‘Book’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: book

    Livraria

    E-book: Dicionário das Opções

    14 de Fevereiro de 2018

    O mercado de opções sobre ações é fascinante, com possibilidades de ganhos incríveis e riscos totalmente controláveis.

    Termos do Mercado Financeiro

    old-man-reading-old-book

    Clique aqui para fazer o download do e-book.

    Milhões de brasileiros os fazem todos os anos para seus carros, casas e outros bens. Ou você já ouviu alguém dizendo que não faz por que acha muito complicado? Então o que afasta os investidores das opções? A resposta, talvez,
    esteja na linguagem.

    A ideia é que você tenha este arquivo sempre à mão. Vale imprimir ou deixar na área de trabalho do seu computador para ter acesso rápido sempre que precisar. Pronto para o fascinante mercado das opções? Então ao trabalho!

    Clique aqui para fazer o download do e-book.

    Até o próximo post.

    Livraria

    Ebook gratuito: Bitcoin – A Moeda na Era Digital

    22 de agosto de 2017

    The Ascent of Money – A Financial History of the World (“A ascensão do dinheiro – Uma história financeira do mundo”, numa tradução livre)

    bitcoin-a-moeda-na-era-digital

    O bitcoin é uma moeda com a mesma utilidade do real ou do dólar, mas com algumas diferenças importantes:

    1. É uma moeda puramente digital;
    2. Não é emitida por nenhum governo (ainda…);
    3. Tem aceitação mais restrita.

    Seu valor é determinado livremente pela oferta e pela demanda. Mais recentemente o bitcoin ganhou notoriedade por sua incrível valorização. Desde a primeira transação com bitcoin que se tem notícia, realizada em 2010, a moeda já subiu mais de 100.000.000%.

    D9 e MinerWorld: suspeita de operar um esquema de pirâmide financeira

    Se você quer saber tudo sobre bitcoin, baixe agora gratuitamente o ebook de 123 páginas “Bitcoin – A Moeda na Era Digital”, escrito por Fernando Ulrich, um dos maiores especialistas do Brasil em criptomoedas.

    E-moeda é fraude?

    Baixe agora mesmo o E-book clicando aqui.

    E não deixe de ler:

    Livro – Crash!: Uma Breve História da Economia – Da Grécia Antiga ao Século XXI (Alexandre Versignassi)

    Até o próximo post.

    Convidados

    Guia sobre Investimentos em Renda Fixa

    25 de Abril de 2017

    Neste e-book gratuito, Guia sobre Investimentos em Renda Fixa, você vai aprender quais são as melhores aplicações financeiras em renda fixa do Brasil e descobrir que há diversas oportunidades para investir fora do banco que são extremamente seguras e muito mais rentáveis.

    ebook-renda-fixa

    Segue o conteúdo deste e-book:

    – Introdução;
    – CDB;
    – CRI e CRA;
    – Debêntures;
    – LC;
    – LCI e LCA;
    – Letras Financeiras;
    – Poupança;
    – Tesouro Direto;
    – Considerações Finais.

    E-book renda fixa, download aqui.

    Geral

    Sinais de que você nunca será rico

    19 de Abril de 2016

    Para quem possui a meta de um dia ser milionário, precisa ficar ligado para saber se não estar fazendo algo de errado.
    Alguns costumes são difíceis de mudar, como por exemplo, dirigir pelas mesmas ruas e avenidas, frequentar os mesmos lugares, acordar no mesmo horário, comer nos mesmos restaurantes e assim por diante. Certas práticas com o próprio dinheiro também são comuns, porém é preciso ficar atento, uma vez que alguns deles podem estar levando-te para o caminho errado caso seu propósito seja ficar rico, conforme o artigo 9 signs you’ll never be rich do Business Insider.

    woman thinking - mulher pensando

    Confira abaixo os 9 sinais de que você nunca será rico:

    • Você ainda não começou a investir
    • Uma das maneiras mais efetivas de se ganhar dinheiro a longo prazo é por meio dos investimentos, e quanto mais cedo você começar a investir, melhor.

      “Em média, milionários investem 20% de suas rendas anuais”, escreve Ramit Sethi em seu best-seller “I Will Teach You to Be Rich” (Vou Te Ensinar a Ser Rico, em tradução livre).

      Quanto mais você conseguir aplicar, melhor. Isso não significa que pequenas quantias sejam insignificantes, muito pelo contrário, uma vez que o dinheiro se valorizará com juros compostos.

    • Você coloca mais ênfase em guardar do que em ganhar dinheiro
    • Guardar dinheiro é fundamental, mas para construir um patrimônio você não precisa só focar no quanto consegue juntar, mas também em quanto consegue ganhar.

      O milionário Steve Siebold diz que é importante ter estratégias para economizar, mas que as pessoas precisam começar a pensar em como fazer para ganhar mais. Para guardar dinheiro, você precisa ganhar primeiro. Uma técnica comum entre os milionários é que eles desenvolvem diferentes fluxos de renda e poupam de forma inteligente.

    • Você acredita que ficar rico está fora dos limites
    • “Pessoas comuns acreditam que ficar rico é um privilégio concedido apenas a pessoas sortudas”, escreve Siebold. “A verdade é que no mundo capitalista, você tem todo o direito de ser rico se está disposto a criar um grande valor para os outros”. O milionário sugere que a pessoa se pergunte: “Por que não eu?” e que depois comece a pensar grande. Pessoas ricas criam altas metas. Por que não R$ 1 milhão?

      3- Você está satisfeito com um salário estável e garantido
      Pessoas comuns preferem ser pagas com base no tempo de trabalho, por meio de um salário e horas fixas, enquanto as pessoas ricas preferem receber de acordo com seus resultados e são, muitas vezes, trabalhadores autônomos.

      “Não que as pessoas que trabalham de acordo com o ponteiro do relógio não se esforcem, mas este é o caminho mais demorado para o sucesso. A maioria sabe que ser autônomo é o caminho mais rápido para se alcançar riqueza”, diz Siebold.

      4- Você compra coisas que não pode pagar
      Se você costuma gastar mais do que ganha, é pouco provável que você fique rico. Ainda que você receba um aumento, não é aconselhável que isso sirva de justificativa para um suposto aumento no custo de vida.

      “Eu não comprei meu primeiro relógio de luxo ou carro até que meus negócios e investimentos produzissem múltiplos fluxos seguros de renda”, escreve o milionário Grant Cardone. “Seja conhecido pela sua ética de trabalho e não pelas coisas que você compra”, completa.

    • Você está perseguindo o sonho de outras pessoas e não o seu
    • Se quer ter sucesso, você precisa amar o que faz, ou seja, precisa estar determinado e seguir aquilo que acredita.

      Thomas C. Corley, escritor que passou cinco anos estudando milionários, conta que um erro comum é seguir o sonho de outras pessoas ao invés do seu, como o dos pais, por exemplo. “Quando você persegue o sonho ou o objetivo de outra pessoa, você tende a ficar infeliz com a profissão escolhida e isso reflete na sua performance. Você simplesmente não terá a paixão que é necessária para atrair o sucesso”, escreve o autor.

    • Você raramente sai da sua zona de conforto
    • Se você quer construir riquezas, ter sucesso ou se dar bem na vida, você terá que lidar com as incertezas e com possíveis desconfortos.

      “Um conforto físico, psicológico e emocional é um dos principais objetivos da classe média. Mas para aqueles que querem ser milionários, é preciso aprender a operar em um estado de constante incerteza”, escreve Steve Siebold.

    • Você não tem objetivos para o seu dinheiro
    • O dinheiro não vai simplesmente aparecer, você precisa trabalhar para que isso aconteça. Se você quer construir um patrimônio, estabeleça um objetivo claro e específico, antes mesmo de montar um planejamento financeiro para alcançar esse objetivo.

      Pessoas ricas tendem a se comprometer a alcançar riquezas, mas para isso é necessário, além de metas precisas, foco, coragem, conhecimento e muito esforço. O principal motivo para as pessoas não conseguirem conquistar seus objetivos é porque elas não sabem o que querem. As pessoas ricas são totalmente decididas: o que elas querem é riqueza.

    • Você gasta primeiro e guarda só o que sobrar
    • Se você quer ficar rico, você precisa guardar antes de começar a gastar. “O que muitas pessoas fazem quando recebem algum dinheiro é pagar todas as contas antes: aluguel, cartão de crédito, telefone, governo e etc”, diz o milionário David Bach.

      De acordo com Bach, melhor do que gastar e só depois guardar o “resto”, é poupar primeiro. Ele aconselha que a pessoa reserve no mínimo 10% da sua renda salarial e disponibilize o depósito automático, já que desta forma, ela nunca verá o dinheiro e aprenderá a viver sem ele.

    Até mais pessoal!

    Livraria

    Momentos em que sua mente erra em relação ao dinheiro

    12 de dezembro de 2015

    O ser humano está o tempo todo tomando decisões e para isto o cérebro acaba criando atalhos mentais para economizar esforço ou ter respostas mais rápidas na hora de realizar as escolhas. O resultado de tais decisões, advindas de truques mentais, pode ter impacto negativo sobre os investimentos. Com base nisto a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou um material (pequeno e-book) esclarecedor sobre os erros mais comuns provocados por esses atalhos mentais, que inclui também dicas sobre como evitá-los:
    – Série CVM Comportamental – Volume 1: Vieses do Investidor.

    Tal o conteúdo foi elaborado com base em conceitos de finanças comportamentais, vertente da psicologia econômica que estuda as emoções, as quaise estão por trás das decisões financeiras. Nos termos das finanças comportamentais, os atalhos mentais que nos fazem cometer erros financeiros são chamados de vieses comportamentais.

    Confira abaixo alguns dos principais vieses que levam os investidores a cometer gafes com o dinheiro, segundo a Série CVM Comportamental:

    Ter poucas referências ao investir

    A mente tende a considerar como verdadeiras referências que possuímos sobre determinados assuntos, ainda que elas sejam insuficientes.

    Se um investimento aparece ligado a palavras como “pechincha”, por exemplo, é mais provável que o investidor avalie o investimento como vantajoso do que outro que costuma ser considerado “caro”.

    A explicação para esse fenômeno é que a mente necessita de referências para basear seus julgamentos, mesmo que essas referências não sejam as mais adequadas

    Um investidor que compra uma ação por determinado valor e se recusa a vendê-la por um custo menor é um exemplo típico desse fenômeno. A justificativa para não realizar a venda é a crença de que foi pago um valor justo pelo bem ou aplicação. Mas esse pensamento, se questionado a fundo, pode não ser verdadeiro.

    O que fazer: Verifique se suas referências têm fundamentos e evite tomar decisões financeiras de última hora. Na falta de indicações racionais, a mente apela para informações disponíveis, mas que nem sempre são confiáveis.

    Homem lamenta erro

    Ter medo de perder dinheiro

    Este truque da mente consiste em atribuir maior importância às perdas do que aos ganhos. Uma das justificativas para isso é que, como a dor da perda tende a ser sentida com maior intensidade do que o prazer da conquista, ficamos com a impressão de que a perda é mais relevante.

    O fenômeno, conhecido como aversão ao risco, pode levar o investidor a se manter em uma aplicação de baixa rentabilidade pelo medo de arriscar. Ou, pelo contrário, pode levá-lo a sair de uma aplicação promissora de forma precipitada pelo temor de perder os rendimentos que já foram acumulados.

    O que fazer: Estabeleça limites aceitáveis para eventuais prejuízos e questione periodicamente se vale a pena continuar investindo na aplicação. Em caso negativo, pode ser melhor retirar o dinheiro e buscar recuperar o prejuízo aplicando os recursos em algo mais rentável.
    Evite também monitorar frequentemente os rendimentos das aplicações, principalmente as de longo prazo. Isso pode ajudar a diminuir a ansiedade de resgatar o dinheiro por conta de perdas que poderiam ser facilmente recuperadas no futuro.

    Basear-se no histórico de ganhos do investimento

    Um erro frequente de investidores é calcular a probabilidade de retorno de determinada aplicação com base em seus desempenhos passados.

    Por exemplo, uma ação que tenha se valorizado por diversas vezes consecutivas pode levar o investidor a pensar que ela poderá passar a cair, mesmo que não haja uma razão racional para que isso aconteça, e vice-versa.

    O que fazer: Leve a sério o alerta de que ganhos passados não representam garantia de rentabilidade futura e baseie suas decisões de investimento em informações confiáveis.

    Ficar agarrado a convicções

    Outra peça que sua mente pode pregar é a priorização de informações que confirmam suas convicções e o descarte de dados que que desafiam nossas crenças. Esse é o viés de confirmação.

    Filtrar o que é verdadeiro dentre duas informações opostas exige esforço. Como o caminho mais curto (e fácil) é continuar acreditando nas nossas próprias crenças, muitas vezes nosso cérebro nos induz a isso.

    Como consequência, se o investidor acredita que uma aplicação é vantajosa, ao fazer uma pesquisa sobre esse investimento ele pode reunir apenas informações que validem sua tese, e pode acabar descartando notícias e dados que indiquem que a aplicação pode não ser tão boa assim (veja os 7 erros mais evitados pelos ricos ao investir).

    O que fazer: Pesquise com calma, compare informações de diversas fontes e busque discutir com outras pessoas os motivos que embasam ou desestimulam a decisão. Faça também um esforço adicional para encontrar pontos de vista contrários aos seus.

    Deixar-se levar por emoções

    A dificuldade de nos colocarmos em outros estados emocionais em um momento de estresse tem impacto negativo sobre nossas decisões de investimentos.

    Por exemplo, um investidor que tenha estabelecido um limite de 10% para perdas pode mudar de estratégia e resgatar todo o investimento ao verificar que a aplicação está registrando prejuízo, mesmo que a perda esteja dentro do limite inicialmente planejado.

    O que fazer: A melhor forma de não se deixar levar pelo calor do momento é programar de maneira automática aplicações e resgate de recursos em fundos ou ordens de compra e venda de ações, sempre respeitando critérios definidos previamente.

    Também pode ser uma boa saída estabelecer uma periodicidade mínima para acompanhar a rentabilidade dos investimentos, evitando acompanhar o rendimento em um período curto de tempo e de grandes oscilações.

    Ter excesso de autoconfiança

    Um investidor bem-sucedido em suas aplicações financeiras corre o risco de confiar demais em sua capacidade. Assim, ele pode passar a desconsiderar outros fatores que talvez tenham sido mais importantes para o sucesso dos investimentos do que o seu próprio desempenho.

    Acreditar em uma habilidade de controle de riscos acima da média pode levar o investidor a tomar mais risco de forma inconsciente. Isso acontece porque o viés da autoconfiança excessiva te leva a acreditar que outras pessoas podem ter prejuízos ou entrar em investimentos furados, mas isso jamais aconteceria com você.

    O que fazer: É sempre recomendável questionar a própria competência e discutir estratégias de investimentos com especialistas. Ainda que você tenha obtido bons lucros em uma aplicação, é sempre importante se prevenir contra perdas diversificando os investimentos.
    fonte: exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/6-momentos-em-que-sua-mente-erra-feio-em-relacao-ao-dinheiro

    Até mais.

    Geral

    Manual de Introdução à Análise Técnica

    1 de outubro de 2015

    Segue um bom tutorial de Análise Técnica. Embora seja simples, pode ajudar o investidor iniciante que se interesse por tais assuntos. Em formato PDF, contempla os seguintes assuntos:

    analise-tecnica-quadro

    – Teorias de Dow;
    – Tipos de Gráfico;
    – Periodicidade gráfica;
    – Escolas gráficas: logarítmicas e aritiméticas;
    – Topos e fundos;
    – Candlesticks;
    – Linhas de tendências e canais;
    – Figuras de impulsão;
    – Como identificar fundos, topos, suportes e resistências;
    – Indicadores;
    – Abordagem psicológica;
    – E muitos outros tópicos.

    Para fazer o ler e fazer o download, se desejar, clique aqui.

    Leia também:

    Até o próximo post.

    Livraria

    E-book: 49 dicas de economia doméstica

    24 de Fevereiro de 2014

    Muito bacana este mini e-book sobre dicas de economia doméstica.

    Este livro contempla:

    – Antes de tudo, organize-se!;
    – Livre-se das tarifas bancárias;
    – Economizando no supermercado;
    – Economizando nas compras em geral;
    – Economizando em casa;
    – Economizando com alimentação;
    – Economizando com entretenimento;
    – Economizando com transporte;
    – Orientação familiar!;
    – Economia e saúde;
    – Investimento para gerar renda!

    Vale muito a pena conferir.

    Veja também:

    Até o próximo post.

    Filmes

    Dicas de filmes, documentários e vídeos – parte 14

    18 de novembro de 2013

    Vamos para a parte 14 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de filmes, vídeos e documentários ligados ao mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis, questões político-econômicas, e assuntos relacionados.

    1. A cartada final (The Score)
      Excelente filme sobre estratégia, riscos e ganância. Bom demais!!!! Vale muito a pena conferir.
      No mercado financeiro o que mais tem é gente sem estratégia, sem controle de risco e com ganância à flor da pele, uma combinação explosiva para perder muito dinheiro.

      Sinopse:
      O ladrão Nick Wells (Robert De Niro) pretende parar com os roubos, curtir o dinheiro que conseguiu e cuidar de uma casa de jazz. Porém, seu velho amigo e parceiro Max (Marlon Brando) o convence a realizar um último roubo e quebrar, pela primeira vez, duas de suas regras: sempre trabalhar sozinho e nunca agir na cidade onde mora. Max terá como parceiro o jovem Jack Teller (Edward Norton), um ladrão agressivo e talentoso que precisa da experiência do outro em seu primeiro grande roubo. Os egos entram em conflito, mas o desafio instiga os três a levar o plano adiante e ignorar os riscos.
      cineclick.com.br/a-cartada-final

    2. Livro de ofertas
      Outro vídeo muito bom do Bastter, acaba com o mito do book de ofertas na bolsa de valores. No fórum infomoney tinha um rei do “trollolló” que era uma piada, sendo que ele vinha com esta “olha o book”, 5 segundos depois, repostava, “já passou”, como se fosse possível prever algo olhando piscadelas de ofertas de compra e venda no book……e já um bom tempo que existe o artifício de ordens fakes(ordens mascaras) onde o valor da ordem que aparece no book é mero chamariz para esconder o real movimento de quem o faz.
      Outra lenda é ficar olhando saldo de corretoras, quando na maior parte das vezes, não é a corretora em si que está operando, exceto um ou outro movimento das que tem fundos de investimentos, mas no geral são seus clientes que estão operando. Enfim, mesmo assim, temos pessoas que ainda usam estratégia….

    http://www.youtube.com/watch?v=ojwwS-u228Q&list=UUsra3f6ogpXhIZbSUe2OoaA&index=37&feature=plcp

    Até o próximo post.