‘Bitcoin’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: bitcoin

    Convidados

    Tudo o que você precisa saber sobre a criptomoeda Bitcoin

    6 de junho de 2018

    A criptomoeda Bitcoin surgiu em 2008, mas se popularizou em 2017 após uma supervalorização. Agora gera discussão sobre seu futuro e se o investimento vale a pena.

    A chamada moeda virtual não possui nenhum órgão regulamentador. Isso quer dizer que não é emitida por nenhum país. Ela é gerada por meio da mineração e quando computadores conseguem resolver problemas matemáticos ela é criada.

    Por não ter um órgão que a fiscalize acaba gerando muita discórdia. Enquanto alguns acham que não passa de moda, outros acreditam que as criptomoedas, como o Bitcoin, podem ser o futuro das transações financeiras.

    A questão é que existem pontos positivos e negativos acerca dela. Veja quais são eles.

    Bitcoin verde igual uma criptonita

    Pontos positivos da criptomoedaBitcoin

    • Taxas de transação baixas: como não existem terceiros intermediando essa moeda é possível conseguir excelentes taxas, inclusive, para a realização de micropagamentos.
    • Estimula a invocação tecnológica: são pacotes de dados que permitem não apenas transferir a criptomoeda, mas outros itens. A sua tecnologia já está sendo adotada por muitas empresas para outras negociações.
    • Estimula a criação de diferentes formas de pagamento: não é apenas a tecnologia do Bitcoin que vem impulsionando o mercado. A criptomoeda tem feito com que instituições financeiras criem novas soluções de pagamento para atender aos consumidores que são adeptos à tecnologia e suas facilidades.
    • Permite que locais com dificuldade de acesso ao sistema financeiro tenham moedas para negociação: é possível realizar transações apenas com o uso de um smartphone, até mesmo nas regiões mais remotas onde há falta de moeda ou bancos.
    • Pode ser adquirida facilmente: não é preciso apresentar nenhum tipo de documento ou passar por burocracias para ter Bitcoins. Basta ter acesso à internet para comprar e vender a criptomoeda livremente.
    • Diferentes locais aceitam pagamento em Bitcoins: hoje é possível comprar quase tudo usando o Bitcoin, uma vez que essa se tornou mais uma forma de pagamento para muitos sites e até mesmo estabelecimentos físicos.
    • É uma moeda universal: não é preciso usar o câmbio para converter o Bitcoin em nenhum país do mundo, essa é uma moeda aceita em todos os países e com valor único. Ela pode facilitar a vida dos viajantes que a cada momento estão em um local e não querem se preocupar com troca de dinheiro.

    Pontos negativos da criptomoedaBitcoin

    • Valor volátil: o preço é definido de acordo com a oferta e demanda e, por isso, pode sofrer grandes oscilações em um curto espaço de tempo. Da mesma forma que é possível ganhar muito dinheiro da noite para o dia, o oposto também pode ocorrer.
    • Todo risco é do comprador: no Brasil existe o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que ampara investidores caso a instituição em que o dinheiro está investido quebre, evitando a perda de dinheiro. Entretanto, com as criptomoedas não existe isso. Assim qualquer risco será única e exclusivamente de quem a adquiriu.
    • Facilita atos ilegais: as transações são anônimas e qualquer pessoa pode usar o Bitcoin sem se identificar, o que acaba facilitando transações de drogas, tráfico de pessoas, lavagem de dinheiro e outros.
    • Não há punições para fraudes: sem órgão regulamentador não existe quem fiscalize o Bitcoin, por isso se ocorrer qualquer tipo de fraude ou abusos nas transações os infratores sairão impunes.
    • Ameaça de hacker: por ser uma moeda virtual, isso significa que todas as informações estão armazenadas na rede e podem ser invadidas e alteradas por hacker. Dessa forma é possível que uma pessoa tenha os seus Bitcoins roubados e a conta invadida.

    Mesmo sabendo desses pontos ainda não é possível prever se a criptomoeda Bitcoin é apenas algo passageiro ou se é o futuro dos pagamentos e moeda de troca. Será preciso aguardar para se ter uma resposta mais concreta.

    Por: xBinOp

    Convidados

    Como saber quanto vale um Bitcoin?

    16 de março de 2018

    quanto-vale-um-bitcoin

    Nos últimos tempos, os olhos do mercado se voltaram para o mercado de Bitcoins. Grande parte da sua popularidade se deve à valorização que a moeda virtual apresentou desde seu surgimento. No começo de tudo, um Bitcoin valia apenas alguns centavos de dólar. Com o passar do tempo, seu valor oscilou muito e uma moeda chegou a valer quase 20 mil dólares.

    O crescimento exponencial dos Bitcoins chamou a atenção do mercado. Por isso, muitas pessoas estão se interessando em conhecer um pouco melhor seu funcionamento. Com tantas oscilações, como saber quanto vale um Bitcoin? É o que você vai descobrir logo mais.

    Oscilações do mercado

    Como você provavelmente já sabe, a moeda virtual não é muito estável. Em apenas uma dia, a cotação do Bitcoin pode oscilar muito. Isso acontece devido à especulação do mercado, avanços em sua tecnologia ou escândalos envolvendo a moeda.

    Se você realmente se interessa pelo mercado de Bitcoins, precisará acompanhar a cotação todos os dias. Especialistas afirmam que a criptomoeda pode oscilar até 20% em um intervalo de 24 horas. Isso significa que de um dia para o outro, a diferença da cotação pode ser de milhares de reais para cima ou para baixo. E isso significa que um movimento perdido pode custar caro demais.

    O valor de um Bitcoin

    Investimentos tradicionais do mercado financeiro possuem gráficos que ajudam o investidor a acompanhar as oscilações, com Bitcoins não é diferente. Existem plataformas gráficas que auxiliam investidores e profissionais a acompanhar o preço da moeda, avaliar o histórico de altas e quedas e tentar identificar um padrão de comportamento.

    Profissionais do mercado realizam uma análise observando os gráficos buscando indicadores padrões para desenhar cenários em que a cotação do ativo é estatisticamente possível. Essa avaliação é chamada de análise gráfica ou técnica.

    Esse tipo de observação é muito comum na Bolsa de Valores, mas não é algo simples de ser feito. É preciso dominar os métodos de análise e é nesse momento que a experiência faz toda a diferença. Você também pode aprender a identificar padrões e analisar os gráficos, mas isso não acontece de um dia para o outro. É preciso se dedicar bastante até conseguir desenvolver essa habilidade.

    Ainda assim, por ser um mercado ainda muito novo e com oscilações exponenciais, a análise técnica pode não funcionar com a mesma eficácia em ativos como os Bitcoins.

    Se você quiser apenas consultar quanto vale um Bitcoin em real, você pode acessar um gráfico ou conversor online, existem vários do tipo pela internet. Inserir quantos Bitcoins você pretende converter em reais, ou vice-versa, e o conversor te entregará a conta pronta.

    Busque aprendizado sempre

    Bitcoins ganharam muitos admiradores e também muitos detratores. Para decidir se você deve ou não comprar a moeda, o segredo está em estudar este mercado a fundo. Muitos investidores empolgados com os ganhos passados enxergam nos Bitcoins uma grande possibilidade de enriquecer.

    Contudo, é preciso ter cuidado. A criptomoeda já se valorizou muito e ninguém pode garantir seu destino daqui para frente. Lembre-se sempre: rentabilidade passada não garante rentabilidade futura. Não é porque os Bitcoins cresceram tanto no passado que é certo que eles vão continuar seguindo o mesmo ritmo.

    Sempre tome muito cuidado com todas as informações que você recebe. Sempre filtre-as com sabedoria. Se depois de estudar o mercado de Bitcoins, seu sistema, as formas de compra e qual a segurança ele pode oferecer, você achar que vale a pena entrar nesse mercado, vá em frente. Só não siga a onda e coloque seu dinheiro onde você não conhece. Defenda sempre o seu dinheiro.

    Geral

    Twitter tenta resolver fraude com moedas virtuais

    7 de março de 2018

    Kenneth Rogoff: Bitcoin tem mais chance de cair para US$ 100 do que disparar para US$ 100 mil

    Twitter promete resolver fraude com moedas virtuais
    Os golpes parecem estar fora de controle!

    O Twitter está numa luta constante por frear o número elevado de fraudes relacionadas com bitcoins e outras criptomoedas. A plataforma está removendo contas de usuários que tentam enganar utilizadores da rede social.

    De uns tempos para cá, diversos vigaristas têm-se feito passar por celebridades, informa o jornal O Público. Um caso recente foi o de uma conta fingindo ser o empresário Elon Musk, que pedia às pessoas para doar uma pequena quantia da moeda virtual ether, e ele daria em troca um valor ainda maior. “Só durante o dia de hoje, decidi doar 3000 ETH [cerca de 1,9 milhões de euros] aos meus fãs. Basta enviarem entre 0,5 a 4,0 ETH para a minha conta e devolvo entre 5-40 ETH”, lê-se na mensagem.

    “Estes golpes estão ficando fora de controle”, queixou-se no Twitter Emin Gün Sirer, um professor da Universidade de Cornell, nos EUA. “Se falham em detectar burlas assim tão óbvias, qual é o futuro da vossa plataforma?”, disse o estudioso que se foca em tecnologia de blockchain.

    Leia mais clicando aqui.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Kenneth Rogoff: Bitcoin tem mais chance de cair para US$ 100 do que disparar para US$ 100 mil

    6 de março de 2018

    A decade from now, bitcoin is more likely to be $100 than $100,000, Harvard economist says

    Se você tirar a possibilidade de lavagem de dinheiro e evasão fiscal, seus usos reais como um veículo de transação são muito pequenos

    Diante de uma evolução ainda pequena em sua utilização como meio de pagamento, a expectativa para uma alta do Bitcoin não é tão grande entre alguns analistas. É o caso do professor e economista da Universidade de Harvard, Kenneth Rogoff, que vê muito mais chances da moeda digital cair do que subir nos próximos anos.
    Para ele, a probabilidade do preço do bitcoin cair para US$ 100 é maior do que a criptomoeda saltar para US$ 100 mil na próxima década. “Eu acho que o bitcoin valerá apenas uma pequena fração do que vale hoje se olharmos para daqui 10 anos … Eu veria US$ 100 como sendo muito mais provável que US$ 100.000”, disse Rogoff ao programa da CNBC Squawk Box.

    “Basicamente, se você tirar a possibilidade de lavagem de dinheiro e evasão fiscal, seus usos reais como um veículo de transação são muito pequenos”, disse o ex-economista-chefe do FMI (Fundo Monetário Internacional). Apesar destas associações, o presidente do Blockchain Intelligence Group, Shone Anstey, já afirmou que em 2016 apenas 20% das transações foram ilegais, um resultado que deve ter caído mais no ano passado.

    Rogoff disse que uma regulação do governo daria um começo na queda do preço do bitcoin, embora ele acredite que vá levar um tempo para que seja desenvolvido um quadro global de regulação. “Realmente precisa ser uma regulamentação global. Mesmo que os Estados Unidos se caíam e a China também, mas o Japão não, as pessoas ainda poderão lavar dinheiro no Japão”, disse ele.

    O Bitcoin é negociado em torno de US$ 11.100 nesta terça-feira (6), uma queda de 4% nas últimas 24 horas após esboçar uma alta mais forte nos últimos dias. Neste momento, a moeda digital acumula perdas de 16% este ano, tendo caído de um recorde de mais de US$ 20 mil em dezembro do ano passado.

    Veja também:

    Nouriel Roubini: O bitcoin e outras criptomoedas representam a mãe de todas as bolhas

    Até o próximo post.

    Geral

    CVM: Alerta para oferta irregular de investimento em bitcoin

    2 de março de 2018

    Segundo a CVM, nem a empresa e nem o empresário podem exercer quaisquer atividades no mercado de valores mobiliários

    A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) divulgou hoje alerta ao mercado e ao público em geral que a empresa L. Janiszevski – Hashbrasil – ME e Leonardo Janiszevski não estão autorizados a oferecer investimentos em mineração de Bitcoins, a moeda digital. Segundo a CVM, nem a empresa e nem o empresário podem exercer quaisquer atividades no mercado de valores mobiliários, tendo em vista tratar-se de pessoa não registrada como emissora de valores mobiliários, e de oferta pública sem registro (ou dispensa deste) na CVM. Eles estão sujeitos a multa diária de R$ 5 mil se continuarem com a oferta.

    Esta é a segunda empresa do tipo que é alvo de alerta da CVM. Em 19 de dezembro, a Hashcoin Brasil também recebeu alerta para parar a oferta de investimentos em mineração de Bitcoin.

    A CVM diz que identificou que a empresa e o empresário estão oferecendo publicamente, em redes sociais e no site oportunidade de investimento relacionada a cotas em grupo de investimento em mineração de Bitcoin (“HashBrasil”), “utilizando-se de apelo ao público para celebração de contratos que podem ser enquadrados no conceito legal de valor mobiliário”.

    Por esse motivo, a CVM determinou, via Deliberação CVM 790, a imediata suspensão de qualquer oferta de títulos ou contratos de investimento coletivos relacionados ao referido empreendimento.

    Além da multa diária e individual, haverá responsabilidade pelas infrações já cometidas antes da publicação desta Deliberação, com a imposição da penalidade cabível, nos termos do art. 11 da Lei 6.385/76, após o regular processo administrativo sancionador.

    Leia também:

    CVM barrou Astroinvest!!!

    Convidados

    Shark Tank: Grandes empresários e apresentadores compartilham suas visões sobre o mercado de criptomoedas

    15 de fevereiro de 2018

    The Shark Tank investors share their top advice on bitcoin

    O programa Shark Tank reúne alguns dos maiores nomes do empreendedorismo para ajudar pessoas que acreditam ter ideias inovadoras e que valem o investimento. São grandes executivos que muitas pessoas gostam de ouvir por conta das trajetórias de sucesso deles, muitas vezes ganhando dinheiro com coisas que ninguém acreditava.

    Diante de um cenário onde o Bitcoin tomou conta das discussões financeiras, dos debates sobre bolha ou investimento do século, o que será que pensam estes empresários de sucesso?

    A CNBC Make It conversou com 6 dos apresentadores das 9 temporadas do “Shark Tank” americano para ver o que eles estão pensando sobre o mercado de criptomoedas. Confira abaixo o que eles disseram:

    Kevin O’Leary

    O executivo afirma que existe um grande problema entre os investidores de bitcoin: “estou certo de que 99% das pessoas que possuem bitcoin não entendem como isso funciona”. “Isso sempre é um coquetel para o desastre”, disse ele.

    Segundo ele, é preciso entender que o bitcoin é um ativo, e não uma moeda, o que leva a grandes variações de valor e torna mais difícil usá-lo como um meio de pagamento.

    Barbara Corcoran

    Para ela, o bitcoin é interessante, mas não parece algo prático. “Eu acho que bitcoin e outras criptos menores são muito complicadas para o uso geral”, disse ela. “Eu acho que o bitcoin – os outros desaparecerão – é interessante assistir e pode chegar a um valor de US$ 60.000 se instituições suficientemente ricas investirem”, explicou.

    Robert Herjavec

    Já ele tem perspectivas otimistas para a moeda digital. “Para mim, é a onda do futuro”, disse Herjavec. “Daqui 25 anos haverá alguma forma de criptomoeda que usaremos para pagar por via eletrônica, e o conceito de dinheiro desaparecerá um dia”, explicou. “Vai ter benefícios enormes para a humanidade, em todos os tipos de transações”, completou.

    Porém, por enquanto, ele não está investindo pessoalmente, por razões éticas. “Criptomoeda é a escolha de financiamento de transações para hackers”, disse. “E, como somos bons, não consigo ficar atrás disso. Se não houvessem criptomoedas, muitos dos grandes hackers não existiriam”.

    Richard Branson

    O fundador da Virgin disse que já investiu em bitcoin alguns anos atrás. “Eu coloquei um pouco de dinheiro em bitcoin porque gosto de aprender sobre as coisas, e acho que se bitcoin é o único – acho que haverá uma moeda global”, disse Branson para a CNBC em 2014.

    Naquele ano, ele anunciou à CNBC que sua companhia de vôo espacial comercial Virgin Galactic aceitou um pagamento em bitcoin de um comissário de bordo no Havaí para um assento em uma viagem ao espaço. Em 2014, Branson disse à Bloomberg sobre o bitcoin: “Eu acho que está funcionando. Haverá outras moedas como essa, talvez ainda melhor, mas, entretanto, há uma grande indústria em torno do bitcoin”.

    Daymond John

    “Você deve começar a aprender sobre isso agora”, disse John, dizendo que ele possui investimentos em bitcoin e ethereum. “Digamos que você deseja investir em criptomoedas ou med-tech ou imóveis. Cada um desses terá uma grande quantidade de coisas que você precisa saber. Se você não está investindo em si mesmo [e aprendendo], posso te vender tudo o que eu quero em moedas digitais ou medtech”.

    Mark Cuban

    Em dezembro, Cuban disse que este mercado ainda é “uma aposta”. “Poderia ir para US$ 15.000 ou zero e talvez ambos no mesmo dia”, disse ele na época. Mesmo assim, ele já declarou que comprou bitcoins e investe em empresas focadas em mercados de criptomoedas e blockchain.

    O empresário dá uma dica para quem quiser investir nisso: só coloque um dinheiro que você não tem medo de perder. “Se você é um verdadeiro aventureiro e quer realmente jogar o ‘Hail Mary’, você pode colocar 10% [de suas economias] em bitcoin ou ethereum”, disse Cuban. “Mas, se você fizer isso, tem que fingir que já perdeu seu dinheiro”.
    fonte de consulta: The Shark Tank investors share their top advice on bitcoin

    Até o próximo post.

    Convidados

    Nouriel Roubini: O bitcoin e outras criptomoedas representam a mãe de todas as bolhas

    7 de fevereiro de 2018

    Em artigo, Roubini faz duras críticas ao bitcoin, dizendo que a ideia de uma oferta limitada de moedas é uma mentira, chamando ainda os ICOs de golpe

    Os serviços financeiros estão passando por uma grande revolução. Mas engana-se quem acha que a liderança deste movimento está com o blockchain ou o bitcoin. A revolução está sendo construída pela inteligência artificial, big data e a internet de coisas. Essa é a visão de Nouriel Roubini, economista que previu a crise de 2008 e conhecido como “Dr. Doom” por suas projeções apocalípticas.
    Em um artigo publicado na plataforma Project Syndicate, o economista defende que o único uso real das moedas digitais é “facilitar atividades ilegais, como tráfico de drogas, evasão fiscal, fuga ao controle de capitais e lavagem de dinheiro”.

    “Claramente, o bitcoin e outras criptomoedas representam a mãe de todas as bolhas, o que explica por que todos os seres humanos com quem estive entre o Dia de Ação de Graças e o Natal de 2017 me perguntaram se deveriam comprá-las”, diz Roubini no texto.

    O economista afirma ainda que, como em qualquer bolha financeira, os investidores não estão apostando no bitcoin de olho em seu potencial para ser usado como meio de pagamento, mas sim porque esperam que ele se valorize. “Aliás, se alguém quisesse mesmo usar bitcoins, teria muitas dificuldades”, continua.

    Roubini faz duras críticas ao bitcoin, dizendo que a ideia de uma oferta limitada de moedas é uma mentira, e ainda chamou de golpe os ICOs (Ofertas Iniciais de Moedas, na sigla em inglês). Para ele, as criptomoedas não passam de um grande esquema de pirâmide financeira.

    “De acordo com os entusiastas, o Bitcoin tem uma oferta máxima de 21 milhões de unidades, por isso não pode ser degradada como moedas fiduciárias. Mas essa afirmação é claramente uma fraude, considerando que ela já se dividiu em três filiais: Bitcoin Cash, Litecoin, e Bitcoin Gold”, escreve o economista.

    “Além disso, centenas de outras criptomoedas são inventadas todos os dias, ao lado de golpes conhecidos como ‘ofertas iniciais de moedas’, que são principalmente projetadas para escapar das regras de valores mobiliários”, completa o “Dr. Doom”.

    Leia também:

    [BIT FRAUDE BREAKINGNEWS] Novas fraudes e proibições afetam mercado de criptomoedas

    Até mais.

    Convidados

    [BIT FRAUDE BREAKINGNEWS] Novas fraudes e proibições afetam mercado de criptomoedas

    5 de fevereiro de 2018

    Exchange japonesa perde R$ 1,7 bilhão no maior roubo de criptomoedas da história

    bitcoin-falencia-piramide-derrocada-bankruptcy

    Praticamente todas as criptomoedas estão em forte queda nesta segunda-feira (5), com o Bitcoin caindo cerca de 12%, cotado a aproximadamente US$ 7,5 mil, e a Ethereum, a segunda maior em valor total de mercado, caindo 16%, a US$ 730. O mercado, que já perdeu metade do seu valor desde meados de dezembro, foi abalado por notícias de uma proibição ainda mais rigorosa na China e pela restrição da compra de criptomoedas com cartões de crédito em importantes bancos nos Estados Unidos e no Reino Unido.

    Investidores ainda foram prejudicados por fraudes nas moedas MartCoin e Monero Gold, além de um erro de programação na POWH, uma moeda criada para ser declaradamente um esquema de pirâmide, mas que mesmo assim atraiu interessados.

    Segundo uma reportagem do site “South China Morning Post” com base em informações de uma página ligada ao Banco Popular da China, o banco central chinês, autoridades chinesas pretendem bloquear as corretoras de criptomoedas estrangeiras da rede do país. A medida aumenta o rigor da proibição da compra e venda de criptomoedas na China, que já havia proibido a atividade dentro do país.

    Nos Estados Unidos, compradores de criptomoedas enfrentarão resistência dos bancos. Os bancos JPMorgan Chase, Bank of America e Citigroup, três dos quatro maiores do país, anunciaram a proibição da compra de criptomoedas com cartões de créditos emitidos por eles. Os bancos afirmam temer o risco associado com essas compras, segundo a “Bloomberg”.

    A mesma proibição foi adotada pelo Lloyds Banking Group no Reino Unido, uma instituição que engloba as marcas Lloyds Bank, Bank of Scotland, Halifax e MBNA. É o segundo maior banco do país em lucro e o terceiro em ativos.

    Falhas e fraudes

    Alguns investidores também foram prejudicados por fraudes e erros em moedas paralelas criadas por meio de “ICOs”. ICOs (“initial coin offerings”) permitem que investidores troquem moedas mais estabelecidas, como bitcoin e ethereum, por uma nova moeda, na esperança de que essa nova moeda suba de valor e gere lucro. Cada moeda justifica seu futuro valor com promessas diferentes sobre seu funcionamento. Muitas delas usam a mesma rede da Ethereum.

    Um erro de programação na moeda POWH, criada para ser um esquema de pirâmide para permitir que os participantes apostassem quando o negócio iria falir, permitiu a um golpista emitir uma grande quantidade de moedas em seu nome, inundando o mercado com novas moedas e destruindo seu valor. É possível que a fraude tenha partido dos próprios criadores da moeda ou de um hacker. A página inicial do site da POWH” foi retirada do ar.

    Uma tática semelhante foi usada propositalmente pelos criadores da Monero Gold, uma moeda que supostamente tentava ser uma nova versão da Monero, uma moeda conhecida por sua característica de sigilo e anonimato nas transferências. Os criadores da Monero Gold aparentemente usaram o mesmo erro do golpe da POWH para emitir uma quantidade gigantesca de moedas (o número tem 78 algarismos) e derrubar o mercado com a venda das mesmas. A página inicial da Monero Gold traz um “meme” antissemita com uma foto do atentado terrorista de 11 de setembro e uma captura de tela mostrando o número de moedas criado.

    Leia mais clicando neste link.

    Veja também:

    Bitcoin: queda generalizada é lição para quem se empolgou

    Até mais.

    Filmes

    Rei da Polca – filme 2017

    20 de janeiro de 2018

    Mais um filme chegando no Netflix sobre golpista. Em tempos de várias pirâmide financeiras pipocando, maioria com bitcoin, entre outras criptomoedas.

    The Polka King

    SINOPSE E DETALHES

    Um grande dançarino de Polca arrasta uma legião de fãs para onde quer que vá. Quandos suspeitas sobre a sua conduta começam a acontecer e ele, posteriormente, é acusado de seduzir fãs para um esquema de prostituição – fazendo com que sua vida vire de cabeça para baixo.
    Baseado em fatos reais.

    Até o próximo post.

    Convidados

    [BITFRAUDE BREAKINGNEWS] BitConnect: Criptomoeda desaba 95% após fechar plataforma acusada de pirâmide financeira

    18 de janeiro de 2018

    Bitcoin: queda generalizada é lição para quem se empolgou

    A BitConnect afundou de US$ 330 para menos de US$ 10 em poucos minutos

    Enquanto todos olhavam para o bitcoin e outras grandes moedas digitais caindo mais de 20%, uma outra criptomoeda chamada BitConnect chamou atenção ao perder praticamente todo o seu valor. Isso ocorreu por conta de acusações de que o serviço que ela prestava era pirâmide financeira.

    [BITFRAUDE BREAKINGNEWS] Pirâmide financeira em João Pessoa com bitcoin

    A BitConnect desabou 95%, passando de US$ 330 para menos de US$ 10 em pouco minutos, após a empresa anunciar que fechou as portas. A plataforma prometia o pagamento de juros de 1% ao dia para quem investisse na criptomoeda BitConnect, que seria usada para obter lucros com investimentos em Bitcoin.

    Com o programa de empréstimos, os indivíduos poderiam depositar dólar ou Bitcoin em suas contas da BitConnect, onde então apostariam suas participações por juros diários por um período de tempo predeterminado. Quanto mais dinheiro o usuário bloqueia no empréstimo, maior o retorno diário e menos tempo em que o dinheiro ficaria congelado.

    No anúncio sobre o encerramento, a BitConnect explicou que todo o saldo dos usuários foi convertido em BitConnect Coin usando a cotação de US$ 363,62 por moeda. Dessa forma, quem tinha saldo em dólares agora dispõe apenas de saldo em moeda virtual.

    De acordo com a empresa, eles optaram por fechar a plataforma de empréstimo por conta das muitas acusações feitas na imprensa, além das notificações recebidas pelos estados americanos do Texas e da Carolina do Norte.

    Até o próximo bit post!!!