‘Poupança’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: poupança

    Convidados

    Poupar dinheiro: entenda a importância que poupar dinheiro tem sobre sua vida

    10 de outubro de 2018

    poupar-dinheiro-porquinho-moedas

    Desde muito pequenos aprendemos o quão importante é poupar dinheiro, seja ele destinado para a compra de um presente no final do ano ou para uma futura graduação. Esse aprendizado é algo de suma importância e que será essencial para o futuro daquele que está poupando, afinal, quanto mais cedo se começa a poupar mais bem preparado para o futuro se estará.

    Quando se deixa a prática de poupar de lado é difícil fazer planos ou se livrar de acontecimentos emergenciais como, por exemplo, a mudança de um emprego ou a necessidade de viajar para um cidade distante. É nesse momento que uma bola de neve se forma, onde dívidas, empréstimos e um nome sujo acaba sendo o resultado final.

    Considerando o cenário econômico em que estamos vivendo e o fato de que ninguém quer como resultado os acontecimentos citados anteriormente, poupar dinheiro se torna algo importante e que não se pode deixar para depois. É de se esperar que você fique um pouco perdido no começo e se pergunte por onde começar, por isso, é importante que você tenha em mente, principalmente, o por que guardar dinheiro.

    VANTAGENS DE GUARDAR DINHEIRO

    O hábito de guardar dinheiro se trata de muito mais do que apenas economizar, significa, principalmente, ter uma segurança e evitar o gasto irresponsáveis em outras coisas. Quando você perde o hábito de poupar acaba gastando mais do que ganha e, com isso, sua liberdade financeira acaba se perdendo, já quando esse hábito se torna frequente aquisições se tornam seguras e sonhos se tornam reais como, por exemplo, aquela cirurgia de abdômen que você tanto pesquisa ou aquela viagem para o exterior que você sempre programa mas nunca consegue realizar.

    PASSOS QUE TE AJUDARÁ A ECONOMIZAR DINHEIRO

    Ter um bom planejamento financeiro é a chave para economizar dinheiro, pois, é ele que te ajudará a cumprir seus compromissos financeiros e alcançar suas metas econômicas. Quando você se compromete a economizar uma porcentagem de sua renda além da força de vontade você precisará ter foco para que seu plano seja honrado e para que sua poupança renda o tanto esperado.

    Firmar um compromisso com você mesmo é outro passo importante para uma boa economia e, quando essa economia é percebida em realizações, o desejo de alcançar objetivos maiores é despertado e, é nessa hora que você poderá aumentar a sua porcentagem de economia por mês, dobrando sua poupança e tendo um resultado final ainda maior.

    Planilhas e anotações poderão ser úteis na hora de determinar o que foi gasto e determinar o que será guardado, mesmo os pequenos gastos devem ser considerados e anotados para que no final sua meta e seu planejamento seja cumprido.

    A saúde financeira, querendo ou não, é o principal fator para que cada pessoa tenha uma vida satisfatória e repleta de realizações. Economizar, poupar e se planejar significa em outras palavras liberdade para ser quem você quiser e viver como desejar.

    Convidados

    5 dicas essenciais para quem procura um investimento melhor que a poupança

    17 de agosto de 2018

    dicas-para-investimento-melhor-que-poupanca

    A poupança já foi, por muito tempo, o investimento preferido dos brasileiros. A simplicidade da caderneta, a segurança de investir nos grandes bancos e não ter que gerenciar o investimento tornavam essa escolha mais favorável.

    A verdade é que os brasileiros estão percebendo, cada vez mais, que o rendimento da poupança hoje é muito baixo e, como investimento, não tem muito efeito nas suas finanças.

    Muita gente não sabe, mas a rentabilidade da caderneta é determinada pelo próprio governo brasileiro e, desde 2012, depende do valor da taxa básica de juros da economia, a taxa Selic. Ela é composta de duas variáveis: a remuneração básica, definida pelo valor mensal da Taxa Referencial (TR), e a remuneração adicional, que pode ser de 0,5% ao mês ou 70% da Selic.

    • Quando a meta da Taxa Selic anual estiver acima de 8,5%, a poupança rende 0,5% + TR ao mês.
    • Quando a meta da Taxa Selic anual estiver abaixo ou igual a 8,5%, a poupança rende, mensalmente, 70% da taxa Selic + TR.

    Desde o mês de setembro de 2017, a taxa Selic vem caindo e se mantendo em patamares menores que 8,5%. Sendo assim, a rentabilidade aplicada tem sido de 70% da taxa Selic + TR.

    No ano de 2018, os juros da poupança vêm mantendo o patamar de 0,37% na maioria dos meses. Se a rentabilidade mensal se mantiver nesse nível, a rentabilidade da caderneta pode ficar próxima a 5% no ano, enquanto a meta da inflação é de 4,5% para o ano, o que pode corroer toda a rentabilidade.

    E se você já sabia que a poupança não rendia muito, agora você tem certeza: é hora de procurar um novo investimento. Veja agora 5 dicas essenciais para escolher um investimento melhor que a poupança.

    1. Entenda a relação da inflação com seus investimentos

    Você já deve ter ouvido, diversas vezes, sobre a inflação no país e como ela prejudica o seu dinheiro e investimentos.

    A inflação é calculada por uma taxa chamada IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo). Essa taxa é divulgada, mensalmente, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e representa o aumento de preços de serviços e produtos básicos consumidos pelo brasileiro, como:

    • Saúde e cuidados pessoais
    • Habitação
    • Alimentação e bebidas
    • Educação
    • Transporte
    • Artigos de residência
    • Despesas pessoais
    • Comunicação

    Sendo assim, a inflação funciona como um termômetro que mede o aumento do custo de vida do brasileiro. Portanto, se ela está crescendo mais que o seu dinheiro, ou seja, se o seu investimento rende menos que a inflação, isso quer dizer que o seu poder de compra está diminuindo: tudo está ficando mais caro, e o seu dinheiro continua no mesmo nível.

    Por isso, é essencial encontrar investimentos com rendimento acima da inflação.

    2. Procure uma boa corretora de investimentos

    Os melhores, e mais rentáveis investimentos, nem sempre estão nos grandes bancos. Isso porque eles costumam ter opções limitadas e de emissão própria do banco. Além disso, os grandes bancos possuem a publicidade a seu favor, sua marca já é conhecida, o que faz com que as pessoas acreditam que seu produto seja bom.

    Por isso, bancos e instituições financeiras menores e menos conhecidas, costumam oferecer uma rentabilidade maior para competir com os grandes bancos. E isso não quer dizer que esse investimento seja menos seguro.

    Em uma corretora de valores, você encontra uma variedade maior de opções de investimento, além de profissionais especializados que podem te ajudar a entender a segurança de cada alternativa e qual é a melhor para o seu perfil e objetivos.

    3. Descubra seu perfil de investidor

    Escolher o melhor investimento vai muito além de escolher a maior rentabilidade. Nem todos os investimentos são para todos os investidores. E, saber disso, é o primeiro passo para tomar uma decisão acertada e consciente.

    Antes de escolher um investimento, você precisa entender o seu perfil de investidor. Isso quer dizer que você precisa entender:

    • Quais são os seus objetivos.
    • Quais metas você irá buscar.
    • A sua tolerância ao risco.
    • A forma como você reage em um cenário desfavorável.
    • O seu conhecimento de mercado.
    • Dentre outras coisas.

    Descobrir isso tudo é bem simples. Ao abrir uma conta para investir, as corretoras de valores oferecem um “teste”, com perguntas básicas que podem ajudar a definir o seu perfil. É claro que isso não quer dizer que você deva investir, para sempre, dentro daquele direcionamento, mas é um bom indicador de por onde você pode começar.

    4. Conheça os investimentos disponíveis no mercado

    O mercado oferece inúmeras opções de investimento, e se dar uma chance de conhecer as opções pode te ajudar, não só a ganhar mais dinheiro, mas a encontrar um investimento que tenha mais a sua cara e que te deixe mais satisfeito, seja na rentabilidade, na dedicação, prazo e outros quesitos.

    Existem investimentos caracterizados como renda fixa, onde é possível saber, ou prever, a rentabilidade que você terá ao final do período. A sua rentabilidade, normalmente, é mais moderada, mas os riscos também são bem menores.

    Esse é o caso de opções como os títulos do Tesouro Direto, CDB, Letras de Crédito (LCI e LCA) e outros. Alguns desses investimentos, inclusive, possuem a mesma garantia de segurança da Poupança, o FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que garante até R$250 mil por CPF/CNPJ e instituição financeira, com o limite de R$1 milhão por investidor a cada 4 anos. O risco então seria, apenas, o de não alcançar uma boa rentabilidade.

    Já os investimentos conhecidos como renda variável são aqueles que oferecem maiores possibilidades de retorno, mas também maiores riscos, pois a sua rentabilidade irá depender de uma série de fatores do mercado.

    Esse é o caso dos investimentos na Bolsa de Valores, em ações, índices, commodities e outros ativos. Nesses casos, a rentabilidade irá depender da sua estratégia e conhecimento do mercado.

    5. Tenha em mente seu objetivo e trace um planejamento

    Sabendo de todas essas questões, é muito importante não se esquecer de quais são os seus objetivos e qual a sua estratégia para alcançá-los. Isso quer dizer traçar um planejamento e ter persistência nele, sem desistir no primeiro obstáculo, mas tendo poder de reação para fazer ajustes quando a estratégia estiver se desviando muito do seu objetivo.

    Investir de acordo com seu perfil e entendendo a dinâmica do mercado, fica muito mais fácil atingir um bom resultado. E, claro, também colabora para cuidar do seu dinheiro melhor do que na poupança.

    Convidados

    Pesquisa: principal meta dos brasileiros para 2018 é juntar dinheiro

    8 de janeiro de 2018

    a maior parte dos entrevistados deve evitar o uso do cartão de crédito, organizar as contas da casa e aumentar a renda fazendo trabalhos extras

    Conheça os melhores investimentos financeiros para 2018

    Os brasileiros chegaram ao fim de 2017 com a sensação de que o auge da recessão mais grave enfrentada pelo país já ficou para trás. Diante disso, mais da metade dos brasileiros (54%) está mais otimista com o cenário econômico deste ano e 58% acreditam que a sua vida financeira também será melhor, segundo pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).
    Entre as principais metas financeiras dos brasileiros para este ano estão juntar dinheiro (45%) e sair do vermelho (27%). Porém, em uma nota que vai de 1 a 10, onde 1 é muito ruim e 10 é muito bom, a expectativa para a economia brasileira para 2018 é de 5,7 e a da vida financeira pessoal é de 6,7.

    Entre os que acham que a situação da economia vai piorar (13%), as principais consequências serão ter de evitar gastos com coisas desnecessárias para guardar dinheiro (54%), comprar menos (45%) e ficará mais difícil de economizar e fazer reserva financeira (41%). Já 19% acreditam que o cenário econômico em 2018 será igual a 2017.

    Como medida para superar os problemas decorrentes da crise econômica em 2018, a maior parte dos entrevistados deve evitar o uso do cartão de crédito (26%), organizar as contas da casa (25%) e aumentar a renda fazendo trabalhos extras (22%).

    De acordo com o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro, a insegurança de parte significativa dos brasileiros é resultado de uma combinação de fatores.

    “De um lado, o cenário de incerteza em relação a eleição presidencial que se aproxima, com alto grau de imprevisibilidade e que também afeta a percepção do mercado; do outro, a lentidão do país para superar os obstáculos que impedem a retomada da atividade econômica, situação agravada pelos níveis de desemprego ainda elevados”, afirma Pellizzaro.

    “Fica a impressão de que a qualquer momento é possível ter de enfrentar uma demissão, por exemplo. Isso só vai mudar a médio prazo, à medida que as pessoas forem sentindo a melhora dos indicadores econômicos no dia a dia”, acrescenta.

    Em 2018, apesar dos problemas econômicos do país, 38% não gostariam de abrir mão de fazer uma reserva financeira, 29% não querem abrir mão dos planos de celular e internet e 23% do plano de saúde. Segundo os entrevistados, os principais fatores que podem influenciar o aumento do seu consumo neste ano são os preços dos produtos (47%), as promoções (40%) e a melhora na economia (32%).

    Ainda pensando na vida financeira, 44% dos brasileiros pretendem fazer alguma reserva, 14% querem financiar uma casa própria e 12% pretendem financiar um automóvel.

    Entre os principais temores para 2018 estão possíveis problemas de saúde (40%), ser vítima de violência ou assalto (32%) e não conseguir pagar as dívidas (31%).

    A corrupção foi lembrada, sendo para 86% dos brasileiros, o problema mais importante do País a ser resolvido em 2018, seguida pela crise econômica (61%), a violência (58%), saúde (47%), educação (41%), e o desemprego (37%).

    Até o próximo post.

    Convidados

    Conheça os melhores investimentos financeiros para 2018

    5 de janeiro de 2018

    Conheça os melhores investimentos financeiros para 2018

    Com a chegada do novo ano, muitos investidores buscam pelas melhores aplicações financeiras que poderão proporcionar boa rentabilidade e excelentes retornos.

    Para ajudar você, caro leitor, reunimos neste texto os melhores investimentos 2018 e esperamos que conquiste resultados ainda maiores que os obtidos no ano anterior.

    Investimentos na Renda Variável

    Como é de se esperar, a Bolsa de Valores tem grande potencial para continuar sendo a opção mais atrativa para 2018. Muitos analistas acreditam que os investidores, com diferentes perfis e objetivos, conseguirão usufruir das excelentes oportunidades no mercado de renda variável.

    Mesmo o perfil mais conservador quanto o perfil extremamente arrojado, poderão encontrar grandes oportunidades na Bolsa. Por isso mesmo, para identificar o melhor investimento para você, é preciso conhecer seu perfil.

    É possível encontrar algumas especulações do mercado de ações com chamadas sensacionalistas, fazendo com que os investidores iniciantes se encantem com os resultados e cenários irreais.

    Portanto, dê preferência para as análises estruturadas e as estratégias sólidas. Desta forma, ficará mais fácil identificar as melhores opções de investimento de 2018 devido à visão clara sobre este mercado.

    Investimentos na Renda Fixa

    Outra aposta para 2018 são as aplicações em Renda Fixa. A grande maioria desses papéis estão atrelados a três indicadores: à Selic, ao CDI e à inflação.

    • Taxa Selic: após os cortes da taxa de juros básica da economia brasileira, muitos investimentos tiveram alteração significativa em seus rendimentos.
    • CDI: como esta taxa também acompanha a movimentação da Selic, então também teve uma redução na rentabilidade.
    • Inflação: em 2017, ocorreu um melhor controle da inflação se comparado ao ano anterior.

    Muitos títulos que utilizam algum desses indicadores tiveram a rentabilidade geral menor do que em períodos anteriores. Porém, mesmo que estejam entregam resultado abaixo do passado, eles continuam apresentando um bom desempenho.

    Em 2018, o títulos que merecem maior atenção são os do Tesouro Direto. Esta é uma aplicação financeira bastante conhecida devido à sua alta liquidez e segurança.

    Existem 3 tipos de títulos: Tesouro IPCA, que acompanha os movimentos do indicador IPCA, Tesouro Selic, que acompanha a rentabilidade da taxa Selic, e o Tesouro Prefixado, que nos últimos entregou retornos bem interessantes.

    Além do Tesouro Direto, você pode ficar atento com os outros títulos de Renda Fixa:

    • CDB
    • LCI
    • LCA
    • Letras de Câmbio

    Investimentos no exterior

    Em 2017, a Bolsa de Valores norte-americana apresentou tendência de alta para investimentos a longo prazo. O principal índice do mercado de capitais dos EUA, o S&P 500, teve um grande desempenho, marcando topos históricos e demonstrando que este movimento pode se manter.

    Também existe uma grande chance de aparecer boas oportunidades em 2018 que envolvam o dólar e outros índices norte-americanos.

    O que demanda atenção é a elevação da taxa de juros dos EUA. No curto prazo, esse movimento gera um fluxo de saída de capital estrangeiro do nosso país, ocasionando uma pressão compradora no dólar e, consequentemente, sua alta.

    Agora que você conheceu algumas possibilidades de investimentos 2018, não deixe de verificar qual título se encaixa melhor ao seu perfil e objetivos. Aproveite também para entender melhor cada uma das opções de investimentos e como funciona o mercado financeiro para tirar o melhor proveito dele neste novo ano.

    Convidados

    Taxa Selic pode ser reduzida para 7% ao ano

    5 de dezembro de 2017

    Happy businesswoman holding piggy bank against white background

    Na próxima quarta-feira, dia 06 de dezembro, será realizada a última reunião de 2017 do Copom (Comitê de Política Monetária). A expectativa do mercado é que a Taxa Selic tenha uma redução em 0,5 ponto percentual, marcando um novo piso histórico.

    Atualmente, a taxa básica de juros da economia está valendo 7,50%. Mas, se for confirmada a redução, ela vai passar para 7,0%.

    A Taxa Selic interfere diretamente nos rendimentos da poupança. Para entender melhor sobre sua rentabilidade, é preciso conhecer a regra utilizada para o cálculo:

    • 0,5% ao mês mais Taxa Referencial – caso a Taxa Selic seja superior a 8,5%.
    • ​70% da Taxa Selic mais Taxa Referencial – caso a meta da taxa seja igual ou menor que 8,5%.

    Com a queda da Selic, a poupança não oferece boa rentabilidade e isso faz com que o dinheiro perca potencial de compra. De certo modo, é como se o dinheiro estivesse perdendo valor em vez de se valorizar enquanto está aplicado.

    Por isso, muitos investidores têm buscado novos caminhos para investir dinheiro. Algumas das alternativas são os investimentos de Renda Fixa. Essa categoria abrange aplicações podem ser emitidas por instituições financeiras, como empresas de financiamento, bancos ou até mesmo o governo.

    Quando o investidor aplica dinheiro em Renda Fixa, seria como emprestar dinheiro para essas instituições, que por sua vez utilizam o dinheiro para financiar suas atividades. Em troca, na data combinada, o investidor recebe de volta o valor investido, acrescido dos juros.

    Investir em Renda Fixa além de muito fácil , também conta com a mesma segurança da poupança: o Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isto é, supondo que o banco que emitiu o título quebre, o investidor tem a garantia de receber seu dinheiro de volta, respeitando o limite de R$250 mil por CPF e por instituição financeira.

    Por oferecer grande diversidade, o investidor pode escolher entre os títulos disponíveis aqueles que tenham mais a ver com seu perfil e objetivos. Além disso, pode combinar várias modalidades em sua carteira de investimentos com o objetivo de aumentar a segurança e as chances de sucesso.

    Conheça agora alguns dos títulos de Renda Fixa mais populares entres os brasileiros que estão à procura de novas possibilidades de investimento:

    CDB

    A sigla CDB significa Certificado de Depósito Bancário e se refere a aplicações emitidas por bancos para captar recursos a fim de, entre outras coisas, melhorar suas estruturas e conceder empréstimos para seus clientes.

    Este investimento é protegido pelo FGC. Além disso, existem 3 tipos de títulos: prefixado, pós-fixado e híbridos.

    • Prefixado: nestes títulos, o valor a ser resgatado ao final do investimento é estabelecido no momento da compra.
    • Pós-Fixado: este tipo de título possui sua remuneração atrelada a um indexador da economia, que em muitos casos é o CDI.
    • Híbrido: estes títulos possuem um percentual fixo somado à variação de um indexador econômico.

    Tesouro Direto

    O Tesouro Direto é uma aplicação financeira de Renda Fixa bastante conhecida devido à sua alta liquidez e segurança. Isto quer dizer que, se preciso for, é possível resgatar o dinheiro aplicado a qualquer momento.

    Além disso, este título é bastante acessível pois aceita investimentos a partir de R$30. No entanto, é preciso ficar atento pois não são todos os títulos que podem ser adquiridos por este valor.

    LCI e LCA

    A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são investimentos em Renda Fixa isentos de Imposto de Renda e protegidos pelo FGC. A rentabilidade de uma Letra de Crédito possui características muito parecidas com o CDB, podendo ser prefixada, pós-fixada ou híbrida.

    Essas são apenas algumas opções possíveis para quem deseja fugir da poupança e ter melhores resultados. Existe uma variedade de investimentos com rendimentos mais interessantes que a caderneta, basta pesquisar e buscar aqueles que melhor se encaixam ao perfil e objetivos do investidor.

    Portanto, antes de começar os investimentos, é fundamental que se entenda sobre as opções disponíveis no mercado para poder fazer escolhas mais acertadas.

    Convidados

    5 motivos para tirar o seu dinheiro da poupança

    19 de outubro de 2017

    Vela a pena conferir 5 motivos para tirar o seu dinheiro da poupança e 5 aplicações financeiras que rendem mais, pois o tradicional investimento do país já não é mais tão vantajoso como era até um passado não tão distante…

    5 motivos para tirar o seu dinheiro da poupança e 5 aplicações financeiras que rendem mais

    A poupança sempre foi o investimento mais tradicional da população brasileira. Sempre foi a forma mais utilizada pelos investidores conservadores para poupar dinheiro, concentrando a maior parte do patrimônio do país. Considerada um investimento seguro e de longo prazo, a caderneta de poupança já não rende mais como antes, e está fazendo com que muitos investidores migrem para aplicações alternativas.
    Com base nisto, Daniel Zamboni, assessor de investimentos na Br Investe, elencou cinco motivos de que é hora de tirar o seu dinheiro da poupança, apontando ainda cinco opções de investimentos que oferecem rentabilidades maiores.

    Veja a seguir:

    1) Inflação

    Segundo Zamboni, os ganhos na caderneta de poupança podem ser enganosos. “O que realmente importa na hora de aplicar é o ganho real, ou seja, a parcela da rentabilidade que ultrapassa a inflação, garantindo nosso poder de compra ao longo do tempo”. O assessor explica que nos últimos três anos, enquanto o ganho nominal da poupança está em 7,85% ao ano, o ganho real foi de apenas 0,77% a.a.

    2) Nova regra

    Com a queda da taxa Selic para patamares inferiores a 8,5% ao ano, Zamboni explica que entra em vigor a nova regra da poupança: o investimento passa agora a render 70% da taxa Selic + taxa Referencial (TR), contra 0,5% ao mês + TR calculado anteriormente. Em outras palavras, considerando a Selic atual, o rendimento caiu de 6,27% a.a. para 5,78% a.a., reduzindo a rentabilidade do poupador.

    3) Só rende no aniversário

    Com relação à carência, o assessor explica que, ao contrário de outras opções de investimento, a poupança não remunera diariamente, ou seja, para ter direito ao rendimento da poupança é preciso que o poupador espere a data exata dos depósitos nos meses seguintes. “Muitas pessoas não se atentam às datas de aniversário de seus depósitos na poupança, sendo que vários aplicadores nem sabem o que isso significa”, diz.

    Desta forma, se o investidor fizer uma aplicação no dia 10 de outubro, o rendimento ocorrerá somente no dia 10 de novembro, e se o resgate for feito no dia 9, o retorno será zero.

    4) Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

    Criado para proteger o sistema financeiro contra possíveis problemas de insolvência, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ressarce o capital dos investidores até o limite de R$ 250 mil por instituição e por CPF. Apesar da poupança contar com a segurança do FGC, Daniel afirma que há outras opções, como CDBs, LCIs, LCAs, LCs, que apresentam a mesma proteção, mas são “expressivamente mais rentáveis”.

    5) Rentabilidade

    O baixo retorno comparado a aplicações semelhantes é um dos principais motivos que levam os poupadores a migrarem para outros investimentos. Por mais que a diferença pareça pequena, em um primeiro momento, ao longo dos anos ela cresce exponencialmente. “Há um tempo atrás assessorei um casal que estava relutante em sair da poupança por julgar que a diferença no rendimento era pequena, mas após colocarmos tudo na ponta do lápis, o diferencial na rentabilidade era capaz de levá-los à Europa”, conta.

    Confira, abaixo, 5 aplicações alternativas à poupança que rendem mais:

    1) CDB (Certificado de Depósito Bancário)

    Coberto pelo FGC, os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) conseguem apresentar performance superior mesmo descontando o Imposto de Renda. Daniel explica que a aplicação possui liquidez diária ou só no vencimento, este último conta atualmente com opções de vencimento em 3 anos que pagam até 117% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

    2) LC (Letra de Câmbio)

    Também cobertas pelo FGC, as Letras de Câmbio (LCs) são cobertas pelo FGC e, assim como os CDBs, conseguem apresentar performance superior mesmo descontando o Imposto de Renda.

    3) LCI e LCA

    As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) são cobertas pelo FGC, possuem isenção de Imposto de Renda para pessoa física e 90 dias de carência por lei, ou seja, se você aplicar hoje precisa esperar 90 dias para resgatar o dinheiro. “São aplicações muito procuradas por pessoas que querem aplicar por até um ano, que nesse caso estão pagando até 95% do CDI, em contraste com os 70% da poupança”, diz.

    4) Tesouro Selic

    Garantido pelo próprio Tesouro Nacional sem limites de valor, o Tesouro Selic consegue apresentar performance superior, mesmo descontando o Imposto de Renda. Além disso, apresenta liquidez diária (D+1) e paga atualmente, 100% da Selic.

    5) Fundos Multimercados Conservadores

    Embora não possuam cobertura do FGV, costumam aplicar em ativos conservadores, como os títulos públicos. “Há uma diversidade muito grande no mercado, possibilitando adequação ao perfil de cada investidor no que se refere à rentabilidade e liquidez”, afirma Daniel.

    Até mais.

    Convidados

    Business Insider: Tenho 27 anos e poupei $ 200,000 – aqui estão os melhores conselhos que posso dar sobre o dinheiro

    4 de outubro de 2017

    I’m 27 and I’ve saved $200,000 – here are the 7 best pieces of advice I can give you about money
    man suit wealth

    O sonho de muitos profissionais é conseguir poupar dinheiro para se aposentar cedo, viajar ou ter uma vida mais confortável. Esse é o objetivo do “The Money Wizard” (“O Mago do Dinheiro”, em tradução livre) – nome de seu blog sobre finanças e de seu pseudônimo porque prefere não revelar seu sobrenome verdadeiro. Com 27 anos, ele conseguiu poupar US$ 200 mil, cerca de R$ 630 mil, economizando e fazendo investimentos.
    “Com esforço consigo poupar 60% do meu salário e estou planejando ter um portfólio de US$ 750 mil para me aposentar aos 37 anos. O Plano B é continuar guardando até 40 anos e o plano C é me aposentar uma década mais cedo do que a idade de aposentadoria “normal”, em torno de 50. Até agora, estou dentro do meu cronograma no plano A”, explica.

    A façanha de poupar muito dinheiro foi e está sendo alcançada porque ele teve essa consciência desde cedo. Aos 16 anos, o jovem morador do Texas, nos Estados Unidos, começou a juntar dinheiro. Ele tinha um trabalho braçal no campo para ajudar a família. “Eu trabalhava muito, mas teve um dia que foi especial. Era dia de pagamento e depois de meses, eu conseguiria juntar exatos US$ 500 [cerca de R$ 1.570] na minha conta bancária”, contou ao Business Insider.

    A ideia do jovem era aumentar esse valor ainda mais para poder começar a investir no mercado de ações. E dois anos depois ele atingiu esse objetivo. Com 18 anos já investia na bolsa de valores e começou a juntar ainda mais dinheiro. Ele, então, saiu do emprego no campo e começou a trabalhar em uma empresa pequena do mercado financeiro como analista. Mais um tempo se passou, foi aprendendo a investir e conseguiu manter uma quantia cada vez maior guardada. “Aos 25 anos, eu tinha US$ 100 mil, e aos 26, US$ 150 mil. E hoje, com 27 anos, economizei quase US$ 200 mil [cerca de R$ 630 mil]”, conta.

    Você pode pensar que ele é um gênio do mercado de ações ou um verdadeiro prodígio da área, mas ele nega. Segundo o blogueiro, seus investimentos em ações não deram um grande retorno em comparação com o mercado na época, e seu salário não era muito maior do que a renda média na sua cidade. “Na realidade, eu sou um cara normal com um trabalho decente, que teve a sorte de tropeçar em algumas dicas de dinheiro no início da carreira”, define. Hoje ele continua trabalhando no mercado financeiro e administra seu blog.

    O “Mago do dinheiro” selecionou algumas dicas sobre dinheiro que ele aprendeu durante essa jornada financeira.

    Confira a seguir:

    1) Escolha bem a sua carreira

    Fazer uma faculdade pode acarretar muitos custos, mas o jovem concorda com o bilionário Warren Buffett sobre a graduação: “o melhor investimento que você pode fazer é em você mesmo”.

    “Essa é a chave. Você precisa enxergar a faculdade como ela é: uma negociação de 4 anos para comprar uma carreira”, afirma. Segundo ele, é importante analisar o valor desse diploma. “Na hora de decidir qual curso você irá fazer avalie se você gosta e quais são as perspectivas financeiras dessa carreira. Alguns pagam bem, outros … nem tanto. Pesquise estatísticas salariais, converse com pessoas da área e participe de feiras de carreira”.

    Especialista em finanças e economia, o jovem encontrou um emprego rapidamente como analista financeiro, mesmo quando o mercado de trabalho estava instável. “Espero que o meu diploma estrategicamente escolhido continue a construir uma base para uma vida de ganhos”, afirma.

    2) Evite dívidas

    Uma vez que você está fora da faculdade e no caminho para ganhar dinheiro, o próximo passo é evitar a armadilha da dívida. “Simplificando: é impossível construir riqueza se você estiver pagando dívidas todos os meses, sejam de empréstimos ou de cartão de crédito”, explica. Tentar construir riqueza pagando juros é remar contra a correnteza. “Para evitar dívidas, comprei meu carro sem empréstimo, e apesar de usar cartões de crédito para ganhar as milhas de recompensa, nunca paguei um centavo de juro”, diz.

    3) Decida se seus gastos estão realmente fazendo você feliz

    Segundo o blogueiro, você sempre deve avaliar onde você coloca seu dinheiro. Por exemplo, uma casa com vários quartos faz sua vida mais feliz, ou só dá mais trabalho para cuidar e administrar?

    “Quando se trata do que você faz com o seu dinheiro, você está calculando os benefícios potenciais, ou está apenas seguindo o que seus amigos, a sociedade e a publicidade estão dizendo para você fazer?”, questiona.

    Ele diz isso porque escolheu morar em um apartamento bem simples para economizar dinheiro. E fez o mesmo com o carro, comprou um usado para não perder dinheiro. “Eu entendi que minha viagem seria a mesma com um carro de US$ 30 mil ou US$ 13 mil, então optei por gastar menos”, afirma.

    Você precisa saber quais são os gastos que podem ser cortados e quais valem a pena investir um pouco mais – se vão trazer mais conforto ou felicidade. Ou ainda, saber quais custo devem ser cortados – mesmo que seja um esforço – para alcançar algum objetivo financeiro mais para frente.

    4) Evite um estilo de vida caro

    À medida que vamos evoluindo na carreira é fácil querer gastar mais dinheiro com você mesmo. É difcil manter a disciplina fincanceira quando você tem mais dinheiro à sua disposição.

    Mas manter um estilo de vida caro pode ser um ciclo vicioso e só atrapalha a possibilidade de construir riqueza. É importante valorizar seus gastos: qual a vantagem em levar um estilo de vida luxuoso se você não tem um fundo de emergência ou nenhum dinheiro investido?

    “Em vez disso, reconheça que sua vida já é boa o suficiente e se mantenha firme poupando dinheiro. Se você quer um futuro saudável financeiramente é preciso administrar seu dinheiro desde já”, aconselha o blogueiro.

    5) A riqueza é construída através de consistência

    Depois de nem começar, um dos erros de investimento mais comuns que as pessoas cometem é investir de forma agressiva, segundo o blogueiro. “É um erro compreensível começar assim. Nossas mentes não são projetadas para entender intuitivamente o poder do juros compostos, e aí queremos começar ganhando muito dinhero rapidamente. É preciso ter paciência e aprender a investir”, afirma.

    Como resultado, muitos investidores iniciantes acham que a única maneira de se enriquecer é assumir riscos enormes. Eles fazem apostas ousadas no mercado de ações e ficam frustrados quando perdem dinheiro.

    “Quando olho para o meu caminho até agora, fico impressionado com algo simples. Eu não ganhei dinheiro com nenhuma estratégia ousada. Nem cheguei perto. Eu não criei uma empresa extremamente lucrativa, nem enriqueci rapidamente. Eu faço investimentos mais seguros. Eu optei por consistência. Meus investimentos rendem uma quantia menor, mas não perco dinheiro”, explica.

    Veja também:

    Os passos para ganhar mais dinheiro, de acordo com um milionário autodidata

    Até mais.

    Convidados

    Quanto poupar por mês para aposentar milionário?

    29 de agosto de 2017

    A quantia pode ser inferior a R$ 300 se a pessoa começar desde cedo.

    Quanto poupar por mês para aposentar milionário?

    Ter uma conta milionária é, sem dúvida, o sonho de muitas pessoas. Seja para viver de renda e largar o emprego, viajar ou só curtir a vida. Melhor ainda seria se aposentar com uma conta bancária dessas, principalmente por se tratar de um período em que as pessoas já trabalharam e querem descansar em grande estilo. A pergunta, porém, é como fazer para conseguir isso?

    Segundo matéria do Infomoney dá para saber quanto e onde aplicar para atingir esta meta, isto é, quanto mais tempo a pessoa tiver até a data da aposentadoria, menos ela terá que poupar por mês – graças à ajuda dos juros compostos. Para isso foi elaborado uma tabela com os prazos de 45, 25 e 15 anos até a aposentadoria, a economia mensal necessária para alcançar o milhão e a taxa real de 7% a.a. e de 5% a.a.

    Além disso, por ser impossível prever a inflação daqui a 45 anos, foi calculado os valores de forma que o poder de compra seja mantido, ou seja, desconsiderando os efeitos da inflação. Desta forma, os valores da tabela consideram somente a taxa de retorno real, ou seja, o cenário em que R$ 1 milhão daqui a 45, 25 ou 15 anos equivale ao mesmo R$ 1 milhão de hoje.

    De acordo com a tabela, uma pessoa que ainda tem muito tempo para se aposentar (45 anos), pode economizar uma quantia mínima de R$ 280 ao aplicar em investimentos com taxa real de 7% a.a. Por outro lado, o valor mensal sobe para R$ 3.200 quando a pessoa só tem 15 anos até a aposentadoria. Já no meio termo, ou seja, com 25 anos até a aposentadoria, o valor é de R$ 1.250.

    Com relação às melhores aplicações para atingir R$ 1 milhão, Zamboni recomenda títulos do Tesouro Direto que atualmente pagam o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mais 5% ao ano, como é o caso do “Tesouro IPCA+ com juros semestrais e vencimento em 2035” (antiga NTN-B), que neste momento paga uma taxa de 5,12% a.a.- valor que varia diariamente. Tais títulos são garantidos pelo Tesouro Nacional e preservam o poder de compra, pois pagam a inflação (IPCA) acrescida de uma taxa real.

    Para quem aceita um pouco menos de segurança, mas ainda assim quer uma aplicação em renda fixa, o assessor recomenda debêntures de infraestrutura emitidas por algumas empresas de energia, que chegam a pagar taxas entre 6% a.a. e 7% a.a. e são isentas de Imposto de Renda. Este tipo de título tem mais risco de crédito do que o Tesouro Direto, por isso, é importante avaliar a qualidade da empresa antes de comprá-lo.

    Já para quem pode abrir mão um pouco mais da segurança em troca de uma maior rentabilidade, Zamboni indica a exposição ao mercado de renda variável ou aos fundos multimercados.

    Veja abaixo as tabelas elaboradas:

    Prazo até R$ 1 milhão (anos) Economia mensal Taxa Real (a.a.)
    45 R$ 280 7%
    25 R$ 1.250 7%
    15 R$ 3.200 7%
    45 R$ 500 5%
    25 R$ 1.700 5%
    15 R$ 3.750 5%
    Convidados

    Saiba Como Poupar Dinheiro (a Melhor Forma de o “Ganhar”)

    15 de agosto de 2017

    Muitos de nós quando precisamos de mais dinheiro, quer seja por necessidade imediata ou apenas para ir acumulando fortuna e assim poder viver de forma mais despreocupada no futuro, pensamos logo em como ganhar mais dinheiro.

    No entanto ganhar mais dinheiro pode ser uma tarefa um pouco complicada e definitivamente que irá envolver mais trabalho, passando a maioria das vezes por descobrir uma outra forma de renda, quer seja através da criação de um negócio, investindo, etc…

    como-poupar-dinheiro

    O que provavelmente não pensou é que se bem feito, você pode conseguir poupar em diversas coisas de forma bem fácil que vão acabar por lhe “dar a ganhar” o mesmo dinheiro que você ia conseguir através do seu pequeno negócio, mas sem o risco e trabalho que o envolve.

    Pronto para ver algumas dessas dicas? Vamos lá então.

    Compras (de Supermercado ou Outras)

    É já um assunto muito falado (compras no supermercado) mas existe motivo para isso… Esta é a nossa maior despesa durante toda a nossa vida e que vamos ter sempre de tê-la.

    A alimentação é algo vital para as pessoas, mas muitas acabam por exagerar ou cair nas estratégias de marketing das marcas para gastarem mais do que necessitam.

    Existem diversas dicas, mas as mais valiosas e simples são:

    • Aproveite coupons, descontos, encartes, folhetos, promoções, etc… MAS apenas compre o que precisa e não por impulso apenas porque tem um bom desconto;
    • Faça uma lista e vá somando o valor das compras para ir vendo o quanto realmente esta a gastar;
    • Antes de fazer uma grande compra, investigue as alternativas e os diversos preços para assim conseguir o melhor negócio possível;

    Não Atrase nas Contas

    Outro desperdício de dinheiro que muitas pessoas acabam por fazer por diversas razões é falhar o pagamento de uma fatura qualquer e depois acabar por pagar multas e juros desnecessários.

    É por esse motivo que você deve saber sempre como consultar as suas contas online, desde a fatura da luz, conta da água, etc… Assim nunca vai correr o risco de falhar um pagamento de algo por uma greve nos Correios ou porque foi de viagem.

    Comprar em 2ª Mão

    Muitas pessoas ainda veem com desconfiança este tipo de compra, mas se for bem analisada, você pode estar a poupar muito dinheiro.

    Uma loja tem sempre que garantir lucro no produto, pagar impostos, etc… E tudo isso irá aumentar o valor do que você vai comprar.

    Se alguém esta a vender no OLX algo que está praticamente novo, comprou há uns meses e agora você tem a oportunidade de pagar apenas metade do preço de loja, porque não aproveitar?

    Não vai ser 100% das vezes que vai fazer um bom negócio, mas até coisa de loja tem vezes que se estraga bem rápido…

    Pedir Emprestado

    Aqui não estou a falar tanto de dinheiro, mas sim algo que você precise.

    Eu falei acima que você deve comprar apenas aquilo que precisa, mas se vai ser algo que só vai precisar agora e provavelmente nunca mais irá usar ou mesmo muito raramente, porque não pedir emprestado a um amigo ou vizinho?

    Não precisa de ir comprar uma escada para ir no telhado quando o seu vizinho tem uma e não vai sair prejudicado em nada por empresta-la 10 minutos… e você acabou de poupar centenas de reais numa.

    Ê então, já ficou a saber algumas dicas de como poupar dinheiro e assim “ganhar” mais algum no final de cada mês?

     

    Geral

    Business Insider: Os piores erros financeiros que você pode cometer aos 30

    28 de julho de 2017

    erros financeiros

    É possível aprender com erros passados, mas é preciso estar atento

    É muito comum nos arrependermos de algumas atitudes, principalmente quando falamos em dinheiro. “Não deveria ter comprado isso”, “poderia ter investido naquilo”, são alguns pensamentos frequentes. Mas é apenas depois de muito tempo experimentando, errando e crescendo que podemos ver com mais transparência o que poderia ter sido evitado.
    Pensando nisso, o Business Insider conversou com alguns especialistas financeiros e organizou uma lista com os piores erros financeiros que você pode cometer aos 30 anos.

    Confira:

    1- Não falar sobre dinheiro quando você está prestes a se casar

    Falar sobre dinheiro não é fácil nem divertido, mas é crucial quando seu relacionamento começa a ficar mais sério. Segundo Michael Egan, assessor de investimentos na Egan, Berger & Weiner, LCC, conversar com seu (sua) parceiro (a) sobre finanças pessoais, padrões de consumo e planos financeiros é crucial. Ele explica que a maioria dos casais espera muito para conversar sobre o tema e muitos deles nem chega a tocar no assunto. “Quando chega a hora de discutir sobre finanças, o casal já está muito comprometido e o emocional fala mais alto, o que faz com que eles ignorem as principais diferenças financeiras”, diz.

    É fundamental que a conversa aconteça, e quanto mais rápido, melhor. De acordo com Brandon Moss, assessor e VP na United Capital, primeiro é preciso entender o contexto financeiro de seu (sua) parceiro (a), o que permite que você entenda como ele (a) toma suas decisões financeiras. Depois você pode partir para o tema: finanças separadas ou conjuntas? Se vocês concordarem em juntar as finanças, então é preciso que concordem em como gastar o dinheiro.

    2- Gastar todas as suas economias no casamento

    Muitas pessoas estão gastando quantias absurdas em casamentos. Segundo Egan, a média do valor gasto em cerimônias de casamento nos EUA é US$ 35.329 , cerca de R$ 110 mil. A recomendação do especialista é organizar uma cerimônia menor e usar o dinheiro extra para dar entrada em uma casa, por exemplo. “Organizar um casamento por menos de US$ 5 mil é possível se você estipular orçamentos”, diz. Por outro lado, essa opção é pessoal. Se um grande casamento é seu sonho, comece a economizar antes.

    3- Exagerar no valor gasto em automóveis

    Outro gasto que é visto pelos especialistas como perigoso é com automóveis. “As pessoas ficam rapidamente entediadas com seus carros. Elas sempre querem um carro novo e por isso estão sempre enroladas com parcelas a pagar”, diz. Egan. “O carro, porém, é um ativo rapidamente desvalorizado. Você não quer gastar muito dinheiro em algo que vai valer quase nada após alguns anos”, completa.

    A recomendação do especialista é trocar o veículo a cada 10 anos, para que o consumidor consiga quitar o valor em cinco anos, e levar outros cinco economizando para o próximo. Além disso, ele recomenda a compra de um carro usado, “o que vai ajudar a economizar uma quantia considerável”.

    4- Gastar tudo no primeiro filho

    Geralmente o primeiro filho é aquele que recebe mais roupas, brinquedos e acessórios, visto que os novos pais tendem a exagerar na compra de produtos – muitos de marca – para o mais novo membro da família. É preciso, porém, ficar atento aos valores e tomar cuidado para não queimar todas as suas economias nos primeiros anos da criança, já que gastos inesperados podem surgir a qualquer hora.

    5- Trabalhar pensando no curto prazo

    Segundo Moss, aos 30 você está mais propício a receber seu maior salário, então é importante que você se prepare para essa fase da vida. “Você não vai querer ficar escolhendo empregos só pelo dinheiro nesse momento”, explica. “Você vai querer encontrar aquele emprego que irá preparar você para ganhar muito dinheiro no final dos 30 anos e no começo dos 40”, explica.

    6- Assumir que você terá dinheiro no futuro

    Apesar do otimismo ser considerado uma boa qualidade, um excesso dela pode ser perigoso, principalmente quando relacionada a dinheiro. “As pessoas tendem a assumir que estarão ganhado muito dinheiro quando chegarem aos 40, e utilizam isso para justificar o consumismo no presente”, diz Egan.

    “A regra deve ser a de viver com aquilo que é necessário”, diz. E completa: “Se você não tem dinheiro para comprar um carro novo, então compre um usado. Economizar primeiro deve ser a sua mentalidade: junte para a aposentadoria primeiro e depois gaste com o que mais precisar. O que as pessoas costumam fazer é o oposto, pensando que precisam de muitas coisas novas. Pague primeiro o seu futuro e torne o seu presente financeiramente seguro”.

    Até o próximo post.