Procon-SP: Os 6 maiores problemas da Black Friday no Brasil

Em 2016, a principal reclamação foi de cancelamentos sem justificativas

Comprar na Black Friday pode ser muito vantajoso com relação a outras épocas do ano – mas a dor de cabeça também pode ser bem mais intensa. Neste ano, a data caiu no dia 24 de novembro, a sexta-feira desta semana.
Por ser um período mais turbulento e com grandes quantidades de pedidos, nem sempre a Black Friday é organizada o suficiente para que todos os compradores saiam satisfeitos das lojas.

No ano passado, de acordo com o Procon-SP, o maior motivo de reclamação dos compradores foram cancelamentos de compras sem justificativa. Isso pode ocorrer porque o site da varejista não retirou do ar um produto já esgotado, por exemplo.

Confira, abaixo, os 6 maiores motivos de reclamação da última edição do evento:

1 – Pedido cancelado sem justificativa;

2 – Produto ou serviço anunciado apareceu como indisponível;

3 – Mudança de preço no momento de finalizar a compra;

4 – Maquiagem do desconto (no preço do produto ou no valor do frete);

5 – Site intermitente, congestionado ou bloqueado;

6 – Site não permite pagamento via boleto bancário ou débito.

Caso o consumidor se depare com alguma das situações descritas e não conseguir resolver o problema pelo atendimento da empresa pode entrar em contato com o próprio Procon, que montará um mutirão de atendimento a partir desta quinta-feira (23) ou queixar-se em sites como o ReclameAqui.

É importante sempre guardar todos os comprovantes da compra, se possível, com imagens da tela do computador em cada passo e documentos bancários. Isso pode ajudar como prova caso o problema não seja resolvido diretamente pela varejista.

Até mais.

There are 2 comments left Go To Comment

  1. Paulo /

    Boas Dicas. Essas são mais formas ou técnicas de vendas que o brasileiro utiliza para pegar o consumidor. Mais do mesmo. O preço maquiado, na verdade são poucos produtos que vale a pena comprar.

  2. Vil Bro / Post Author

    4 dicas para fazer compras seguras e conseguir bons descontos na Black Friday
    É preciso tomar cuidado para se planejar e se preparar para a data

    Na próxima sexta-feira (24) acontece a Black Friday no Brasil, dia muito aguardado pelos e-commerces e lojas e também pelos consumidores. Mas é preciso tomar cuidado para se planejar e se preparar para a data.
    “Para o evento, que começa à 0h do dia 24 de novembro e tem duração de 24 horas, o consumidor precisa estar com o planejamento pronto e conhecer como funcionam os grandes players para aproveitar as compras sem armadilhas”, afirma Carlos Alves especialista em gestão empreendedora e diretor de Marketplace da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

    Ele selecionou quatro dicas para que o consumidor aproveite a Black Friday sem dores de cabeça e prejuízos. Confira:

    1. Evite armadilhas

    “Para garantir não só a melhor oferta mas uma promoção real, é fundamental buscar por lojas que possuam um bom histórico e reputação. Para isso, vale utilizar sites de reclamação e verificar também os que se comprometem a passar ofertas condizentes com a realidade. Além disso, é fundamental acompanhar o histórico do preço do produto para ter certeza que a promoção é efetiva e que o comércio eletrônico não está praticando a “metade do dobro””, explica o especialista.

    2. Atualize o seu cadastro

    “Seja por meio do aplicativo da loja ou do site oficial, é fundamental estar com o cadastro atualizado. Assim, quando os estabelecimentos efetuarem o disparo de promoções por serviço de mensagens curtas (SMS), e-mail marketing ou notificação por push, é garantido que você irá receber e, portanto, terá todas as ofertas em primeira mão”, afirma.

    3. Dê uma olha nos Marketplaces

    “Diversos dos grandes players do mercado atuam como marketplaces, ou seja, como shoppings centers virtuais. Normalmente, as políticas de venda para os lojistas menores que vendem por meio desses canais são individuais. Com isso, a centralizadora não pode sinalizar se os produtos possuem descontos ou não. Para ter certeza que está fazendo um bom negócio, é importante realizar uma análise, comparando os preços dos varejistas pequenos com os praticados pelos grandes e-commerces, que indicam quais são os produtos que estão com desconto e qual a porcentagem do mesmo”, diz Alves.

    4. Produto reservado? Só com pedido confirmado!

    “Na maioria das lojas virtuais e marketplaces, o ato de adicionar o produto ao carrinho não garante a reserva. Para ter certeza que o item está retido, é necessário gerar o número do pedido, ou seja, é preciso pagar via cartão de crédito ou gerar o boleto bancário, se as lojas utilizarem essa forma de pagamento. Assim, é garantido que a sua compra estará guardada enquanto o pagamento é confirmado. Não perca produtos por falta de atenção”, explica Alves.
    infomoney.com.br/minhas-financas/consumo/noticia/7100447/dicas-para-fazer-compras-seguras-conseguir-bons-descontos-black-friday

Leave a Reply

CAPTCHA *