‘Operar Vendido’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: operar vendido

    3 coisas que você pode fazer em seu Home Broker e não sabia

    13 de maio de 2016

    O Home Broker  é uma interface entre o investidor e o mercado financeiro. Quem já opera sabe que através dele é possível comprar e vender ações, controlar sua carteira de investimentos e conferir o extrato da conta. Mas, o que pouca gente sabe é que é possível ir além dessas atividades básicas.

    Existe uma série de coisas que você pode fazer no seu Home Broker que vão muito além dessas atividades primárias. Pensando nisso, preparamos um artigo completo para elevar sua maneira de investir a um novo patamar! Continue lendo e lembre-se de deixar um comentário em caso de dúvida!

    1) Stop Loss

    As ordens de Stop Loss funcionam como um paraquedas que é ativado automaticamente para  minimizar as suas perdas quando o valor de uma ação despenca. O objetivo principal dessa ferramenta é evitar surpresas desagradáveis. A partir do momento que você entende que o mercado de ações possui riscos e que em alguns casos uma ação que você comprou, ao invés de subir como você imaginava, acaba se desvalorizando, nesta hora você não precisa se preocupar em ter seu patrimônio liquidado.

    Ao utilizar o Stop Loss você se programa para expor apenas o capital planejado em sua estratégia de acordo com o seu manejo de risco. Mantendo assim o controle da situação.

    Fica mais fácil entender esse conceito com um exemplo:

    Vamos supor que você possui ações da Empresa Águia em sua carteira e cada papel está avaliado em R$7,50. Você lança uma oferta de venda nesse preço e determina um Stop Loss em R$7,35.

    Isso significa que, caso as ações da Empresa Águia caiam abaixo do preço que você queria vender, o “paraquedas” se abrirá e elas serão automaticamente vendidas quando o preço chegar a R$7,35. Esse mecanismo de defesa evita perdas grandes e é ideal para quem possui uma carteira muito diversificada e complexa.

    2) Cálculos automáticos

    Existem algumas modalidades de investimento na Bolsa de Valores que são negociados em pontos ou que baseiam seus valores em cotações de moedas estrangeiras, como o dólar. Um bom exemplo é o S&P 500, índice que reúne as principais empresas americanas na BM&F Bovespa.

    Na hora de negociar esse ativo, o investidor deve observar o valor de cada ponto, calcular quanto ele vale em dólares, conferir a cotação atual do dólar, fazer a conversão, ver de quantos pontos é formado um contrato, checar se a margem que possui é suficiente para entrar na operação e, ai sim, lançar a ordem.

    Quanto tempo você perde para fazer tudo isso? Justamente pensando em oferecer agilidade para os investidores, os melhores Home Brokers do mercado passaram a oferecer os resultados desses cálculos de maneira automática.

    Isso significa que você já sabe quanto vale cada contrato, qual é a margem necessária para operar e também qual a perspectiva de lucro dessa movimentação. Além da rapidez, o investidor ganha mais agilidade para operar seus contratos, principalmente no Day Trade. Se o Home Broker que você utiliza ainda não oferece isso, converse com seu assessor!

    3) Operação de venda (operar vendido)

    Operar vendido segue o mesmo raciocínio da compra normal de ações. A diferença é que você não tem a ação em questão na sua carteira. Em termos gerais, você vende uma ação a um determinado preço na expectativa de que ela caia. Quando cair, você compra ela mais barato e embolsa o lucro.

    Essa operação também é conhecida como “venda descoberta” ou “Short Selling”. No vídeo abaixo é possível entender com exemplos esse conceito mas, caso ainda tenha alguma dúvida deixe um comentário que responderemos o quanto antes!

    O aluguel das ações não terá nenhum custo a mais se for feito em operação de Day Trade (quando se vende e compra ações no mesmo dia). Para operações que durem mais de 1 dia é necessário pagar uma pequena taxa de aluguel pela operação.

    Essa é uma excelente oportunidade para os investidores lucrarem com um cenário de queda na Bolsa de Valores. A ferramenta se popularizou no país justamente na grande crise de 2008, quando muitos investidores buscavam maneiras de lucrar em um cenário de queda brusca da Bolsa.

    Autoria
    Rafael Bretas, 28 anos, graduado em Jornalismo, MBA em Marketing Digital e autor de artigos em diversas editorias. Integrante da equipe de marketing do Toro Radar é responsável pela comunicação e relacionamento da empresa com parceiros em todo o país.

    3 coisas que você pode fazer em seu Home Broker e não sabia

    Por que a corretora Mycap é o melhor custo-benefício?

    29 de fevereiro de 2016

    A MyCap (Icap Corretora) possui uma das corretagens mais baixa do mercado de corretoras para bolsa de valores no Brasil. Além disto, para quem quer pagar só um pouquinho mais, ainda leva para casa outras ótimas ferramentas como IR Fácil, FlexScan, entre outros.

    Logo da Mycap

    A corretora também possui um Homebroker, financeiro e custódia bem estáveis. Nunca houveram problemas que não fossem resolvidos pelos eficientes canais de atendimento que possuem: telefone, chat e e-mail.
    Bem diferente de uma outra corretora que teve liquidação extra-judicial recentemente.

    A ferramenta de análise gráfica/técnica também funciona muito bem, assim como a parte de análises e notícias costuma estar sempre atualizada.

    Enfim, cada um sabe o que pesa no bolso. Caso usem serviços e ferramentas que justifiquem pagar mais do que a Mycap cobra, ou seja, o que gasta lhe dá melhores resultados na bolsa de valores ou na renda fixa, tudo bem, caso contrário, Icap Corretora é a melhor opção. Opinião de quem já passou por várias corretoras e está nesta há muitos anos.

    Veja também:

    Como escolher uma corretora de valores?

    Até mais.

    Trader vende apartamento para comprar Gerdau

    23 de fevereiro de 2016

    Conforme matéria que foi publicada no portal de finanças Infomoney, Trader vende apartamento para comprar ações da Gerdau e prevê alta de 200%, um grafista objetiva comprar R$ 400 mil em ações da companhia pensando em realizar o lucro daqui a 18 meses, quando atingir os R$ 10,00 previstos na sua bola de cristal, oops, gráfico.

    Ainda segundo a matéria, aquele que está otimista com as ações da Gerdau (GGBR4) é Wagner Caetano, diretor da Top Traders e trader profissional com 14 anos de experiência na Bovespa. Caetano preferiu remar contra a maré, mesmo com o passado nebuloso que esse papel deixou para muitos profissionais experientes no mercado, e decidiu apostar pesado na compra da siderúrgica neste início de ano. O retrospecto extremamente favorável do trader em 2015 lhe garante, pelo menos, o benefício de explicar tamanha ousadia na Bovespa.

    Claro, como não poderia deixar de ser diferente, piadas com o assunto começaram a pipocar nos fóruns de mercado financeiro. Entre eles, a mais engraçada até agora é esta aqui:

    Vendeu e comprou gerdau:
    antes-da-gerdau

    E agora….:
    depois-da-gerdau

    Como vivemos no país da piada pronta, onde nada é levado a sério, o negócio é sorrir.LOL

    Até a próxima piada.

    The Big Short – A Grande Aposta

    20 de janeiro de 2016

    Filmaço. É simplesmente sensacional.
    Estudem operar vendido.
    Steve Carell mais uma vez deu um show de interpretação. Christian Bale também mitou.

    A trilha sonora é fantástica.

    O melhor filme sobre o crash de 2008!
    Não deixem de assistir.
    Para quem faz parte ou gosta de mercado financeiro é mandatório conferir.

    The-Big-Short-movie-2015-Poster

    Vejam também:

    – Operar Comprado versus Operar Vendido

    Até mais.

    Venda a descoberto – Aproveite a queda das ações

    12 de janeiro de 2016

    O investidor pode lucrar caso seus ativos venham a cair, se fizer uso de uma estratégia denominada venda a descoberto. Ao lidarmos com o mercado financeiro sabemos do risco corrido, mas além deste, a economia tem se mostrado ainda mais instável, principalmente diante dos fatos que vimos nesse começo de 2016: queda da Bolsa da China, nova alta do dólar e outros que interferem diretamente e indiretamente na compra e venda de ações.

    Venda a descoberto

    Diante de tamanha inconstância, através da venda a descoberto é possível ganhar mesmo com a queda das ações. Essa estratégia também é denominada short e ela permite que um determinado ativo que não está na carteira do investidor seja vendido para que ele possa comprá-lo novamente por um preço menor e garantir seu lucro a partir de então.

    A baixa tendência de um ativo não deve ser considerada um problema, já que ela também pode ser uma boa oportunidade para os investidores. Quem está iniciando suas operações na Bolsa tende a achar que apenas a Bolsa em alta proporciona possibilidades de ganho, mas a queda também pode possibilitar.

    A economia do país não tem sido das melhores e caso não recuperássemos a constância anterior, os investidores não precisariam sair da Bolsa por isso. Apesar de todo o contexto externo ser influente não é determinante para o insucesso nas operações, quando há uma boa estratégia por trás do investidor.

    Por que você deveria vender uma ação que não tem em sua carteira?

    Através de análise gráfica ou análise fundamentalista, o investidor ao perceber que uma determinada ação irá cair pode direcionar uma estratégia para ganhar a partir dessa situação. Caso o investidor venda a ação que estava em alta, para posteriormente comprá-la com um preço inferior consegue ganhar com essa diferença.

    A venda a descoberto deve ser realizada levando em consideração se será um trade superior a um dia, ou seja, se não for uma operação de day trade, na qual se compra ou vende ações no mesmo dia.

    Como o investidor não possui aquelas ações na carteira, necessita de “alugá-las”, assim  será preciso consultar a disponibilidade de BTC para os ativos de seu interesse. O BTC é o aluguel de ativos.

    Como funciona o BTC?

    Como uma espécie de empréstimo, certos investidores emprestam suas ações para outros, por um determinado tempo e valor. E você pode estar se perguntando: quem são esses investidores que emprestam suas ações?

    Eles são grandes investidores de longo prazo que não querem se desfazer das suas ações durante o período de contrato. Assim, eles alugam parte de suas ações e além de conseguirem mantê-las, conseguem ganhar com isso. Aqueles que pagam pelo aluguel das ações precisam delas apenas por um determinado prazo.

    Para quem quer aproveitar a queda das ações como uma oportunidade de ganho, as operações de venda são uma boa alternativa. Além de que podem ser utilizadas para proteger sua carteira de investimentos a partir de operações de Hedge.

    Então, mesmo que a bolsa esteja em baixa você deve se preparar e aproveitar o que ela pode te oferecer de melhor, a partir da venda a descoberto. Se ficou alguma dúvida quando a esta operação, poste nos comentários!

    Renata Cota – Equipe Toro Radar

    Operar Comprado versus Operar Vendido

    11 de março de 2013

    Na bolsa de valores brasileira, BM&FBOVESPA, a maioria dos investidores tem o costume de operar comprado ao invés de operar vendido provavelmente por ser uma operação mais simples, falta de maior conhecimento do mercado de ações, operação comprada no geral é mais barata e talvez até uma questão cultural.

    Operar comprado significa basicamente ter uma posição em que você ganhe com a alta das ações, opções, mercado futuro, etc., e em inglês esta operação é conhecida como long.
    Um exemplo simples é simplesmente ter uma ação. Se você tem uma ação da Petrobrás, Vale, Ogx, Itaú, etc., você está “comprado nesta(s) ação(ões)”. Se a ação subir, você ganha, se cair, você perde. Simples assim.

    Operar vendido significa basicamente ter uma posição em que você ganhe com a baixa das ações, opções, mercado futuro, etc., e em inglês esta operação é conhecida como short.
    Você pode operar desta forma com o empréstimo de ações ou mesmo descoberto (em inglês short selling), ou seja, vender sem ter as ações, porém tem que fechar a posição no mesmo dia. Por exemplo, se na sua análise você concluiu que a ação da Petrobrás, Vale, Ogx, Itaú, etc. vai cair, você pega a ação emprestado com alguém pagando uma pequena taxa (este valor varia de ação para ação, de momento de mercado também, como exemplo deixemos 2%), e vende a ação desta pessoa. Se você estiver certo e o ativo (ação) cair 13%, por exemplo, você poderá recomprar a ação pelo preço mais baixo e devolver a quem te emprestou. Você ganhou 11% com a queda de uma ação que você no primeiro momento nem tinha. E neste caso ficou “vendido em Vale”. Não levado em conta no custo da operação, algo também pago para quem opera comprado, os custos de corretagem e impostos.

    Outra forma de operar vendido e ganhar com as quedas do mercado é comprar opções de venda (em inglês put). Existe também a possibilidade de alugar os papéis que você mantém em carteira para longo prazo e receber um rendimento por isto.

    Existem outras formas de se operar comprado e vendido, assim como operações compostas. O básico foi explanado aqui para quem tinha alguma dúvida ou mesmo não conhecia o assunto, e a partir disto partir para um estudo mais profundo e fazer suas próprias simulações até se sentir seguro em executá-las.

    Leia também:

    Até o próximo post.