‘Mundial’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: mundial

    Geral

    Bandidos no mercado financeiro

    15 de dezembro de 2016

    Todo mundo sabe que o mercado financeiro está repleto de 171s e que raramente algum vai para cadeia, mas felizmente as coisas estão mudando, vide a Operação Lava Jato e suas ramificações levando muito colarinho branco pro xinlindró!
    No mercado mobiliário não tem sido diferente!

    Revista Exame: Crime na bolsa

    É preciso tomar muito cuidado com comunidades de mercado financeiro na internet, pois ali é um antro de picaretas/m2 virtual!

    Esta semana nos Estados Unidos dois traders são presos acusados de manipularem preços de mais de 2 mil ações. Órgãos reguladores e forças judiciais verificaram diversos casos de controle de preços, que ocorreram mais de 23 mil vezes e que duraram apenas poucos minutos.

    E dias atrás prenderam outro aqui no Brasil também:

    CVM condena Rafael Ferri por manipulação de ações da Mundial
    Em novembro a Justiça Federal sentenciou Ferri em 3 anos e 9 meses de reclusão por uso de informação privilegiada e manipulação de mercado
    Por Estadão Conteúdo / 8 dez 2016, 20h14 – Atualizado em 8 dez 2016, 20h59
    chat_bubble_outlinemore_horiz

    Muito cuidado ao encontrar e escolher as suas oportunidades de investimentos e negócios!
    Os charlatões estão sempre de olho no seu rico dinheirinho.

    Até mais.

    Geral

    Rei do Mico

    3 de agosto de 2016

    Tem algumas ações sendo “bombadas” recentemente pelos “reis do mico” recentemente em comunidades de mercado financeiro, como BPHA3, LUPA3, INEP4, PDGR3 (PDGR11 – subscrição), OGXP3, CTAX3, CTAX4, OIBR3, OIBR4, entre outras…

    Não custa nada relembrar como funciona esta “pegadinha” na bolsa de valores, a qual pode levar todo suado dinheiro de uma “sardinha” incauta e deslumbrada com o conto do vigário:

    A armadilha dos micos
    macaco_prego_g

    Veja também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Com a crise, empresas estão dando adeus à Bolsa de Valores

    16 de abril de 2016

    É incrível assistir de camarote um governo completamente perdido destruir uma economia. O PIB do Brasil deve contrair mais de 3% neste ano, com o desemprego se aproximando de dois dígitos e a inflação seguindo bem acima do centro meta do Banco Central, que é de 4,5%.

    Somente em 2016 a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) analisa 14 pedidos de Ofertas Públicas de Aquisição (OPA) para fechamento de capital. Outros dois pedidos já foram aceitos neste ano. O órgão adotou recentemente medidas para facilitar a deslistagem de empresas da BM&FBovespa, concedendo licenças a exigências para realizar a operação.

    As companhias com capital aberto na bolsa estão avaliando os prós e os contras de permanecerem listadas na BM&FBovespa, pois para ser uma empresa de capital existem muitos custos. Entre eles estão os gastos com a montagem e manutenção do departamento de RI (Relações com Investidores), produção e divulgação de eventos societários e publicação de demonstrações financeiras, por exemplo. Estes custos compensam em um quadro de economia em crescimento, já que a procura pelas ações aumenta, desta forma o valor de mercado das empresas fica maior, porém na crise financeira isto pode se tornar um peso no orçamento debilitado das companhias.

    Leia mais a seguir:

    16/04/2016 07:00 – Com crise, 16 empresas estão dando adeus à Bolsa
    Pedidos de cancelamento de registro de companhia aberta aumentam em 2016

    Ofertas Públicas para fechamento de capital já registradas:

    Tempo Participações
    Arteris

    Ofertas Públicas em análise:

    Banco Sofisa
    Companhia Celg de Participações
    Banco Daycoval
    Vigor Alimentos
    Manufatura de Brinquedos Estrela
    Iguaçú Celulose e Papel
    Mundial
    Tereos Internacional
    Unipar Carbocloro
    Wembley Sociedade Anônima
    Évora
    Marina de Iracema Park
    TecToy
    Banco Indusval

    Até o próximo post.

    Livraria

    Revista Exame: Crime na bolsa

    29 de agosto de 2014

    Outra excelente matéria de capa da revista Exame sobre crimes na bolsa de valores. Possui um grande foco em uso de informações privilegiada pelos criminosos, sendo estes tipos de operações mais comumente conhecidas como “Insider Trading” e quem opera desta forma ilegal é conhecido como “Insider Trader”, que nada mais é do que um operador (investidor) que usa informações privilegiadas em suas decisões de investimentos de forma especulativa, fato que representa um ônus pro mercado financeiro e transparece insegurança no nosso mercado capitais, principalmente pro investidor estrangeiro, sempre desconfiado com a nossa economia, ainda emergente.

    capa-exame-edicao-1072-ano-48-numero-16-3-9-2014

    A reportagem também ressalta o trabalho do órgão público fiscalizador, normatizador e sancionador do mercado mobiliário brasileiro, a nossa CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em comparação com a SEC (Security Exchance Comission), a comissão norte-americana que exerce a mesma função no mercado mobiliário de lá, porém com uma infra-estrutura infinitamente superior, aqui falando de termos relativos, pois se falasse em termos absolutos seria uma covardia.

    A Exame também relata como trabalha a bolsa de valores BM&FBOVESPA, a CVM e a justiça brasileira, cada um no seu escopo neste processo de identificação dos crimes de informação privilegiada, denúncia, investigação e condenação, ressaltando que apesar de muitas identificações de insider trading pela BM&FBOVESPA e apontadas à CVM, devido ao baixo contingente e pequena infra-estrutura do órgão, nem todos são investigados. Apenas os casos mais gritantes são investigados e quando provada as fraudes, são condenadas.

    A lei no Brasil é severa, mas poucas vezes é fortemente aplicada nestes casos. A conclusão do autor da matéria é que em nosso país este tipo de crime compensa, para tristeza e vergonha nacional.

    Leiam mesmo que sejam do mercado financeiro e acompanhem isto todos os dias, pois é um resumo bem interessante. Para quem apenas acompanha, tem curiosidades ou estuda a leitura torna-se ainda muito mais relevante. É uma aula sobre como ocorre e quais os casos mais famosos de uso de informação privilegiada na história recente do nosso mercado de capitais.

    Os suspeitos de uso de informação privilegiada

    Existem muitos outros casos, mas aí seriam necessários diversas edições da revista para cobrir tantos fatos. Esta edição surgiu principalmente devido a toda especulação eleitoral que tem sido usada como justificativa por muitos no mercado financeiro às grandes oscilações na bolsa de valores, principalmente positivas quando da melhora da oposição na corrida presidencial.

    Veja também:
    – Como filtrar informações

    Até o próximo post.

    Filmes

    Vídeo: A Realidade sobre a Mundial (MNDL4)

    6 de Maio de 2013

    Outro excelente vídeo do Bastter que mostra de forma muita clara a Realidade sobre a Mundial (MNDL4, agora só tem MNDL3) que pegou muitos eufóricos especuladores amadores de calças curtas após forte valorização em curto espaço de tempo (meses).

    A desvalorização do ativo se deu em curto espaço de tempo, o qual foi muito menor que o da valorização. Foram poucos dias. No jargão do mercado pode-se dizer “subiu de escada e desceu de elevador”.
    O ativo despencou para R$ 0,50 após o auge da valorização de R$ 0,3x até R$ 5,50. Virou até caso de polícia e investigação na CVM.
    Vale a pena conferir:

    Até o próximo post.

    Geral

    A armadilha dos micos

    1 de março de 2013

    Qual a explicação para tantas pessoas caírem nesta armadilha dos micos (ativos de empresas ruins, em má situação financeira, jurídica, que não dão lucros, só dão prejuízos, estão falidas ou a beira da falência, liquidez pífia, etc…) ?
    Não se vê outra resposta que não seja ganância desenfreada aliada à desinformação. Os incautos na sede de fazer dinheiro rápido são vítimas fáceis para alimentar este ciclo vicioso. Compram ativos ruins na base da “dica quente”, de vez em quando dão sorte e saem com bom lucro antes da festa acabar, mas na maioria das vezes ficam agarrados ao mico na ilusão de que um dia voltará naquele preço absurdo, alto, surreal, que pagaram após valorizações estratosféricas.

    A dor seria muito menor se operassem ativos com data de vencimento prévia como contratos futuros, opções, commodities, termo, etc..

    E não só na bolsa de valores vemos estes casos de investidores sendo lesados. Vários golpes/fraudes já ocorreram como por exemplo boi gordo, avestruz master, bolsa do rio, Enrol, Encol, pirâmides diversas (Madoff, “Madoff Mineiro”, etc…).
    A tática dos fraudadores sempre é a mesma, eles te fazem pensar que está tendo vantagem, que você vai ganhar e ele vai perder.
    Quem assistiu o seriado Lost, personagem Sawyer, cansou de ver isto em seus flashbacks.

    Tem um ditado que diz: “Todo dia saem de casa um trouxa e um esperto. Fatalmente eles vão se encontrar e farão negócio”. Se não era exatamente estes os dizeres, era algo por aí, fica parafraseado então.

    Alguns casos de micos na bolsa de valores são emblemáticos como o da Laep (MILK11) e Mundial (MNDL3, na época da armadilha tinha também o ativo MNDL4).

    A Laep foi “matando” aos poucos a esperança dos investidores de que um dia o ativo voltaria ao preço pago ou até mesmo venderiam com lucro. E teve vários agrupamentos desta ação, na tentativa do controlador diminuir a liquidez do ativo, assim reduzir as quedas na cotação e diminuir o ataque especulativo na venda.
    Até associação de minoritários lesados pelas perdas com a ação criaram.

    A Mundial teve até gente grande sendo investigada, como corretora de valores, saiu muita reportagem na época e até hoje saem algumas. Virou caso de polícia. Assim como na Laep e em outros ativos com características de mico, este ativo subiu muito em curto espaço de tempo.
    Só que a Mundial não deixou os pequenos investidores sofrendo muito tempo, a queda foi vertiginosa, de alguns reais que subiu em meses, ela voltou em poucos dias para casa de centavos. Inclusive faltou ativo para alugar e operar vendido, tamanho foi o ataque especulativo na venda.
    Na época saiu até vídeos sobre o assunto no youtube feitos pelo Bastter. Será citado links para ver vídeos no final deste post.

    Sempre vale lembrar, ninguém obriga você a apertar a boleta de compra e/ou de venda. O único e exclusivo responsável pelo seu sucesso é você mesmo.

    Enfim, este é assunto muito debatido, principalmente na internet, onde você encontrá muita informação útil para não cair nesta cilada.
    Quem for especular nestes ativos tem que saber o que está fazendo. Os pontos de entrada e saída tem que ser muito claro. A estratégia e controle de risco tem que ser apurados para que depois não fiquem chorando o leite derramado, fazendo protesto, colocando a culpa em Deus e no mundo por que você se equivocou e perdeu dinheiro.
    Os órgãos competentes do Brasil e de outros países até investigam e tentam coibir estes tipos de fraudes para proteger os investidores, mas os fraudadores estão sempre inovando, criando novos métodos e buscando sair um passo a frente deles.

    macaco_prego_g

    Recomenda-se ver também:

    Até o próximo post.