‘Cartão De Débito’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: cartão de débito

    Geral

    O melhor investimento do mundo

    9 de setembro de 2019

    Mark Cuban, Dono do time de basquete Dallas Mavericks, diz que aprendeu que o dinheiro economizado em juros é melhor do que qualquer retorno com investimentos
    Mark Cuban explains how to make a 16% guaranteed return

    O bilionário Mark Cuban compartilhou o que considera o melhor investimento que todos devem fazer:
    – Pagar o seu cartão de crédito. Pagar qualquer dívida que você tenha. Isso qualquer um pode fazer.
    Ele disse isto em entrevista ao MarketWatch.

    Cuban assumiu que teve dificuldades com as contas de seu cartão de crédito quando tinha por volta de seus 20 anos.

    Ele diz que aprendeu da maneira mais difícil que o dinheiro economizado em juros por não ter dívida é melhor do que qualquer retorno que poderia obter investindo, seja no mercado de ações ou no setor imobiliário ou em outro lugar.

    “Qualquer que seja a taxa de juros que você paga – pode ser um empréstimo para estudantes com uma taxa de juros de 7% – se você pagar esse empréstimo, estará fazendo 7% para você, e não para o banco”, disse o bilionário

    “Esse é o seu retorno imediato, que é muito mais seguro do que tentar escolher uma ação ou tentar escolher imóveis, ou o que quer que seja “, completou.

    Nas dívidas de cartão de crédito, a taxa de juros poderá ser muito maior. No Brasil, o juro médio cobrado no rotativo do cartão de crédito é de 300,3% ao ano, segundo dados do Banco Central.

    Para evitar perder dinheiro pagando juros, Cuban recomenda abandonar completamente o cartão de crédito.

    “Usar um cartão de crédito é bom se você pagar no final do mês, sem atraso nenhum. Apenas reconheça que os 18%, 20% ou 30% que você está pagando em dívida com cartão de crédito vai custar muito mais do que você poderia ganhar em qualquer outro lugar”, explicou Cuban.

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Geral

    Veja 5 coisas que você deveria comprar com cartão de crédito

    16 de dezembro de 2016

    Em algumas situações, pode ser mais inteligente usar o crédito do que o débito. O cartão de crédito pode ser aliado do bolso, se usado com inteligência.

    Após as 12 medidas econômicas anunciadas pelo governo Temer nesta quinta-feira passada muitos ficaram com dúvidas se ainda vai valer a pena pagar com cartão de crédito ou se valerá mais a pena pagar tudo que for possível com dinheiro, a despeito do problema de segurança de ficar andando com muito dinheiro vivo para cima e para baixo nas cidades por onde vivem. Se cartão de crédito fosse tão ruim assim, o famoso vilão das finanças, por que todo mundo usa? Apesar dessa ferramenta exigir muito cuidado, se usada com sabedoria, ela pode ajudar a manter o bolso saudável. Em bora em certas ocasiões, pode ser mais inteligente usar o crédito do que o débito. A seguir, são listados 5 itens para comprar com cartão de crédito e aproveitar o lado positivo desse instrumento financeiro:

    1) Compras online
    Ao fazer qualquer tipo de compra online e pagar com cartão de crédito, você tem o respaldo do banco se acontecer qualquer tipo fraude, diferente do pagamento com boleto bancário, que não oferece nenhum tipo de proteção. Além disso, você consegue cancelar a compra de forma mais rápida.

    Os dois tipos de fraude mais comuns em compras com cartão de crédito são a não entrega do produto e a clonagem do cartão, como explica Tom Canabarro, co-fundador da empresa Konduto, que trabalha na prevenção de fraudes online. Nessas duas situações, o banco se responsabiliza por resolver o problema e estornar o valor.

    É recomendável, inclusive, desconfiar de sites que só aceitam pagamento por boleto bancário. “Qualquer outro meio de pagamento hoje é mais inseguro que o cartão de crédito. Os bancos têm aperfeiçoado muito suas tecnologias de segurança”, explica Marcos Nunes, diretor geral de segurança digital para a América Latina da empresa UL.

    2) Eletrônicos e eletrodomésticos

    Vale a pena comprar produtos que têm garantia, como eletrônicos e eletrodomésticos, no cartão de crédito, como recomenda o diretor executivo da Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito (ABSCM), Rubens de Andrade Neto. Vários cartões oferecem um tempo de garantia adicional, em parceria com a marca do produto.

    Além disso, o cartão é uma ótima ferramenta de crédito para usar em emergências, quando sua geladeira quebrar, por exemplo. Nesse caso, parcelar pode ajudar a manter o resto do seu orçamento em dia, desde que você se organize para pagar as parcelas e não gaste desenfreadamente, como aconselha a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawawti.

    Outra vantagem é que o cartão dá 40 dias para pagar o produto, o que pode facilitar se tiver um gasto repentino e ainda não recebeu o salário do mês. “Se usado com maturidade, o cartão de crédito é uma ótima ferramenta financeira”, orienta Marcela.

    3) Seguros

    Vários cartões de crédito têm parcerias com seguradoras. Assim, basta usar o cartão e você está protegido por um seguro de vida, de viagem ou de carro, ao alugar um veículo.

    Essa pode ser uma forma interessante de estar protegido e economizar com o custo dos seguros, como recomenda o diretor executivo da ABSCM, Rubens de Andrade Neto.

    Algumas seguradoras também têm cartões de crédito próprio, que dão desconto na contratação ou renovação do seguro e até reduzem o valor do franquia. No entanto, tenha cuidado para não ter cartões demais e esquecer de pagar alguma fatura.

    4) Reserva de hospedagem e aluguel de carro

    É muito comum que hotéis e locadores de veículos exijam um depósito antecipado para realizar a reserva, de valor alto. No entanto, se você fornecer os dados do cartão de crédito antecipadamente, o pagamento pode ser efetuado só depois da utilização do serviço, com mais tempo para se organizar.

    5) Passagens aéreas

    As milhas acumuladas no cartão de crédito podem ser uma ótima alternativa para escapar dos preços altos das passagens aéreas e viajar sem gastar uma fortuna na alta temporada.

    O site Melhores Destinos tem uma lista atualizada de quais são os melhores cartões de crédito para ganhar milhas aéreas, considerando a quantidade de pontos recebida por compras, a taxa de anuidade e o prazo para os pontos expirarem, além de outros benefícios.

    Também é cada vez mais comum os programas de fidelidade realizarem promoções com os cartões. Funciona assim: se você transferir uma quantidade mínima de pontos do cartão de crédito para o programa, na data estipulada, você ganha um bônus de entre 30% e 100%. Veja essas e outras dicas para acumular mais milhas no cartão e viajar de graça.

    Assim como em viagens pagas com dinheiro, há uma enorme variação no custo das passagens por milhas. Não deixe de reservar um tempo para pesquisar.

    EXAME - SEU DINHEIRO - 5 coisas que você deveria comprar com cartão de crédito
    exame.abril.com.br/seu-dinheiro/5-coisas-que-voce-deveria-comprar-com-cartao-de-credito

    Até mais.

    Geral

    Maneiras de perder dinheiro

    21 de Maio de 2015

    A estratégia para alcançar a estabilidade financeira todo mundo provavelmente já sabe: gastar menos do que ganha, poupar uma parte do que recebe todo mês e investir outra parte em um aplicações financeiras de acordo com o seu perfil. Embora tudo isto pareça simples na teoria, na prática muitas pessoas não conseguem ter uma vida financeira equilibrada.

    O blog Resenha Virtual descreveu 13 maneiras para você perder dinheiro. Claro que ninguém quer perder dinheiro, logo, é necessário fazer tudo ao contrário. Confira:

    1. PASSEAR À TOA PELO SHOPPING

    Esse item é para você que ainda está com alguma dificuldade em controlar seus impulsos em compras. Um simples passeio pelo shopping center pode resultar em gastos adicionais.

    Além das despesas previstas, como cinema, pipoca e refeição, por exemplo, é grande a chance da pessoa sair de lá com uma compra que não estava nos planos. O caso é que no shopping, somos bombardeados por ações de compra, então se você tem dificuldades em segurar seus impulsos, o ideal é evitar a tentação.

    2. NÃO SABER O PREÇO JUSTO DAS COISAS

    Ainda no exemplo do Shopping, se o consumidor vai lá para comprar uma calça que custa R$ 100, não parece muito gastar R$ 7 num café, mesmo ciente de que o café não vale tudo isso e é mais barato em outro lugar.

    O consumo responsável está relacionado a pagar um preço justo e evitar pagar o que não achamos justo. è bom lembrar que uma coisa é você optar por esse gasto sabendo que está dentro do orçamento e outra é não ter controle algum sobre isto.

    3. COMPRAR TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO

    O produto é unanimidade, entre os especialistas em finanças pessoais, quando se fala em uso indevido do dinheiro. O título de capitalização é vendido como se fosse muito vantajoso porque o dinheiro é devolvido corrigido pela TR (Taxa Referencial), ela foi criada no Plano Collor II para substituir os antigos cálculos de correção monetária.

    Mas a TR tem um valor muito abaixo da inflação. Assim, quando se “investe” em capitalização é como se investisse na sorte, uma vez que a chance de ser sorteado é mínima. Então, é melhor aplicar o dinheiro na poupança e ganhar os juros.

    4. USAR O CHEQUE ESPECIAL

    Quem tem cheque especial costuma usá-lo como uma espécie de renda extra. O problema é que os juros cobrados no especial são muito altos! Em caso de necessidade, é melhor pegar um empréstimo pessoal no banco, porque os juros serão mais baixos.

    5. PAGAR O VALOR MÍNIMO DA FATURA DO CARTÃO DE CRÉDITO

    Os cartões de crédito estão entre os maiores vilões do endividamento, mostram dados de pesquisas recentes, 28% dos inadimplentes tinham dívida no cartão. Quem não paga a fatura integral do cartão se vê numa bola de neve da qual é muito difícil sair.

    Os juros são os mais altos do mercado para pessoas físicas: 9,37% ao mês, ou 192,94% ao ano, segundo a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

    6. COMPRAR TUDO QUE ESTÁ EM OFERTA, PROMOÇÃO E LIQUIDAÇÃO

    Comprar produtos que estão em oferta pode ser um ótimo negócio, mas apenas se esse gasto já estiver previsto no seu orçamento. As pessoas acabam comprando produtos em promoção sem necessidade.

    A pessoa vai comprar um determinado produto, mas a loja está vendendo pela metade do preço, então ela aproveita e leva três. Mas isso só é vantajoso se você realmente estiver precisando dos três.

    7. TER UM PLANO DE CELULAR FORA DO SEU PERFIL

    Quando você contrata um plano de celular que dá direito a 500 minutos de ligações e usa apenas 300, por mais barato que ele seja, você está jogando dinheiro fora, porque está pagando por mais do que precisa.

    Ao mesmo tempo, se seu plano dá direito a 500 minutos e você usa 600, vai pagar caro pelos 100 minutos adicionais. Sendo assim, é necessário adequar o plano ao seu perfil de uso para não perder dinheiro.

    8. PAGAR POR BENEFÍCIOS NÃO USADOS

    Os bancos costumam oferecer contas com muitos benefícios para quem tem renda mais alta, como atendimento preferencial, cartão de crédito com limite mais alto etc.

    De nada adianta ter tudo isso e não usar, porque esses benefícios são cobrados nas tarifas bancárias e na anuidade do cartão de crédito, por exemplo. A maior parte dos cartões cobra taxas mais caras para que você receba mais milhas, e o consumidor acaba não usando essas milhas depois.

    9. OPTAR PELO PACOTE BANCÁRIO ERRADO

    Os bancos são obrigados a oferecer alguns serviços básicos gratuitamente para seus clientes. Mesmo assim, muita gente contrata pacotes de serviços que não são usados. Se a pessoa faz operações, como transferências de uma conta para outra, por exemplo, em quantidades que não estão incluídas no pacote, precisando pagar mais por isso. É importante, assim, ter atenção na hora de escolher o pacote.

    10. CONTRATAR SEGURO PARA CARTÕES

    O valor mensal do seguro contra perda e roubo de cartão (de crédito ou débito) é pequeno. Poderia ser até um gasto interessante, se não fosse inútil. Segundo Maria Inês Dolci, da Proteste, todo consumidor tem o direito de contestar e reaver o dinheiro em caso de fraude envolvendo o cartão, mesmo que não tenha pago o seguro.

    Em vez de contratar seguro, é preciso avisar logo a operadora em caso de perda ou roubo.

    11. ACREDITAR EM DINHEIRO RÁPIDO E FÁCIL

    Acreditar em maneiras milagrosas de ficar rico é outra forma de perder dinheiro facilmente, alertam os especialistas. Entrar em esquemas de pirâmide financeira é um bom exemplo. Uma empresa procura pessoas que não só vendam seus produtos, mas também, e principalmente, recrutem novos associados.

    O maior ganho de quem entra num esquema assim vem justamente desse recrutamento. Esse esquema é ilegal e, geralmente, beneficia somente quem entrou primeiro e conseguiu levar outras pessoas para a empresa.

    12. PAGAR PARA CONSULTAR LISTA DE “NOME SUJO”

    Há muitos anúncios em sites de “Consultas a SPC e Serasa a partir de R$ 10.” Essas propagandas são comuns pelas ruas e pela internet, mas representam um gasto totalmente inútil.

    Isso porque o consumidor não precisa pagar para saber como anda sua situação nos cadastros de proteção ao crédito. É seu direito ter acesso a essa informação gratuitamente.

    13. NÃO FAZER CONTROLE FINANCEIRO

    Por último, mas não menos importante! Anotar os gastos diários numa planilha é atitude simples, mas que pode fazer toda a diferença no fim do mês. Pois quem não faz controle financeiro tende a gastar mais.

    Essa atitude evita que o consumidor gaste além do que ganha e perceba exatamente onde estão as despesas que podem ser cortadas em caso de necessidade.
    resenhavirtual.com.br/blog/13-maneiras-de-perder-dinheiro

    cofre de porquinho magro

    Até o próximo post.

    Geral

    Pagar no cartão de débito ou no cartão de crédito?

    26 de outubro de 2014

    Qual a diferença entre pagar no débito ou no crédito?

    Para quem não tem controle nas finanças pessoais o cartão de débito é melhor remédio, desde que você não tenha limite de cheque especial na conta.
    Para quem tem disciplina, quer acumular pontos nos programas de fidelidade, milhagem, etc., o cartão de crédito é uma ótima pedida.

    O cartão de crédito é uma ferramenta do tipo “compre já, pague depois” (“quando puder…”) e um cartão de débito é uma ferramenta do tipo “compre já, pague já”(sai na hora o dinheiro da sua conta corrente. Ambos os cartões têm funções importantes em seu plano de controle financeiro.

    Um cartão de débito tem ligação com sua conta corrente. Se você usar um cartão de débito, o dinheiro é subtraído automaticamente da sua conta. Por outro lado, um cartão de crédito é um empréstimo garantido que uma instituição financeira fornece a você. Se você um usuário de cartão de crédito você pretende reembolsar o valor em uma data pré-definida, de preferência sem juros, ou seja, sem usar o famigerado crédito rotativo, aquele que pode criar uma bola de neve, principalmente se você pagar somente o mínimo todo mês. Não se esqueçam que os bancos cobram juros sobre juros. Para fugir deste monte de juros, após estourar todo sua capacidade de pagamento da dívida, só fazendo acordos extra-judiciais ou judiciais.

    Com um cartão de débito, você pode fazer compras em muitos pontos comerciais sem ter de levar dinheiro em espécie ou se lembrar do seu talão de cheques. Apenas se faz necessário apresentar seu cartão de débito em qualquer lugar que tenha convênio com o seu cartão onde seja exibido o logotipo do mesmo e digitar sua senha da conta corrente. Com o uso do débito, o valor da compra será deduzido imediatamente de sua conta corrente

    Leia:

    É melhor pagar com cartão de crédito ou débito?
    http://www.creditooudebito.com.br/melhor-pagar-credito-debito/
    carteira com cartão de crédito e cartão de débito

    Veja também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Globo Repórter: Mapa da dívida brasileira

    31 de agosto de 2014

    Ótimo programa que foi ao ar ontem pela Rede Globo que fala sobre o nosso povo estar muito endividado e como se livrar das dívidas.

    Alguns temas que abordaram:

    – MAPA DA DÍVIDA BRASILEIRA
    Financiamento imobiliário exige planejamento para ser um bom negócio

    – PALMAS
    Capital mais jovem do país tem 92% das famílias pagando contas em dia

    – APRENDIZADO
    ‘Príncipe’ ajuda advogada a se organizar e sair de uma dívida de R$ 70 mil

    – FLORIANÓPOLIS
    Capital com maior renda tem famílias entre as mais endividadas do Brasil

    – REDUZINDO GASTOS
    Aracaju reduz inadimplência pela metade em dois anos (TV Globo)

    Brasileiros em apuros com cartão aprendem a pensar antes de gastar (TV Globo)

    – LIÇÕES ECONÔMICAS
    Fortaleza é a capital com a menor dívida média do Brasil (TV Globo)

    Universidade ensina funcionários a organizar orçamento na aposentadoria (TV Globo)

    Confiram, são vários vídeos/reportagens, mas vale a pena, pois são vários exemplo e lições para os endividados brasileiros no nosso atual “des”governo!

    Veja também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Como usar o cartão de crédito

    25 de julho de 2014

    O cartão de crédito nos traz muitas vantagens por ser possível reduzir o tanto de dinheiro que a pessoa leva consigo, permitir o parcelamento de comprar de forma prática e confortável, costumam dar um prazo de até 40 dias para pagar sem juros, pode-se efetuar saques em dinheiro, comprar no exterior, comprar na internet, programas de milhagem, entre outras vantagens.
    O valor da anuidade do cartão pode variar conforme o banco onde foi emitido, sendo que muitas vezes é possível ter isenção desta taxa.
    Apesar de toda esta comodidade o consumidor deve tomar cuidado, pois o cartão de crédito pode ser também uma armadilha e comer boa parte da sua renda.

    Antes de escolher seu cartão tenha em mente o que você precisa. Ter um cartão internacional não é vantagem, se você não viaje com frequência. Neste cenário ele não passa de um serviço desnecessário que pode pesar no orçamento com o passar dos anos. Outro ponto a ressaltar é que não adianta ter vários cartões e não conseguir pagar todas as faturas. Se a pessoa só consegue pagar o mínimo do cartão é melhor ter apenas um.
    Prefira sempre pagar sem juros. Evite o crédito rotativo, pois no Brasil temos umas das taxas de juros mais altas do mundo. Procure sempre pagar o valor total da fatura no dia do vencimento. Desta forma evita pagar juros e mantém o nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito.

    Se a pessoa não tiver muito controle e nem estiver interessado em programas de milhagem, em geral recomenda-se não usar cartões de crédito para pagamentos de baixo valor, como em lanchonetes, padarias, cinema, etc., dê preferência ao cartão nas compras de maior valor alto. Para compras de baixo valor seria melhor utilizar o cartão de débito ou mesmo dinheiro vivo.

    Procure não estourar o limite, já que só será possível usar o seu cartão de crédito novo à medida que for pagando a fatura mensal para eliminar débitos anteriores. Procure sempre pagar o máximo que puder da sua fatura, pois assim você terá 100% do seu crédito no próximo mês.

    Para quem não sabe, o crédito rotativo é aquele onde você recebe a fatura integral de suas despesas, porém paga somente uma parte. O saldo restante junto ao que você deixou de pagar virá no próximo boleto de cobrança. Ao usar este tipo de crédito rotativo você pagará juros e outros encargos financeiros em cima do saldo devedor das faturas anteriores.
    Fonte de consulta:
    extra.globo.com/noticias/economia/100-dias-de-economia/como-usar-cartao-de-credito-sem-se-endividar-5357030.html#ixzz38VIqpf4V

    Veja também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Maneiras de jogar seu dinheiro no lixo

    19 de novembro de 2013

    Saiu hoje um ótimo artigo na Exame sobre o que não se deve fazer com o dinheiro, desta forma, evitando o seu desperdício. O título é 15 maneiras de jogar seu dinheiro no lixo, por Priscila Yazbek. Acaba detonando vários mitos. Vale a pena destacar:
    – Algumas formas de usar o dinheiro que são o mesmo que depositá-lo diretamente na lata de lixo;
    – Se você não for uma pessoa muito atenta à forma como gasta seu dinheiro é possível que você esteja jogando ou já tenha jogado milhares e até centenas de milhares de reais no lixo.

    Confira a seguir os itens das 15 maneiras de jogar seu dinheiro fora e evite que elas sejam aplicadas a você:

    1. Não fazendo o financiamento de imóvel mais barato;
    2. Abastecendo o carro com o combustível mais caro;
    3. Comprando o óleo mais caro sem necessidade;
    4. Usando um plano de celular não adequado ao seu uso;
    5. Usando o modelo errado de declaração do imposto de renda;
      No modelo simplificado da declaração de imposto de renda, o contribuinte substitui todas as possíveis deduções por um desconto único de 20% dos rendimentos tributáveis, sem a necessidade de detalhar seus gastos.

      Mas quem tem dependentes, possui um plano de previdência privada da modalidade PGBL ou tem despesas médicas pode deixar de aproveitar uma restituição maior ou pode pagar mais imposto do que deveria caso opte pelo desconto de 20%. Isto porque o modelo completo permite as deduções de gastos com dependentes, consultas médicas, planos de saúde, aportes feitos ao PGBL, etc. O ideal é preencher a declaração com todas as possíveis deduções e deixar que o programa da Receita calcule qual dos dois modelos é o mais vantajoso para o contribuinte.

    6. Contratando pacotes de serviços bancários caros ;
    7. Deixando dinheiro na conta corrente;
    8. Atrasando a fatura do cartão;
    9. Pagando multas de trânsito;
    10. Viajando na alta temporada;
    11. Comprando título de capitalização;
    12. Pagando o seguro de automóvel mais caro;
    13. Comprando um carro que consome muito combustível;
    14. Pagando por coisas que você não usa;
    15. Comprando as marcas mais caras.

    Link para o artigo completo:
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/15-maneiras-de-jogar-seu-dinheiro-no-lixo

    Leia também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Como viajar de forma econômica

    13 de Maio de 2013

    É bom viajar e valorizar cada centavo do seu dinheiro.
    Fazer uma viagem é uma das melhores coisas da vida para muitas pessoas, além de ser uma boa forma de gastar o próprio dinheiro. Nada melhor do que viajar e voltar para casa com alguns trocados para planejar o próximo passeio.

    Existem várias dicas que de fato fazem com que seu dinheiro seja mais valorizado durante uma viagem, sem deixar de aproveitar o que o lugar oferece de bom. Enfim, são apenas algumas dicas para se aproveitar mais a viagem gastando menos dinheiro.
    Seguem algumas delas abaixo:

    • Viajar na baixa temporada sempre que possível.
    • Fazer orçamento com um agente ou agência de viagem e comparar com preços em serviços de buscadores de passagens e hospedagem para verificar qual sai mais barato.
      Alguns destes sites são: decolar.com, booking.com, submarinoviagens.com.br, etc…
    • Aproveite programas de milhagens, os quais são aqueles que você acumula pontos a cada viagem efetuada por uma companhia aérea. Tais programas são uma boa forma de viajar sem dispor de tanto dinheiro.
      Não perca o prazo de validade do programa milhagem.
    • Procure aproveitar na medida do possível viagens de negócios, ou seja, levar cônjuge, família ou amigos juntos, pois os seus custos serão reduzidos.
    • Aproveite a vantagem de algumas companhias aéreas terem convênios com alguns hotéis, cartões de crédito, locadoras de carros e várias outras empresas de serviços variados, os quais podem significar economia no seu destino.
    • Compre passagens com a maior antecedência possível sem esquecer das promoções.
    • Os que gostam de comer fora para conhecer a gastronomia local devem evitar os locais mais badalados em ruas principais, movimentadas e famosas.
      Prefira ruas secundárias que sejam em locais menos badalados, claro, contanto que não sejam menos saborosos.
    • Certifique-se de levar todas as roupas e acessórios necessários para o clima do local onde viajará.
      Desta forma você irá evitar fazer compras desnecessárias. Exceto os itens que você não tem e no seu destino de viagem eles são mais baratos.
    • Procure fazer compras nos locais mais baratos sem esquecer da qualidade, óbvio. Cuidado com as compras de última hora.
      Evite comprar itens que existem no seu local de residência e prefira fazer compras de produtos com características locais.
    • Se for viável, prefira usar transporte público ao invés de alugar um carro, por exemplo.
      Se for alugar um carro, prefira as locadoras onde há promoções disponíveis.
    • Procure pesquisar os pontos turísticos que queira visitar antes de viajar e planejar em que pretende gastar para evitar surpresas para o seu bolso.
    • Evite usar telefone celular na viagem para não ter que pagar tarifas de roaming.
      Prefira usar o telefone público ou comprar créditos de voip, Skype, por exemplo, ou mesmo usar apenas um e-mail, comunicador de mensagem instantânea(Google Talk, Skype, WhatsUp, etc…) ou blog para se comunicar.
    • Hospedagem em albergues pode ser uma boa forma de economizar para quem não se importa tanto com o conforto de um hotel e ainda permite conhecer novas pessoas.
      Pousadas também costumam serem mais baratas que hoteis.
    • Aos que preferem se hospedar em hoteis, uma sugestão é comprar comida no supermercado que seja possível comer no hotel. Isto ajuda a evitar o gasto com alimentação na rua.
    • Existem alguns lugares onde fica mais barato alugar um apartamento ou chalé do que ficar hospedado em um hotel.
      Este caso é ideal para quem viagem em grupo.

    E na dúvida, nunca se esqueça, consulte o seu agente de viagens.

    Veja também:

    – Dicas de como conseguir uma viagem econômica

    Como encontrar destinos de férias baratos com a ajuda da economia
    férias na praia do farol

    Até o próximo post.