‘Passo a Passo’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Passo a passo

    Convidados

    Passo a passo para realizar uma análise de contas telefônicas

    15 de outubro de 2018

    mesa-escritorio-notebook-maos

    Aprenda todos os procedimentos necessários para analisar a fundo as informações de uma conta de telefonia

    As faturas de telefonia são despesas fixas presentes em praticamente todas as empresas, já que são fundamentais para sua subsistência, devido à importância do contato com clientes, potenciais clientes, parceiros, fornecedores e colaboradores.

    Por estarem presentes todos os meses, independentemente da quantidade de vendas ou serviços oferecidos, ela nem sempre é estudada a fundo para concluir se foi cobrada adequadamente ou não, o que pode causar sérios problemas financeiros.

    De acordo com uma pesquisa da Oxford Economics, em uma empresa com 500 funcionários, na média, os custos com telefonia móvel são de US$ 1.817 por um contrato de 2 anos, o que representa uma despesa de US$ 908,50 por ano e de US$ 75,71 por mês por funcionário, sem contar as linhas fixas.

    Isso mostra que as contas de telefonia possuem uma importância bem grande no orçamento e que, consequentemente, deve-se saber como analisar as faturas em busca de erros. Por isso, é essencial entender como proceder quando estiver diante dessa situação!

    Como analisar uma conta de telefonia?

    O processo possui alguns detalhes e minúcias, mas ao se atentar a todos eles, sua empresa será capaz de identificar se a cobrança das operadoras de telefonia foi feita da maneira correta e, com isso, até conseguir economizar uma boa quantia.

    1 – Analise as condições dos planos contratados

    O primeiro passo é saber o que o plano contratado para cada linha de telefonia oferece. Com isso, será possível saber se há cobranças adicionais ou se elas estão dentro do esperado.

    É importante se lembrar que cada linha telefônica pode ter um plano diferente. Por isso, é de suma importância analisar cada plano individualmente para não ter informações incorretas.

    2 – Analise as cobranças da fatura

    Depois de saber o que cada plano oferece, você deve analisar as faturas em busca de cobranças adicionais, que podem ser feitas quando os usuários ultrapassam o limite de ligações ou o consumo de internet móvel.

    Para isso, deve-se saber o que querem dizer as informações da fatura. Geralmente, aparece o nome do plano com o seu valor em seguida, que deve ser o mesmo acordado no momento da contratação (com exceção dos reajustes anuais do IGP-M [Índice Geral de Preços do Mercado]).

    Tudo o que exceder esse valor deve ser discriminado na fatura, como a contratação de planos de internet adicionais e minutos que tenham excedido o total do plano, com seus respectivos valores logo em seguida.

    3 – Confira a cobrança de linhas canceladas

    A escalabilidade telefônica nas empresas é uma constante, já que é preciso acrescentar e remover linhas de acordo com a necessidade, como em períodos sazonais ou quando o mercado está desacelerado.

    Porém, por erros de sistema, pode ser que algumas dessas linhas canceladas continuem sendo consideradas pela operadora de telefonia, o que acarreterá em uma cobrança indevida.

    Para evitar que sua empresa seja prejudicada por isso, a análise das faturas deve ser feita com muito cuidado, em cada uma das linhas contratadas. Compare o número de linhas utilizado atualmente com o que aparece na fatura e veja se os valores batem ou não.

    4 – Reúna todos os dados possíveis

    Ao encontrar irregularidades, a primeira ideia que vem à mente é entrar em contato com a operadora de telefonia e reclamar sobre a cobrança indevida. Porém, é de praxe que elas se defendam deste argumento, principalmente se não houver provas.

    Logo, antes de ligar para a operadora de telefonia, você deve reunir todos os dados possíveis para conseguir fundamentar sua reclamação. Tenha o contrato em mãos, o número de protocolo dos atendimentos para o acréscimo e a redução de linhas e outras evidências que possam ajudar.

    Dessa forma, não se tratará de uma reclamação apenas verbal, mas sim documentada, o que aumenta muito as chances de sucesso.

    5 – Entre em contato com a operadora de telefonia

    Agora que você tem informações em mãos, contate a operadora, explique o que aconteceu e tente negociar a melhor maneira possível de ser restituído pelo valor cobrado indevidamente, já que esse é um direito da sua empresa.

    Na maior parte das vezes, isso não acontecerá com o primeiro atendente com que você conversar, já que eles tendem a ter informações limitadas pelo sistema. Para conseguir solucionar seu problema, é provável que tenha que falar com funcionários que estejam em uma posição hierárquica mais alta.

    Isso pode levar um pouco de tempo, mas é fundamental para conseguir solucionar os problemas de cobrança. Quando conseguir conversar com alguém que possa resolver a solicitação, exponha todos os dados que tiver e aguarde pela resposta da empresa.

    Além disso, aproveite a situação para negociar planos que se encaixem melhor nas necessidades dos colaboradores da sua empresa. Assim, é possível cortar custos sem interferir nos serviços disponíveis.

    Existe uma maneira mais simples de analisar as contas telefônicas?

    Sim. Esse passo a passo explica o procedimento feito manualmente, onde as faturas precisam ser analisadas uma por uma, assim como o levantamento das informações e o contato com a operadora, mas é possível facilitar o trabalho.

    Para isso, é fundamental contar com uma empresa de telecom especializada, que seja capaz de oferecer um tarifador telefônico que se adeque às necessidades do seu negócio.

    Com um tarifador telefônico, todas as linhas serão analisadas automaticamente. Cada ligação terá todos os seus detalhes monitorados, como quem efetuou a ligação, de qual setor é aquele colaborador, qual número a recebeu e quanto tempo ela durou, entre outros.

    Assim, será muito mais simples confrontar o que aparece na conta de telefonia, já que o tarifador trará as informações necessárias para agilizar o serviço. Inclusive, o sistema de tarifação também pode analisar automaticamente as faturas e contratos e apontar eventuais divergências.

    As empresas de telecom também podem ajudar com a contestação de eventuais valores cobrados indevidamente. As chances de solução do problema tendem a ser muito maiores, já que o contato será feito por profissionais capacitados e que já lidaram várias vezes com esse tipo de situação.

    Para que a análise das contas telefônicas seja mais rápida, prática e segura e que as cobranças sejam feitas de acordo com o que realmente foi gasto, conte com um sistema de tarifação telefônica eficiente e contrate um bom serviço de auditoria de contas. Dessa forma, a gestão de telecom da sua empresa será impecável!

    Convidados

    Um passo a passo para começar 2018 com mais dinheiro

    21 de dezembro de 2017

    cofre-porquinho-na-praia - Dinheiro: Faça uma lista de planos para 2018 e organize seu orçamento para realizá-los

    Para quem deseja vender o imóvel rápido e sem perder muito dinheiro

    Se faz necessário organizar a bagunça da sua vida financeira para colocar em prática todos os planos feitos para 2018. Neste post é possível ver como fazer isso.

    Começar academia, viajar para o exterior, entrar para o curso de inglês. Início de ano é sempre aquele momento para tomar fôlego e refazer planos, mas, no fundo, todos eles dependem de um só: organizar a bagunça da vida financeira.

    Especialistas são unânimes: para realizar metas, é preciso saber onde você está. Quanto você tem de reserva financeira? Quais são suas dívidas? Quanto ganha e gasta todo mês?

    Por outro lado, as metas são o pano de fundo do orçamento. “Não adianta anotar seus gastos ou levantar preços e não fazer nada com aquilo. Defina o que você quer da sua vida para elaborar um orçamento. Saiba para onde está caminhando”, aconselha a educadora financeira e psicanalista Cássia D´Aquino.

    A seguir, confira um passo a passo simples para organizar de vez suas finanças e começar 2018 pronto para ter mais dinheiro e realizar seus planos:

    1 – Levante todas as receitas

    Parece óbvio, mas muita gente não sabe exatamente quanto ganha. Isso porque leva em conta o salário bruto, não o salário líquido – aquele que efetivamente pinga na conta, do qual já foram descontados Imposto de Renda, INSS e outras contribuições.

    Levante seu salário líquido e outros rendimentos, como aluguel e pagamentos de trabalhos freelancers. Vale lembrar que o limite do cheque especial e do cartão de crédito não são uma extensão da renda.

    “O cheque especial induz as pessoas ao erro. Se for preciso, reduza seu limite”, sugere o sócio do aplicativo GuiaBolso, Thiago Alvarez. Liste também os bens que você tem.

    2 – Levante todos os gastos

    Observe os gastos que você teve no período dos últimos três meses para checar quais contas estão sempre ali e ter uma ideia de quanto você costuma gastar com despesas variáveis. Pode facilitar ter os extratos bancários e as faturas do cartão de crédito em mãos.

    Liste também todas as dívidas, incluindo as parcelas do cartão de crédito e de financiamentos. “Não tem problema começar 2018 com dívidas boas, como a parcela do financiamento do carro. A preocupação tem que ser com as dívidas que você acha que não vai conseguir pagar”, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

    3 – Precifique seus objetivos

    Sem metas, a tentação de fazer qualquer coisa com o dinheiro é maior. Por isso, defina planos de curto, médio e longo prazo e pesquise quanto custam esses objetivos. Para isso, uma dose de autoconhecimento será necessária.

    “Faça um esforço para fazer planos para além de 2018, se não, você nunca vai conseguir construir nada na sua vida”, orienta a planejadora financeira Lavínia Martins, diretora da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

    Se você tem dívidas, quitá-las deve ser sua prioridade. Comece pelas dívidas de serviços como água e gás, que podem ser cortados por falta de pagamento. Depois, é a vez de quitar os empréstimos com as maiores taxas de juros, como crédito para negativado, crédito rotativo e cheque especial.

    4 – Determine quanto guardar por mês

    Só depois de precificar sonhos, será possível visualizar o tamanho da reserva que você precisa construir. Se você está no zero a zero e não tem nenhum dinheiro guardado, comece a formar uma reserva de emergência.

    O ideal é guardar um valor equivalente a entre três e seis meses de renda, mas não se paralise por isso. Esse é o ponto ideal onde você deve chegar, não o ponto de saída.

    Depois, você poderá se planejar para juntar dinheiro para a aposentadoria e para realizar os planos feitos para 2018.

    5 – Corte despesas

    Há quem diga que os maiores vilões das despesas são os pequenos gastos, como o cafezinho pós-almoço ou o chocolatinho de sobremesa. Outros planejadores financeiros dizem que o problema está nos gastos fixos, como as assinaturas de TV a cabo e celular. Cada um saberá onde o sapato aperta.

    6 – Organize pagamentos e investimentos

    Defina como pagará seus gastos e crie uma estratégia para usar o cartão de crédito – pode ser usá-lo somente para compras eventuais parceladas, até um limite de 10% da sua renda mensal, por exemplo.

    Coloque seus pagamentos no débito automático, em uma data alinhada ao pagamento do salário, e automatize seus investimentos.

    7 – Mantenha esses hábitos por todo o ano

    Essa é a parte mais difícil. Monitore seu orçamento e, se necessário, refaça planos durante o ano. Respeite sua meta de gastos e não abandone suas finanças.

    Até o próximo post.