‘Custódia’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: custódia

    Geral

    Gráficos, fundamentos e dividendos: de que jeito ganhar dinheiro na Bolsa?

    13 de abril de 2016

    Qualquer um que opera na bolsa de valores irá responder a isto de forma bem fácil, porém nada simples para ser executada. A maioria iria dizer para você comprar barato, esperar valorizar e vender caro ou se for começar a operação pela ponta vendida, irão responder para vender caro, esperar desvalorizar e comprar barato. A execução destes três simples passos, não importa por onde comece a operação, é um grande desafio.

    O mundo da renda variável costuma atrair diversos investidores, os quais têm apetite por risco e desejam uma rentabilidade maior tanto no curto, como no médio e no longo prazo. Eles estão dispostos e enfrentar a volatilidade e possíveis perdas que este tipo de aplicação pode causar.

    Há duas técnicas para se encontrar o momento de compra/venda de uma ação que são a análise fundamentalista e a análise técnica (ou grafista) as quais podem ser automatizadas em Trade Systems, por exemplo. O investidor pode focar nos fundamentos das empresas, isto quer dizer que ele analisa o balanço da empresa e seus indicadores para saber se ela está saudável em suas operações e frente a seus concorrentes. Outros investidores irão optar por analisar somente o gráfico de preços das ações através de alguns métodos, na busca de encontrar o momento ideal de compra e venda. Ainda existe aqueles que aliam ambas escolas de investimentos na bolsa de valores, porém nenhuma estratégia, fundamentalista ou gráfica, apresenta 100% de confiabilidade.

    É muito importante estudar o mercado da bolsa, pois ele é muito dinâmico e não existe uma regra específica sobre como ganhar dinheiro na Bolsa. Pode-se observar cada operador adotando seus próprios métodos e seguindo o caminho que melhor casa sob sua visão, estratégia e controle de riscos.

    Leia mais sobre este assunto a seguir:

    Como ganhar dinheiro na Bolsa?
    gráfico quadro de cotação na bolsa de valores

    A quem mais se interessar, também vale a pena conferir:

    Análise Fundamentalista para principiantes

    Manual de Análise Técnica/Fundamentalista

    Manual de Introdução à Análise Técnica

    Tutorial de Análise Técnica: Setups contra a tendência

    Até o próximo post.

    Geral

    Existe valor mínimo para investir na Bolsa de Valores?

    5 de abril de 2016

    Você sabe qual o valor mínimo para investir na Bolsa de Valores? Com qualquer valor que equivalha ao valor de uma ação no mercado fracionário você pode investir, porém fica outra pergunta: compensa investir a partir de valor tão baixo? Para investir na bolsa brasileira, BM&FBovespa, você tem alguns custos que pode tornar desvantajoso investir com este pequeno montante de dinheiro. Para investir na bolsa são pagas as taxas custódia e taxas de corretagem. Quem tiver lucros tributáveis, ainda pagará imposto de renda. No mercado à vista os investidores que vendam mais de R$ 20 mil dentro do mesmo mês são passíveis de cobrança de imposto, assim como quem fizer algum tipo de operação no mercado de derivativos, como mercado de opções, mercado futuro, ETF, FII, mercado à termo, etc…

    Veja esta ilustração para quem for investir na Bolsa de Valores de São Paulo:
    – Um investidor coloca R$ 200,00 em ações e a corretora dele cobra R$ 15,00 de taxa de custódia e R$ 5,00 pela taxa de corretagem, você vai precisar de um rendimento maior do que R$ 20,00 (taxa de custódia mais a taxa de corretagem). Isto quer dizer que é necessário 10% de rendimento apenas para você ficar no 0x0 (pagar seus custos). Depende do tipo de relação que você tenha com a corretora, a taxa de custódia pode não ser cobrada, ou seja, parece com um relacionamento com um banco, algumas taxas são cobradas e outras não, vai do tipo de cliente. Você pode pesquisar e encontrar o melhor custo x benefício de corretora para o seu perfil de investidor.

    Um outro ponto negativo de investir somente pequenos valores pequenos é que os custos para diversificação são maiores, fato que pode tornar impeditivo usar tal estratégia. Para quem investe pouco, a solução pode ser investir em Fundo de Índice (Exchange-Traded Funds ou ETF), os quais nada mais são do que fundos que procuram ter o retorno de um índice que representa um conjunto de ações, por exemplo, o Ibovespa. O investidor pode adquirir cotas e com um valor de R$ 200,00 já é possível comprá-las.

    Uma outra solução para quem tem pouco dinheiro é investir através de clubes de investimentos, que nada mais são do que grupos de pessoas que se unem para investir. Ganhos e perdas são divididos proporcionalmente entre os membros de acordo com o quanto investiram.

    Se apesar de tudo isto, o investidor está em fase de aprendizagem e não quer investir valores maiores, as taxas podem ser vistas como um custo de aquisição do conhecimento. A coisa mais importante é começar a investir, para que ao invés de ficar somente pagando juros, a pessoa comece a receber juros com o objetivo aumentar o próprio patrimônio e alcançar o bem estar financeiro.
    Fonte de consulta: ganhemais.infomoney.com.br/perfil/especialista/eliseu-hernandez-d-oliveira/qual-o-valor-minimo-para-investir-na-bolsa
    telao-de-cotacao-de-bolsa-de-valores

    Veja também:

    Como eu faço para investir na bolsa de valores?

    Até mais.

    Geral

    Operar Comprado versus Operar Vendido

    11 de março de 2013

    Na bolsa de valores brasileira, BM&FBOVESPA, a maioria dos investidores tem o costume de operar comprado ao invés de operar vendido provavelmente por ser uma operação mais simples, falta de maior conhecimento do mercado de ações, operação comprada no geral é mais barata e talvez até uma questão cultural.

    Operar comprado significa basicamente ter uma posição em que você ganhe com a alta das ações, opções, mercado futuro, etc., e em inglês esta operação é conhecida como long.
    Um exemplo simples é simplesmente ter uma ação. Se você tem uma ação da Petrobrás, Vale, Ogx, Itaú, etc., você está “comprado nesta(s) ação(ões)”. Se a ação subir, você ganha, se cair, você perde. Simples assim.

    Operar vendido significa basicamente ter uma posição em que você ganhe com a baixa das ações, opções, mercado futuro, etc., e em inglês esta operação é conhecida como short.
    Você pode operar desta forma com o empréstimo de ações ou mesmo descoberto (em inglês short selling), ou seja, vender sem ter as ações, porém tem que fechar a posição no mesmo dia. Por exemplo, se na sua análise você concluiu que a ação da Petrobrás, Vale, Ogx, Itaú, etc. vai cair, você pega a ação emprestado com alguém pagando uma pequena taxa (este valor varia de ação para ação, de momento de mercado também, como exemplo deixemos 2%), e vende a ação desta pessoa. Se você estiver certo e o ativo (ação) cair 13%, por exemplo, você poderá recomprar a ação pelo preço mais baixo e devolver a quem te emprestou. Você ganhou 11% com a queda de uma ação que você no primeiro momento nem tinha. E neste caso ficou “vendido em Vale”. Não levado em conta no custo da operação, algo também pago para quem opera comprado, os custos de corretagem e impostos.

    Outra forma de operar vendido e ganhar com as quedas do mercado é comprar opções de venda (em inglês put). Existe também a possibilidade de alugar os papéis que você mantém em carteira para longo prazo e receber um rendimento por isto.

    Existem outras formas de se operar comprado e vendido, assim como operações compostas. O básico foi explanado aqui para quem tinha alguma dúvida ou mesmo não conhecia o assunto, e a partir disto partir para um estudo mais profundo e fazer suas próprias simulações até se sentir seguro em executá-las.

    Leia também:

    Até o próximo post.