‘Guest Post’ Articles at Defenda Seu Dinheiro, Page 9

Browsing Tag: Guest Post

    Convidados

    Seguro residencial é caro e vale à pena?

    3 de maio de 2016

    A maioria das pessoas aqui no Brasil, principalmente aquelas que possuem carro, conhecem um seguro auto. O produto, bastante contratado no país, visa proteger o veículo contra os principais riscos que ele corre (como roubo, furto, colisão, quebra de vidros e outros).

    Para quem contrata um seguro de carro, pagar 5% do valor do veículo no seguro é um bom preço. Por exemplo, para um carro que custa 30 mil reais, pagar 1.500 no seguro é um preço justo. Porém, quando falamos de seguro residencial a precificação muda completamente! E, por associar o seguro auto ao residencial, muitas pessoas acabam não conhecendo melhor o produto.

    A conta não é igual ao de um seguro auto. Se a conta fosse a mesma, para uma casa de 500 mil reais, o seguro ficaria 25 mil reais. Muito caro, não?

    Diferente do seguro de carro, os preços do seguro de casa/apartamento geralmente não passam de 0,4% do valor do imóvel. Alguns chegam a 1%, mas somente em caso de coberturas especiais como cobertura de tacos de golfe e cobertura para obras de arte (o que faz sentido já que cobrirá bens de alto valor!). Voltando ao exemplo: um imóvel que custa 500 mil reais, teria o seguro com preço de, em média 800 reais. Um preço honesto para proteger o seu lar doce lar.

    O seguro residencial também tem uma diferença do seguro auto: você declara o valor que você deseja segurar. Isso é ótimo, por exemplo, para pessoas que moram de aluguel e querem proteger somente pertences localizados dentro da casa.

    Além disso, as coberturas de um seguro residencial irão proteger sua casa contra os principais riscos: roubo, furto, danos elétricos, raio, incêndio, vendaval, granizo e tantos outros que podem acontecer a qualquer momento. Sem contar que o segurado conta com assistências 24 horas que irão facilitar muito o dia a dia!

    Como qualquer outra decisão de comprar, contratar um seguro de casa necessita estudo, pesquisa e planejamento. O preço precisa caber no bolso e você deve contratar apenas o que realmente irá usar e incluir nas coberturas apenas seus riscos reais. Por exemplo, se você morar em apartamento, nada de investir em cobertura para área externa, certo?

    Então, se você procura mais tranquilidade para sua família dentro de casa, saiba que um seguro de casa pode ser útil. Estude suas necessidades e orçamento e veja se é ou não uma boa opção para você! 😀

    seguro de casa, seguro residencial

    Convidados

    Conheça os 7 erros que te prejudicam na hora de investir

    17 de fevereiro de 2016

    Neste período de crise, a procura por boas possibilidades de investimentos crescem significativamente, pois muitos têm buscado uma forma de ampliar o seu patrimônio. Para essas pessoas, o mercado de ações está passando por um momento espetacular, já que a bolsa de valores está em queda, e o melhor momento para se iniciar na bolsa é exatamente esse, onde as ações são ofertadas por valor menor, aumentando assim seu poder de compra.

    Quando começamos a fazer algo que ainda não fizemos, certamente lidaremos com erros e dificuldades, o que é comum para complementar ao aprendizado e evolução de qualquer pessoa. Abaixo segue alguns erros que você pode cometer e que comprometem o sucesso de seus investimentos.

    7 erros que podem comprometer o seu patrimônio

    01 – Falta de conhecimento

    No mercado de investimento, o conhecimento prévio é essencial para que você tenha maior segurança na hora de aplicar seu dinheiro. Não é necessário um conhecimento acadêmico no assunto para começar a investir, mas informação nunca é demais e só contribui para que seu desempenho melhore com o passar do tempo. Os investidores iniciantes podem até não contar com a experiência, mas podem contar com conhecimento para fazer a diferença na hora de aplicar o capital. Entender um pouco do mercado e aprender como investir na Bolsa são os primeiros passos para uma experiência positiva no mercado financeiro.

    02 – Pensar que a poupança é a melhor opção.

    A poupança já foi a menina dos olhos dos investidores mais conservadores no Brasil, mas esse quadro já não é o mais o mesmo e o que não faltam são matérias nos noticiários sobre os diversos resgastes feitos nos últimos meses. No ano de 2015, R$ 53 bilhões saíram da tradicional modalidade de investimentos. Foi a maior retirada de recursos nos últimos dez anos, segundo o Banco Central.

    Inversamente proporcional à inflação e à taxa Selic, o rendimento não tem superado essas taxas que continuam crescendo e insistir nesse investimento é insistir também em não valorizar seu dinheiro.

    03 – Investir em Banco Comercial

    Muitas pessoas quando pensam em investimentos, logo se lembram do seu banco, devido a comodidade, a confiança no gerente, possuírem a conta há muitos anos, entre outras questões. Mas, se você colocar tudo na ponta do lápis perceberá que tal comodidade custa caro: os valores operacionais são altos, isso sem mencionar os valores de corretagem. O funcionário do banco também tende a oferecer apenas produtos da própria instituição, restringindo suas opções de investimentos e rentabilidade. Isso é diferente em uma corretora independente, onde é possível ter acesso a diversos produtos financeiros e assim buscar os investimentos mais rentáveis nas mais variadas instituições com a mesma segurança de um grande banco.

    04- Querer ganhar muito dinheiro de uma hora para outra

    Imediatistas, ansiosos, preguiçosos e indisciplinados estão longe de fazer parte do grupo de investidores de sucesso. A ideia de se ganhar dinheiro sem nenhum esforço é algo distante da realidade, inclusive do investidor do mercado de capitais que opera em um curtíssimo prazo. Afinal, até mesmo para day-traders (que compram e vendem ações no mesmo dia), é necessário um preparo e planejamento para minimizar os riscos, antes de aproveitar os lucros extraordinários que esse tipo de operação pode oferecer.

    O ímpeto para conseguir ganhar muito sem conhecer o mínimo do mercado é um dos maiores erros dos iniciantes.

    05- Deixar seu capital todo em um único tipo de investimento

    Você já ouviu falar daquela expressão: Não coloque todos os ovos em só uma cesta? Pois bem, isso também vale para seus investimentos. Aplicar todo o seu capital em um tipo de investimento não é recomendado, já que em caso de algum tipo de perda você não tem outras fontes que possam compensar um prejuízo inesperado. Por isso é sempre recomendado para o investidor diversifique seus investimentos por segurança.

    06- Não praticar o desapego

    Muitos investidores ficam presos há algum tipo de investimento que, infelizmente, não proporciona o retorno esperado. Essa inércia de permanecer em um investimento pouco rentável ocorre muitas vezes por falta de conhecimento ou por uma má orientação. Claro que a possibilidade de perdas e algum tipo de prejuízo é uma realidade no mercado financeiro, mas é fundamental compreender a hora de mudar a estratégia para recuperar o capital perdido e através de um bom planejamento conquistar experiências mais positivas.

    07- Não buscar auxílio de um especialista

    O mercado de investimento hoje está repleto de novidades, novas estratégias, produtos, operações e tecnologias. E diante dessa diversidade, a dúvida na hora de selecionar o que pode impulsionar melhores resultados na hora de investir lhe deixa mais suscetível ao erro.

    Neste momento, o melhor a se fazer é buscar profissionais altamente qualificados e idôneos, que vão lhe auxiliar, evitando que você caia em armadilhas do mercado. Hoje já existem empresas de análise e consultoria especializadas em acompanhar o investidor e capacitá-lo para uma experiência positiva no mercado financeiro.

    Fuja dos erros, assuma os riscos e invista melhor

    Vivemos um momento desafiador na economia atual em que a instabilidade e crise econômica estão sempre nos noticiários, mas para os olhos mais atentos e preparados é possível enxergar oportunidades espetaculares de investimentos.

    Há 3 fatores que farão a diferença evitar os erros e ter sucesso em seus investimentos:

    Conhecimento, Controle emocional e Bom acompanhamento profissional.

    Dessa forma você poderá proteger seu capital e investir cada vez melhor.

    1+1=3

    Autoria: Érika Reis – Gerente de Relacionamento na Toro Radar é responsável por garantir que a primeira experiência do investidor com o Mercado financeiro seja positiva ao identificar o perfil de cada cliente e auxiliá-lo na escolha do investimento mais adequado e rentável ao seu perfil e objetivo.

    Convidados

    CONSUMIR TALVEZ, POUPAR SIM E INVESTIR COM CERTEZA!

    2 de fevereiro de 2016

    Infelizmente a frase acima não reflete a postura da maioria dos brasileiros. É bem sabido que atualmente vivemos a famosa sociedade de consumo. Priorizamos o hoje e nos satisfazemos gastando imediatamente tudo o que ganhamos.

    Um homem com celular e computador trabalhando na praia

    Adquirir conhecimentos, através da educação financeira, de maneira a proporcionar aprendizado e assim lidar de forma mais inteligente com as finanças não faz parte do cotidiano da maioria das pessoas. A ideia que se tem é que investir é para uma minoria de privilegiados, sendo que cuidar do dinheiro e multiplicá-lo através de bons e adequados investimentos deveria ser tão natural quanto consumir.

    Todos nós sabemos que o país passa por um momento econômico delicado. Crise, desemprego, escândalos geram dúvidas e incertezas e o que se ouve é: este não é o melhor momento para investir! O medo e principalmente a falta de conhecimento levam a população a pensar dessa forma.

    Urgente é a necessidade de uma mudança de pensamento com consequente mudança no comportamento e relacionamento com o dinheiro. Mas por que isso é necessário? Porque qualidade de vida começa com boa saúde financeira. Todos nós temos sonhos que gostaríamos de realizar: casa própria, carro novo, uma viagem há muito tempo idealizada, ou ainda, a tão sonhada liberdade ou independência financeira, onde poderemos optar por esse ou aquele trabalho levando em conta apenas o prazer que este nos proporcionará.

    Sem contar que todos nós queremos envelhecer com saúde e segurança financeira e sabemos que a aposentadoria do Regime Geral de Previdência (INSS), na maioria das vezes, não é suficiente para suprir nossas necessidades básicas. Nesse sentido, poupar não basta, precisamos de investimentos seguros que remunerem acima da inflação e alavanquem nossos ganhos, multiplicando nosso capital.

    Os que já aprenderam as estratégias e já colheram bons frutos com investimentos, estes estão no caminho certo, no caminho do sucesso financeiro. Aqueles que poupam e guardam algum dinheiro, saibam que é possível e muito acessível ter ganhos maiores, e assim, mais qualidade de vida e bem estar.

    Já aqueles que não possuem uma boa gestão de suas finanças esta é a hora de refletir e fazer diferente. E como isso é possível? Através do aprendizado. Saiba que adquirir conhecimento, aprender a investir e assim investir bem, com eficiência e segurança, tudo isso está à disposição de todos.

    Se após ler este artigo você sentir que é hora de mudar sua maneira de encarar o dinheiro, se quiser aprender a investir, ou ainda, aprimorar seus conhecimentos sobre o tema, entre em contato comigo através do canal Investidor de Sucesso.

    Estarei à disposição.

    Grande abraço!

    Daniela Perussi – Equipe Investidor de Sucesso

    Convidados

    Venda a descoberto – Aproveite a queda das ações

    12 de janeiro de 2016

    O investidor pode lucrar caso seus ativos venham a cair, se fizer uso de uma estratégia denominada venda a descoberto. Ao lidarmos com o mercado financeiro sabemos do risco corrido, mas além deste, a economia tem se mostrado ainda mais instável, principalmente diante dos fatos que vimos nesse começo de 2016: queda da Bolsa da China, nova alta do dólar e outros que interferem diretamente e indiretamente na compra e venda de ações.

    Venda a descoberto

    Diante de tamanha inconstância, através da venda a descoberto é possível ganhar mesmo com a queda das ações. Essa estratégia também é denominada short e ela permite que um determinado ativo que não está na carteira do investidor seja vendido para que ele possa comprá-lo novamente por um preço menor e garantir seu lucro a partir de então.

    A baixa tendência de um ativo não deve ser considerada um problema, já que ela também pode ser uma boa oportunidade para os investidores. Quem está iniciando suas operações na Bolsa tende a achar que apenas a Bolsa em alta proporciona possibilidades de ganho, mas a queda também pode possibilitar.

    A economia do país não tem sido das melhores e caso não recuperássemos a constância anterior, os investidores não precisariam sair da Bolsa por isso. Apesar de todo o contexto externo ser influente não é determinante para o insucesso nas operações, quando há uma boa estratégia por trás do investidor.

    Por que você deveria vender uma ação que não tem em sua carteira?

    Através de análise gráfica ou análise fundamentalista, o investidor ao perceber que uma determinada ação irá cair pode direcionar uma estratégia para ganhar a partir dessa situação. Caso o investidor venda a ação que estava em alta, para posteriormente comprá-la com um preço inferior consegue ganhar com essa diferença.

    A venda a descoberto deve ser realizada levando em consideração se será um trade superior a um dia, ou seja, se não for uma operação de day trade, na qual se compra ou vende ações no mesmo dia.

    Como o investidor não possui aquelas ações na carteira, necessita de “alugá-las”, assim  será preciso consultar a disponibilidade de BTC para os ativos de seu interesse. O BTC é o aluguel de ativos.

    Como funciona o BTC?

    Como uma espécie de empréstimo, certos investidores emprestam suas ações para outros, por um determinado tempo e valor. E você pode estar se perguntando: quem são esses investidores que emprestam suas ações?

    Eles são grandes investidores de longo prazo que não querem se desfazer das suas ações durante o período de contrato. Assim, eles alugam parte de suas ações e além de conseguirem mantê-las, conseguem ganhar com isso. Aqueles que pagam pelo aluguel das ações precisam delas apenas por um determinado prazo.

    Para quem quer aproveitar a queda das ações como uma oportunidade de ganho, as operações de venda são uma boa alternativa. Além de que podem ser utilizadas para proteger sua carteira de investimentos a partir de operações de Hedge.

    Então, mesmo que a bolsa esteja em baixa você deve se preparar e aproveitar o que ela pode te oferecer de melhor, a partir da venda a descoberto. Se ficou alguma dúvida quando a esta operação, poste nos comentários!

    Renata Cota – Equipe Toro Radar

    Convidados

    Defenda seu dinheiro no exterior

    6 de janeiro de 2016

    A situação política e econômica pela qual o Brasil passa atualmente é a pior desde a implantação do plano Real em 1994. A conjunção entre inaptidão administrativa, gastos públicos excessivos e mal direcionados, elevação abrupta do crédito, redução sem critério das taxas de juros, aliada a altíssima corrupção em todos os níveis fez com que as contas públicas chegassem em 2016 nesse estado lastimável de déficit.

    Não bastasse toda essa deterioração, as medidas que o governo tomou e tem tomado desde 2015 não poderiam ser piores. Aumento e criação de impostos e o intervencionismo na economia só tornaram a situação econômica mais insuportável, levando a fechamento de centenas de indústrias, corte de investimentos e milhares demissões.

    Sabe quem paga a conta quando um governo destrói a economia de um país? Você.

    Para tapar o rombo das contas públicas, o governo fará o possível e o impossível para tomar o dinheiro produzido pelos 200 milhões de residentes que habitam esta nação. Criação de impostos, taxas, tarifas são algumas das formas do governo roubar o seu dinheiro. O que poucos percebem é que o pior imposto é aquele oculto chamado inflação.

    Ao aumentar o dinheiro em circulação para financiar toda essa política populista e voltada para os grandes empresários e agentes dos partidos políticos no poder, o governo tem provocado a desvalorização do Real, que como todas as moedas do mundo não possui nenhum lastro físico. O valor dele depende da confiança no país e do fluxo de capitais. No caso, quanto mais confiança o Brasil possuir, mais o dinheiro do mundo entrará aqui e o Real se valorizará. Como confiança é algo impossível para o governo mais corrupto já existente no planeta, o fluxo de capitais está fortemente no sentido de abandonar o país.

    Em suma, o Real foi a moeda que mais se desvalorizou no mundo em 2015, com perda de quase 50% frente ao Dólar dos EUA e não há nenhum motivo aparente que faça com que essa tendência de desvalorização da moeda brasileira termine. A equipe econômica do governo federal não poderia ser mais despreparada para resolver o problema que eles mesmo criaram.

    O que fazer para se proteger da incompetência governamental que tem destruído o poder de compra dos brasileiros?

    A maneira mais rápida e prática de se defender disso é abrindo uma conta no exterior lastreada em Dólar dos EUA, Euro, Libra Esterlina, Franco Suíço ou qualquer outra moeda forte. Desta forma, a destruição da economia brasileira não impactará negativamente suas economias.

    nota-de-50-dolares

    Por mais que essa informação não seja muito divulgada, é extremamente simples e rápido a abertura de conta em bancos estrangeiros. Além da solidez de muitos bancos estrangeiros serem maior que a dos bancos brasileiros, é possível abrir contas em diversas moedas no mesmo banco.

    Outra vantagem é que ao contrário de quem compra o papel moeda para guardar em casa, quem tem uma conta no exterior tem acesso a investimentos que fazem o dinheiro render e não apenas ficar parado na gaveta. Não bastasse isso, também é possível ter um cartão de crédito e débito para uso em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil.

    Todo o processo é bastante simples. Basta preencher as fichas de adesão e enviar alguns documentos que em menos de 1 semana, sua conta em Dólar ou Euro estará pronta. Para abastecer sua conta, basta uma transferência internacional, não muito diferente de um DOC ou TED.

    Caso você ainda não tenha uma conta fora do Brasil, não acho prudente ficar aguardando mais tempo. O governo já demonstrou uma fome arrecadatória sem precedentes. Ele fará de tudo para enfiar mais impostos goela abaixo nos brasileiros e a nossa moeda continuará perdendo valor. Lembre-se de que há países mais seguros para manter seu dinheiro. O Canadá por exemplo não vê uma crise financeira há mais de 180 anos e o Franco Suíço existe há mais de 200 anos e nunca cortou um zero sequer.

    A hora de agir é agora. Quanto mais você esperar, maior a probabilidade da janela se fechar e você ficar preso a uma moeda desvalorizada.

    Raphael (autor do site www.investidorinternacional.com)

    Convidados

    Tenho 5 mil reais, onde posso investir?

    21 de dezembro de 2015

    Se tem sobrado um pouco de dinheiro no seu orçamento e você não quer deixar o dinheiro parado, mas também não sabe onde, nem como investir, vale a pena conferir as dicas do artigo e não perder as boas oportunidades para aplicar seu capital!

    O impacto da atual situação econômica do país atingiu todas as classes e até mesmo  as classes A e B sentiram a influência dos juros altos e da inflação em seus orçamentos. Mas, essa mesma situação que tem condicionado diversos cortes no orçamento familiar do brasileiro, é que proporciona um cenário favorável para quem tem escolhido investimentos que têm a inflação, por exemplo, como indexador.

    O mix de inflação, a dificuldade para conseguir crédito, queda na renda do trabalhador e o aumento do desemprego tem comprometido muitos orçamentos, mas ainda assim há quem consiga ter uma média de 5 mil reais a mais no mês para realizar aplicações tanto na renda fixa, como na renda variável.

    O importante é você ter em mente se não precisará desse dinheiro em um primeiro momento. Por quanto tempo você está disposto a abrir mão dessa quantia? Definir o prazo estimado para seu investimento é fundamental para que possa rentabilizar seu capital. Uma das opções mais rentáveis é a Bolsa de Valores e quanto mais experiência o investidor adquire com suas aplicações, ele se torna mais confiante, inclusive para fazer operações que implicam maiores riscos.

    Nos próximos itens vamos apresentar as melhores oportunidades para se investir 5 mil reais, tanto na renda fixa, como na renda variável a partir de perfis e objetivos diferentes.

    investidor-com-duvidas-pontos-de-interrogacao

    Investindo 5 mil na Renda Fixa

    Títulos de renda fixa demandam o investimento inicial com valor mínimo preestabelecido e esse valor pode ser relativamente alto, para que se obtenha melhores taxas, entre esses títulos há o CDB, LCI, LCA e a Letra de Câmbio. Um deles é especialmente indicado para quem pode investir 5 mil:

    O Tesouro Direto
    O Tesouro Direto permite que pessoa física adquira títulos públicos federais com a facilidade de não sair de casa. Lançado no ano de 2002 o objetivo do Tesouro Nacional junto a BM&F Bovespa era tornar o processo de aquisição de títulos mais acessível e com investimento mínimo menor que os demais (hoje o investimento mínimo para o Tesouro Direto é de 30 reais).

    Com a quantia de 5 mil reais é possível investir em diferentes títulos, com diferentes tipos de rentabilidade e prazos de vencimento. O Tesouro Direto ainda possui a vantagem de poder ser utilizado como margem de garantia para a compra e venda de ações na Bolsa de Valores tanto para day-trade quanto para contratos futuros.

    Caso você opte pelo investimento no Tesouro Direto, esse artigo ensina como calcular seu rendimento de um jeito bem simples. Agora, se você quer investir diretamente na renda variável, o próximo item abordará algumas opções.

    Investindo 5 mil na Renda Variável

    Ações

    Se comparado aos investimentos tradicionais, o investimento em ações traz maiores rentabilidades, bem como riscos, mas para quem faz uso de uma boa estratégia e tem o acompanhamento de bons profissionais da área de análise, os resultados tornam-se melhores.

    Para quem tem o interesse de conhecer mais sobre o mercado de ações: as vantagens do investimento, como são formados os preços das ações, entender porque esse é um bom momento para investir nesse mercado, pode acompanhar tudo isso através do Curso Mercado de Ações.

    Mercado Futuro

    O Mercado Futuro é uma outra opção na renda variável e tem a mesma simplicidade de operação como as ações.

    Os ativos podem ser uma moeda, um índice, commodities (boi gordo, milho,café)..

    Ao investir em day trade no Mercado Futuro você não paga nem recebe pelo ativo, mas apenas pelas oscilações de preço e isso permite que você faça uso da alavancagem. A alavancagem permite que você compre até 20 vezes o valor do investimento que você quer realizar. Mesmo com um risco maior, você pode ter um ganho expressivo, já que consegue fazer um investimento maior. Para alavancar seus investimentos é necessário apenas usar a margem de garantia, mencionada no item que falamos sobre o Tesouro Direto. Assim, no mercado futuro você pode ganhar muito, mesmo investindo pouco.

    Exemplo: Se você opera Day-trade (compra e venda de ativos no mesmo dia) no mercado futuro com alavancagem de 20 vezes o valor do seu capital que é de R$5.000,00, você opera com uma quantia de R$100.000. Se ganhar 1% na operação terá um excelente retorno, o que nenhum outro investimento pode proporcionar em um curto espaço de tempo, mesmo com os riscos envolvidos na operação.

    Se você tem pouco dinheiro e quer investir, faça isso!

    Algumas pessoas pensam em investir o dinheiro que sobrou no mês, mas por acreditarem que é uma quantia pequena, desistem e gastam com outras coisas. Você viu que não precisa desistir e com uma pequena quantia é possível começar a ter os primeiros ganhos. Investir pouco é melhor que gastar muito. No primeiro caso você pode multiplicar e ganhar, já no segundo caso, você pode se endividar e ainda comprometer o orçamento do próximo mês e perder mais uma vez a oportunidade de começar a fazer seu dinheiro lhe render frutos.

    Autor: Renata Cota – Equipe Toro Radar

    Convidados

    Como sua família investe? Veja como identificar o perfil de cada um

    30 de novembro de 2015

    A família brasileira ganhou um novo perfil nos últimos tempos , ou melhor, rompeu com muitos perfis e padrões e ganhou novos integrantes, os avós são mais participativos e dispostos. A mulher está fora de casa durante todo o dia, mas  a casa não está fora dela, bem como ela contribui em torno de 40% com a renda familiar, segundo pesquisa do IBGE de outubro de 2014.

    O homem não é mais o único provedor da renda familiar e em diversos casos, os casais optam por não ter filhos. Muita coisa mudou, mas as despesas e gastos ficaram e estão cada vez maiores. Planejamento financeiro é importante, assim como educação financeira. Mas é preciso ir além e buscar formas de ampliar o rendimento sem contrair dívidas e de maneira bem estruturada. Com isso o orçamento consegue aquela folga, os sonhos em stand-by podem ser realizados e bens adquiridos.

    Quando todos os membros da família contribuem de alguma forma com a renda e possuem hábitos saudáveis quanto ao próprio capital se torna mais fácil a prosperidade individual e coletiva da família.

    NA CASA DA MÁRCIA É ASSIM. E COMO ANDA SEU PLANEJAMENTO?
    na-casa-da-marcia

    Cada família tem suas dificuldades, alegrias e seu orçamento. Conheça a família da Márcia e quais as dicas para que eles prosperem com as finanças.

    Márcia (A mãe) – Márcia é decoradora e tem 35 anos de idade. Ela se divide entre seus projetos e a pequena loja de doces que comanda ao lado da irmã, Cristina. A loja é pequena mas auxilia na complementação da renda. As irmãs ainda não pensaram em uma forma de tornar o empreendimento escalável e replicável. Ana sempre se preocupou com o futuro dos dois filhos, Artur (10 anos) e Bárbara (6 anos). Há anos têm guardado dinheiro para os estudos dos filhos e outras despesas relacionadas a eles. E faz tempo que ela espera a tão sonhada viagem para a Europa, que ainda não coube no orçamento depois do nascimento da caçula Bárbara.

    Carlos (O pai) – Carlos tem 38 anos e é bem competitivo. Há dez anos ele trabalha como gerente comercial em uma seguradora. Carlos já abriu pequenos negócios que não deram certo, mas ele nunca desanimou e sempre está atrás de uma novidade, alguma nova oportunidade que pareça lucrativa. Gosta de proporcionar conforto à mulher e aos filhos, bem como sonha em trocar o carro, que não acomoda toda a família como antes dos pequenos nascerem. Carlos tem vontade de investir na Bolsa de Valores mas sem experiência, prefere não arriscar.

    Antônio (O avô) – Antônio, de 69 anos mora com o casal e com as crianças. Ele é aposentado e tem um depósito de material de construção que pretende fechar em breve, depois que começou a comprar e vender ações. O avô de Artur e Bárbara vive discutindo com o filho, depois que decidiu ir além da poupança e ampliar os rendimentos. Durante os anos, ele foi muito econômico e se  precaveu com um bom capital que ganhou com o depósito e o aluguel do antigo apartamento que morava com Ângela, sua falecida esposa.

    PERFIS DE INVESTIMENTO: DESCUBRA QUAL O SEU E DA SUA FAMÍLIA
    perfis-de-investimento

    PERFIL CONSERVADOR

    Como Márcia sempre foi mais econômica e conservadora decidiu procurar opções de investimento que lhe dessem maior segurança e, ao mesmo tempo, proporcionassem um bom rendimento para o dinheiro que guardou para os filhos e para a sua tão sonhada viagem. Dessa forma, ela dividiu o seu capital em algumas partes e a partir de cada objetivo optou por um investimento diferente.

    Para a educação dos filhos optou por uma opção de investimento do CDB, que possui maior prazo de carência e lhe ofereceria maior rentabilidade. Neste investimento ela deixaria o seu capital aplicado por 5 anos e no final desse tempo iria retirar o capital com dinheiro suficiente para pagar o ensino dos filhos.

    Para a sua viagem Márcia optou pelo título público (Tesouro direto – LFT) – um investimento que proporciona liquidez diária, ou seja, ela pode resgatar o capital investido a qualquer momento, sem que haja grande prejuízo a sua rentabilidade. Outro benefício do LFT é ter sua rentabilidade atrelada à taxa SELIC. Assim, mesmo com a alta taxa de juros, ela pode ter bons lucros.

    PERFIL MODERADO

    Como Carlos sempre está atrás de uma novidade e de oportunidades de rentabilizar o seu dinheiro, ficou extremamente curioso ao saber por um colega de trabalho que existia um portal na internet que fornecia aos clientes diversas oportunidades de investimento no mercado financeiro. Como teve experiências negativas com antigos negócios, ele optou por diversificar seus investimentos pelas operações de longo prazo com parte do seu capital e a outra parte, aplicou em títulos de renda fixa – LCI (que é isento de imposto de renda) e CDB (que pode ser utilizado como margem de garantia na Bolsa de Valores, onde ele começou a realizar  pequenas operações de curto prazo). Carlos vai aproveitar os pequenos investimentos na Bolsa para trocar o carro da família, já que as possibilidades de ganho são altas e valeria a pena correr o risco do investimento.

    PERFIL AGRESSIVO

    Quem diria, o mais velho seria o investidor mais agressivo. Antônio contrariou as recomendações do filho e resolveu ir além da poupança e investir na Bolsa de Valores. Como ele ganhou maior tempo para outras atividades, desde que aposentou, encontrou no mercado financeiro uma excelente oportunidade de rentabilizar o dinheiro acumulado durante a vida. Ele realiza investimentos tanto em ações, quanto no Mercado Futuro através de day-trade e curto prazo.

    Idade não interfere, ou define se será feito um bom ou mau investimento, o que define é o quão paciente, persistente e disciplinado você será. Defina o capital a ser investido, o prazo de investimento, conheça suas limitações e escolha o melhor investimento para o seu perfil. Assim, você e sua família terão sucesso com as finanças.

    Renata Cota – Equipe Toro Radar

    Convidados

    Guest Post: Construcard Caixa

    9 de novembro de 2015

    Veja como funciona o Construcard Caixa e saiba quais os benefícios oferecidos neste cartão de crédito.

    O Construcard da Caixa é um tipo de financiamento que tem como objetivo ajudar o consumidor a adquirir materiais de construção para a reforma e ampliação de sua casa.

    Como funciona?

    O financiamento oferecido pela empresa possui duas fases, são elas: utilização e amortização. A primeira delas é destinada à aquisição de todo o material que deverá ser utilizado pelo consumidor durante as obras em sua casa.

    O período em que o cartão do Financiamento Construcard pode ser utilizado para a compra dos materiais de construção é de dois a seis meses. Durante esses meses de utilização, o cliente paga apenas as taxas de juros mensais referentes ao financiamento. Os valores são estipulados pelo próprio banco.

    Já a segunda fase é a destinada ao pagamento do valor financiado pelo consumidor. O período de amortização começa imediatamente após o término do período de utilização do financiamento. Ele pode variar de 1 a 94 meses, sendo que o prazo máximo para a quitação da dívida é de 96 meses.

    O pagamento do valor financiado é feito por meio de débito automático em conta corrente do cliente. A data do vencimento é estipulada em um acordo com o consumidor e o banco.

    Construcard-Caixa

    Como contratar?

    Para contratar os serviços do Financiamento da Caixa Econômica Federal, o consumidor deve seguir três passos simples, são eles:

    • Entregar toda a documentação exigida pelo banco em uma das agências da rede;
    • Após a análise da documentação, o cliente deve assinar o contrato e recolher as taxas referentes ao processo;
    • Utilizar o Cartão Construcard da Caixa nas lojas especializadas em materiais de construção.

    Quais os requisitos para contratar o financiamento?

    Os interessados em contratar o serviço do Construcard devem ser pessoa física, possuir uma conta corrente na Caixa Econômica Federal, ter mais de 18 anos ou ser emancipado de acordo com as normas da lei e ser aprovado nas avaliações e de risco realizadas pelo banco.

    Esta última é feita no momento em que os documentos são entregues com o pedido de abertura do financiamento. Sendo assim, o mesmo só liberado após a aprovação dessa etapa.

    Este artigo foi elaborado por Jeane Braga Pereira autora do blog http://guiafinanciamento.net

    Convidados

    Curso de negociação auxilia melhor administração financeira

    6 de outubro de 2015

    A arte da negociação está presente em nossas vidas diariamente, existe desde a negociação financeira, ao realizar uma compra ou venda, por exemplo. Há também outras situações onde esse recurso é necessário: no trabalho, com filhos, marido/esposa e amigos. Várias decisões diárias são negociadas, o que torna indispensável desenvolver uma boa retórica, poder de argumentação e autoconfiança.

    Muitas dessas qualidades podem ser adquiridas em um curso de negociação, que irá permitir o aprendizado de técnicas que irão valorizar o posicionamento pessoal e profissional, inclusive para aprender a fazer concessões e encaminhar uma transação estrategicamente e com objetivos claros, o que irá facilitar o alcance das metas.

    O principal público deste tipo de curso são líderes, vendedores e empresários, entretanto ele pode ser realizado por qualquer pessoa que deseja aprimorar seus atributos de negociação. Algumas pessoas extremamente tímidas possuem dificuldades de expor suas ideias e argumentos, sendo prejudicadas em diversos aspectos. Para este púbico um curso de negociação somado a um curso de oratória, que irá oferecer mais segurança, pode ser uma solução para as dificuldades de sociabilização.

    Benefícios do curso de negociação

    Este tipo de preparo irá auxiliar na desenvoltura em diversas situações, permitindo que haja uma melhor administração financeira, pois prepara para diversos tipos de negociação.

    Para profissionais que atuam com negociação, o curso irá desenvolver habilidades, como:

    • Condução de negociações com articulação objetiva;
    • Gestão de conflitos e mediação;
    • Desenvolver estratégias de persuasão e argumentação;
    • Técnicas para fechamento de negociações;
    • Condução de reuniões de negociação.

    Para pessoas com dificuldades de se impor, o curso irá ajudar em:

    • Melhor planejamento;
    • Desenvolver habilidades de argumentação;
    • Aumentar autoconfiança para expor opiniões;
    • Gerenciar concessões;
    • Melhora de fatores interpessoais.

    Essas capacidades serão somadas tanto ao desempenho profissional como nas qualidades pessoais e, portanto, tendem a agregar em vários aspectos da vida do indivíduo.

    Negociação e saúde financeira

    A capacidade de negociação está intimamente relacionada com a saúde financeira de empresas. Mas engane-se quem acredita que os benefícios se limitam ao aspecto corporativo, a melhor capacidade de negociar pode auxiliar em compras para casa realizadas na feira, viagens, parcelamentos e cartões de crédito (veja aqui mais dicas de como negociar sobre o cartão). Diferente de “pechinchar”, a negociação está baseada em técnicas, estratégias e argumentação, que pode ser somada a outros cursos para aprimorar a comunicação, como cursos de oratória, persuasão e planejamento.
    escada-de-giz-na-lousa
    Post Colaborativo Instituto Passadori

    Geral

    As vantagens dos guest posts

    27 de agosto de 2015

    Para quem não sabe, um guest post nada mais é do que um post(artigo) criado por um autor externo ao blog onde é publicado.
    É uma espécia de parceria entre os proprietários dos blogs e os autores. Uma relação ganha-ganha, ou seja, o autor divulga o seu texto, serviço e produto de graça, em contrapartida acaba gerando visitas para o blog onde o post é realizado.

    Conforme os blogs vão crescendo em determinado momento é necessário tomar atitudes e mudar o rumo das coisas.
    Quando se começa um blog a maior dificuldade que existe é seguramente angariar leitores. Por melhores que sejam os seus conteúdos, se ninguém os ler, não terão muita valia.
    Ainda assim, há quem tente outras estratégias, como as redes sociais e outras formas de angariação de tráfego, que infelizmente necessitam de tempo e paciência para que delas se possa retirar os melhores dividendos possíveis. No entanto, se abriu o seu blog há 15 dias, certamente que as redes sociais serão um veículo com pouca atratividade para si, porque exigem a criação e manutenção de um perfil, durante semanas a fio, e você simplesmente ainda nem começou.

    Aqui no DefendaSeuDinheiro, assim como no PaiDePrimeiraViagem, aceita-se guest posts.
    Basta o interessado entrar em contato pela seção Contato deste blog informando o objetivo e conteúdo do post. Em seguida será feito um retorno por e-mail o mais rápido possível explicando o restante do procedimento. Se ambas partes estiverem de acordo o artigo do convidado será publicado.

    Vejam alguns destes artigos na seção Convidados.

    Leia também:
    GUEST POSTS: O QUE SÃO, QUAIS SUAS VANTAGENS
    Guest Post

    Até o próximo post.