‘Sponsored Post’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Sponsored Post

    Convidados

    10 dicas para aumentar as vendas do seu e-commerce em 2022

    10 de fevereiro de 2022

    10 dicas para aumentar as vendas do seu e-commerce em 2022

    Você deseja saber como aumentar as vendas no e-commerce? Então, este artigo é para você! Sem dúvidas, estamos vivenciando a era do e-commerce, pois, nunca antes houve tanta interação por meio da internet.

    As pessoas utilizam a internet não somente para acessar redes sociais ou realizar pesquisas, mas também para fazer compras, investigar preços e descobrir novos produtos.

    Por isso, muitas empresas que trabalham de forma predominante em lojas físicas também adaptaram o seu olhar para o ambiente digital.

    Mas, diante da concorrência entre as marcas, como é possível aumentar as chances de venda em seu negócio? Separamos 10 dicas que podem te ajudar nesse processo.

    1. Invista em marketing digital

    A primeira dica para quem deseja ter sucesso no e-commerce é investir em marketing feito para o ambiente digital! Sem isso, sua empresa não consegue atrair a visibilidade dos clientes e nem obtém diferença competitiva no mercado.

    Para investir em marketing digital é importante que sua empresa crie redes sociais para se relacionar com os clientes, assim como tenha um site ou blog explicativo para criar autoridade, relevância e boa visibilidade/alcance.

    2.   Melhore o relacionamento com o cliente

    Quando falamos de relacionamento com o cliente, citamos a importância de conhecer o Inbound Marketing, conhecido também como o marketing de atração.

    Esse tipo de estratégia tem o objetivo de conquistar e gerar uma fidelização do cliente, fazendo com que ele se aproxime do seu negócio e permaneça mesmo após a compra.

    Neste caso, desde a criação de conteúdos mencionado no tópico anterior até a disponibilização de chats ou mesmo a presença nas redes sociais devem ser consideradas, ampliando os pontos de contato e de interação, criando uma identidade para a marca.

    3. Aposte nas técnicas de SEO

    Existem dicas no ambiente digital que são orgânicas, ou seja, não exige um investimento financeiro por parte da empresa.

    As técnicas de SEO, ou os mecanismos de otimização de busca são oportunidades da empresa produzir um conteúdo com as palavras-chaves específicas para o cliente, sem que seja necessário patrocinar os materiais/palavras usadas.

    Além dessas palavras, o SEO foca-se em ações como:

    • Uso de textos mais aprofundados;
    • Inserção de bons subtítulos no texto;
    • Aplicação de listas no decorrer do texto;
    • Inclusão de links que sejam seguros e valiosos para o cliente.

    Inclusive, tais ações são muito bem quistas, pois além de serem fatores de ranqueamento avaliados pelos buscadores, são aspectos que melhoram a experiência dos leitores, agregando uma experiência de valor com a marca, criando confiança para a conversão.

    4. Não esqueça do marketing de conteúdo

    Para produzir um conteúdo que seja importante para o cliente sua empresa não pode se esquecer de utilizar as técnicas do Marketing de Conteúdo, que partem de um estudo sobre quem é o cliente e uma busca por produzir materiais que chamem sua atenção, por serem interessantes e resolverem as dores e dúvidas dessa audiência.

    5. Utilize plataformas marketplace

    Existem várias estratégias de marketing que podem ser aplicadas em seu negócio online, como já citamos neste artigo, bem como ambientes que é possível investir para ampliar o alcance do negócio.

    Nesse sentido, é importante ressaltar o marketplace. Mas, você sabe o que é marketplace, exatamente?

    Basicamente, esse tipo de loja no ambiente virtual, funciona como se fosse um shopping, empregando mais credibilidade e visibilidade às lojas para as quais os espaços foram cedidos por conta do reconhecimento da marca principal.

    Com isso, um site consegue reunir diversas marcas e lojas, realizando a venda de seus produtos. Diante dessa possibilidade, a empresa consegue aumentar suas vendas, além de fazer com que a loja virtual ganhe mais destaque entre os consumidores.

    6. Aposte no omnichannel

    Outra dica importante para quem vende online é considerar diversos canais de vendas. Ou seja, disponibilizar ao cliente mais opções de compra, como:

    • Site;
    • Aplicativo;
    • Loja física;
    • Redes sociais.

    7. Desenvolva parcerias

    Ao longo do desenvolvimento do seu site e do crescimento de sua marca, é fundamental contar com parceiros, seja influenciadores digitais, lojas ou outros representantes, para integrar as audiências e trazer mais valor.

    8. Automatize operações

    Quem trabalha no ambiente virtual tem a opção de automatizar, ou seja, de programar algumas operações por meio de softwares.

    Isso é importante por agregar uma melhor experiência ao usuário, além de aumentar a eficácia de sua página e rapidez dos processos, melhorando as interações e compras.

    9. Realize anúncios patrocinados

    Para quem tem um negócio digital, uma dica fundamental é investir em anúncios patrocinados, seja nas redes sociais, por meio do Twitter Ads ou da plataforma usada, ou mesmo em mecanismos como o Google.

    Um dos objetivos é fazer com que a marca ou produto sejam conhecidos, mas de forma direcionada. Além disso, existe a intenção de promover as vendas e aumentar o contato dos clientes com sua loja.

    Por meio dos anúncios, sua postagem ou publicação pode aparecer em sites parceiros do Google, assim como para mais clientes. Outra vantagem é ter uma melhora no ranqueamento, fazendo com que mais pessoas vejam o seu negócio.

    10.  Tenha um site confiável

    Para quem trabalha com vendas no ambiente online, é impossível não pensar na segurança do site, tanto para preservar a marca (dados e credibilidade), quanto para trazer mais segurança ao cliente.

    Um site que não apresenta boa navegabilidade, trava muito, ou não possui elementos e certificados de segurança não é confiável para o cliente realizar uma compra ou inserir seus dados, perdendo oportunidade de venda.

    Por isso, se você atua no e-commerce, siga nossas dicas para obter melhores resultados em sua empresa e aposte em ambientes que favoreçam um maior alcance para se destacar no mercado.

    Convidados

    Como é a profissão de corretor da Bolsa de Valores

    22 de outubro de 2021

    Como é a profissão de corretor da Bolsa de Valores
    Com demanda em alta, saiba como é a atuação desse profissional.

    O mercado de trabalho vive profundas transformações em meio à pandemia da Covid-19. Novas demandas surgiram e, para atendê-las, empresas e profissionais precisaram adaptar-se. Conhecer essas mudanças pode ser uma oportunidade para quem busca colocação ou reinvenção profissional.

    O corretor da Bolsa de Valores é uma das profissões que está em alta no país. As contratações com carteira assinada aumentaram 45,5% em agosto de 2021, na comparação com o ano anterior, segundo o levantamento realizado pelo portal Salário. O estudo considera o cruzamento de dados entre o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o e-Social e o Empregador Web.

    Ainda de acordo com o levantamento, a média salarial para o cargo no país é de R$ R$ 3.908,01, podendo chegar a até R$ 11.313,12. A cidade de São Paulo é o local que apresenta o maior número de vagas. Em seguida estão os municípios de Rio de Janeiro (RJ), Cajamar (SP), Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG), nesta ordem.

    O crescimento da demanda por este profissional ocorre paralelamente ao aumento do interesse dos brasileiros por investir em produtos de ativos variáveis. De acordo com a B3, o número de investidores pessoa física aumentou 43% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2020. Em números, o total de cadastrados na Bolsa de Valores chegou a 3,8 milhões.

    Formação e atuação

    O corretor da Bolsa de Valores deve ter um amplo conhecimento sobre o mercado financeiro. Por isso, nesta área, costumam atuar profissionais graduados e pós-graduados em Economia, Ciências Contábeis, Administração, Ciências Atuariais e áreas afins.

    O papel do corretor é auxiliar investidores – tanto pessoas físicas, quanto empresas – a realizarem as operações mais compatíveis com seus objetivos, buscando o maior retorno financeiro e criando estratégias para minimizar os riscos.

    Além da formação superior, esta profissão requer habilidades como boa comunicação, domínio da língua inglesa, análise estratégica e aptidão para vendas. Também é preciso manter-se atualizado com as informações dos cenários político e econômico nacional e internacional, pois há diversos fatores que interferem diretamente no mercado financeiro.

    As oportunidades de emprego podem ser em corretoras de investimentos, bancos, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, agências de viagem, consultorias para empresas, dentre outros estabelecimentos. A Casa do Trader, por exemplo, reúne profissionais para orientar de forma específica os investidores que querem atuar com o day trade.

    O trabalho de um corretor envolve todo o suporte estratégico necessário ao investidor. Cabe a ele indicar o produto mais atrativo, conforme o perfil do cliente, o propósito com o qual é feito o investimento, em quanto tempo pretende-se realizar o resgate do dinheiro e como é composta a carteira desse investidor.

    Essa orientação profissional contribui para escolhas mais assertivas e minimizam o risco existente em todo tipo de investimento. No caso do day trade, ela mostra-se ainda mais essencial, tendo em vista que essa é a modalidade mais ágil da Bolsa de Valores e, também, uma das mais atrativas e arriscadas.

    Convidados

    Descubra como a inflação pode afetar os investimentos em 2021

    18 de março de 2021

    Descubra como a inflação pode afetar os investimentos em 2021

    Veja como a inflação pode afetar seus investimentos em 2021 e o que fazer para se proteger contra danos ao seu patrimônio!

    Se você acompanha as notícias financeiras ou mesmo diárias, provavelmente já ouviu especialistas e economistas discutindo sobre a taxa de inflação da economia. 

    Embora façam parecer que não tenhamos que nos preocupar, é importante que saibamos como a inflação pode afetar nossos esforços, tanto na hora economizar ou mesmo investir.  

    Para ajudar a endireitar as coisas, vamos apresentar o impacto potencial da inflação em seus planos financeiros. Mas primeiro…

    O que é inflação?

    Numa definição mais simples, a inflação é quando os preços médios em todo o país sobem, fazendo com que o poder de compra individual diminua à medida que o preço de tudo aumenta. 

    Vamos supor que o custo de compra de uma bicicleta hoje seja em torno de R$100,00 e a taxa de inflação atual seja de 2%: no próximo ano, o preço da bicicleta será de R$102,00 (esperando que o preço aumente na mesma proporção da inflação).

    Outra forma de entender a inflação é por meio da lei de oferta e demanda, que desempenha um papel importante no funcionamento desse “mecanismo”. 

    Logo, os preços tendem a subir quando:

    • a demanda por um bem ou serviço aumenta;

    • a oferta desse mesmo bem ou serviço cai. 

     

    Muitos fatores afetam a oferta e a demanda nacional e internacional, incluindo custos de bens e trabalho, impostos sobre a renda e bens e disponibilidade de empréstimos, por exemplo.

    Durante a pandemia de COVID-19, tivemos um choque repentino de pessoas forçadas a ficar em casa. Isso gerou um excedente de bens que as pessoas não podiam mais comprar em período de quarentena, como os automóveis – o que impactou no preço relativo dos carros. 

    Como isso pode impactar os investimentos?

    O impacto da inflação sobre os investimentos depende do tipo de aplicação financeira. Para investimentos com um retorno anual definido, a famosa renda fixa, a inflação pode prejudicar o desempenho – como você recebe o mesmo pagamento de juros a cada ano, isso pode reduzir seus ganhos reais. 

    Se você receber um pagamento de R$100,00 por ano, por exemplo, esse pagamento valeria cada vez menos a cada ano, dada a inflação.

    De acordo com o Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo Banco Central (BC), a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do País foi de 3,32% para 3,34% em 2021.

    Ainda que esteja abaixo da meta central (3,75%), o IPCA vai continuar deixando negativo o retorno real de alguns títulos de renda fixa, como o Tesouro Selic, ideal para reservas financeiras. 

    Isso ocorre porque o principal balizador dessa classe de ativos é o CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro), que atualmente está em 1,90%, bem inferior à inflação.

    E as ações?

    Já no caso das ações, a inflação pode ter um impacto misto. Em momentos de força econômica, as empresas podem estar vendendo mais, o que pode ajudar no preço de suas ações. No entanto, essas mesmas empresas também pagarão mais por salários e matérias-primas, o que prejudica seu valor no mercado financeiro. 

    Se a inflação vai ajudar ou prejudicar na bolsa de valores, pode depender do desempenho da empresa por trás dela.

    Por outro lado, metais preciosos, como o ouro, historicamente se saem bem quando a inflação está alta. Por fim, existem alguns investimentos indexados ao risco de inflação. Eles ganham mais quando a inflação sobe e menos quando a inflação desce, de modo que seus ganhos totais são mais estáveis. 

    Como defender sua carteira contra a inflação?

    A inflação pode ter um impacto significativo na sua estratégia de investimentos ao longo do tempo. Além de trabalhar com um profissional financeiro, considere duas etapas que podem ajudar a proteger seu patrimônio contra a inflação:

    • diversificar seu portfólio com várias classes de ativos (fundos imobiliários, ações, renda fixa e até mesmo commodities). No entanto, a diversificação e a alocação de ativos não protegem contra perdas ou garantem retornos;

    • considere os títulos protegidos contra a inflação. Uma sugestão é o Tesouro IPCA+, com ou sem pagamento de bônus semestrais. Esse é um papel que combina uma parte de retorno prefixado, definido no momento da compra do papel, e o restante indexado à inflação, medida pelo IPCA. Da mesma forma que o Tesouro Direto, também existem outros títulos que podem ter sua rentabilidade atrelada à inflação. É o caso dos CDBs, LCIs e LCAs.

    Lembre-se: a inflação pode estar além do seu controle, mas isso não significa que você não pode tomar medidas para ajudar a preservar seus investimentos e economias de seus efeitos.

    Você já incluiu a inflação nos seus planos financeiros?

    Como você viu, a inflação é uma das razões pelas quais muitas pessoas não colocam todo o seu dinheiro no banco – uma vez que, com o tempo, a inflação pode corroer o valor dessas economias.

    Por esse motivo, alguns preferem manter parte de seu dinheiro em investimentos de crescimento potencialmente mais alto, como ações ou fundos mútuos, porque, em média, esses investimentos ganham mais por ano do que a taxa de inflação (embora também apresentem o risco de menores ganhos ou perdas).

    Você também pode considerar o risco de inflação ao descobrir que tipos de investimentos terá em seu portfólio. 

    Como mencionamos, os investimentos fixos, como títulos ou anuidades fixas, podem ser adversamente afetados pela inflação. Para diversificar, alguns investidores optam por comprar dólar ou adicionar ouro e investimentos indexados à inflação às suas carteiras.

    A inflação é uma força de mercado impossível de ser completamente evitada. Mas, planejando isso e implementando uma estratégia de investimento forte, você poderá ajudar a minimizar o impacto em suas economias e planos financeiros de longo prazo.

    Convidados

    Conheça 10 profissões em alta mesmo na crise

    24 de junho de 2020

    Conheça 10 profissões em alta mesmo na crise

    A pandemia causada pelo Covid-19 parou o mundo e é responsável por uma grande crise financeira mundial. Além nos números de mortes que crescem diariamente, a economia de todos os países está em colapso.

    Muitos profissionais tiveram seus salários reduzidos e outros até perderam seus empregos, pois a maioria dos setores considerados não essenciais estão com as portas fechadas.

    Então como escolher uma profissão promissora nesse momento?

    Como solução para a resposta, preparamos tópicos com as profissões que já vem se desenvolvendo a um tempo e em crescimento mesmo em meio ao período que nos encontramos.

    A seguir conheça as 10 profissões que estão em alta mesmo na crise.

    1.  Programação

    O home office está em alta, assim como o uso constante das ferramentas digitais, por isso, ser programador é bem promissor em tempos de crise.

    Isso porque este profissional, que possui domínio de diferentes linguagens de programação, pode vir a ser um dos responsáveis em fazer um sistema rodar, sem parar, sem deixar as pessoas na mão, como por exemplo um sistema utilizado em bancos, ou até mesmo em aplicativos que você precisa usar diariamente.

    2.  Web designer

    O web designer é mais uma profissão que permanece em alta mesmo na crise, afinal é o profissional responsável por criar sites e deixá-los com melhor aspecto visual.

    Com a popularização da internet, a concorrência online está cada vez maior. Então, para se destacar na área, muitas empresas investem nesses profissionais a fim de alcançar novos públicos e ampliar seus negócios.

    3. Social Media

    Para enfrentar a crise, muitos profissionais e empresas estão investindo em diversas técnicas de marketing digital. E aproveitar as redes sociais para divulgar produtos e serviços está cada vez mais popular.

    O Social Media é o gestor de redes sociais, ou seja, o responsável pelo funcionamento e atualização de uma ou diversas redes sociais.

    Com muitas empresas ampliando seus horizontes através da divulgação online, essa é uma profissão que permanece em alta mesmo na crise.

    4.  Assistente técnico em celulares, tablets e notebooks

    Com muitas empresas adotando o sistema home office, os celulares, tablets, notebooks e PCs se tornaram as principais ferramentas de trabalho.

    É certo que tudo o que é usado constantemente precisa de manutenção e por isso os técnicos responsáveis por consertar esses aparelhos também estão em alta nesse momento de crise.

    5.  Instalador de energia solar

    Ficar em casa 24 horas, que antes parecia algo relaxante, acabou se tornando motivo de preocupação, pois todos em casa geram alguns gastos extras. Isso porque o uso de aparelhos eletrônicos para o trabalho e lazer aumenta os gastos com energia.

    Por isso, algumas pessoas optam por utilizar a energia solar como forma de economizar com gastos em contas de luz. E com o aumento pela procura dos serviços, o instalador de energia solar está se tornando uma das profissões em alta mesmo na crise.

    6.  Revendedor de produtos importados

    A venda de produtos importados pode ser altamente lucrativa mesmo na crise, principalmente se você investir em uma loja virtual.

    Com a facilidade da internet é possível fazer todo o processo online e enfrentar a crise lucrando com a venda de importados online.

    7. Profissionais da saúde

    Como são os profissionais que estão na linha de frente no combate à pandemia, os profissionais da saúde estão em mais que em alta no momento. O mundo parou para aplaudi-los e a valorização destes profissionais aumentou.

    Então, se você gosta da área de enfermagem, medicina, entre outros, esse é o momento para investir na área.

    8. Biotecnologia

    Durante a crise, o mundo todo está voltado para a descoberta de uma vacina eficaz contra o Covid-19, por isso a área de Biotecnologia está super em alta.

    Além disso, esse profissional pode atuar em indústrias, encontrando soluções mais rentáveis para a criação, transformação e conservação de produtos alimentícios, farmacêuticos e cosméticos.

    9. Agronegócio

    As profissões na área do Agronegócio permanecem em alta mesmo na crise, pois essa é uma das áreas essenciais que não pode parar. Afinal, é preciso atender as altas demandas da população que continua precisando de alimentos diariamente.

    Entretanto, é preciso de profissionais especializados para driblar os efeitos negativos da crise. Por isso, os bons profissionais da área estão se destacando nesse momento.

    10. Logística

    Para enfrentar a crise é preciso usar todas as estratégias possíveis e o profissional de logísticas é o responsável por estratégias que reduzam os gastos e aumentem os lucros.

    Em outras palavras, ele vai eliminar aquilo que gera gastos extras e oferecer um produto ou serviço exemplar com o menor custo.

    Por isso, concluísse que essa é mais uma área que está em alta nesse período de crise.

    E essas foram as profissões mais promissoras do momento.

    Convidados

    5 dicas para ajudar a começar seu empreendedorismo

    20 de maio de 2020

    5 dicas para ajudar a começar seu empreendedorismo

    Saiba tudo sobre como iniciar um novo negócio e qual a melhor opção para cuidar de seus produtos e estoque para venda

    Começar um novo negócio nem sempre é algo fácil. Mas é muito comum que as pessoas julguem essa tarefa como sendo mais difícil do que ela realmente é na prática.

    Seja venda de produtos por meio de um e-commerce, prestação de serviço com atendimento em domicílio ou venda em lojas físicas, o importante é não desistir da ideia antes mesmo de começá-la.

    Com certeza, dar o pontapé inicial e investir para ter um novo negócio é fundamental para quem deseja ser dono do próprio negócio e sucesso profissional.

    Sabemos que todo novo empreendimento precisa de organização, planejamento e, obviamente, a ação em si. Pensando nisso, criamos uma lista 5 dicas essenciais para começar um novo negócio. Acompanhe a seguir.

    Como faço para começar um novo negócio?

    É importante ficar atento a cada etapa para não se perder em meio a ideias e anotações. Para te ajudar nisso, veja as nossas dicas a seguir:

    1.   Faça uma pesquisa detalhada sobre o seu mercado

    Independentemente do ramo, é indispensável ter uma noção ampla de como funciona o mercado ao qual você deseja que a sua empresa faça parte.

    Qual é o posicionamento dos seus concorrentes e como eles estão performando são alguns dos tópicos iniciais a serem considerados para a pesquisa. Além disso, como fazer para a sua marca ter destaque em meio às outras empresas? Qual o diferencial dela? Caso ainda não saiba, pesquise ainda mais!

    Acredite, apesar do atual cenário econômico do país estar um pouco complicado, saber exatamente onde está investindo pode definir o sucesso ou o fracasso do seu empreendimento.

    2.   Elabore um bom planejamento

    Um planejamento realista e objetivo fará toda diferença para se começar um bom negócio. Quer um exemplo?

    Imagine que o seu novo empreendimento seja vender produtos de forma online. Isto é, em um e-commerce. Além de traçar cada detalhe para a criação do site oficial, além de quem será o profissional responsável por sua gestão, e qual valor que tudo isso demandará, é primordial também pensar na armazenagem dos produtos, por exemplo.

    A mercadoria a ser vendida precisa ficar em um local seguro e que não danifique ou comprometa a sua qualidade e durabilidade. Assim, uma opção que vem ganhando espaço entre os empreendedores e empresas é o self storage. Não sabe o que é? Explicaremos adiante.

    Self Storage: armazenagem com garantia e segurança

    O Self Storage (em tradução livre, auto armazenagem) é uma solução para quem precisa de espaços para estocagem, organização de mercadorias ou apenas para guardar produtos, móveis e itens diversos.

    A empresa SS Self Storage é um exemplo deste tipo de serviço aqui no Brasil. Com unidades em diversos estados – como Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Manaus e outros -, a companhia se tornou uma grande aliada dos empreendedores.

    O serviço pode ser adquirido de um jeito muito fácil:

    • Saiba o espaço que você vai precisar, e escolha o seu box a partir disso;
    • Armazene e organize seus produtos dentro do self storage;
    • Tranque e leve a chave com você.

    Simples, não é mesmo? Essa opção de armazenamento tem auxiliado não apenas empresas médias e grandes já consagradas no mercado, mas também os novos empreendedores. Então, não deixe de ficar atento à essa ideia para aplicá-la em seu novo negócio!

    3.   Programe-se financeiramente para não correr riscos

    Não possui ideia de quanto gastará para iniciar um novo empreendimento? Esta etapa é para resolver de vez esse problema.

    Todo projeto tem um custo, por isso é preciso criar um cronograma detalhado sobre os possíveis gastos que acontecerão a curto, médio e, quem sabe, até mesmo a longo prazo. Ou seja, é necessário fazer um planejamento financeiro! Isso indicará se vai ser viável ou não começar o novo negócio, por exemplo.

    Ninguém quer começar uma empresa e meses depois fechá-la por falta de verba, certo? Então, aproveite esse momento e programe-se financeiramente!

    Não importa o setor que a sua empresa atuará, saber os valores que serão demandados é essencial para a vida ativa do seu negócio.

    4.   Invista em comunicação para que seu negócio seja reconhecido pelos clientes

    Como citamos anteriormente, é importante definir qual será o diferencial da sua marca. Contudo, tão importante quanto isso é fazer com que seu público-alvo conheça o seu produto.

    Para isso, tanto empresas com anos de atividade como empreendedores iniciantes estão investimento fortemente nas redes sociais. Facebook, Twitter, Instagram e até mesmo o Linkedin, dependendo do negócio.

    Obviamente, existem outras ações de comunicação que podem ser desenvolvidas em conjunto, como: assessoria de imprensa (para que a empresa seja reconhecida de forma espontânea pelas mídias tradicionais, como jornais, revistas e programas de rádio e TV), marketing e mídia paga etc.

    Dessa forma, o importante mesmo é dar voz à sua empresa. Fazê-la ser conhecida e reconhecida pelos clientes. Não perca tempo e faça um bom planejamento de comunicação para o seu negócio!

    5.    Ponha a mão na massa!

    Chegou a hora de começar o seu empreendimento na prática, no dia a dia do negócio.

    Nesta etapa, toda a pesquisa de mercado terá te ajudado a definir os melhores passos a serem seguidos para o seu projeto. O planejamento precisa estar impecavelmente bem feito, o cronograma financeiro deve estar pronto, mas também ser constantemente atualizado em caso de eventuais mudanças.

    Dedique seu tempo a fazer o seu empreendimento acontecer. Com o produto certo, um bom site no ar, produtos bem organizados e guardados em segurança, além de clientes ansiosos por conhecer ainda mais a sua marca, seu empreendimento terá tudo para dar certo!

    Portanto, lembre-se de dar atenção a cada detalhe, desde a guarda de móveis, ou produtos até o plano de comunicação para os clientes reconhecerem o seu negócio.

    Muitas pessoas, por falta de prática e visão estratégica, acabam desistindo antes mesmo de começarem um novo empreendimento. Bem, esperamos que com as nossas dicas você não seja uma delas.

    Pegue tudo o que aprendeu aqui neste texto e planeje-se o quanto antes para investir em seu novo negócio! Boa sorte!

    Convidados

    Presença no ambiente digital facilita as vendas do seu negócio

    26 de março de 2020

    Presença no ambiente digital facilita as vendas do seu negócio

    Não é novidade que o mercado digital tem faturado muito nos últimos anos. De acordo com a Webshoppers, o e-commerce brasileiro cresceu 12% apenas no primeiro semestre de 2019. Além disso, o Brasil é o país da América Latina que mais fatura com esse setor.

    Com o objetivo de abrir negócios e expandir a imagem de uma marca, muitas pessoas têm investido em e-commerces, uma vez que eles possuem diversos benefícios, como por exemplo a presença no ambiente digital, a praticidade, a comodidade e o baixo custo.

    Mas, engana-se quem acredita que apenas criar uma loja online é o suficiente. Para o seu negócio estar presente no ambiente digital e consequentemente vender mais, é preciso adotar algumas técnicas e estratégias.

    Invista em marketing na internet

    Considerando que a tecnologia se tornou indispensável para a vida e para o trabalho de grande parte da população, manter uma presença no ambiente digital é imprescindível para a sua marca.

    Ao traçar um plano de marketing, você estabelece os caminhos a seguir e consegue mensurar os resultados de cada ação. Entre as estratégias para criar uma presença no ambiente digital, temos:

    SEO

    O SEO (Search Engine Optimization), como a própria tradução sugere, é a otimização de sites para os motores de busca. Através dessa estratégia é possível adquirir resultados a médio e longo prazo.

    Com o SEO é possível ter um crescimento do tráfego orgânico, gerar maior qualidade do tráfego e conquistar as melhores posições de rankeamento nas SERPs.

    Para começar a fazer SEO você precisa:

    • Realizar uma pesquisa de palavras-chave;
    • Analisar se os title tags estão preenchidos corretamente;
    • Otimizar as imagens;
    • Escrever uma meta description cativante;
    • Utilizar URLs amigáveis;
    • Ter um design responsivo;
    • Criar conteúdo otimizado;
    • Trabalhar com link building.

    Blogs

    Existe uma expressão que diz que o conteúdo é rei e, para criar uma presença no ambiente digital, isso possui ainda mais força, já que através do blog a empresa adquire autoridade e credibilidade sobre determinado assunto.

    Para tanto, é preciso encantar as pessoas a ponto de atraí-las para a sua página. Abuse de textos, fotos, vídeos e demais recursos para oferecer o que interessa a elas.

    Trabalhando com conceitos como o de persona, por exemplo, você pode desenvolver uma comunicação rica e precisa, capaz de converter com maior facilidade os visitantes da sua página em leads.

    Redes sociais

    As redes sociais permitem que você desenvolva uma comunicação mais focada no perfil do seu público-alvo e por meio de curtidas, comentários e compartilhamentos, existe uma eficiência da comunicação direta entre marca e consumidor, o que também gera maior engajamento.

    Um site como o Facebook, por exemplo, garante visibilidade incrível devido à sua audiência.

    Da mesma forma, o LinkedIn é mais propício para relacionamentos profissionais, e o Instagram permite o trabalho com imagens. Tudo depende das características de cada rede e de como o seu público participa dela.

    Com presença nas redes sociais sua empresa expande o alcance da sua marca e potencializar as vendas, assim garantindo sua presença no ambiente digital. O segredo é interagir para fazer uso dessas ferramentas de maneira diferenciada e fidelizar os clientes.

    Links patrocinados

    Um recurso interessante para fazer a sua empresa atingir as pessoas certas para receberem a sua mensagem é o uso de links patrocinados que são, basicamente, anúncios pagos que atraem visitantes.

    Essa estratégia de marketing possibilita a obtenção de um número maior de conversões para o seu negócio online.

    Com os links patrocinados, é possível segmentar o público, levando o seu anúncio exclusivamente para quem já demonstrou algum tipo de interesse por aquilo que você vende.

    Assim, ao investir em anúncios com alto poder de conversão, você consegue obter resultados mais facilmente para a sua campanha e se manter presente no ambiente online.

    Convidados

    Por dentro da mente de um investidor de imóveis

    11 de fevereiro de 2020

    Alguns aspectos são comuns à maioria dos investidores de sucesso. Saiba quais são!

    Segundo pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), os próximos cinco anos serão de um mercado imobiliário aquecido. O estudo aponta que 14 milhões de moradias serão entregues nos próximos cinco anos e espera-se que os valores dessas casas e apartamentos só aumente, tornando atraentes os lucros para quem vende.

    Sabendo dessa grande oportunidade, há muito a se descobrir quando se decide aplicar em imóveis. Por se tratar sempre de um grande investimento, é importante estar em dia com todo o conhecimento que abrange esse universo. Mas que atitudes levam um investidor a ter sucesso nessa área?

    Ele entende que existem perfis e tipos de imóveis

    Oportunidades imobiliárias não são investimentos de curto prazo. É preciso pensar lá na frente, entender o funcionamento do mercado, descobrir regiões que vêm sendo valorizadas nos últimos anos, como Moema Pássaros e, por fim, entender que existem públicos diferentes com necessidades diferentes.

    Entre tantas abordagens oferecidas pelo setor, algumas que merecem atenção de quem busca lucrar com imóveis são o mercado de apartamentos de luxo, o investimento em imóveis para locação e o financiamento de imóveis de olho na valorização a longo prazo.

    Ele sabe quais são as vantagens

    A primeira delas é a segurança ao investir o dinheiro. Imóveis são – assim como suas estruturas – bens extremamente estáveis. Ainda que o momento econômico possa vir a não ser dos melhores, o valor de um imóvel varia pouco e ainda assim pode ser liquidado com uma boa margem de lucro.

    Além disso, ele conhece todas as variáveis que fazem de um imóvel um investimento. Ou seja, ele conhece o mercado, o público e sabe enxergar a oportunidade quando se depara com uma.

    Ele coloca tudo na ponta do lápis

    É importante levar em consideração todos os gastos que envolvem a compra e a venda de um imóvel para não ser pego desprevenido. Alguns tributos são inerentes a toda transação imobiliária, como o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) e outros, como o valor pago pela escritura, são exigidos de acordo com a natureza do negócio.

    É importante ficar atento também a outros gastos que fazem parte do trâmite como a certidão negativa e os valores pagos aos cartórios e ao corretor, caso algum tenha sido contratado para encontrar possíveis compradores.

    Ele procura diversificar seus investimentos

    Além de comprar e vender imóveis de maneira direta, é possível aplicar o seu dinheiro em créditos referentes a empreendimentos de serviço como prédios comerciais, agências bancárias, shopping e hotéis. É o Fundo de Investimento Imobiliário (FII), uma boa forma de aplicar diretamente nesse mercado.

    Outras formas de diversificar a maneira como você lucra com o mercado imobiliário são o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), que garante a você lucros a partir de empréstimos contratados por incorporadoras, Letras de Crédito Imobiliário (LCI), uma forma de investir diretamente em futuros empreendimentos imobiliários, e as Letras Hipotecárias (LH), a maneira mais segura de investir em crédito imobiliário, mas certamente uma das menos rentáveis.

    Ele está sempre atualizado

    Aprender sobre o mercado imobiliário, assim como em qualquer setor, é uma prática infinita que leva à perfeição quem busca fazer grandes negócios. Leia notícias sobre o mercado, faça pesquisas, marque presença em eventos e esteja sempre em dia com o setor imobiliário para garantir o seu sucesso!

    Convidados

    A atração e o vício nas apostas e jogos de azar

    3 de fevereiro de 2020

    Antecipação, estratégia, ansiedade, tensão… e a possibilidade de ganhar muito dinheiro jogando e apostando pela internet. O hábito pode não fazer parte da vida de muitas pessoas mas, quem tem, sabe: é viciante.

    O termo “viciante” é usado muitas vezes no sentido figurado, tentando demonstrar quando algo é bom demais para ser deixado. Mas, neste caso, ele deve ser entendido no sentido literal. Isso não significa que o hábito do jogo não é divertido demais para ser deixado. Esse é o problema para muita gente, mesmo no Brasil, onde as apostas são atualmente ilegais.

    O fato de não ser permitida a abertura de bingos e cassinos no território nacional não impossibilita o jogador de procurar por opções virtuais para fazer suas apostas. Estas que, tomados os devidos cuidados para não se viciar em apostas online, podem combinar entretenimento e ganhos financeiros.

    Entenda melhor como funciona o vício em jogos e a importância de não deixar-se levar pelo ego na hora de apostar.

    A ciência do prazer em apostar

    Os jogos de azar não são os únicos tipos de vícios que podem comprometer suas finanças, mas estão entre os principais. Chamado de Transtorno do Jogo Compulsivo, a condição é documentada e se assemelha a vícios como o alcoolismo e o tabagismo.

    A sensação de satisfação que resulta do hábito de correr riscos é relacionada com um aumento na liberação de dopamina no cérebro, que é um neurotransmissor relacionado ao prazer. Por isso, para os jogadores assíduos, sentir esse risco e desafiar a sorte tornam-se necessidades.

    Começando como uma brincadeira, as apostas ocasionais de R$1 a R$10 podem levar a ganhos milagrosos, multiplicando a aposta inicial em 10, 15, 50 vezes. Se descontrolado, esse hábito pode levar o jogador à dependência e a perdas tão grandes, senão maiores do que os ganhos. O mais interessante é que, quimicamente, tanto ganhar quanto perder leva à mesma resposta dopamínica no cérebro. Ou seja, perder é tão prazeroso quanto ganhar!

    Não é uma surpresa que essa busca pelo prazer possa levar a perda de patrimônio, isolamento social e até, em casos mais extremos, a ameaças de morte a quem não consegue pagar suas crescentes dívidas de jogo.

    O problema com esse tipo de vício é que, como ele não é relacionado com uma substância química, muitas vezes é visto como um desvio moral, ao invés de uma dependência. Mas é, na verdade, uma patologia, que atinge de 1% a 2% da população brasileira.

    Diagnóstico e tratamento

    Assim como outros tipos de patologias documentadas, o Transtorno do Jogo Compulsivo tem método de diagnóstico e pode ser tratado. O site do Programa Ambulatorial do Jogo Patológico (PRO-AMJO) do Hospital das Clínicas disponibiliza uma lista de 20 perguntas que ajudam a própria pessoa a conseguir a resposta que procura e a buscar ajuda. As questões envolvem situações para descobrir se o usuário já mentiu, perdeu horas de trabalho ou teve problemas familiares por causa do jogo.

    Em entrevista, o professor do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina (FMUSP) e médico do Instituto de Psiquiatria (IPq), Hermano Tavares, explica melhor quais são os três pilares que concluem o diagnóstico. Segundo o médico, o primeiro pilar é a perda de controle sobre a atividade de aposta e as consequentes tentativas frustradas de ficar sem jogar. Se o jogador se propõe, espontaneamente, a ficar uma semana, um mês sem jogar, e não consegue, esse é um sinal de alerta. Além disso, assim como outras formas de dependência química, a prática constante do jogo vai provocando uma adaptação no cérebro e reduzindo o prazer alcançado inicialmente. É por isso que o jogador tem a tendência de aumentar seus riscos com o tempo e apostando quantias cada vez maiores. O terceiro pilar é o sofrimento psicossocial. “Quando o jogador exagera, acaba acumulando uma série de prejuízos: éticos, financeiros, morais, nos relacionamentos pessoais, no trabalho. E mesmo com todos esses prejuízos, ele continua jogando”, diz o médico.

    Após o diagnóstico, o jogador tem algumas opções que fazem parte do processo de tratamento, que envolvem acompanhamento psiquiátrico, tratamento psicológico e reuniões de jogadores anônimos. As instituições que oferecem esse tipo de auxílio são variadas pelo Brasil. Em São Paulo, por exemplo, a PRO-AMJO oferece um tratamento multiprofissional, iniciado pela triagem, passando por um clínico geral e um psiquiatra até o ingresso no ambulatório.

    Tente evitar as emoções na hora de apostar

    Se você é uma pessoa adulta e consciente dos riscos, nada te impede de tentar a sorte e entrar em um jogo de azar ou esquemas de apostas na internet. Mas, se você for tentar, uma dica interessante é evitar a emoção quando for lidar com suas transações monetárias.

    É claro, somos todos seres humanos e emocionais. A emoção de ganhar é intensa, mas tente evitar de se sentir um super-herói neste momento. Vencer muitas apostas seguidas leva a uma sensação de invencibilidade que é irreal e perigosa. Perigosa porque ninguém é invencível e vai chegar um momento em que a perda é inevitável. Então, conte sempre com as análises e estatísticas, veja as probabilidades e tome decisões conscientes para usar o seu dinheiro suado. Sua carteira e sua saúde mental agradecem!

    A atração e o vício nas apostas e jogos de azar

    Convidados

    Tudo o que é preciso saber sobre o Airbnb e o seu cupom de desconto

    30 de outubro de 2019

    Tudo o que é preciso saber sobre o Airbnb e o seu cupom de desconto

    O cupom de desconto Airbnb é uma estratégia de fidelização de clientes da plataforma de mesmo nome, especializada em encontrar e comparar preços de hospedagens em quase todos os quatro cantos do mundo.

    Inicialmente essa ferramenta caracterizava-se por servir como um veículo para que as pessoas pudessem anunciar a vaga de um quarto, um quarto completo, sótão, garagem, ou qualquer outra acomodação que estivesse disponível e que pudesse servir para a obtenção de algum dinheiro.

    Mas o tempo passou, muita coisa mudou, e o hoje a plataforma já contabiliza mais de 10 milhões de hospedagens desde a sua fundação em 2008. E sempre como uma espécie de “elo de ligação” entre indivíduos em busca de uma hospedagem barata, informal e confortável e pessoas interessadas em alugar acomodações com essas características – e ainda sem toda aquela burocracia e formalidade que costumam caracterizar a reserva de um hotel.

    Como funciona o Airbnb?

    O funcionamento da plataforma é bastante simples. Imagine poder alugar uma cama em um quarto, o sofá de uma sala, o espaço de uma garagem, uma casa completa, ou mesmo um apartamento inteiro?

    A ideia da plataforma é exatamente isso: oferecer uma maior variedade de acomodações, que acabam tornando-se mais baratas justamente por demonstrarem essas características de informalidade. Enquanto isso, facilita a vida de quem tem esses espaços e precisa divulgá-los para o maior número possível de pessoas.

    E o restante do processo ocorre de forma mais ou menos semelhante ao de uma comparadora de preços: Você realiza um cadastro no site, escolhe o tipo e valor da acomodação, solicita uma reserva e espera que o anfitrião aceite.

    Em caso positivo, é só realizar o pagamento por cartão de crédito ou via paypal e a sua acomodação já estará devidamente reservada.

    Para os admiradores desse sistema Airbnb nada se compara à praticidade de escolher entre milhões de acomodações, em praticamente todos os continentes, e ainda sem ter que prender-se a opções tradicionais, como os albergue, hostels, hotéis e similares.

    Apenas e tão somente alugar o espaço que precisa para alguns dias, semanas ou até meses inteiros; seja ele um quarto, sofá, o porão de uma casa, um sótão, trailer, ou o que quer que possa receber o nome de acomodação.

    Os cupons de desconto Airbnb

    Os cupons de descontos Airbnb são códigos que lhe oferecem descontos no momento em que você faz a reserva de uma acomodação por intermédio do site. E para utilizá-los basta clicar em “Resgatar”, inserir o código e clicar em “Aplicar”. –  Tudo isso no momento em que for realizar o pagamento da reserva.

    E para ganhar os cupons é necessário, antes de mais nada, não possuir cadastro na plataforma e ser convidado por algum amigo ou conhecido.

    A partir de então, você poderá convidar outros amigos, e assim sucessivamente, criando uma espécie de “rede de reputação”, que ainda oferece outros tipos de vantagens e descontos.

    A cada vez que você convidar um amigo (e ele concluir uma reserva pelo Airbnb e for bem qualificado) estará ganhando automaticamente novos cupons.

    E, da mesma forma, cada vez que for convidado, o seu crédito na forma de cupons aparecerá instantaneamente na sua página. E aí então é só utilizá-los da maneira que desejar.

    Qual a sua opinião sobre esse artigo? Ele satisfez as suas dúvidas? Tem algo que queira acrescentar? Então faça isso na forma de um comentário e continue compartilhando os nossos conteúdos.

    Qual a sua opinião sobre esse artigo? Ele satisfez as suas dúvidas? Tem algo que queira acrescentar? Então faça isso na forma de um comentário e continue compartilhando os nossos conteúdos.

    Convidados

    5 Dicas de negócio com pouco investimento para você empreender

    16 de setembro de 2019

    5 dicas de negócio com pouco investimento para você empreender

    Quem não deseja ter uma carreira de sucesso, não é mesmo?! Seja em um cargo bem remunerado numa empresa ou sendo dono do seu próprio negócio.

    Esta última opção, está servindo de aposta para muitas pessoas, que desejam inovar através de um novo produto ou serviço que abrange a necessidade de um público.

    Para ganhar aquela renda extra ou simplesmente para abrir seu próprio negócio, alguns desafios devem ser enfrentados, entre eles escolher o melhor segmento de mercado e juntar dinheiro para investir.

    Dessa forma, se você já possui espírito empreendedor e precisa de uma “mãozinha” para abrir sua empresa, selecionamos 6 dicas de negócio para você apostar e empreender.

    SE PREPARANDO PARA EMPREENDER

    Antes de iniciarmos com as dicas sobre melhores negócios para empreender, é preciso construir todo um planejamento antes de iniciar. Para isso, estude o que as pessoas mais precisam no momento e crie soluções para esse público.

    A partir daí, fique atento ao que o mercado tem a oferecer, quais as tendências estão surgindo e planeje seu negócio dentro dessas possibilidades.

    Uma outra dica é avaliar o que você tem a oferecer, analisando suas habilidades e o quanto elas contribuíram para fazer seu plano de negócio sair do papel.

    Contudo, para criar um negócio lucrativo é preciso ter uma boa base de estudo do mercado, de seus consumidores e também conhecer seus concorrentes.

    Sendo assim, conheça agora as 5 dicas de negócio com pouco investimento e que podem valer a pena você investir.

    1. Prestação de serviço em manutenção e instalações de programas para computadores: Este tipo de negócio é para quem já possui habilidades com hardware, aqui você só precisa investir em ferramentas que possam te ajudar a instalar programas e consertos em geral.
    2. Bijuterias e semijóias: Para quem gosta desses dois itens, você poderá juntá-los e criar sua própria fonte de renda, com vendas de produtos produzidos por você. A internet é ideal para fazer a divulgação, e os únicos investimentos serão os aviamentos para criar as peças, colas permanentes Loctite consumo, alicates, tesouras e agulhas.
    3. Alimentação saudável e específica: Um mercado que está sempre em alta é da alimentação, afinal, todos precisamos comer. Por isso, investir em um negócio que envolva alimentação é uma ótima aposta para começar. Neste sentido, se você já possui habilidades na cozinha, porque não investir em alimentação específica, como os grupos intolerantes ao glúten, lactose e para quem não abre mão de estar em dia com a dieta.
    4.  Food truck: Ainda no mercado alimentício, os food trucks são ótimas apostas para quem deseja oferecer um delicioso lanche e ter a liberdade de estar em diversos locais com seu carrinho. A ideia é que esses serviços levem um alimento prático e rápido de ser preparado para seus consumidores finais.
    5. Serviços de beleza: Se você gosta dos cuidados pessoais, a estética é um ótimo ramo para iniciar seu negócio. Por esse motivo, ela se enquadra na lista de negócios com pouco investimento, já que para isso você precisa se especializar através de cursos de cabeleireiro, manicure, massagens, depilação, designer, maquiagens e etc.

    A ideia é que você comece oferecendo seus serviços e vá se aprimorando com o tempo.

    Apresentar soluções é uma maneira ideal para começar o seu negócio, mas antes, faça todo um planejamento de caminhos que você queira percorrer, colocando em atenção todos os obstáculos que possam aparecer.

    Entre eles o mais temido, a falta de dinheiro, que pode ser um grande empecilho para fazer seu negócio crescer.

    Sendo assim, crie o hábito de organizar suas finanças aderindo a ajuda de aplicativos que ajudam a controlar seus gastos.