‘Gastos’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: gastos

    Geral

    Business Insider: 6 gastos que você não deve cortar

    25 de junho de 2018

    6 gastos que você não deve cortar, segundo especialista em finanças
    6 things people who are good with money always splurge on

    Claro que parar de gastar em excesso é o primeiro passo para conquistar a estabilidade e a independência financeira, porém como se faz para calcular o excesso?
    Uma especialista em gestão financeira e estudiosa de cases relacionados a boas práticas em finanças pessoais, Kimberly Palmer, explicou isto no portal de finanças Business Insider. Após estudar o hábito de pessoas bem-sucedidas financeiramente, a especialista listou 6 produtos e serviços que devem ser mantidos no orçamento mensal – ou, ao menos, não devem ser os primeiros a sair em momentos de aperto.

    Veja a lista a seguir:

    1. Produtos que podem gerar mais renda
    2. Esta é uma gama relativamente ampla de produtos, que inclui, por exemplo, um conjunto de peças de roupas arrumado para entrevistas de emprego ou primeiro dia após a contratação. Dependendo da profissão, um carro funciona da mesma maneira.
      Um bom computador também faz parte desta lista: ganhar dinheiro extra pela internet nunca foi tão comum, e ter uma máquina velha e inoperante pode travar essa possibilidade.

    3. Experiências
    4. Yoga, treinamento funcional e outras atividades que oferecem saúde e energia não devem ser negligenciadas nos gastos mensais.

    5. Serviços que economizam tempo
    6. Muitas vezes, ter tempo para realizar tarefas é mais importante do que economizar dinheiro. Pedir delivery de supermercado, por exemplo, ou mandar as roupas para a lavanderia, pode economizar horas valiosas do dia de um profissional autônomo – ou mesmo de alguém cuja rotina demanda descanso. “A melhor coisa que você pode fazer com dinheiro é liberar tempo”, diz a especialista.

    7. Cartões com programas de fidelidade
    8. Mesmo com altas taxas de manutenção, cartões de crédito com bons programas de fidelidade e milhas podem ser interessantes para clientes fiéis que realmente utilizam estes benefícios. Não vale necessariamente para todos, mas a especialista indica àqueles que viajam muito ou gastam o suficiente para trocar pontos por bons produtos no fim do mês.

    9. Utensílios de cozinha de alta qualidade
    10. Comer em casa sempre será mais barato do que gastar em restaurantes. Por isso, Palmer acredita que gastar em bons jogos de panelas ou até mesmo uma máquina de café pode ser um investimento.

    11. Pequenos prazeres
    12. Desde que bem selecionados, gastos com objetos que dão prazer são importantes. Para quem ama fotografia, comprar uma boa câmera não é jogar dinheiro fora, por exemplo.

    Veja também:

    Hábitos financeiros aos 30 anos

    Até mais.

    Convidados

    Menos despesas entre outras razões para usar a mesma roupa todos os dias

    14 de junho de 2018

    Veja também:

    Economizar dinheiro com roupas

    Joshua Becker
    Five Reasons To Wear The Same Thing Every Day

    É bem possível que você saiba que Mark Zuckerberg usa as mesmas roupas todos os dias, além de saber que o Steve Jobs fazia o mesmo, qualquer pessoa mais detalhista sabe, porém nem todos entendem os verdadeiros motivos por trás dessa escolha, que tem até um nome: capsule wardrobe (ou guarda-roupa cápsula).
    Alguns adeptos, psicólogos e pesquisadores já cansaram de anunciar motivos para convencer o resto da humanidade a seguir o movimento. Se você ainda está cético, não acredita de forma alguma, veja a seguir 9 destes motivos:

    Menos despesas

    Em 1930, as muheres possuíam, em média, 9 roupas. Hoje, o mesmo número é 30. Não é preciso dizer que o segundo cenário custa mais dinheiro.

    Menos decisões

    Existe na psicologia algo chamado “decision fatigue”, ou fadiga referente à tomada de decisões. Segundo estudos, a qualidade das decisões tomadas por um indivíduo é prejudicada após uma longa sessão de escolhas. Muitas vezes, a rotina no trabalho, estudo ou qualquer área da vida requer fazer escolhas ao longo do dia – então escolher a roupa de manhã pode ser uma escolha prejudicial à sua função principal.

    Mais tempo

    Além de passar menos tempo na frente do armário e do espelho de manhã, pessoas que usam sempre o mesmo padrão de vestuário ganham tempo ao não precisar passar longas horas escolhendo o que comprar em lojas.

    Menos estresse

    “Será que essa roupa é formal demais? Curta demais? Vai me fazer passar calor?”. Todas essas perguntas geram ansiedade. Dispense.

    Mais energia

    Uma diversidade de roupas requer tipos diferentes de manutenção, maior organização no guarda-roupa e, provavelmente, mais roupa suja. Tudo isso gasta muita energia.

    Bem-estar

    Pessoas cujas roupas são sempre as mesmas tendem a estar constantemente satisfeitas com sua aparência. Isso aumenta o nível de bem-estar.

    Organização

    Armários menores e mais organizados abrem espaço para outras prioridades em um lar.

    Paz

    A atriz Drew Barrymore escreveu um artigo sobre como sua relação com roupas mudou, principalmente após ter filhos. Após adotar a filosofia do minimalismo, conseguiu chegar em um equilíbrio: sua moda agora é “mais calma e pacífica”
    Invista o dinheiro que economizou comprando menos roupas. Abra uma conta na XP.

    Imagem icônica

    Ter um “uniforme” cria coerência. Alice Gregory, escritora, definiu seu estilo ‘encapsulado’ como “icônico”. Para ela, a sensação é de maturidade, uma “maneira barata de sentir-se famosa”.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Dicas: 6 passos para gastar menos do que ganha, não importa o seu salário

    12 de julho de 2017

    Quando existem metas bem definidas, poupar não se torna um martírio e sim um estilo de vida, o qual levará a muito mais realizações pessoais e conquistas !

    CONSUMIR TALVEZ, POUPAR SIM E INVESTIR COM CERTEZA!

    Gastar menos do que se ganha parece uma tarefa simples, mas exige mudanças comportamentais imediatas para que não falte dinheiro no decorrer do mês e, ainda, uma parte seja separada para investir.
    O presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos, dá cinco dicas para começar a organizar o orçamento para gastar menos do que a renda mensal e programar investimentos.

    Maneiras para eliminar gastos desnecessários com seu dinheiro

    Confira:

    1) Analise os pequenos gastos

    É importante ficar atento aos pequenos gastos. Despesas e compras feitas de forma desordenada acabam se tornando grandes ralos por onde escoam as economias. Em média, 25% dos gastos mensais são supérfluos e/ou desnecessários, de acordo com o educador financeiro. “As pessoas sempre dizem que não têm mais de onde reduzir os gastos, mas, ao fazer uma boa análise, observam que é possível”, acrescenta.

    Dicas: 6 passos para gastar menos do que ganha, não importa o seu salário

    2) Reveja seu padrão de vida

    Se as contas não estão fechando, é hora de repensar totalmente as suas finanças e repensar o seu padrão de vida. Cortar gastos é uma atitude necessária para ganhar fôlego. “Pode parecer difícil, mas é fundamental observar que não é sustentável viver uma realidade que não é a sua”, afirma Domingos.

    3) Faça um diagnóstico financeiro

    Para identificar os gastos extras é preciso fazer um diagnóstico da vida financeira por 30 dias, anotando tudo o que gasta, separando por tipo de despesa, incluindo cafezinhos e gorjetas. Assim, verá uma realidade muito diferente da que imagina.

    “Ressalto que não se deve virar escravo dessa anotação, pois, quando vira rotina, perde a eficácia”, afirma o educador financeiro.

    4) Priorize seus sonhos

    Muitas pessoas deixam para poupar para os seus objetivos quando – e se – sobrar algum dinheiro no final do mês. Se estiver fazendo dessa forma, dificilmente conseguirá conquistar seus sonhos no momento planejado.

    “Recomendo que, a partir de agora, mude o modelo mental relacionado a forma de fazer um orçamento financeiro. É chegada a hora de priorizar aquilo que realmente importa, os sonhos e as metas pessoais e familiares”, aconselha Domingos. Para colher resultados diferentes é preciso agir diferente, mudar atitudes e hábitos.

    5) Pense no curto, médio e longo prazo

    É importante que tenha pelo menos três sonhos ao mesmo tempo: um de curto prazo (a ser realizado em 2017 – ou nos próximos 12 meses – para adultos e no próximo mês para crianças), outro de médio prazo (entre um e 10 anos para adultos e entre um e seis meses para crianças) e um de longo prazo (a ser realizado a partir de 10 anos para adultos e a partir de seis meses para crianças).

    “Veja que é muito mais uma questão de mudança de comportamento do que saber fazer contas ou ter que se privar de algo. Quando temos metas bem definidas em nossas vidas, poupar não se torna um martírio e sim um estilo de vida, que levará a muito mais realizações e conquistas”, afirma o educador financeiro.

    6) Pratique um orçamento diferente

    Observe como funciona o seu orçamento hoje. A maioria das pessoas faz a seguinte conta: ganhos (-) gastos = lucro/prejuízo. “Não adianta esperar que, assim, sobre algum dinheiro ao final do mês para poupar”. As pessoas têm a tendência de gastar enquanto tiver dinheiro. É natural, mas é algo que tende a levar à frustração por não conseguir realizar os sonhos.

    O especialista apresenta um novo cálculo: ganhos (-) sonhos (-) gastos. Dessa forma, não há lucro ou prejuízo, as contas batem e você estará priorizando seus objetivos e ajustando seu padrão de vida ao valor que sobrar.

    Para isso, logo que receber o salário, já se deve retirar a quantia mensal necessária para a realização do sonho, colocando esse dinheiro na melhor opção de investimento de acordo com o prazo desse objetivo.
    fonte de consulta: infomoney.com.br/onde-investir/noticia/6787587/passos-para-gastar-menos-que-ganha-nao-importa-seu-salario
    Pesquisa Anbima: Existem 5 jeitos de lidar com dinheiro

    Até o próximo post.

    Geral

    Pesquisa Anbima: Existem 5 jeitos de lidar com dinheiro

    11 de maio de 2017

    O mote principal da pesquisa conduzida pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) foi entender a trajetória das pessoas para compreender suas relações com o universo financeiro.

    Este estudo foi feito com mais de 400 pessoas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife ao longo de quatro meses, sendo que identificou os cinco perfis mais comuns que explicam o relacionamento dos indivíduos com o dinheiro. Do total de pesquisados, 25 pessoas foram acompanhadas durante um dia inteiro para entender sua vida e suas relações. O mote principal foi entender a trajetória das pessoas para depois compreender suas relações com o universo financeiro.

    homem-no-financeiro

    “O relacionamento com dinheiro é apenas mais um desdobramento da vida das pessoas. Para saber porque poupamos pouco, temos que entender quem somos”, afirma Aquiles Mosca, presidente do Comitê de Educação de Investidores da Anbima.
    Os cinco perfis aparecem em todas as classes sociais.

    Veja abaixo cada um deles:

    Despreocupado

    São pessoas com especial prazer na fluidez dos acontecimentos da vida e nas possibilidades que ela pode trazer. Sua personalidade é muito ligada aos estímulos externos e às pessoas que o cercam. Isso faz com que o despreocupado não se planeje nem se comprometa muito seriamente com nada, pois exigiria um foco e um horizonte mais estreito – para conseguir algo seria necessário abrir mão de outras coisas.

    Por outro lado, as pessoas desse perfil são muito competentes em aproveitar as oportunidades que aparecem à sua frente. Não está atento ao que acontece com seu dinheiro e isso fatalmente será um problema na sua vida. Porém, quando está em situação difícil o despreocupado não se desespera: sempre dá um jeito de superar um desfalque financeiro, por exemplo, conseguindo algum dinheiro emprestado ou doado. A relação do despreocupado com o dinheiro é fugaz – assim como ele entra, sai.

    Camaleão

    É aquele que aceita as coisas como são, adapta-se ao mundo em vez de fazer sua vontade vencer. Muitas vezes sente-se oprimido pelas dificuldades e pelas poucas oportunidades que chegam até ele, mas segue levando a vida. Ao aceitar as situações sem muito ânimo de modificá-las, tem como consolo saber que, apesar das dificuldades, ele consegue realizar aquelas coisas que são realmente importantes para ele.

    O segredo do camaleão para viver relativamente bem com pouco é ter a sua realização pessoal naquilo que é mais cotidiano, natural, e que exige pouco esforço financeiro. Costuma valorizar os prazeres simples: se tem o suficiente para um chopp com os amigos no final de semana, está tudo bem.

    Entre esses prazeres estão também as coisas mais intangíveis, pouco relacionadas com dinheiro: festas em casa com amigos, atividades ligadas a experiências físicas e/ou intelectuais. Nunca tem dinheiro para qualquer necessidade ou desejo extra, mas ele lida bem com os limites e, em vez de contorná-los, simplesmente adapta-se a eles.

    O dinheiro é algo bastante fugaz na sua vida, passa por ele rapidamente e logo é destinado a pagamentos de dívidas. Mas ele é criterioso: para ele todo dinheiro é dinheiro e o pouco rende “muito” na sua mão.

    Construtor

    O mais disciplinado dos perfis, o construtor gosta de ter sempre o controle da situação. Não se arrisca, prefere se sentir seguro em todas as situações. Ele desenvolve uma relação interessante com os limites que encontra pela vida, não se intimidando nunca por eles. Mas isso não significa que ele chega a desafiá-los; simplesmente batalha muito para realizar o que quer e acaba conseguindo, mas sempre pouco a pouco, com parcimônia.

    Costuma ter humildade e a persistência envolvida em suas realizações é o que confere valor a elas. Conquistar algo sem esforço não está nos seus planos, pois nesse caso ele seria privado de grande parte do prazer da conquista. Portanto, para o construtor, o esforço é parte intrínseca do valor do dinheiro, algo que imprime ainda mais importância à soma acumulada.

    O construtor tem muito orgulho de sua capacidade de organização e acaba sendo aquele a quem todos recorrem financeiramente. As pessoas com esse perfil dispensam grandes estratégias e ferramentas financeiras, pois cuidam do dinheiro dia após dia, em pequenas quantidades, mas de forma consistente.

    Sonhador

    Como o nome já diz, é movido por sonhos. Ele é impulsionado por uma grande força narcísica: uma ideia ou um plano que ele pensou e que acredita que lhe trará reconhecimento de todos à sua volta quando realizado. Tem uma mente inquieta, está sempre pensando em uma nova oportunidade de investir em algo, empreender, e é muito ligado nas oportunidades.

    Para este perfil o significado e o prazer proporcionado pelas coisas que faz – investimentos em negócios ou em si mesmo, como cursos, aquisições, etc – são muito importantes. Seus sonhos são sempre construídos em cima de valores e fortes crenças pessoais e por isso o sonhador é resiliente – mesmo quando seus planos não saem como esperado ele permanece orgulhoso, otimista e acreditando no futuro.

    O excesso de confiança no sonhador alimenta a ideia de que o universo conspira a seu favor, fazendo com que ele se comporte impulsivamente e “se jogue”. Para ele “qualquer quantia não é dinheiro” e muitas vezes perde oportunidade de construir uma poupança por acreditar que é inútil se preocupar com os pequenos valores que circulam no dia a dia.

    Planejador

    São pessoas pragmáticas, que vivem plenamente na realidade e sabem lidar bem com ela, o que faz deles indivíduos muito competentes no que se propõe a realizar. O planejador não se assusta nem se irrita com limitações, muito pelo contrário. Movido por desafios, consegue realizar o que deseja, apesar das limitações impostas pela vida, contornando ou ultrapassando aquilo que encontra pelo caminho.

    Ele é muito seguro de sua capacidade de organização e realização e confia na sua alta racionalidade. As metas são fundamentais para este perfil. O planejador costuma estipular para si mesmo objetivos a serem cumpridos em um tempo determinado e frequentemente isso o estimula a seguir em frente e crescer.

    Independentemente de sua classe social, o planejador é, em geral, alguém muito bem-sucedido em seu negócio, investimento ou trabalho. Quando sua renda é maior ele tende a saber mais sobre mercado financeiro e utiliza esses serviços para fazer o seu dinheiro crescer.

    Até mais.

    Geral

    Maneiras para eliminar gastos desnecessários com seu dinheiro

    6 de maio de 2016

    As pessoas que conseguem deixar de gastar com coisas fúteis tem um dos principais caminhos para uma vida financeira mais tranquila. É algo retórico, mas as pessoas costumam saber que é importante poupar para a aposentadoria. Guardar recursos para investir para o futuro envolve sacrifícios e tomar decisões responsáveis. Desta forma o site Business Insider, através do artigo How to stop spending money mindlessly da colunista Amanda Dixon, listou 7 maneiras para não gastar mais o dinheiro de maneira irresponsável. Confira a seguir:

    – Pague com dinheiro;
    – Descubra onde está desperdiçando dinheiro;
    – Peça para alguém ajudar na contabilidade;
    – Não compre tudo pela quantidade;
    – Não vá às compras sem uma lista;
    – Planeje suas refeições;
    – Pense bem sobre grandes compras;

    Outros detalhes a seguir:

    Infomoney: Veja 7 maneiras para eliminar gastos desnecessários com seu dinheiro agora
    Veja 7 maneiras para eliminar gastos desnecessários com seu dinheiro agora

    Até mais.

    Convidados

    CONSUMIR TALVEZ, POUPAR SIM E INVESTIR COM CERTEZA!

    2 de fevereiro de 2016

    Infelizmente a frase acima não reflete a postura da maioria dos brasileiros. É bem sabido que atualmente vivemos a famosa sociedade de consumo. Priorizamos o hoje e nos satisfazemos gastando imediatamente tudo o que ganhamos.

    Um homem com celular e computador trabalhando na praia

    Adquirir conhecimentos, através da educação financeira, de maneira a proporcionar aprendizado e assim lidar de forma mais inteligente com as finanças não faz parte do cotidiano da maioria das pessoas. A ideia que se tem é que investir é para uma minoria de privilegiados, sendo que cuidar do dinheiro e multiplicá-lo através de bons e adequados investimentos deveria ser tão natural quanto consumir.

    Todos nós sabemos que o país passa por um momento econômico delicado. Crise, desemprego, escândalos geram dúvidas e incertezas e o que se ouve é: este não é o melhor momento para investir! O medo e principalmente a falta de conhecimento levam a população a pensar dessa forma.

    Urgente é a necessidade de uma mudança de pensamento com consequente mudança no comportamento e relacionamento com o dinheiro. Mas por que isso é necessário? Porque qualidade de vida começa com boa saúde financeira. Todos nós temos sonhos que gostaríamos de realizar: casa própria, carro novo, uma viagem há muito tempo idealizada, ou ainda, a tão sonhada liberdade ou independência financeira, onde poderemos optar por esse ou aquele trabalho levando em conta apenas o prazer que este nos proporcionará.

    Sem contar que todos nós queremos envelhecer com saúde e segurança financeira e sabemos que a aposentadoria do Regime Geral de Previdência (INSS), na maioria das vezes, não é suficiente para suprir nossas necessidades básicas. Nesse sentido, poupar não basta, precisamos de investimentos seguros que remunerem acima da inflação e alavanquem nossos ganhos, multiplicando nosso capital.

    Os que já aprenderam as estratégias e já colheram bons frutos com investimentos, estes estão no caminho certo, no caminho do sucesso financeiro. Aqueles que poupam e guardam algum dinheiro, saibam que é possível e muito acessível ter ganhos maiores, e assim, mais qualidade de vida e bem estar.

    Já aqueles que não possuem uma boa gestão de suas finanças esta é a hora de refletir e fazer diferente. E como isso é possível? Através do aprendizado. Saiba que adquirir conhecimento, aprender a investir e assim investir bem, com eficiência e segurança, tudo isso está à disposição de todos.

    Se após ler este artigo você sentir que é hora de mudar sua maneira de encarar o dinheiro, se quiser aprender a investir, ou ainda, aprimorar seus conhecimentos sobre o tema, entre em contato comigo através do canal Investidor de Sucesso.

    Estarei à disposição.

    Grande abraço!

    Daniela Perussi – Equipe Investidor de Sucesso

    Geral

    Contas de início de ano

    25 de dezembro de 2013

    Um assunto importante em finanças pessoais é o seguinte:
    – As contas de início de ano exigem planejamento!

    Depois das festas de fim de ano, a fatura do cartão de crédito chega a triplicar em relação ao gasto médio do resto do ano de muitas pessoas, as quais costumam tomar um susto com este fato.

    Todo começo de ano concentra inúmeros pagamentos, como compras parceladas de Natal, IPVA, IPTU, além do reajuste de matrículas e mensalidades escolares. Se as dívidas forem inevitáveis, o ideal é quitá-las o mais rápido que se puder. Passado isto, o ideal é conseguir poupar por meio de planejamento do orçamento e entrar no próximo ano seguinte livre dos endividamentos. Vale lembrar que deve-se reduzir os gastos supérfluos é essencial para conseguir quitar o máximo de cobranças, além de poupar durante o ano.

    Veja mais sobre o assunto aqui:
    Contas de início de ano exigem planejamento
    25/12/13 09:41

    Leia também:

    Até o próximo post.

    Geral

    Como economizar dinheiro?

    21 de setembro de 2013

    Alguns tem maneiras até muito exageradas para se economizar dinheiro, como o economista Luis Carlos Ewald( foi o Sr. Dinheiro do Fantástico). Outros tem maneiras mais concisas como a Mara Luquet.
    O mais importante é que as pessoas saibam como economizar o dinheiro que recebem, não gastar tudo o que tem e tomar cuidado para não se afundar em dívidas.
    Abaixo seguem algumas sugestões:

    Até o próximo post.

    Frases

    Pensamento: É impossível multiplicar riqueza dividindo-a

    27 de fevereiro de 2013

    Segue o texto de Adrian Rogers, 1931:

    “Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.”

    Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.
    O professor então disse:
    “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”
    ” Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam ‘justas.'”
    Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém tiraria um zero, mas que ninguém também receberia um “A”…
    Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam “B”. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.
    Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi “D”.

    Ninguém gostou.

    Depois da terceira prova, a média geral foi um “F”.

    As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano… Para sua total surpresa. O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado.

    Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado. “Quando a recompensa é grande”, ele disse, “o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável.”

    “É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a. ”

    Este é apenas um post com pensamento para reflexão. Quem escreve não é contra governo social, mas tem a opinião de é preciso focar em todas as áreas do país e não apenas na área social.
    No Brasil sempre temos governos capengas que só olham para um lado ou poucos lado da moeda.
    Esta nossa social democracia tem saído muito caro para a nação. Pagamos muitos impostos para retorno pífio, principalmente a classe média, esta que não consegue fugir dos impostos.
    Quanto mais social o governo, mais imposto se cobra.
    É preciso ser social com menos gasto. O Brasil precisa ter mais responsabilidade fiscal.
    Ensinar mais a pescar e dar menos o peixe.

    Até o próximo post.

    Geral

    O ano novo começa agora

    18 de fevereiro de 2013

    O ano começou, o carnaval acabou, o trânsito infernal voltou, as aulas voltaram, voltamos à realidade. Conto de fadas só no final de ano, de novo!
    A festa acabou, “the party is over”, “se acabó la fiesta”.

    E chegando novo fim de ano, novas festas, novas compras, novas esperanças, novas férias, o ciclo retorna, o Brasil ficará parado por mais três meses do ano, e depois do próximo carnaval, chegará ano novo de novo, e poderemos lá dizer feliz 2014, como dizemos agora feliz 2013.

    A hora do país crescer mais, produzir, gerar mais empregos, gerar mais inovação é agora ou nunca, ou melhor, pode ficar para o ano que vem também.

    Até o próximo post.