‘Financeiro’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: financeiro

    Geral

    Aluguel de puxadinho vira opção para férias na crise financeira

    20 de dezembro de 2016

    Em tempo de crise financeira aguda, as pessoas tem usado a criatividade para ter suas tão merecidas férias.
    Moradores do litoral norte de São Paulo e donos de casa na praia têm recorrido ao aluguel desses espaços para mantê-los –alguns, como Teixeira, até constroem outras casas, fazendo disso um negócio. Longe da praia e mais no meio da mata de São Sebastião, um garoto de 18 anos comprou um terreno com o dinheiro de uma herança. Construiu ali uma casinha simples, só para si. Isso foi há 20 anos. Hoje, Ivan Lopes tem 38. É caro ter casa na praia e com a crise, ficou mais difícil manter a morada. Para pagar as despesas, um morador projetou um chalé para duas pessoas que desde maio recebe hóspedes por meio do site de hospedagem Airbnb, por R$ 300 a diária –R$ 500 aos sábados.

    No Réveillon de 2015, os puxadinhos já previam uma ocupação de 80%. Agora, as reservas com antecedência representam cerca de 60% de ocupação, segundo José Carlos de Souza, secretário-executivo do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e similares do litoral norte paulista.

    Leia mais detalhes a seguir:

    Aluguel de puxadinho vira opção para férias da crise no litoral norte de SP
    casas-com-ediculas-belos-puxadinhos

    Até o próximo post.

    Geral

    Como sair do fundo do poço financeiramente?

    24 de maio de 2016

    Devido a forte crise financeira que assola o país há vários anos, muitas pessoas tem quebrado e precisam lidar com o fracasso financeiro.

    Hoje em dia é bem comum lermos e ouvirmos relatos de pessoas com graves problemas financeiros, a maioria advém de escolhas erradas feitas em momentos de bonança na economia, por exemplo, compra do carro ou imóvel através de financiamento muito longo ou parcelamento excessivo das compras, as quais são exemplos clássicos de decisões tomadas quando tudo está bem no orçamento doméstico.

    O problema é que as emergências acontecem para qualquer um. Perda do emprego, um problema de saúde, forte crise financeira de um país e situações inesperadas podem mudar drasticamente a situação das suas finanças, principalmente quando não existe o mínimo de planejamento.

    Outra coisa é a falta de compromisso com a mudança. A maior parte das pessoas pede ajuda contando sobre os problemas e como chegaram ao fundo do poço, porém quando explica-se que só é possível contornar a situação com algum sacrifício e muita dedicação, quase ninguém segue o que se propõe.

    Não é fácil conviver com alguém colocando o dedo na ferida, fato que leva muitas pessoas a não admitir que são incompetente na gestão das próprias finanças. O primeiro passo é perceber que o grande responsável pelo momento delicado é quem tomou as decisões erradas, aquele que ao invés de guardar dinheiro decidiu gastar mais do que ganhava: Você.

    O site Dinheirama listou 5 atitudes para livrar-se das dívidas e sair do vermelho. Confira:

    1. Não utilize o cartão de crédito por algum tempo
    2. Muita gente lida com o cartão de crédito como se o crédito fosse sinônimo de dinheiro grátis. Quando enfrentamos uma realidade de dívida crescente, a facilidade de compra da ferramenta pode ser uma tentação difícil de lidar.

      Hoje, com as facilidades de comprar pela internet, a ideia de deixar o cartão em casa já não é tão eficaz, então o melhor é abandonar o seu uso por algum tempo, para não colocar tudo a perder em um momento de descontrole.

      O crédito oferecido através do cartão possui a mais alta taxa de juros cobrada do consumidor, em muitos casos atingindo mais de 200% ao ano. Isso significa que uma dívida não paga nesta modalidade pode dobrar em pouco mais de 6 meses. Se você não sabe lidar com o crédito, melhor não usá-lo.

    3. Abandone o cheque especial
    4. Muita gente ainda usa o cheque especial (especial para quem? Clique e descubra) como complemento de renda, sacando ou fazendo pagamentos considerando o limite extra da conta como se fosse seu próprio dinheiro.

      Cabe lembrar que, assim como o cartão de crédito, os juros dessa modalidade de crédito são bem altos. Ao liberar a linha de crédito, o banco quer que você a utilize e passe a pagar juros, taxas e tarifas por isso – o crédito é liberado automaticamente quando você fica sem saldo e passar a usar o limite.

      Se estiver pendurado no cheque especial, tome rapidamente um empréstimo mais barato (consignado ou CDC, por exemplo), cubra o cheque especial e ajuste seu orçamento para não precisar mais usá-lo. Ah, sim, e peça para o gerente do banco retirar esse limite ou deixá-lo o menor possível.

    5. Seja mais organizado e disciplinado
    6. A maior parte dos endividados apresenta características bem interessantes: não se percebe o hábito de anotar as receitas e despesas e, quando começa a fazê-lo, não tem a disciplina necessária para tornar essa atividade um hábito.

      Contabilidade mental é um convite ao erro. Ao confiar decisões importantes apenas nas lembranças, abre-se uma porta para o consumo por impulso e sem limites. A importância dos registros e da disciplina para mantê-los atualizados é simples: a qualquer momento você pode consultar sua real situação financeira.

      Se você procura opções de controle financeiro, aqui no Dinheirama temos diversas opções de planilhas que você pode baixar gratuitamente (clique aqui para baixar). Se você gosta das facilidades da internet, também pode recorrer às ferramentas: nós oferecemos também gratuitamente o Dinheirama Online (clique aqui para conhecer a ferramenta).

      Atente para o fato de que planilhas e sistemas são ferramentas. Ou seja, mais importante do que como controlar (que ferramenta usar) é sua disposição em fazê-lo, com disciplina, organização e interesse.

    7. Crie o hábito de ler mais sobre finanças
    8. É normal que em momentos de dificuldades existe um interesse maior por determinados assuntos. Aproveite a situação para transformar esse interesse genuíno pelo tema em um novo hábito.

      Ao reconhecer o problema financeiro, é provável que você procure, seja em livros ou na Internet, dicas e sugestões para lidar com a questão. Por que não agir assim mesmo quando não existirem dívidas? Por que não manter uma leitura diária sobre o tema para entender melhor sobre nossa economia e como aproveitar para investir melhor, por exemplo?

      Hoje no Brasil temos grande autores que fazem um excelente trabalho pelos temas relacionados à educação financeira, investimentos e economia. Na internet, você vai encontrar muito conteúdo gratuito de qualidade. Valorize também os livros, que são resultado de um trabalho de pesquisa e edição.

      A leitura é um dos hábitos dos investidores de sucesso!.

    9. Tenha sempre objetivos em mente
    10. Quanto estamos endividados ou passando por problemas familiares, é comum perdermos o foco. Parece que boa parte do que tentamos fazer simplesmente não dá certo. Nesse momento, vale a dica simples de “manter os pés no chão” e fixar-se em objetivos claros.

      Se você está trabalhando para acabar com suas dívidas que estão fora de controle, não faz muito sentido separar uma parte do dinheiro para investir. Não agora. Muito cuidado com as falsas oportunidades: resista sempre à tentação das ofertas mirabolantes de enriquecimento que aparecerão nessa hora (leia mais sobre isso clicando aqui).

      Com objetivos definidos e respeitados, suas ações durante a crise terão caráter temporário e serão pautadas pelo que você quer e precisa fazer. Isso dá tranquilidade para não se deixar levar pelas ofertas e pela pressão dos outros (a expectativa social pode ser fatal nessas horas).

      Muito importante: não se esqueça de envolver sua família nos problemas e também nas soluções necessárias para alcançar os objetivos traçados, afinal momentos de dificuldades são mais facilmente superados com a ajuda de todos.
      Fonte de consulta: dinheirama.com/blog/2014/06/20/5-atitudes-livrar-se-dividas-sair-do-vermelho

    dinheirama-livrar-se-dividas-sair-vermelho

    Até o próximo post.

    Geral

    Resumo Expomoney São Paulo 2013

    14 de setembro de 2013

    Há alguns anos eu tenho frequentado a Expomoney, grande evento de mercado financeiro, realizado todos os anos aqui na cidade de São Paulo/SP e em outras mais espalhadas pelo Brasil.
    A Expomoney é um circuito de eventos focado na Educação Financeira e nos Investimentos para a formação de investidores individuais.

    E lá se encontra conteúdo para pessoas que estejam dando seus primeiros passos no mercado financeiro, estudantes, curiosos, uma pessoa comum que apenas queira aprender mais sobre finanças pessoais e sair do vermelho, além de passar pelo pequeno, médio e grande investidor, etc…

    Com certeza ninguém ficará desamparado neste tipo de evento, que tem para todos os gostos, dentro do escopo a que se propõe. Eu recomendo fortemente a visita ao mesmo.

    Como este ano que passou eu precisei fazer um relatório para a pós-graduação que comecei a fazer em finanças, eu tive a ideia de desmembrar a parte do relatório e deixar apenas a parte do conteúdo para compartilhar com quem tiver interesse em ter um resumo do que presenciei por lá em 2 dias de eventos que tive presente.

    Geralmente são 3 dias de evento em São Paulo/SP, quinta-feira à sábado. Eu estive este ano apenas no sábado.

    Este ano poderia ter sido bem melhor. Me parece que tiveram espaço reduzido no Transamerica Expo Center e menos convidados de peso.

    Em especial eu gostei muito desta palestra aqui:
    14h00 – 15h00
    Tristezas Não Pagam Dívidas*
    Vera Lucia Remedi Pereira, Procon, Tatiana Filomensky, Psicóloga do HC
    *Observo que a Mara Luquet também esteve presente.

    Veja como foi a programação:
    http://adm.expomoney.com.br/www/grade/grade_sao.asp

    Clique aqui para ler o resumo

    Até o próximo post.

    Livraria

    Dicas de livros – parte 2

    21 de fevereiro de 2013

    Vamos para a parte 2 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de livros, apostilas, tutoriais, etc. para se estudar o mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis e assuntos relacionados.

    1. Investindo em Ações no Longo Prazo – A Bíblia do Mercado de Ações para o Investidor de Longo Prazo
      Jeremy Siegel
    2. Este eu já li faz tempo, fiz uma ou outra consulta depois, tenho um colega que já leu e releu, é muito bom mesmo.
      Apesar de ter um foco todo voltado para longo prazo, ele tem um dos capítulos que fala sobre curto prazo e suas especulações.
      Embora seja um livro mais voltado para realidade norte-americana, e parte da mundial, também dá para se aplicar os conceitos ao Brasil, dado as devidas proporções.

    3. Comprar ou vender? – Como investir na bolsa utilizando análise gráfica
      Eduardo Matsura
    4. É um livro bem simples, facilita o entendimento do leigo, apresenta conceitos básicos de análise gráfica / técnica, assim como da bolsa de valores. Muito recomendado para o investidor iniciante.
      Eu já o li há anos atrás.

    5. Como Se Transformar Em um Operador e Investidor de Sucesso
      Alexander Elder
    6. Muito bom livro. É mais indicado para quem quer adquirir um conhecimento de análise técnica / gráfica além do básico, algo mais avançado.
      Eu já li anos atrás.

      Até o próximo post.

    Livraria

    Dicas de livros – parte 1

    7 de fevereiro de 2013

    Iniciando uma série de posts para compartilharmos dicas de livros, apostilas, tutoriais, etc. para se estudar o mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis e assuntos relacionados.

    1. Investindo Em Opções: Como Aumentar Seu Capital Operando Com Segurança
      Mauricio Hissa
    2. Investindo Em Opções: Como Aumentar Seu Capital Operando Com Segurança - Mauricio Hissa (Bastter)
      Este eu já li faz tempo, fiz uma ou outra consulta depois, tenho um colega que já leu e releu, muito bom mesmo, apesar de ser focado numa parte da bolsa de valores, mercado de opções, ele consegue dar uma visão geral da bolsa de valores muito boa no começo do livro.

    3. Mercado Financeiro: Produtos e Serviços
      Eduardo Fortuna
    4. Muito bom, eu ainda não finalizei a leitura. O livro faz um grande aparato do que é o mercado financeiro nacional. Costuma sempre ter novas edições para se manter sempre atualizado.

    5. A arte da guerra
      Sun Tzu
    6. Eu já li este livro. Eu tinha ouvido falar tanto dele, o que elevou muito a minha a expectativa sobre este grande estrategista. No fim das contas eu não gostei, mas muita gente gosta do livro e o recomenda, sendo inclusive muito usado por executivos.

      Até o próximo post.

    Geral

    Como se preparar financeiramente para chegada do bebê

    30 de janeiro de 2013

    Não iremos nos ater no tipo de relação de onde este bebê foi originado, nem se foi planejado ou não, mas como sua chegada é iminente, iremos nos ater às questões financeiras que tal assunto aflinge.

    Algo que já preocupa logo de partida é a saúde da mãe, que agora deverá ser acompanhada periodicamente por médico até o parto e depois deste, com mais frequência do uma mulher em período fértil já frequenta.

    E aqui já entra a questão, você já tinha plano médico, e de preferência da melhor categoria possível? Uma boa opção seria utilizar o de sua empresa esses apresentam menos problemas com descumprimento de contratos? Você vai usar saúde pública? Já listou as melhores opções de saúde pública? Você irá pagar por todo este tratamento médico.

    E não se esqueça que não é possível mais fazer convênio médico após a mulher estar grávida.

    Um situação ideal seria já estar com um bom plano de saúde antes da cegonha ser convocada, mesmo que isso não esteja nos planos.

    Outro ponto, que vai trazer bastante gastos e deve ser bem planejado é a montagem do enxoval e quarto do bebê. Deverá decidir se vão aproveitar roupas de outros filhos, ou mesmo sobrinhos, filhos de amigos, doação, comprar tudo do zero, o mesmo vale para os móveis, carrinho de bebê, bebê conforto, moisés, banheira, trocador…

    O quarto destinado ao bebê ou bebês, vai que são gêmeos, trigêmos, afff, rsrsrs, será reformado? Vai reformar o próprio quarto do casal ou outro cômodo ?

    Na questão das roupas, fraudas, já fez as contas se compensa fazer um chá de bebê, um chá de fraldas, ou dispensar esta parte. A diferença entre os dois tipos de chá é que no primeiro além de fraldas também se planeja o ganho de parte do enxoval, já no chá de fralda os convidados levam exclusivamente fraldas. Se decidir não fazer confraternização, pode focar só nos custos de montar todo enxoval .

    Um ponto muito crucial é o parto, o ponto chave. Pesquise muito antes, vejam quais hospitais dispõe de bons plantonistas e que não gere custo extras para o médico obstetra do pré-nal fazer e/ou acompanhar o parto. Verifique tudo com seu médico , e assim como com o convênio médico, caso não seja particular e nem público.

    Estive este ano numa palestra do Sr. Dinheiro, aquele que se apresentava no Fantástico (mais detalhes leia Resumo Expomoney São Paulo 2012 (13/01/2013)) onde mesmo falou sobre um estudo que o primeiro filho aumento os custos da família em 50%, e o segundo, assim por diante, em 20%. Pense sobre isto.

    Planeje, poupe, pense, reflita, viva e reinvente soluções cuide e seja feliz.

    Uma vida é algo muito sagrado, nos esforcemos até onde for possível, até o sobrenatural se preciso, para valorizá-la ao máximo. Como diz o ditado, os filhos são o nosso maior tesouro, uma dádiva de Deus. Aproveitemos então.

    Até o próximo post.

    Geral

    Resumo Expomoney São Paulo 2012

    29 de janeiro de 2013

    Há alguns anos eu tenho frequentado a Expomoney, grande evento de mercado financeiro, realizado todos os anos aqui na cidade de São Paulo/SP e em outras mais espalhadas pelo Brasil.
    A Expomoney é um circuito de eventos focado na Educação Financeira e nos Investimentos para a formação de investidores individuais.

    E lá se encontra conteúdo para pessoas que estejam dando seus primeiros passos no mercado financeiro, estudantes, curiosos, uma pessoa comum que apenas queira aprender mais sobre finanças pessoais e sair do vermelho, além de passar pelo pequeno, médio e grande investidor, etc…

    Com certeza ninguém ficará desamparado neste tipo de evento, que tem para todos os gostos, dentro do escopo a que se propõe. Eu recomendo fortemente a visita ao mesmo.

    Como este ano que passou eu precisei fazer um relatório para a pós-graduação que comecei a fazer em finanças, eu tive a ideia de desmembrar a parte do relatório e deixar apenas a parte do conteúdo para compartilhar com quem tiver interesse em ter um resumo do que presenciei por lá em 2 dias de eventos que tive presente.

    Geralmente são 3 dias de evento em São Paulo/SP, quinta-feira à sábado, eu estive na quinta e sábado.

    Clique aqui para ler o resumo

    Até o próximo post.