociedade podem começar a olhar para a frente para moldar seu futuro, em vez de apenas trabalhar no presente.

    Com isso em mente, listamos 9 tendências no mundo dos negócios que surgiram em meio à pandemia e que vieram para ficar. Confira!

    1. Aceleração do comércio eletrônico

    O comércio eletrônico sempre teve uma trajetória ascendente em todo o mundo, mas o bloqueio das atividades de lojas e departamentos junto ao auto-isolamento aceleraram seu crescimento de forma incomparável.

    O fechamento de lojas, restaurantes, shoppings e preocupações com a segurança pessoal fizeram com que as pessoas passassem a fazer compras online em grande escala de modo mais natural.

    O que para muitos era uma busca esporádica ou que nem havia sido feita ainda.

    Essa necessidade gerou uma tendência, que por sua vez, também causou ondas. Em parte, porque as empresas locais mudaram para as vendas online para se recuperar e permanecer no mercado.

    A outra parcela é que isso gerou um hábito fortalecido pela facilidade. Com o passar do tempo, veremos as vendas online sendo oferecidas e realizadas como número regular da experiência do consumidor.

    2. Aumento nas compras locais

    Continuando a falar sobre negócios, é animador ver que as comunidades estão se unindo para apoiar as economias locais.

    Os consumidores estão mais propensos a comprar de uma empresa local em vez de um varejista nacional durante a crise da Covid-19.

    Para esses consumidores locais fiéis, os preços não são um problema, nem a variedade dos produtos. Os fatores que mantiveram esses consumidores fiéis às suas pequenas lojas locais são as novas maneiras como essas empresas abordaram a crise.

    Sem contar, é claro, em uma solidariedade coletiva que se faz necessária e que corresponde ao momento.

    3. Mais opções de entrega

    A segurança pessoal e a segurança de familiares e entes queridos se tornaram justamente o centro das atenções, de modo a mudar práticas que já eram habituais, como as compras periódicas.

    As decisões diárias e rotineiras de se fazer compras no mercado foram ficando de lado e um fator importante para essas alterações foi sobre as entregas online.

    Vimos quase imediatamente empresas começarem a oferecer retiradas na loja.

    Mas isso não era seguro o suficiente. Ainda há o risco de se expor a ambientes estranhos, onde não se pode controlar os protocolos de saneamento.

    Foi então que as entregas sem contato e as coletas na calçada aliviaram as preocupações e muitos comércios aderiram pela vez o serviço de delivery.

    4. Videoconferência e eventos virtuais

    Os protocolos de trabalho em casa e distanciamento social garantiram desde o início da pandemia que o contato físico permanecesse mínimo.

    Embora o mundo tenha desacelerado ao tentar lidar com esta crise, ele não interrompeu todo o trabalho. Nem poderia.

    A videoconferência eliminou a necessidade da presença física e as reuniões que não podiam ser realizadas foram finalmente possíveis.

    E com isso, até as empresas começaram a hospedar eventos virtuais para atrair clientes.

    Um reflexo disso é que a indústria do entretenimento começou a realizar seus eventos virtualmente, em ambientes sem público, somente com apresentadores e produtores.

    Em setembro de 2020, Hollywood realizou seu primeiro Emmy virtual, completo com máscaras, champanhe e uma celebração sem público, e esse é só um dentre tantos outros eventos que ocorreram da maneira mais adequada possível em meio a pandemia.

    5. Trabalho Remoto

    Talvez a tendência de negócios que causou mais impacto durante a crise da Covid-19 seja o trabalho em casa.

    Embora certamente acrescente flexibilidade e mais tempo para a família à mistura, também pode induzir a um período turbulento de adaptação, especialmente para aqueles que nunca trabalharam em home office e especialmente durante as restrições de abrigo em casa.

    No entanto, é evidente que os prós do trabalho remoto superam os contras, considerando ainda que as dificuldades do trabalho remoto diziam respeito ao período de adaptação, estrutura, novos procedimentos, etc.

    Uma vez que qualquer atividade se torna constante, melhor ela é realizada e mais consistente se mostra a produtividade.

    6. Autocuidado e saúde mental

    Ficar trancado em casa por meses a fio foi provavelmente o empurrão de que alguns precisavam para falar sobre saúde mental e autocuidado de forma aberta e sem constrangimento.

    Em tal situação, as empresas que fornecem serviços de saúde mental e outras formas de autocuidado viram um aumento significativo no número de novos clientes e interessados.

    Mesmo atividades de autocuidado discretas, como rotinas de spa em casa, direcionarão o tráfego de materiais e equipamentos relevantes.

    Conforme as pessoas aprendem a lidar com os efeitos colaterais da Covid-19, os profissionais de saúde mental verão uma demanda por seus serviços. E as pessoas lidam melhor com o isolamento social graças a esse acompanhamento profissional.

    7 – Segurança e conveniência

    A segurança pessoal será fundamental para que as pessoas aprendam a se adaptar a um mundo após o Covid-19. Sim, a vacina estará disponível e é esperado que muitos fiquem imunes ao vírus, mas quantos estarão prontos para voltar à vida como era antes?

    É difícil afirmar que as pessoas aceitarão prontamente grandes reuniões presenciais sem recuar por receio.

    A única coisa certa é que as empresas que melhor souberam lidar com o contexto e estiverem dispostas a oferecer conveniência e segurança estarão melhor em todos os sentidos se comparadas àquelas que tentarem esquecer o que aconteceu.

    Se você deseja que seu negócio prospere após o fim desta pandemia, a melhor coisa será continuar oferecendo às pessoas opções seguras: transações sem dinheiro, entregas sem contato e a proposta de retirada em loja.

    8 – Crescimento dos sistemas de educação online

    A pandemia proporcionada pela Covid-19 não afetou apenas as empresas, mas também o sistema educacional. Muitas escolas e instituições simplesmente não estavam prontas para fazer suas aulas online.

    Em resposta a esta situação, vídeos pré-gravados com mais opções e animações estão sendo usados com frequência, dando origem também aos Sistemas de Gestão de Aprendizagem (LMS).

    O EAD, que era um meio de educação não convencional, mas já aplicado em algumas localidades por dificuldades normalmente pessoais, se tornou uma resposta adequada para o período, popularizando um método de ensino que pode atender casos excepcionais.

    9 – Robótica e economia de energia

    A indústria robótica já estava chamando a atenção de investidores há algum tempo, mas a pandemia acelerou esse interesse.

    Protocolos de distanciamento social e outras medidas para prevenir a propagação de germes por meio do contato humano deixaram o campo aberto para os robôs comprovarem sua capacidade.

    Na China, isso assumiu um significado totalmente novo, com drones entregando medicamentos necessários para pacientes em quarentena.

    E como se não bastasse a atuação nos protocolos de saúde, os robôs e equipamentos industriais também colaboram com a economia de energia. Durante uma pandemia como essa, cada centavo economizado é primordial.

    Alguns empresários, embora ainda não tenham acesso a robôs de última geração, estão em busca de soluções inteligentes para se manterem competitivos.

    É o caso, por exemplo, do aluguel de gerador elétrico, uma alternativa econômica para a conta de luz e que traz mais produtividade para as indústrias.

    Como pode ver, a Covid-19 acelerou algumas tendências que, de outra forma, levariam anos para serem superadas. Cabe agora às empresas se adaptarem a transformarem essas oportunidades em bons negócios.

    Convidados

    Aprenda a financiar um apartamento

    30 de março de 2021
    Aprenda a financiar um apartamento
    Aprenda a financiar um apartamento

    Confira algumas dicas simples para sair do aluguel e conquistar o seu imóvel próprio

    De fato, ter um imóvel para chamar de seu e não precisar mais se preocupar com aluguel é um dos maiores êxitos da vida de ima pessoa.
    Contudo, nem sempre esse sonho é fácil de ser realizado, afinal, ele envolve muitas dúvidas e processos burocráticos. Mas, com algumas dicas simples, é possível encontrar uma propriedade que caiba no seu bolso e financiar um apartamento de maneira mais facilitada.
    Siga com a gente e confira o material que preparamos para você se organizar e conquistar o seu apê.

    Calcule todo o seu orçamento


    O primeiro passo para fazer o financiamento de um imóvel é saber o quanto você ganha, quais são as suas despesas e o qual é a quantia que você pode direcionar à aquisição.
    Para isso, some a sua renda bruta individual (ou a de todos os moradores que irão dividir os gatos com você), organize todas as suas finanças e comece a reduzir os gastos supérfluos como deliveries e restaurantes.
    Uma boa maneira de economizar na prática é transferir para uma poupança todo dinheiro extra que entrar na sua conta corrente.

    Pesquise cuidadosamente


    Comprar um apartamento envolve um grande investimento, por esse motivo, pesquisar por vários imóveis até encontrar aquele que atenda às suas expectativas é fundamental. Além disso, é preciso manter os pés no chão e escolher um apartamento à venda no Brooklin com valores que caibam no seu bolso.
    Portanto, para evitar futuras frustrações, pesquise bastante e tenha muita calma. Além disso, alguns fatores como localização, infraestrutura, acessibilidade e segurança merecem atenção especial.

    Entenda o que é um financiamento


    Se você deseja comprar um imóvel mas ainda não entende sobre o processo de financiamento, saiba que é necessário, antes de mais nada, compreender tudo o que é necessário para seguir com a solicitação.
    O financiamento nada mais é do que um programa oferecido pelas instituições financeiras para que a população possa realizar a compra de imóveis por meio das construtoras.
    Para isso, você não precisa ter nenhum vínculo com o banco escolhido para realizar o financiamento, mas, caso tenha, pelo menos uma conta bancária, fica mais fácil garantir a aprovação do crédito. Afinal, dessa forma, o banco terá conhecimento das movimentações realizadas anteriormente e você conseguirá comprovar, com mais facilidade, as suas condições de arcar com o pagamento do bem.
    Além disso, as instituições trabalham com linhas de crédito, que variam de acordo com a renda de cada comprador. Por serem caracterizados por longos prazos de prestações, antes de solicitar o seu financiamento, é essencial que o seu CPF esteja totalmente livre de restrições.

    Tenha em mãos todos os documentos necessários


    Para facilitar a aprovação do seu financiamento, é imprescindível que a sua documentação esteja completa. Portanto, nesse processo, é indispensável a comprovação da sua renda familiar, da sua carteira de trabalho assinada (caso opere em regime CLT) e a apresentação de outros documentos como RG, CPF, Certidão de Nascimento ou Casamento, declaração de imposto de renda (se for o caso) e extratos bancários dos últimos meses.
    Além disso, caso pretenda utilizar o saldo do FGTS para pagar parte do financiamento, é preciso ter em mãos o Extrato Do FGTS, Autenticado Ou Carimbado, Emitido Pela Caixa, e um Comprovante de Residência atualizado.

    Realizando o sonho


    Enfim, agora que você já sabe quais são os principais passos para financiar um apartamento, lembre-se de controlar a sua renda e evitar gastos desnecessários. Assim, fica muito mais fácil aproximar o seu sonho da realidade.
    Se este artigo foi interessante para você, compartilhe essas dicas em suas redes sociais. Com certeza, elas podem ajudar muitas pessoas que estão em busca de meios para facilitar a compra do imóvel próprio.

    Convidados

    Descubra como a inflação pode afetar os investimentos em 2021

    18 de março de 2021

    Descubra como a inflação pode afetar os investimentos em 2021

    Veja como a inflação pode afetar seus investimentos em 2021 e o que fazer para se proteger contra danos ao seu patrimônio!

    Se você acompanha as notícias financeiras ou mesmo diárias, provavelmente já ouviu especialistas e economistas discutindo sobre a taxa de inflação da economia. 

    Embora façam parecer que não tenhamos que nos preocupar, é importante que saibamos como a inflação pode afetar nossos esforços, tanto na hora economizar ou mesmo investir.  

    Para ajudar a endireitar as coisas, vamos apresentar o impacto potencial da inflação em seus planos financeiros. Mas primeiro…

    O que é inflação?

    Numa definição mais simples, a inflação é quando os preços médios em todo o país sobem, fazendo com que o poder de compra individual diminua à medida que o preço de tudo aumenta. 

    Vamos supor que o custo de compra de uma bicicleta hoje seja em torno de R$100,00 e a taxa de inflação atual seja de 2%: no próximo ano, o preço da bicicleta será de R$102,00 (esperando que o preço aumente na mesma proporção da inflação).

    Outra forma de entender a inflação é por meio da lei de oferta e demanda, que desempenha um papel importante no funcionamento desse “mecanismo”. 

    Logo, os preços tendem a subir quando:

    • a demanda por um bem ou serviço aumenta;

    • a oferta desse mesmo bem ou serviço cai. 

     

    Muitos fatores afetam a oferta e a demanda nacional e internacional, incluindo custos de bens e trabalho, impostos sobre a renda e bens e disponibilidade de empréstimos, por exemplo.

    Durante a pandemia de COVID-19, tivemos um choque repentino de pessoas forçadas a ficar em casa. Isso gerou um excedente de bens que as pessoas não podiam mais comprar em período de quarentena, como os automóveis – o que impactou no preço relativo dos carros. 

    Como isso pode impactar os investimentos?

    O impacto da inflação sobre os investimentos depende do tipo de aplicação financeira. Para investimentos com um retorno anual definido, a famosa renda fixa, a inflação pode prejudicar o desempenho – como você recebe o mesmo pagamento de juros a cada ano, isso pode reduzir seus ganhos reais. 

    Se você receber um pagamento de R$100,00 por ano, por exemplo, esse pagamento valeria cada vez menos a cada ano, dada a inflação.

    De acordo com o Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo Banco Central (BC), a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do País foi de 3,32% para 3,34% em 2021.

    Ainda que esteja abaixo da meta central (3,75%), o IPCA vai continuar deixando negativo o retorno real de alguns títulos de renda fixa, como o Tesouro Selic, ideal para reservas financeiras. 

    Isso ocorre porque o principal balizador dessa classe de ativos é o CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro), que atualmente está em 1,90%, bem inferior à inflação.

    E as ações?

    Já no caso das ações, a inflação pode ter um impacto misto. Em momentos de força econômica, as empresas podem estar vendendo mais, o que pode ajudar no preço de suas ações. No entanto, essas mesmas empresas também pagarão mais por salários e matérias-primas, o que prejudica seu valor no mercado financeiro. 

    Se a inflação vai ajudar ou prejudicar na bolsa de valores, pode depender do desempenho da empresa por trás dela.

    Por outro lado, metais preciosos, como o ouro, historicamente se saem bem quando a inflação está alta. Por fim, existem alguns investimentos indexados ao risco de inflação. Eles ganham mais quando a inflação sobe e menos quando a inflação desce, de modo que seus ganhos totais são mais estáveis. 

    Como defender sua carteira contra a inflação?

    A inflação pode ter um impacto significativo na sua estratégia de investimentos ao longo do tempo. Além de trabalhar com um profissional financeiro, considere duas etapas que podem ajudar a proteger seu patrimônio contra a inflação:

    • diversificar seu portfólio com várias classes de ativos (fundos imobiliários, ações, renda fixa e até mesmo commodities). No entanto, a diversificação e a alocação de ativos não protegem contra perdas ou garantem retornos;

    • considere os títulos protegidos contra a inflação. Uma sugestão é o Tesouro IPCA+, com ou sem pagamento de bônus semestrais. Esse é um papel que combina uma parte de retorno prefixado, definido no momento da compra do papel, e o restante indexado à inflação, medida pelo IPCA. Da mesma forma que o Tesouro Direto, também existem outros títulos que podem ter sua rentabilidade atrelada à inflação. É o caso dos CDBs, LCIs e LCAs.

    Lembre-se: a inflação pode estar além do seu controle, mas isso não significa que você não pode tomar medidas para ajudar a preservar seus investimentos e economias de seus efeitos.

    Você já incluiu a inflação nos seus planos financeiros?

    Como você viu, a inflação é uma das razões pelas quais muitas pessoas não colocam todo o seu dinheiro no banco – uma vez que, com o tempo, a inflação pode corroer o valor dessas economias.

    Por esse motivo, alguns preferem manter parte de seu dinheiro em investimentos de crescimento potencialmente mais alto, como ações ou fundos mútuos, porque, em média, esses investimentos ganham mais por ano do que a taxa de inflação (embora também apresentem o risco de menores ganhos ou perdas).

    Você também pode considerar o risco de inflação ao descobrir que tipos de investimentos terá em seu portfólio. 

    Como mencionamos, os investimentos fixos, como títulos ou anuidades fixas, podem ser adversamente afetados pela inflação. Para diversificar, alguns investidores optam por comprar dólar ou adicionar ouro e investimentos indexados à inflação às suas carteiras.

    A inflação é uma força de mercado impossível de ser completamente evitada. Mas, planejando isso e implementando uma estratégia de investimento forte, você poderá ajudar a minimizar o impacto em suas economias e planos financeiros de longo prazo.

    Convidados

    13 coisas que você precisa investir na sua empresa

    28 de janeiro de 2021

    13 coisas que você precisa investir na sua empresa

    Confira a seguir uma lista com 13 itens importantes para anos prósperos em sua empresa.

    Melhorias consistentes para aprimorar seu negócio são essenciais para seu sucesso e sustentabilidade.

    Ações como monitorar o fluxo de caixa de forma consistente, utilizar as mídias sociais e se conectar com seus clientes e reconhecer seus pontos fortes enquanto pede ajuda em aspectos menos relevantes podem ajudá-lo a se concentrar na melhoria de pequenas áreas que oferecem maior ganho.

    Pensando nisso, separamos este post para ajudar você nesta jornada e, assim, atingir bons resultados. Leia até o final e não perca!

    1 – Infraestrutura

    A maioria das startups gasta seus lucros iniciais reinvestindo, e sua empresa não deve ser exceção.

    A chave para reinvestir é ter uma estratégia sólida, mas não necessariamente devotar uma certa porcentagem de seus lucros. Quanto a isso, é fundamental que seus ‘esforços de reinvestimento’ devem estar alinhados com seu plano estratégico atual.

    A maioria dos empresários opta por investir seus lucros em melhorias físicas, por exemplo, infraestrutura, equipamentos e ferramentas.

    Essas estratégias são valiosas porque podem aumentar seus lucros a longo prazo, permitindo a expansão de suas operações e, ainda, o reconhecimento de sua autoridade no mercado.

    2 – Marketing

    O marketing, mais precisamente o digital, deve ser sempre considerado como um investimento inteligente de lucro.

    No entanto, é um tanto quanto comum que muitas empresas esperam vários meses antes de fazerem qualquer investimento real em estratégias por meio do marketing. Às vezes é porque elas simplesmente não sabem por onde começar.

    Para isso, busque informações e faça pesquisas a respeito de seu mercado ou, caso prefira, considere terceirizar este importante serviço à uma agência especializada.

    3 – Equipe

    Construir uma força de trabalho melhor simplificará seus negócios, aumentará a produtividade e criará o tipo de cultura empresarial que atrairá trabalhadores dedicados.

    Invista os lucros em iniciativas de recursos humanos, como treinamento e educação continuada. Conforme sua empresa cresce, você pode expandir para incluir pacotes de benefícios e outros descontos.

    Investir em seus funcionários desde o início ajudará a reduzir a rotatividade. Lembre-se de que contratar um novo funcionário custa muito dinheiro – cerca de seis a nove meses do salário de um funcionário perdido, em média.

    4 – Capacitação

    Encontre maneiras de melhorar sua experiência no assunto. Hoje, muitas empresas são lideradas por pessoas que possuem um bom olhar para a inovação, mas que não necessariamente sabem como gerenciar pessoas, por exemplo.

    Essa é, na verdade, uma das críticas mais comuns que os empresários enfrentam. Aulas sobre gestão ou operações básicas de negócios neste cenário tornam-se inestimáveis ​​para pessoas que não vêm de um histórico formal de negócios.

    5 – Novas contratações

    Reconheça quando precisar de ajuda e peça por ela.

    As novas contratações podem fornecer as habilidades técnicas e know-how para manter suas operações funcionando sem problemas. Este é um dos melhores investimentos que você pode fazer a longo prazo.

    6 – Coaching

    Se você não tiver certeza de como deve criar seu plano estratégico, considere usar parte de seus lucros para contratar um coach de carreira.

    Esses profissionais podem fornecer orientação sobre liderança executiva, criação de uma estratégia de negócios, conversar com investidores e lidar com conflitos entre funcionários, entre outras coisas.

    7 – Terceirização

    Todos nós temos uma tarefa terrível que tira parte da alegria de administrar uma empresa. Para alguns é a contabilidade ou a gestão da folha de pagamento e para outros é avaliar e rastrear a eficácia das campanhas de marketing ou da criação de conteúdo para o blog da empresa.

    Felizmente, você pode terceirizar a maioria deles à profissionais especializados. Encontre alguém qualificado e entregue a tarefa.

    8 – SEO

    Primeiro, se você abriu uma empresa sem um site, crie um. Em segundo lugar, gaste algum tempo, dinheiro e energia para colocar esse site no topo das páginas de resultados do mecanismo de pesquisa (SERPs) do Google.

    Para os não iniciados, Search Engine Optimization pode parecer complicado, mas você vai pegar o jeito (ou encontrar alguém qualificado e terceirizá-lo). Se você está procurando uma maneira de ver um retorno do investimento significativo em um tempo relativamente curto, esta é uma maneira de fazer isso.

    9 – Reserva de emergência

    Embora investir em seu negócio seja ótimo (e necessário), certifique-se de ter dinheiro suficiente para lidar com os problemas que podem surgir.

    Embora suas apólices de seguro de negócios cubram desastres e catástrofes, é sempre aconselhável ter liquidez disponível para quando você realmente precisar.

    10 – Funil de vendas

    É hora de garantir que esses clientes em potencial no topo do funil realmente se convertam em leads e, em seguida, em clientes pagantes. Você pode ter muitos clientes em potencial, mas o que sua empresa está fazendo para transformá-los em clientes reais?

    Você precisa oferecer algo para que o cliente em potencial volte ao seu site continuamente.

     

    Um visitante de primeira viagem não vai comprar o que você está oferecendo. Você precisa de um motivo para que eles voltem ao seu site, para aprender a confiar em você e, eventualmente, comprar o seu serviço ou produto. Investir em um bom funil de vendas é o caminho para o sucesso.

    11 – Relacionamento com o cliente

    Melhorar o relacionamento com o cliente não é uma estratégia moderna ou nova, mas funciona.

    Construir relacionamentos com os clientes significa realmente ouvir o que eles precisam e fazer todos os esforços para satisfazer essas necessidades. Tente personalizar seus produtos ou serviços com base nessas necessidades também.

    Investir no relacionamento com o cliente significa dedicar muito tempo e recursos. Esteja preparado para colher realmente os benefícios de clientes fiéis que voltam.

    12 – Métricas

    Você não precisa medir todos os seus esforços, apenas aqueles em que está investindo mais tempo e dinheiro. Você precisa saber o que está ajudando suas vendas e o que não está.

    Experimente, por exemplo, rastrear como as pessoas estão encontrando seu site. É por meio de um programa de referência, anúncios ou uma postagem de blog que você escreveu para outro site? Certifique-se de saber para que possa redobrar seus esforços em qualquer área de trabalho.

    13 – Presença online

    Atualizações simples em seu site podem fazer uma grande diferença. Certifique-se de que suas informações de contato estejam claramente visíveis em cada página.

    E quando um cliente potencial ligar ou enviar e-mails para você, ofereça um excelente atendimento ao cliente. Responda a eles imediatamente e resolva sua preocupação.

    Se possível, invista também em um site multilíngue trabalhando com uma empresa que possa prestar esse tipo de serviço, com tradutores certificados e opções de tradução juramentada. Dessa forma você pode ampliar ainda mais sua base de clientes!

    Convidados

    Como revisar o planejamento estratégico da sua empresa para 2021

    27 de janeiro de 2021

    Como revisar o planejamento estratégico da sua empresa para 2021

    Veja algumas dicas que podem te ajudar na hora de revisar seu planejamento estratégico e se preparar para o ano de 2021!

    A sua organização passou por uma mudança estratégica este ano? Aqui podemos considerar quaisquer acontecimentos como: um avanço tecnológico em seu mercado, um novo regulamento político,uma nova competição ou apenas uma grande mudança na receita (seja ela positiva ou negativa).

    O problema é que muitas organizações não consideram como esses tipos de mudanças afetam seu plano estratégico ou, se os consideram, simplesmente não sabem como fazer as mudanças adequadas para acomodar essa mudança.

    Portanto, se você deseja se preparar para 2021, trouxemos algumas dicas de como otimizar o planejamento estratégico da sua empresa para o próximo ano! Confira!

    O que é uma revisão do planejamento estratégico?

    Uma revisão do planejamento é o processo no qual as organizações discutem o andamento de suas metas e objetivos e fazem os ajustes necessários para o ano seguinte.

    O melhor momento para considerar o ajuste de seu plano estratégico e garantir que as mudanças sejam implementadas é durante o processo de revisão de estratégia de final de ano.

    Normalmente, o processo de revisão explora as seguintes questões com seu plano existente:

    • O que funcionou e o que não funcionou nos últimos 12 meses?
    • O que mudou em seu ambiente?
    • O que retiramos e quais coisas novas colocamos no plano estratégico?

    Neste post vamos apresentar quatro etapas que ajudarão você a identificar e abordar essas mudanças de forma produtiva para garantir que todos em sua organização estejam trabalhando para o mesmo objetivo.

    Etapa 1: analise o “quadro geral”

    A primeira coisa que você precisa fazer durante o processo de revisão da estratégia é dar um passo atrás e examinar cada elemento do seu plano estratégico.

    Sempre sugerimos fazer a pergunta: “Nossa estratégia geral ainda é válida?” Isso é importante e, francamente, muitas vezes esquecido.

    Se a posição da sua organização mudou no último ano (ou nos últimos anos), isso terá um impacto dramático em todos os elementos que compõem o seu plano estratégico – desde a sua missão, visão e valores, até o seu objetivos, medidas e iniciativas.

    Portanto, sugerimos que você analise seu cenário estratégico para ver se certificar que não ocorreu alguma alteração (no que diz respeito à tecnologia, política, meio ambiente etc.). Você pode descobrir, por exemplo, que um novo concorrente entrou em seu setor e está mudando o modelo de precificação de todo o mercado.

    Etapa 2: revise os detalhes do próprio plano

    Os detalhes do plano estratégico incluem seus objetivos, medidas e iniciativas. Veja como revisar cada:

    Objetivos são suas metas organizacionais de alto nível. Durante o processo de revisão da estratégia, você precisará perguntar “Nossos objetivos ainda são relevantes? Eles se relacionam com nossa missão, visão e valores? ”. Mas lembre-se: sua resposta precisa ser feita com dados reais, não com suas intuições.

    As medidas às vezes são chamadas de indicadores-chave de desempenho (KPIs) ou métricas. Cada um de seus objetivos deve ter medidas associadas a ele — e para cada uma dessas medidas, você precisa definir uma meta realista.

    Quaisquer mudanças em suas medidas devem vir dos chefes de departamento ou de outras pessoas em posição de liderança — portanto, recomendamos realizar um “retiro estratégico” ou uma reunião de meio dia para discutir quaisquer medidas que precisem ser alteradas.

    As iniciativas não são tarefas únicas; são uma visão geral ou projetos de longo prazo que sua organização está rastreando para o sucesso estratégico. É mais provável que você mude, remova ou adicione novas iniciativas durante o processo de revisão da estratégia do que altere suas medidas ou objetivos.

    Portanto, certifique-se de discutir o orçamento, as datas de início/término e os vínculos com suas medidas e objetivos antes de tomar essas decisões.

    Etapa 3: melhore seus relatórios

    Os relatórios são essenciais para comunicar o desempenho de seu plano estratégico geral. Se você simplesmente ignorar seus relatórios durante o processo de revisão a estratégia que você trabalhou tanto para construir pode simplesmente se tornar ineficaz. Portanto, você vai querer perguntar o seguinte:

    • Estamos nos encontrando na frequência certa? As reuniões trimestrais e mensais têm objetivos diferentes e você vai querer ter certeza de que cada reunião que realizar seja produtiva.
    • Nossos relatórios estão formatados corretamente? Meus relatórios mostram as informações que todos precisam ver para entender nosso desempenho?

    Lembre-se de que cada relatório destacará informações diferentes; um relatório de medida pode mostrar o responsável, a frequência com que está sendo rastreado e o status da série; enquanto um relatório de iniciativa pode mostrar a data de início, a data de término, o orçamento e os marcos.

    Etapa 4: comunique as mudanças à sua organização

    Quando você realiza uma revisão de sua estratégia, é extremamente importante considerar como você comunicará atualizações ou mudanças em seu plano em toda a organização.

    Caso contrário, você não criará adesão em toda a organização, o que tornará muito mais difícil para você alcançar o sucesso estratégico.

    Os benefícios de uma revisão estratégica

    Quando bem conduzida, uma revisão estratégica pode trazer benefícios significativos para uma empresa.

    Além dos benefícios financeiros diretos de melhorar o desempenho e buscar novas oportunidades de crescimento, o processo em si pode melhorar o alinhamento entre funcionários, equipes de gerenciamento sênior e outras partes interessadas importantes, ajudando a impulsionar uma cultura de alto desempenho e clareza sobre a direção futura dos negócios.

    A realização de uma revisão estratégica requer a coordenação de uma série de atividades analíticas, modelagem financeira, gerenciamento de partes interessadas e desenvolvimento de relatórios.

    Os princípios descritos acima são vitais ao tentar concluir uma revisão estratégica de forma eficiente. Vale destacar que uma abordagem disciplinada, sustentada por uma estrutura lógica clara e uma abordagem analítica pragmática pode aumentar significativamente o sucesso do processo, independentemente de quanto tempo você tem para concluir o trabalho.

    Com o processo de revisão do planejamento estratégico, sua empresa pode traçar novos objetivos para o próximo ano, seja expandir suas operações ou até mesmo encontrar um novo fornecedor de serviços de aluguel de geradores.