‘Blog’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: blog

    Geral

    5 coisas que você deve fazer se quiser sair rapidamente da dívida

    26 de abril de 2018

    Bobby Hoyt era basicamente a foto de millenium recém-saído da faculdade. Ele realmente não tinha aprendido nada sobre finanças pessoais, tinha um diploma brilhante e tinha quase US$ 40.000 em dívidas de empréstimos estudantis que ele não tinha ideia do que fazer.
    Inicialmente, o plano era fazer os pagamentos mínimos, como todo mundo fazia. Felizmente, ouviu um empresário de sucesso que conheceu através da família de minha esposa. Sua mensagem? Pague sua dívida o mais rápido que puder.

    Eu paguei US $ 40.000 de empréstimos estudantis em um ano e meio com o salário de um professor: aqui estão 5 coisas que você deve fazer se quiser sair rapidamente da dívida

    “Aceitei esse conselho e corri com ele. Eu mantive minhas despesas de moradia o mais baixo possível alugando um quarto dos pais da minha esposa, continuei dirigindo meu carro velho da faculdade em vez de comprar o novo que eu realmente queria, e literalmente fiz os maiores pagamentos que podia a cada duas semanas salário de ensino”, diz Hoyt.

    Depois de 18 meses, pagou os empréstimos estudantis. Começou o blog MillennialMoneyMan.com como uma forma de ajudar outras pessoas que estavam lidando com dívidas de empréstimos estudantis, e um pouco mais de um ano e meio atrás eu parei meu trabalho para perseguir a minha empresa on-line em tempo integral.

    Hoyt conta que a paixão tornou-se tentando ajudar os jovens a se motivarem com suas finanças logo no início. Desde que deixou o emprego como professora, ouviu centenas de histórias de horror sobre dívidas de leitores que querem encontrar uma maneira de progredir.

    Aqui abaixo estão cinco coisas que qualquer um que queira se tornar livre de dívidas deve fazer:

    1 – Pare de se importar com o que as outras pessoas pensam

    Isso é absolutamente fundamental. Se você está pensando em assumir suas dívidas de forma agressiva, há uma boa chance de você ter que tomar algumas decisões desconfortáveis ​​que não são populares. Para mim, obviamente, estava escolhendo alugar um quarto dos pais da minha esposa ou usar os mesmos equipamentos para trabalhar regularmente. Eu ainda tenho “mamãe e papai” jabs de haters muito depois que saímos.
    Aqui está a parte importante: seus detratores não importam nada. Todo mundo tem um caminho diferente na vida, e eu nunca vou julgar alguém por como eles escolhem atacar suas dívidas. Mude-se com a sua família (certifique-se de contribuir de alguma forma), alugue quartos em sua casa, continue dirigindo aquele carro de baixa qualidade ou espere para sair com seus amigos, se necessário. Enquanto você estiver trabalhando para atingir seus objetivos, sinta-se bem com o que está fazendo. As opiniões externas nunca devem influenciar suas decisões financeiras.

    2 – Faça da sua dívida a prioridade

    Um truque que usei para facilitar minha dívida foi colocá-lo no topo da minha lista financeira. A primeira coisa que fiz a cada duas semanas, quando meu contracheque caiu na minha conta, foi o pagamento do meu empréstimo. Livrar-se desse dinheiro imediatamente tirou a minha capacidade de desperdiçá-lo ao sair para comer ou comprar qualquer coisa nova que todo mundo tivesse.

    3 – Não tente acompanhar seus colegas

    Muitas pessoas ficam presas tentando acompanhar os Joneses. Uma das coisas mais difíceis sobre pagar meus empréstimos foi assistir todos os meus amigos me passarem. Se era um novo carro incrível ou a casa que eles estavam construindo. Eu senti que não era tão bem sucedido quanto eles.
    Avançando alguns anos, e a maioria dos meus colegas que financiaram suas vidas estão absolutamente arrependidos. Fomos condicionados a manter contato com nossos colegas durante toda a vida por meio de notas e esportes na escola primária. Se você puder evitar competir com seus amigos em compras altamente financiadas, você fará muito melhor a longo prazo.

    4 – Comece uma confusão lateral

    O surgimento da internet tem sido, obviamente, um fator de mudança, mas nem todos com acesso estão tirando vantagem disso. Para qualquer um dos meus leitores que me perguntar como eles podem aumentar sua renda para ajudar com suas dívidas, a minha resposta é sempre a mesma: começar a empurrar.

    Existem inúmeras maneiras de começar um negócio on-line e não precisam ser complicadas nem caras. Eu vi de tudo, de lenços de tricô e vendê-los no Etsy, para encontrar itens em vendas de garagem e vendê-los no eBay. Se a sua primeira estratégia não funcionar, continue tentando outra coisa até encontrar uma maneira eficaz de suplementar sua renda.

    5 – Verifique sua mentalidade

    Fora de tudo nesta lista, sua mentalidade em relação a dívida e sucesso é facilmente o mais importante. Há, obviamente, uma tonelada de histórias por aí de pessoas como eu que pagaram seus empréstimos muito rapidamente usando várias técnicas. Se a sua primeira reação é pensar que essas histórias são impossíveis, uma farsa ou apenas pura sorte – você já perdeu.
    As pessoas que normalmente têm sucesso com a dívida olham para essas histórias e tentam encontrar estratégias em vez de um projeto. Não há “um tamanho para todos”, abordagem rápida para sair da dívida. Toma decisões impopulares, aproveitando e criando oportunidades, e toneladas de sacrifícios pessoais para começar.
    fonte de consulta: businessinsider.com/i-paid-off-40000-of-student-loans-on-a-teachers-salary-2016-10

    Até o próximo post.

    Convidados

    Pessoa de 28 anos ganha mais de $ 100.000 por mês, blogando e viajando em tempo integral

    8 de dezembro de 2017

    Michelle Schroeder-Gardner regularly earns over $100,000 a month blogging

    Uma Jovem de 28 anos ganha US$ 100 mil por mês com blog de finanças, o qual tinha como objetivo monitorar as finanças da jovem, para que pudesse pagar os empréstimos estudantis.

    Depois de obter dois diplomas de graduação e um mestrado em finanças, Michelle Schroeder-Gardner acumulou uma dívida de empréstimos estudantis de US$ 38 mil, cerca de R$ 123 mil. No entanto, ela conseguiu pagar tudo em apenas sete meses, graças a uma estratégia chave: ela mudou seu foco para os ganhos.
    “Ganhei o máximo de dinheiro que eu consegui fora do meu trabalho principal”, explicou Schroeder-Gardner à CNBC. Na época, ela tinha uma renda de US$ 4.200 ao mês, cerca de R$ 13.500, como analista financeira. Ela percebeu potencial com um blog que criou na graduação, mas nunca tinha pensado em monetizar. “A melhor coisa que fiz foi manter uma renda por meio do meu blog”, afirma.

    Chamado Making Sense of Cents e criado em 2011, o blog tinha como objetivo monitorar as finanças da jovem, para que pudesse pagar os empréstimos estudantis e parar de ser dependente de cada pagamento para seguir.

    “Demorou cerca de seis meses para alcançar os primeiros US$ 100 no blog. Mas uma vez que eu percebi que poderia ganhar dinheiro com isso, cresceu muito rapidamente”, explica a jovem de 28 anos.

    “Qualquer tempo extra que eu tinha era dedicado para o crescimento do meu blog. Eu acordei cedo nas manhãs, dormi muito tarde e várias noites, usei pausas de almoço em meu dia de trabalho, e até usei meus dias de férias para focar no blog”, explica.

    O tempo e o esforço valeram a pena: em 2013, dois anos depois do projeto inicial, o blog já rendia um adicional para o orçamento de US$ 10 mil por mês. A renda extra não só permitiu que ela pagasse seus empréstimos, mas que também abandonasse seu emprego como analista financeira.

    Ela tem dedicado seu tempo integral para o blog desde outubro de 2013, quando deixou seu trabalho. Em 2016, o negócio rendeu US$ 1 milhão. Hoje, ela ganha regularmente cerca de US$ 100 mil por mês.

    Na prática, o blog dá conselhos e dicas de como administrar as finanças e atingir a independência financeira. O negócio possui três fontes principais de receita:

    1) O marketing de anunciantes, de onde a maior parte do rendimento vem, cerca de US$ 50 mil por mês;

    2) O curso de marketing financeiro, no qual ela ensina as pessoas a ganhar dinheiro online, o qual gera entre US$ 40 mil e US$ 50 mil por mês;

    3) Publicidade, incluindo anúncios publicitários patrocinados com empresas e publicidade gráfica, que rende entre US$ 12 mil e US$ 23 mil por mês.

    Se você está pagando uma dívida ou buscando a independência financeira o mais rápido possível, ela aconselha que você “deve sempre achar uma forma de ganhar mais dinheiro do que está ganhando no momento”. Apesar de seu sucesso financeiro, ela e seu marido Wes, que também largou seuu cargo em 2013, vivem de forma modesta, sem luxos. “Nós poupamos e investimos mais de 85% do que ganhamos a cada mês”, conta.

    Eles venderam sua casa em Missouri, EUA, em 2015, e agora viajam pelo país em tempo integral em seu trailer. Em um dia típico, o casal trabalha por uma hora ou duas na parte da manhã, e mais algumas horas de trabalho à noite.
    fonte de consulta: This 28-year-old earns over $100,000 a month blogging and traveling full-time

    Até o próximo post.

    Convidados

    Casal se aposentou em seus 30 anos, agora está viajando o tempo inteiro

    27 de outubro de 2017

    Um casal norte-americano, Steve e Courtney Adcock, conseguiu o algo desejado por muitos que é se aposentar antes do previsto, ele aos 36 anos e ela aos 34 anos, porém nem sempre foram econômicos. “Durante meus 20 e poucos anos, eu era apenas mais um. Queria bons carros, casas grandes e coisas caras”, afirma Steve em seu blog, Think Save Retire (“Pense, poupe e se aposente”, numa tradução livre). “Ganhei muito dinheiro, mas eu economizava pouco. Era o meu erro”.

    Em 2014, um ano após o casamento, ele e a esposa decidiram dobrar suas economias para se aposentar mais cedo. “Começamos a pensar que poderíamos usar boa parte dessa renda dupla para poupar mais, investir e nos aposentarmos mais cedo do que o previsto, em vez de gastar tudo agora e continuar trabalhando apenas para manter esse estilo de vida“, afirmou Steve ao site CNBC.

    O casal Steve e Courtney Adcock se aposentou bem cedo, ele aos 36 anos e ela aos 34 anos, mas nem sempre foram econômicos

    A renda conjunta do casal era suficiente para viver bem, mas eles administravam a vida financeira muito mal. Ele afirma que “é mais fácil se aposentar mais cedo com base em um alto nível de poupança do que um alto nível de renda”. Isso porque, segundo ele, “quanto mais temos, mais queremos e quanto mais queremos, mais gastamos. O ciclo é perverso, e é quase eterno”, afirma.

    Steve acredita que a chave para conseguir se aposentar de forma antecipada é o estilo de vida que você adota. “Quando se trata de aposentadoria, não é sobre quanto você ganha. Você consegue se aposentar se tiver uma renda alta, mas ganhar muito dinheiro não é a receita para o sucesso. O estilo de vida que leva e o que vai levar depois de parar de trabalhar que vão determinar uma vida financeira de sucesso”.

    Após um esforço em conjunto e certas mudanças de hábitos, que incluem um estilo de vida mais rentável, reduzindo despesas diárias e a venda dos carros, em dezembro de 2016, Steve largou sua carreira em tecnologia da informação (TI) e Courtney deixou seu emprego também em TI em abril deste ano.

    O casal que morava em Tucson, no Arizona, vendeu a casa e comprou um trailer para viajar pelo país. Considerando essa trajetória de sucesso, o casal revelou ao site algumas dicas do que fizeram para conseguir se aposentar mais cedo. Confira:

    Descubra o quanto vai gastar na aposentadoria

    “A primeira coisa que tivemos que fazer foi dar uma olhada no quanto iríamos gastar na aposentadoria”, diz Steve. É um primeiro passo comum entre as pessoas que se aposentam mais cedo que o normal. Se você vai parar de trabalhar mais jovem, precisa ter em mente quanto vai gastar. É preciso pensar no longo prazo e sobre o estilo de vida que você quer e estimar como seus gastos mudarão.

    Steve e Courtney usaram a “regra de 4%” para determinar quão grande teria que ser a poupança do casal para se aposentarem mais cedo. A regra diz que você pode usar com segurança 4% da quantia guardada por ano para conseguir viver bem durante a aposentadoria.

    Por exemplo, se você quer viver durante sua fase de aposentado com R$ 90 mil por ano, é preciso dividir esse valor por 0,04 (4%), que vai dar R$ 2.250.000. Esse valor final é o que você precisa ter no banco para se aposentar com segurança e sem ficar no vermelho.

    Por precaução, o casal planejaram gastar cerca de 3% do que tinham a cada ano. Então dividiram a quantia que pretendiam ter por ano por 0,03 (3%), para garantir que iriam ter dinheiro durante os próximos anos. A partir disso, sabiam o quanto precisavam economizar para poder se aposentar. Mudaram, então, os hábitos e se começaram a se adaptar a uma nova realidade.

    Monitore suas despesas e reduza seus gastos

    Uma vez que o casal tinha ideia de quanto precisaria guardar, fez grandes cortes em seus gastos. Eles começaram a monitorar todas as suas compras em uma planilha do Excel.

    “Fazendo isso a gente sabia exatamente quanto gastávamos e com o que”, escreve Steve. “Saber para onde o nosso dinheiro vai é fundamental para maximizar nossas economias e identificar onde provavelmente poderíamos reduzir”.

    E reduziram muito. “Nós cortamos tudo o que não achamos necessário”. Isso incluiu o maior hobby de Steve: jantar fora. “Nós só saímos para comer uma ou duas vezes por mês, e eu adoro sair para comer”, diz ele. “Mas sempre pensava: esse gasto vale o que poderíamos estar poupando? Isso tornou muito fácil dizer não a certas coisas. No final do dia eu concluía: ‘não gosto de restaurantes suficientes para trabalhar nos próximos 30 anos da minha vida’”, diz Steve.

    Diminua ainda mais os gastos

    Além de eliminar jantares em restaurantes e outras despesas diárias desnecessárias, o casal reduziu grandes custos. Para começar, venderam sua casa com piscina para comprar um trailer, onde atualmente moram desde abril de 2016.

    As economias foram drásticas. Eles também venderam os carros, o sedã Chevrolet Corvette e a picape Honda Ridgeline. O casal agora gasta cerca de US$ 30 mil por ano, cerca de R$ 97.500. Suas maiores despesas mensais são agora diesel para abastecer o trailer e cuidados com a saúde, que custam US$ 250 por pessoa por mês.

    Economize uma quantia considerável da sua renda

    Graças a redução de despesas do dia-a-dia e a redução mais radical com custos maiores, o casal conseguiu poupar cerca de 70% da renda conjunta, que deu uma quantia média de US$ 200 mil por ano. “Nós guardamos cerca de dois terços da renda de Courtney, investimos o restante e vivemos com cerca de 50% da minha”, conta Steve. Quando o casal conseguiu juntar um bom dinheiro, mantiveram uma bom rendimento porque aprenderam administrar bem a vida financeira e se adaptaram ao novo etilo de vida.

    Faça investimentos

    Eles não apenas pouparam muito dinheiro, mas também colocaram o dinheiro para trabalhar. “Apenas poupar não vai fazer com que você fique rico”, afirma Steve. “Esse é definitivamente um bom começo, mas para ficar rico é preciso investir esse dinheiro”. Parte do salário da Courtney, era direcionado exclusivamente para uma carteira de investimentos.

    Segundo Steve, é preciso se concentrar no “prêmio” da aposentadoria: a qualidade de vida e a possibilidade de viajar ou fazer qualquer coisa que quiser. Os esforços para conseguir se aposentar mais cedo são grandes, mas valem a pena. Crie um estilo de vida que reduz suas despesas e maximize suas economias. Em seguida, coloque suas economias extras para funcionar e ganhar mais dinheiro.

    Até mais.

    Convidados

    Casal triplicou sua renda depois de largar emprego para viajar o mundo

    11 de agosto de 2017

    Gabriel e Lívia Lorenzi criaram o Grupo Dicas: conjunto de blogs com dicas sobre diferentes destinos ao redor do mundo

    Os melhores cartões de crédito para acumular milhas

    Um casal paulista, Gabriel e Lívia Lorenzi, tem o trabalho considerado por muitos como o melhor do mundo: eles ganham dinheiro viajando depois de criarem o Grupo Dicas, um conjunto de blogs com informações sobre diferentes destinos ao redor do mundo. A renda mensal do casal triplicou desde que saíram de seus empregos para se dedicarem exclusivamente ao negócio próprio. Em entrevista ao portal de finanças InfoMoney, Gabriel, de 29 anos, contou que a criação da empresa transformou a vida do casal. A primeira viagem foi em 2008. “Nós nunca tínhamos saído do Brasil. Aos 21 anos conseguimos ir para Orlando e Miami. Passamos um mês por lá e realmente nos apaixonamos. Quando voltamos tivemos a ideia de criar um blog sobre a viagem com dicas do que fazer, onde ir, onde comprar, melhores passeios. Um tempo depois criamos o Grupo Dicas”, explica.

    No ano seguinte, o casal voltou para os Estados Unidos, e dessa vez visitaram Califórnia e Las Vegas, e o segundo blog nasceu com dicas e orientações sobre os novos destinos.

    Conforme a empresa foi crescendo, a carreira de ambos mudou. Estudantes da Universidade Presbiteriana Mackenzie, ele fez publicidade e Lívia biologia. Em 2015 eles estavam estabilizados: Gabriel trabalhava com Marketing Digital no Itaú e ela com pesquisa na Natura. No entanto, ambos largaram os empregos, que administravam ao mesmo tempo com negócio próprio, para se dedicarem integralmente ao Grupo Dicas. E deu certo, embora tenha sido uma decisão difícil.

    “Em toda nossa história nesses oito anos, sem dúvida, a maior dificuldade foi decidir se iríamos ou não largar tudo para nos dedicarmos aos blogs”, revela Gabriel. Ele conta que sempre quis ter um negócio próprio, mas nada tinha dado certo até a criação do site. “Ficamos em cima do muro, era um negócio com um alto risco. Mas deu certo”, conta aliviado. Com a decisão, o casal passou a ganhar três vezes mais por mês em relação ao que ganhavam em seus empregos antigos.

    Hoje o site conta com 21 blogs de vários destinos diferentes. Gabriel conta que o investimento inicial da empresa foi de cerca de R$ 1 mil. “Com o conhecimento de marketing digital que eu tenho, fui fechando parcerias e monetizando o site e começamos a ganhar algum dinheiro um ano depois que lançamos. Além disso, investimos parte do dinheiro que ganhamos com as novas viagens e o negócio foi acontecendo”, conta. Segundo o publicitário, de 2012 para cá, o site vem crescendo cerca de 30% ao ano. Em 2016, o aumento foi de 36% em relação ao ano anterior.

    O crescimento orgânico da empresa foi impulsionado pelo número de páginas vistas, que chega a cerca de 5 milhões ao ano, e parcerias em negócios como reservas de hotéis, aluguel de carros, venda de chips de telefone para usar no exterior, seguros de viagem e ingressos para atrações turísticas.

    As viagens duram de 15 a 30 dias em média, e dependendo da estrutura do local o casal já prepara o conteúdo do blog durante o passeio. Hoje a equipe conta com 7 redatores que produzem os textos dos destinos. “Temos um pessoal freelancer que trabalha com a gente, eles escrevem sobre o destino que já viajaram e ajudam a gente a alimentar o site. Não estávamos dando conta”, explica. O casal desenvolve um planejamento para cada viagem, na tentativa de conseguir o roteiro mais econômico possível.

    Os 21 blogs oferecem dicas sobre: Orlando e Miami, Las Vegas, Nova York, Paris, Barcelona, Roma e Vaticano, Londres, Canadá, Aruba, Punta Cana, entre outros. Desse total, 19 deles já foram já foram visitados pelo casal, com exceção de Amsterdã e Berlim, destinos da próxima viagem e que já contam com um roteiro de dicas no site. “A maioria dos blogs montamos depois de ir para o lugar, mas nesse caso, primeiro criamos o blog com pesquisas e ajuda dos redatores, e em breve vamos conhecer as cidades e atualizaremos com novas informações”, revela.

    Embora a empresa já tenha tido um escritório físico em São Paulo, hoje tudo é online e os redatores trabalham de casa, assim como eles. O perfil no Instagram conta com mais de 6 mil seguidores e é uma forma complementar de orientar as pessoas sobre os pontos turísticos e cidades que visitam ao redor do mundo.

    Gabriel afirma que o próximo passo é aumentar o número de lugares que eles conhecem para ter ainda mais opções de destinos no site, sem mudar a estrutura. “Está dando certo nesse modelo que montamos, então vamos manter, mas aumentar a quantidade de conteúdo que temos”, diz.
    infomoney.com.br/negocios/noticia/6869632/casal-triplicou-sua-renda-depois-largar-emprego-para-viajar-mundo

    Geral

    Habilidades para aprender online e lucrar mais em 2017

    27 de dezembro de 2016

    O mercado de trabalho tem demandas para o próximo ano, as quais que você pode conseguir. Quanto mais qualificação, melhores as chances de um profissional conseguir subir na carreira e atingir a posição almejada. Para tornar-se desejado no mercado de trabalho, o desenvolvimento das habilidades é importante, logo, com a chegada da educação à distância, isto ficou mais fácil e barato.

    O site Entrepreneur, através do artigo 6 Skills You Can Learn Online for a Lucrative and Productive 2017, fez uma lista com 6 habilidades que podem ser aperfeiçoadas ou adquiridas pela internet e serão bem quistas no ano que está para chegar. Veja abaixo:

    6 Skills You Can Learn Online for a Lucrative and Productive 2017

    1) Programação e web design

    Em uma era de transformação digital, cada vez mais empresas, de diversas áreas, buscam pessoas com conhecimento em programação e web design. Isso porque qualquer produto deve ter um espaço online para ganhar escala atualmente.

    Há diversos sites que ensinam essas habilidades, entre eles o Udemy, a Codeacademy, o Khan Academy e o How To Build Websites.

    2) Estatística e análise de dados

    Também com altíssima demanda, o aprendizado de Mini-tab e SPSS, por exemplo, tem aplicações nas mais diversas áreas. Para conhecer mais sobre essas áreas e aprender a manejar essas ferramentas, é possível fazer consultas em sites especializados ou conversar com profissionais da área.

    3) Pesquisa de negócios

    Sabendo realizar pesquisas de mercado, o profissional poderá trabalhar nos horários que preferir e vender seus insights da maneira que achar mais vantajosa. É possível ser sócio de companhias ou oferecer relatórios pontuais. Para aprender mais sobre a área, leia artigos e reportagens e assista a vídeos relacionados.

    4) Blog

    Ter um blog não é o suficiente para ganhar dinheiro: é preciso saber como rentabiliza-lo. Existe muito conteúdo disponível, mas os primeiros passos são descobrir qual temática mais combina com você e para que público deve direcionar o conteúdo.

    Sabendo fazer blogs, um profissional pode acabar se tornando referência e sendo chamado para criar páginas de clientes.

    5) Design de moda

    Marcas independentes estão em alta e podem ser uma ótima fonte de renda para quem se interessar. A internet tem sites que ensinam a desenhar, produzir e até mesmo vender roupas.

    6) Maquiagem

    Pessoas que sabem fazer boas maquiagens conseguem usar essa habilidade para ganhar dinheiro maquiando terceiros ou ainda ensinando auto maquiagem a terceiros. Não faltam vídeo-aulas no YouTube e sites sobre o assunto.

    Até mais.

    Geral

    Em 8 anos, um casal paga todas as dívidas e fica milionário antes dos 40

    26 de dezembro de 2016

    How One Couple Climbed Out Of Debt And Became Millionaires In Their 30s

    Em apenas 8 anos, um casal canadense consegue pagar todas as dívidas e ficam milionários. O objetivo agora é alcançar a independência financeira. A história financeira deles começa após se formarem na faculdade em 2003. Ele engenheiro, ela farmacêutica. Ambos tinham uma renda anual conjunta de US$ 85 mil, aproximadamente R$ 309 mil. A quantia parece muito menor quando é levado em consideração todas as suas dívidas: financiamento estudantil de US$ 40 mil, dívida de carro novo de US$ 25 mil e uma hipoteca de US$100 mil.

    Quando começou o blog Million Dollar Journey, em 2006, o casal canadense tinha US$ 200 mil e pretendia, além de quitar todas as dívidas, acumular $ 1 milhão até o final de 2014. A ideia, que começou quando ele tinha 27 anos, foi concretizada quando ele alcançou os 35.

    Para alcançar o sonho de se tornar milionário, FrugalTrader (que se mantém no anonimato por divulgar valores reais em seu blog), afirma que o segredo é pagar todas as dívidas primeiro antes de pensar em juntar dinheiro. Além disso, comenta que é necessário comprar com consciência e não gastar tudo de uma vez. “Eu acredito que o segredo está no controle de gastos e na ética de trabalho que desenvolvi desde pequeno”, escreve em seu blog. “Eu sempre guardei meu dinheiro, algo que aprendi com meus pais. Eu guardava a maior parte do meu salário [15-20%], o que ia para uma conta no banco ou para um fundo de investimentos”.

    FrugalTrader começou a investir aos 16 anos de idade sob a influência do pai, que era obcecado com o mercado de ações e costumava trazer amigos em casa para conversar sobre o assunto. Quando conseguiu seu primeiro emprego no 2º ano do Ensino Médio, passou a investir de US$ 20 a US$ 50 por mês.

    Na faculdade trabalhou para pagar as mensalidades e conseguiu terminar o curso com a conta bancária no verde (sua mulher que precisou dos financiamentos estudantis). Foi durante a faculdade que aprendeu mais sobre investimentos, colecionando mais de 80 livros de finanças pessoais e de investimentos em sua prateleira.

    Quando os dois conseguiram o diploma de graduação compraram uma casa com dois andares. A ideia era morar no andar de cima e alugar a parte de baixo, de modo a gerar uma renda extra e pagar a hipoteca. Porém, com a chegada do primeiro filho (hoje são dois), o lugar ficou pequeno e eles tiveram que se mudar.

    Desanimados com o cenário de aluguel de imóveis, o marido passou a procurar por ações de rendimentos a fim de pagar as despesas da família. Dentre as 40 ações que eles têm atualmente, estão papéis da Johnson & Johnson e da Coca-Cola.

    Além das ações de rendimentos, FrugalTrader aplica também em fundos de índice, investimento que considera vantajoso por ser barato e fácil. Ele também afirma que visa o longo prazo e, por isso, suas aplicações são de grande risco: 95% de seu portfólio está alocado em ações e apenas 5% em títulos.

    As fontes de renda não param por aí. Mesmo após o primeiro milhão, o trabalho fixo e integral ainda faz parte da rotina do casal, que conseguiu aumentar a renda anual para US$ 105 mil. O rendimento total também depende de horas extras trabalhadas e de trabalhos freelances prestados, como consultoria financeira. O abastecimento do próprio blog, Million Dollar Journey, também está agregando valor.

    Segundo FrugalTrader, o segredo para alcançar o milhão é, além de investir, gastar menos dinheiro do que ganha. “Pode parecer cliché, mas é a verdade. Viver somente com o necessário gera caixa positivo, o que é indispensável para pagar suas dívidas de forma eficaz e para comprar bons ativos de longo prazo”, escreve.

    Visando conter gastos, o casal mudou de estilo de vida e está se adaptando à nova proposta: eles passaram a levar marmita para o trabalho, substituíram jantares em restaurantes pela comida caseira, alugam livros na biblioteca ao invés de comprá-los e optam por produtos mais duráveis quando vão às compras.

    Após alcançarem a marca do US$ 1 milhão alguns meses antes do planejado, o foco agora é construir um portfólio com bons rendimentos a fim de obter a independência financeira. FrugalTrader acredita ser necessário um portfólio de US$ 1,3 milhão para que seja possível sair de seu trabalho fixo.

    A família, que costuma fazer uma grande viagem a cada dois anos, também quer viajar mais. Outro objetivo é juntar patrimônio suficiente para pagar a graduação de seus dois filhos, no qual prevê um período de 17 anos para acumular determinada quantia. Enquanto isso, as crianças são ensinadas em casa sobre a importância e o valor do dinheiro.

    Aos novos navegantes, FrugalTrader aconselha: “Se você tem o mesmo objetivo e gostaria de começar, o meu conselho é estabelecer uma grande meta para si mesmo. Quebre esse objetivo em pequenas partes e você se surpreenderá com o resultado. Só não se esqueça de manter essa meta na sua frente, seja no seu computador, no fundo de tela do celular, ou em post-its no espelho; ter uma indicação constante é a chave essencial”.

    Até mais.

    Em apenas 8 anos, casal paga todas as dívidas e fica milionário antes dos 40

    Geral

    Sinais de que você está no emprego certo…

    7 de dezembro de 2016

    O cansaço pode ser simplesmente um sinal de que a pessoa precisa de férias, e não necessariamente de um novo emprego!

    Várias pessoas provavelmente passam de 40 horas ou mais no seu ambiente de trabalho. Isso é sinal de que estar no emprego certo é importante para manter o bom humor, a sanidade e o ímpeto de viver.
    Então, como saber se esse emprego é o certo para você? Muitas vezes essa não é uma resposta óbvia – principalmente quando se está no início da carreira e há muitas dúvidas pairando sobre as próximas fases da vida.
    O blog Business Insider separou uma lista de 13 itens que demonstram que um profissional está no lugar certo – mesmo que não saiba disso.

    woman think thinking considering listening

    13 signs you’re in the right job, even if it doesn’t feel like it

    Confira:

    Dinheiro não é um problema

    Qualquer emprego dos sonhos pode virar um pesadelo se as contas não são pagas no fim do mês. E isso não é o suficiente: é preciso sentir que seu esforço realmente está sendo recompensado.

    Você quer o emprego do seu chefe

    Ter aspirações também é importante: o emprego ideal passa longe de pressupor estagnação. A vontade de ocupar a cadeira acima muitas vezes significa que você tem aptidão para tal.

    O tempo voa

    Quando oito horas diárias parecem passar rápido, provavelmente significa que você está em um lugar que lhe faz bem.

    Não há necessidade de tomar café toda manhã

    Ter o hábito de tomar café é comum, mas necessitar disso para ter energia para ir ao trabalho todas as manhãs seria um mau sinal.

    Existe pressão

    Superiores que impulsionam seus funcionários a realizarem cada vez mais e melhor são sinal de comprometimento. Ao mesmo tempo, é preciso dar apoio aos empregados, mas sem que sejam muito “bonzinhos”.

    Seus colegas são amigos

    O espírito de equipe é essencial em um ambiente de trabalho. Ainda que haja um nível saudável de competição, ter afinidade com os colegas de trabalho é um fator importante para o reconhecimento do emprego certo.

    Você tem tempo para si mesmo

    Empregos que sugam todo o tempo de seus funcionários definitivamente não são ideais. A balança entre trabalho, vida pessoal e relações com seus amigos e familiares deve estar equilibrada.

    O domingo é um dia calmo

    O ódio aos domingos é um sintoma do desespero de algumas pessoas resultante da proximidade da semana de trabalho. Se você conseguir aproveitar seu final de semana para realmente descansar, conte isso como um ponto positivo.

    Você fica feliz às segundas

    Seu bom humor no início da semana é incompatível com a cara fechada de seus colegas? Pode anotar isso como mais um ponto positivo.

    Sempre existe assunto sobre seu trabalho

    Contar diversas histórias positivas sobre o emprego o tempo inteiro não é um hábito de pessoas que não gostam de seus ambientes de trabalho.

    A empresa está indo bem

    Por mais que você goste do seu trabalho, estar em uma empresa à beira da falência nunca é um bom sinal.

    Tarefas simples não incomodam

    Praticamente todas as posições empresariais exigem algum tipo de trabalho burocrático. Às vezes você reclama delas sempre que aparece, em outras, está ok em cumpri-las.

    Você se desafia e arrisca

    A possibilidade de sair da zona de conforto é um fator positivo no ambiente de trabalho. Para tanto, sua empresa precisa fazer a parte dela: incentivar mudanças e não punir ferozmente erros que fazem parte do processo.

    Até mais.

    Geral

    Entrevista: Comprar imóvel não faz sentido

    7 de novembro de 2016

    Existem razões comuns pelas quais as pessoas compram imóveis, mas uma investidora canadense vem detonando quem investe neste tipo de negócio. Comprar uma casa pode ser o sonho de muitas pessoas, pois é símbolo de status e segurança, além de significar uma vida mais estável e tranquila, porém a canadense Kristy do Millenial Revolution discorda disto piamente. Ao se tornar milionária, ela decidiu não comprar uma casa própria e investiu seu dinheiro. Na entrevista abaixo ela contou mais sobre seus projetos, interesses e investimentos:

    Ficam com raiva quando mostro que comprar imóvel não faz sentido, diz blogueira milionária

    De acordo com ela, suas aplicações atualmente estão focadas em ETFs (Exchange Traded Funds) sendo 60% em fundos de índice de ações e 40% em fundos de índice de renda fixa. Esse tipo de investimento é bastante recomendado para quem pensa em aplicar no longo prazo, uma vez que eles permitem uma boa diversificação ao investidor.

    Kristy conta que a maior parte da reação das pessoas quando conta que não pensa em comprar uma casa é de descrença e raiva. “Ficam com raiva quando mostro que comprar imóvel não faz sentido. Eles continuam a insistir que nós faríamos mais dinheiro se comprássemos uma casa ao invés de viver de aluguel e investir. Nós respondemos mostrando que a matemática mostra outra realidade”, comenta.

    Atualmente, financeiramente independente, a blogueira conta que ela e seu marido trabalham voluntariamente enquanto viajam o mundo. Assim, podem escolher trabalhar naquilo que estão interessados ao invés de correr atrás de um salário. “É uma diferença enorme das longas e estressantes horas que tínhamos quando trabalhávamos. Estamos muito felizes e sem arrependimentos”, atesta.

    Ainda em relação a seus investimentos, Kristy comenta que para se proteger de cenários de crise, como o que o Brasil vive atualmente, ela tenta denominar boa parte de seus investimentos em dólar e diversificar em índices americanos. “Assim evitamos o viés do país natal”, assegura a blogueira.

    Sobre dividir sua trajetória na internet, ela conta que encontrou muitos “haters” que criticaram suas decisões, mas também muita gente veio agradecer. “No geral tem sido uma experiência positiva dividir conhecimento sobre investimentos online”, crava.
    infomoney.com.br/onde-investir/fundos-de-investimento/noticia/5610127/ficam-com-raiva-quando-mostro-que-comprar-imovel-nao-faz

    Até mais minha nobre e querida gentém!

    Geral

    Formas de ganhar dinheiro online

    23 de fevereiro de 2016

    Em mais um podcast espetacular, os Irmãos Prezia, criadores do Canadá para Brasileiros, explicam de forma muito elucidativa diversas formas para você faturar aquela grana online.

    Entre os tópicos abordados estão estes a seguir:

  • ADS / Anúncios:
    Não deixem de conferir também: Qual o melhor programa de associados para o seu site?
  • Você pode ter uma renda regular com seu site / blog / canal no Youtube utilizando do popular recurso do Google Adds / Youtube adds.
    Vantagem: baixo custo / investimento.
    Desvantagem: faturamento limitado.

  • Venda de anúncios
  • Nós contamos um pouco de nossa experiência de quase uma década vendemos anúncios para empresas no Canadá e Estados Unidos.
    Vantagem: baixo custo / investimento / dá para faturar mais do que os Ads do Google.
    Desvantagem: Dá muito trabalho, fazendo prospecções, reuniões e visitas a potenciais anunciantes.

  • Afiliados
  • Você pode ganhar dinheiro vendendo produtos e serviços de terceiros.
    Comentamos sobre o caso do empreendedor norte-americano Pat Flynn, que fatura centenas de milhares de dólares / ano indicando e recomendando produtos na internet.
    Vantagem: baixo custo / investimento / possibilidade de ótimo faturamento.
    Desvantagem: o produto não é seu – ou seja, a qualidade e garantia do produto que você está vendendo não está sobre seu controle.

  • Comercio online
  • Contamos um pouco sobre nossa experiência de 9 anos com uma empresa de comércio online.
    Vantagem: possibilidade de bom faturamento.
    Desvantagem: muito trabalho, principalmente com “customer service”.

  • Prestar Consultoria Online
  • Se você é especialista numa determinada área ou assunto, você pode prestar consultoria sem sair de casa.
    Exemplo citado no podcast: site de advogados em que você paga para ter um parecer jurídico.
    Vantagem: baixo custo / investimento.
    Desvantagem: consumo horas de trabalho, o que deixa mais difícil de você conseguir multiplicar o faturamento.

  • Venda de conteúdo
  • Contamos um pouco porque nós consideramos essa categoria de negócio online como uma das mais atraentes.
    Vantagem: possibilidade de ALTO Faturamento
    Desvantagem: exige maior investimento de tempo e dinheiro.

  • Software
  • Vantagem: possibilidade de ALTISSIMO Faturamento (uma vez que é um modelo que possibilita facilmente você de multiplicar as vendas).
    Desvantagem: exige um investimento mais elevado e qualificado / serviço de suporte.

    Aqui é empreendedorismo diretamente na veia. Não deixem de conferir:

    Audio Bônus: as 7 formas de ganhar dinheiro online
    Logotipo dos Irmãos Prezia, criadores do Canadá para Brasileiros

    Veja também:

    http://mentalidadeempreendedora.com.br/empreendedorismo-digital/como-ganhar-dinheiro-na-internet

    Até mais.

    Convidados

    Marketing com Guest Post

    17 de outubro de 2014

    Guest Post ainda continua sendo uma forma válida de se conseguir fazer marketing na internet, contudo é preciso tomar alguns cuidados para que em vez de se estar praticando Guest Post não se estar praticando Guest Spam. Antes de tudo, para quem não sabe, Guest Post significa Postagem Convidada, ou seja, o Guest Post caracteriza-se quando você publica um artigo de autoria de outra pessoa que foi convidada para escrever para seu blog.

    O Guest Post para SEO é uma faca de dois gumes, pois tanto pode prejudicar como pode colaborar para a otimização de seu site. O que diferencia uma boa prática de Guest Post das ruins são alguns pontos que citarei no decorrer deste artigo.

    Como Criar Guest posts com prudência

    Quando você vai criar um Guest Post você deve levar em consideração os seguintes pontos:

    Nichos dos Sites

    Jamais escreva para sites com nichos distintos do seu. Se o objetivo é conseguir um backlink, para que ele tenha algum poder, o site onde o post é publicado precisa ser do mesmo nicho ou ao menos de nichos relacionados. Por exemplo, se o seu site é sobre ganhar dinheiro na internet, você pode publicar guest posts em sites que falam sobre economia, otimização de sites (SEO), investimentos, a arte de blogar, etc, mas jamais em sites que falam sobre emagrecimento, saúde, maquiagem, etc.

    Quantidade de Links Externos

    Um artigo contendo inúmeros links externos pode ser considerado uma prática de spam. Então, sempre que for criar guest posts coloque no máximo 2 links externos. Além disso, colocar muitos links externos pode fazer o dono do site recusar a publicação do seu artigo, por entender que você está apenas fazendo campanha de si próprio ou de seu site.

    Tamanho do Artigo

    Um bom guest post deve possuir em média 600 palavras. Um texto muito curto pode prejudicar o SEO do guest post e além disso pode parecer muito amador para o dono do site publicá-lo. Então sempre aconselho a escrever artigos com no mínimo 500 palavras. Neste ponto também é importante não utilizar-se de muitos rodeios, procure preencher as 500 palavras do post sendo o mais objetivo e direto ao ponto possível.

    Erros de Gramática

    Ninguém é tão perfeito a ponto de não cometer nenhum erro de gramática ou de concordância nos textos em que escreve. Mas é sempre aconselhável ler e reler o que foi escrito, e caso encontre algum erro, corrija-o imediatamente. Um grande erro das pessoas que escrevem para outros blogs é não ler o que foi escrito. Um texto repleto de erros hediondos só vai fazer o seu guest post ser negado e rejeitado pelo dono do site. É preciso entender que todo mantenedor de sites possui uma certa responsabilidade para com seus leitores, e publicar textos visivelmente amadores só prejudicará a reputação dele e do seu site. Então, se você quer que seu artigo como convidado seja realmente publicado, evite ao máximo cometer erros hediondos de gramática e concordância.

    Originalidade

    Se você pretende criar um único artigo e replicá-lo em diversos sites, pode perder suas esperanças. Sites de real respeito jamais publicarão artigos repetitivos, pois isto é prejudicial para SEO. Se você quer ter textos seus publicados em vários sites, para cada site escreva um novo artigo, original, e relativo ao nicho do site. O Google e demais buscadores e indexadores identificam facilmente textos repetitivos, e dentre eles, apenas um ganhará o crétido e os benefícios da originalidade. Então, de que adianta ter vários textos inócuos que não irão agregar nenhum valor (pois eles não possuem valor para o Google) para o seu site e nem para o site em que foi ele publicado?

    Qualidade do Conteúdo

    Um dos fatores mais importantes quando se escreve algo é a qualidade do conteúdo. Ou seja, o conteúdo é realmente útil, informativo, curioso, ou apenas “mais do mesmo”? Sempre que for escrever um guest post para um site, faça uma breve pesquisa dos artigos já publicados nele e procure escrever sobre algo que realmente venha a agregar valor ao site. Escreva algo que seja relevante para os leitores do blog ou site que irá publicar o seu artigo. Nada é pior do que conteúdos irrelevantes ou que não trazem nenhuma informação nova para os leitores. Há um ditado que diz que o conteúdo é rei, e para guest posts isto continua sendo uma verdade.

    Legibilidade do texto

    Procure dividir o texto em trechos, use títulos e subtítulos e destaque seções colocando-as em negrito. Isto facilita a leitura e o entendimento para o leitor. Neste quesito outro ponto importante é evitar o uso demasiado de termos técnicos. Por outro lado, utilizar gírias a torto e a direito no texto também não é uma boa ideia. O ideal mesmo é escrever conforme o nível do site para o qual você escreve. Se você está escrevendo para um blog pessoal não haverá problema em utilizar-se de gírias e linguajar mais despojado, já se estiver escrevendo para um site de uma empresa (blog ou não) o mais certo é escrever sem muito coloquialismo.

    Conclusão

    Levando em consideração as dicas citadas neste artigo você conseguirá escrever guest posts de forma mais prudente, que agradará tanto os motores de busca e indexação como também os donos de sites e blogs. Uma das principais razões para donos de sites recusarem guest posts submetidos a eles é que o texto trata-se na verdade de uma propaganda de um produto ou serviço. Se você quer apenas divulgar um produto ou serviço o mais indicado é um artigo patrocinado e não um guest post.

    Por fim, a última dica é não abusar de guest posts. O surgimento repentino de vários links de volta para seu blog ou site pode fazer a bandeirinha de “Spam Identificado” do algoritmo de qualificação e indexação de sites ser erguida e com isto o seu site pode ser penalizado pelo Google.