O que é um mico na bolsa de valores?
Geral

O que é um mico na bolsa de valores?

10 de fevereiro de 2017

Para quem começou a operar na bolsa valores já deve ter ouvido um papo muito, o qual é chamarem ações de micos. Este texto irá explicar melhor o que são micos exatamente, além de alertar ao investidor novato o perigo de se investir nessas ações sem conhecimento prévio da empresa e seus fundamentos. Um mico é uma ação de empresa falida ou em recuperação judicial(antiga concordata) que no geral custa menos de R$ 1,00, ou seja, na grande maioria das vezes os micos valem meros centavinhos. Os gráficos ficam sem movimento durante meses. De repente vem aquele volume atípico.

Investidores já devem ter escutado que a Kepler é mico, Aracruz virou mico, Varig é mico, OGX é mico e vai por aí a fora. Todos falam e citam micos com muita intimidade, mas você sabe o que é mico? Por que o uso desta denominação?

O que são micos na bolsa de valores? Micos na BM&FBOVESPA

Existe um jogo de baralho para crianças cujo objetivo é fugir do mico e é, não raras vezes, a primeira apresentação dos mistérios das probabilidades aos pequerrruchos. O fator sorte que guiará a criança ao longo da vida é mostrada ao infante neste inocente jogo.

O baralho, diferente dos utilizados pelos adultos, é composto de 49 cartas, 24 casais de bichos e 1 mico que não tem seu par. O carteador, normalmente a mãe ou tia de um dos pentelhinhos, embaralha as cartas e permite ao jogador à sua direita o corte do baralho. O jogador que cortar o baralho deverá retirar uma carta qualquer e colocá-la no centro da mesa, com a face voltada para baixo, distribuindo as demais cartas, uma a uma, entre os jogadores. Depois de distribuídas as cartas, os jogadores verificam os pares possíveis de serem formados, o pato envergando sua gravata formará par com a pata que ostenta colar e brinco, o peru, de gravata borboleta, formará par com a perua com laço na cabeça e assim por diante. Os pares formados serão baixados no centro da mesa e não farão mais parte do jogo. Assim que todos os jogadores tiverem abaixados os pares formados em suas mãos, inicia-se o jogo propriamente dito. O jogador à esquerda do carteador pega uma carta aleatoriamente dentre as presentes no leque de cartas do jogador à sua esquerda. Se um par for formado, o jogador abaixa esse par. O jogo segue dessa forma até que um jogador fique com uma única carta na mão, o mico, pois o o mico não tem sua parceira. Não há a mica. Esse jogador é declarado perdedor. Os pentelhinhos fazem uma grande gritaria e insultam o pobrezinho: “Ficou com o mico, ficou com o mico, ficou com o mico!”.

Na bolsa de valores, as ações consideradas micos são aquelas com grande potencial de não terem mais compradores a partir de um fato iminente. São ações de alto risco pois o investidor que estiver com ela pode não ter para quem vender, ficar com o mico na mão. Não há qualquer relação com o tamanho da empresa, o Citibank, a GM e alguns outros bancos americanos foram colocados na categoria de micos tão logo tiveram suas entranhas contábeis expostas ao mercado.

Outras características dos micos é o P/L negativo e o endividamento de CP (Curto Prazo) representando a maior parte, se não 100%, do perfil da dívida. Endividamento maior do que 1/3 do Ativo total no CP e a empresa já está em maus lençóis (bancos fora).

Veja o caso do ativo PQ HOPI HARI (PQTM4) 1T09 onde o PL ficou invertido e é representado pela cor vermelha do lado esquerdo, a cor vinho representa os direitos e obrigações de CP. A PQTM não está em fase de recuperação judicial, concordatária ou paralisada, mas já tem suas debêntures dadas como investimento perdido pela PREVI.

Mais algumas características dos micos, estão com a apresentação dos balanços mais de 2 trimestres atrasados, valor médio dos negócios abaixo dos 2.500 reais (ninguém quer arriscar muito dinheiro neles), valorizações e quedas meteóricas, prejuízos recorrentes, receita 12m inferior ao prejuízo anual, boa parte das empresas q ainda negociam suas ações por lote de mil (denotando desleixo).
Liquidez das ações dos micos pode até ser razoável, mas varia muito conforme o boato.
Alguns outros bons exemplos de Micos: PRO METALURG (PMET); HERCULES (HETA); COBRASMA (CBMA); CAF BRASILIA (CAFE).
fonte de consulta: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=7&t=10502&start=20

Confiram também esta relação interessante, critérios de classificação das ações de 5ª linha (micos):

AGEN11 | CTPC3 | IMBI4 | RPMG4
ARLA4 | DHBI4 | INET3 | RSUL4
ATBS3 | DOCA4 | LARK4 | SCLO4
BGPR3 | DTCY3 | LHER4 | SJOS4
BIOM4 | |MAPT3 | SNST3 | LUPA3
BUET4 | ESTR4 | MILK11 | SQRM4
CAFE4 | FPXE4 | MNPR3 | STLB3
CALI3 | FTRX4 | NORD4 | STRP4
CBMA4 | GAFP4 | OSXB4 | TEFC11
CCHI4 | GAZO4 | PMET6 | TEKA4
CELM3 | GPCP3 | PQTM4 | TELB4
CMSA4 | HAGA4 | PSEG4 | TENE5
CORR4 | HETA4 | RANI3 | TROR4
CPFG4 | HOOT4 | RCSL4 | TXRX4
CTAP3 | IGBR3 | RPMG4 | UNCI3
VOES4 | OGXP3 | CCXC3 | OSXB3

Critérios utilizados:

– Não fazer parte do índice da Bovespa – IBOV;
– Fazer parte de uma das listas abaixo:
— Relação de empresas com o registro cancelado pela CVM;
— Lista de empresas com registro suspenso;
— Lista de companhias inadimplentes há mais de 3 meses;
– PL negativo;
– Satisfizer pelo menos dois dos critérios abaixo:
— Liquidez Corrente + Geral < 1; - DB (Dívida Bruta) / PL > 2 (para bancos pode ser utilizado DB / PL > 8 );
– Margem líquida 12 meses < -1 (Significando prejuízo > receita líquida; caso receita = 0 empresa não pode apresentar prejuízo).

Confira também:

Parâmetros de atratividade de ações

Até mais.

4 Comments

  • Reply Vilmar 25 de maio de 2017 at 20:21

    Microcap anuncia OPA por transferência de controle e ação dispara quase 60%
    Considerando a arrancada desta sessão, a OPA ainda oferece um prêmio de 36%; a operação ocorrerá após a atual controladora não realizar os pagamentos referentes a um aumento de capital aprovado no ano passado

    Um transferência de controle jogou luz sobre uma ação pouco negociada na Bolsa, a Recrusul (RCSL4). Investidores de olho no “prêmio” a ser oferecido na OPA (Oferta Pública de Aquisição) – que é obrigatória em caso de transferência de controle – puxaram uma arrancada de 56% nos papéis da empresa nesta quinta-feira (25), que fecharam perto da máxima do dia.

    As ações da Recrusul dispararam 56,36% neste pregão, cotadas a R$ 0,86, ficando próximas da máxima do dia (+60%, a R$ 0,88). A valorização foi acompanhada por um forte volume financeiro, que alcançou pouco mais de R$ 7 milhões, ou 26 vezes acima da média diária dos últimos 21 pregões (de R$ 287 mil).

    Como ocorre nessas situações, os investidores estão de olho em dois pontos: o preço a ser pago na OPA (Oferta Pública de Aquisição) e o direito de “tag along” (isto é, o direito dos sócios minoritários receberam as mesmas condições do controlador em caso de venda). No caso da Recrusul, o estatuto garante um direito de “tag along” de 80% para os acionistas preferencialistas – a classe de ação que possui maior liquidez na bolsa.

    Pelo comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a empresa informou que os novos acionistas estão dispostos a pagar R$ 1,50 por ação ON; e R$ 1,20 por PN (respeitando o “tag along”). Esse valor representaria um prêmio de 118% sobre as ações PNs, que possuem mais liquidez na bolsa, em relação ao fechamento de quarta-feira – o que explica a corrida pelos papéis hoje. Em relação ao fechamento desta quinta-feira, o prêmio ainda é de 36%.

    A operação
    Pelo comunicado, a Recrusul informa que está transferindo 70% do total de suas ações ordinárias a um grupo de investidores . Assim, a Triskelion Capital, que atualmente detém 70% do total de ações ordinárias da empresa e 2,52% dos papéis preferenciais, que somados correspondem a 25,13% do capital total da Recrusul, transferirá os papéis para os novos acionistas.

    A fatia será dividida então da seguinte forma: a Nemesis Brasil (31,32% das ONs); a WRL Comercial (19,1% das ONs); a PortoCapital Investimentos (15,66% das ONs e 2,52% das PNs); e a Master Consultoria (3,92% das ONs)

    Em comunicado, a companhia diz que a operação tem como objetivo “dar continuidade ao processo de reorganização e amortização dos principais passivos com instituições financeiras, fornecedores, trabalhistas e tributários”.
    http://www.infomoney.com.br/recrusul/noticia/6563338/microcap-anuncia-opa-por-transferencia-controle-acao-dispara-quase

  • Reply Vilmar 22 de fevereiro de 2017 at 20:20

    27 jan, 2017 19h43 – Atualizada em 20h11
    É o fim: Bovespa divulga 15 empresas que serão excluídas da Bolsa até 6 de março
    A suspensão ocorre pelo descumprimento recorrente de normas da companhia como não entregar informações financeiras ou ter ações negociadas por menos de R$ 1,00

    SÃO PAULO – A BM&FBovespa anunciou nesta sexta-feira (27) que 15 companhias terão suas listagens canceladas no dia 6 de março por conta do não cumprimento dos requisitos previstos no regulamento do mercado. Segundo comunicado, todos os valores mobiliários de emissão destas companhias deixarão de ser negociados a partir de 2 de março.
    A suspensão ocorre pelo descumprimento recorrente de normas da companhia como não entregar informações financeiras ou ter ações negociadas por menos de R$ 1, as chamadas penny stocks. Dessas companhias, sete já estavam com as negociações suspensas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), entre elas a Agrenco, Companhia Agropecuária do Jahu, Companhia Docas de Imbituba, DHB, Firmeza Agroindustrial, Laep e RJ Capital Partners.

    Além delas, serão suspensas a Cobrasma, Companhia Industrial Schlösser, Fiação e Tecelagem São José, IGB Eletrônica (Gradiente), Maori, Tecblu Tecelagem Blumenau, YPF e Construtora Sultepa. Estas oito ações serão negociadas de forma não contínua, ou seja, negócios feitos exclusivamente por meio de leilão, entre 30 de janeiro e 1º de março.

    No caso da Sultepa, assim como da RJ Capital Partners, a bolsa determinou a realização de uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) até o dia 1º de dezembro de 2017. “A BM&FBovespa esclarece que não se responsabiliza por quaisquer prejuízos eventualmente sofridos por investidores ou quaisquer terceiros em virtude ou em decorrência do cancelamento de listagem”, acrescenta a Bovespa em comunicado.

    A “luta” da Bovespa
    Um dos principais fatores para o cancelamento da listagem destas empresas é o fato dos papéis serem negociados abaixo de R$ 1,00. A “guerra” da Bolsa contra estas penny stocks teve início em fevereiro de 2014, quando a BM&FBovespa aprovou seu novo regulamento, mas só entrou em vigor em agosto de 2015.

    As novas regras passaram a obrigar a manutenção da cotação de ações acima de R$ 1,00, sendo que se os papéis seguirem abaixo do valor por trinta pregões seguidos, os emissores precisarão se enquadrar (i) até a data da primeira assembleia geral ou (ii) em prazo de seis meses ou até a AGO. A medida deve ser capaz de manter a cotação acima de R$ 1,00 por seis meses. O recurso mais utilizado pelas empresas tem sido o de realizar um grupamento.
    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6075902/fim-bovespa-divulga-empresas-que-serao-excluidas-bolsa-ate-marco

  • Reply Vilmar 14 de fevereiro de 2017 at 15:17

    Kepler Weber (KEPL3)
    A Kepler Weber informou que, recebeu um ofício em que a CVM pede que a companhia informe sobre “a impossibilidade de unificação das duas modalidades de OPA pretendidas”, na forma indicada pela AGCO. A AGCO pretendia lançar uma oferta pública unificada para
    cancelamento do registro e para adqurir o controle da Kepler Weber.
    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6130321/petrobras-alvo-processo-exterior-opa-small-cap-mais-noticias-agitam

  • Reply Vilmar 10 de fevereiro de 2017 at 16:27

    Previ vende sua participação na Kepler Weber
    Aquisição de 17,48% do capital da fabricante de silos foi feita pela AGCO

    #KEPL3 #BBAS3
    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/economia/noticia/2017/02/previ-vende-sua-participacao-na-kepler-weber-9717783.html

  • Leave a Reply

    CAPTCHA *