Vil Bro’s Articles at Defenda Seu Dinheiro
<h1>Archives</h1>
    Geral

    O princípio da independência financeira

    8 de outubro de 2019

    Leif Dahleen deixou de trabalhar para sempre aos 43 anos. Ele calculou o quanto seria necessário para manter seus gastos

    A man who retired at 43 says he made 2 important money decisions before leaving work

    Leif Dahleen começou a carreira com salário alto. Trabalhou por cerca de uma década na carreira de medicina, como anestesista. Então conseguiu economizar e investir uma quantia igual a 25 vezes o gasto anual de sua família. Grande parte, por “acidente”. E foi ai que percebeu que poderia garantir um futuro tranquilo apenas vivendo das economias.

    Ele estava economizando, muitas vezes mais da metade do meu salário, mas nunca soube o porquê de estar economizando. Ocorreu-lhe que estava fazendo isso para a liberdade financeira, porém simplesmente não sabia.

    Após entender melhor suas finanças, Dahleen elaborou um plano para deixar o trabalho para sempre aos 43 anos. Ele calculou que suas economias e investimentos teriam que ser iguais a pelo menos 36 vezes o gasto anual estimado de sua família, para que seu padrão de vida continuasse inalterável. Em agosto de 2019, Dahleen conseguiu chegar ao tão sonhado montante e se aposentou da anestesia definitivamente.

    Ao longo do caminho, ele criou um blog para documentar seu progresso e compartilhar conselhos financeiros. Embora a situação de Dahleen não seja trivial, ele diz que o primeiro passo para se aposentar cedo é o mesmo, não importa quanto você ganha ou quando decide perseguir a independência financeira: calcule o quanto tem, o quanto ganha e o quanto precisa.

    “Há algumas coisas que você deve saber para fazer um plano para seu futuro financeiro”, relata Dahleen ao Business Insider. “Primeiro, calcule seu patrimônio liquido. Em algumas horas é possível fazer esse calculo.”

    Como calcular

    Seu patrimônio líquido é o que resta depois de subtrair seus passivos (o que você deve) dos seus ativos (o que você possui). Não deve ser confundido com renda – o que você ganha com o seu emprego. Seu patrimônio líquido é uma figura que representa sua capacidade financeira.

    “A segunda coisa que você precisa calcular é o seu gasto anual. Você pode estimar isso com base nos extratos do cartão de crédito e nos hábitos da sua conta corrente”, diz Dahleen. “Essa parte é importante porque mostra em números o quanto custa seu estilo de vida anualmente”.

    Se você planeja manter seus gastos no mesmo nível depois de sair do trabalho, seu número de economia desejado será simplesmente um múltiplo desse valor. A referência comum é 25 vezes o seu gasto anual, baseado na regra dos 4%. Isso significa que, ao investir um valor igual a 25 vezes dos gastos anuais, é possível retirar 4% desse montante a cada ano a partir de então.

    Para exemplificar a situação, se uma pessoa gasta anualmente R$ 40 mil, ela precisaria juntar R$ 1 milhão para se aposentar tranquilamente, sem precisar mudar o padrão de vida ou de gastos. Assim, ela conseguiria manter seus gastos anuais sem problemas por 25 anos.

    Mas é importante ressaltar que suas economias irão deteriorar com o tempo, caso o dinheiro fique parado. Por conta da inflação, o poder de compra diminui gradativamente. O indicado para esses casos é alocar o montante em um produto de investimento que cubra a taxa da inflação, garantindo ganhos reais e mantendo o poder de compra do seu dinheiro.

    Dahleen afirma que suas economias eram sempre aplicadas, para que seu dinheiro não sofresse desvalorização. Suas experiências com investimentos podem ser conferidas em seu blog.

    “Essas dicas podem parecer um quebra-cabeça, mas o ajudarão a elaborar um plano para alcançar a independência financeira”, diz ele. “É difícil chegar a qualquer destino sem conhecer o seu ponto de partida”.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Convidados

    5 Dicas de negócio com pouco investimento para você empreender

    16 de setembro de 2019

    5 dicas de negócio com pouco investimento para você empreender

    Quem não deseja ter uma carreira de sucesso, não é mesmo?! Seja em um cargo bem remunerado numa empresa ou sendo dono do seu próprio negócio.

    Esta última opção, está servindo de aposta para muitas pessoas, que desejam inovar através de um novo produto ou serviço que abrange a necessidade de um público.

    Para ganhar aquela renda extra ou simplesmente para abrir seu próprio negócio, alguns desafios devem ser enfrentados, entre eles escolher o melhor segmento de mercado e juntar dinheiro para investir.

    Dessa forma, se você já possui espírito empreendedor e precisa de uma “mãozinha” para abrir sua empresa, selecionamos 6 dicas de negócio para você apostar e empreender.

    SE PREPARANDO PARA EMPREENDER

    Antes de iniciarmos com as dicas sobre melhores negócios para empreender, é preciso construir todo um planejamento antes de iniciar. Para isso, estude o que as pessoas mais precisam no momento e crie soluções para esse público.

    A partir daí, fique atento ao que o mercado tem a oferecer, quais as tendências estão surgindo e planeje seu negócio dentro dessas possibilidades.

    Uma outra dica é avaliar o que você tem a oferecer, analisando suas habilidades e o quanto elas contribuíram para fazer seu plano de negócio sair do papel.

    Contudo, para criar um negócio lucrativo é preciso ter uma boa base de estudo do mercado, de seus consumidores e também conhecer seus concorrentes.

    Sendo assim, conheça agora as 5 dicas de negócio com pouco investimento e que podem valer a pena você investir.

    1. Prestação de serviço em manutenção e instalações de programas para computadores: Este tipo de negócio é para quem já possui habilidades com hardware, aqui você só precisa investir em ferramentas que possam te ajudar a instalar programas e consertos em geral.
    2. Bijuterias e semijóias: Para quem gosta desses dois itens, você poderá juntá-los e criar sua própria fonte de renda, com vendas de produtos produzidos por você. A internet é ideal para fazer a divulgação, e os únicos investimentos serão os aviamentos para criar as peças, colas permanentes Loctite consumo, alicates, tesouras e agulhas.
    3. Alimentação saudável e específica: Um mercado que está sempre em alta é da alimentação, afinal, todos precisamos comer. Por isso, investir em um negócio que envolva alimentação é uma ótima aposta para começar. Neste sentido, se você já possui habilidades na cozinha, porque não investir em alimentação específica, como os grupos intolerantes ao glúten, lactose e para quem não abre mão de estar em dia com a dieta.
    4.  Food truck: Ainda no mercado alimentício, os food trucks são ótimas apostas para quem deseja oferecer um delicioso lanche e ter a liberdade de estar em diversos locais com seu carrinho. A ideia é que esses serviços levem um alimento prático e rápido de ser preparado para seus consumidores finais.
    5. Serviços de beleza: Se você gosta dos cuidados pessoais, a estética é um ótimo ramo para iniciar seu negócio. Por esse motivo, ela se enquadra na lista de negócios com pouco investimento, já que para isso você precisa se especializar através de cursos de cabeleireiro, manicure, massagens, depilação, designer, maquiagens e etc.

    A ideia é que você comece oferecendo seus serviços e vá se aprimorando com o tempo.

    Apresentar soluções é uma maneira ideal para começar o seu negócio, mas antes, faça todo um planejamento de caminhos que você queira percorrer, colocando em atenção todos os obstáculos que possam aparecer.

    Entre eles o mais temido, a falta de dinheiro, que pode ser um grande empecilho para fazer seu negócio crescer.

    Sendo assim, crie o hábito de organizar suas finanças aderindo a ajuda de aplicativos que ajudam a controlar seus gastos.

    Geral

    O melhor investimento do mundo

    9 de setembro de 2019

    Mark Cuban, Dono do time de basquete Dallas Mavericks, diz que aprendeu que o dinheiro economizado em juros é melhor do que qualquer retorno com investimentos
    Mark Cuban explains how to make a 16% guaranteed return

    O bilionário Mark Cuban compartilhou o que considera o melhor investimento que todos devem fazer:
    – Pagar o seu cartão de crédito. Pagar qualquer dívida que você tenha. Isso qualquer um pode fazer.
    Ele disse isto em entrevista ao MarketWatch.

    Cuban assumiu que teve dificuldades com as contas de seu cartão de crédito quando tinha por volta de seus 20 anos.

    Ele diz que aprendeu da maneira mais difícil que o dinheiro economizado em juros por não ter dívida é melhor do que qualquer retorno que poderia obter investindo, seja no mercado de ações ou no setor imobiliário ou em outro lugar.

    “Qualquer que seja a taxa de juros que você paga – pode ser um empréstimo para estudantes com uma taxa de juros de 7% – se você pagar esse empréstimo, estará fazendo 7% para você, e não para o banco”, disse o bilionário

    “Esse é o seu retorno imediato, que é muito mais seguro do que tentar escolher uma ação ou tentar escolher imóveis, ou o que quer que seja “, completou.

    Nas dívidas de cartão de crédito, a taxa de juros poderá ser muito maior. No Brasil, o juro médio cobrado no rotativo do cartão de crédito é de 300,3% ao ano, segundo dados do Banco Central.

    Para evitar perder dinheiro pagando juros, Cuban recomenda abandonar completamente o cartão de crédito.

    “Usar um cartão de crédito é bom se você pagar no final do mês, sem atraso nenhum. Apenas reconheça que os 18%, 20% ou 30% que você está pagando em dívida com cartão de crédito vai custar muito mais do que você poderia ganhar em qualquer outro lugar”, explicou Cuban.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    Bens bloqueados e escancara crise do Grupo Bitcoin Banco

    19 de agosto de 2019

    O GBB, fundado por Cláudio Oliveira, enfrenta diversos processos desde que foi alvo de uma tentativa de fraude em maio deste ano

    “Rei do bitcoin” tem bens bloqueados após dívida milionária com clientes

    Em maio de 2019 o GBB – Grupo Bitcoin Banco entrou em uma forte crise após anunciar ter sido alvo de uma fraude, isso em meio a um sucesso crescente na comunidade. O grupo está por trás da exchange NegocieCoins, que em abril disse ter a maior movimentação de criptomoedas do mundo, com US$ 900 milhões.

    Cláudio Oliveira, dono do GBB, também estava em ascensão no primeiro semestre. Participando de grandes eventos e ampliando seu negócio, ele ganhou o apelido de “Rei do Bitcoin” do apresentador Amaury Júnior. Agora, junto com o grupo que criou, enfrenta muitas dificuldades, incluindo processos e penhora de bens.

    Na última sexta-feira (16), Oliveira foi alvo de uma ação de sequestro de bens, que incluía sua casa em Curitba e sua chácara, além de obras de arte, relógios e joias. Conforme informações do jornal Valor Econômico os itens chegaram a ser empacotados, mas não foram levados após uma promessa de quitação dos débitos nesta segunda.

    Na semana passada, o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, afirmou que Oliveira está com passagem comprada para a Suíça para esta quarta-feira (21). Com cidadania do país europeu, aumenta a tensão entre os credores do GBB de que o executivo possa estar tentando fugir e ficar na Europa.

    O Bitcoin Banco denunciou em maio um esquema que levou ao saque indevido de cerca de R$ 50 milhões da empresa, que decidiu suspender a retirada de valores dela e congelar as contas dos clientes. Desde então, já são centenas de processos contra o GBB de pessoas lesadas.

    Já são várias decisões da Justiça para bloqueios valores da empresa, em uma delas, de R$ 6 milhões, foram encontradas contas vazias, levando ao valor bloqueado de apenas R$ 130 mil.

    Com duas exchanges – a NegocieCoins e a TemBTC -, o GBB tinha uma “arma” na mão, garantindo ganho ao alternar a posição entre as duas e ainda sustentar a diferença de preço ao prover liquidez no mercado. Com isso, desde o início do ano, o grupo ganhava cada vez mais clientes e se tornava um dos “queridinhos” dos investidores.

    Este crescimento foi graças à introdução de uma plataforma de segurança chamada FortKnox, que permite a transferência de fundos em reais diretamente entre as exchanges, sem depender do sistema bancário.

    Nestes últimos meses, o GBB e Oliveira já fizeram promessas de que vão resolver os problemas, conseguiram diversos acordos, desde pagamentos pequenos até uso de uma criptomoeda própria, a Br2Ex, para garantir o saque de até R$ 30 mil.

    Mas o caso ainda vai longe. Até agora, nenhuma destas “soluções” resolveu o problema e em muitos casos a história é que quem aceitou estes acordos também não conseguiu reaver seu investimento.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    Reclamações disparam: Unick Forex suspende resgates por 10 dias

    9 de agosto de 2019

    A CVM faz alerta e determina suspensão de empresa de Forex FX Trading

    Empresa oferece investimentos com rentabilidade muito acima do mercado e foi alvo de três alertas da Comissão de Valores Mobiliários

    Unick Forex já vinha atrasando pagamentos, o que provocou a disparada das queixas de clientes no site Reclame Aqui!

    A Unick Forex, uma empresa que oferece investimentos com rentabilidade muito acima do mercado e que foi alvo de três alertas da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, anunciou na semana passada a suspensão dos pagamentos de resgates por dez dias. A empresa, que afirma ter mais de um milhão de clientes e 400 colaboradores, alega que está fazendo uma atualização de seus sistemas e precisa suspender os pagamentos. Depois, haverá um “cronograma para regularizar todos os pedidos de saques já efetuados” e que não foram pagos.

    A Unick Forex já vinha atrasando pagamentos, o que provocou a disparada das queixas de clientes no site Reclame Aqui. Conforme o PortaldoBitcoin, a empresa já vinha atrasando os pagamentos desde junho. Em julho, reportagem do site mostrava que a empresa tinha 3.651 reclamações. Hoje, esse número já atinge 6.430, sendo que 5.142 queixas foram nos últimos seis meses. Em meados de julho, a Unick já tinha anunciado que estornaria os pedidos de resgates feitos até 12 de julho por conta de “e-mails hackeados”.

    Um dia antes da “manutenção”, 1ª de agosto, a empresa Rede Invictus, ligada à Unick, divulgou comunicado informando que “um problema pontual” havia causado o atraso dos saques para algumas plataformas bancárias. “A previsão é que a normalização dos serviços comece amanhã”, disse a Invictus. No dia seguinte, porém, foi divulgado o comunicado da Unick suspendendo os pagamentos e informando da “atualização do sistema”.

    Leia também:

    [BIT FRAUDE BREAKINGNEWS] Ministério Público compara InDeal e Unick Forex com esquema de pirâmide da Telexfree

    No vídeo divulgado no Youtube, Danter Silva, diretor de Marketing da Unick Forex, diz que a paralisação representa “dores do crescimento”. Outras atualizações também teriam ocorrido em 2017 e em 2018, afirma. “Nossa empresa não parou, passamos por um processo de crescimento gigantesco em 2019, porém passamos das expectativas e sofremos uma dor de crescimento em função da dificuldade na solução de pagamentos”, diz. “Nossa empresa não parou e não vai parar, de maneira alguma, estamos em dois anos mudando a vida de mais de 1 milhão de pessoas em mais de 90 países”, afirmou.

    Já Leidimar Lopes diz que a Unick “não vai parar, tem agenda de vários eventos” e anunciou uma entrega de prêmios no dia 17 de agosto. “Estamos passando por uma atualização de sistemas, vamos estar analisando vários pontos… nosso carro está na corrida há dois anos, chega um momento em que precisa parar e fazer um pit stop”, diz, garantindo que as equipes de atendimentos continuarão de plantão em São Leopoldo, onde fica o escritório principal da empresa.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    Robô Investe: CVM determina suspensão de atuação da empresa no mercado

    16 de julho de 2019

    Em seu site, empresa se define como uma criadora de "robôs investidores lucrativos na Bolsa de Valores"; planos vendidos chegam a R$ 6 mil

    A Comissão de Valores Mobiliários soltou um alerta informando que a empresa Robô Investe (nome fantasia da Farol Online Comércio de Produtos Eletrônicos Eireli – ME) e seu fundador, Jader Jose de Oliveira Junior, não estão autorizados a exercer quaisquer atividades no mercado de valores mobiliários.
    Em comunicado, a CVM diz que, após receber denúncias via Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), verificou indícios de que os envolvidos vêm oferecendo publicamente no Brasil, por meio de vídeos publicados em redes sociais e outros sites, serviço de análise de valores mobiliários, atividade que depende de prévia autorização da CVM.

    Em seu site, a Robô Investe se define como uma empresa que “cria robôs investidores lucrativos na Bolsa de Valores, nos quais os clientes poderão efetuar a configuração, execução e acompanhamento de investimento automatizado”. Os planos vendidos custam a partir de R$ 490, no caso do pacote mensal, e podem chegar à cifra de quase R$ 6 mil, na opção vitalícia. Seu canal de YouTube conta com quase 80 mil inscritos e o último vídeo postado data, inclusive, desta terça-feira.

    A autarquia determinou a suspensão imediata de veiculação de qualquer oferta de serviço de análise de carteira por parte de Oliveira Junior e da Robô Investe. Em caso de descumprimento, os envolvidos estarão sujeitos à aplicação de multa diária no valor de R$ mil.

    Se você tiver recebido proposta de investimento por parte da Robô Investe, pode entrar em contato com a CVM por meio do Serviço de Atendimento ao Cidadão, preferencialmente fornecendo detalhes da oferta e a identificação das pessoas envolvidas, para que a autarquia possa tomar as devidas providências.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    7 sinais de que nunca será rico

    17 de junho de 2019

    11 sinais que você terá sucesso, mesmo que não pareça

    7 sinais de que você nunca será rico - Especialista da Creditas, Otávio Machado aponta comportamentos perigosos e erros mais comuns que atrapalham sua saúde financeira

    Para quem resolver contas faz parte da vida, pessoal ou profissional, conhecimentos matemáticos estarão frescos na sua mente. Mas nem todas as profissões e rotinas diárias dependem desses cálculos.
    Tem uma matéria específica do campo matemático não é ensinada nas escolas, ou não aprofundada como deveria ser, mas é muito ativa na vida de todas as pessoas: a Educação Financeira.

    Para ajudar quem está começando a organizar as finanças o coordenador de crédito da Creditas (Otávio Machado) separou os principais sete erros te afastam da estabilidade financeira – e, no médio prazo, da riqueza. Confira:

    1. Ficar em dúvida de quando pagar à vista ou parcelado
    2. Na verdade, tudo depende das condições de pagamento. Você vai ter algum desconto pagando tudo de uma vez? De quanto? Se for maior do que as taxas de rendimento das aplicações da sua carteira de investimentos, o pagamento à vista é, sim, o mais indicado.

      “A taxa livre de risco (SELIC) está em 6,5% ao ano hoje, ela pode servir de comparação para um parcelamento em 12x, por exemplo. Se o desconto à vista for maior que 6,5% vale mais a pena pagar à vista do que parcelar em 12x”, explica Otávio.

      Caso não haja desconto ou se ele for menor do que seu dinheiro renderia aplicado, vale a pena dividir, desde que o parcelamento seja sem juros. Além disso, considere o efeito da inflação: quando você parcela sem juros, o valor pago nas últimas prestações vale menos do que no começo. Ou seja, você está economizando.

    3. Ter dinheiro apenas para pagar contas fixas – e não sobrar dinheiro para investir
    4. Normalmente, quando o salário entra, o mais comum para as pessoas é pagar os chamados gastos burocráticos, que são os que englobam contas de moradia e consumo, os gastos fixos ou de rotina, por exemplo.

      Em seguida, partimos para gastos flexíveis, os custos com tudo o que você compra, mas não precisa necessariamente, como aquela ida ao cinema ou a um restaurante que você gosta. O que configura o necessário para manter sua qualidade de vida.

      E, por fim, ficam os investimentos no futuro: aquele dinheiro que você reserva para ter um bom padrão de vida no futuro ou realizar um projeto ou objetivo importante.

      No entanto, o ideal é inverter essa lógica e colocar seus sonhos e seu futuro em primeiro lugar. Em seguida, sua qualidade de vida. E por último os gastos burocráticos. Dessa forma você tem mais flexibilidade para fazer uma mudança de vida.

    5. Não guardar dinheiro
    6. É preciso criar o hábito de guardar dinheiro antes de investir. É muito importante ter consciência de que é importante guardar e não gastar.

      Muitas pessoas querem já pensar em taxas altas de rendimento e estudar mil tipos de investimentos, quando, na verdade, teriam mais dinheiro se guardassem mais no começo ou gastassem menos.

    7. Não ter teto de gastos
    8. Se você não coloca um teto, um limite para seus gastos, facilmente perderá o controle das suas finanças.

      Tomando a dica 3 como base, há um método que você pode seguir para cuidar do seu orçamento: a regra do 50-30-20. Ao segui-la, você estabelece uma proporção mensal para cada um dos tipos de gasto: 50% para os gastos burocráticos ou fixos; 30% para os gastos flexíveis ou de qualidade de vida; 20% para os investimentos no futuro ou prioridades financeiras.

      É importante calcular a porcentagem de quanto equivale cada fatia dessa no seu orçamento mensal. E lembre-se de manter esses valores em mente, assim fica mais fácil priorizar como gastar ou, melhor, investir seu dinheiro.

    9. Achar que falar sobre investimentos é só para especialistas
    10. Para começar e aprender a investir, não tem outro jeito: você precisa procurar fontes de informação variadas. Pesquise muito: vale fazer conta em várias corretoras, explorar simuladores de investimentos e comparadores de fundos, assinar newsletters e relatórios.

      Quando começar a aplicar, também é uma boa ideia colocar um pouco do seu dinheiro em cada tipo de ação ou investimento que te interessa, para entender como funciona e qual o retorno de cada um. A melhor forma de aprender é praticando.

    11. Permanecer com o mesmo hábito financeiro durante anos
    12. Uma vida financeira saudável está muito mais relacionada aos nossos hábitos do que simplesmente a quantidade de dinheiro que temos em mãos. Logo, mudar seu comportamento e o pensamento com relação a finanças é o fundamental para a organização financeira.

      Não se afaste de seus objetivos de investimento e tenha sempre em mente que qualquer gasto desnecessário acarreta em distanciar cada vez mais independência e estabilidade financeira que você tanto deseja.

    13. Não saber quanto vale sua hora
    14. Como fazer um planejamento financeiro sem saber, de fato, quanto entra na sua conta por mês? Se você não tem noção do quanto vale seu trabalho, como poderá mensurar seus gastos?

      Use sempre esse valor como unidade de medida para as suas despesas: quantas horas você terá que trabalhar para pagar esse gasto que você deseja assumir? Ele é realmente mais importante para você?

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    BlackRock: Dinheiro é a principal causa de estresse no Brasil

    27 de maio de 2019

    Pesquisa elaborada pela BlackRock revela ainda que 53% dos entrevistados disseram poupar para o futuro, bem abaixo da média global

    O dinheiro costuma ser a principal causa de estresse no Brasil, ainda que a população tenha uma visão positiva sobre o seu nível de bem-estar de forma geral, mas com o aumento das discussões sobre a reforma do sistema previdenciário do país, há ainda um maior foco em objetivos de curto prazo, com baixo índice de poupança para o futuro, e a maioria dos chamados millennials sequer sabe onde procurar conselhos financeiros para começar a investir.

    Estas são algumas das conclusões da sexta edição da pesquisa anual Global Investor Pulse que foi feita pela BlackRock para tentar entender a relação entre a saúde financeira das pessoas e seu bem-estar.

    Foi perguntado aos participantes da pesquisa como eles se sentem sobre seu futuro financeiro e pedimos para que eles pensassem nas barreiras e nos motivadores para investir. Eles examinaram se o dinheiro realmente pode tornar as pessoas mais felizes e pedimos a sua opinião sobre o setor financeiro e as informações e tecnologias à sua disposição.

    Dentre as principais descobertas feitas, a BlackRock revelou que o dinheiro é a principal causa de estresse no Brasil, com 58% das respostas, seguido bem de perto por trabalho (57%) e com a família em terceiro lugar (35%).

    Ainda que dinheiro e trabalho preocupem, os brasileiros mostram otimismo, ao registrarem alto nível de bem-estar (78%), superando todos os mercados globalmente (61%). “O bem-estar possui diferentes aspectos, como a saúde, segurança, família e muitas outras coisas. Diferentemente de outros povos, os brasileiros definem bem-estar como ter boa saúde mental e física e poder ajudar os outros, na frente de prioridades como atingir suas metas e se sentir seguro”, explicou o banco.

    Mesmo com o indicador geral positivo, apenas 48% dos brasileiros disseram acreditar ter uma boa saúde financeira. O resultado não é, contudo, pouco expressivo, se comparado com outros países, ao responder pela terceira posição no levantamento. O México lidera o otimismo, com 53% das pessoas considerando-se financeiramente saudáveis, seguido pela China, com 51%. A média global corresponde a 42%.

    Aposentadoria

    Em tempos de mais discussões sobre o futuro financeiro dos brasileiros, diante da tramitação da reforma da Previdência, o estudo indica que a preparação para a aposentadoria continua sendo um motivo de preocupação, ainda que a população não tenha feito sua parte.

    Prova disso é o maior foco em metas financeiras de curto prazo do que em aposentadoria, com 61% dos brasileiros colocando como objetivo ter mais dinheiro para melhorar a sua qualidade de vida. Um total de 53% dos entrevistados disse poupar hoje para o futuro, bem abaixo da média global, de 63%, e também do resultado da pesquisa brasileira de 2017 (65%).

    Segundo a BlackRock, as pessoas nem sempre estão cientes nem aproveitam os incentivos que podem ser oferecidos tanto pelo governo quanto por seus empregadores. E destaca que dados da pesquisa dos EUA em 2018 mostram que 24% dos que economizam hoje para a aposentadoria começaram por causa de uma equiparação do empregador, o que poderia ser um caminho também no Brasil.

    Más escolhas

    Mesmo admitindo preocupação com a aposentadoria, os brasileiros seguem fazendo escolhas erradas no que tange aos seus investimentos. Uma parcela de 62% ainda aplica na poupança e em outros investimentos básicos similares.

    “Os brasileiros se identificam mais com economizar do que com investir. Tanto que menos da metade investe no mercado. Muitos ainda investem em ativos reais, como imóveis, o que é visto como um meio mais seguro de aplicar o dinheiro”, afirmou a BlackRock, ressalvando que o número de brasileiros investindo em diferentes moedas e ativos aumentou quando comparado com os resultados do ano anterior.

    Geração Y

    Com um recorte na geração Y, conceito que costuma abranger pessoas nascidas do início da década de 1980 até o fim da década de 1990, o estudo mostrou que os mais jovens ainda precisam de ajuda para dar o primeiro passo no mercado financeiro. Isso porque 87% dos millennials brasileiros acreditam que sua perspectiva financeira melhoraria se começassem a investir, mas 57% não sabem onde procurar conselhos.

    Em termos globais, os principais objetivos dessa geração são ganhar mais dinheiro para melhorar sua qualidade de vida (com 53% das respostas), tirar boas férias (44%) e bancar os filhos (37%). A preocupação em garantir a manutenção do padrão de vida na aposentadoria só aparece em quarto lugar, com 33% das escolhas.

    Tecnologia como aliada

    Um dos fatores que poderá ajudar as pessoas a investirem mais é a tecnologia. A pesquisa revelou que, para 87% dos entrevistados, novas tecnologias os ajudariam a se envolver mais com investimentos. Três a cada cinco investidores recorrem a sites para obter informações. No Brasil, 16% administram seu dinheiro completamente via meios tecnológicos e mais da metade (56%) usa tecnologia e interação humana da mesma forma.

    A pesquisa da BlackRock foi feita com base nas respostas de 24.682 pessoas em 13 mercados internacionais, dos quais 1.050 entrevistados do Brasil, com idades entre 25 e 74 anos. As entrevistas foram realizadas entre julho e agosto de 2018 e, em mercados de mais baixa presença de internet, como o Brasil, as amostras tendem para um perfil mais instruído, urbano e de maior renda e riqueza do que a população em geral.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    11 sinais que você terá sucesso, mesmo que não pareça

    10 de abril de 2019

    11 sinais de que você será uma pessoa bem-sucedida - ainda que não pareça

    11 signs you’re going to be successful, even if it doesn’t feel like it

    Existem certas ações, pequenos comportamentos e outras formas de pensar, as quais podem ser indicadores de que uma pessoa alcançará o sucesso, embora nem ela mesmo acredite nisso.

    Parte desses indicadores são “estar aberto ao fracasso”, “ter tempo para aprender” e até “perseguir paixões”.

    Tendo isto como base em pesquisas e em opiniões de especialistas, o portal de finanças Business Insider fez uma lista que contém uma série de sinais de que uma pessoa está seguindo o caminho do sucesso, ainda que isso não esteja relacionado a dinheiro ou fama, e sim ao desenvolvimento de grandes ideias e realização pessoal.

    Veja a seguir:

    1. Ter em mente o tipo de vida que se deseja
    2. Nathaniel Koloc, ex-CEO da ReWork, em entrevista ao Harvard Business Review, disse que é necessário se perguntar mais “que vida eu quero?” e menos “que trabalho eu quero?”.

      Claro que a concepção de vida perfeita muda conforme os anos passam, mas é importante sempre ter em mente qual o “ideal” buscado e não aceitar algum emprego ou oportunidade exclusivamente pelos benefícios oferecidos no curto prazo.

    3. Saber utilizar seus pontos fortes
    4. Os pontos fortes de uma pessoa são compostos pelas coisas em que ela é excepcionalmente boa fazendo. Saber utilizar essas habilidades é fundamental para o sucesso.

      Segundo o escritor Eric Barker, quanto maior a frequência que uma pessoa utiliza seus pontos fortes, mais ela é feliz, respeitada e realizada em seu trabalho.

    5. Sempre procurar uma forma melhor de fazer as coisas
    6. Em entrevista ao Business Insider, que foi CEO da Apple e presidente da PepsiCo antes de abrir uma empresa de investimentos, John Sculley, disse que ele sempre se pergunta o porquê de estar fazendo as coisas “dessa determinada maneira”.

      Para ele, sucesso tem a ver com vontade de resolver um problema de forma que nunca foi resolvido antes.

      De acordo com Scott Galloway, professor da Universidade de Nova York, ser resistente à mudança pode prejudicar a carreira de uma pessoa e impedir o progresso de grandes empresas.

    7. Estar aberto ao fracasso
    8. De acordo com o professor Scott Galloway, Apple, Google, Facebook e Amazon, quatro gigantes da tecnologia, abrem espaço para fracassos e falhas ocasionais, contanto que isso signifique que estão tentando algo novo.

      Para ser bem-sucedido, é necessário se dar a chance de errar. O professor diz que “se de vez em quando você não acha que sua vida profissional e sua carreira estão acabando, então você não está se esforçando o suficiente”.

    9. Estar disposto a assumir riscos calculados
    10. Todas as pessoas de sucesso assumiram pelo menos algum risco em sua carreira. Jeff Bezos, por exemplo, disse em entrevista que fundar a Amazon foi muito arriscado.

      “Mas eu sabia que, quando eu tivesse 80 anos, não me arrependeria de ter tentado participar dessa coisa chamada Internet. Eu sabia que mesmo se eu falhasse, não me arrependeria. Só se pode arrepender de nunca ter tentado.”

      Hoje, Bezos é a pessoa mais rica do mundo.

    11. Ser gentil com as pessoas, mesmo que elas não sejam seus superiores
    12. Joanna Coles, executiva Hearst Corporation, descreveu a importância de cultivar bons relacionamentos com amigos e colegas.

      Segundo ela, “a única coisa que eu sempre tento dizer aos jovens que estão iniciando é que o grupo de colegas é realmente a influência mais importante na vida, porque é com eles que você vai subir e descer.”

      Ela acrescenta que sempre conseguiu trabalho através de laços de amizade, porque “algum amigo possuía algum amigo que conhecia alguém”.

    13. Possuir uma mente de iniciante
    14. A capacidade de enxergar o mundo como quem não sabe nada sobre ele é uma grande vantagem nos negócios. Steve Jobs, criador da Apple, era um grande defensor desta prática.

      Segundo o colunista do The Wall Street Journal Jeff Yang, uma mente de principiante faz com que as pessoas pensem em novas soluções para antigos problemas difíceis.

    15. Separar todos os dias um tempo para aprender
    16. Uma prática comum entre as pessoas de sucesso é separar diariamente uma parte do tempo para ler, pesquisar, e aprender coisas que ampliem seus horizontes.

      Beth Comstock, ex-vice-presidente da General Electric, recomenda que 10% de cada dia de trabalho seja dedicado a estas atividades. Em entrevista ao LinkedIn, ele disse que gasta esta parcela de seu tempo assistindo a palestras TEDs, estudando, conversando com pessoas e indo a eventos.

    17. Ser autoconsciente
    18. De acordo com a psicóloga organizacional Tasha Eurich, a maioria das pessoas não sabe como os outros realmente as veem. Aqueles que têm uma visão mais clara e precisa de como o mundo os enxerga, tendem a conquistar mais sucesso.

      Ela recomenda que todos deveriam possuir uma ou duas pessoas que atuem como “críticos amorosos”, sendo honestos e fazendo críticas construtivas que impulsionam o desenvolvimento de cada um.

    19. Ter auto-compaixão
    20. A autocompaixão é composta por três pilares: engajamento em um diálogo interno positivo, entendimento de que todos comentem erros e consciência de quais são seus pensamentos e sentimentos, sem sucumbir a eles.

      Emma Seppala, diretora científica do Centro para Pesquisa e Educação de Compaixão e Altruísmo de Stanford, recomenda uma estratégia para praticar a autocompaixão: tratar a si mesmo como se fosse um colega ou amigo que falhou.

    21. Demonstrar gratidão
    22. O CEO da Campbell’s Soup, Doug Conant, considera a gratidão uma estratégia de liderança fundamental. Ao longo de sua carreira na empresa, ele enviou mais de 30.000 notas de agradecimento manuscritas para seus funcionários e clientes.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.