A Petrobras não iria falir?

Muitos profetas de araque quando da última queda forte das ações da Petrobras, denúncias, CPIs, empresa tomando conta dos noticiários Brasil afora com a chegada da eleição, afirmavam com toda convicção que a Petrobras iria falir. Justificativas eram a cessão onerosa, o regime de partilha, a PPSA, a Petrobras era do povo e não dos acionistas, a empresa seria apenas usada a serviço do governo e não daria lucra, que o pré-sal não daria certo, entre outras abobrinhas.

Aí eu peço aos profetas que me expliquem isto:

Produção de petróleo e gás natural no Brasil é recorde em julho
http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2014-09/producao-de-petroleo-e-gas-natural-no-brasil-atinge-recorde-em-julho

Eu também peço que expliquem:

Gráfico Petrobras Bull Market - setembro 2014

Gráfico Petrobras Bull Market – setembro 2014

Vejam outros posts sobre a Petrobras nos links a seguir:

Até mais ver!

There are 71 comments left Go To Comment

  1. Vilmar / Post Author

    Máxima 10.41. O bonde segue sem freio.

    Petrobras recupera parte de prejuízo com combustíveis

    A Petrobras vem conseguindo reduzir as perdas com a venda de combustíveis abaixo do preço internacional. O volume do deficit está abaixo de R$ 40 bilhões pela primeira vez desde 2012.

    Segundo o Valor Econômico, a empresa vem conseguindo recuperar cerca de R$ 3 bilhões ao mês, o que significa que, se o ritmo for mantido, as perdas podem ser zeradas em um ano.

    Vai desfalir. Pobres profetinhas. :::)))

  2. Vilmar / Post Author

    18h16 – Petrobras tem prejuízo líquido de R$ 36,9 bilhões no 4° trimestre

    Segundo a companhia, prejuízo veio por conta de um impairment de R$ 47,676 bilhões; Ebitda ajustado ficou em R$ 17,064 bilhões, bem abaixo das estimativas do mercado

    SÃO PAULO – A Petrobras (PETR3; PETR4) reportou na noite desta segunda-feira (21) prejuízo líquido de R$ 36,938 bilhões, contra média das expectativas coletadas pela Bloomberg de R$ 3,5 bilhões e prejuízo de R$ 26,6 bilhões no mesmo trimestre de 2014. Em 2015, a estatal registrou um prejuízo de R$ 34,836 bilhões, contra perdas de R$ 21,587 bilhões.

    A companhia informou que o prejuízo do trimestre deve-se a um impairment (desvalorização de ativos) de R$ 47,676 bilhões, sendo R$ 46,39 bilhões somente da área de exploração e produção. Segundo a companhia, o impairment veio em função, principalmente, da queda dos preços do petróleo e incremento nas taxas de desconto, reflexo do aumento do risco Brasil pela perda do grau de investimento.

    O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ficou em R$ 17,064 bilhões, ante R$ 20,057 bilhões no 4° trimestre de 2014. A média das projeções compiladas pela Bloomberg apontava Ebitda de R$ 20,6 bilhões no período.

    A receita de vendas atingiu R$ 85,103 bilhões no trimestre, contra R$ 85,04 bilhões no mesmo período de 2014. Em 2015, a receita totalizou R$ 321,638 bilhões, ante R$ 337,26 bilhões no ano anterior.
    m.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4775750/petrobras-tem-prejuizo-liquido-bilhoes-trimestre

  3. Vilmar / Post Author

    13h11 – Paula Barra
    Petrobras desaba 8% e Vale cai 7%; empresa nega rumor e afunda 55% da máxima do dia
    Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta terça-feira

    SÃO PAULO – O Ibovespa virava para queda com as ações da Petrobras e Vale mergulhando para forte queda. Lá fora, o petróleo, que chegou a mostrar uma recuperação mais cedo, voltava a cair, estendendo para sua sétima queda seguida.

    A estatal recuava mesmo com a recuperação dos preços do petróleo no mercado internacional, deixando para trás seis quedas seguidas. Como pano de fundo, a estatal sofria com um relatório do Credit Suisse, que prevê queda de 46% dos ativos da petroleira negociados na Bolsa de Nova York, recomendando sua venda.

    A Vale reagia ao sexto pregão seguido de queda do minério de ferro, que cedeu 0,49% hoje, indo a US$ 41,19 a tonelada. Acompanharam o movimento as ações da Bradespar, holding que detém participação da mineradora.

    Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta sessão, segundo cotação das 13h37 (horário de Brasília):

    Petrobras (PETR3, R$ 6,97, -8,18%; PETR4, R$ 5,62, -7,72%)
    As ações da Petrobras intensificam queda nesta tarde, entre desvalorização do petróleo e relatório pessimista do Credit Suisse sobre a petroleira. Lá fora, os preços do petróleo Brent, que chegaram a tentar uma recuperação mais cedo, viraram para queda de 3,30%, a US$ 30,51 o barril, indo para o menor patamar desde abril de 2004, com os estoques de petróleo bruto aumentando, o que piora o excedente de oferta mundial.

    Juntamente a isso, dois relatórios com previsões sobre a commodity ajudavam a aumentar a apreensão do mercado. O Barclays disse hoje que prevê Brent a US$ 23,00 o barril em 2016. Ontem, o Morgan Stanley falou que o barril pode ir a US$ 20,00 se o dólar seguir se fortalecendo.

    Essa é a quinta queda das ações da estatal em seis pregões, quando acumulam perdas de 16%. Aliado a esse cenário pessimista para o petróleo, o Credit Suisse reiniciou cobertura da Petrobras, projetando queda de 46% dos ADRs (American Depositary Receipts), com preço-alvo de US$ 2,00, e recomendando a venda do ativo.

    O banco suíço elenca 10 desafios que a estatal tem que superar nos próximos anos (para conferir a lista completa, clique aqui), mas que, apesar da gestão da empresa parecer comprometida com a desalavancagem e seu plano de negócios, os desafios são muito grandes e muitos dos quais não estão no controle da empresa.

    Além disso, a estatal alerta para dificuldades com a queda do petróleo, segundo reportagem do Valor. Uma carta do presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, aos funcionários, lembra que da forte queda do preço do petróleo e que a empresa precisa economizar US$ 12 bilhões até 2019 com redução de custos operacionais e renegociação de contratos. Segundo o executivo, a companhia dará “prioridade absoluta” ao pré-sal, onde estaria extraindo petróleo a um custo de US$ 8,00 o barril, quase metade do desempenho de outras grandes petroleiras.

    m.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4514153/petrobras-desaba-vale-cai-empresa-nega-rumor-afunda-maxima-dia

  4. Vilmar / Post Author

    16:17 – Apetite por Petrobras está de volta, diz Bendine; emissão de US$ 20 bi está nos planos
    Segundo Bendine, o ano encerra com o pior cenário para o petróleo e real, mas que a commodity parece ter atingido seu piso

    SÃO PAULO – O presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Aldemir Bendine, prepara um profundo corte de despesas, enquanto foca nos melhores campos de produção, pensando em reforçar caixa para pagamentos de dívida.

    A estatal se prepara para entregar seu plano de investimentos para os próximos cinco anos no começo de janeiro, priorizando projetos no pré-sal em águas profundas do Atlântico, enquanto busca parceiros para aliviar despesas adicionais, disse, em entrevista à Bloomberg, na sede da empresa no Rio de Janeiro.

    Segundo Bendine, a companhia planeja emitir US$ 20 bilhões em dívida em 2016, mas que uma capitalização não está nos planos do ano que vem. “Nós já temos capacidade para pagar todas as obrigações do ano que vem”, disse. “Redução do tamanho da dívida virá com desinvestimentos, não há outro jeito”.

    O CEO da estatal disse que procura parceiro único para compra de 25% a 35% da BR Distribuidora – venda que faz parte do plano de desinvestimentos da companhia. Para ele, o apetite pela Petrobras está de volta.

    Bendine reforçou ainda que o conselho de administração da companhia deve manter perfil de mercado. Recentemente, Murilo Ferreira, CEO da Vale, renunciou ao cargo de presidente do conselho da estatal, depois de passar por alguns meses de licença da posição, o que gerou certo ruído no mercado.

    Diante das críticas do mercado sobre a interferência do governo na estatal, Bendine afirmou que a presidente Dilma Rousseff dá autonomia para a empresa. Questionado sobre o processo de impeachment, ele disse que, “como cidadão, não CEO, impeachment não faz sentido”. “Estamos cientes do tamanho do desafio pela frente”.

    Para o presidente da Petrobras, o ano encerra com o pior cenário para o petróleo e real, mas que a companhia consegue resistir a petróleo a US$ 40 o barril (patamar atual da commodity, considerando a cotação do brent). Ele acredita, no entanto, que o petróleo chegou a seu piso: a empresa prevê que o petróleo brent comece 2016 a US$ 40 o barril”.
    m.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4454348/apetite-por-petrobras-esta-volta-diz-bendine-emissao-esta-nos

  5. Vilmar / Post Author

    17h17 – Governo estuda reforço bilionário no capital da Petrobras, diz Agência Estado

    De acordo com a publicação, a intenção é adaptar para a Petrobras o mecanismo já usado antes para deixar mais robusto o patrimônio do Banco do Brasil e Caixa Econômica

    SÃO PAULO – O governo estaria estudando uma forma de ajudar a Petrobras (PETR3; PETR4) financeiramente. Segundo informações da Agência Estado, estaria sendo estudado um reforço bilionário no capital da petrolífera estatal.

    A intenção é adaptar para a Petrobras o mecanismo já usado antes para deixar mais robusto o patrimônio do Banco do Brasil e Caixa Econômica, segundo o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, sem revelar como obteve informação.

    O principal caminho seria o aporte via instrumento híbrido de capital e dívida (IHCD), operação que funciona como um contrato de crédito praticamente sem data de vencimento. Segundo o Broadcast, o governo quer mostrar que está atento às necessidades da companhia e está buscando uma opção que não piore o lado fiscal e nem dilua a participação dos acionistas.

  6. Vilmar / Post Author

    Investidores dizem à Petrobras: aumente a gasolina…… antes que seja tarde
    Por: Geraldo Samor 29/09/2015 às 6:00

    Nos últimos dias, executivos da Petrobras têm seu reunido com investidores brasileiros numa tentativa de vender 3 bilhões de reais em títulos de cinco anos, um dinheiro que vai ajudar a Petrobras a refinanciar dívida que está vencendo este ano.

    Os investidores têm respondido com uma mensagem clara: aumente o preço da gasolina, ou pague juros maiores.

    Depois de se debruçarem sobre os números da empresa, os investidores chegaram à conclusão de que a conta simplesmente não fecha. Com o dólar a R$4, o endividamento da empresa em 5 vezes sua geração de caixa, e a dívida em dólar custando 10% ao ano, a Petrobras deve apresentar nos próximos meses um fluxo de caixa negativo — um buraco que precisa ser financiado — de 10 a 15 bilhões de reais.

    Para os investidores, uma empresa nesta situação deveria pagar uma taxa de juros ainda maior do que aquela que Petrobras está oferecendo para quem comprar seus títulos neste momento. O rendimento máximo que a Petrobras aceita pagar nos títulos é a taxa CDI mais juros de 1,85% ao ano, o que dá cerca de 112% do CDI ao ano, considerando a curva de juros de cinco anos na BM&F.

    “A esta taxa, não faz sentido emprestar para a Petrobras,” diz um gestor. “Sem aumento de combustíveis, e um corte de verdade nos gastos e investimentos, há muito risco em emprestar para eles.”
    Para se ter uma ideia de como o ‘risco Petrobras’ está sendo precificado com muita boa vontade na taxa oferecida pela empresa, é possível comprar, no mercado, uma letra financeira do Bradesco que paga 106% ou 107% do CDI com vencimento em apenas dois anos e bastante liquidez no mercado secundário. “Não vou me incomodar com Petrobras para ganhar um pouquinho a mais (112%) mas ter que ficar num papel de cinco anos,” diz um gestor.

    Para manter seu endividamento estável, a Petrobras precisaria aumentar em 10% a gasolina e o diesel — assumindo o dólar a 4,10 e o petróleo a 45 dólares o barril. Nas contas de um investidor, se o aumento ficar restrito à gasolina, ele teria que ser da ordem de 30%.

    “Se o Bendine se posicionar como banqueiro, e não como petroleiro, ele vai propor ao conselho um aumento de combustíveis e cortes de investimentos com venda de ativos antes dessa emissão de debêntures,” disse um gestor, refletindo o pensamento de vários. “Sem essas medidas anunciadas rápido, ele não captará ao custo pretendido, e corre o risco de ver a operação ‘micar’, ficando sem acesso ao mercado de capitais nacional e internacional.”
    Muitos investidores disseram à coluna nunca imaginar que um dia receberiam funcionários da Petrobras para uma conversa sobre uma emissão de dívida no Brasil, já que a empresa sempre teve as portas do mercado internacional abertas para ela. Pior: disseram nunca imaginar, se este dia chegasse, que teriam receio em dar crédito para a empresa.

    “A sensação ao falar com executivos de carreira da Petrobras é que eles tinham vergonha do que está acontecendo,” disse um gestor. “Muitas vezes eles ficavam sem jeito, sem ter o que explicar. Eles mesmos pareciam não acreditar na situação que a empresa está passando e eles mesmo estão vivendo.”
    Com os investidores se mostrando refratários, a Petrobras pode ter que aumentar o rendimento que está oferecendo, ou, como costuma acontecer no Brasil quando o mercado rejeita alguma coisa, os fundos de pensão podem ser chamados a comprar boa parte da emissão de dívida da empresa.
    De qualquer forma, o posicionamento dos gestores mostra que, depois da Lava Jato, depois da prática de preços inferiores aos do mercado internacional, depois das decisões de investimentos erradas, e em meio a este cenário de câmbio para cima e petróleo para baixo, não há espaço para mais erros na Petrobras. Se o Governo pagar pra ver, vai acabar precisando capitalizar a empresa – desta vez com dinheiro, e não barris do pré-sal.

    O conselho de administração da Petrobras se reúne nesta quarta-feira. A pauta deveria incluir tudo o que for possível para estabilizar o balanço da empresa: cortes de custos, mais cortes no programa de investimentos, o cronograma de venda de ativos e, claro, o aumento dos combustiveis. Antes que seja tarde demais.

    http://veja.abril.com.br/blog/mercados/petroleo-gas-e-mineracao/investidores-dizem-a-petrobras-aumente-a-gasolina/

    1. Vilmar / Post Author

      Saiu o aumento dos combustíveis….

      http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/09/1688249-petrobras-aumenta-o-preco-da-gasolina-em-6-e-diesel-em-4.shtml
      Kkkk Taca-le pau

      Ótimo

      1. Vilmar / Post Author

        BREAKING NEWS:
        Petrobras dispara 10% após reajuste de combustíveis e Cosan salta 7%

        http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4315568/acao-petrobras-deve-abrir-com-disparada-apos-reajuste-combustiveis

      2. Vilmar / Post Author

        Meus nobres amigos, a privataria da petrobras é a solução para acabar com o rombo lava jato que foi feito na empresa??

        http://direitacentroesquerda.blogspot.com.br/2015/10/privataria-da-petrobras-e-solucao.html

      3. Vilmar / Post Author

        Participação na 13ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios da ANP

        Rio de Janeiro, 07 de outubro de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que não apresentou proposta para os blocos ofertados na 13ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), ocorrida hoje. A opção da Petrobras de não participar no certame teve por base profunda análise técnica e econômica dos blocos ofertados, aliada à situação atual de suas reservas de petróleo e gás natural.

        A Petrobras construiu um sólido portfólio exploratório, fruto da sua expressiva participação nas 12 Rodadas de Licitação de Blocos Exploratórios anteriores, que permitiu a abertura de novas fronteiras, com descobertas expressivas, além de presença marcante nas 10 bacias sedimentares ofertadas nesta 13ª Rodada. Dessa forma, a Companhia encontra-se em uma situação que permite, no momento, decidir por não incorporar novos prospectos à sua carteira de ativos exploratórios.

        Conforme previsto no Plano de Negócios e Gestão 2015-2019, a Petrobras está priorizando o desenvolvimento de seu portfólio de ativos de exploração e produção, com foco em disciplina de capital e rentabilidade. Essas medidas fazem parte da estratégia da Petrobras de redução da alavancagem e geração de valor para os acionistas.

  7. Vilmar / Post Author

    Petrobras corta cursos, festas e viagens e diz que poupará US$ 12 bilhões
    infomoney.com.br/petrobras/noticia/4265181/petrobras-corta-cursos-festas-viagens-diz-que-poupara-bilhoes

  8. Vilmar / Post Author

    Após lucro de R$ 5,3 bilhões, ADRs da Petrobras sobem 3% na NYSE – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4047287/apos-lucro-bilhoes-adrs-petrobras-sobem-nyse

    1. Vilmar / Post Author

      Relacionamento com Investidores
      Caso não consiga visualizar, acesse este link
      Facebook Compartilhe Twitter Tweet E-mail Encaminhar

      Petrobras www.petrobras.com.br/ri

      Petrobras

      Produção de petróleo e gás natural em abril

      Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que sua produção de petróleo e gás natural, no Brasil e no exterior, em abril de 2015, foi de 2 milhões 785 mil de óleo equivalente por dia (boed), 0,8% superior ao volume registrado em março, que foi de 2 milhões 764 mil boed.

      Desse total, 2 milhões 596 mil boed foram produzidos no Brasil e 189 mil boed no exterior. A produção de 2 milhões 785 mil boed é superior em 8,8% ao volume produzido em abril de 2014, que foi de 2 milhões 560 mil boed.

      Produção de óleo e gás no Brasil

      A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil, em abril, foi de 2 milhões 596 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), 0,8% superior ao volume registrado no mês anterior (2 milhões 574 mil boed).

      A produção total de óleo e gás natural operada pela Petrobras no Brasil – que inclui a parcela produzida para as empresas parceiras – foi de 2 milhões e 886 mil boed, 1,8% superior ao patamar registrado em março (2 milhões 834 mil boed).

      A produção exclusiva de petróleo da Petrobras no Brasil em abril foi de 2 milhões 134 mil barris por dia (bpd), 1,2% acima da produção de março, que foi de 2 milhões 108 mil bpd. Esse aumento se deve, principalmente, ao crescimento da produção dos FPSOs Cidade de Mangaratiba, localizado no campo de Sapinhoá Norte, e Cidade de Ilhabela, em Iracema Sul – ambos no pré-sal da Bacia de Santos – além da menor quantidade de paradas programadas de plataformas para manutenção.

      A produção de petróleo operada no país foi de 2 milhões 346 mil de bpd, 2,1% superior à do mês anterior (2 milhões 297 mil bpd).

      A produção própria de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, foi de 73 milhões de m³/d, em abril, mantendo o mesmo patamar do mês anterior.

      A produção de gás natural sem liquefeito operada pela Petrobras no Brasil, incluindo a parcela das empresas parceiras, foi de 86 milhões de metros cúbicos por dia.

      O aproveitamento do gás produzido atingiu 96,1% no mês de abril.

      Novos recordes no pré-sal

      No dia 11 de abril, a Petrobras bateu recorde de produção própria diária na camada pré-sal das bacias de Santos e Campos, com um volume de 590 mil barris de petróleo por dia (bpd). Além disso, naquele mesmo dia, a produção operada pela companhia no pré-sal atingiu o pico diário de 802 mil bpd.

      Outros destaques de abril foram os recordes de produção mensal própria no pré-sal, de 503 mil bpd, e de produção operada de 715 mil bpd.

      Produção no exterior

      No exterior foram produzidos, no mês de abril, 189,5 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), 0,2 % abaixo dos 189,8 mil boed produzidos no mês anterior.

      A produção média de óleo em abril foi de 102,2 mil barris de óleo por dia (bpd), 0,2% acima dos 101,9 mil bpd produzidos no mês anterior. Esse aumento se deve, principalmente, ao ramp-up (crescimento) de produção dos novos poços produtores nos campos de Saint Malo e Lucius nos EUA e da maior produção do campo de Akpo, na Nigéria. Esse crescimento da produção foi compensado pela venda dos campos da Bacia Austral, na Argentina.

      A produção média de gás natural no exterior foi de 14,8 milhões m³/d, 0,6% abaixo dos 14,9 milhões m³/d produzidos no mês anterior. A entrada em produção do campo de Hadrian South, nos EUA foi compensada pela venda dos campos da Bacia Austral, na Argentina.

      Acesse aqui informações completas sobre a produção »

      Petrobras | Relacionamento com Investidores www.petrobras.com.br/ri
      E-mail: petroinvest@petrobras.com.br
      Av. República do Chile, nº 65, sala 1002, Centro, Rio de Janeiro, RJ / 20031-912
      Telefones:
      0800-282-1540
      (21) 3224-1510

  9. Vilmar / Post Author

    18h06- Rodrigo Tolotti Umpieres
    Após “confusão” de 2014, Petrobras tem lucro R$ 5,3 bilhões no 1º trimestre

    SÃO PAULO – Após toda a confusão envolvendo as perdas com corrupção e que atrasou os balanços do terceiro e quarto trimestres de 2014, a Petrobras (PETR3; PETR4) iniciou este ano com um lucro líquido de R$ 5,33 bilhões, informou a companhia na noite desta sexta-feira (15). O resultado é praticamente o mesmo de um ano atrás, quando o lucro foi de R$ 5,39 bilhões. A receita de vendas da companhia ficou em R$ 74,35 bilhões, ante R$ 81,55 bilhões de um ano antes, leve queda de 9%.

    Segundo o comunicado da estatal, o resultado foi favorecido pelo efeito integral dos reajustes de 5% no preço do diesel e de 3% no preço da gasolina ocorridos em 7 de novembro de 2014. Além disso, os menores custos das vendas, refletindo a redução dos gastos e dos volumes com importações de petróleo e derivados, e a redução da receita com exportações, influenciada pela menor cotação do Brent (29%) no mercado internacional, também favoreceram a companhia. As despesas financeiras líquidas de da petrolífera ficaram em R$ 5,62 bilhões.

    “No 1T15, a depreciação de 20,8% do real em relação ao dólar gerou efeitos no resultado, patrimônio e indicadores da Companhia, sem impactos significativos em termos de fluxo financeiro líquido”, disse a Petrobras.

    Mais informações em breve
    ….
    http://m.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4047230/apos-confusao-2014-petrobras-tem-lucro-bilhoes-trimestre

  10. Vilmar / Post Author

    Novo recorde de produção no pré-sal

    Rio de Janeiro, 12 de maio de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que a produção de petróleo nos campos operados pela Companhia na província do pré-sal nas bacias de Santos e Campos atingiu, no dia 11 de abril de 2015, a marca de 800 mil barris de petróleo por dia (bpd), configurando novo recorde de produção diária. Desse volume, cerca de 74% (590 mil bpd) correspondem à parcela da companhia e o restante à das empresas parceiras nas diversas áreas de produção da camada pré-sal.

    A produção de 800 mil barris por dia foi alcançada apenas oito anos após a primeira descoberta de petróleo na camada pré-sal, ocorrida em 2006, tempo inferior ao que foi necessário para se chegar ao mesmo patamar em outras áreas de produção marítima. Para que a Petrobras alcançasse, no Brasil, a produção de óleo de 800 mil barris por dia foram necessários 40 anos, com a contribuição de 6.374 poços. Na Bacia de Campos, esse mesmo volume de produção foi alcançado em 24 anos, com 423 poços.

    A marca de 800 mil bpd foi obtida agora, no pré-sal, com a contribuição de 39 poços produtores. Desses poços, 20 estão localizados na Bacia de Santos, que responde por 64% da produção (511 mil barris por dia). Os demais 19 poços estão localizados na Bacia de Campos e respondem por 36% da produção (291 mil barris por dia).

    No dia do recorde, 11 sistemas de produção definitivos e um Sistema de Produção Antecipado estavam em operação na camada do pré-sal. Sete desses sistemas produziam exclusivamente petróleo proveniente dessa camada geológica.

    Contribuiu para o alcance desse recorde o início da operação do Sistema de Produção Antecipada instalado no campo de Búzios em março deste ano, por meio do navio plataforma Dynamic Producer, que constituiu a primeira produção de óleo e gás de longa duração na área da chamada Cessão Onerosa. Além desse sistema, contribuiu, também, para esse resultado o início da produção da plataforma P-20 ,na camada pré-sal, no campo de Marlim na Bacia de Campos, que contribuirá para futuros incrementos da produção na área.

  11. Vilmar / Post Author

    PETRÓLEO BREAK NEWS, INFORMAÇÃO MAIS DO QUE RELEVANTE !!!!!!

    16h14- Ricardo Bomfim
    Disparada do petróleo pode abrir janela para Petrobras subir preço da gasolina em 2015
    Governo pode resgatar confiança na Petrobras, mas o consumidor não gostará muito da solução

    SÃO PAULO – Endividada, em meio a escândalos de corrupção e diante de uma espiral de desvalorização do petróleo, as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) despencaram no fim do ano passado e só recentemente a estatal começou a recuperar o seu valor de mercado em meio à divulgação do seu esperado balanço auditado. O forte rali iniciado desde a metade de março pode ter ser agora um novo pivô. O único problema é que isso pode pesar bastante no seu bolso.

    Desde o ano passado, o preço da gasolina ainda não sofreu um reajuste. Mas no mercado externo, o combustível já teve uma valorização de quase 90% em reais, lembra o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito. “Este movimento de alta (como pode ser visto no gráfico abaixo) é decorrente da recuperação do preço do combustível, mas, principalmente, da depreciação do real frente ao dólar”, explica.

    Com o real perdendo a briga contra a moeda dos EUA pelo menos até o fim deste ano e o barril do petróleo em tendência clara de valorização nos mercados de commodities internacionais, uma alta da gasolina por aqui faria todo o sentido na visão do economista. “Já sabemos que o Banco Central não quer ver um real forte, afinal isso iria contra o ajuste que ele mesmo quer fazer nos preços relativos e a indicação recente que irá diminuir a rolagem dos swaps corrobora nesse sentido”.

    Voltando à Petrobras, vale lembrar que a gestão de Aldemir Bendine frequentemente defende o seu direito de formar seus próprios preços. Com a equipe econômica do governo, hoje encabeçada por Joaquim Levy no ministério da Fazenda, contra Guido Mantega nos tempos dos preços administrados do combustível, pode ser que o pleito de Bendine seja atendido.

    Para a petroleira e o acionista dela, isso seria uma notícia a se comemorar, já que poderia refazer parte do caixa. “Como 2015 está ‘perdido’ a alta poderia reforçar o sentimento de segurança e de confiança com a empresa e o país. No fundo seria como se o governo se financiasse através da população para resgatar a confiança na Petrobrás e por tabela no país”, avalia Perfeito.

    http://m.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4021697/disparada-petroleo-pode-abrir-janela-para-petrobras-subir-preco-gasolina

    A MELHOR PIADA DE TODOS OS TEMPOS: A PETROBRAS VAI FALIR!

    1. Vilmar / Post Author

      O CÉU É O LIMITE, MEU PETRÓLEO, MINHA VIDA!!!

      BREAKING NEWS:
      Petrobras confirma data de divulgação do resultado do 1º trimestre
      http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/4022934/petrobras-confirma-data-divulgacao-resultado-trimestre

      RSRSRSRSR

      1. Vilmar / Post Author

        🙂
        AS MÉDIAS MÓVEIS ESTÃO DIZENDO: COMPREM DE BACIADA, ESTÁ BARATA PRA CHARAMBA!
        ESTUDEM AT!!

        😉

  12. Vilmar / Post Author

    08h37- Paula Barra
    Petrobras, Vale, OPA, recomendações e mais 5 notícias no radar desta 2ª
    Confira os principais destaques corporativos desta segunda-feira; a matéria será atualizada até a abertura da Bovespa às 10h (horário de Brasília)
    SÃO PAULO – A semana inicia agitada pela agenda corporativa após semana mais curta com feriado na última sexta-feira. Entre os destaques, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou, em vista a Houston para feira internacional de petróleo – a Offshore Technology Conference (OTC) -, que a Petrobras (PETR3; PETR4) não deve ter obrigação em participar de novos leilões do pré-sal. Pelo atual marco regulatório do pré-sal, a estatal é a operadora única, ou seja, a companhia precisa dar lances com participação de, ao menos, 30% em todos os blocos oferecidos pelo governo.

    Segundo ele, o Congresso está aberto a discutir a atual exigência legal e afirmou que as regras precisam ser revistas antes dos novos leilões do pré-sal. O governo vai abrir novas concessões do petróleo este ano, mas as próximas ofertas no pré-sal podem ser adiadas para 2017, admitiu o ministro. A licitação estava prevista inicialmente para 2016, mas deve ser adiada por conta da volatilidade do mercado petrolífero e à baixa cotação do barril de petróleo atualmente.

    http://m.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4016773/petrobras-vale-opa-recomendacoes-mais-noticias-radar-desta

    1. Vilmar / Post Author

      Petrobras avança 4%

      http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4017610/arteris-dispara-com-opa-vale-salta-petrobras-avanca

      1. Andresa /

        Amiguinho, esqueceu de informar que 4% de 13 reais, que é o valor atual da ação, dá só 52 centavos.

        Não é o mesmo que uma ação da Microsoft que custa 48 dólares (150 reais) e que se sobe 4%, dá uma diferença de 6 reais – com o lucro de 2 ações da Microsoft se compraria 1 da Petrobrás (só com o lucro hein!)

        Não foi dessa vez, amiguinho.

      2. Vilmar / Post Author

        Ué, e o povo que mandou vender nos 8,xx reais??
        kkkk, perderam mais de 50% de alta!
        Ah sei, a petrobras iria falir!!!

        Continuem torcendo contra a Petrobras e contra o Brasil!!

  13. Vilmar / Post Author

    Conclusão do terceiro poço na área de Moita Bonita, na Bacia de Sergipe

    Rio de Janeiro, 29 de abril de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que concluiu a perfuração do poço 3-BRSA-1296-SES (nomenclatura ANP), em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe, na concessão BM-SEAL-10, bloco SEAL-M-499.

    Os resultados dos testes confirmaram a presença de petróleo leve (de maior valor de mercado) e boas condições de porosidade e permeabilidade dos reservatórios.

    Essa perfuração constatou dois intervalos portadores de petróleo leve, com espessura total de 24 metros. A perfuração do poço atingiu a profundidade final de 6.060 metros.

    O poço está localizado a 94 km da cidade de Aracaju (SE), a 10 km do poço descobridor, em profundidade de água de 2.988 metros. Essa profundidade representa um novo recorde na perfuração de poços marítimos na costa brasileira.

    Este é o terceiro poço de extensão na área de Moita Bonita, descoberta em agosto de 2012, e integra o projeto exploratório da Bacia de Sergipe-Alagoas em águas profundas.

    A Petrobras detém 100% de participação no bloco e dará continuidade ao Plano de Avaliação da Descoberta (PAD), conforme aprovado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

    1. Andresa /

      Ei amiguinho, notei que você não postou a notícia sobre o balanço auditado da Petrobrás. Afinal, foram só 21 bilhõeszinhos né, dos quais 6 deles foram para o ptzinho. Pra quê levar isso em consideração né?

      Petrobrás, a empresa mais endividada e assaltada do MUNDO. Só não fali porque até dinheiro da verba da educação o PT tirou pra enfiar nela, VERGONHA!!!

  14. Vilmar / Post Author

    Empiricus, a Petrobras não iria falir??
    Cadê o fim do Brasil???
    O dólar não iria subir sem parar???

    1. Vilmar / Post Author

      Agora a empresa virou uma máquina de demonstração de resultados!!

      Divulgação das demonstrações contábeis do primeiro trimestre de 2015

      Rio de Janeiro, 24 de abril de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que seu Conselho de Administração (CA) se reunirá no dia 15 de maio para apreciar as demonstrações contábeis do primeiro trimestre de 2015.

      A Companhia espera divulgar as demonstrações contábeis ao mercado, após a decisão do CA.

  15. Vilmar / Post Author

    Petrobras comprova boa produtividade dos reservatórios da área de Farfan, na Bacia de Sergipe

    Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que concluiu o teste de formação (avaliação do potencial de uma jazida petrolífera) do poço 3-BRSA-1286-SES (nomenclatura ANP), localizado na concessão BM-SEAL-11, em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe-Alagoas.

    Essa perfuração constatou dois intervalos portadores de óleo leve e gás: o superior com espessura de 44 metros, e o inferior, com 11 metros. O segundo intervalo constitui uma nova descoberta para a área.

    Este poço está localizado a 102,7 km da cidade de Aracaju (SE) e a 10,3 km do poço descobridor, em profundidade de água de 2.467 metros. Os resultados do teste de formação confirmaram a presença de óleo leve (37° API) e a boa produtividade dos reservatórios.

    Este é o terceiro poço de extensão na área de Farfan, descoberta em outubro de 2012, e o resultado inicial da perfuração deste poço havia sido comunicado em 02 de fevereiro deste ano.

    O consórcio, operado pela Petrobras (60%) em parceria com a IBV-Brasil (40%), dará continuidade ao Plano de Avaliação da Descoberta (PAD).

  16. Vilmar / Post Author

    15h00- Bloomberg
    Modelo de partilha do pré-sal está na mira da oposição e do PMDB
    Cada vez mais políticos concordam em abrir a exploração das áreas do pré-sal a petrolíferas estrangeiras

    (SÃO PAULO) — Cada vez mais deputados e senadores, tanto da oposição quanto aliados do governo, concordam em abrir a exploração das áreas do pré-sal a petrolíferas estrangeiras. Segundo eles, o escândalo de corrupção da Petrobras e a enorme quantidade de dívida da estatal limitam sua capacidade de desenvolver essas áreas.

    Há pelo menos 3 projetos de lei em comissões do Congresso que propõem a mudança do modelo de partilha ou eliminam a exigência de que a Petrobras participe de todos os leilões do pré-sal. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, disse em entrevista que pretende colocar os projetos de lei em votação em breve.

    Cunha tem o apoio da oposição e do seu partido, o PMDB, que faz parte da base aliada do governo Dilma Rousseff e tem a segunda maior representação do Congresso. Dilma e seu partido, o PT, continuam defendendo o modelo de exploração atualmente em vigor, alegando que a gigante nacional do petróleo deve estar no controle de uma área com baixo risco de exploração e altos retornos.

    “Creio que urgentemente o Congresso precisa rever esse equívoco do governo”, disse Leonardo Picciani, líder do PMDB no Congresso, em entrevista à Bloomberg em seu escritório em Brasília.

    O regime de partilha “engessou a Petrobras”, disse ele. “A Petrobras não tem capacidade financeira para fazer os investimentos necessários como operador exclusivo”.

    Picciani disse que o Rio de Janeiro, seu estado, sofreu consequências econômicas terríveis com a estagnação da indústria petrolífera do Brasil, esperando a Petrobras solucionar seus problemas financeiros e jurídicos. Se as empresas estrangeiras não puderem preencher a lacuna deixada pela Petrobras, os campos do pré-sal não serão explorados e os governos regionais e federal não se beneficiarão dos royalties e do desenvolvimento econômico que a exploração traria, disse ele.

    Ganhos prejudicados

    Os campos do pré-sal do Brasil foram descobertos há aproximadamente dez anos e podem conter mais de 100 bilhões de barris de petróleo recuperável, segundo estimativas do setor. Os depósitos jazem a quilômetros de profundidade, sob uma camada de sal no fundo do Oceano Atlântico, e a perfuração de um único poço pode custar mais de US$ 200 milhões.

    A produção desses campos começou em 2010 e aumentou para 810.000 barris por dia de petróleo e gás natural em fevereiro, quase um terço da produção total do país. Contudo, a redução da produção em campos de petróleo antigos diminuiu esses ganhos e o crescimento total ficou abaixo das expectativas.

    Picciani disse que a introdução da concorrência e a eliminação da exigência de parceria com a Petrobras reduziriam o preço de equilíbrio para tornar os campos viáveis. A Petrobras está estudando ativos do pré-sal em um plano de desinvestimento para levantar dinheiro para despesas e pagamentos de dívidas, disseram na semana passada seis fontes com conhecimento da proposta, pedindo para não serem identificadas porque as negociações estão em um estágio inicial e podem não ir adiante.

    Monopólio estatal

    A Constituição de 1988 do Brasil deu ao Estado, por meio da Petrobras, o monopólio sobre a exploração de petróleo até que o presidente Fernando Henrique Cardoso aprovou uma emenda em 1995 para implementar um modelo de licitação para concessão. O PT restaurou parcialmente o monopólio da Petrobras e colocou a empresa petrolífera estatal no controle das maiores descobertas do país.

    O antecessor de Dilma, Luiz Inácio Lula da Silva, em 2010 transformou em lei um requerimento para que a Petrobras fosse a operadora e tivesse uma participação mínima de 30 por cento em todas as novas concessões de petróleo do pré-sal.

    O deputado federal de oposição Mendonça Filho introduziu um projeto de lei em 2013 para recuperar o modelo de concessão anterior depois que o primeiro e único leilão realizado sob as novas regras atraiu um grupo solitário. O grupo pagou o preço mínimo pelo direito de desenvolver o gigantesco campo de Libra.

    “A regime de partilha para mim é pouco transparente e não é um regime amigável ao mercado que atrai investimentos no volume, com a transparência necessária que ajuda formar uma grande indústria de petróleo no Brasil”, disse Mendonça Filho em entrevista em seu escritório em Brasília. “Não há nada melhor que a realidade para convencer alguém”.

    Pouco risco

    O PT continua defendendo a regime de partilha, a Petrobras como única operadora do pré-sal e a exigência de uso de conteúdo local como prioridades, disse Rui Falcão, presidente do partido, em entrevista por telefone. Dilma disse em entrevista à Bloomberg no mês passado que seria “difícil” revisar o modelo de partilha porque no pré-sal há um risco mínimo de exploração.

    O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, também do PMDB, disse na semana passada em uma audiência no Senado, que a Petrobras deveria ter a opção, mas não a obrigação, de participar da exploração do pré-sal e que o Brasil deveria “revisitar” o modelo de partilha em um momento em que o setor enfrenta novos desafios após um crescimento exponencial.

    “Eu acho que precisamos ter a coragem, ter a ousadia de revisitar os pontos para que nós possamos aprender e avançar para novas conquistas”, disse Braga.

  17. Vilmar / Post Author

    Valor Data
    09/04/2015 às 10h43 1
    Com nova data do balanço, Petrobras lidera altas do Ibovespa

    SÃO PAULO E RIO – (Atualizada às 12h10m) As ações da Petrobras estavam, há pouco, entre as maiores altas do Ibovespa, após notícia de que a estatal espera publicar seu balanço até o fim da próxima semana, dia 17, data da reunião do conselho.
    pobres vendidos, puts.

  18. Vilmar / Post Author

    17h36- Rodrigo Tolotti Umpieres
    Títulos da Petrobras disparam após empréstimo de US$ 3,5 bilhões com banco chinês

    Recursos devem trazer algum alívio para empresa, que agora tem mais dificuldades de captar recursos por conta da crise decorrente do escândalo de corrupção

    SÃO PAULO – A notícia de que a Petrobras (PETR3; PETR4) conseguiu um financiamento bilionário com Banco de Desenvolvimento da China trouxe otimismo para as ações da companhia nesta quarta-feira (1). Mas não só isso, os títulos da companhia também tinham fortes ganhos hoje, com os US$ 2,5 bilhões em notas com vencimento em 2024 subindo US$ 0,023, para US$ 0,961 por dólar, no maior avanço em quase um mês. Já os títulos com vencimento 2023 tiveram alta de US$ 0,018, para US$ 0,8656 por dólar.

    Enquanto isso, na Bovespa, as ações ordinárias da estatal tiveram valorização de 5,22%, cotadas a R$ 10,08, e as preferenciais avançam 4,93%, a R$ 10,21. A Companhia informou hoje que assinou com o CDB um contrato de financiamento de US$ 3,5 bilhões, recursos que devem trazer algum alívio para empresa, que agora tem mais dificuldades de captar recursos por conta da crise decorrente do escândalo de corrupção.

    O contrato, assinado entre o CDB e a subsidiária da estatal Petrobras Global Trading BV, é o primeiro financiamento de um acordo de cooperação a ser implementado ao longo de 2015 e 2016, ressaltou a Petrobras em comunicado. “Adicionalmente, as duas partes confirmaram a intenção de desenvolver novas cooperações no futuro próximo”, disse a Petrobras.

    Com limites para realizar captações no mercado de dívida, em meio a denúncias de corrupção que envolvem a empresa, a Petrobras disse anteriormente que estudava “outras possibilidades de financiamento e incremento de fluxo de caixa”, até para fazer frente aos pesados investimentos projetados.

    Vivendo uma crise de credibilidade por conta das denúncias reveladas pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, a Petrobras tem dito publicamente que não pretende captar recursos no mercado de dívida em 2015.

    O contrato foi assinado na China, durante visita do diretor financeiro e de Relacionamento com Investidores da Petrobras, Ivan Monteiro. Segundo a Petrobras, o contrato é um importante marco para dar continuidade à parceria estratégica com a China, para quem a estatal exporta petróleo, “fortalecendo as sinergias entre as economias dos dois países”.
    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3956394/titulos-petrobras-disparam-apos-emprestimo-bilhoes-com-banco-chines

  19. Vilmar / Post Author

    Início da produção do campo Hadrian South em águas ultraprofundas no Golfo do México norte-americano

    Rio de Janeiro, 30 de março de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que sábado, 28 de março de 2015, foi iniciada a produção do campo de Hadrian South, na área de Keathley Canyon, localizado a aproximadamente 370 quilômetros da costa da Louisiana, a uma profundidade de água de 2.332 metros.

    A Petrobras detém 23.33% do campo de Hadrian South, que é operado pela ExxonMobil, com 46.67% de participação e a Eni, 30%.

    O sistema de produção de Hadrian South consiste em dois poços submarinos produtores de gás natural, interconectados à unidade flutuante de produção no campo de Lucius, situada a 12 km de distância. A capacidade da plataforma de Lucius reservada para Hadrian South é de 8,5 milhões de metros cúbicos de gás por dia (50 mil barris de óleo equivalente por dia).

    Líder em operações em águas ultraprofundas, a Petrobras adiciona mais um ativo de produção ao seu portfolio. Hadrian South é o quinto campo da Companhia em produção em águas ultraprofundas do Golfo do México norte-americano, precedido por Lucius, que começou a produzir no início de janeiro deste ano.

  20. Vilmar / Post Author

    União indica Murilo Ferreira para presidente do conselho da Petrobras – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/3945927/uniao-indica-murilo-ferreira-para-presidente-conselho-petrobras

  21. Vilmar / Post Author


    10h35: Petrobras (PETR3, R$ 9,20, +0,33%; PETR4, R$ 9,36, +0,21%)
    Na sexta-feira, o blog de João Bosco Rabello, do jornal O Estado de S. Paulo, diz que o Bradesco (BBDC4), que faz o levantamento dos números da BR Distribuidora, manifestou interesse em comprar 49% da subsidiária da Petrobras (PETR3; PETR4), caso um acordo de acionistas lhe garanta a gestão. O banco, no entanto, negou, por meio de sua assessoria de imprensa, a informação de que cogita propor a compra de fatia da subsidiária da estatal, abalada pelas denúncias de corrupção.

    Além disso, a Petrobras informou na noite de sexta que paralisou operações na plataforma P-58 no Parque das Baleias, na Bacia de Campos, para manutenção após vistoria da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). A estatal alegou que a interrupção temporária da produção visa a “manutenção preventiva”, uma vez que ANP indicou “não conformidades” na unidade. Mesmo assim, a agência reguladora não informou quais os problemas específicos foram encontrados na vistoria. Em comunicado de ontem, a estatal havia informado que uma parada de manutenção em fevereiro ocasionou na queda de 1,5% na produção da petrolífera naquele mês.

    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3935473/petrobras-vira-para-alta-gol-salta-dia-acao-dispara-apos

    1. Vilmar / Post Author

      Petrobras
      Assim como fez com a nota de crédito do Brasil, a agência de risco Standard & Poor’s manteve o rating da Petrobras (PETR3; PETR4) em ‘BBB-‘. Em compensação, a agência cortou a perspectiva das notas de crédito da estatal de estável para negativa. A mudança na perspectiva da nota reflete a dificuldade da Petrobras de financiar seu plano de negócios e de acelerar o crescimento da produção, que ajudaria a reduzir o endividamento.

      Ainda sobre a estatal, uma reportagem da Agência Estado apontou que propinas de quatro contratos da estatal chegaram a R$ 136 milhões, sendo parte desse montante desviada para o caixa do PT em forma de “doação eleitoral”, de acordo com informações da força tarefa da Operação Lava Jato.
      m.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3937639/rating-petrobras-resultados-mais-noticias-agitam-noticiario-dia

  22. samuel /

    Lembra que eu pedi pra vc ficar longe de petro com seu gráfico Bull Market de set/2014…Nas mãos do PT é esse o fim…..Continuo falando, fique longe de Petro enquanto esta turma estiver no comando. Ja está acostumando na casa dos 8 reais…Em breve é 6/5 reais e incapacidade de pagar suas contas…virão capitalizações, diluição de ações, socorro governamental e por ai vai…Nas mãos do PT fique longe disso meu amigo…pro seu bem.

    1. Vilmar / Post Author

      Plataforma P-61 entra em produção no campo de Papa Terra

      Rio de Janeiro, 16 de março de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que iniciou a produção da plataforma P-61, no campo de Papa-Terra, localizado no extremo sul da Bacia de Campos, a 110 quilômetros da costa brasileira e em lâmina d’água (distância entre a superfície da água e o fundo do mar) que varia de 400 a 1.400 metros.

      A plataforma P-61, instalada em lâmina d´água de 1.200 metros, completa o sistema concebido para produzir no campo de Papa-Terra, onde está instalado também o FPSO (unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo) P-63, que iniciou sua produção em 11 de novembro de 2013.

      Na P-63 estão atualmente interligados cinco poços produtores e seis poços injetores, sendo que cinco poços injetores ainda serão interligados. Na P-61 serão interligados 13 poços produtores, sendo o poço denominado PPT-16, atualmente em produção, o primeiro dessa plataforma.

      A produção da P-61 é transferida através de linhas flexíveis para o FPSO P-63, que tem capacidade para processar 140 mil barris por dia (bpd) e 1 milhão de metros cúbicos (m³) de gás, além de capacidade para injetar 340 mil barris de água.

      O óleo é escoado do campo por meio de navios aliviadores e o gás, excedente ao consumo nas plataformas, é injetado em reservatório adjacente ao campo.

      O topside (parte superior da unidade) da P-61 foi construído no estaleiro Keppel Fels, em Cingapura. O casco e a operação de “mating” (etapa de união do casco com o topside) foram concluídos no estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

      A presença de reservatórios com óleo que apresenta entre 14 e 17 graus API, combinada à profunda lâmina d´água, faz do desenvolvimento do campo de Papa-Terra um dos projetos mais complexos da Petrobras, exigindo a incorporação de diversas soluções inovadoras.

      A plataforma P-61, do tipo TLWP (Tension Leg Wellhead Platform), está conectada a uma plataforma de apoio (Tender Assisted Drilling) e equipada com uma sonda de perfuração e completação de poços. Essa é a primeira vez que uma plataforma desse tipo opera no Brasil. Os poços da P-61 são do tipo completação seca, ou seja, as válvulas de controle do poço ficam na plataforma, ao invés de no fundo do mar.

      Os poços produtores da P-63 são conectados à plataforma através de dutos flexíveis submarinos com aquecimento elétrico conhecidos por IPB (Integrated Production Bundle) e os 18 poços de produção do campo contam com bombas centrífugas submersas.

      O campo de Papa Terra é operado pela Petrobras (62,5%) em parceria com a Chevron (37,5%). A participação da Chevron no desenvolvimento do campo tem sido importante em função de sua experiência nesse tipo de projeto.

  23. Vilmar / Post Author

    Petrobras considera abertura de capital e venda da BR Distribuidora, diz coluna – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/3915501/petrobras-considera-abertura-capital-venda-distribuidora-diz-coluna

  24. Vilmar / Post Author

    “Papa do valuation” resume em uma imagem a “aula de destruição de valor da Petrobras” – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/3903814/papa-valuation-resume-uma-imagem-aula-destruicao-valor-petrobras

    1. Vilmar / Post Author

      Petrobras inicia Sistema de Produção Antecipada no campo de Búzios, na área da Cessão Onerosa

      Rio de Janeiro, 12 de março de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que entrou em operação, na terça-feira (10/3), o sistema de produção antecipada do campo de Búzios, na Bacia de Santos. Esta será a primeira produção em larga escala e de longa duração na área da Cessão Onerosa. A produção será realizada através do navio plataforma Dynamic Producer, interligado ao poço 2-ANP-1-RJS, com produção média restringida em 15 mil barris de petróleo por dia, em função de limitação no aproveitamento de gás.

      Através desse sistema antecipado, a empresa pretende produzir durante seis meses e, assim, obter informações essenciais para a otimização do primeiro sistema de produção definitivo do campo, que utilizará a plataforma P-74, atualmente em fase final de conversão no estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro.

      O campo de Búzios está localizado a cerca de 200 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, a uma profundidade de água de 1.600 a 2.100 metros. A sua declaração de comercialidade foi anunciada pela Petrobras em dezembro de 2013.

      Cessão Onerosa – A Cessão Onerosa é um contrato oneroso assinado pela Petrobras com a União para um conjunto de áreas e campos do pré-sal da Bacia de Santos. Este contrato conforme permitido por lei, autorizou a Petrobras a exercer, mediante o devido pagamento à União, as atividades de pesquisa e produção de petróleo e gás natural nestas áreas, até o limite de 5 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás).

  25. Vilmar / Post Author

    Ações em destaque
    As ações de Petrobras (PETR3, R$ 9,02, -6,63%; PETR4, R$ 9,11, -7,04%) caíam mais de 4% em meio a notícias sobre o próximo CEO da empresa. Segundo informação da colunista do G1, Cristiana Lobo, o novo presidente da estatal será Aldemir Bendine, atual CEO do Banco do Brasil (BBAS3, R$ 21,92, -3,82%).
    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3851134/petrobras-despenca-ibovespa-acelera-perdas-dolar-passa-dos

  26. Vilmar / Post Author

    Petrobras confirma extensão de acumulação e identifica novo reservatório na área de Farfan na Bacia de Sergipe

    Rio de Janeiro, 2 de fevereiro de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que a perfuração do terceiro poço de extensão na área de Farfan, em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe, confirmou a extensão da descoberta de óleo leve e gás, comunicada ao mercado no dia 9 de agosto de 2013.

    Essa perfuração também constatou a presença de um novo reservatório, mais raso, também portador de óleo leve, com espessura total de 68 metros.

    O poço 3-SES-186 (nomenclatura Petrobras) / 3-BRSA-1286-SES (nomenclatura ANP) está localizado a 103 km da cidade de Aracaju e a 10 km do poço descobridor, em profundidade de água de 2.467 metros. O poço ainda encontra-se em perfuração até atingir o objetivo final de 6.060 metros.

    Essa acumulação integra o projeto exploratório da Bacia de Sergipe-Alagoas em águas profundas, conforme previsto no Plano de Negócios e Gestão para o período 2014-2018.

    A Petrobras, operadora do consórcio (60%) em parceria com a IBV-BRASIL (40%), dará continuidade ao Plano de Avaliação da Descoberta (PAD), conforme aprovado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

  27. Vilmar / Post Author

    A Petrobras tem um futuro interessante na bolsa, diz corretora – InfoMoney
    Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/onde-investir/acoes/noticia/3820754/petrobras-tem-futuro-interessante-bolsa-diz-corretora

  28. Vilmar / Post Author

    1. Vilmar / Post Author

      Petrobras pode vender fatia no pré-sal, Eike prejudica bancos e mais 4 notícias no radar – InfoMoney
      Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3800543/petrobras-pode-vender-fatia-pre-sal-eike-prejudica-bancos-mais

      1. Vilmar / Post Author

        Petrobras bate em dezembro recordes diário, mensal e anual de produção de petróleo e gás natural

        Rio de Janeiro, 12 de janeiro de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras, em dezembro de 2014, no Brasil e no exterior, atingiu a média de 2 milhões 863 mil barris de óleo equivalente por dia, melhor resultado já alcançado na história da empresa. Esse volume é 4,4% maior do que o registrado em novembro, que foi de 2 milhões 741 mil boed.

        A companhia bateu, também, em dezembro, seu recorde histórico de produção de petróleo e líquido de gás natural no Brasil, ao alcançar a média mensal de 2 milhões 212 mil barris de petróleo por dia (bpd). Esse volume é 4,8% maior que o produzido em novembro, que foi de 2 milhões 111 mil bpd.

        Ao longo dos 12 meses do ano, a produção da empresa no Brasil aumentou 15,4 %, passando da média mensal de 1 milhão 917 mil bpd, em janeiro, para 2 milhões 212 mil bpd em dezembro, evidenciando o forte ritmo de crescimento da produção no ano. É importante registrar, ainda, a produção de óleo e LGN alcançada pela empresa no dia 22 de dezembro, que chegou a 2 milhões e 300 mil barris de petróleo, maior volume em quatro anos, configurando novo recorde diário.

        A produção total de óleo e gás natural no Brasil, em dezembro, também foi a maior da história da companhia. Ela chegou a 2 milhões 675 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), 4,6% acima da produzida em novembro, que foi de 2 milhões 556 mil boed. A produção total de óleo e gás operada pela empresa, que inclui a parcela de seus parceiros, alcançou 2 milhões 917 mil boed, em dezembro, configurando, também, nova marca histórica.

        Mais recordes no pré-sal

        Outro resultado de grande significado para a empresa foi a produção na camada pré-sal. Em dezembro, ela atingiu a média de 666 mil barris de petróleo por dia, superando em 10% o recorde anterior, batido em outubro do mesmo ano, que foi de 606 mil bpd.

        No dia 21, também em dezembro, a empresa chegou a produzir 713 mil bpd no pré-sal, um novo marco, 5,8% acima do registrado em novembro, de 673 mil bpd.

        Novos poços interligados

        O excelente resultado da produção em dezembro deve-se, principalmente, à entrada em operação de dois grandes sistemas de produção: o FPSO Cidade de Ilhabela, no campo de Sapinhoá; e o FPSO Cidade de Mangaratiba, na área de Iracema Sul, no campo de Lula, ambos no pré-sal da Bacia de Santos.

        Contribuíram, também, para os resultados alcançados em dezembro, a entrada em produção de novos poços interligados a sistemas que já estavam em operação. Em dezembro, 13 poços offshore começaram a operar nas bacias de Campos e Santos, dos quais dez produtores e três injetores. Com eles, entraram em operação, no ano, 82 novos poços, dos quais 57 produtores de petróleo e 25 injetores de gás ou água nos reservatórios. Foi um novo recorde importante, com impacto direto na produtividade da empresa. É importante lembrar que em 2013 foram postos em operação 47 poços, o que revela o aumento da eficiência na interligação de poços da companhia.

        O aumento significativo na interligação de poços às plataformas de produção se deveu, em grande parte, à entrada progressiva de novos navios lançadores de dutos. A empresa terminou o ano com 19 PLSVs (Pipe Laying Support Vessel) em operação, que são embarcações que dão apoio à interligação de poços de petróleo. O último navio desse tipo recebido foi o Estrela do Mar, que entrou em operação no dia 4 de dezembro.

        Em dezembro, conforme planejado, quatro plataformas pararam temporariamente para manutenção: a P-52, que opera no campo de Roncador, a FPSO Cidade de Niterói,no campo de Marlim Leste, a P-57, no campo de Jubarte, e a P-9, que opera nos campos de Corvina e Congro, todas na Bacia de Campos.

        Produção de gás natural

        A produção média de gás natural da Petrobras, no Brasil, excluindo o volume liquefeito, em dezembro de 2014, foi de 73 milhões 515 mil m³/dia. A produção de gás sem liquefeito operada pela Petrobras, em dezembro, que inclui a parcela das empresas parceiras da empresa, foi de 84 milhões 536 mil m³/dia. Os resultados, tanto da produção própria quanto da operada foram, também, importantes recordes mensais.
        Vale ressaltar que, em dezembro, 94,6% desse gás foi aproveitado pela empresa, seja para fornecimento ao mercado, para geração de energia nas plataformas, ou para reinjeção nos reservatórios para elevar a produção de óleo.

        Produção no exterior

        A produção média de óleo e gás no exterior, em dezembro, foi de 187,9 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), 1,5% acima dos 185,1 mil produzidos no mês anterior. Já a produção média de óleo, no mesmo mês, foi de 99,5 mil bpd, mantendo-se estável em relação a novembro, que foi de 99,4 mil bpd.

        A produção média de gás natural no exterior foi de 15 milhões e 22 mil m3/dia, 3,2% acima do volume produzido no mês de novembro, que foi de 14 milhões 554 mil m3/dia. Esse aumento decorreu da maior produção nos campos de San Alberto e San Antonio, na Bolívia, para atendimento ao mercado de gás no Brasil.

        Em 2014, novo recorde anual de produção

        A produção total de petróleo e gás da Petrobras no Brasil e no exterior, em 2014, atingiu a marca histórica de 2 milhões 670 mil boed, 5,1% acima do volume de 2013, que foi de 2 milhões 540 mil boed, configurando um importante recorde para a empresa.

        A produção de petróleo e LGN, no Brasil, cresceu 5,3% em 2014, comparada à de 2013, passando da média de 1 milhão 931mil bpd para 2 milhões e 34 mil bpd . Esse volume foi, também, o melhor resultado anual obtido pela companhia em sua história. Um resultado significativo, considerando-se que poucas empresas de capital aberto do setor conseguiram aumentar o volume produzido, no mesmo período. Incluída a parcela operada para empresas parceiras, a companhia fechou 2014 com a média de 2 milhões 148 mil bpd, um crescimento de 8,7% em relação á média de 2013, que foi de 1 milhão 977 bpd.

        A produção total de petróleo e gás da empresa no Brasil aumentou 6%, em 2014, passando de 2 milhões 321 mil boed, em 2013, para 2 milhões 461 mil boed em 2014.

        A produção de gás natural, excluído o liquefeito, cresceu 9,5% na comparação anual: passou de 61 milhões 922 mil m3/dia, em 2013, para 67 milhões 826 mil m3/dia em 2014. A produção de gás natural operada, excluído o liquefeito, no país, fechou 2014 em 76 milhões 678 mil m3/dia, um crescimento de 11,8% em relação a 2013.

        O gás produzido pela companhia em 2014 teve aproveitamento médio de 94,6%. Esse é o segundo melhor resultado anual da história da empresa, inferior apenas ao ano de 2013, quando foi alcançado um aproveitamento médio de 95,1%. O resultado em 2014 já era esperado, em função do maior número de plataformas em início de operação, período no qual ocorre menor aproveitamento de gás, devido à necessidade de realização de testes e estabilização de todos os novos sistemas.

        Novos sistemas de produção

        O aumento da produção em 2014 decorreu, principalmente, da contribuição de nove novos sistemas de produção e do aumento da eficiência operacional das Unidades de Operações da companhia. Cinco desses sistemas começaram a operar em 2013 e tiveram novos poços interligados ao longo de 2014. Outros quatro foram instalados no ano passado.

        Das plataformas instaladas em 2013, contribuíram para esse resultado a P-63, no campo de Papa-Terra, e a P-55, no campo de Roncador, ambas na Bacia de Campos; o FPSO Cidade de Itajaí, no campo de Baúna, no pós-sal da Bacia de Santos; além dos FPSOs Cidade de São Paulo, no campo de Sapinhoá, e Cidade de Paraty, na área de Lula Nordeste – ambos no pré-sal da Bacia de Santos. Já os sistemas de produção que entraram em operação em 2014 e que contribuíram para esse desempenho foram a P-58, no Parque das Baleias, a P-62, no campo de Roncador, ambas na Bacia de Campos, além dos FPSOs Cidade de Mangaratiba, na área de Iracema Sul, e Cidade de Ilhabela, no campo de Sapinhoá, ambos no pré-sal da Bacia de Santos, nos quais os poços conectados continuam apresentando excelente produtividade. A produção média dos dois primeiros poços no FPSO Cidade de Mangaratiba é de 33 mil barris diários por poço, sendo que no primeiro poço produtor do FPSO Cidade de Ilhabela a produção se encontra no patamar de 30 mil barris diários.

        Alta produtividade no pré-sal

        Um fator de enorme importância para os resultados obtidos em 2014 e que contribuiu para os sucessivos recordes foi a alta produtividade dos poços na província do pré-sal da Bacia de Santos. É importante registrar que a vazão média dos poços em produção, ali, tem oscilado em torno de 20 mil boepd. E que alguns deles ultrapassam 30 mil bpd, o que tem contribuído significativamente para a alta produtividade daquele polo de produção, fator importante para a viabilidade econômica da área.

        Essa alta produtividade permitiu, por exemplo, que as unidades piloto de produção FPSO Cidade de São Paulo, no campo de Sapinhoá, e FPSO Cidade de Paraty, no campo de Lula, atingissem sua capacidade máxima de produção, que é de 120 mil bpd, com apenas quatro poços interligados a cada uma delas.

        Eficiência operacional

        O Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef) implementado pela empresa em suas Unidades Operacionais, por sua vez, fechou o ano com excelentes resultados, contribuindo para a redução do declínio natural da produção dos campos em operação. As várias iniciativas adotadas no programa foram responsáveis, no ano, por uma produção média adicional de 156 mil bpd nos sistemas gerenciados pelas unidades de operações das bacias de Campos, Espírito Santo e Rio de Janeiro. No último mês de dezembro esse ganho de produção chegou a 194 mil bpd. Por exemplo: em 2014, o aumento da eficiência operacional alcançado pela Unidade de Operações da Bacia de Campos (UO-BC), formada por muitos campos maduros e de onde se origina, ainda, o maior volume do petróleo produzido pela empresa, que passou de 75%, em 2013, para 80% em 2014, contribuindo para compensar o declínio natural desses campos. A eficiência operacional da Unidade de Operações do Rio de Janeiro (UO-Rio) também apresentou ótimos resultados, passando de 92%, em 2013, para 95% em 2014; assim como a registrada pela Unidade de Operações do Espírito Santo (UO-ES), onde o Proef foi implantado recentemente, que manteve a eficiência em 93% de um ano para o outro.

        As Unidades de Operações do Norte e Nordeste, onde predomina a produção terrestre, encerraram 2014, também, com excelente desempenho operacional, que chegou a 95,1%, um aumento de 1,3% em relação à meta programada no início do ano, garantindo a viabilidade econômica das operações na região. Ali foram perfurados, ao longo desse ano, 400 novos poços assim como foram feitas mais de cinco mil intervenções em poços onshore com o objetivo de manter o nível da produção e melhorar o fator de recuperação dos reservatórios.

        Produção de óleo e gás no exterior em 2014

        No ano de 2014 a produção média de petróleo e gás no exterior foi de 209,3 mil boed, 4,6% abaixo da média de 2013 que foi de 219,5 mil boed. A produção média de óleo, em 2014, foi de 115,9 mil bpd, 9,8% menor que a de 2013, que foi de 128,5 mil bpd. A produção média de gás foi de 15,9 milhões de m3/dia, 2,6% maior do que a de 2013, que foi de 15,5 milhões de m3/dia.

        Contribuíram, prioritariamente, para esse resultado, os desinvestimentos realizados na Nigéria, Argentina e Colômbia. Esse efeito foi parcialmente compensado pelo aumento da produção nos Estados Unidos nos campos de Cascade e Chinook devido à implantação de projeto de Desenvolvimento da Produção.

        Produção de dezembro informada à ANP

        A produção total de dezembro de 2014 informada à ANP foi de 11.258.230 m³ de óleo e 2.571.959 mil m³ de gás. Essa produção corresponde à produção total das concessões em que a Petrobras atua como operadora. Não estão incluídos os volumes de xisto, LGN e produção de parceiros dos projetos em que a Petrobras não é operadora.

  29. Vilmar / Post Author

    Conclusão de Negociação com Credores

    Rio de Janeiro, 06 de janeiro de 2015 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que concluiu com sucesso a negociação com credores que demandavam demonstração contábil do terceiro trimestre de 2014 (3T14) revisado pelo Auditor Externo até final de janeiro de 2015.

    Com a finalização desse processo, que demandou negociações apenas em contratos bilaterais, a Companhia uniformizou o atendimento a todos os seus contratos financeiros com a apresentação da demonstração do 3T14 sem a revisão do auditor.

    A Companhia reitera a informação dada ao mercado em 29 de dezembro de 2014, que divulgará ao mercado, ainda este mês, as demonstrações contábeis do 3T14, sem o relatório de revisão do seu Auditor Externo eliminando, dessa forma, o risco de declaração de vencimento antecipado da dívida pelos credores.

    Atenciosamente,

    Relacionamento com Investidores.

  30. Andresa /

    Eu queria ver a cara do cidadão que escreveu este artigo lendo sobre o Petrolão e vendo que hoje se compra uma ação da Petrobrás por 9 reais.

    O pré-sal já era, com esse preço do barril atual, ele não compensa mais. E com essa nova tecnologia de extração dos EUA e as reservas deles crescendo a cada dia mais, o preço do barril vai cair no chão.

    Só restará à Dilma pegar uns 90 bilhões do dinheiro dos nossos impostos para cobrir o rombo do que foi roubado pelo PT e pelas empreiteiras. Se fosse uma empresa privada, nessas condições, ela já teria tido que declarar falência. A OGX estava melhor do que a Petrobrás está hoje.

    1. Vilmar / Post Author

      Ogx deu lucro e dividendos NUNCA.
      Até 45$ pré sal é viável.

      1. Andresa /

        É fácil dar lucro e dividendos com o governo tirando dinheiro dos impostos dos trabalhadores para cobrir os rombos na Petrobrás. Essa é a empresa que mais deve no mundo, e é a única petroleira que possui dívidas, todas as outras vão bem muito obrigado.

        Só hoje a Petrobrás caiu quase 10%. As ações da PETR3 já estão valendo 8 reais. Agora, eu lhe pergunto: o quê acontece se estas ações passarem a não ter valor algum? E aquelas propagandas com imagens bonitas que o PT mostra na TV?

      2. vilmar /

        A empresa produziu e produz, deu lucro e dá lucro, pagou e paga proventos.
        Já os projetos do charlata peruka x só serviu para roubar dinheiro dos milhares de otários ávidos por lucro fácil. Tudo na casa dos centavinhos na beira da falência.
        Não comparem nunca empresa de verdade com projetos lixos de charlatões!!!!

      3. Andresa /

        Produz, mas a que custo? Enquanto o barril do petróleo caiu mais de 50% nos últimos 6 meses, aqui no Brasil o preço da gasolina subiu 2 vezes. A gasolina vai passar dos R$ 3, é a gasolina mais cara do mundo.

        Para a Petrobrás produzir, o consumidor tem que pagar a conta dobrada por causa da corrupção e do preço altíssimo de extração do pré-sal. Enquanto os EUA acha formas mais baratas de extrair, o Brasil encontra mais caras. De que adianta a Petrobrás produzir?

        Você diz:
        “Não comparem nunca empresa de verdade com projetos lixos de charlatões!”

        As empresas do Grupo X faliram por incompetência do dono. A Petrobrás também faliu, a diferença é que o PT pegou o dinheiro dos nossos impostos para socorrer ela. Assim é fácil não falir!

        http://jornalismopolitico.org/governo-socorre-petrobras-em-r7-bi/

        http://www.ormnews.com.br/noticia/governo-libera-r-18-bi-para-a-petrobras

      4. Vilmar / Post Author

        Por isto no Brasil, no final das contas é melhor investir em estatal ou mista, o povo pacato paga a conta, sempre!!!
        Aqui é capitalismo de estado pesado, quase uma mini China.

      5. Andresa /

        Não estou vendo capitalismo aqui no Brasil. A sua própria comparação com a China diz tudo: comunismo para os pobres, capitalismo para os amigos do rei – ou no caso amigos do PT.

      6. Vilmar / Post Author

        Sim, pode chamar de Capitalismo de Estado ou Comunismo de Mercado, como preferir.
        +4anos de Dilmaldades, é mais do mesmo.

  31. Acorda Brasil /

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/12/1559540-escritorio-americano-entre-com-acao-coletiva-contra-petrobras.shtml

  32. Vilmar / Post Author

    03/12/2014 às 15h47
    Produção de petróleo e gás no Brasil bate recorde em outubro, diz ANP

    Por André Ramalho | Valor

    RIO – O Brasil atingiu novo recorde de produção de petróleo e gás natural em outubro. De acordo com o boletim mensal de produção da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foram produzidos 2,976 milhões de barris diários de óleo equivalente (BOE) no mês, o que representa uma alta de 17% ante outubro de 2013.

    No pré-sal, foram produzidos 739,5 mil barris de óleo equivalente por dia, a partir de 40 poços. O volume representa um aumento de 99% frente a outubro de 2013 e de 14,1% em relação a setembro deste ano.

    A produção de petróleo cresceu 15,1%, para o patamar recorde de 2,393 milhões de barris/dia. Na comparação com setembro, o crescimento foi de 1,5%. O maior campo produtor foi Roncador, na Bacia de Campos, que produziu, em média, 328 mil barris diários. No pré-sal, foram produzidos 607,1 mil barris/dia.

    Já a produção de gás natural atingiu os 92,7 milhões de metros cúbicos diários de gás natural (m3/dia). O volume representa um aumento de 27,2% na comparação anual.

    A queima de gás totalizou 3,9 milhões de m3/dia, uma alta de 37,2% se comparada a outubro de 2013. O aproveitamento de gás natural em outubro deste ano foi de 95,8%.
    valor.com.br/empresas/3803644/producao-de-petroleo-e-gas-no-brasil-bate-recorde-em-outubro-diz-anp#ixzz3L2yAUvJ3

  33. Samuel /

    Calma Vilmar, não precisa ter pressa….Ela vai falir sim…Veja bem meu colega, a bagaça hoje vale algo em torno de 160 Bi. De primeira ja é a terceira do Brasil em valor de mercado…Sua dívida ultrapassa 300 Bi…Captar recursos hoje para Petrobras está se tornando algo surreal..Não tome posições por oscilações de mercado. Tivemos algumas altas no período eleitoral, mas repare que fim das contas é minima em cima de minima…Quebrar é só questão de tempo. O investimento não voltará com esse governo e mercado continuará agredindo a empresa até seu estrangulamento financeiro..

    1. Vilmar / Post Author

      Seria a nova Telebrás na sua opinião!? Bate o martelo na “profecia”?
      Abraço.
      []´s

      1. samuel /

        Nas mãos do PT é esse o fim…..Continuo falando, fique longe de Petro enquanto esta turma estiver no comando. Ja está costumando na casa dos 8 reais…Ta vendo seu gráfico Bull Market de set/2014 no que deu??? rsrsrs

  34. Vilmar / Post Author

    Petrobras atinge sua maior produção mensal histórica de óleo no Brasil

    Companhia também atinge novos recordes históricos como operadora de óleo e gás no país,
    além de recordes diário e mensal de produção na camada Pré-sal

    Rio de Janeiro, 11 de novembro de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que a produção consolidada de petróleo e gás, no Brasil e no exterior, alcançou 2 milhões 795 mil barris de óleo equivalente por dia (boed) em outubro. Esse volume foi 0,5% superior ao registrado em setembro, que foi de 2 milhões 781 mil boed.

    Produção de petróleo no Brasil cresce 0,4% em relação a setembro, e atinge novo recorde

    A produção de petróleo da Petrobras no Brasil atingiu em outubro a média de 2 milhões 126 mil barris/dia (bpd), 0,4% maior que o produzido em setembro, 2 milhões 118 mil bpd. Esta vazão representa novo recorde histórico, superando o recorde anterior, atingido em dezembro de 2010, em 4,8 mil bpd. Outubro foi o nono mês consecutivo de crescimento da produção de petróleo da Companhia no país.

    A produção total de petróleo operada pela Petrobras no Brasil, que inclui a parcela operada pela Companhia para seus parceiros, atingiu em outubro seu quarto recorde consecutivo, de 2 milhões 268 mil bpd – volume 1,3% superior aos 2 milhões 239 mil bpd que haviam sido alcançados em setembro.

    Produção total de petróleo e gás

    A produção total de petróleo e gás da Petrobras no Brasil foi de 2 milhões 579 mil boed, indicando um aumento de 0,6% em relação à produção obtida no mês de setembro, de 2 milhões 565 mil boed, e um novo recorde histórico. A produção total de óleo e gás natural operada pela Petrobras no Brasil, que inclui a parcela operada para seus parceiros, por sua vez, foi de 2 milhões 783 mil boed em outubro, 1,5% acima do volume obtido em setembro (2 milhões 743 mil boed), e uma vez mais representa a maior produção total operada já atingida pela Companhia.

    Crescimento da produção

    O crescimento da produção decorreu, principalmente, do ramp-up (crescimento) da produção dos novos sistemas, como a P-58, no Parque das Baleias (Bacia de Campos); P-55 e P-62, em Roncador (Bacia de Campos); FPSO Cidade de Paraty, em Lula Nordeste (Bacia de Santos); e FPSO Cidade de São Paulo, em Sapinhoá (Bacia de Santos); além da entrada em produção em 14 de outubro do FPSO Cidade de Mangaratiba, no campo de Iracema Sul (Bacia de Santos).

    No mês de outubro, dez novos poços offshore iniciaram operação nas bacias de Campos e Santos, sendo três produtores e sete injetores. Com eles, um total de 63 novos poços já entrou em operação no ano de 2014.

    Com o início de operação das embarcações do tipo PLSV (Pipe Laying Support Vessel) Sapura Topázio (5/10), North Ocean 102 (14/10) e Coral Atlântico (20/10) no mês de outubro, a frota da companhia atingiu o total de 18 unidades. Com a chegada prevista da embarcação Estrela do Mar em dezembro, o quadro de embarcações previstas para entrar em operação neste ano ficará completo.

    A produção de petróleo da camada pré-sal em outubro chegou a 606 mil bpd, 14% acima do volume alcançado em setembro (532 mil bpd), constituindo-se novo recorde de produção mensal naquela camada. No dia 28 de outubro, foi registrada a maior produção diária no pré-sal das bacias de Campos e Santos, de 640 mil bpd. Essas vazões incluem a parcela operada pela Petrobras para empresas parceiras.

    Vale destacar que esse recorde foi obtido com apenas 31 poços produtores, sendo 17 na Bacia de Campos e 14 na Bacia de Santos.

    Paradas de Produção e Eficiência Operacional

    Conforme planejamento da companhia, foram executadas paradas para manutenção em algumas plataformas no mês de outubro, com a interrupção temporária de 68 mil bpd na produção média do mês, dentre as quais se destacam as paradas da P-37, PNA-2, PCH-1 e FPSO Cidade de Santos. Todas essas unidades já retornaram à produção.

    O Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef), por sua vez, continua acumulando excelentes resultados: no mês de outubro, foi responsável por uma produção superior a 200 mil bpd nos sistemas das Unidades Operacionais da Bacia de Campos, Espírito Santo e Rio.

    Novas plataformas em 2014

    Novos sistemas de produção entrarão em operação até o final deste ano para garantir a continuidade do crescimento sustentado da curva de produção.

    Além do FPSO Cidade de Mangaratiba, que iniciou produção no campo de Iracema Sul no dia 14 de outubro, 20 dias antes do programado, entrarão em operação, nas próximas semanas, o FPSO Cidade de Ilhabela – que já está ancorado na área Norte do campo de Sapinhoá e com as operações de conexão do primeiro poço em andamento – e a plataforma P-61, já ancorada na locação, no campo de Papa-Terra, no pós-sal da Bacia de Campos. Já está em operação de montagem a sonda SS-88 (TAD – Tender Assisted Drilling), que permitirá o início das operações do primeiro poço conectado à P-61.

    Produção de gás natural

    A produção de gás natural no Brasil em outubro também foi a maior já registrada, atingindo 72 milhões 40 mil m³/dia e superando em 1,3% a produção no mês anterior, que foi de 71 milhões 137 mil m³/dia. A produção de gás operada pela Petrobras, que inclui a parcela operada para as empresas parceiras, também atingiu novo recorde, de 81 milhões 785 mil m³/dia, 2,1% superior à registrada em setembro (80 milhões 132 mil m³/d).

    Vale ressaltar que 95,6% desse gás foi aproveitado, seja para fornecimento ao mercado, seja para geração de energia nas plataformas ou reinjeção nos reservatórios para elevar a produção de petróleo.

    Produção no exterior manteve-se estável em outubro em relação ao mês anterior

    No exterior foram produzidos, no mês de outubro, 215,8 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), representando um aumento de 0,1% em relação aos 215,6 mil boed produzidos no mês anterior.

    A produção média de gás natural no exterior foi de 16 milhões 631 mil m³/dia, 2,1% acima do volume produzido no mês de setembro, que foi de 16 milhões 293 mil m³/dia. Este aumento é devido a uma maior produção no Lote 57, Campo de Kinteroni, no Peru, causada pela demanda por exportação de GNL a partir desse país.

    A produção média de óleo em outubro, de 117,9 mil barris de óleo por dia (bpd), ficou 1,6% abaixo dos 119,7 mil bpd produzidos no mês anterior em função, principalmente, de variações operacionais em campos da Argentina (Medanito, El Tordillo e Entre Lomas) e Nigéria (Akpo).

    Produção informada à ANP

    A produção total informada à ANP foi de 10.672.517 m³ de óleo e 2.666.814 mil m³ de gás em outubro de 2014. Essa produção corresponde à produção total das concessões em que a Petrobras atua como operadora. Não estão incluídos os volumes do xisto, LGN e produção de parceiros onde a Petrobras não é operadora.

    Acesse aqui informações completas sobre a produção de outubro da Petrobras.

    Atenciosamente,

    Relacionamento com Investidores.

  35. vilmar /

    Petrobras inicia produção comercial em Iracema Sul, no pré-sal da Bacia de Santos

    Rio de Janeiro, 14 de outubro de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que entrou em operação, hoje (14/10), o navio-plataforma Cidade de Mangaratiba, instalado na área de Iracema Sul, no campo de Lula, localizado o bloco BM-S-11, no pré-sal da Bacia de Santos. A nova plataforma teve seu início de produção antecipado, uma vez que a previsão original de entrada em operação, conforme previsto pelo Plano de Negócios e Gestão da companhia para o período de 2014-2018, era 6 de novembro de 2014.

    A plataforma Cidade de Mangaratiba é uma unidade do tipo FPSO (unidade que produz, armazena e transfere petróleo). A unidade foi contratada em setembro de 2011 junto ao consórcio Schahin-Modec e seu casco foi convertido no estaleiro Cosco, em Dalian, na China. Já a integração dos módulos da planta de processo foi realizada no estaleiro BrasFels, em Angra dos Reis, Rio de Janeiro.

    A plataforma, ancorada em profundidade de 2.200 metros, a cerca de 240 km da costa, terá capacidade para processar, diariamente, até 150 mil barris de petróleo e 8 milhões de m3 de gás, além de armazenar 1,6 milhão de barris de petróleo. O poço 4-RJS-647, primeiro a ser interligado à plataforma, tem potencial de produção superior a 30 mil barris por dia. O petróleo produzido na área de Iracema Sul é de elevada qualidade e de média densidade (30º API) e será escoado por navios aliviadores.

    O escoamento da parcela do gás não utilizado para reinjeção no campo será feito pela Malha Integrada de Escoamento de Gás da Bacia de Santos. O Cidade de Mangaratiba será conectado a oito poços produtores e oito injetores ao longo dos próximos meses. A previsão é que o pico de produção seja atingido no primeiro semestre de 2016.

    O conteúdo local estimado para o desenvolvimento da área de Iracema Sul é de 42%, superior ao conteúdo local mínimo de 30% estabelecidos pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o bloco BM-S-11. A construção e integração de módulos da plataforma, no Brasil, envolveram quatro sites de obras no Rio de Janeiro – distribuídos por Itaguaí, Ilha do Fundão, Niterói, Angra dos Reis – além da Bahia.

    A concessão BM-S-11 é operada pela Petrobras (65%), em parceria com a BG E&P Brasil Ltda (25%) e Petrogal Brasil S.A. (10%).

    Características técnicas:

    Capacidade de produção: 150 mil barris por dia
    Capacidade de tratamento de gás natural: 8 milhões de m3 por dia
    Capacidade de armazenamento: 1,6 milhão de barris de petróleo
    Alojamento: 150 pessoas
    Profundidade d´água de operação: 2.200 metros

    Atenciosamente,

    Relacionamento com Investidores.

  36. VILMAR /

    PETROBRAS$$$ SUBINDO QUASE +9%, MAS ELA NÃO IRIA FALIR??
    ALGUÉM ANALISA??
    KKKKK

  37. Vilmar / Post Author

    Quem investiu R$ 1.000 em Petrobras viu seu dinheiro virar R$ 5.600 em 4 pregões
    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3617256/quem-investiu-000-petrobras-viu-seu-dinheiro-virar-600-pregoes

  38. Vilmar / Post Author

    Presidente da Petrobras quer, ao menos, 10% de reajuste na gasolina, diz fonte
    infomoney.com.br/petrobras/noticia/3614536/presidente-petrobras-quer-menos-reajuste-gasolina-diz-fonte

  39. vilmar /

    Novo poço confirma potencial na Bacia de Sergipe-Alagoas

    Rio de Janeiro, 24 de setembro de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que identificou a presença de gás durante a perfuração do poço de extensão 3-BRSA-1022-SES (3-SES-181), localizado na área do Plano de Avaliação da Descoberta (PAD) do Poço Verde, na concessão BM-SEAL-4, em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe-Alagoas.

    O poço, conhecido informalmente como Poço Verde 1, está localizado a 58 km da costa de Aracaju, em local onde a profundidade d’água é de 2.196 metros.

    Foi verificada a existência de reservatórios com boas condições de porosidade, confirmando as expectativas do projeto.

    A acumulação Poço Verde integra o programa de desenvolvimento da Bacia de Sergipe-Alagoas em águas profundas.

    A Petrobras, operadora do BM-SEAL-4, com 75% de participação, em parceria com a companhia indiana ONGC, detentora de 25%, dará continuidade às atividades previstas na área.

    Atenciosamente,

    Relacionamento com Investidores.

  40. Vilmar / Post Author

  41. Vilmar / Post Author

    Prezado

    Esclarecimento sobre Notícias

    Rio de Janeiro, 8 de setembro de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que os meios de comunicação vêm, desde sexta-feira 05/09, veiculando matérias envolvendo o nome da Petrobras a partir de informações não oficiais, obtidas dos depoimentos que o Sr. Paulo Roberto Costa estaria prestando na Polícia Federal.

    Sobre isso a Petrobras esclarece que:

    1. Não é devido comentar sobre conteúdos não oficiais publicados nos meios de comunicação. Também não cabe comentar sobre investigações em curso ou sobre declarações de pessoas ou empresas sendo investigadas pela Polícia Federal ou por qualquer outro organismo de controle.

    2. Sobre seus empreendimentos e negócios, a empresa vem fornecendo informações continuadamente a toda sociedade através do seu site http://www.petrobras.com.br, de Notas à Imprensa, de respostas aos meios de comunicação e de comunicados de Fatos Relevantes. Dessa forma deixa transparente tudo que se relaciona com os assuntos em análise ou em investigação.

    3. Ademais, a empresa cumpre rigorosamente seu dever e vem prestando todas as informações solicitadas pela Polícia Federal – PF, Tribunal de Contas da União – TCU, Controladoria Geral da União – CGU e Ministério Público – MP, além de estar sempre informando a estes Órgãos sobre novos fatos e dados de que tenha conhecimento.

    4. É de interesse da direção da Empresa ver a conclusão de todas as investigações em curso por todos aqueles Órgãos. Com este propósito, continuará contribuindo para que isto ocorra rápida e eficazmente. Neste sentido a Petrobras requereu ao Juiz responsável pela Operação Lava Jato acesso às informações relativas à Petrobras que o Sr. Paulo Roberto Costa já forneceu no âmbito da delação premiada, bem como enviou cartas às empresas citadas nos veículos de comunicação, solicitando informações sobre a existência de seus contratos com empresas ligadas ao Sr. Alberto Youssef e sobre qualquer envolvimento com as atividades objeto desta investigação. Tais informações subsidiarão as Comissões Internas de Apuração já instaladas.

    5. Por fim, a Diretoria Executiva informa aos seus acionistas e empregados que a empresa continua trabalhando normalmente em todas as suas unidades para atender a seus objetivos empresariais, visto que atos irregulares, que possam ter sido cometidos por uma pessoa ou grupo de pessoas, empregados ou não da empresa, não representam a conduta da instituição Petrobras e de sua força de trabalho constituída por milhares de empregados.

    Atenciosamente,

    Relacionamento com Investidores.

  42. vilmar /


    Petrobras: A lista dos políticos delatados por Paulo Roberto Costa

    A edição da revista Veja que começou a circular traz o nome dos seguintes políticos envolvidos com negócios sujos da Petrobras:

    – Edison Lobão, ministro das Minas e Energia, PMDB

    – João Vaccari Neto, secretário nacional de finanças do PT

    – Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara dos Deputados, PMDB

    – Renan Calheiros, presidente do Senado, PMDB

    – Ciro Nogueira, senador e presidente nacional do PP

    – Romero Jucá, senador do PMDB

    – Cândido Vaccarezza, deputado federal do PT

    – João Pizzolatti, deputado federal do PT

    – Mario Negromonte, ex-ministro das Cidades, PP

    – Sergio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, PMDB

    – Roseana Sarney, governadora do Maranhão, PMDB

    – Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, PSB – morto no mês passado em um acidente aéreo

    Na época em que era diretor da Petrobras Paulo Roberto conversava frequentemente com o então presidente Lula, segundo contou à Polícia Federal.

    oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2014/09/06/petrobras-lista-dos-politicos-delatados-por-paulo-roberto-costa-548591.asp

    fora marginais!!
    petrobras rumo a luaaaa

    No “Aqui entre nós” de hoje, os historiador Marco Antonio Villa comenta a delação premiada de Paulo Roberto Costa. O escândalo está na capa de VEJA desta semana.
    http://veja.abril.com.br/multimidia/video/marginais-do-pt-saquearam-a-petrobras-diz-villa

  43. vilmar /

    Mapa do tesouro: quem ganha e quem perde com uma vitória de Marina na Bolsa – InfoMoney

    Petrobras (positivo)
    A empresa que mais tem chamado atenção no rali eleitoral, com valorização que já supera os 100%. Basicamente, a expectativa é que sem Dilma o governo iria intervir menos na companhia e em sua política de preços. Segundo os analistas do UBS, caso a peessebista vença, a Petrobras deixaria de ser usada como instrumento do governo para políticas macroeconômicas, fato que também ajuda a Eletrobras.

    O plano de governo da candidata diz especificamente que os preços da companhia precisam refletir “custos reais e as condições de mercado”, o que, segundo o UBS pode significar uma menor intervenção do governo na empresa. O plano ainda menciona que a agência reguladora precisa ser mais independente e que as regras locais precisam ser revistas para aumentar a competitividade da Petrobras.

    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3555067/mapa-tesouro-quem-ganha-quem-perde-com-uma-vitoria-marina

  44. Vilmar / Post Author

    Declaração de Comercialidade das áreas da Cessão Onerosa: Sul de Guará, Nordeste de Tupi e Florim

    Rio de Janeiro, 03 de setembro de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras comunica que apresentou hoje à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a declaração de comercialidade das acumulações de petróleo e gás de Sul de Guará, Nordeste de Tupi e Florim, áreas previstas no contrato de Cessão Onerosa, localizadas no pré-sal da Bacia de Santos.

    Na proposta encaminhada à ANP os nomes sugeridos para os novos campos foram Sul de Sapinhoá (Sul de Guará), Sépia (NE de Tupi) e Itapu (Florim).

    O volume contratado por meio da Cessão Onerosa para as três áreas, de 1,214 bilhões de barris de óleo equivalente, foi constatado na fase exploratória. Os reservatórios do pré-sal nestes campos são portadores de óleo de boa qualidade (entre 26 e 29o API).

    Durante a execução do Plano Exploratório Obrigatório, a Petrobras adquiriu dados sísmicos 3D em todas as áreas, perfurou 03 poços obrigatórios e 02 poços adicionais, com o objetivo de delimitar e caracterizar os reservatórios das jazidas. Além disso, foram realizados 3 testes de formação e 1 teste de longa duração para avaliar a produtividade dos reservatórios.

    Os novos campos de Sépia e Itapu estão localizados entre 185 km e 260 km da costa do Estado do Rio de Janeiro em profundidades d’agua entre 1.850 metros e 2.250 metros. O Campo Sul de Sapinhoá está localizado a cerca de 320 km da costa do Estado de São Paulo em profundidade d’água entre 2.200 metros e 2.250 metros.

    Conforme divulgado no Plano de Negócios e Gestão 2014-2018 da Companhia, as áreas de NE de Tupi (Campo de Sépia) e de Florim (Campo de Itapu) terão início de produção comercial em 2018 e 2020, respectivamente. A Companhia está analisando as alternativas para o desenvolvimento da área de Sul de Guará (Campo de Sul de Sapinhoá) e informará a data de início de produção quando ocorrer a divulgação do Plano de Negócios e Gestão 2015 -2019.

    As datas mencionadas de entrada em produção destes novos campos estão em revisão e poderão ser alteradas ou confirmadas quando o Plano de Desenvolvimento de cada área for submetido à ANP.

    Com a declaração de comercialidade das áreas de Sul de Guará, Nordeste de Tupi e Florim, tem prosseguimento o processo formal de revisão do contrato de Cessão Onerosa, que será realizado bloco a bloco, levando-se em consideração as premissas técnicas e econômicas de cada área. A expectativa é de que a revisão do Contrato da Cessão Onerosa seja concluída em 2015.

    Este processo de revisão está em andamento nas áreas de Franco e Sul de Tupi, cujas declarações de comercialidade foram feitas em dezembro de 2013. De todos os blocos da Cessão Onerosa apenas a área denominada Entorno de Iara ainda não teve sua declaração de comercialidade efetivada, o que deve ocorrer até dezembro de 2014.

  45. Vilmar / Post Author

    Gráficos mandam comprar Petrobras e vender Vale; veja – InfoMoney
    infomoney.com.br/onde-investir/acoes/noticia/3555999/graficos-mandam-comprar-petrobras-vender-vale-veja

Leave a Reply

CAPTCHA *