‘Orçamento’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: Orçamento

    Convidados

    Habilidades que você precisa ter antes dos 30 anos

    11 de Maio de 2018

    young professional millennial - 24 life skills every functioning adult should master before turning 30

    Claro que não existe uma receita de bolo para a vida adulta, porém algumas habilidades são nitidamente essenciais para qualquer pessoa na faixa dos 30 anos conviver em sociedade, de acordo com o Business Insider.

    Veja a seguir:

    1) Aceitar feedbacks com classe

    É difícil escutar que algo não foi feito da melhor maneira possível, mas colocar o emocional de lado e responder tranquilamente a uma crítica é importante, principalmente no ambiente de trabalho.

    2) Pedir desculpas com sinceridade

    Errar é humano, e saber pedir desculpas pelo erro é valioso. E não basta dizer da boca para fora: faça isso pessoalmente, explique os motivos do erro e demonstre que irá evitar repetir o erro em questão no futuro.

    3) Gerir o tempo com sabedoria

    A todo momento, o ser humano está balanceando vida pessoal e profissional. Quem não sabe fazer gestão de tempo perde esse equilíbrio e pode sofrer inúmeras consequências.

    4) Usar atalhos de teclado

    Boa parte do tempo no trabalho é gasto em um computador. Otimizar esse tempo ao máximo evita estresse e melhora o desempenho de qualquer profissional.

    5) Dizer “não” respeitosamente

    A maioria das pessoas evita dizer “não” para não desapontar os outros ou não criar inimizades. Isso é extremamente nocivo em diversas frentes. Ao mesmo tempo, é importante deixar claros os motivos da negativa – e sempre respeitar o interlocutor.

    6) Agir com empatia

    Todos temos problemas. Reconhecer os dos outros é vital para uma convivência harmoniosa.

    7) Usar linguagem corporal

    Comunicação falada e escrita devem ser aliadas da linguagem corporal em interações humanas. Isso pode tornar qualquer pessoa mais amigável e facilitar relacionamentos profissionais e pessoais.

    8) Fazer amigos em diversos ambientes

    Conviver com apenas um tipo de pessoa pode acabar com suas possibilidades de fazer networking e crescer profissionalmente. Por isso, é essencial saber conversar sobre assuntos variados em ambientes diversos.

    9) Costurar

    Nunca se sabe quando será preciso fazer pequenos reparos em roupas.

    10) Falar um segundo idioma

    Além de exercitar o cérebro, falar múltiplos idiomas cria novas formas de vivenciar experiências, dizem especialistas.

    11) Manter um orçamento

    Muitas pessoas têm dificuldades com planilhas, autocontrole e planejamento no geral. Passar dos 30 anos sem saber cuidar das finanças é a receita do apocalipse financeiro – mesmo para quem ganha dinheiro.

    12) Saber o básico em edição de fotografias

    Cada vez mais, o mercado só valoriza quem sabe se vender. A imagem é a primeira coisa a ser notada em qualquer interação virtual.

    13) Passar tempo só

    Adultos precisam se conhecer, e nada melhor que passar um tempo sem outras pessoas para isso.

    14) Falar em público

    Por mais que nem todas as pessoas participem de palestras em palcos para milhares de pessoas, é praticamente inevitável passar por um momento de falar em público ao longo da carreira. Quanto antes o medo for embora, melhor.

    15) Cozinhar o básico

    Além de ser mais barato e, muitas vezes, mais saudável, cozinhas eventualmente pode ser necessário para impressionar pessoas – em diversas situações.

    16) Apertar a mão de um contato

    Um bom aperto de mão é a primeira impressão entre profissionais. E isso é o que fica.

    17) Acordar na hora

    Atrasos podem ser engraçados ou inofensivos no colégio e faculdade, mas passam a ser inadmissíveis em determinado momento da vida profissional.

    18) Pedir ajuda

    É totalmente contraproducente passar horas ou dias tentando resolver um problema quando outra pessoa que sabe resolve-lo está sentada na mesa ao lado.

    19) Vestir-se para uma entrevista de emprego

    Perder oportunidades pela sua aparência pode parecer absurdo – mas acontece. Pesquise o ambiente e vista-se de acordo.

    20) Fazer backup

    Todos os seus arquivos devem ser duplicados. Sempre. Isso evita tragédias.
    Aprenda a investir antes dos 30 anos.
    fonte de consulta: 24 life skills every functioning adult should master before turning 30

    Até mais.

    Convidados

    Um passo a passo para começar 2018 com mais dinheiro

    21 de dezembro de 2017

    cofre-porquinho-na-praia - Dinheiro: Faça uma lista de planos para 2018 e organize seu orçamento para realizá-los

    Para quem deseja vender o imóvel rápido e sem perder muito dinheiro

    Se faz necessário organizar a bagunça da sua vida financeira para colocar em prática todos os planos feitos para 2018. Neste post é possível ver como fazer isso.

    Começar academia, viajar para o exterior, entrar para o curso de inglês. Início de ano é sempre aquele momento para tomar fôlego e refazer planos, mas, no fundo, todos eles dependem de um só: organizar a bagunça da vida financeira.

    Especialistas são unânimes: para realizar metas, é preciso saber onde você está. Quanto você tem de reserva financeira? Quais são suas dívidas? Quanto ganha e gasta todo mês?

    Por outro lado, as metas são o pano de fundo do orçamento. “Não adianta anotar seus gastos ou levantar preços e não fazer nada com aquilo. Defina o que você quer da sua vida para elaborar um orçamento. Saiba para onde está caminhando”, aconselha a educadora financeira e psicanalista Cássia D´Aquino.

    A seguir, confira um passo a passo simples para organizar de vez suas finanças e começar 2018 pronto para ter mais dinheiro e realizar seus planos:

    1 – Levante todas as receitas

    Parece óbvio, mas muita gente não sabe exatamente quanto ganha. Isso porque leva em conta o salário bruto, não o salário líquido – aquele que efetivamente pinga na conta, do qual já foram descontados Imposto de Renda, INSS e outras contribuições.

    Levante seu salário líquido e outros rendimentos, como aluguel e pagamentos de trabalhos freelancers. Vale lembrar que o limite do cheque especial e do cartão de crédito não são uma extensão da renda.

    “O cheque especial induz as pessoas ao erro. Se for preciso, reduza seu limite”, sugere o sócio do aplicativo GuiaBolso, Thiago Alvarez. Liste também os bens que você tem.

    2 – Levante todos os gastos

    Observe os gastos que você teve no período dos últimos três meses para checar quais contas estão sempre ali e ter uma ideia de quanto você costuma gastar com despesas variáveis. Pode facilitar ter os extratos bancários e as faturas do cartão de crédito em mãos.

    Liste também todas as dívidas, incluindo as parcelas do cartão de crédito e de financiamentos. “Não tem problema começar 2018 com dívidas boas, como a parcela do financiamento do carro. A preocupação tem que ser com as dívidas que você acha que não vai conseguir pagar”, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

    3 – Precifique seus objetivos

    Sem metas, a tentação de fazer qualquer coisa com o dinheiro é maior. Por isso, defina planos de curto, médio e longo prazo e pesquise quanto custam esses objetivos. Para isso, uma dose de autoconhecimento será necessária.

    “Faça um esforço para fazer planos para além de 2018, se não, você nunca vai conseguir construir nada na sua vida”, orienta a planejadora financeira Lavínia Martins, diretora da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

    Se você tem dívidas, quitá-las deve ser sua prioridade. Comece pelas dívidas de serviços como água e gás, que podem ser cortados por falta de pagamento. Depois, é a vez de quitar os empréstimos com as maiores taxas de juros, como crédito para negativado, crédito rotativo e cheque especial.

    4 – Determine quanto guardar por mês

    Só depois de precificar sonhos, será possível visualizar o tamanho da reserva que você precisa construir. Se você está no zero a zero e não tem nenhum dinheiro guardado, comece a formar uma reserva de emergência.

    O ideal é guardar um valor equivalente a entre três e seis meses de renda, mas não se paralise por isso. Esse é o ponto ideal onde você deve chegar, não o ponto de saída.

    Depois, você poderá se planejar para juntar dinheiro para a aposentadoria e para realizar os planos feitos para 2018.

    5 – Corte despesas

    Há quem diga que os maiores vilões das despesas são os pequenos gastos, como o cafezinho pós-almoço ou o chocolatinho de sobremesa. Outros planejadores financeiros dizem que o problema está nos gastos fixos, como as assinaturas de TV a cabo e celular. Cada um saberá onde o sapato aperta.

    6 – Organize pagamentos e investimentos

    Defina como pagará seus gastos e crie uma estratégia para usar o cartão de crédito – pode ser usá-lo somente para compras eventuais parceladas, até um limite de 10% da sua renda mensal, por exemplo.

    Coloque seus pagamentos no débito automático, em uma data alinhada ao pagamento do salário, e automatize seus investimentos.

    7 – Mantenha esses hábitos por todo o ano

    Essa é a parte mais difícil. Monitore seu orçamento e, se necessário, refaça planos durante o ano. Respeite sua meta de gastos e não abandone suas finanças.

    Até o próximo post.

    Geral

    Coisas que você deve fazer com a vida financeira aos 20 anos para aproveitar os 30

    21 de julho de 2017

    Entre acabar a faculdade e entrar para o mercado de trabalho você precisará desenvolver alguns hábitos financeiros sólidos

    A fase dos 20 anos será uma das melhores na sua vida e também é um dos melhores momentos para colocar as finanças em ordem. Entre acabar a faculdade, entrar para o mercado de trabalho, se especializar, viajar e começar uma família, você precisará desenvolver alguns hábitos financeiros sólidos para administrar seu dinheiro e direcioná-lo a curto e longo prazo, a fim de atingir suas metas.

    11 things to do in your 20s to become a millionaire by 30
    smiling couple races wealthy

    É essencial pensar e monitorar suas finanças nessa fase. Se você está chegando perto dos 30 anos, confira alguns hábitos que pode considerar adotar, segundo o Business Insider:

    Evite dívidas de cartão de crédito

    As dívidas podem impedir que você faça muitas coisas com o seu dinheiro, especialmente as de cartão de crédito, considerando os juros altos. Se organize para manter suas contas sempre em dia, porque mais cedo ou mais tarde você terá que pagar. É importante que você não acumule dívidas. Depois de se formar na faculdade e se estabilizar no trabalho, sua renda provavelmente aumentará, o que pode incentivar você comprar mais do que precisa e o crédito nessa hora vai parecer a melhor solução.

    Os cartões de crédito são uma boa pedida quando usados corretamente. Se você vai usar um cartão de crédito, utilize um total abaixo de 30% do seu limite e pague sempre a fatura em seu valor total para não pagar juros e manter uma vida financeira saudável. Se perder o controle, a dívida pode ficar muito cara.

    Crie um fundo de emergência

    Despesas inesperadas vão inevitavelmente aparecer, desde um desemprego até gastos médicos. Então é importante reservar um fundo de emergência para esses gastos não previstos. Quanto você deve guardar vai depender das suas preferências e situação financeira, mas garanta uma quantia que possa ajudar você em um momento fortuito.

    Comece a guardar dinheiro para aposentadoria

    Quanto antes você puder guardar dinheiro para a aposentadoria melhor. Você não precisa colocar quantias exorbitantes, o que você conseguir adaptar ao seu orçamento já vale. Quanto mais tempo seu dinheiro estiver destinado a aposentadoria, mais tempo ele irá render e você terá a chance de se aposentar confortavelmente. Por mais que pareça longe, você precisa se planejar para o futuro.

    Você pode investir a longo prazo por meio de uma aplicação na renda fixa, por exemplo, e retirar a quantia quando se aposentar ou começar a pagar uma previdência privada. Busque a opção que melhor se encaixa com seu orçamento e condições atuais.

    Viva dentro do seu orçamento

    Apesar de parecer um conselho simples, pode ser difícil colocá-lo em prática. Gastar tudo o que você recebe, não é prudente. É hábito ruim, porque gastar toda sua receita com despesas dispensáveis impede que você aproveite e colha os frutos do seu trabalho. Defina metas financeiras claras e priorize suas despesas em torno delas. Você vai perceber que viver abaixo de seu orçamento aos 20 anos é muito mais fácil do que durante seus 30. Então adote hábitos financeiros e um estilo de vida adequado à sua receita desde o início.

    Defina metas a longo prazo para seu dinheiro

    As metas financeiras a longo prazos são importantes. Elas ajudam a definir os objetivos qu você precisa cumprir no curto prazo para chegar ao resultado final. Na década dos 20 anos, é importante descobrir o que você realmente quer da vida e como usar o dinheiro como uma ferramenta para alcançar seu objetivo.

    Claro que suas metas podem e provavelmente vão mudar ao longo do tempo, mas estabelecendo objetivos realistas e expectativas para o seu futuro, você poderá gastar mais conscientemente ano após ano, ajustando suas metas conforme sua vida for mudando.

    Saiba gastar com consciência

    Gaste seu dinheiro com coisas que você valoriza e acha que valem a pena. É preciso saber equilibrar seus gastos, administrar a vida financeira não é uma tarefa fácil, e você vai cometer alguns erros ao longo do caminho. E a partir desses erros você vai se adaptando e melhorando a forma de monitorar suas finanças. E gastar com consciência é uma das questões chaves de uma vida financeira de sucesso. Mas claro que tudo tem limites, se você gasta dinheiro com algo que faz você feliz, mesmo sendo um pouco mais caro, não precisa necessariamente cortar esse item do orçamento – desde que possa pagar.

    Até o próximo post.

    Geral

    Educação Grátis: Planilhas de orçamento doméstico e planejamento financeiro

    8 de julho de 2017

    E-book: 49 dicas de economia doméstica

    Kit finanças pessoais com duas planilhas para você organizar seu orçamento e planejar seu futuro financeiro. Formatos disponíveis para Windows e Mac OS X.

    Mac-OS-X

    Confira abaixo o conteúdo:

    Planilha de orçamento doméstico

    Preencha a planilha com suas receitas e despesas todos os meses, acompanhe como está gastando seu dinheiro e identifique as maiores oportunidades para poupar.

    Planilha de preparação para a aposentadoria

    Diga quanto você planeja poupar até se aposentar e em quanto anos quer parar de trabalhar que a planilha mostrará quanto você precisa guardar a cada ano.

    Baixe as planilhas agora mesmo!

    E-book – Aposentadoria: Faça seu próprio pé de meia

    Até mais.

    Convidados

    Business Insider: Consultora revela seu melhor conselho sobre dinheiro

    4 de julho de 2017

    I’m a financial planner — here’s the single best piece of advice I can give you about money
    woman thinking overlooking ocean

    A realidade é que, quando se trata de dinheiro, a maioria das pessoas já passou ou vai passar por momentos bons e ruins.

    Para a maioria das pessoas, os erros financeiros são um rito de passagem, diz a consultora financeira Lauren Lyons Cole. Mesmo as pessoas bem-sucedidas têm um ou dois arrependimentos relacionados com o dinheiro.
    Segundo ela, a realidade é que, quando se trata de dinheiro, a maioria das pessoas já passou ou vai passar por momentos bons e ruins. Claro, talvez você ainda não tenha atingido seus objetivos, mas isso não significa que você não vai conseguir ou que você já falhou. Mesmo que as coisas sejam particularmente difíceis neste momento, não ficará assim para sempre.

    Ela compartilha seu melhor conselho sobre dinheiro: “O dinheiro é dinâmico. Planeje para o longo prazo, e não fique muito apegado a ele hoje. Tudo passa, inclusive sua situação financeira, seja ela, boa ou ruim”.

    Para entender melhor, basta você dar uma olhada no saldo da sua conta no ano passado, ou cinco anos atrás ou mais. Se você é como a maioria das pessoas, você teve altos e baixos. O mercado de ações funciona da mesma maneira. O dinheiro está constantemente em movimento.

    Acompanhar o seu patrimônio líquido é uma boa maneira de acompanhar os altos e baixos da sua situação financeira e lembrar-se de que você não está preso àquela situação para sempre. “Cometer um erro não é sinônimo de uma vida financeira falida, bem como ganhar na loteria não significa necessariamente que você será rico a vida toda”, explica Cole.

    Se as coisas estão boas agora, aproveite. Mas certifique-se de economizar também pensando sempre no futuro. Nunca se sabe quando uma emergência vai aparecer. Perder o emprego, despesa médica ou outro evento podem acontecer. Será mais fácil enfrentar os tempos difíceis se você se preparar durante a época boa.

    E, se você está vivendo um desses momentos difíceis, tente lembrar que é temporário. Não se preocupe com o progresso que você não está fazendo. Um dia de cada vez. Se você perdeu seu emprego, concentre-se em encontrar um novo. Se você estiver com a dívida com dívidas, recupere o máximo que puder para pagar.

    “Vale dizer – e é aí que o planejamento de longo prazo realmente entra em jogo – já que o dinheiro é dinâmico, que suas metas financeiras também devem ser. Não subestime seu potencial”, afirma a especialista. Se o seu objetivo atual está um pouco longe, seja paciente e continue trabalhando para isso. Se você atingiu recentemente um objetivo financeiro, defina um novo. O importante é se manter em movimento.

    Filmes

    Seu Dinheiro: 10 dicas de ouro para quem quer ter dinheiro

    23 de junho de 2017

    Antes de alguém pensar em ficar rico, se faz necessário preciso organizar-se financeiramente para conseguir pelo menos fechar o mês no azul. Neste post será possível ver dicas de como fazer isso. Quem consegue se organizar financeiramente sabe que é possível pelo menos fechar o mês no azul. É um processo difícil para muitas pessoas, mas está longe de ser impossível.

    Os 10 direitos do consumidor que você provavelmente não conhece

    Saiba o que fazer para deixar o descontrole financeiro para trás

    A maioria das pessoas peca na falta de planejamento: escolhem a data errada de vencimento das contas, fazem dívidas parceladas ou compram bens de alto valor em um momento ruim. E aí, se desesperam quando veem que já atingiram determinada idade e não possuem patrimônio. Perdeu o controle do orçamento? Saiba com o Just Online o que é consolidação de dívidas e como ela ajuda na organização financeira Patrocinado 

    Mas, calma, para tudo há uma solução. A Exame separou 10 vídeos de finanças pessoais que dão dicas de ouro para quem quer deixar o descontrole financeiro para trás e ter dinheiro.  Confira.

    1) Como escolher a melhor data de vencimento das contas?

    2) O que eu preciso fazer para renegociar minhas dívidas?

    3) Não tenho patrimônio. O que será dos meus filhos?

    4) Vou me casar. Como ficam minhas finanças?

    5) Como investir com o salário de um estagiário?

    6) Vale a pena reinvestir os lucros da minha aplicação?

    7) Compro uma casa ou invisto no Tesouro Direto?

    8) Devo me desesperar se não financiei um imóvel até os 30 anos?

    9) Qual a melhor forma de me planejar para comprar um carro?

    10) Quando vale a pena parcelar a compra?

    fonte de consulta: exame.abril.com.br/seu-dinheiro/10-dicas-de-ouro-para-quem-quer-ter-dinheiro

    Até o próximo post.

    Geral

    Hábitos que atrapalham sua vida na hora de construir riqueza

    8 de dezembro de 2016

    O jeito como você administra seu dinheiro é essencial para você chegar onde deseja. Os seus hábitos financeiros podem tornar você rico, entretanto, a forma como você administra seu dinheiro é crucial para chegar onde se queira.

    Certas manias que a pessoa tem diariamente podem estar impedindo que alcance a riqueza – sem que ela perceba isto. Sendo assim, o planejador financeiro Tom Corley escreveu no Business Insider alguns tipos de hábitos que são destrutivos para sua vida financeira e que você pode eliminar.

    hamptons outdoor party evening

    My 5-year study of rich and poor people found 4 types of habits that will keep you from getting rich

    Veja a seguir:

    Desperdício de tempo

    Por mais que soe como clichê, ainda assim é verdade: tempo é dinheiro. Os ricos compreendem isso. Todo tempo que você gasta à toa poderia estar sendo usado a fim de agregar conhecimento e buscar formas de enriquecer.

    Passar horas na internet navegando nas redes sociais, gastar muito tempo assistindo programas na televisão que não contribuem em nada, ou fazer leituras apenas sobre entretenimento são formas de despediçar seu tempo. As pessoas ricas fazem o tempo valer a pena.

    Horas na internet olhando redes sociais se transformam em leituras de biografias de pessoas bem-sucedidas e livros de educação financeira, por exemplo. Claro que você pode acompanhar suas redes sociais, mas de forma moderada dando a devida importância para cada coisa em sua vida.

    Não controlar suas finanças

    É muito importante monitorar seus gastos. Os ricos sabem exatamente o destino de sua riqueza. O dinheiro vai embora muito fácil se você não souber direcioná-lo. Se você não tem dinheiro sobrando deve ter ainda mais controle sobre ele, para usá-lo da melhor forma possível. Um orçamento é essencial para organizar seu consumo, para não comprar nada por impulso, nem gastar demais com coisas que não são necessárias no momento. E é claro para não se afundar em dívidas.

    Não economizar seu dinheiro

    Poupar seu dinheiro é crucial para alcançar a riqueza. Os ricos sabem poupar sua renda, a fim de manterem todo seu patrimônio. Mesmo se você tiver um orçamento justo, vale o esforço para economizar parte da sua renda. Não se esqueça que o dinheiro é um meio e não fim, sempre deve haver uma finalidade.

    Guardar seu dinheiro significa não gastar, mas também fazer seu dinheiro render colocando em investimentos adequados a seu perfil, por exemplo. Se você deseja ser rico faça seu dinheiro trabalhar para você. Construir sua riqueza leva tempo, não acontece do dia para noite. Quanto antes você mudar seus hábitos, mais cedo você começa a caminhar rumo a riqueza.

    Tentar ganhar dinheiro por meio de jogos

    Jogos não podem ser um plano de enriquecimento. Tudo depende da sorte, e você não pode apostar sua vida financeira na sorte. Se você organizar suas finanças, montar um orçamento, um planejamento para segui-lo e ter paciência é bem possível que você acumule dinheiro e alcance a riqueza, sem precisar apostar seu dinheiro.

    Geral

    Sinais que você está rico, mesmo que não se sinta assim

    8 de novembro de 2016

    7 signs you’re rich, even if it doesn’t feel like it

    wealthy woman smiling

    Hoje em dia para muitos a expressão ser rico pode ser tão subjetiva quanto ser feliz, por que cada pessoa pode ter uma definição diferente e desejos igualmente distintos de como gastar ou acumular o próprio dinheiro.
    A riqueza é algo relativo. Talvez ser rico para você seja ganhar um salário altíssimo, ser capaz de comprar a mansão dos sonhos ou ainda passar a vida viajando. Os indivíduos podem ter uma definição diferente e desejos igualmente distintos de como gastar ou acumular o dinheiro.
    Entretanto, conforme a blogueira/investidora e economista Kristin Addis relatou ao Business Insider existem alguns indicadores universais de riqueza, que não dependem apenas da quantidade de dinheiro que você possui ou como você enxerga o conceito de ser rico.

    Veja abaixo o que ela relatou e veja se você está no caminho certo:

    – Você consegue viver confortavelmente dentro do seu orçamento

    Viver dentro dos seus meios é um dos princípios cruciais da gestão financeira responsável: gastar menos do que ganha, não importando quanto seja.

    Não exceder o seu orçamento pode não soar como um grande negócio se você já está fazendo isso. Mas nem todos conseguem manter uma vida financeira estável. Parece simples seguir esse conselho em teoria, mas administrar a vida financeira de forma eficaz pode ser difícil. Então, se você é capaz de viver com a sua renda tranquilamente, já é um sinal de que está no caminho certo.

    – Você consegue guardar dinheiro

    “A maioria das pessoas falha quando se trata desse quesito. A vida financeira não é apenas sobre quanto você ganha. É sobre o quanto dinheiro você guarda”, afirmou Robert Kiyosaki em seu livro “Pai Rico, Pai Pobre”.

    A má administração do dinheiro pode levar sua vida financeira ladeira abaixo, não importa o tamanho da sua conta corrente. Se você consegue poupar uma parte do que ganha constantemente, então já está no caminho da riqueza, por mais que não seja uma quantia grande.

    – Dinheiro não é tudo para você

    Um estudo feito sobre os milionários, desenvolvido pelo consultor financeiro Thomas Corley, mostra que aquelas pessoas que consideramos ricas chegaram onde estão também por não focar apenas no dinheiro e no que ele proporciona, mas por seguir uma paixão, arriscar em um novo negócio ou tentar alternativas novas tanto quanto for possível.

    Claro que isso não significa que você não pode ser feliz ganhando um salário considerável ou você não pode estar animado com o rendimento dos seus investimentos, mas o dinheiro não deve ser o motivador principal ou sua fonte de alegria. Se você pode se concentrar em outra coisa que não apenas o dinheiro, você está caminhando na direção certa e ficar rico será a consequência.

    – Você vê o dinheiro como um aliado

    “A maioria das pessoas têm uma relação disfuncional com o dinheiro”, afirmou o milionário Steve Siebold. “Somos ensinados que o dinheiro é escasso. Mas se você quiser começar a ganhar dinheiro pense nele sempre como aliado para conseguir atingir objetivos e não inimigo, por mais difícil que seja mantê-lo”, explica.

    A razão pela qual as pessoas ricas ganham mais e mais é porque elas não têm medo de admitir que o dinheiro pode resolver a maioria dos problemas. O dinheiro deve ser uma ferramenta para você conseguir o que deseja na vida – se você tiver esse pensamento estará no caminho certo para a riqueza.

    – Você consegue eventualmente comprar aquilo que você realmente deseja

    Se você consegue, mesmo que de vez em quando, comprar algum produto que deseja muito, você tem chances de ser rico. Poupar o dinheiro e administrá-lo de uma forma ordenada a fim de atingir um objetivo – no caso a aquisição de um produto – é crucial para lidar com a sua riqueza.

    A sensação é de que os ricos podem comprar qualquer coisa a qualquer momento, mas se manter uma organização financeira você também pode comprar o que quiser mesmo que demore algum tempo e estará apto a ter uma vida financeira estável.

    Até mais.

    Geral

    Conheça situações que podem prejudicar suas finanças e como evitá-las

    21 de Maio de 2016

    Conheça algumas situações que podem prejudicar suas finanças e saiba como evitá-las. Os hábitos virtuosos na vida financeira tem a força de mudar fortemente a qualidade de vida das pessoas no presente e no futuro. A tarefa de organizar as finanças pode ser difícil, uma vez que a capacidade de análise de muitas pessoas é limitada neste aspecto.

    Alguns passos de um planejamento financeiro de sucesso estão em poupar, definir objetivos e escolher os melhores instrumentos de investimento de acordo com as próprias necessidades. Por exemplo, fazer um orçamento é libertador e um bom hábito, logo bons hábitos viram virtudes.

    Confira abaixo certas situações que minam os bons hábitos financeiros. Veja qual é o seu perfil e como assumir o controle do seu orçamento:

    • Você está empregado, ganha razoavelmente bem, mas não consegue poupar
    • A primeira cena típica de desordem financeira é quando uma pessoa tem um trabalho, um salário razoável e mesmo assim não consegue guardar dinheiro. Neste primeiro exemplo, um jovem que ainda mora com os pais. Seus parentes, preocupados com o desprendimento do filho em relação às reservas futuras, resolvem ter uma conversa. No entanto, esse bate-papo em família não resulta numa conscientização por parte do jovem. As justificativas dele incluem afirmações como: “não se preocupem, quando eu estiver pensando em casar, vou parar de sair tanto e começar a guardar um pouco do meu salário”, ou “Tenho muita coisa para curtir até lá e não sei se fará tanta diferença na minha vida se eu não guardar dinheiro nos próximos anos”.

      Esse comportamento do jovem mostra sinais muito comuns de crença infundada na capacidade de auto-controle futuro. Afinal, quem disse que quando ele estiver às vésperas de se casar, ele guardará dinheiro? Se ele não tem o hábito de fazer isso hoje, por que terá o hábito de fazer amanhã?. Além disso, há uma escolha intertemporal míope, que significa que o jovem está olhando apenas para o momento presente, sem preocupações com o futuro. Ele optou pela gratificação imediata, sem considerar possíveis gratificações futuras.

    • Quando você cria um orçamento gigante
    • Outro entrave visto em finanças pessoais é a criação de um orçamento muito pesado. Para exemplificar, a história de um casal de 48 e 50 anos. Eles têm dois filhos estudando no exterior, possuem um bom apartamento próprio, dois carros e quase nenhuma reserva guardada. Até agora, os salários os dois têm sido suficientes para assumir todos os compromissos da família, mas a esposa anda preocupada sobre a sustentabilidade dessas contas e tentado, sem sucesso, conversar com o marido sobre ajustes para começar a guardar algum dinheiro para a aposentadoria. Em contrapartida, o marido tem usado como justificativas para não economizar falas como “deveríamos ter começado a poupar quando éramos mais jovens”, “agora, com as despesas que temos, não vai dar para guardar quase nada, a não ser que nossos filhos deixem de estudar no exterior” ou “será que vale a pena nos sacrificarmos agora, já perdemos o tempo certo”.

      De acordo especialistas, essa postura é chamada de falácia dos custos incorridos, ou seja, já que eu não fiz no passado, não farei agora. O que as águas passadas tem a ver com o futuro? A pessoa fica presa nisso, principalmente nessa faixa etária. Fica alerta de que uma decisão equivocada no passado tem um peso muito grande sobre as decisões no presente e o fracasso de ter “falhado” antes atrapalha. As pessoas costumam criar orçamentos pesadíssimos e, mesmo assim, não reprogramam seus hábitos para poupar, mesmo vendo que estão rumo a uma situação arriscada, do ponto de vista de assumir todos os seus compromissos, no presente e no futuro.

    • Gastando sua reserva de emergência
    • Uma terceira situação ocorre quando uma pessoa está preocupada com o emprego e possui reservas equivalentes a seis meses de suas despesas mensais para emergências, mas está vendo que sua situação está complicada e que existem chances de que ela perca o emprego. Quatro meses depois, essa mesma pessoa resolve trocar de carro, utilizando praticamente toda sua reserva e pegando um pequeno financiamento. As justificativas desse investidor são as seguintes: “era pouco dinheiro mesmo”, “meu carro antigo já estava muito velho” e “a oferta foi imbatível, valeu a pena”. Nesse caso a pessoa escolheu observar apenas o lado positivo de sua ação e desprezou os riscos. Novamente, num escolha intertemporal; ela escolheu o presente, uma gratificação imediata, ao invés do futuro.

    • Na aposentadoria
    • O momento da aposentadoria costuma trazer desafios para o orçamento doméstico, geralmente pressionado por rendas bem menores. Como exemplo a história de um casal de aposentados há dez anos, com rendimentos modestos, mas que vivem num apartamento de quatro quartos, com um condomínio bastante alto. O casal havia combinado de se mudar para um local menor depois que os três filhos saíssem de casa. Os filhos saíram, mas eles ainda não tomaram a iniciativa de procurar um novo lar. O marido vem tentando convencer a mulher a retomar esses planos, mas ela usa como desculpa argumentos como: “sempre morei num apartamento deste tamanho e não vou me acostumar num menor”, “acho que agora só apareceu um comprador porque o preço está muito baixo”, “o apartamento vale muito mais” e “não gostei daquele rapaz que fez a avaliação”.

      Nesse exemplo o principal viés apontado é o da ancoragem, tomar como ponto de referência uma situação ou informação passada, fixar uma ideia irrelevante para uma decisão no presente. Também verifica-se um “efeito posse” nesse quadro, a esposa atribui muito mais valor ao que é dela. A professora compara a força do chamado efeito posse com um test-drive, por exemplo, em que durante o teste o possível comprador já se sente dono do bem e acaba seduzido.

    • Escolhas de investimentos e aversão à perda
    • Nesse estágio, o poupador já atua como investidor esclarecido, mas é traído por suas fortes convicções. Planejadores financeiros usam como exemplo a pessoa que cria suas próprias estratégias, “sempre que determinada ação sobe até certo percentual, ele vende o papel, mas quando esse papel cai, o investidor segura a ação ou até compra mais para fazer preço médio”. Como justificativa a pessoa usa pensamentos como: “quando estou ganhando, vendo mesmo, sou ganancioso” e “acredito muito nas empresas que escolho, se está caindo não acho que vale a pena vender, prefiro comprar mais”.

      Na visão de especialistas, por trás dessas explicações está a aversão à perda. Toda vez que se está ganhando, há o medo de perder e a pessoa realiza rapidamente o lucro, porém quando se está perdendo, o medo de perder mais é tão grande que a pessoa aguenta o prejuízo ou aumenta a aposta de risco. O viés dessas pessoas é chamado de atribuição, no qual elas acham que o sucesso dependia dela; quando é sucesso é competência, quando é fracasso tem alguém ou alguma coisa que está fazendo com que você tenha insucesso. Cuidado!

    • Inércia e status quo
    • Por fim a inércia na tomada de decisões sobre investimentos. É quando uma pessoa lembra que precisa falar com o gerente em janeiro para perguntar sobre determinado fundo DI que tem altas taxas de administração e está rendendo muito pouco e esquece. Em fevereiro, ele ainda não falou com o banco. As justificas? “um mês muito corrido”, “até falei com meu gerente que me apresentou outras opções de investimentos, mas como precisava de tempo para analisar, deixei a mudança para outro momento”. Especialistas recomendam atenção para esse tipo de comportamento.

    Cédulas de dinheiro
    arenadopavini.com.br/artigos/educacao-financeira/conheca-seis-situacoes-que-podem-prejudicar-suas-financas

    Até o próximo post.

    Geral

    Desempregado: dicas para manter o orçamento de casa em dia

    25 de Fevereiro de 2016

    O site AcreAlerta, sim, ele existe e foi um dos primeiros a alertar sobre dos diversos esquemas de pirâmides que inundaram o Brasil, entre eles o sublime Telexfree, ou seja, é um portal totalmente altruísta e voltado para ajudar os cidadãos a não caírem numa cilada ou sair de uma situação difícil.

    Bem, voltando ao assunto desemprego, algo mais do que comum hoje em dia com esta forte crise financeira criada pelos nossos desgovernantes nos últimos 13 anos, pense na seguinte situação, ficou desempregado hoje, por quanto tempo conseguiria manter sua vida sem precisar pegar dinheiro emprestados nos bancos e financeiras?

    Conforme especialistas, o ideal seria manter uma reserva de emergência que cubra pelo menos seis meses de todos as suas despesas e da sua família. Caso você ainda não tomou nenhuma atitude com relação a isso, fique sabendo que o aumento na taxa de desemprego, a qual chegou ao maior nível em oito anos no mês de outubro/2015, a perspectiva de agravamento da recessão e o aumento da inflação devem motivá-lo a iniciar uma avaliação de suas finanças neste momento.

    Confira as dicas de especialistas em finanças e planejadores financeiro a seguir:

    casal-jovem-endividado-dividas-familia-endividamento-desemprego-dinheiro-economia-financas-orcamento

    1. Saiba quanto ganha e quanto gasta
    2. Levante todos os gastos mensais, pequenos e grandes (cafezinho, transporte, lazer, comida, casa própria e outras prestações).

    3. Faça faxina financeira
    4. Defina o que é prioridade e reduza ou elimine gastos como TV a cabo, celular, baladas, restaurantes.

    5. Pense mais antes de decisões financeiras
    6. Em tempos de crise, as consequências de decisões erradas são mais duras. “Quando o dinheiro está sobrando, mesmo que tropece, você consegue consertar sem se apertar muito. Mas, quando o dinheiro falta, isso não é mais possível”, diz Police.

    7. Evite “comprar despesas”
    8. Quando compramos um almoço, comemos, pagamos e acabou a despesa. Mas há coisas que continuam gastando. Exemplo: um pacote de telefonia celular ou TV por assinatura.

    9. Evite tomar dinheiro emprestado
    10. Além de não saber se terá dinheiro no futuro para pagar, os juros tendem a subir.

    11. Crie reserva emergencial com a rescisão
    12. Guarde fundo de garantia, seguro-desemprego e demais verbas recebidas, pois é preciso pagar as despesas mensais e investir em algum curso para retomar a carreira. Só use o dinheiro após estabelecer uma estratégia, afirma Domingos.

    13. Não use o FGTS para quitar dívidas
    14. Não use o FGTS para quitar todas as dívidas de uma vez. Continue pagando as prestações aos poucos, para não ficar sem dinheiro que cubra eventuais despesas no futuro.

    15. Evite cartão de crédito e cheque especial
    16. Não utilize cartões de crédito, cheque especial ou cartão de lojas, pois os juros são muito altos. Se precisar de empréstimos, avalie outras linhas de crédito, como crédito pessoal ou refinanciamento de veículos.

    17. Mude seu padrão de vida
    18. Aceite que a situação mudou e não viva de aparências, que podem levar ao superendividamento.

    19. Busque fontes alternativas de ganhos
    20. Por mais distante que esteja de sua área de atuação, é hora de procurar um trabalho que garanta um mínimo de renda. Faça bicos, use a criatividade.

    21. Renegocie dívidas

    Enfim, não aguarde a situação piorar. Procure os seus credores, informe que perdeu o emprego e renegocie as dívidas buscando juros menores e prazos maiores de pagamento.
    acrealerta.com/negocios/categoria/comercio/perdeu-o-emprego-11-dicas-para-manter-o-orçamento-de-casa-em-dia.html

    Leia também:

    E-book: 49 dicas de economia doméstica

    Até o próximo post.