‘Caixa Econômica Federal’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: caixa econômica federal

    Geral

    Quais são as alternativas à Poupança da Caixa?

    11 de janeiro de 2019

    Quanto rende a Poupança da Caixa?

    xxx

    Então, mas e aí, quais são as alternativas à segurança da Poupança da Caixa?

    O nosso país possui bons produtos de renda fixa que podem substituir muito bem a caderneta de poupança. Tanto o CDB quanto o Tesouro Direto, para começar, são ótimas aplicações para quem está começando no mundo dos investimentos.

    O Tesouro Direto é um produto muito democrático e popular. O investidor pode começar com o Tesouro Selic, que é mais conservador, não tem volatilidade, isto quer dizer, o investidor não corre risco de perder parte do dinheiro que aplicou.

    Em qualquer situação a rentabilidade do Tesouro Selic tem batido a poupança, tanto com a Selic em alta ou em baixa. E este título ainda tem um nível de segurança maior por fazer parte do governo federal.

    O CDB é outra aplicação bem mais rentável e que pode oferecer liquidez diária, porém só invista naqueles que paguem ao menos 100% do CDI. Neste caso, segurança é a mesma da caderneta, já que as duas aplicações são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito(FGC).

    Para investir nestes produtos o ideal é que a pessoa tenha conta em um banco ou corretora de valores. No caso, muitas corretoras oferecem aplicações de vários emissores diferentes, com rentabilidades bem mais atrativas do que aquela que você encontra nos bancos de varejo.

    Veja também:

    5 Mentiras Sobre Investir Na Poupança

    E você, o que pensa a respeito deste tema? Deixa a sua opinião.

    Até mais.

    Convidados

    Como consultar saldo do FGTS de conta inativa?

    15 de fevereiro de 2017

    Em dezembro de 2016, o presidente Michel Temer publicou a Medida Provisória 763/2016 que permite que o trabalhador possa sacar o saldo em contas inativas. Ou seja, não será mais preciso aguardar 3 anos seguidos, com a conta sem movimentação para conseguir o direito de saque do FGTS. Contudo, só foram agraciadas as contas inativas, isto é, as que se referem a contratos de trabalho encerrados até o dia 31 de dezembro de 2015

    Diante deste cenário, este artigo vai te ajudar a identificar o melhor caminho para consultar saldo do FGTS e também traz informações sobre a liberação do saque para contas inativas.

    consultar-saldo-fgts

    O que é FGTS?

    O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) funciona como uma poupança feita pelo empregador. O valor depositado equivale a 8% do salário total do trabalhador, somado de juros e correção monetária.

    O FGTS foi criado em 1966 com o objetivo principal de resguardar os trabalhadores em casos, por exemplo, demissão sem justa causa, doenças graves, investimentos em moradia, saneamento e infraestrutura. Além desses exemplos acima, existem um conjunto de situações em que o trabalhador ganha o direito de sacar o dinheiro depositado pelo empregador.

    Quem tem direito ao FGTS?

    O direito ao FGTS inclui todo trabalhador regido pela CLT, trabalhadores rurais, temporários, avulsos, safreiros, diretor não empregado, atletas profissionais e os jovens aprendizes. Mas atenção: no pagamento de estagiários não há recolhimento do FGTS.

    Como consultar o saldo do FGTS?

    A Caixa Econômica Federal disponibiliza várias formas para saber como consultar saldo do seu FGTS. Veja abaixo:

    • Internet Banking

    No site da Caixa, informe o NIS(PIS/PASEP), juntamente com a senha já cadastrada. Caso seja o seu primeiro acesso, clique em “Cadastrar Senha” e finalize o seu registro.

    • SMS

    Após realizar o cadastro no site da Caixa, informe o número do celular para receber SMS sobre toda movimentação da sua conta do FGTS.

    • Aplicativo

    Para conseguir acessar o seu perfil no aplicativo, é necessário informar o número do NIT e a senha. Não possui cadastro? Clique em “Primeiro Acesso” e realize o seu cadastro.

    • Agência da Caixa Econômica Federal:

    É possível consultar o saldo do FGTS comparecendo ao balcão de atendimento de qualquer agência da Caixa. Tenha em mãos o seu NIT ou PIS.

    • Telefone

    Ligue para 0800 726 0207.

    • Extrato Bimestral

    Com o endereço atualizado, é possível receber impresso o extrato da conta do FGTS.

    Saque de conta inativa do FGTS

    Conforme demonstrado na tabela abaixo, a partir do mês de março, serão iniciadas as retiradas do FGTS de contas inativas. De acordo com informações divulgadas pelo Governo, mais de 30 milhões de trabalhadores farão a retirada deste dinheiro.

    NASCIDOS EM: QUANDO SACAR:
    Janeiro e Fevereiro. A partir de 10/03/2017
    Março, Abril e Maio. A partir de 10/04/2017
    Junho, Julho e Agosto. A partir de 12/05/2017
    Setembro, Outubro e Novembro A partir de 16/06/2017
    Dezembro A partir de 14/07/2017

    O que fazer com o dinheiro do FGTS?

    Sacar FGTS ajudará muitos brasileiros em situações inadimplentes, especialmente devido o cenário econômico do país. Porém, existe uma parcela de beneficiários que estão equilibrados financeiramente e o valor sacado será uma grande oportunidade para investir em aplicações mais rentáveis.

    Isso porque o rendimento do FGTS é de apenas 3%, perdendo até mesmo para a caderneta de poupança. Assim sendo, realize o saque deste dinheiro e escolha investimentos que irão proporcionar melhores rendimentos. Uma boa alternativa seria os investimentos em renda fixa, em especial os títulos públicos federais prefixados e os indexados à inflação.

    Caso o objetivo seja buscar rentabilidades maiores com investimentos que possuem um certo risco, o Mercado de Ações pode ser uma opção a ser estudada. Existem inúmeras oportunidades para quem deseja angariar lucros rápidos em operações que se encerram no mesmo dia, como no Day Trade, além de operações com prazos mais prolongados.

    O importante é lembrar que a escolha sobre qual investimento é o mais adequado é bastante pessoal, já que depende fortemente do objetivo financeiro traçado pelo investidor.

    Geral

    FGTS inativo: saiba como consultar seu saldo de 4 formas

    9 de fevereiro de 2017

    sacar-fgts-inativo

    Perguntas e respostas sobre o saque do FGTS inativo

    Há rumores no mercado que os saques de contas inativas do FGTS poderão ser realizados a partir do dia 10 de março, em calendário a ser divulgado provavelmente no dia 14 de fevereiro. Provavelmente a ordem de saque seja relacionada à data de aniversário do contribuinte, embora a CEF afirme ainda estar discutindo o formato da fila.

    Para que você possa consultar o saldo disponível em uma conta inativa, isto é, com afastamento até 31 de dezembro de 2015, a instituição disponibiliza 4 formas: site, aplicativo, internet banking e agências físicas. Veja abaixo como obter acesso a cada um deles:

    1) Site
    Munido de número do PIS e de uma senha para o site da Caixa, o beneficiário deve entrar neste endereço http://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/fgts/Paginas/default.aspx e consultar o saldo. O número está disponível na carteira de trabalho. Caso não tenha cadastro, é necessário criar um no menu cadastrar senha do mesmo endereço eletrônico.

    2) Aplicativo FGTS
    O app FGTS Trabalhador permite a consulta do saldo, atualização de endereço e localização de pontos de atendimento próximos pelo celular.

    Caso queira usar esse formato de consulta, o trabalhador deve baixar o aplicativo na Google Play Store ou na Apple Store e inserir o número do PIS.

    3) Internet Banking
    Clientes Caixa podem acessar o saldo também pelo Internet Banking. Basta acessá-lo com a senha bancária de internet, acessar a opção Serviço ao Cidadão e verificar o extrato.

    4) Agência Caixa
    Também é possível buscar uma agência do banco através do site http://www.caixa.gov.br/atendimento/Paginas/default.aspx#encontre e comparecer pessoalmente, com o NIS, para consultar o saldo disponível.
    fonte de consulta: infomoney.com.br/minhas-financas/credito/noticia/6112328/saque-fgts-inativo-saiba-como-consultar-seu-saldo-formas

    Até mais.

    Geral

    Consumidores que não conseguem renegociar suas dívidas com os bancos

    1 de fevereiro de 2017

    Segundo estudo do site Idec 60,8% dos consumidores não tem conseguido renegociar suas dívidas com os bancos e tal pesquisa revela que 53,6% dos entrevistados já tentaram renegociar alguma dívida, porém deste total, apenas 39,2% conseguiram obter êxito na negociação.

    divida-bomba

    O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) fez a divulgação dos resultados da pesquisa sobre as experiências dos consumidores relativo à renegociação de dívidas e 60,8% dos consumidores não conseguem renegociar suas dívidas com os bancos.
    A pesquisa ainda revela que 53,6% dos entrevistados já tentaram renegociar algum débito, mas deste total, apenas 39,2% conseguiram. As principais dívidas que os bancos não renegociam, segundo a pesquisa são: transferência de débito para outra empresa com 29,1%, novo prazo para pagamento com 27,3% dívidas cujo pagamento ainda não está atrasado com 24,2%.

    As instituições foram questionadas sobre os resultados ruins, mas não responderam de forma direta, segundo a economista do Instituto e responsável pela pesquisa, Ione Amorim. “As respostas são genéricas e contrastam com o que dizem os consumidores”, diz.

    Em pesquisas anteriores, o Idec já havia notado o estímulo e a banalização da oferta de crédito por parte dos bancos. Neste cenário, em vez de solucionar o problema, geram um novo ciclo de inadimplência. “Os frequentes acordos firmados com repactuação e alongamento da dívida, se apresenta como a única alternativa oferecida pelas instituições para solucionar o problema do endividamento”, afirma a economista.

    Com relação às políticas para o combate ao superendividamento dos clientes, todos os bancos disseram que adotam essa prática. Mas o Idec constatou durante a pesquisa que 46% dos consumidores não tiveram nenhum tipo de orientação a respeito.

    Amorim aponta que faltam iniciativas neste sentido e também alternativas para a fase seguinte, no momento em que o endividamento já está consolidado. “Para o Idec, é imprescindível discutir o assunto e, inclusive, fomentar o debate sobre uma regulação que possibilite os consumidores formas mais eficientes para o tratamento de suas dívidas junto aos bancos”, finaliza.

    O levantamento realizado entre julho e setembro de 2016, contou com a participação de 1.815 internautas, e também mapeou os critérios dos bancos no tratamento dos clientes endividados. Foram consultadas as cinco instituições financeiras mais lembradas pelos consumidores como principais credores: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Santander e Itaú.

    Até mais.

    Geral

    Gráficos explicam por que os bancos lucram tanto

    17 de agosto de 2016

    Se você está revoltado com os juros estratosféricos, confira estes dois gráficos do estudo abaixo que explicam por que os bancos lucram tanto:

    gráfico de concentração bancária - 1

    gráfico de concentração bancária - 2

    Fonte: Banco Central do Brasil.
    Dados disponíveis em:
    https://www3.bcb.gov.br/informes/relatorios.
    * Outros contabiliza a soma dos demais bancos.

    A concentração bancária tem seus danos e não adianta reclamar do spread!
    Das 1.012 instituições financeiras que declararam que tinham pelo menos R$1 real de depósitos em março/2016, os 10 primeiros da lista, ou 1% dos bancos têm 85,8% de todos os depósitos realizados! Só os quatro primeiros da lista: Banco do Brasil, Caixa, Itaú e Bradesco tem juntos 68,7% do total. Por isso, antes de reclamar do spread abusivo, reclame da concentração bancária. Os danos da falta de concorrência são conhecidos, e extremamente danosos à economia.

    Confira mais detalhes no artigo do Terraço Econômico:

    http://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/terraco-economico/post/5446641/concentracao-bancaria-seus-danos-nao-reclame-spread

    Até mais.

    Geral

    Quanto rende a Poupança da Caixa?

    27 de fevereiro de 2016

    A Poupança da CEF é um dos instrumentos financeiros mais conhecido por todos os brasileiros. Afinal de contas, quanto rende a aplicação mais tradicional do Brasil? O dinheiro guardado na Poupança Caixa​ é remunerado a uma taxa de juros de 0,5% ao mês, onde aplica-se sobre os valores atualizados a Taxa Referencial (TR). Tais rendimentos são creditados todo mês conforme o dia-limite(“aniversário”). Vale ressaltar que neste tipo de aplicação não incide Imposto de Renda.

    Se você lembrou que temos uma inflação há vários anos num porcentual maior que a remuneração da poupança, com certeza irá conferir:

    5 Bons Motivos para você sair da poupança e não perder dinheiro

    Veja também:

    Entenda como funciona o rendimento da poupança
    As dicas para você usar a poupança da melhor forma

    Até o próximo post.

    Convidados

    Guest Post: Construcard Caixa

    9 de novembro de 2015

    Veja como funciona o Construcard Caixa e saiba quais os benefícios oferecidos neste cartão de crédito.

    O Construcard da Caixa é um tipo de financiamento que tem como objetivo ajudar o consumidor a adquirir materiais de construção para a reforma e ampliação de sua casa.

    Como funciona?

    O financiamento oferecido pela empresa possui duas fases, são elas: utilização e amortização. A primeira delas é destinada à aquisição de todo o material que deverá ser utilizado pelo consumidor durante as obras em sua casa.

    O período em que o cartão do Financiamento Construcard pode ser utilizado para a compra dos materiais de construção é de dois a seis meses. Durante esses meses de utilização, o cliente paga apenas as taxas de juros mensais referentes ao financiamento. Os valores são estipulados pelo próprio banco.

    Já a segunda fase é a destinada ao pagamento do valor financiado pelo consumidor. O período de amortização começa imediatamente após o término do período de utilização do financiamento. Ele pode variar de 1 a 94 meses, sendo que o prazo máximo para a quitação da dívida é de 96 meses.

    O pagamento do valor financiado é feito por meio de débito automático em conta corrente do cliente. A data do vencimento é estipulada em um acordo com o consumidor e o banco.

    Construcard-Caixa

    Como contratar?

    Para contratar os serviços do Financiamento da Caixa Econômica Federal, o consumidor deve seguir três passos simples, são eles:

    • Entregar toda a documentação exigida pelo banco em uma das agências da rede;
    • Após a análise da documentação, o cliente deve assinar o contrato e recolher as taxas referentes ao processo;
    • Utilizar o Cartão Construcard da Caixa nas lojas especializadas em materiais de construção.

    Quais os requisitos para contratar o financiamento?

    Os interessados em contratar o serviço do Construcard devem ser pessoa física, possuir uma conta corrente na Caixa Econômica Federal, ter mais de 18 anos ou ser emancipado de acordo com as normas da lei e ser aprovado nas avaliações e de risco realizadas pelo banco.

    Esta última é feita no momento em que os documentos são entregues com o pedido de abertura do financiamento. Sendo assim, o mesmo só liberado após a aprovação dessa etapa.

    Este artigo foi elaborado por Jeane Braga Pereira autora do blog http://guiafinanciamento.net

    Geral

    Exame: Quando vale a pena abandonar seu plano de previdência

    6 de setembro de 2013

    Ótimo artigo para que você saiba como avaliar se você pode ganhar mais ao sair do seu plano de previdência.
    Vale a pena conferir na Exame:
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/aposentadoria/noticias/quando-vale-a-pena-abandonar-seu-plano-de-previdencia
    moedas

    Sucesso na decisão de cada um.

    Leia também:

     

    Até o próximo post.

    Filmes

    Money as Debit(Dinheiro como Dívida)

    24 de julho de 2013

    Excelente vídeo, vale muito a pena conferir!
    Se trata de um interessante vídeo didático sobre a origem do dinheiro.
    Assista e entenda como funciona o dinheiro, os bancos, empréstimos, crises e crédito:

    Até o próximo post.

    Geral

    Poupadores e Investidores

    16 de junho de 2013

    Segue um texto excelente sobre conceitos de investimentos e tipos de risco. Algo para lá de essencial para se montar uma estratégia eficiente para sobreviver no mercado financeiro.
    “Há dois agentes econômicos básicos: os poupadores e os investidores. Poupadores são,
    como o nome já diz, as pessoas e organizações que poupam recursos. Já os investidores
    são, neste contexto, os que buscam recursos para investir em ativos diversos……..”

    Siga lendo o artigo clicando aqui.

    Leia também:

    Até o próximo post.