‘Guest Post’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Guest Post

    Convidados

    Dicas para economizar na hora da reforma

    6 de Abril de 2018

    Se você esta pensando em reformar algum cômodo da sua casa, e precisa começar a planejar e economizar para que tudo dê certo e você não precise ter gastos extras na sua reforma, veja as dicas que separamos para você.

    1ª dica – Planejar

    hora-da-reforma-1

    Se você já conversou com outras pessoas que passaram por uma obra ou pequena reforma, tenho certeza que já ouviu falar, que a reforma durou mais do que o previsto, e com gastos extras que você não esperava.
    Por tudo isso a nossa primeira dica é Planejar. Pois na fase do planejamento do seu projeto, todas as considerações são anotadas, calculadas e previstas. Assim o valor da sua reforma será calculada de acordo com o planejamento feito, evitando o gasto e desnecessário ou aumento dos valores.

    2ª dica – Pesquise o preço de materiais

    hora-da-reforma-2

    Com o planejamento em mãos, você já sabe o que comprar e o quanto pode gastar. Por isso, pesquise na hora de escolher e comprar os materiais necessários. Porque esta é uma das formas principais de conseguir economizar na hora da reforma. Mas não se esqueça daquela frase em que diz que o barato pode sair caro. Seja econômico, mas escolha materiais de boa procedência.

    3ª dica – Mão de obra qualificada

    hora-da-reforma-3

    Pensa bem, se após o seu planejamento conseguir adquirir todo o material dentro do seu orçamento previsto, os profissionais escolhidos não forem capacitados para o serviço de reforma? Todo seu projeto irá por água abaixo.
    Por isso aposte em profissionais bons, procure referências, converse com alguém que já fez uso dos serviços prestados por ele, isto é fundamental para o seu projeto dar certo. E sua reforma não sofrer nenhuma alteração, tanto com o prazo de acabamento dos serviços, quanto com o gasto desnecessário com os profissionais escolhidos.

    4ª dica – Guarde dinheiro para os imprevistos

    hora-da-reforma-4

    Mesmo após você ter se cercado de todos os passos necessários para uma reforma de sucesso, é mais do que natural surgir imprevistos, e você precisa estar preparado. Por isso lá na primeira fase do planejamento já anote o quanto você vai guardar para gastar com os imprevistos, pois tenha certeza de que eles vão surgir, e se você estiver preparado a dor de cabeça não será tão grande.
    Pois nada mais desastroso do que ter que parar a reforma e conviver no caos, por falta de dinheiro na hora que surgiu o problema não acha?

    Fonte: DcoreVocê

    Convidados

    Como saber quanto vale um Bitcoin?

    16 de Março de 2018

    quanto-vale-um-bitcoin

    Nos últimos tempos, os olhos do mercado se voltaram para o mercado de Bitcoins. Grande parte da sua popularidade se deve à valorização que a moeda virtual apresentou desde seu surgimento. No começo de tudo, um Bitcoin valia apenas alguns centavos de dólar. Com o passar do tempo, seu valor oscilou muito e uma moeda chegou a valer quase 20 mil dólares.

    O crescimento exponencial dos Bitcoins chamou a atenção do mercado. Por isso, muitas pessoas estão se interessando em conhecer um pouco melhor seu funcionamento. Com tantas oscilações, como saber quanto vale um Bitcoin? É o que você vai descobrir logo mais.

    Oscilações do mercado

    Como você provavelmente já sabe, a moeda virtual não é muito estável. Em apenas uma dia, a cotação do Bitcoin pode oscilar muito. Isso acontece devido à especulação do mercado, avanços em sua tecnologia ou escândalos envolvendo a moeda.

    Se você realmente se interessa pelo mercado de Bitcoins, precisará acompanhar a cotação todos os dias. Especialistas afirmam que a criptomoeda pode oscilar até 20% em um intervalo de 24 horas. Isso significa que de um dia para o outro, a diferença da cotação pode ser de milhares de reais para cima ou para baixo. E isso significa que um movimento perdido pode custar caro demais.

    O valor de um Bitcoin

    Investimentos tradicionais do mercado financeiro possuem gráficos que ajudam o investidor a acompanhar as oscilações, com Bitcoins não é diferente. Existem plataformas gráficas que auxiliam investidores e profissionais a acompanhar o preço da moeda, avaliar o histórico de altas e quedas e tentar identificar um padrão de comportamento.

    Profissionais do mercado realizam uma análise observando os gráficos buscando indicadores padrões para desenhar cenários em que a cotação do ativo é estatisticamente possível. Essa avaliação é chamada de análise gráfica ou técnica.

    Esse tipo de observação é muito comum na Bolsa de Valores, mas não é algo simples de ser feito. É preciso dominar os métodos de análise e é nesse momento que a experiência faz toda a diferença. Você também pode aprender a identificar padrões e analisar os gráficos, mas isso não acontece de um dia para o outro. É preciso se dedicar bastante até conseguir desenvolver essa habilidade.

    Ainda assim, por ser um mercado ainda muito novo e com oscilações exponenciais, a análise técnica pode não funcionar com a mesma eficácia em ativos como os Bitcoins.

    Se você quiser apenas consultar quanto vale um Bitcoin em real, você pode acessar um gráfico ou conversor online, existem vários do tipo pela internet. Inserir quantos Bitcoins você pretende converter em reais, ou vice-versa, e o conversor te entregará a conta pronta.

    Busque aprendizado sempre

    Bitcoins ganharam muitos admiradores e também muitos detratores. Para decidir se você deve ou não comprar a moeda, o segredo está em estudar este mercado a fundo. Muitos investidores empolgados com os ganhos passados enxergam nos Bitcoins uma grande possibilidade de enriquecer.

    Contudo, é preciso ter cuidado. A criptomoeda já se valorizou muito e ninguém pode garantir seu destino daqui para frente. Lembre-se sempre: rentabilidade passada não garante rentabilidade futura. Não é porque os Bitcoins cresceram tanto no passado que é certo que eles vão continuar seguindo o mesmo ritmo.

    Sempre tome muito cuidado com todas as informações que você recebe. Sempre filtre-as com sabedoria. Se depois de estudar o mercado de Bitcoins, seu sistema, as formas de compra e qual a segurança ele pode oferecer, você achar que vale a pena entrar nesse mercado, vá em frente. Só não siga a onda e coloque seu dinheiro onde você não conhece. Defenda sempre o seu dinheiro.

    Convidados

    Tecnologias que você precisa conhecer para ganhar mais dinheiro nos próximos anos

    15 de Março de 2018

    CEO da LearnVest acredita que o patrimônio das pessoas crescerá muito mais rapidamente em 5 ou 10 anos

    Na opinião de Alexa Von Tobel, CEO da LearnVest, tecnologias que hoje são novas deverão moldar o futuro de forma a facilitar – e muito – a acumulação de patrimônio. A executiva e investidora escreveu sobre isso em texto recente publicado na Inc Magazine.
    Segundo ela, existem 5 tecnologias que deverão conduzir as finanças ao patamar previsto: em 5 ou 10 anos, será mais fácil ganhar dinheiro. Confira os destaques:

    Blockchain e moedas digitais

    Ainda em processo de criação, o universo das criptomoedas “inventará formas totalmente novas de fazer dinheiro que não podemos vislumbrar hoje”, diz a especialista. Isso porque elas são descentralizadas, permitindo a empresas e pessoas físicas arrecadar e movimentar dinheiro mais facilmente – e com menos tributos.

    Tecnologias de voz

    Assistentes pessoais por voz serão usados por 40% dos consumidores em 3 anos. Isso deverá ser utilizado por instituições financeiras para agilizar consultas e transações, facilitando toda relação com dinheiro.

    Pagamento móvel

    Alexa diz sonhar com um mundo em que todas as contas são pagas automaticamente por um dispositivo eletrônico. Isso minimiza erros, diminui custos de empresas e aumenta a segurança quando combinado a tecnologias como reconhecimento facial e biometria – o que também significa economia.

    Carteiras virtuais

    Taxas para saques em caixas eletrônicos devem ficar no passado com a possibilidade de carregar todos os instrumentos de pagamento em uma carteira digital. Todas as transações também são rastreadas, o que melhora a gestão, segurança e ajuda a economizar.

    Insurtech

    Empresas que unem tecnologia e seguros são outra grande aposta da especialista para diminuir os custos da população com produtos hoje extremamente caros. Além da possibilidade de pesquisar eletronicamente e, do outro lado, a economia das interações digitais, Alexa acredita ainda que a tecnologia de mapeamento de costumes deve baratear os custos para quem realmente vive “na linha”.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Aprenda o que é forex

    17 de Fevereiro de 2018

    Forex, é conhecido por ser um mercado descentralizado onde se comercializa moedas de nações, ou seja, se vende e se compra moedas de nacionalidades diferentes.

    Outra informação muito interessante sobre o mercado de forex é o fato de ser o mercado mais líquido de todos, ou seja, comum volume de transações diárias maior que qualquer outro, na base dos 5 trilhões por dia em transações.

    A transações entre moedas é feita mesmo sem a denominação, de FOREX, como o quando se viaja entre países e se troca seu dinheiro pela moeda local, para poder usa no país.

    Toda a questão do mercado de FOREX se baseia na variação de moedas, por exemplo com um determinado da sua moeda nacional, você pode comprar na segunda-feira 1,20 euros, e na terça 1,25 e assim por diante.

    Ou seja, os ativistas no mercado de FOREX, procuram por uma margem de lucro em suas transações entre moedas.

    Algumas agências para você começar

    Uma boa agencia é muito necessário para começar a atuar no mercado de forex.

    E como o mercado de forex não é regulado no Brasil, é necessário que você use uma corretora internacional que forneça o sérvio de forex para você.

    Algumas delas são:

    Pepperstone: Uma corretora muito moderna, situada na Austrália, ótima para começar.

    FxPro: Uma corretora muito bem situada no mundo, que oferece serviços personalizados para seus clientes.

    IC Markets: Spreads extremamente competitivos, também situada na Austrália.

    A alavancagem do mercado de forex
    alavancagem-forex

    A alavancagem desse mercado é uma das principais dúvidas de novos investidores, afinal uma alavancagem tão rápida, provoca dúvidas em qualquer pessoa.

    Porém, assim como a alavancagem em um investimento funciona para cima, ela também funciona para baixo.

    Ou seja, você pode ter um ganho exponencial muito rápido, mas também pode ter uma perda muito grande rapidamente.

    O que faz o mercado de forex muito competitivo e com certeza de risco.

    Convidados

    Segredos de dinheiro que pessoas ricas e bem sucedidas sabem

    24 de Janeiro de 2018

    Warren Buffett, Chairman and CEO of Berkshire Hathaway - Os segredos financeiros que pessoas bem-sucedidas sabem
    As pessoas não devem ter vergonha de um estilo de vida modesto – até o bilionário Warren Buffett vive de maneira frugal

    A maioria dos especialistas em finanças pessoais vai dizer que o segredo para se tornar rico na verdade não é uma mistério: trabalhe, viva dentro do seu orçamento, invista e poupe o máximo que puder. Aliás, não deve ser vergonha ter um um estilo de vida modesto – até o bilionário Warren Buffett vive de maneira frugal.
    De acordo com a consultora de finanças pessoais Gabrielle Olya, se o seu objetivo é se juntar ao rol dos ricos, é preciso exercitar sua mentalidade e aprender os seus segredos financeiros, listados pelaCNBC.

    Veja seguir:

    1) Salário não é tudo

    Escalar o mundo corporativo irá leva-lo até determinada altura. Em algum momento, você alcança seu potencial de ganho e subir mais que isso nem sempre é possível. Os ricos sabem que, para aumentar a riqueza, é importante fazer o seu dinheiro trabalhar para você – e não o contrário.

    Invista seu dinheiro – parece repetitivo, mas é efetivo. Procure os melhores investimentos para a quantia que você consegue poupar. Faça seu dinheiro render, aplicando em diferentes tipos de investimentos. Não deixe de ganhar dinheiro, aproveite as oportunidades.

    2) Coloque isso por escrito

    A diferença entre ter uma ideia e colocá-la no papel é muitas vezes o que separa o a pessoa bem-sucedida da que não é. E se você quer ter sucesso e alcançar a riqueza, talvez seja hora de começar a escrever seus objetivos, grandes e pequenos.

    Thomas Corley, autor do livro “Rich Habits: The Daily Success Habits of Wealthy Individuals”, (Hábitos dos Ricos: Os hábitos diários de indivíduos ricos”, em tradução livre), observou isso em seu estudo. Dos ricos entrevistados, 67% deles anotam seus objetivos, enquanto 81% mantêm uma lista de tarefas. Se o seu objetivo é ser rico, comece materializando a ideia no papel e faça um plano de ação para que saia dele.

    3) Não gaste com coisas desnecessárias

    As pessoas ricas sabem a importância de poupar dinheiro diariamente. Elas procuram economizar em tudo que podem, seja tomando café da manhã em casa, ou diminuinbdo a quantidade de vezes que jantam fora no mês. Quando for comprar algo sempre se pergunte se você realmente precisa daquilo. Há um jeito de fazer ou consumir a mesma coisa gastando menos? Se a reposta for sim, tente buscar uma alternativa. Isso pode se tornar um hábito.

    4) Seja seu próprio chefe

    Em tese, os funcionários trabalham para se tornar seus “chefes ricos”. Se você está buscando a verdadeira riqueza, considere começar seu próprio negócio. De acordo com Forbes, quase todas as 1.426 pessoas da sua lista de bilionários fizeram suas fortunas através de um negócio que eles ou um membro da família criaram.

    Claro que não é uma fórmula mágica. Iniciar o próprio negócio exige dedicação e conhecimento do setor em que vai operar. Mas segundo Olya, muitos profissionais da classe média pensam que começar um negócio é muito arriscado. “A questão é que os ricos entendem que o que é mais arriscado é permitir que seu tempo e ganhos sejam ditados por um chefe que geralmente não se importa com você e seu desenvolvimento ou que não pode te oferecer mais oportunidades”.

    5) Invista em você mesmo

    Pessoas bem-sucedidas sabem que vale a pena investir tempo, dinheiro e energia para melhorar as próprias habilidades. Isso pode implicar em ler mais, fazer aulas de determinado assunto ou aprender novas competências. Ninguém vai aprender por você. Se quiser ser especialista em seu campo é preciso estar em constante aprendizado. Busque opções que façam você render mais no dia a dia, que dêem resultados no trabalho e na vida pessoal.

    6) Mude sua mentalidade

    “Não há escassez de dinheiro no planeta, apenas uma escassez de pessoas que pensam corretamente sobre isso”, afirma Grant Cardone, empreendedor americano. “Para se tornar um milionário, você deve pensar alto”. Você deve realmente acreditar que você será rico para enriquecer.

    Claro que apenas pensamentos positivos e confiança não farão sua conta bancária passar a ter seis dígitos, mas aliados com atitudes podem ser o principal diferencial na hora de alcançar a riqueza.
    fonte de consulta: Money secrets that wealthy, successful people know

    Até o próximo post.

    Convidados

    Bolha imobiliária: ascensão e a queda do mercado imobiliário brasileiro em 10 anos

    12 de Janeiro de 2018

    Desenhando a bolha imobiliária brasileira

    Imóvel na planta - O que explica as oscilações do mercado imobiliário em 10 anos de monitoramento nos preços não tem nada a ver com bolha

    Entre 2008 e 2012, período cujo início é paralelo ao colapso das hipotecas subprime nos Estados Unidos, o mercado imobiliário brasileiro pareceu imune à crise do país norte-americano e viu um ciclo impressionante de valorização em seus preços de venda. Uma pessoa que adquiriu imóvel no final de 2007 o acompanhou valorizar ao menos 79,4% nos 4 anos até 2012. Quem esperou até o fim de 2014 para vender provavelmente conseguiu prêmio de 112,86% no valor, com base em dados do Índice Fipezap.

    Impulsionada por fatores como o acesso facilitado ao crédito imobiliário, aumento da renda, redução nas taxas de juros e otimismo causado pela boa fase na economia em geral, essa valorização marcou um período virtuoso, mas chegou a um limite. A partir de 2015, a crise econômica fincou pé nesse mercado, que acabou sendo um dos mais atingidos pela recessão. Naquele ano, a valorização dos preços de imóveis foi de apenas 1,32% em termos nominais – o que significou queda real de 8,48% (descontada a inflação do período). Os dois anos seguintes, ainda na crise, apresentaram variação de 0,57%, e 2017 representou o primeiro ano na série histórica que o indicador apresentou queda nominal, caindo 0,53% na comparação com 2016. Isso foi reflexo de fatores como alto desemprego, aumento da inflação e queda no PIB (Produto Interno Bruto).

    Houve bolha?

    Para especialistas, apesar da mudança acentuada de rumo, não é possível afirmar que houve uma bolha imobiliária no Brasil. Caio Bianchi, Diretor de Inteligência de Mercado do Zap, acredita que é “especulação da internet” usar esse termo em referência à reação do mercado à crise econômica brasileira. Diferentemente de uma euforia sem embasamento, o início do círculo virtuoso brasileiro poderia ser previsto e se deu partir do momento que as pessoas passaram a ter mais acesso a crédito.

    Isso ocorreu, explica Bianchi, principalmente como resultado da regulamentação da alienação fiduciária, que incentivou um financiamento a longo prazo com juros baixos. A lei que regulamenta essa questão data de 20 de novembro de 1997, mas uma alteração de 2004 permitiu que “operações de comercialização de imóveis, com pagamento parcelado, de arrendamento mercantil de imóveis e de financiamento imobiliário em geral” pudessem “ser pactuadas nas mesmas condições permitidas para as entidades autorizadas a operar no SFI”. Na prática, as instituições ganharam a opção de usar o próprio imóvel como garantia em caso de inadimplência do tomador de empréstimo – naturalmente, ficou mais seguro oferecê-lo.

    Com o acesso ao crédito, uma altíssima demanda reprimida no mercado deu as caras – o que se traduziu em liquidez e aumento nos preços. Contribuiu para isso o lançamento do Minha Casa Minha vida, que, em 2009, inaugurou um movimento de procura até então inédito. Nessa época, as empreiteiras construíam sem parar praticamente só para atender a uma população aparentemente insaciável por novos imóveis.

    Uma consequência foi a “empolgação” das grandes empresas da indústria imobiliária. Entre 2006 e 2011, a bolsa de valores registrou 20 IPOs e 16 Follow-ons de empresas do setor de Construção Civil, reflexo do otimismo desse mercado.

    O problema é que na vida real não existe demanda eterna, e o aumento da oferta se chocou com uma redução íngreme da procura durante o que viria a ser a maior recessão da história do Brasil até então. “Mas tanto não era bolha que, mesmo neste cenário, observamos queda bastante comportada nos preços. As variações se mantiveram nominalmente positivas até 2016”, ressalta o Diretor do Zap. “O que vimos nos anos anteriores à crise não era uma bolha, e sim efeito da melhora na economia”, resume.

    Aluguel

    Durante a mesma crise, a contração nos preços dos alugueis foi consideravelmente maior que a de venda. Isso ocorreu, segundo a análise do Zap, porque a correção nessa frente ocorreu nos próprios preços, diferentemente da venda, que viu a demanda como principal atingida.

    “Como o financiamento facilita a compra, o momento de prosperidade econômica se refletiu muito na venda de imóveis. Existem também fatores não totalmente racionais para a aquisição, o chamado sonho da casa própria”, explica Bianchi. Por essa mesma razão, ele acredita que os valores de aluguéis são, comparativamente, mais líquidos. Isso potencialmente explica a variação grande na valorização dos preços em 2009, justamente o ano inicial do Minha Casa Minha Vida.

    E 2018?

    Ainda existe “excesso” nas construções que não foram ocupadas durante a crise, mas essa oferta não deve significar que o movimento decadente continuará para o ano que acaba de começar. Quase unanimemente, o mercado espera retomada relativamente fraca nos preços e estabilidade para os próximos meses, tanto em aluguel quanto em compra.

    Segundo estimativas da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o financiamento imobiliário com recursos originados nas cadernetas de poupança deve crescer 15% em 2018, avanço que deverá se concentrar nos empréstimos destinados à compra de moradias, enquanto o crédito para a construção de novos empreendimentos tende a continuar lento.

    Concomitantemente, a queda na taxa básica de juros (Selic), que fechou 2017 em 7% ao ano, deve ser, aos poucos, repassada ao consumidor que toma crédito imobiliário, o que também incentiva a compra. A somatória desses dois fatores é o suficiente para iniciar o equilíbrio no mercado, mas não para revolucionar a movimentação dos preços.

    Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o terceiro trimestre de 2017 contou com o lançamento de 15.593 unidades residenciais verticais. Uma queda de 12,2% com relação ao segundo trimestre de 2017, mas um aumento de 4,1% com relação ao terceiro trimestre de 2016, considerando o total geral. As vendas no terceiro trimestre totalizaram 21.074 unidades residenciais, uma queda aproximada de 7,4% em relação ao trimestre anterior.

    Considerando esses dados, nota-se que a queda em lançamentos acompanhou redução das vendas. “No entanto, o cenário é de recuperação do mercado, pois tanto os lançamentos quanto as vendas cresceram em relação ao mesmo período do ano anterior”, escreveu a entidade em relatório.

    Para Bianchi, uma quebra nesse fluxo de equilíbrio ocorreria apenas caso houvesse “movimentos abruptos na economia como um todo”. Referenciando as eleições de outubro, o executivo confia que, independentemente do candidato vencedor, a política econômica provavelmente não será radicalmente modificada: “a maioria dos economistas aposta que será mantida a política atual”, pondera.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Como a maioria dos milionários de hoje ficou rica?

    10 de Janeiro de 2018

    Novas pesquisas mostram que a maioria dos milionários atuais é composta por self-made men (uma pessoa que se fez por conta própria pelo esforço e pela qualidade) que não nasceram em berços de ouro.

    Um estudo feito pela Fidelity Investments em agosto deste ano descobriu que 86% dos milionários de hoje não se consideravam ricos quando eram crianças e adolescentes. No geral, a pesquisa revelou que os atuais milionários têm, em média, 61 anos de idade e ativos de US$ 3 milhões.

    Como a maioria dos milionários de hoje ficou rica?

    Enquanto quase três quartos dos milionários afirmaram que já se sentem ricos, há aqueles que disseram que precisariam de uma média de US$ 5 milhões de ativos para começarem a se sentir rico.

    Sanjiv Mirchandani, um dos presidentes da Fidelity Investments afirma que “os milionários de hoje são multidimensionais e para compreendê-los realmente, é necessário olhar não só para suas perspectivas, mas também para o seu caminho para a riqueza e seus objetivos financeiros para o futuro”.

    Entre os milionários self-made men, o estudo revelou que suas principais fontes de ativos incluem investimentos de capital e participação nos lucros de empresas de outros. Aqueles que nasceram ricos foram mais propensos a citar a herança, o empreendedorismo e a valorização do investimento imobiliário como fonte de ativos.

    Quando se trata de estratégias de investimento, os self-made men são mais propensos a investimentos em ações, enquanto aqueles que nasceram ricos geralmente citam mais os investimentos imobiliários.

    Se você tem interesse em começar sua trajetória de sucesso, mas ainda não sabe como, uma boa maneira contratar consultores de empresas e investimentos para fazer o seu atual negócio crescer e aprender a também ganhar uma renda passiva.

    A pesquisa mostra que, ao considerar seu futuro financeiro, 30% dos milionários de hoje afirmaram que estariam preocupados em preservar suas riquezas, enquanto 20% estariam focados em aumentar sua fortuna.

    O estudo deste ano descobriu que a perspectiva dos milionários sobre o futuro ambiente financeiro continua a melhorar, com o otimismo atingindo o nível mais alto desde o início das pesquisas, em 2006.

    Michael R. Durbin, outro presidente da Fidelity Investments revela que “uma tendência se manteve verdadeira ao longo da vida deste estudo: a perspectiva do investidor milionário tem sido consistentemente pragmática sobre as atuais condições do mercado e generalizada sobre uma recuperação futura. Em muitas maneiras, o que os milionários têm pensado e fazendo pode ser um forte indicador das tendências financeiras”.

    Uma vez que essa tendência é o interesse atual dos milionários no mercado de ações, os milionários pesquisados classificaram as ações domésticas individuais como seu maior investimento adicionado no ano passado, seguido de certificados de contas de depósito, fundos negociados em bolsa de ações, títulos domésticos individuais e fundos mútuos nacionais.

    O estudo da Fidelity foi baseado em pesquisas feitas com mais de 1.000 milionários.

    Convidados

    Conheça os melhores investimentos financeiros para 2018

    5 de Janeiro de 2018

    Conheça os melhores investimentos financeiros para 2018

    Com a chegada do novo ano, muitos investidores buscam pelas melhores aplicações financeiras que poderão proporcionar boa rentabilidade e excelentes retornos.

    Para ajudar você, caro leitor, reunimos neste texto os melhores investimentos 2018 e esperamos que conquiste resultados ainda maiores que os obtidos no ano anterior.

    Investimentos na Renda Variável

    Como é de se esperar, a Bolsa de Valores tem grande potencial para continuar sendo a opção mais atrativa para 2018. Muitos analistas acreditam que os investidores, com diferentes perfis e objetivos, conseguirão usufruir das excelentes oportunidades no mercado de renda variável.

    Mesmo o perfil mais conservador quanto o perfil extremamente arrojado, poderão encontrar grandes oportunidades na Bolsa. Por isso mesmo, para identificar o melhor investimento para você, é preciso conhecer seu perfil.

    É possível encontrar algumas especulações do mercado de ações com chamadas sensacionalistas, fazendo com que os investidores iniciantes se encantem com os resultados e cenários irreais.

    Portanto, dê preferência para as análises estruturadas e as estratégias sólidas. Desta forma, ficará mais fácil identificar as melhores opções de investimento de 2018 devido à visão clara sobre este mercado.

    Investimentos na Renda Fixa

    Outra aposta para 2018 são as aplicações em Renda Fixa. A grande maioria desses papéis estão atrelados a três indicadores: à Selic, ao CDI e à inflação.

    • Taxa Selic: após os cortes da taxa de juros básica da economia brasileira, muitos investimentos tiveram alteração significativa em seus rendimentos.
    • CDI: como esta taxa também acompanha a movimentação da Selic, então também teve uma redução na rentabilidade.
    • Inflação: em 2017, ocorreu um melhor controle da inflação se comparado ao ano anterior.

    Muitos títulos que utilizam algum desses indicadores tiveram a rentabilidade geral menor do que em períodos anteriores. Porém, mesmo que estejam entregam resultado abaixo do passado, eles continuam apresentando um bom desempenho.

    Em 2018, o títulos que merecem maior atenção são os do Tesouro Direto. Esta é uma aplicação financeira bastante conhecida devido à sua alta liquidez e segurança.

    Existem 3 tipos de títulos: Tesouro IPCA, que acompanha os movimentos do indicador IPCA, Tesouro Selic, que acompanha a rentabilidade da taxa Selic, e o Tesouro Prefixado, que nos últimos entregou retornos bem interessantes.

    Além do Tesouro Direto, você pode ficar atento com os outros títulos de Renda Fixa:

    • CDB
    • LCI
    • LCA
    • Letras de Câmbio

    Investimentos no exterior

    Em 2017, a Bolsa de Valores norte-americana apresentou tendência de alta para investimentos a longo prazo. O principal índice do mercado de capitais dos EUA, o S&P 500, teve um grande desempenho, marcando topos históricos e demonstrando que este movimento pode se manter.

    Também existe uma grande chance de aparecer boas oportunidades em 2018 que envolvam o dólar e outros índices norte-americanos.

    O que demanda atenção é a elevação da taxa de juros dos EUA. No curto prazo, esse movimento gera um fluxo de saída de capital estrangeiro do nosso país, ocasionando uma pressão compradora no dólar e, consequentemente, sua alta.

    Agora que você conheceu algumas possibilidades de investimentos 2018, não deixe de verificar qual título se encaixa melhor ao seu perfil e objetivos. Aproveite também para entender melhor cada uma das opções de investimentos e como funciona o mercado financeiro para tirar o melhor proveito dele neste novo ano.

    Convidados

    Taxa Selic pode ser reduzida para 7% ao ano

    5 de dezembro de 2017

    Happy businesswoman holding piggy bank against white background

    Na próxima quarta-feira, dia 06 de dezembro, será realizada a última reunião de 2017 do Copom (Comitê de Política Monetária). A expectativa do mercado é que a Taxa Selic tenha uma redução em 0,5 ponto percentual, marcando um novo piso histórico.

    Atualmente, a taxa básica de juros da economia está valendo 7,50%. Mas, se for confirmada a redução, ela vai passar para 7,0%.

    A Taxa Selic interfere diretamente nos rendimentos da poupança. Para entender melhor sobre sua rentabilidade, é preciso conhecer a regra utilizada para o cálculo:

    • 0,5% ao mês mais Taxa Referencial – caso a Taxa Selic seja superior a 8,5%.
    • ​70% da Taxa Selic mais Taxa Referencial – caso a meta da taxa seja igual ou menor que 8,5%.

    Com a queda da Selic, a poupança não oferece boa rentabilidade e isso faz com que o dinheiro perca potencial de compra. De certo modo, é como se o dinheiro estivesse perdendo valor em vez de se valorizar enquanto está aplicado.

    Por isso, muitos investidores têm buscado novos caminhos para investir dinheiro. Algumas das alternativas são os investimentos de Renda Fixa. Essa categoria abrange aplicações podem ser emitidas por instituições financeiras, como empresas de financiamento, bancos ou até mesmo o governo.

    Quando o investidor aplica dinheiro em Renda Fixa, seria como emprestar dinheiro para essas instituições, que por sua vez utilizam o dinheiro para financiar suas atividades. Em troca, na data combinada, o investidor recebe de volta o valor investido, acrescido dos juros.

    Investir em Renda Fixa além de muito fácil , também conta com a mesma segurança da poupança: o Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isto é, supondo que o banco que emitiu o título quebre, o investidor tem a garantia de receber seu dinheiro de volta, respeitando o limite de R$250 mil por CPF e por instituição financeira.

    Por oferecer grande diversidade, o investidor pode escolher entre os títulos disponíveis aqueles que tenham mais a ver com seu perfil e objetivos. Além disso, pode combinar várias modalidades em sua carteira de investimentos com o objetivo de aumentar a segurança e as chances de sucesso.

    Conheça agora alguns dos títulos de Renda Fixa mais populares entres os brasileiros que estão à procura de novas possibilidades de investimento:

    CDB

    A sigla CDB significa Certificado de Depósito Bancário e se refere a aplicações emitidas por bancos para captar recursos a fim de, entre outras coisas, melhorar suas estruturas e conceder empréstimos para seus clientes.

    Este investimento é protegido pelo FGC. Além disso, existem 3 tipos de títulos: prefixado, pós-fixado e híbridos.

    • Prefixado: nestes títulos, o valor a ser resgatado ao final do investimento é estabelecido no momento da compra.
    • Pós-Fixado: este tipo de título possui sua remuneração atrelada a um indexador da economia, que em muitos casos é o CDI.
    • Híbrido: estes títulos possuem um percentual fixo somado à variação de um indexador econômico.

    Tesouro Direto

    O Tesouro Direto é uma aplicação financeira de Renda Fixa bastante conhecida devido à sua alta liquidez e segurança. Isto quer dizer que, se preciso for, é possível resgatar o dinheiro aplicado a qualquer momento.

    Além disso, este título é bastante acessível pois aceita investimentos a partir de R$30. No entanto, é preciso ficar atento pois não são todos os títulos que podem ser adquiridos por este valor.

    LCI e LCA

    A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são investimentos em Renda Fixa isentos de Imposto de Renda e protegidos pelo FGC. A rentabilidade de uma Letra de Crédito possui características muito parecidas com o CDB, podendo ser prefixada, pós-fixada ou híbrida.

    Essas são apenas algumas opções possíveis para quem deseja fugir da poupança e ter melhores resultados. Existe uma variedade de investimentos com rendimentos mais interessantes que a caderneta, basta pesquisar e buscar aqueles que melhor se encaixam ao perfil e objetivos do investidor.

    Portanto, antes de começar os investimentos, é fundamental que se entenda sobre as opções disponíveis no mercado para poder fazer escolhas mais acertadas.

    Off

    A tecnologia mais recente que está aumentando popularidade dos jogos online

    2 de dezembro de 2017

    Nas duas últimas décadas, com o surgimento dos jogos on-line, tudo evoluiu muito. Quando começaram, os jogos de cassino eram essencialmente videogames bidimensionais com muito pouco envolvimento do jogador. O jogador simplesmente apertava um ou dois botões para apostar ou fazer um movimento.

    Mas, à medida que a tecnologia avançava cada vez mais rapidamente, os principais casinos on-line adotaram as mudanças para proporcionar uma experiência cada vez mais imersiva e envolvente para todos – e é por isso que, segundo dados, o jogo online é a forma mais popular no Reino Unido hoje em dia.

    Uma das maiores mudanças nos últimos anos foi a introdução de tecnologia que permitiu a criação do casino “ao vivo”. Esta foi uma reposta ao sentimento de que um casino on-line nunca poderia recriar a emoção de seu rival de “de verdade”.

    Porém, agora muito dos principais casinos estão oferecendo a opção de poker, blackjack e roleta com dealers reais e em tempo real. O que tornou isso possível é uma tecnologia chamada Unidade de Controle de Jogo (GCU) que funciona com o tipo de sistema de reconhecimento de número usado por estacionamentos. Esse sistema digitaliza a ação ao vivo e produz dados que podem ser incorporados de forma transparente no jogo online.

    Tudo indica que esta forma de jogo mais interativa vai atrair mais jogadores para os sites, possivelmente às custas dos casinos reais.

    De todos os jogos que você encontrará em casinos online, são os caça niquel os mais populares – e, portanto, os maiores geradores de dinheiro para os casinos. Há sites dedicados a caça niquel online. O cacaniquel.pro oferece uma grande variedade de jogos, deixando todos os visitantes satisfeitos. Há uma série de razões para a sua popularidade, incluindo o fato de que eles podem ser temáticos para atrair um grupo particular de pessoas, além de serem fáceis de jogar. Alguns até têm um recurso de jogo automático para que os jogos possam simplesmente serem jogados sem precisar que o jogador interfira.

    Isso também significa que os desenvolvedores de caça niquel online investem muito dinheiro para torná-los ainda melhores para jogar e mais emocionantes. Muitas vezes pegam algumas dicas de desenvolvedores de videogames, e colocam diferentes níveis para alcançar, funcionalidades ocultas e até inserções de vídeo no meio de o jogo. Então, estes caça niquel estão muito longe das máquinas do passado.

    A revolução VR

    Olhando para a frente, há um avanço tecnológico que muitos acham que irá transformar a experiência de jogo online, deixando tudo ainda melhor. É o surgimento da realidade virtual.

    Agora que esses dispositivos se tornaram acessíveis para a maioria, grandes investimentos agora estão entrando na criação de casinos virtuais, onde os jogadores poderão “entrar” em uma versão do verdadeiro e jogar seus jogos favoritos de onde quiserem.

    É uma perspectiva emocionante. Isso poderia significar ainda mais problemas para casinos de verdade. Afinal, por que viajar até Las Vegas ou Macau quando você pode ter a mesma experiência no conforto de sua própria casa?

    virtual-reality-realidade-virtual