‘Franquia’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Franquia

    Filmes

    Fome de Poder – filme 2017

    5 de agosto de 2017

    Ótimo filme sobre empreendedorismo.

    Fome de poder

    Sinopse

    The Founder
    2016 ‧ Drama/Ficção histórica ‧ 1h 55m

    A história da ascensão do McDonald’s. Após receber uma demanda sem precedentes e notar uma movimentação de consumidores fora do normal, o vendedor de Illinois Ray Kroc adquire uma participação nos negócios da lanchonete dos irmãos Richard e Maurice Mac McDonald no sul da Califórnia e, pouco a pouco eliminando os dois da rede, transforma a marca em um gigantesco império alimentício.

    Data de lançamento: 10 de março de 2017 (Brasil)

    Convidados

    PME: 4 passos para você não errar na hora de investir numa franquia

    26 de junho de 2017

    Aqueles que querem investir numa franquia para ter seu próprio negócio, precisam ver os passos descritos neste post da Exame para não errar nessa decisão importante.

    Sempre pinta aquela dúvida: saber qual a melhor franquia para investir é uma decisão difícil

    Quem tem a intenção de entrar numa franquia eventualmente vai se deparar com a dúvida: qual a melhor rede para investir?

    “As pessoas sempre me perguntam: ‘Qual a marca boa do momento?’ Mas não é assim que funciona, não existe receita de bolo”, responde Juarez Leão, diretor institucional da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

    Mas, se a resposta não é assim tão simples, é possível seguir algumas dicas de ouro para encontrar a franqueadora que mais combina com cada empreendedor. E a 26ª edição da ABF Franchising Expo, que acontece esta semana, é uma ótima oportunidade para começar a sua busca pela franquia ideal.

    Veja a seguir algumas dicas para escolher a franquia certa para você:

    1 – Descubra do que você gosta

    Seja qual for o negócio em que você pretende investir, ele só vai dar certo se você gostar do que faz. Sendo assim, o primeiro passo para escolher a sua franquia é examinar o que você gosta de fazer.

    “É preciso fazer uma reflexão para identificar a sua vocação. Feito isso, sugerimos que a pessoa analise as empresas que atuam naquele segmento. É preciso considerar que dentro do mesmo segmento existem possibilidades muito distintas. Se a pessoa quer trabalhar com alimentação, por exemplo, tem opções de franquias de fast food a restaurantes mais sofisticados”, afirma o diretor da ABF.

    2 – Verifique quanto você pode investir

    Depois de identificar o que você gosta de fazer, é preciso levar em conta a sua realidade financeira. Afinal, não basta ter afinidade com um negócio, é preciso poder pagar por ele.

    Para isso não basta considerar só o investimento inicial da franquia. Você deve levar em consideração também o capital de giro – aquele dinheiro que vai manter seu negócio funcionando enquanto ele ainda não dá retorno financeiro.

    “O empreendedor tem que ter claro quanto ele tem pra investir, e com base nisso ir atrás de negócios que caibam no seu bolso. E não é só pensar no investimento inicial. Ele também precisa de capital de giro pra sustentar o negócio no início”, explica a consultora Cláudia Bittencourt.

    3 – Seja realista em relação ao retorno

    Muita gente tem a ilusão de que ter o próprio negócio é sinônimo de muito dinheiro no bolso. Mas não é bem assim que acontece, e na hora de definir a sua franquia você precisa de uma boa dose de realismo. Atente-se aos detalhes:A TOTVS explica por que uma franquia de sucesso pede olhar afiado Patrocinado 

    “Na sede de se tornar empresário, tem muito executivo que não faz uma conta simples: quanto eu ganho agora X quanto vou tirar com um negócio. Muitas vezes é preciso estar preparado para ganhar menos”, explica Juarez Leão, da ABF.

    Portanto, antes de escolher a sua franquia analise com cuidado os números apresentados pela franqueadora e faça um exame de como ficará sua situação financeira.

    4 – Investigue as marcas

    Para não se frustrar ao investir numa franquia, é importantíssimo investigar como as marcas do seu interesse funcionam. Uma estratégia fundamental é conversar com franqueados que já fazem parte da rede. Você pode conseguir o contato deles na COF (Circular de Oferta de Franquia), documento que toda rede deve fornecer.

    Outro ponto é ficar atento ao suporte que a franqueadora oferece para sua rede. “É importante que o futuro franqueado não fique numa posição passiva durante o processo de seleção. Ele deve questionar, buscar se informar sobre treinamentos e sobre o suporte que receberá, principalmente nos pontos que tem mais dificuldade, como a gestão”, explica Cláudia Bittencourt.

    Você pode pesquisar também se as redes do seu interesse estão associadas à ABF.

    Seguindo essas orientações, a chance de você fechar um negócio promissor é maior, afirma Leão. “A chance de dar certo é bem maior porque o franqueado entra com a expectativa mais alinhada à realidade, e fica menos sujeito a se frustrar no caminho”.

    Quer conhecer centenas de marcas de franquias? A ABF Franchising Expo acontece até sábado (24/06) no Expo Center Norte em São Paulo.
    fonte de consulta: exame.abril.com.br/pme/4-passos-para-voce-nao-errar-na-hora-de-investir-numa-franquia

    Até o próximo post.

    Geral

    Investimentos Alternativos

    17 de Fevereiro de 2017

    Seguem algumas elucidações sobre investimentos alternativos, ou seja, possibilidades além da tradicional poupança, renda fixa(CDB, CDI, LCI, LCA, FII, CRI, Fundos), bolsa de valores, fundos multimercado, dólar, ouro, imóveis, entre outros muito conhecidos do grande público.

    1) Franquias
    “Procurei franquias na feira ABF, mas acho que o “prêmio” deveria ser bem maior do que meu retorno desejado mínimo (um fundo multimercado que paga acima de 15%aa).

    Desde pequeno sempre trabalhei com sites que geram renda “quase que passiva”. Gosto muito, pois em poucas áreas existem essas oportunidades. Comecei quando era difícil monetizar sites (antes de links patrocinados e programa de afiliados de e-commerce), e vendia anúncio boca-a-boca.

    Trabalho com isso há 8 anos (comecei cedo), e 90% da minha renda foi internet. E acredito em aposentadoria Web.

    Os bilionários estão cada vez mais jovens e a maioria relacionada com a internet. No Brasil ainda é difícil fazer funcionar muitos modelos de negócios bilionários lá de fora, especialmente relacionado com a colaboração (Web 2.0), mas alguma hora iremos amadurecer…

    Abraços”

    2) Web
    “Fala, por eu ser da área de informática, eu tb. já tive pensamentos e tentativas empreendoras relativa a tal mercado de informática (programas desktops e sites), mas os modelos de sociedade que me proporam e clientes “mãos-de-vaca” acabaram me deixando de fora do “game” 🙂 :), eheheh.
    Já fiz alguns sites simples, de graça e apenas para instituições sem fins lucrativo(igreja e grupo missionário) relativo à instituições que eu fazia parte ou amigo meu.
    Única coisa que ganhei algum por um tempo pequeno foram aulas particulares, este sim, eu acho mais descomplicado e fácil de administrar, pois na maioria dos casos num se precisa de um sócio, claro, enqto. num se cresce muito.

    Coisa que já pensei talvez ser viável, mas num sei se é, é criação de animais para hobby, sei lá, ter um criadouro de cachorros, gatos, coelhos, pássaros, etc…., enfim, animais que tenham mais saída no mercado de PetShops, mas como administrar isto, num sei se é fácil, pois num tenho formação nesta área, embora tenha afinidade grande com animais devido ao hobby desde criancinhaaaaaa :):) , hehhehe, então acabaria gastando uma bela grana com consultoria para me auxiliar para fazer algo consistente, ou partiria para “escola de bate-cabeça”, ou seja, fazer as coisas “na raça”, e aí, as chances de sucesso em teoria seriam menores.

    Outra coisa que minha esposa acha que “bombaria” seria organização de buffets, pois como todos sabemos este setor cresce cada dia mais com a sede do brasileiro por festas e mais festas de todos os tipos possíveis e imagináveis, claro a questão do planejamento citada no caso acima tb. pesa 😀 !

    Abç e obrigado pela participação.”

    3) Réplica sobre investir em Web
    “Ótimo tópico, parabéns.

    Permita-me colocar minha opinião com relação a seu post. E desculpas por discordar de quase tudo… :). Há vários problemas que eu vejo com esses negócios que você citou (montagem de sites, aulas particulares, animais, buffets):

    A) Não considero que sejam “investimentos alternativos”. Hoje em dia, para se ter sucesso num negócio no mercado competitivo que estamos, recomenda-se dedicação integral. Convenhamos, nenhuma dessas quatro alternativas é uma “idéia nova” e todas já têm mercados estabelecidos, principalmente nas grandes cidades. Ter um negócio destes, em meu ponto de vista, não é um “investimento”, e sim uma “atividade principal”.

    B) O negócio de aulas particulares é “trabalho de formiguinha”, muito trabalho para pouco retorno. A não ser que você seja um professor “famoso” (desses de cursinho, ou que tenha dado aulas em escolas de ponta por algum tempo), precisa camelar muito para ganhar pouco.

    C) O negócio de animais tem um risco razoável embutido, sendo os principais o risco de doenças e o fato que seu produto tem “data de validade”. É muito mais fácil vender filhotes do que animais já adultos. Se por acaso você tem uma grande ninhada em um período de crise, seus produtos vão “micar”. Mesmo que a crise seja rápida, ao sair dela os bichinhos já estarão grandinhos, e terão dado uma bela despesa com alimentação, saúde etc. Além disso, há que se considerar que há muito modismo neste mercado, e os bichinhos que são muito procurados hoje podem não o ser amanhã.

    D) O negócio de buffet é concorridíssimo e, em geral, as pessoas que os contratam estão mais preocupadas com preço do que qualquer outra coisa. Margens baixas, risco alto, stress grande (se algo falha no seu serviço, você pode estar acabando com o “momento especial” de alguém).

    E) Montagem de sites, então, é mais concorrido ainda, pois qualquer zé-mané hoje pode se autodenominar “webdesigner”. Os clientes que realmente tem grana para fazer um site de respeito vão procurar as grandes empresas já estabelecidas. Os que têm menos grana vão ou (a) contratar o mais barato, ou (b) pedir para o afilhado do primo, que manja tudo de informática.

    Em suma… eu não entraria em nenhum destes negócios. :)”

    4) Tréplica sobre investir em Web
    “Eu entendo seu ponto de vista, mas vejo internet como investimento sim. Tenho site com renda passiva com conteúdo gerado pelo usuário, que me dá fluxo de caixa positivo todo mês e também trabalhei com site de notícias com jornalistas escrevendo para mim e gerando fluxo de caixa positivo. Isso para mim é investimento de tempo e dinheiro, gerando mais dinheiro.

    Vejo a Web como:
    dinheiro + idéia = dinheiro

    Acho que vocô estava citando desenvolvimento de sites para outros e isso sim eu nao considero investimento. A maior parte da minha renda ate agora foram com sites proprios, utilizando outras pessoas e ideias próprias, isso eu considero investimento.

    Agora quando eu faco sites para outros, isso sim é “atividade principal”.”

    5) Quadrúplica sobre investir em Web
    “É isso mesmo, eu estava falando da criação de sites para outros, como comentado acima. Se você consegue ter um site próprio com renda passiva, excelente! Parabéns! Isso sim é investimento alternativo e inteligente (um pouco de esforço, renda constante).

    Cara, pra ser sincero, há anos que penso em dezenas de negócios alternativos próprios, e até hoje não encontrei nenhum cuja relação risco X retorno tenha considerado atrativa. Acho que o melhor investimento do meu (pouco) tempo livre é estudo, estudo, estudo sobre o mercado de capitais… 🙂

    E quanto a deixar alguém de confiança tomando conta… putz, nem a pau. 🙂

    6) Outra opinião sobre investir em Franquias:
    “Olá,

    Bem, aqui vão meus dois cents!

    Também sou profissional de informática e atuo na profissão.
    Atualmente invisto e estudo muito o mercado de renda variável, usando a AT (Análise Técnica) para tal e ir aumentando o capital.

    Penso em um dia não trabalhar mais com a informática e como uma outra fonte de renda investir em um negócio que seria uma franquia.

    Acho as franquias uma forma de investimento interessante, dependendo do ponto e da franquia, te traz retornos muito bons!

    E claro, além dessa, continuar investindo na renda variável com mais tempo para estudos e aperfeiçoamentos!”

    7) Réplica: outra opinião sobre investir em Franquias:
    “Com a queda dos juros, resolvi sacar tesouro e estava com um, dinheiro sem ter onde aplicar. Cheguei a pesquisar franquias na feira ABF, mas achei o risco vs retorno pouco atrativo, já que quando você prede o negócio o capital inicial inteiro praticamente evapora.

    Eu só entraria no ramo de franquias se existisse a chance de ter retorno de pelos menos 20% sobre o investimento, pois temos que considerar que não é uma renda passiva (e alguns belos fundos multimercado conseguem renda passiva acima de 15%).

    Resumindo, eu desisti. Procurei no ramo de cosméticos, pois tinha um ponto comercial familiar disponível e com região sem concorrência, mas a ideia de virar comerciante e usar meu tempo para isso me desanimou,

    Abraços”

    8) Tréplica: outra opinião sobre investir em Franquias:
    “O esquema de franquias é muito bom, só tem 2 gigantes problemas.

    A) Encontrar um ponto com boa relação custo beneficio. (Essa é a parte mais complicada, já que ponto dentro shopping precisa de muita grana inicial pra começar.)

    B) Alem do ponto precisa saber da cultura das pessoas da região ou próximas. Já vi algumas franquias fracassarem não por ser ruim, mas por estar em um lugar com baixa aceitação da marca/produto.”

    9) Investir em Estacionamentos:
    Outras idéias:

    – Estacionamento em grandes metrópoles, mas acho que teria que comprar de alguém que já tenha algum e esteja em dificuldade financeira, pois faltam terrenos livres para tal e os preços são exorbitantes……

    – Agência de empregadas domésticas, por que eu por exemplo tenho uma grande dificuldade de conseguir empregada doméstica, assim como vejo amigos, colegas e conhecidos passarem pela mesma dificuldade.

    Enfim, alguém opina ?? Já tentou isto ou conhece alguém que tenha tido sucesso ?? É “fria” ????

    Grato.

    10) Réplica: Investir em Estacionamentos:
    “Já vi gente comentando que estacionamento é uma forma de gerar um caixa enquanto o terreno não se valoriza. Ou seja, é apenas um ganha pão a mais para quem espera uma valorização do terreno, não um objetivo para quem compra.

    Agora, não conheço ninguém próximo que tenha e que invista nisso, só ouvi por aí esse comentário.”
    fonte de consulta: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=12&t=11524

    11) Investir em vinhos:
    Fundo de investimento em vinhos: uma adega que dá lucro

    O artista Vik Muniz e seu autorretrato feito com lixo na mostra Vik no MAM-RJ em 2009

    12) Investir em obras de arte:
    7 pontos-chaves sobre o investimento em obras de arte
    Orientações de especialistas servem tanto para quem pensa em lucrar com arte quanto para quem deseja comprar obras para apreciação pessoal

    Para outras ideias e discussões sobre investimentos alternativos, clique aqui.

    Até o próximo post.

    Filmes

    Filmes indispensáveis para empreendedores

    2 de Fevereiro de 2017

    O Looke, plataforma de streaming brasileira, indicou uma lista de filmes disponíveis em seu catálogo sobre franquias que podem ajudar empreendedores nesta área. No ano passado o setor de franquias provavelmente teve crescimento de 8%, de acordo com dados preliminares da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Para 2017, a previsão é semelhante, entre 7% e 9%. Igual qualquer outra empreitada profissional, abrir uma unidade de marcas já existentes tem desafios específicos e requer disciplina e conhecimentos administrativos.

    O Looke, plataforma de streaming brasileira concorrente do Netflix, separou uma lista de filmes que podem ajudar um empreendedor a caminhar neste caminho, seja voltadas especificamente à área de franquias ou a correlacionadas.

    Confira abaixo:

    Joy – O Nome do Sucesso, de David O. Russell (Joy, 2016):

    O filme conta a história de uma empreendedora de sucesso (Jeniffer Lawrence) e da importância que ter o olho do dono. Mesmo encaixando-se no modelo de negócio já estabelecido e da marca já conhecida, isso não garante sucesso. Ter o olho do dono e investir em pequenos detalhes que façam a diferença pode ser decisivo.

    mesmo-se-nada-der-certo

    Mesmo Se Nada Der Certo, de John Carney (Begin Again, 2013):

    Com uma linda trilha sonora, o filme fala do trunfo que tem o negócio que se alia à alma do criador. Ao optar por ser um franqueado, escolha o ramo de negócios com que você se identifica mais. Assim, razão e emoção caminham juntos e você tem mais chance de ter sucesso.

    Amor Sem Escalas, de Jason Reitman (Up In The Air, 2010):

    Através de um executivo workaholic (George Clooney), o filme discute o perigo das frias e impessoais relações de trabalho nesta era de alta conectividade. Mesmo que a franquia já tenha um modus operandi estabelecido, que precisa ser seguido à risca, lembre-se de que você lida com pessoas e depende delas para dar certo.

    Diplomacia, de Volker Schlöndorff (2014):

    Um diplomata sueco tenta convencer um general alemão a não explodir as pontes e palácios de Paris em 1945. Hitler já perdia a guerra e jogar tudo para os ares era a opção nazista do momento. Como ser um franqueado significa curvar-se à padronização e regras do franqueador, diplomacia é o que você precisa para evitar conflitos e operar sem maiores complicações.

    Um Senhor Estagiário, de Nancy Meyers (The Intern, 2015):

    Na figura da jovem empreendedora de tecnologia (Anne Hathaway) que contrata um estagiário da terceira idade (Robert De Niro), este filme fala da importância de aliar estratégia com experiência. Valorizar habilidades opostas pode ser complementar e fator decisivo no rumo do negócio.

    um-senhor-estagiario

    Até o próximo post.

    Geral

    Tem como saber se um negócio é uma franquia ou uma pirâmide?

    3 de Janeiro de 2017

    Afinal de contas, como saber se um negócio é uma franquia ou uma pirâmide?

    mulher-na-duvida-ponto-de-interrogacao

    Se você está em dúvida se o negócio é na verdade uma pirâmide financeira, continue lendo este post para saber a diferença.

    Embora seja uma dúvida difícil de responder, especialmente nos últimos tempos em que alguns negócios montados como pirâmides financeiras ou mesmo como marketing multinível estão se utilizando do modelo franquias como disfarce para expandirem seus negócios, é possível saber diferença.

    Cuidado com pirâmide financeira Mandala da Prosperidade

    Esse disfarce de franquias, ou mesmo master franquias, foi utilizado por algumas operações famosas. Inicialmente, houve um rápido e lucrativo crescimento e, logo depois, um enorme rombo, como a Nipomed, Fazendas Reunidas Boi Gordo, Avestruz Master, TelexFree e BBom.

    Primeiro vamos qualificar pirâmides financeiras: o esquema compreende o recrutamento progressivo de muitas pessoas que deverão realizar investimentos em múltiplos pacotes com produtos e/ou negócios.

    Em dado momento o negócio se torna insustentável, pois é impossível garantir novos recrutados com a mesma motivação para realizarem os investimentos sem parar. A pirâmide começa a ruir pela base e fica de pé somente o seu cume, ou seja, o chefe iniciante.

    Vou passar algumas dicas que no seu conjunto podem ajudar a identificar se é uma pirâmide, ou melhor ainda, se poderá virar uma pirâmide disfarçada de franquia. Mas há uma dica inicial, que é comum a todas as pirâmides: a declaração do proprietário ou mesmo vendedor do “negócio”, que categoricamente afirma: “Não é pirâmide!”.

    O perfil do dono

    Veja agora algumas outras características comuns entre os construtores de pirâmides que são facilmente percebidas. Em geral, eles se apresentam como:

    1 – Empreendedores, milionários, bilionários bem sucedidos e dispostos a lhe passar todos os segredos do seu sucesso;

    2 – Sempre alinhados, fazem apresentações dentro de seus carrões, mansões e até aviões, onde sutilmente são mostrados relógios, celebridades e acompanhantes, como símbolos de suas conquistas;

    3 – Inicialmente encantam a mídia, viram capas de revistas, palestrantes e, sempre muito envolventes, conseguem estimular seguidores;

    4 – Todo esse ambiente é utilizado de forma intimista e direta para você, mostrando que se ele conseguiu você também conseguirá, desde que siga cada passo que ele lhe demonstrará, sempre em etapas ou capítulos que estimulam seus sonhos e como conquistá-los.

    É imbatível, sensacional!

    O perfil do negócio

    Mas vamos aos negócios, as franquias, e alguns sinais de como identificá-las como atuais ou potenciais pirâmides:

    1 – Negócios sempre pequenos, ao seu alcance – vem daí o meu temor com as microfranquias e agora as nanofranquias!

    2 – Sempre lhe serão oferecidos ou você será convidado, mesmo que nunca tenha procurado – ao contrário de franquias onde a lógica é você procurar e buscar um negócio com o qual se identifique fortemente;

    3 – Franqueador ou representantes ansiosos por receberem a Taxa de Franquia e, para isso, forçam sua decisão, mostrando quantas foram vendidas e que esta será sua única oportunidade;

    4 – Franqueador mostra pouco interesse em receber os royalties, pois terá que dar suporte em contrapartida e foca sua ação em vender mais e mais franquias, recebendo a Taxa de Franquia exponencialmente;

    5 – O momento crucial: montam a Master Franquia dividindo a Taxa de Franquia obtida com seus Master Franqueados que obtém o direito de revender franquias, assim espalhando e ampliando a pirâmide;

    E para finalizar, a sua dúvida é uma certeza: é pirâmide! Como se precaver? Simples, fuja dela!
    Fonte: exame.abril.com.br/pme/como-saber-se-um-negocio-e-uma-franquia-ou-uma-piramide

    Até mais.

    Filmes

    Waffle Street – filme 2015

    1 de Janeiro de 2017

    Excelente filme que tem o mercado financeiro como pano de fundo. Alguém que dedicou a vida inteira para isto, mas acaba tomando uma rasteira do destino e tendo que dar a volta por cima, começando bem por baixo, não só uma questão financeira, mas sim dar sentido a própria vida.

    Na telinha do seu #Netflix. Super recomendo.

    waffle-street-movie-poster

    Resenha:

    A Netflix sempre esconde alguns filmes muito bons no meio de vários outros que eu chamo de filmes “bomba” e por essa razão, pode ser que Waffle Street (2015) passe desapercebido ou pareça um filme “meia-boca” e acabe não sendo a sua escolha.

    Pois bem, não cometa esse erro!

    Com um casting de atores pouco conhecidos, onde a estrela mais brilhante é o Danny Glover, o filme é baseado no livro “Waffle Street: The Confession and Rehabilitation of a Financier”, que conta a reviravolta na vida de Jimmy Adams (James Lafertty, de One Tree Hill) que passou de financista brilhante de Wall Street para o emprego de garçom de uma franquia de waffles.

    Além de se tratar de uma história real, o filme foi dirigido de forma leve e engraçadíssima nos inspira de muitas maneiras, principalmente trazendo a situação de Jimmy, demitido, hipotecado, com um bebê à caminho e uma vida toda para rever e readaptar!

    Um filme para quem não desanima, ou até para quem precisa de uma dose de ânimo, pois o protagonista é a positividade em pessoa! Sem contar com a equipe de novos colegas de trabalho que são no mínimo autênticos.

    Um filme imperdível que tem tudo que a gente gosta, história feliz, de superação, waffles e bacon!
    serializando.com.br/reviews/waffle-street-uma-deliciosa-inspiracao

    Geral

    Franquia: você tem certeza que vai investir?

    27 de Abril de 2016

    Certamente muitas pessoas já tiveram esta dúvida. O que será melhor: apostar em um negócio próprio, franquia ou em uma nova marca? Investir no mercado financeiro? Comprar imóveis?

    São muitos os questionamentos que permeiam as ideias de quem tem o objetivo de multiplicar o seu capital, ou pelo menos corrigir o mesmo, para que o poder de compra não se deteriore com o tempo.

    Minha intenção ao escrever este artigo é dar um depoimento com a visão de quem hoje trabalha no mercado financeiro, mas no passado se aventurou com um negócio próprio, sendo mais específico, com uma franquia de uma marca em franca expansão e mais de 600 lojas no país. Porém, nem tudo são flores como pode parecer!

    A verdade sobre a franquia

    Não tenho a intenção de desanimar você, leitor que está apostando nesta ideia ou que até mesmo já é um franqueado, mas apenas esclarecer alguns pontos que envolvem este tipo de negócio para que você não seja pego de surpresa.

    A franquia é um modelo bastante explorado por empresas detentoras de uma certa marca quando querem expandir o seu negócio utilizando o capital de terceiros. Geralmente a ideia desperta interesse no investidor por se tratar de marcas já consolidadas e pelo fato de ser um negócio aparentemente com risco menor do que o de explorar uma nova marca e lançá-la no mercado. No entanto é importante estar ciente de alguns pontos quando se trata de uma franquia:

    1 –  A primeira coisa que o franqueador fará antes de fechar negócio com você será requerer a assinatura de um contrato. Geralmente um contrato padrão no qual você não poderá alterar as cláusulas e caso aconteça algum tipo de disputa judicial provavelmente sairá em desvantagem.

    2 – Tudo na franquia é padronizado! As empresas são muito exigentes e você não terá autonomia para mudar as regras ou os produtos. Caso alguma norma seja infringida você poderá ser penalizado ou até multado. Geralmente um consultor contratado pelo franqueador fará visitas periódicas à loja para verificar se tudo está dentro do padrão exigido.

    3 – Faça uma análise detalhada do ponto no qual deseja instalar sua franquia. Provavelmente será mais fácil para você que já reside ou conhece bem o local, analisar se é realmente um bom ponto ou não.

    4 – Converse com outros franqueados da região para saber se estão satisfeitos e como é o relacionamento deles com a empresa detentora da marca.

    5 – Reflita se você se identifica com o produto e acredita nele, pois caso contrário será muito difícil passar uma boa imagem para os seus clientes.

    6 – Por último, mas não menos importante, saiba que você precisará de tempo para se dedicar ao seu negócio, pois “o olho do dono é que engorda o gado”, e isso não é apenas uma crendice popular!

    Caso esteja convencido de que a franquia é o melhor negócio para você, então pode parar por aqui. Caso contrário, vale a pena prosseguir com a leitura.

    Quais as outras opções para se investir?

    Se você ainda não está pronto para se aventurar em um negócio próprio, não se preocupe, existem outras alternativas para garantir o seu futuro financeiro.

    Vivemos em um país que possui uma das maiores taxas de juros do planeta, e é possível usar isso em benefício próprio. Atualmente, o mercado tem oferecido uma ampla diversidade de produtos para aplicações financeiras com excelente rentabilidade e acessíveis para pequenos, médios e grandes investidores.

    É preciso ficar atento apenas para que a inflação, que também está muito alta, não faça com que seu dinheiro perca valor no tempo e a rentabilidade real da sua aplicação seja negativa ou quase zero, o que tem acontecido com a poupança.

    Então, para ter sucesso com seus investimentos, procure uma equipe de análise com profissionais especializados e tente diversificá-los de forma a proteger o seu capital. Atualmente as corretoras e bancos de investimento possuem opções tanto em renda fixa como para quem quer investir na Bolsa de Valores, o que fará com que você possa diversificar e ao mesmo tempo investir de forma segura a fim de garantir um bom retorno para o futuro.

    duvida_franquia_tororadar

    Sobre o Autor

    Bruno Zanon, 30 anos, é Account Manager na Evo Investimentos. Empreendedor, também é autor de artigos sobre o mercado financeiro. Certificado como Agente Autônomo de Investimentos pela Ancord, pós-graduado em Gestão de Negócios e formado em Língua Inglesa pela The English Academy em Dublin, na Irlanda.

    Geral, Livraria

    Propaganda excessiva de franquias na crise

    15 de Fevereiro de 2016

    Qual seria o motivo? O número grande de desempregados que tem desembarcado no mercado com suas rescisões, FGTS e poupança para alimentar a conta dos franqueadores? Seria por que o brasileiro de fato agora é empreendedor, mas quer encurtar o caminho, ao invés de montar de montar o próprio negócio, acabam buscando uma fórmula mágica de sucesso?

    É aquilo, seja na crise ou no crescimento, alguém está ganhando dinheiro, seja no desaviso, ganância, despreparo, desespero, fracasso, sucesso, euforia, excesso de confiança, etc…

    Apenas é bom que a pessoa antes de tomar uma decisão de montar uma franquia, que ela avalie muito bem, veja se tem tem capacidade para aquilo o qual se propõe. Caso não tenha capacitação, verificar se teria habilidade de aprender um novo tipo de negócio.
    Tempo é dinheiro, portanto não desperdice nem o seu tempo e nem o seu dinheiro.

    Leia também:

    SEBRAE: Como elaborar um plano de negócios

    E-book – Como Abrir Franquia Sem Entrar Numa FriaE-book - Como Abrir Franquia Sem Entrar Numa Fria

    Até o próximo post.

    Geral

    Folha: Franquias levam venda porta a porta para a web

    11 de novembro de 2013

    Saiu há algumas semanas atrás uma reportagem interessante tanto na Folha impressa como online sobre empresas estão levando o mercado de venda porta a porta, tradicional no setor de cosméticos, por exemplo, através do uso de micro franquias para a internet. Por meio do modelo de franquia, elas oferecem uma plataforma personalizada para empreendedores venderem produtos da marca.
    A ideia é que o franqueado apenas faça a venda. A entrega do produto ou serviço propriamente dito, em geral, fica a cargo da franqueadora.
    Vale a pena conferir a matéria onde mostra de forma muito claro que o investimento para este tipo de negócio costuma ser baixo, porém o retorno também é baixo, funcionando mais como uma complementação de renda. Para funcionar como negócio fim, seria necessário uma investimento com qualidade em publicidade, além de ter uma boa rede de contatos.

    Leiam:

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/09/1345059-franquias-levam-venda-porta-a-porta-para-a-web.shtml

    Até o próximo post.