Lições que a derrocada de US$ 30 bi de Eike deixa para o mercado
Geral

Lições que a derrocada de US$ 30 bi de Eike deixa para o mercado

3 de outubro de 2013

A menina-dos-olhos de Eike Batista, OGX Petróleo (OGXP3), está prestes a entrar em recuperação judicial após dar um calote de US$ 44,5 milhões na última segunda-feira. Outras empresas perdem com isto além da própria empresa, pois os maiores credores nos Estados Unidos, como a Pimco e a BlackRock, também devem perder milhões com a OGX, desta forma milhares de acionistas que arriscaram investir nas empresas da EBX, estão neste mesmo barco.
Sendo assim foram listado algumas lições para os investidores de alguns sinais para se observar e evitar alocar dinheiro nestes tipos de empresa, como:
– Evite companhias que “ninguém entende o que acontece”;
– Cuidado com a “falta de transparência”;
– Cuidado com a “porta giratória”, ou “dança das cadeiras” dos executivos.
– Atenção à diferença entre as metas e a realidade;
– CEOs devem ser bons gerentes e não apenas bons vendedores;
– Ego dos CEOs pode causar problemas.

A reportagem da Bloomberg fala até coisas muito óbvias para quem faz uma análise de risco antes de definir onde aportar os seus investimentos, mas muitos investidores tomados pela ganância do “lucro” rápido e fácil, acabam omitindo muito do real risco em suas análises. Então acabam caindo nestas imensas ciladas do mercado financeiro, que não é a primeira e nem é a última. Assim que esfriar na memória das pessoas, outros oportunistas aparecerão com seus golpes.

Leia também:

Até o próximo post.

9 Comments

  • Reply Vilmar 1 de junho de 2015 at 16:08

    CASO LUPATECH
    “Qualquer um que dependa muito da Petrobras será prejudicado”, diz criador de hedge fund

    http://www.infomoney.com.br/bloomberg/mercados/noticia/4075829/escandalo-petrobras-leva-lupatech-falencia-com-queda-petroleo

  • Reply Vilmar 26 de março de 2015 at 10:02

    25/03/15 – 17h10 – Lara Rizério
    Investimentos do Postalis: empresas X, títulos da Argentina, Venezuela e bancos liquidados
    Imagem
    O resultado foi um déficit atuarial de R$ 5,6 bilhões no Postalis, provocado por investimentos suspeitos, pouco rentáveis ou que não tiveram ainda rendimento repassado ao fundo
    SÃO PAULO – Nesta semana, o déficit atuarial de R$ 5,6 bilhões do Postalis e como ele atingiu os funcionários dos Correios veio à tona. Em matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, destacou-se que partiu do Conselho deliberativo do fundo de pensão dos funcionários que houvesse um corte de até 25,98% nos contracheques dos funcionários. O rombo será avaliado ano a ano, com base na evolução das operações.

    E a medida para combrir o rombo, que é alvo de protestos por funcionários dos Correios, mostram uma série de investimentos pouco razoáveis para um fundo de pensão.

    Dentre eles, aplicações atreladas à Venezuela e à Argentina, em companhias de Eike Batista e em bancos liquidados como o Cruzeiro do Sul e o Banco BVA.

    Os investimentos no grupo EBX, de Eike Batista, correspondiam a 1,6% dos investimentos em renda variável do instituto, conforme informou o Postalis. Hoje, não há ativos do grupo em carteira. Assim, o Postalis também estava entre os vários fundos de pensão que perderam dinheiro quando o império de commodities e petróleo do então homem mais rico do Brasil, Eike Batista, veio abaixo. Muitas das empresas de Eike estavam listadas no Ibovespa.

    Além disso, o Postalis era o único investidor de um fundo administrado pelo Bank of New York Mellon Corp. que mantinha uma cesta de títulos estruturados ligados à Venezuela e à dívida argentina. O investimento perdeu 65% de seu valor desde que a Argentina deu calote, em agosto. O fundo comprou as notas em dezembro de 2011, quando era gerenciado pela Atlântica Administração de Recursos Ltda.

    A perda de dinheiro também aconteceu através de aplicações em papéis de bancos como o BVA e o Cruzeiro do Sul, além da financeira Oboé, que quebraram. O Postalis comprou letras financeiras ou investiu em fundos de bancos brasileiros de segunda linha que foram liquidados pelo BC em 2012 em meio a acusações de fraude e falta de capital.

    Depois de acumular déficits todos os anos desde 2011, o Postalis tem um buraco de R$ 5,6 bilhões que ofusca seus R$ 5 bilhões em ativos, segundo dados públicos. Agora, o fundo de pensão, que foi criado em 1981, está pedindo para cerca de 100.000 funcionários dos Correios aumentarem suas contribuições por 15,5 anos como saída para equacionar o déficit.

    O Postalis informou a Bloomberg, por e-mail, que está tomando as providências legais para reverter as perdas e está também reestruturando seu portfólio de investimentos para melhorar seu desempenho. O Postalis está cooperando com as autoridades e espera que a investigação o ajude a recuperar fundos, disse a segunda fonte com conhecimento do assunto. A Previc, o BC e a CVM não quiseram comentar sobre a investigação. O MPF não retornou e-mails e telefonemas em busca de comentário.

    E os maus investimentos do Postalis remontam à crise de 2008. O fundo de pensão apostou em um fundo que adquiriu R$ 18 milhões em notas do Lehman Brothers em agosto de 2008, um mês antes de o banco entrar com pedido de falência, segundo dados da CVM.

    O BNY Mellon, com sede em Nova York, disse em um comunicado por e-mail, na semana passada, que as acusações judiciais contra a instituição são “sem fundamento” e que o investimento foi feito pela Atlântica, gestora do fundo, que foi contratada pelo Postalis.

    A série de investimentos do Postalis que está sob investigação foi realizada durante o período de seis anos, até 2012, em que Alexej Predtechensky foi CEO do fundo, segundo uma das fontes ouvidas pela Bloomberg. O advogado de Predtechensky, Luiz Otávio Villela, disse que seu cliente agiu de acordo com a lei e com as condições de mercado na época, segundo um comunicado enviado por e-mail.

    (Com Bloomberg)

  • Reply Vilmar 11 de fevereiro de 2015 at 13:46

    Gráfico PRML3, outra pré-operacional de “sucesso”:

  • Reply Vilmar 6 de fevereiro de 2015 at 17:46

    Familia-x juntos rumo ao pó!!!
    Eike Batista e família têm R$ 3 bi em bens bloqueados pela Justiça – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/ogxpetroleo/noticia/3847921/eike-batista-familia-tem-bens-bloqueados-pela-justica

  • Reply Vilmar 30 de setembro de 2014 at 17:10

    PRML3
    0,89▼4,30%16:50

    tem espaço para cair muito maisssss!!
    mais um sonho de ilusão do senhor x, a antiga draga llx, muda a nome, mas a qualidade é a mesma, ou seja, zero!!

  • Reply Vilmar 18 de agosto de 2014 at 23:18

    http://economia.ig.com.br/empresas/2013-09-16/sou-o-maior-perdedor-nisso-tudo-diz-eike-batista-sobre-colapso-do-grupo-ebx.html
    “Sou o maior perdedor nisso tudo”, diz Eike Batista sobre colapso do grupo EBX
    Em entrevista ao jornal The Wall Street Journal, o empresário culpa os ex-executivos da petroleira OGX e a falta de sorte pela perda de dinheiro

  • Reply Vilmar 18 de outubro de 2013 at 14:02

    Até 5.700%: Veja quanto as ações X precisam subir para voltar ao preço máximo

    http://www.infomoney.com.br/onde-investir/acoes/noticia/3013727/ate-700-veja-quanto-acoes-precisam-subir-para-voltar-preco

  • Reply Vilmar 10 de outubro de 2013 at 19:05

    Eike Batista e família têm R$ 3 bi em bens bloqueados pela Justiça – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/ogxpetroleo/noticia/3847921/eike-batista-familia-tem-bens-bloqueados-pela-justica

  • Reply Vilmar 6 de outubro de 2013 at 01:29

  • Leave a Reply

    CAPTCHA *