Eneva pede recuperação judicial: mais um caso de sucesso do Eike!
Geral

Eneva pede recuperação judicial: mais um caso de sucesso do Eike!

10 de dezembro de 2014

Para quem não lembra, a Eneva é antiga MPX, a qual o Sr. Batista vendeu o controle para o grupo alemão E.ON. Hoje saiu na mídia que mais este caso de imenso “sucesso” do império X, conforme expectativa do mercado, entrou em RJ (Recuperação Judicial).

O sonho X acabou de fato. O castelo de areia segue ruindo.

Confira a reportagem a seguir:
Eneva
A empresa de energia Eneva (ENEV3), controlada pela alemã E.ON, entrou com pedido de recuperação judicial na Comarca do Estado do Rio de Janeiro, após não ter conseguido renovar acordo com bancos credores. O pedido ocorreu após a não revalidação do acordo para suspender a amortização e o pagamento de juros de operações financeiras contratadas pela companhia com os credores, expirado em 21 de novembro, disse a Eneva nesta terça-feira em fato relevante.
eneva antiga mpx
Além disso, a companhia assinou contrato de venda da Pecém I para a EDP Energias do Brasil (ENBR3) no valor de R$ 300 milhões. O montante compreende pagamento pela participação de 50% da Eneva no capital social da Pecém I e futura capitalização de créditos concedidos originalmente pela Eneva à Pecém I, no valor total de R$ 409,9 milhões, a ser efetivada no fechamento da transação, segundo comunicado da companhia enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3740875/desvio-petrobras-pode-chegar-eneva-entra-mais-noticias-radar

Veja também:

Até o próximo post.

13 Comments

  • Reply Vilmar 30 de junho de 2016 at 12:40

    Lopes Filho – 10h39 : Eneva informa sucesso no processo de recuperação judicial

    O Juíz da 4ª Vara Empresarial da Comarca do Rio de Janeiro decretou o encerramento do processo de recuperação judicial da Eneva e de sua subsidiária Eneva Participações S.A. O pedido de recuperação judicial havia sido apresentado em 9 de dezembro de 2014 com o objetivo de reestruturar um passivo de mais de R$ 2,4 bilhões em créditos concursais das Companhias. O Plano de Recuperação Judicial foi aprovado pelos credores em 30 de abril de 2015, tendo a decisão sido homologada pelo Juízo da 4ª Vara Empresarial da Comarca do Rio de Janeiro em 12 de maio de 2015, apenas quatro meses após a formulação do pedido. Notícia positiva para a companhia.

  • Reply Vilmar 13 de maio de 2016 at 14:08

    12h06 : Eneva reduz prejuízo no 1T16

    A Eneva apresentou uma recuperação relativa nos resultados, tendo fechado com prejuízo de R$ 93,9 milhões, frente a prejuízo de R$ 128,6 milhões no 1T15. A nível operacional, observa-se evolução positiva, tendo a receita líquida crescido 17,3% no 1T16, ao auferir R$ 438,5 milhões e o lucro da atividade tido acréscimo de 65,4%. Entretanto, o volume de despesas financeiras ainda é elevado e absorveu todo o resultado operacional, levando ao prejuízo reportado. O Ebitda do primeiro trimestre foi de R$ 107,9 milhões, 81,6% acima na comparação com o ano anterior.

  • Reply Vilmar 24 de março de 2016 at 17:39

    14h33 : Eneva divulga lucro de R$ 13,9 milhões no 4T15

    A Eneva apresentou lucro líquido de R$ 13,9 milhões no 4T15, ante prejuízo de R$ 1,4 bilhão no mesmo período de 2014. No acumulado de 2015, o lucro foi de R$ 142,6 milhões, contra prejuízo de R$ 1,5 bilhão no 12M14.

    A receita operacional líquida foi de R$ 465,1 milhões no trimestre encerrado em dezembro de 2015, avançando 26,3% em relação ao 4T14. Em 2015, a receita acumulada foi de R$ 1,5 bilhão, 15,5% inferior ao acumulado no ano anterior.

    O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado do 4T15 foi de R$ 207,8 milhões, contra Ebitda negativo de R$ 83,8 milhões no 4T14. No 12M15, o Ebitda acumulado foi de R$ 416,3 milhões, 92,5% acima do acumulado em 2014.

  • Reply Vilmar 23 de março de 2016 at 11:40

    11h09 : Eneva fará grupamento de ações

    Foi convocada Assembleia Geral Extraordinária para deliberação sobre a proposta de grupamento das ações da companhia, à razão de 100 para 1, passando o número de ações de 16.176.982.098 para 161.769.820 ações ordinárias, sem modificação do capital social. O objetivo do grupamento é manter os valores mobiliários de emissão da Eneva admitidos à negociação nos mercados organizados administrados pela BM&FBOVESPA, cotados dentro dos valores mínimos por ela estabelecidos. Notícia neutra.

  • Reply Vilmar 11 de novembro de 2015 at 13:33

    Eneva informa rescisão de acordo de acionistas

    Através de Fato Relevante, a companhia informou aos seus acionistas e ao mercado em geral que recebeu notificação acerca da rescisão de acordo de acionistas da Companhia celebrado em 23 de maio de 2013 e aditado em 30 de dezembro de 2014 entre DD Brazil Holdings S.à.R.L. (E.ON) e Eike Fuhrken Batista (“Eike Batista”). A Eneva informa, ainda, que nenhum acionista ou grupo de acionistas agindo em conjunto é detentor, atualmente, de mais de 50% das ações de sua emissão. Notícia, a princípio, neutra para a companhia.

  • Reply Vilmar 4 de setembro de 2015 at 14:56

    11h15 : Eneva anuncia aumento de capital

    Em aviso aos acionistas, a Eneva (ENEV) informou que foram cumpridas e/ou dispensadas pelos credores todas as condições precedentes previstas no Plano de Recuperação Judicial para realização da subscrição do aumento de capital aprovado pela AGE realizada em 26/08/15. Este aumento de capital ocorrerá em uma faixa de R$ 2 bilhões a R$ 3,6 bilhões, ao preço de R$ 0,15/ação (cotação em 03/09 de R$ 0,27) e será composto por parte em dinheiro, parte em integralização de ativos e parte em conversão de dívidas. A Eneva informou ainda que sua controlada Parnaíba II Geração de Energia S.A. firmou acordo com as instituições financeiras apoiadoras do projeto postergando o vencimento das suas dívidas, que passou a ser 30 de junho de 2016. Com essa postergação e o cumprimento ou dispensa das demais condições precedentes previstas no Plano de Recuperação da Companhia e de sua subsidiária ENEVA Participações S.A., será iniciado o processo de aumento de capital. São notícias bastante favoráveis no sentido da recuperação financeira da companhia. O efeito sobre as ações em Bolsa poderá ser positivo.

  • Reply Vilmar 13 de fevereiro de 2015 at 12:53

    eneva cai -30%, pobres comprados, pobres viuvinhas do eike, kkkkkk:

    DESTAQUES DA BOLSA
    Petrobras dispara 5%, Renner sobe 9% e Eneva desaba 30%; veja mais

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3865014/petrobras-vale-siderurgicas-sobem-mais-eneva-desaba

    • Reply Vilmar 17 de abril de 2015 at 11:21

      08h57- Lara Rizério
      BTG quer controlar Eneva

      Eneva
      A Eneva (ENEV3) suspendeu assembleia de credores e a retomará em 30 de abril. A companhia informou que a proposta dela visou a atender a recentes solicitações de credores das recuperandas para concessão de prazo adicional para análise dos termos e condições da versão ajustada do Plano de Recuperação das Recuperandas, apresentado perante o Juízo da 4ª Vara Empresarial da Comarca do Rio de Janeiro, em 10 de abril de 2015.

      E, segundo o Valor Econômico, o BTG Pactual negocia o apoio do Itaú BBA e do Citi para assumir o controle da Eneva, empresa controlada por Eike e pela E.ON. Os três bancos são credores da empresa e esperam reativar a ex-MPX.

      m.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3984828/vale-rebate-acusacao-btg-quer-controlar-eneva-esclarecimentos-petrobras-agitam

  • Reply Vilmar 12 de fevereiro de 2015 at 18:10

    12/02/2015 às 18h04
    Eneva pede recuperação judicial e prevê cortar até 65% da dívida
    Por Rodrigo Polito | Valor

    RIO – A Eneva, empresa de energia fundada por Eike Batista e controlada por ele em parceria com a alemã E.ON, apresentou nesta quinta-feira à 4ª Vara Empresarial da Comarca do Rio de Janeiro o seu plano de recuperação judicial. Para se recuperar financeiramente e manter sustentável suas operações, a companhia propõe a redução global de 40% a 65% do valor total da dívida, de R$ 2,33 bilhões, por meio de capitalização de créditos ou concessão de perdão da dívida.

    A empresa propõe ainda, de acordo com o plano, a realização de aumento de capital, no valor estimado de até R$ 3 bilhões, ao preço de emissão de R$ 0,15 por ação da companhia, composto por capitalização de créditos detidos por credores quirografários; aporte de ativos por parte dos acionistas, credores e investidores da companhia; e/ou em contribuição em moeda corrente.

    O plano também prevê o pagamento integral de até R$ 250 mil por credor quirografário, respeitado o valor do respectivo crédito.

    Segundo a empresa, em fato relevante divulgado nesta quinta-feira, as etapas do plano relacionadas ao aumento de capital estão sujeitas à oportuna deliberação em assembleia geral de acionistas.
    valor.com.br/empresas/3910266/eneva-pede-recuperacao-judicial-e-preve-cortar-ate-65-da-divida

  • Reply Vilmar 5 de fevereiro de 2015 at 08:35

    04/02/201520h39

    A Justiça Federal do Rio mandou bloquear todos os bens do empresário Eike Batista, dos filhos Thor e Olin, da atual mulher, Flávia Sampaio, e de Luma de Oliveira, ex-mulher.

    A Folha apurou que os efeitos da sentença vão além dos bloqueios efetuados no ano passado, que atingiram somente os saldos de contas bancárias.

    Desta vez, avançam também sobre imóveis, barcos, aeronaves e participações societárias. Assim, eles não poderão vender nem transferir seus bens.

    A defesa do empresário disse que não teve acesso à decisão (leia texto abaixo).

    O objetivo, segundo a decisão do juiz federal Flávio Roberto de Souza, da 3ª Vara Federal Criminal, é assegurar a retenção de até R$ 3 bilhões para indenizações e multas em caso de condenação em ações penais por crimes contra o mercado financeiro.
    fotografia.folha.uol.com.br/galerias/18849-ascensao-e-queda-de-eike-batista#foto-457988

    Eike já é réu em uma ação que o julga por supostamente ter vendido ações da então OGX, petroleira que fundou, com informação privilegiada (“insider trading”) e ter manipulado o mercado, ao comprometer-se a injetar US$ 1 bilhão de dólares na empresa, em outubro de 2012, numa operação chamada de “put” pelo mercado financeiro. Em crise, a empresa demitiu 25% de seus funcionários no último dia 21.

    Para o Ministério Público Federal, autor da denúncia, o empresário não tinha intenção de injetar o dinheiro.

    Tal ação penal, conduzida por Souza, teve por base investigação da CVM, que detectou que o empresário havia vendido ações da OGX pouco antes de a empresa reconhecer oficialmente que suas reservas não eram rentáveis, o que foi anunciado em julho de 2013.

    A venda ocorreu também antes de Eike dizer, em setembro de 2013, que não injetaria o dinheiro na petroleira, conforme prometera. Os dois anúncios causaram queda das ações da petroleira, mas, como Eike as negociou antes, conseguiu evitar a perda.

    No último dia 27, Eike deixou o conselho da Ogpar Participações (Óleo e Gás Participações), ex-OGX.

    Eike foi alvo de outras duas denúncias, feitas pelo Ministério Público Federal em São Paulo. Uma delas o acusa de também ter cometido os crimes de manipulação do mercado e “insider trading” com ações do estaleiro OSX.

    A outra o acusa de falsidade ideológica, formação de quadrilha e indução de investidor a erro, com sete executivos que passaram pela OGX.

    O pedido para bloquear todos os bens havia sido feito pelo Ministério Público Federal no Rio de Janeiro, tendo como base o valor da “put”.

    Naquela época, procuradores pediam também o bloqueio dos bens dos parentes, por terem entendido que eles haviam sido alvo de doações por parte do empresário. Na ocasião, Souza havia determinado apenas bloqueios das contas de Eike, no total de R$ 237 milhões.

    Agora, Souza decidiu que, com as outras denúncias, o dano causado ao mercado poderia ser maior do que o inicialmente avaliado. A valorização do dólar é outro argumento usado, já que o valor da “put” foi estipulado na moeda estrangeira.

    A determinação do juiz é que o bloqueio perdure até os casos, quando julgados, terem sentença definitiva.

    A Justiça Federal no Rio informou que não tem informações sobre o caso. O MPF informou não ter localizado os procuradores responsáveis pelo caso.

    OUTRO LADO

    O advogado criminalista Ary Bergher, responsável pela defesa de Eike e dos parentes, disse que a defesa “está alijada do processo”.

    Segundo Bergher, a equipe que defende o empresário foi informada de que o caso estava “em segredo absoluto de Justiça”, e que, por isso, não teve, até esta quarta-feira, acesso à decisão.

    Bergher criticou, ainda, o fato de a decisão ter sido tomada pelo juiz Flávio Roberto de Souza, uma vez que ele é alvo de procedimento que questiona sua imparcialidade, proposto por Bergher e sua equipe. O caso aguarda julgamento em segunda instância.

    O advogado também informou que vai entrar com mandado de segurança nesta quinta-feira, para ter acesso ao caso.

    Sérgio Bermudes, que coordena a defesa de Eike Batista, considerou a decisão “arbitrária”. “Nem na ditadura do Haiti houve algo parecido”, afirmou, referendo-se à alegada inacessibilidade à decisão.
    Folha de S.Paulo 2015

  • Reply Vilmar 8 de janeiro de 2015 at 16:19

    ‏@RetratosdaVida
    Crise no império de Eike Batista? Filhos levam namoradas para o Caribe com diária de R$ 5 mil
    http://glo.bo/1IuV5KZ
    pobres minoriotários!

  • Reply Vilmar 11 de dezembro de 2014 at 10:22

    Eneva cai 34% após recuperação judicial !
    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3742331/eneva-cai-apos-recuperacao-judicial-petrobras-mais-acoes-roubam-cena

  • Leave a Reply

    CAPTCHA *