Melhorar de vida financeira
Geral

Melhorar de vida financeira

20 de agosto de 2015

O Joseph Juran, um engenheiro romeno, foi um cara bem inteligente que com base em uma série de experimentos e teorias propostos por Vilfried Pareto, conseguiu enunciar o Princípio de Pareto. Com isto foi possível observar que grande parte das consequências surgem de uma pequena quantidade de motivos. Isto não seria nada tão genial se não estivesse presente em tantos lugares. Veja a seguir:

  1. Sobre segurança no trabalho: 20% dos riscos são responsáveis por 80% dos acidentes;
  2. Sobre riqueza: cerca de 82% da riqueza mundial é controlada por 20% da população;
  3. Sobre crimes: 80% dos crimes são cometidos por 20% dos criminosos;
  4. Sobre desenvolvimento de software: 80% das reclamações ocorrem por conta de 20% dos bugs.

Quando um ser humano atinge um objetivo, ele tem uma tendência a pensar que está tranquilo, pois tenta-se atingir muitos objetivos, coloca-se muita atenção, organiza-se, controla-se, atem-se aos detalhes, enfim, a coisa andou. Uma grande parte do nosso sucesso realmente acontece por conta de uma parte pequena dos nossos esforços.

Existem algumas pequenas mudanças na vida financeira de cada indivíduo que tem muito mais efeito do que outras, ou seja, são elas que impulsionam melhorias significativas de verdade. Há duas que se destacam tanto pela potência quanto pela versatilidade:

1ª) Poupar deve ser algo automatizado
Isto é tão eficiente porque pode ser feito neste exato momento, não envolve nenhuma promessa e nem muita disciplina.
Após a pessoa listar todos os seus gastos (pode ser numa planilha no computador ou mesmo em papel), escolha um gasto e corte-e. Como esta despesa aconteceria de todo jeito, portanto é bem provável que a falta desse dinheiro nem vá te causar problemas.

Faça um agendamento mensal e recorrente para uma aplicação da sua preferência, pode até mesmo ser a simplista poupança, no exato valor desse gasto que você poupou. O importante é que seja feita agora e não daqui algum tempo. Não é “se sobrar eu guardarei”, é “guardei, pronto e acabou”. As pessoas confiam demais no seu eu do futuro. Daqui há alguns dias, meses ou anos seremos outras pessoas, com outras prioridades.

Pode ser que surja a tentação de cortar mais do que um gasto, mas salvo situações emergenciais, é melhor cortar um por vez. A pessoa pensa que sabe, mas na verdade tem pouca clareza do quanto cada um dos gastos impacta na própria qualidade de vida.
Se cortar um monte de gastos de tacada só e a vida ficar ruim, vai ser difícil entender o porquê.

2ª) Sacar o seu variável semanal

Após o exercício de planejamento completo, fica mais fácil calcular qual é o gasto variável semanal. Desconsiderando-se despesas fixas, é o valor que precisaria sacar para passar uma semana. Normalmente inclui gastos com alimentação, cafés, transportes, combustível, etc.

Este valor é fundamental, pois ter esse número claramente definido já é boa parte do caminho. É muito mais difícil se perder dessa forma. De qual lugar o dinheiro está saindo influi diretamente na forma como gasta-se. Gastar no crédito dói menos do que gastar no débito e gastar no débito dói menos do que gastar em dinheiro.
Fonte de consulta: papodehomem.com.br/2-acoes-matadoras-para-melhorar-sua-vida-financeira

Joseph Moses Juran
Joseph Moses Juran

Leia também:

Até o próximo post.

No Comments

Leave a Reply

CAPTCHA *