Como sair da inadimplência e começar 2014 no azul?
Geral

Como sair da inadimplência e começar 2014 no azul?

26 de novembro de 2013

Para quem quer sair do vermelho de 2013 e começar 2014 no azul deve saber que para isto será necessário fazer um bom planejamento financeiro. O caminho para sair da inadimplência é ter um planejamento financeiro de qualidade e bem definido para o próximo ano, conforme podemos observar em matéria publicada hoje no portal Infomoney “Quer começar 2014 no azul? Saiba fazer um bom planejamento financeiro”.

Saiu uma pesquisa recente a qual demonstra que mais de 50% dos consumidores inadimplentes no país declararam estar “muito” endividados. Vejam algumas dicas para quem deseja começar 2014 no azul:

  1. Defina seus objetivos;
  2. Estabeleça um plano;
  3. Faça as contas;
  4. Siga o planejado.

É tão importante quanto fazer planejamento bem feito é seguir o que foi planejado, sendo assim é imprescindível que pense nos seus objetivos antes de fazer compras de forma impulsiva impulso. Recomenda-se fazer o uso de planilhas para controlar a relação ganhos/despesas mensais, atualizando os valores diariamente. Ainda conforme a reportagem: “Um planejamento como este ajuda você a usar melhor seu dinheiro.”

Para ler a matéria completa, confira o link a seguir:

Quer começar 2014 no azul? Saiba fazer um bom planejamento financeiro
Para sair da inadimplência, o caminho é ter um planejamento financeiro bem definido para o próximo ano, apontou a Boa Vista Serviços
8h00 | 26-11-2013

Leia também:

Até o próximo post.

2 Comments

  • Reply Vilmar 5 de dezembro de 2014 at 11:29

    ORÇAMENTO
    Sem sufoco: 5 dicas para começar 2015 com as finanças em dia
    dinheirama.com/blog/2014/12/05/5-dicas-para-comecar-2015-com-as-financas-em-dia/

  • Reply Vilmar 16 de agosto de 2014 at 20:35

    15/08/2014 20h27 – Atualizado em 15/08/2014 20h30
    Justiça manda Itaú indenizar cliente que investiu em pirâmide de Madoff
    Esquema nos EUA remunerava investidor antigo com recursos dos novos.
    Justiça determina indenização de R$ 355,3 mil
    Do G1, em São Paulo

    O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o Itaú pague uma indenização de R$ 355,3 mil a uma cliente que investiu no esquema de pirâmide de Bernard Madoff com orientação do banco.
    A decisão foi em 2ª instância e o banco não comentou até a última atualização desta reportagem.

    Madoff, de 74 anos, é uma celebridade de Wall Street e foi preso em dezembro de 2008. Ele está cumprindo uma condenação de 150 anos de prisão, após uma fraude gigantesca através do denominado esquema piramidal Pozzi, pelo qual utilizava fundos de novos clientes para pagar ou reembolsar os clientes mais velhos.
    A cliente entrou com ação pedindo indenização porque o banco teria indicado o investimento, mas perdeu na 1º instância porque a Justiça aceitou o argumento de que a cliente tinha conheicmento do risco.
    Na nova avaliação, no entanto, a Justiça entendeu que não se tratou de perder dinheiro por conta do risco do investimento e sim por “fraude em um fundo recomendado, sem que tenha sido feita qualquer espécie de ressalva”. A fraude deveria ter sido percebida pelo banco, de acordo com a sentença, “até pela remuneração e destacada especialidade em razão da prestação de serviços de gestão”.
    Em uma mensagem à investidora, que está incluída na ação, o banco diz que o fundo de Madoff “vale bastante a pena” e o indica como “sem sombra de dúvidas, um dos melhores” do mercado. O banco afirma ainda haver “rígido controle de risco” e exalta a qualidade do gestor.
    Pirâmide
    Entre as vítimas de Madoff estão organizações beneficentes, grandes corporações bancárias, magnatas de Hollywood e especialistas investidores financeiros.
    Sua fraude piramidal, a maior fraude na bolsa já conhecida, alcançou entre US$ 17,3 bilhões e US$ 65 bilhões, dependendo se for contabilizado apenas o capital investido ou se forem incluídos os juros. Foi encurralado em dezembro de 2008, quando, com a crise, um número crescente de investidores quis recuperar seu dinheiro.
    Agora, cumpre pena na prisão de Butner, na Carolina do Norte (sudeste), onde trabalha por US$ 170 por mês. Ele foi sentenciado em 2009 e teve US$ 170,8 bilhões confiscados.
    g1.globo.com/economia/noticia/2014/08/justica-manda-itau-indenizar-cliente-que-investiu-em-piramide-de-madoff.html

  • Leave a Reply

    CAPTCHA *