‘Saúde’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: saúde

    Geral

    7 sinais de que nunca será rico

    17 de junho de 2019

    11 sinais que você terá sucesso, mesmo que não pareça

    7 sinais de que você nunca será rico - Especialista da Creditas, Otávio Machado aponta comportamentos perigosos e erros mais comuns que atrapalham sua saúde financeira

    Para quem resolver contas faz parte da vida, pessoal ou profissional, conhecimentos matemáticos estarão frescos na sua mente. Mas nem todas as profissões e rotinas diárias dependem desses cálculos.
    Tem uma matéria específica do campo matemático não é ensinada nas escolas, ou não aprofundada como deveria ser, mas é muito ativa na vida de todas as pessoas: a Educação Financeira.

    Para ajudar quem está começando a organizar as finanças o coordenador de crédito da Creditas (Otávio Machado) separou os principais sete erros te afastam da estabilidade financeira – e, no médio prazo, da riqueza. Confira:

    1. Ficar em dúvida de quando pagar à vista ou parcelado
    2. Na verdade, tudo depende das condições de pagamento. Você vai ter algum desconto pagando tudo de uma vez? De quanto? Se for maior do que as taxas de rendimento das aplicações da sua carteira de investimentos, o pagamento à vista é, sim, o mais indicado.

      “A taxa livre de risco (SELIC) está em 6,5% ao ano hoje, ela pode servir de comparação para um parcelamento em 12x, por exemplo. Se o desconto à vista for maior que 6,5% vale mais a pena pagar à vista do que parcelar em 12x”, explica Otávio.

      Caso não haja desconto ou se ele for menor do que seu dinheiro renderia aplicado, vale a pena dividir, desde que o parcelamento seja sem juros. Além disso, considere o efeito da inflação: quando você parcela sem juros, o valor pago nas últimas prestações vale menos do que no começo. Ou seja, você está economizando.

    3. Ter dinheiro apenas para pagar contas fixas – e não sobrar dinheiro para investir
    4. Normalmente, quando o salário entra, o mais comum para as pessoas é pagar os chamados gastos burocráticos, que são os que englobam contas de moradia e consumo, os gastos fixos ou de rotina, por exemplo.

      Em seguida, partimos para gastos flexíveis, os custos com tudo o que você compra, mas não precisa necessariamente, como aquela ida ao cinema ou a um restaurante que você gosta. O que configura o necessário para manter sua qualidade de vida.

      E, por fim, ficam os investimentos no futuro: aquele dinheiro que você reserva para ter um bom padrão de vida no futuro ou realizar um projeto ou objetivo importante.

      No entanto, o ideal é inverter essa lógica e colocar seus sonhos e seu futuro em primeiro lugar. Em seguida, sua qualidade de vida. E por último os gastos burocráticos. Dessa forma você tem mais flexibilidade para fazer uma mudança de vida.

    5. Não guardar dinheiro
    6. É preciso criar o hábito de guardar dinheiro antes de investir. É muito importante ter consciência de que é importante guardar e não gastar.

      Muitas pessoas querem já pensar em taxas altas de rendimento e estudar mil tipos de investimentos, quando, na verdade, teriam mais dinheiro se guardassem mais no começo ou gastassem menos.

    7. Não ter teto de gastos
    8. Se você não coloca um teto, um limite para seus gastos, facilmente perderá o controle das suas finanças.

      Tomando a dica 3 como base, há um método que você pode seguir para cuidar do seu orçamento: a regra do 50-30-20. Ao segui-la, você estabelece uma proporção mensal para cada um dos tipos de gasto: 50% para os gastos burocráticos ou fixos; 30% para os gastos flexíveis ou de qualidade de vida; 20% para os investimentos no futuro ou prioridades financeiras.

      É importante calcular a porcentagem de quanto equivale cada fatia dessa no seu orçamento mensal. E lembre-se de manter esses valores em mente, assim fica mais fácil priorizar como gastar ou, melhor, investir seu dinheiro.

    9. Achar que falar sobre investimentos é só para especialistas
    10. Para começar e aprender a investir, não tem outro jeito: você precisa procurar fontes de informação variadas. Pesquise muito: vale fazer conta em várias corretoras, explorar simuladores de investimentos e comparadores de fundos, assinar newsletters e relatórios.

      Quando começar a aplicar, também é uma boa ideia colocar um pouco do seu dinheiro em cada tipo de ação ou investimento que te interessa, para entender como funciona e qual o retorno de cada um. A melhor forma de aprender é praticando.

    11. Permanecer com o mesmo hábito financeiro durante anos
    12. Uma vida financeira saudável está muito mais relacionada aos nossos hábitos do que simplesmente a quantidade de dinheiro que temos em mãos. Logo, mudar seu comportamento e o pensamento com relação a finanças é o fundamental para a organização financeira.

      Não se afaste de seus objetivos de investimento e tenha sempre em mente que qualquer gasto desnecessário acarreta em distanciar cada vez mais independência e estabilidade financeira que você tanto deseja.

    13. Não saber quanto vale sua hora
    14. Como fazer um planejamento financeiro sem saber, de fato, quanto entra na sua conta por mês? Se você não tem noção do quanto vale seu trabalho, como poderá mensurar seus gastos?

      Use sempre esse valor como unidade de medida para as suas despesas: quantas horas você terá que trabalhar para pagar esse gasto que você deseja assumir? Ele é realmente mais importante para você?

    E você, o que pensa a respeito?
    Deixe a sua opinião.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Declaração do Imposto de Renda 2019: quais despesas que são passíveis de dedução?

    20 de março de 2019

    Declaração do Imposto de Renda 2019: quais despesas que são passíveis de dedução?

    A declaração do Imposto de Renda é a forma de acertar as contas referentes ao pagamento de tributos por parte dos contribuintes brasileiros. Nesse processo, as pessoas que se enquadram no quadro de obrigatoriedades definido pela Receita Federal devem enviar os comprovantes de seus rendimentos e despesas realizadas durante o ano.

    Com essas informações, a Receita realiza o cálculo e a análise sobre como anda o pagamento de imposto por parte dos brasileiros. Dessa forma, ela define se cada contribuinte pagou, ao longo do ano, a quantidade de tributo que realmente é devida.

    Como, na maioria das vezes, o valor pago não é o correto, é necessário acertar as contas, seja pagando o valor restante ou recebendo a restituição do governo, quando é devida.

    Para chegar a essa conclusão, é necessário que os contribuintes enviem todos os comprovantes dos rendimentos e das despesas que podem ser usadas na hora de calcular e deduzir o valor do imposto.

    Para realizar a declaração do IRPF 2019, o contribuinte pode utilizar as seguintes despesas para dedução:

    Despesas com educação: são consideradas passíveis de dedução, todos os gastos com educação formal, isso é, educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental, ensino médio, educação superior (graduação e pós-graduação) e educação profissional (ensino técnico e tecnológico).

    O valor limite que cada declarante pode deduzir por despesas com educação é de R$3.561,50, sendo que esse teto vale também para os gastos com dependentes.

    Despesas com saúde: o contribuinte pode incluir gastos com plano de saúde, exames, dentista, psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, hospital, entre outros. As despesas com saúde não têm valor limite.

    Dedução por previdência oficial e privada: cidadãos que contribuem mensalmente para o INSS podem incluir essa despesa no grupo de gastos para dedução do tributo do Imposto de Renda.

    Além disso, se o contribuinte fez aportes para um Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) ou um Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi), a Receita permite que seja concedido um desconto de 12% do imposto sobre os rendimentos do ano. No caso do PGBL, essa dedução só é válida se há também a contribuição para a previdência oficial.

    Dedução do Imposto de Renda por pensão alimentícia: a despesa com pensão alimentícia também entra do grupo de gastos dedutíveis. Porém, só é possível incluir o valor combinado em acordo judicial.

    Como declarar o Imposto de Renda em 2019

    Em 2019, o contribuinte deve declarar todos os seus rendimentos e despesas ocorridos ao longo de 2018. Dessa forma, o primeiro passo para ter sucesso neste processo é reunir os documentos necessários para comprovar esses dados.

    Os comprovantes das despesas devem conter toda a identificação pessoal de quem realizou o serviço e do nome do cliente, que no caso deve ser o declarante ou seus dependentes.

    Já os rendimentos, devem ser comprovados por meio de documentos oficiais que certificam a posse de bens e patrimônios e dos informes de rendimentos. Os informes de rendimentos são os documentos que servem para comprovar a situação financeira de uma pessoa e podem ser encontrados em 3 diferentes formas:

    Informe de rendimentos bancários: este documento é enviado pelos bancos e serve para apresentar todas as movimentações financeiras ocorridas na conta bancária do contribuinte.

    Informe de rendimentos da corretora de valores: documento enviado por corretoras para comprovar todas as aplicações financeiras realizadas pelo contribuinte.

    Informe de rendimentos do empregador: este documento é enviado pelas fontes empregadoras aos seus empregados e serve para apresentar todo o rendimento que o profissional obteve ao longo do ano.

    Além de apresentar os rendimentos anuais, os informes de rendimentos servem também para informar quais foram os rendimentos tributáveis e quais foram os rendimentos isentos que o contribuinte obteve. Essa informação é importante para que seja possível inserir a informação correta na hora de declarar a renda.

    A declaração do Imposto de Renda deve ser enviada até às 23 horas, 59 minutos e 59 segundos do dia 30 de abril, de acordo com o horário oficial de Brasília. Os contribuintes que não enviarem no prazo, terão que pagar multas para que a situação do CPF seja regularizada.

    Geral

    Como economizar no plano médico e odontológico?

    2 de setembro de 2015

    Como economizar no plano de saúde?
    Seguem algumas dicas para encontrar um bom plano de saúde, além de economizar nos gastos com saúde:

    • Pesquisar e tirar dúvidas antes de contratar um plano de saúde, tanto com o corretor de seguros, como diretamente com a operadora, além de parentes, amigos, colegas e conhecidos.
      Ter referências nunca é demais;
    • Verificar a rede referenciada. Isto ajuda você a escolher um plano que realmente atenda suas necessidades e que realmente vai te ajudar em momentos de emergência;
    • Avaliar quais são as coberturas do seu convênio médico e odontológico. Caso você ou alguém da sua família tenha histórico de um determinado tipo de doença pode valer contratar um plano um pouco mais caro, mas que cubra exames e tratamento que possam ser necessários;
    • Confira reportagem publicada no site do jornal Folha de São Paulo onde mostra que algumas operadoras estão oferecendo descontos no preço de plano de saúde e prêmios para os usuários que participam de programas de prevenção de doenças e de promoção à saúde.
      Uma das possibilidades seria o usuário perder peso, fazer exercícios e ter hábitos saudáveis. Para ganhar o desconto é necessário que o cliente vá em consultas, participe de palestras e submeter-se a avaliações periódicas.
      Este tipo de cuidado ajuda a reduzir os custos para as operadoras de planos de saúde e ainda faz com que os clientes tenham uma vida mais saudável, assim ocorrem menos problemas com diabetes, hipertensão e outras doenças associadas a obesidade.
    • Se for possível, faça um plano empresarial, pois geralmente ele abrange os demais membros da família e acaba-se pagando uma taxa reduzida que é descontada diretamente em sua folha de pagamento. Vale lembrar que neste caso é importante ter informações na empresa sobre os custos adicionais que poderá ter ao utilizar o plano;
    • Tenha muito cuidado para não contratar serviços de uma empresa em dificuldade financeira.
      Veja os casos da Imbra e Unimed Paulistana, apenas para citar alguns:

      – 17/10/2010 21h51 – Atualizado em 17/10/2010 22h12
      Clientes da Imbra não sabem o que fazer; empresa disponibiliza telefone
      Interessados podem ligar para (11) 3867-5750 para reaver seus prontuários.
      Empresa tem uma dívida de R$ 221 milhões e pediu falência.

      – 02/09/2015 12:22
      Unimed Paulistana quebra e ANS exige troca de gestor

    • Como economizar no plano de saúde?

      tacerto.com/guia/saude/noticias-sobre-saude/como-economizar-no-plano-de-saude

      Até o próximo post.

    Filmes, Off

    Ebola e o lucro das indústrias farmacêuticas

    16 de outubro de 2014

    Parece que já foi visto este “filme” antes, numa história bem recente da humanidade. O grande alarde que se fez em torno do vírus H1N1 agora está sendo feito em torno do Ebola.
    As ações de empresas farmacêuticas e de empresas que fabricam equipamento de proteção estão com grande valorização nas bolsa de valores mundo afora.

    Para quem não lembra do H1N1 ou de qualquer outro surto previsto pela OMS (Organização Mundial de Saúde), vale a pena assistir os filmes recentes:
    – Contágio:
    http://defendaseudinheiro.com.br/dicas-de-filmes-documentarios-e-videos-parte-11

    – Terapia de Risco:
    http://defendaseudinheiro.com.br/comentarios-terapia-de-risco

    De qualquer forma, já prepare os seus bolsos, pois se você e os demais que o cercam entrarem em pânico, os custos serão altos e os lucros das indústrias citadas também subirão.

    Leia também:

    Imagem piada da semana. O único e “mais barato jeito” de se proteger do Ebola:

    moda roupa anti ebola
    Dica para evitar o contágio do Ebola. Anote aí.

    Até o próximo post.

    Geral

    Como economizar na mensalidade da academia

    20 de setembro de 2013

    Muitos querem ter um corpo escultural e ficar saudável, tanto homens como mulheres. Para alcançar estes objetivos acabam gastanto, até mesmo fortunas, com mensalidades de academia, personal trainer, diferentes tipos de vitaminas, suplementos, alimentação muito diferenciada, etc., tudo para conseguir deixar o corpo nas formas desejáveis do padrão de beleza do momento em que vive.
    Outros já não pensam desta forma, embora também pensem em estar bem fisicamente: mente sã, num corpo são. O objetivo deste post não é criticar o ato de fazer exercícios físicos, ficar forte, bonito e atraente, gastando-se muito para atingir tais objetivos, seja algo condenável. Aqui busca-se uma forma de tornar a prática de exercícios físicos salutar, porém econômica, ao alcance de todos. O autor do post, por exemplo, alia atividade física paga com gratuita, sem problema algum.

    É posssível cuidar da saúde e economizar um dinheiro por fazer exercícios ao ar livre, em vez de pagar valores muito altos na mensalidade de uma academia por usar equipamentos de última geração e profissionais gabaritados.
    Há inúmeras academias em que a esteira possui sua própria televisão, assim como outros aparelhos modernos para se exercitar. Aí então deve-se lembrar: este luxo tem um preço.

    Existem diversas maneiras de se exercitar ao ar livre, “di grátis”, em praças, praias, parques, ruas, etc., logo, se é possível, por que não economizar?
    Seguem alguns exemplos para se economizar um dinheiro mensalmente, cuidar de saúde e estar bem fisicamente:

    – Alongamentos: pode-se fazer em casa, ao ar livre, num parque, numa praça, na praia…requer cuidados, serve a praticamente todas as idades, e sempre na dúvida, consulte um profissional de educação física, seja nesta ou qualquer outra modalidade de atividade física. Algumas pessoas trazem de berço a aptidão com práticas esportivas e atividades correlacionadas, porém outras tem maior dificuldade, vai de cada um saber em que patamar se encontra. Isto se aplica a todas as demais atividades descritas neste texto;

    – Abdominais, pular cordas ou até mesmo levantamento de peso(musculação), com alguns halteres, é possível se praticar em casa, numa praça, num parque ou numa praia ao livre, claro, para isto é preciso também alguma aptidão. Existem até pessoas que se aventuram a fazer exercícios de pilates em casa, os quais possuem uns equipamentos, que necessitam de um pequeno investimento, assim como musculação;

    – Bicicleta: pode ser ótimo para praticar atividade física, principalmente em parques, praias, cidades com ciclovias/ciclofaixas, além de ser um bom meio de transporte, claro, para locais onde possa se fazer com segurança. Assim como parte dos itens citados acima, também requer um investimento;

    – Futebol, vôlei, basquete, frescobol, skate, patins e até mesmo tênis, são possíveis se praticar em parques que possuem quadras e espaços gratuitos para tais práticas. No caso, se o esporte é muito popular ou tem poucas quadras, a concorrência pode ser um pouco grande, mas vale a paciência e para o bolso. Também são práticas esportivas que precisam um pouco mais de aptidão prévia.

    Apenas citando algumas possibilidades, pois elas são inúmeras, e vão te proporcionar uma boa economia de dinheiro, mesmos as que tenham um pequeno gasto inicial ou de manutenção, como no caso de bicicleta, patins e skate.

    Opinião de quem pratica e foi incentivado a praticar atividades físicas durante toda a vida. Contagie os seus amigos, colegas, vizinhos, e até mesmo os inimigos, sempre, rsrsr.
    Fonte de consulta: financasforever.com.br/dica-de-economia-economizando-na-mensalidade-da-academia

    Até o próximo post.

    Geral

    Como economizar comendo de forma saudável?

    21 de março de 2013

    A primeira a coisa a se fazer é tirar do cardápio os restaurantes, bares, lanchonetes de “grife” do cardápio. Deixar para frequentá-las apenas quando conseguir cupons de desconto, dias de restaurante week, eventos diversos que possam ter descontos, etc., ao eliminar isto já estará fazendo um bem enorme a saúde do seu bolso.
    Claro que antes disto vem acostumar o paladar a comer saudavelmente, pois a comida além de alimentar é usado por muitos como fonte de prazer, satisfação pessoal, matar as frustrações, entretenimento, etc., e muitas vezes o paladar saudável não irá cair bem.

    Está muito caro comer em São Paulo/SP !
    O paulistano paga caro demais para comer pratos genéricos e o mito da cidade como capital da gastronomia deve ser repensado para saúde do seu bolso.

    A corda sempre arrebenta para o lado mais fraco, os consumidores, os quais sofrem a alta dos preços. Segue o link do preço da cesta básica:
    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/03/sp-tem-cesta-basica-mais-cara-entre-18-capitais-diz-dieese.html

    É uma equação difícil de resolver: comer de forma saudável, econômica e prazerosa. Impossível não é de resolvê-la, porém te dará muito trabalho. E no final das contas a sua saúde, o seu bolso e a sua vida agradecerão.

    Veja também:

    ideia-original-que-podemos-aplicar-em-casa-para-economizar-dinheiro-e-comer-saudavel

    Até o próximo post.

    Geral

    Qual o custo do trabalho voluntário?

    17 de fevereiro de 2013

    Muitas vezes na sede de ajudar o próximo a pessoa esquece de mensurar qual é o custo do seu trabalho voluntário, pois ele existe, ele está lá, e além de gastar seus recursos financeiros, também irá gastar o seu tempo, e como diz o ditado, tempo é dinheiro.

    A pessoa irá gastar com transporte, comida, roupa, dinheiro diretamente, etc., além do tempo.

    Outra coisa que não se pode esquecer é que este trabalho voluntário pode tomar a frente do seu trabalho principal, do seu negócio, ou seja, da sua fonte de renda. Além dele não te render nada, na maioria das vezes é apenas um passivo e não um ativo financeiro, este tipo de trabalho pode vir até a destruir a sua família, os seus relacionamentos e até trazer perdas maiores como a própria vida, por exemplo, trabalho voluntário numa zona de guerra.

    E o que lhe motiva a continuar no trabalho voluntário, seja ele qual for? Será que o altruísmo já está completamente incutido no seu DNA? Você é um workaholic e sua busca por resultados é constante, mesmo que a atividade só lhe traga custos e nenhum rendimento?

    Enfim, se um tipo de atividade voluntária qualquer além de aumentar os custos, começar a trazer problemas pessoais, talvez seja a hora de parar, dar um tempo, respirar e partir para outro tipo de trabalho como este em outro momento da vida. Pode não ser fácil executar este plano, quando já o faz há anos e já se tornou um hábito, uma virtude, ou até pior, quem sabe, não se tornou um vício.

    Existem dois filmes muito bons sobre trabalho voluntário além fronteira que os citarei a seguir. Embora o trabalho voluntário não seja feito apenas em território estrangeiro, é possível fazê-lo também no seu bairro, cidade, estado, país, e mesmo de dentro da sua casa, com os diversos dispositivos e meios de comunicação no momento atual da humanidade.

    Como se pode ver até mesmo para trabalhar voluntariamente é necessário ter estratégia e controle de risco.

    Até o próximo post.