‘Política’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: política

    Geral

    Está na hora de comprar Dólar?

    6 de abril de 2016

    O dólar parece está barato para quem a poucos meses viu a moeda norte-americana passar dos R$ 4,00 com folga. Para quem precisa comprar moeda para viajar ou pagar compromissos futuros, talvez seja a hora de comprar, afirmam alguns especialistas na grande mídia. Já outros dizem que a estratégia do preço médio é o melhor negócio, ou seja, comprar aos poucos até o dia da viagem ou dia de honrar um compromisso futuro.

    maos-contando-notas-de-dolar

    Hoje o dólar caiu novamente, desta vez 1% e voltou a ficar abaixo de R$3,65. Ainda paira no ar a tensão política na economia brasileira e atuação do Banco Central nos contratos de swap cambial. Ao mesmo tempo que a calmaria no exterior ajuda a manter o real mais valorizado.

    Diversos “golpistas” Brasil afora(entre aspas por que Impeachment não é golpe) tem defendido o impedimento da presidenta Dilma Rousseff com um argumento curioso: se ela caísse, o dólar também cairia e ficaria mais barato para ir a Miami ou Orlando, nos Estados Unidos.

    Ao redor do globo o real foi a segunda moeda mais valorizada em relação ao dólar durante o primeiro trimestre. Em três meses, o dólar ficou quase 10% mais barato no Brasil. Novamente ressalta-se as notícias do campo político com maior possibilidade de impeachment da Dilma para explicar parte deste fortalecimento do real. Outro ponto é que a política monetária seguirá relaxada por mais algum tempo nos Estados Unidos, conforme diversos anúncios recentes do FED, além da alta das commodities. Lógico que este fenômeno não é exclusividade dos brasileiros e alcançou outras moedas ligadas às matérias-primas como Indonésia e Noruega.

    Já existem outros especialistas explicam que ainda é preciso ter prudência para comprar dólares neste momento:

    TURISMO – 04/04/2016
    Mesmo em queda, comprar dólar requer cautela

    Queda nos últimos dias do dólar não é indicativo de investimento rentável a curto prazo, conforme avaliam especialistas. No caso dos pacotes de viagem, as promoções estão mais atrativas para o consumidor

    Sucesso nas suas decisões e nos seus negócios. Que o Real se fortaleça com ou sem Dilma no comando do país.

    Até mais.

    Filmes

    Rango – filme 2011

    27 de março de 2016

    Rango é uma bela animação de faroeste, a qual retrata a manipulação descarada do povo ignorante com símbolos como religião, heroísmo, esperança, fé, amor, ódio, sede, fome e banco falido.

    Tudo ocorre devido à ganância desmensurada de um único “homem” e seus comparsas. Vale tudo pelo dinheiro e pelo poder, não necessariamente nesta ordem.

    Uma frase célebre do filme é “Quem controla a água, controla tudo”. Um filme bem atual que foi ganhador de 6 estatuetas do Oscar 2016, explorou história um pouco parecida como esta, é o Mad Max: Estrada da Perdição.

    A trama entre os animais ficou perfeita. O autor não perdeu nada das características de cada animal ao transpassar para personalidades humanas.

    Show de cinema que ainda por cima apresenta Johnny Depp na dublagem do personagem principal, o Rango.

    Até mais.

    Convidados

    Defenda seu dinheiro no exterior

    6 de janeiro de 2016

    A situação política e econômica pela qual o Brasil passa atualmente é a pior desde a implantação do plano Real em 1994. A conjunção entre inaptidão administrativa, gastos públicos excessivos e mal direcionados, elevação abrupta do crédito, redução sem critério das taxas de juros, aliada a altíssima corrupção em todos os níveis fez com que as contas públicas chegassem em 2016 nesse estado lastimável de déficit.

    Não bastasse toda essa deterioração, as medidas que o governo tomou e tem tomado desde 2015 não poderiam ser piores. Aumento e criação de impostos e o intervencionismo na economia só tornaram a situação econômica mais insuportável, levando a fechamento de centenas de indústrias, corte de investimentos e milhares demissões.

    Sabe quem paga a conta quando um governo destrói a economia de um país? Você.

    Para tapar o rombo das contas públicas, o governo fará o possível e o impossível para tomar o dinheiro produzido pelos 200 milhões de residentes que habitam esta nação. Criação de impostos, taxas, tarifas são algumas das formas do governo roubar o seu dinheiro. O que poucos percebem é que o pior imposto é aquele oculto chamado inflação.

    Ao aumentar o dinheiro em circulação para financiar toda essa política populista e voltada para os grandes empresários e agentes dos partidos políticos no poder, o governo tem provocado a desvalorização do Real, que como todas as moedas do mundo não possui nenhum lastro físico. O valor dele depende da confiança no país e do fluxo de capitais. No caso, quanto mais confiança o Brasil possuir, mais o dinheiro do mundo entrará aqui e o Real se valorizará. Como confiança é algo impossível para o governo mais corrupto já existente no planeta, o fluxo de capitais está fortemente no sentido de abandonar o país.

    Em suma, o Real foi a moeda que mais se desvalorizou no mundo em 2015, com perda de quase 50% frente ao Dólar dos EUA e não há nenhum motivo aparente que faça com que essa tendência de desvalorização da moeda brasileira termine. A equipe econômica do governo federal não poderia ser mais despreparada para resolver o problema que eles mesmo criaram.

    O que fazer para se proteger da incompetência governamental que tem destruído o poder de compra dos brasileiros?

    A maneira mais rápida e prática de se defender disso é abrindo uma conta no exterior lastreada em Dólar dos EUA, Euro, Libra Esterlina, Franco Suíço ou qualquer outra moeda forte. Desta forma, a destruição da economia brasileira não impactará negativamente suas economias.

    nota-de-50-dolares

    Por mais que essa informação não seja muito divulgada, é extremamente simples e rápido a abertura de conta em bancos estrangeiros. Além da solidez de muitos bancos estrangeiros serem maior que a dos bancos brasileiros, é possível abrir contas em diversas moedas no mesmo banco.

    Outra vantagem é que ao contrário de quem compra o papel moeda para guardar em casa, quem tem uma conta no exterior tem acesso a investimentos que fazem o dinheiro render e não apenas ficar parado na gaveta. Não bastasse isso, também é possível ter um cartão de crédito e débito para uso em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil.

    Todo o processo é bastante simples. Basta preencher as fichas de adesão e enviar alguns documentos que em menos de 1 semana, sua conta em Dólar ou Euro estará pronta. Para abastecer sua conta, basta uma transferência internacional, não muito diferente de um DOC ou TED.

    Caso você ainda não tenha uma conta fora do Brasil, não acho prudente ficar aguardando mais tempo. O governo já demonstrou uma fome arrecadatória sem precedentes. Ele fará de tudo para enfiar mais impostos goela abaixo nos brasileiros e a nossa moeda continuará perdendo valor. Lembre-se de que há países mais seguros para manter seu dinheiro. O Canadá por exemplo não vê uma crise financeira há mais de 180 anos e o Franco Suíço existe há mais de 200 anos e nunca cortou um zero sequer.

    A hora de agir é agora. Quanto mais você esperar, maior a probabilidade da janela se fechar e você ficar preso a uma moeda desvalorizada.

    Raphael (autor do site www.investidorinternacional.com)

    Geral, Livraria

    Eletropaulo, Sabesp, Tim, Oi… A privatização foi boa para você?

    1 de fevereiro de 2015

    Muitas de nossas empresas e setores de prestações de serviços de utilidade pública que deveriam fazer parte de uma política de estado, ou seja, deveriam visar somente o bem estar do cidadão que já paga “toneladas” de impostos e não se importar em dar lucros aos empresários, sofreram um processo de privatização em diversos governos desde a redemocratização do Brasil.
    Embora tenham trazido até algum ganho durante um tempo, há casos onde estagnaram e até pioraram, mas, claro, não deixaram de dar lucro para quem ganhou as concessões e nem de remunerar os seus acionistas.

    O caso mais emblemático de privatização em um governo foi do liberal ex-presidente FHC, porém nos governos seguintes também houve “privatarias”, só que não fizeram alarde. Aeroportos, portos, estradas, concessões para exploração de petróleo e gás, etc., não pararam de acontecer nos governos pós FHC.

    Para quem interessar, vale a pena conferir:
    Livro: A privataria tucana
    A Privataria Tucana é um livro de autoria do jornalista brasileiro Amaury Ribeiro Jr , ex-repórter especial da revista Isto É e do cotidiano O Globo e ganhador de diversos prêmios Esso de jornalismo. O título do livro (“privataria”) é um neologismo que combina privatização a pirataria, criado pelo jornalista Elio Gaspari, e “Tucano” é um apelido comum dado a membros do PSDB, a partir de um dos símbolos do partido, o pássaro tucano.

    Sinopse

    O livro, resultado de 12 anos de investigação sobre as “privatizações no Brasil” , destaca documentos que apresentam indícios e evidências de irregularidades nas privatizações que ocorreram durante a administração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, além de amigos e parentes de seu companheiro de partido, José Serra. Os documentos procuram demonstrar que estes políticos e pessoas ligadas a eles realizaram, entre 1993 e 2003,3 movimentos de milhões de dólares, lavagem de dinheiro através de offshores – empresas de fachada que operam em Paraísos Fiscais – no Caribe.

    Privataria Tucana contém cerca de 140 páginas de documentos fotocopiados que evidenciam que o então Ministro do Planejamento e futuro Ministro da Saúde de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), José Serra, recebeu propina de empresários que participaram dos processos de privatização no Brasil.6

    O autor revela que iniciou as investigações sobre lavagem de dinheiro quando fazia uma reportagem sobre o narcotráfico, a serviço do Correio Braziliense (CB). Depois de sofrer um atentado, foi transferido para o jornal O Estado de Minas, do mesmo grupo do CB, e lá incumbido de investigar uma suposta rede de espionagem mantida por José Serra.

    As denúncias do livro citam uma série de casos em que propinas teriam sido pagas a Ricardo Sérgio de Oliveira e outras pessoas ligadas a José Serra em troca de benefícios pessoais.
    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Privataria_Tucana

    Nesta época onde temos serviços públicos ruins ao ter problemas com fornecimento de energia elétrica, fornecimento de água, problema na telefonia, problema nos transportes públicos, etc, além de tarifas altas, tudo com preço de primeiro mundo e com qualidade de terceiro mundo, no mínimo deve servir de reflexão este assunto.

    Até o próximo post.

    Geral

    Petrolão, o mensalão da Petrobras, vai acabar em pizza?

    9 de novembro de 2014

    As CPIs da Petrobras no senado e mista(senado e câmara) parece que já viraram pizza.
    A pergunta que não quer calar: o Petrolão segue o mesmo destino, já que quem desgoverna o país ganhou as eleições?

    O candidato derrotado na disputa presidencial deste ano disse nesta última quarta-feira que o roteiro previsto para reforçar seu papel como líder da oposição onde o mesmo condicionou o diálogo com a presidente Dilma à apresentação de propostas e ao compromisso do governo com a investigação completa dos desvios na petroleira do governo, digo, Petrobras:
    – “Agora os que foram intolerantes durante doze anos falam em diálogo. Pois bem: qualquer diálogo estará condicionado ao envio de propostas que atendam aos interesses dos brasileiros e, principalmente, tem que estar condicionado especialmente ao aprofundamento das investigações e exemplares punições àqueles que protagonizaram o maior escândalo de corrupção da história do país, já conhecido como Petrolão.”

    Leia também:
    – 05/11/2014 às 20:09 – Da tribuna, Aécio condiciona diálogo à investigação sobre petrolão

    – CPI da Petrobrás? CPI da Pizza?

    T+.

    Off

    Piada pronta do dia: Como funciona o Brasil!?

    11 de outubro de 2014

    Como funciona o Brasil
    O filho termina o 2º grau e não tem vontade alguma de fazer uma faculdade. O pai, meio mão de ferro, dá um apertão:

    – Ahh… não quer estudar? A toa dentro de casa eu não mantenho, então vai trabalhar…

    O velho, que tem muitos amigos, fala com um deles que fala com outro, até que ele consegue uma audiência com um político que foi seu colega de muito tempo atrás:

    – Rodriguez! Meu velho amigo! Tu lembra-se do meu filho? Pois é, terminou o 2º grau e anda meio parado, não quer estudar. Será que não consegue nada pra meu rapaz não ficar em casa?

    Depois de três dias Rodriguez liga:

    – Zé… tenho algumas opções de trabalho para o seu filho:

    I) Assessor na Comissão de Saúde do Congresso – salário R$: 18.700,00 – para começar; ou

    II) Secretário de um Deputado – salário R$: 10.800,00

    Tá louco! O Guri recém terminou o colégio, não vai querer estudar nunca mais, consegue algo mais baixo?

    – Zé, não sei se ele vai aceitar, mas tem um de Assessor da Câmara que é só R$: 7.500,00…

    – Não, não… ainda é muito alto. Aí ele não vai querer mais estudar…

    – Rodriguez, por favor, alguma coisa entre mil a três mil….? No máximo!

    – isso é impossível Zé.

    – Mas…. por quê?

    – Porque com esse salário aí, eu só tenho vaga para PROFESSOR, MÉDICO, ENFERMEIRO, NUTRICIONISTA, ASSISTENTE SOCIAL, DENTISTA, POLICIAL ou FISIOTERAPEUTA e aí pode precisar de CURSO SUPERIOR, MESTRADO, DOUTORADO. .. fica muito difícil, tem que estudar para passar no concurso!

    Off

    Piada do dia: Licitação para construção de um estádio

    23 de maio de 2013

    O governo abriu um processo de licitação para construção de um estádio. Três pessoas foram levar seus projetos, o alemão, o americano e o brasileiro.

    Primeiro foi o alemão, disse que o projeto custaria 100 milhões, e usaria materiais de qualidade, e focaria na sustentabilidade.

    Depois foi o americano e disse que o seu projeto custaria 200 milhões, usaria melhores materiais, e focaria no conforto.

    E por último foi o brasileiro e disse que o seu projeto custaria 300 milhões, mas não apresentou nada.

    O representante do governo foi conversar com o brasileiro para saber porque ele iria cobrar o triplo pelo projeto, mas não justificou este valor.
    O brasileiro respondeu: é simples, são 100 milhões para mim, 100 milhões para você e 100 milhões para o alemão fazer o estádio!
    Fonte: Um fórum de mercado financeiro. Provavelmente deva ser de domínio comum, pois é velha que só.

     

    Até o próximo post.

    Frases

    Pensamento: É impossível multiplicar riqueza dividindo-a

    27 de fevereiro de 2013

    Segue o texto de Adrian Rogers, 1931:

    “Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.”

    Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.
    O professor então disse:
    “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”
    ” Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam ‘justas.'”
    Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém tiraria um zero, mas que ninguém também receberia um “A”…
    Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam “B”. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.
    Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi “D”.

    Ninguém gostou.

    Depois da terceira prova, a média geral foi um “F”.

    As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano… Para sua total surpresa. O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado.

    Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado. “Quando a recompensa é grande”, ele disse, “o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável.”

    “É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a. ”

    Este é apenas um post com pensamento para reflexão. Quem escreve não é contra governo social, mas tem a opinião de é preciso focar em todas as áreas do país e não apenas na área social.
    No Brasil sempre temos governos capengas que só olham para um lado ou poucos lado da moeda.
    Esta nossa social democracia tem saído muito caro para a nação. Pagamos muitos impostos para retorno pífio, principalmente a classe média, esta que não consegue fugir dos impostos.
    Quanto mais social o governo, mais imposto se cobra.
    É preciso ser social com menos gasto. O Brasil precisa ter mais responsabilidade fiscal.
    Ensinar mais a pescar e dar menos o peixe.

    Até o próximo post.

    Livraria

    Dicas de livros – parte 2

    21 de fevereiro de 2013

    Vamos para a parte 2 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de livros, apostilas, tutoriais, etc. para se estudar o mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis e assuntos relacionados.

    1. Investindo em Ações no Longo Prazo – A Bíblia do Mercado de Ações para o Investidor de Longo Prazo
      Jeremy Siegel
    2. Este eu já li faz tempo, fiz uma ou outra consulta depois, tenho um colega que já leu e releu, é muito bom mesmo.
      Apesar de ter um foco todo voltado para longo prazo, ele tem um dos capítulos que fala sobre curto prazo e suas especulações.
      Embora seja um livro mais voltado para realidade norte-americana, e parte da mundial, também dá para se aplicar os conceitos ao Brasil, dado as devidas proporções.

    3. Comprar ou vender? – Como investir na bolsa utilizando análise gráfica
      Eduardo Matsura
    4. É um livro bem simples, facilita o entendimento do leigo, apresenta conceitos básicos de análise gráfica / técnica, assim como da bolsa de valores. Muito recomendado para o investidor iniciante.
      Eu já o li há anos atrás.

    5. Como Se Transformar Em um Operador e Investidor de Sucesso
      Alexander Elder
    6. Muito bom livro. É mais indicado para quem quer adquirir um conhecimento de análise técnica / gráfica além do básico, algo mais avançado.
      Eu já li anos atrás.

      Até o próximo post.