‘Dinheiro’ Articles at Defenda Seu Dinheiro, Page 2

Browsing Tag: dinheiro

    Convidados

    Escolhas financeiras que se tornarão arrependimentos eternos

    14 de dezembro de 2017

    Erros muito comuns e que podem parecer simples, mas têm graves consequências

    As más escolhas financeiras podem ser passageiras ou assombrar seu planejamento pelo resto dos tempos. O site Business Insider consultou especialistas para apontar 5 erros que, quando cometidos, serão lembrados para sempre.

    Veja a seguir:

    1) Ignorar o mercado

    Apenas 3% dos brasileiros adultos investem na bolsa de valores, de acordo com pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O investimento mais popular no Brasil é, com muita folga, a Poupança, com 61%.

    Para os especialistas consultados pelo BI, em vez de temer perder seu dinheiro, as pessoas deveriam se preocupar com a potencial fortuna que a bolsa pode trazer. Um portfólio balanceado, com o tempo, trará rendimentos positivos quase invariavelmente.

    2) Não ter um fundo de emergência

    Emergências acontecem, é impossível fugir disso. Ignorar os potenciais problemas, como carro quebrado, problemas médicos ou quaisquer outros, pode ser absolutamente desastroso. Por isso, é essencial manter sempre um fundo de emergências bem recheado disponível. Especialistas sugerem manter guardado dinheiro suficiente para manter seus gastos por três a seis meses.

    3) Postergar o pagamento de dívidas

    Ignorar dívidas, de empréstimos a hipotecas, só fará com que elas fiquem cada vez piores. Quando for necessário escolher, o ideal é quitar as maiores, com juros mais pesados, em primeiro lugar.

    4) Não pedir aumento

    Segundo pesquisas realizadas nos EUA, deixar de solicitar um aumento, principalmente no início da carreira, pode custar US$ 1 milhão durante toda a vida de uma pessoa. Entenda o valor do seu trabalho e, quando sentir que é a hora, não deixe de dizer.

    5) Gastar muito

    Pode parecer óbvio, mas gastar demais ainda é um problema que assola a maioria das pessoas. Quem gasta tudo o que ganha não consegue seguir a maioria das outras dicas aqui descritas – e é extremamente comum que as pessoas gastem ainda mais do que recebem mensalmente. Sempre reserve parte do seu salário antes de começar a gastar – e não apenas o que “sobrar”.
    fonte: 10 Decisions You Would Regret For The Rest Of Your Life

    Até mais.

    Convidados

    Pessoa de 28 anos ganha mais de $ 100.000 por mês, blogando e viajando em tempo integral

    8 de dezembro de 2017

    Michelle Schroeder-Gardner regularly earns over $100,000 a month blogging

    Uma Jovem de 28 anos ganha US$ 100 mil por mês com blog de finanças, o qual tinha como objetivo monitorar as finanças da jovem, para que pudesse pagar os empréstimos estudantis.

    Depois de obter dois diplomas de graduação e um mestrado em finanças, Michelle Schroeder-Gardner acumulou uma dívida de empréstimos estudantis de US$ 38 mil, cerca de R$ 123 mil. No entanto, ela conseguiu pagar tudo em apenas sete meses, graças a uma estratégia chave: ela mudou seu foco para os ganhos.
    “Ganhei o máximo de dinheiro que eu consegui fora do meu trabalho principal”, explicou Schroeder-Gardner à CNBC. Na época, ela tinha uma renda de US$ 4.200 ao mês, cerca de R$ 13.500, como analista financeira. Ela percebeu potencial com um blog que criou na graduação, mas nunca tinha pensado em monetizar. “A melhor coisa que fiz foi manter uma renda por meio do meu blog”, afirma.

    Chamado Making Sense of Cents e criado em 2011, o blog tinha como objetivo monitorar as finanças da jovem, para que pudesse pagar os empréstimos estudantis e parar de ser dependente de cada pagamento para seguir.

    “Demorou cerca de seis meses para alcançar os primeiros US$ 100 no blog. Mas uma vez que eu percebi que poderia ganhar dinheiro com isso, cresceu muito rapidamente”, explica a jovem de 28 anos.

    “Qualquer tempo extra que eu tinha era dedicado para o crescimento do meu blog. Eu acordei cedo nas manhãs, dormi muito tarde e várias noites, usei pausas de almoço em meu dia de trabalho, e até usei meus dias de férias para focar no blog”, explica.

    O tempo e o esforço valeram a pena: em 2013, dois anos depois do projeto inicial, o blog já rendia um adicional para o orçamento de US$ 10 mil por mês. A renda extra não só permitiu que ela pagasse seus empréstimos, mas que também abandonasse seu emprego como analista financeira.

    Ela tem dedicado seu tempo integral para o blog desde outubro de 2013, quando deixou seu trabalho. Em 2016, o negócio rendeu US$ 1 milhão. Hoje, ela ganha regularmente cerca de US$ 100 mil por mês.

    Na prática, o blog dá conselhos e dicas de como administrar as finanças e atingir a independência financeira. O negócio possui três fontes principais de receita:

    1) O marketing de anunciantes, de onde a maior parte do rendimento vem, cerca de US$ 50 mil por mês;

    2) O curso de marketing financeiro, no qual ela ensina as pessoas a ganhar dinheiro online, o qual gera entre US$ 40 mil e US$ 50 mil por mês;

    3) Publicidade, incluindo anúncios publicitários patrocinados com empresas e publicidade gráfica, que rende entre US$ 12 mil e US$ 23 mil por mês.

    Se você está pagando uma dívida ou buscando a independência financeira o mais rápido possível, ela aconselha que você “deve sempre achar uma forma de ganhar mais dinheiro do que está ganhando no momento”. Apesar de seu sucesso financeiro, ela e seu marido Wes, que também largou seuu cargo em 2013, vivem de forma modesta, sem luxos. “Nós poupamos e investimos mais de 85% do que ganhamos a cada mês”, conta.

    Eles venderam sua casa em Missouri, EUA, em 2015, e agora viajam pelo país em tempo integral em seu trailer. Em um dia típico, o casal trabalha por uma hora ou duas na parte da manhã, e mais algumas horas de trabalho à noite.
    fonte de consulta: This 28-year-old earns over $100,000 a month blogging and traveling full-time

    Até o próximo post.

    Geral

    [BITFRAUDE BREAKINGNEWS] Empresa arrecada R$ 1,2 bilhão de entusiastas em moedas digitais e desaparece

    21 de novembro de 2017

    Como evitar cair no golpe da moeda virtual

    startup Confido - Golpe de bitcoin

    A Promessa da startup era a criação de um app de pagamento e encomendas, porém depois de arrecadar US$ 374.000 (R$ 1,2 bilhão) de investidores, a suposta startup Confido desapareceu com o dinheiro na semana passada. A promessa da empresa era a criação de um app de pagamentos e rastreio de encomendas.
    De acordo com o Motherboard, o sumiço da página e redes sociais da empresa se deu imediatamente após a arrecadação do dinheiro através de um ICO (initial coin offer). A promessa aos investidores era que as criptomoedas investidas se valorizariam com o tempo e haveria retorno certo assim que o aplicativo fosse lançado.. Outra vez uma leva de incautos foram enganados devido a ganância desmensura pelo lucro fácil.

    Até mesmo o perfil no LinkedIn do suposto fundador da empresa, Joost van Doorn, foi deletado. Antes de desaparecer de vez, o empreendedor publicou uma mensagem dizendo que a empresa passava por um problema legal “causado por um contrato que assinamos”, e não se sabia se haveria como superar essa questão.

    Todas as pessoas que investiram na criptomoeda promovida pela empresa ficaram sem notícias a respeito de seus retornos desde então. Ao que tudo indica, portanto, a promessa do aplicativo não passou de um golpe.

    Até a próxima fraude coin!!!

    Geral

    Business Insider: Hábitos financeiros aos 30 anos

    15 de novembro de 2017

    I'm a financial planner — here are the best 7 pieces of advice I can give you about money in your 30s
    Este período da vida costuma ser marcado por grandes transições e merece dedicação especial às finanças.

    A sua vida pode ficar um pouco mais complicada aos 30 anos, período no qual é geralmente caracterizado por mudanças nos âmbitos pessoal e profissional. Seja começando um novo negócio, dando um grande passo na carreira, se casando, é importante ficar atento às finanças para evitar gastos desnecessários.
    Pensando nisso, o planejador financeiro Eric Roberge escreveu para o Business Insider, alguns dos hábitos que devem ser valorizados nesta idade.

    Confira a seguir:

    1) Viver com menos do que ganha

    Um dos conselhos mais difundidos por planejadores financeiros é: viva com menos do que ganha. Ele é um bom lugar para começar, mas não é o suficiente se você quer aumentar sua riqueza substancialmente.

    Se você ganha US$ 5 mil e gasta US$ 4.999, teoricamente está vivendo com menos do que ganha e provavelmente não está afundado em dívidas, porém, se o que você busca é riqueza, você precisa viver com muito menos do que ganha.

    Quando maior a diferença entre o que você ganha e o que você gasta, mais rápido você consegue alcançar seus objetivos financeiros – caso você poupe e invista as “sobras” de seu balanço orçamentário.

    2) Foque na porcentagem do dinheiro economizado, e não na quantia em si

    Calcular quanto é preciso economizar para alcançar um objetivo financeiro pode ser difícil. Por isso, focar na porcentagem da economia ao invés da quantia em si, permite que você ajuste os valores a serem poupados de acordo com a sua renda. Desta forma, se você for promovido ou mudar de emprego, por exemplo, você consegue adequar a porcentagem a ser economizada ao novo salário, garantindo que você poupe na mesma proporção.

    3) Gaste parte do seu tempo acompanhando e revisando seus gastos e investimentos

    De acordo com Roberge, o dinheiro tende a ir embora quando falhamos em prestar atenção nele. “Preste atenção no seu dinheiro e gaste parte do seu tempo o revisando e o avaliando. Se você não fizer isso, você nunca saberá se está indo na direção certa. É como fazer uma trilha sem bússola”.

    O planejador financeiro recomenda a revisão mensal das finanças, o que, segundo ele, faz com que a pessoa preste mais atenção em seus hábitos de consumo e comportamentos que podem afetar o patrimônio.

    4) Não gaste mais, gaste melhor

    Tenha cuidado com os seus gastos e evite comprar ”só porque os outros têm”. Roberge explica que muitas pessoas pensam que comprar mais garante mais felicidade, o que está errado. Segundo ele a felicidade vem das coisas que realmente importam, e quando a pessoa decide gastar dinheiro como “todo mundo”, ela começa a ter problemas financeiros.

    “Quanto mais você pensar antes de comprar, mais intencional você será com o seu dinheiro. E quanto mais você alinhar os seus gastos com o que você valoriza, mais feliz você será com as suas compras”, diz.

    5) Não apenas diversifique o seu porfólio, diversifique seus investimentos

    Ao investir, é importante não colocar todos os ovos em uma mesma cesta, de forma a garantir boas rentabilidades em diferentes setores da economia. Além disso, investir para a aposentadoria é fundamental, pois serve como uma garantia de que você terá dinheiro no futuro. Esse investimento, porém, não deve ser vista como um investimento para aumentar o seu patrimônio.

    O planejador financeiro explica que o lugar certo para investir – além da aposentadoria – varia de acordo com os objetivos de cada um. Algumas opções, segundo ele, são ações, renda fixa, mercado imobiliário e a criação de diferentes fontes de renda.
    fonte de consulta: businessinsider.com/best-money-advice-millennials-financial-planner-2017-11/#1-live-well-below-your-means-1

    Convidados

    Homem que se aposentou aos 37 conta como largou o luxo para economizar acima de 50% da renda

    31 de outubro de 2017

    Quando Chris Reining decidiu se aposentar, ele tinha uma carreira bem-sucedida e estava trabalhando com o que sempre sonhou, tecnologia da informação.

    Chris Reining se aposentou com 38 anos
    38-year-old retired millionaire shares his No. 1 saving tip

    Chris Reining conseguiu o que muitas pessoas desejam: uma aposentadoria antecipada. Ele se aposentou aos 37 anos, mas teve que abrir mão de seu estilo de vida.
    Quando decidiu se aposentar, sua carreira estava indo muito bem e ele estava trabalhando com o que sempre sonhou, tecnologia da informação. Tinha um bom salário, e um estilo de vida de luxo.

    “Quando eu tinha meus 20 e poucos anos, eu comprei um apartamento, uma BMW e comprava coisas na Whole Foods [uma rede de alimentos saudáveis] todas as semanas”, contou ao CNBC. “Eu estava vivendo um estilo de vida muito bom. Mas comecei a ficar um pouco desiludido com essa vida de trabalho-casa-trabalho e a correria diária”.

    Reining queria ter a liberdade de fazer o que eu quisesse quando eu quisesse. Quando se deu conta disso, começou a mudar seus hábitos. “Eu não tinha liberdade dentro do escritório, não dava para passar mais 30 anos daquele jeito”, afirma.

    Ele adotou uma medida radical. Definiu a meta de economizar 54% de sua renda e se concentrou em aumentar seus fluxos de receita. Para atingir o objetivo, começou a fazer investimentos e cortou os pequenos gastos diários, como jantares caros, café da manhã fora de casa, além de diminuir a fatura do cartão de crédito. Aos 35 anos conseguiu poupar US$ 1 milhão. Dois anos depois, Reining se aposentou oficialmente.

    Segundo o americano, a chave para poupar mais da metade de sua renda é começar com pequenas mudanças. “Eu sei que existem algumas pessoas que dizem que você não deve se preocupar com o café de US$ 5. Mas quanto mais eu penso sobre isso, compreendo que cortar o café de todo dia foi uma boa forma de começar a economizar. Se você tentar mudar de casa, vender os carros e fazer outras mudanças drásticas, vai ser muito estressante e pode não dar o resultado que você espera”, afirma. “É preciso começar com calma, não precisa juntar dinheiro de forma meteórica, eu mesmo demorei cerca de 4 anos mais ou menos. É importante fazer um bom planejamento”, explica.

    Depois de cortar o café de toda manhã, Reining parou de almoçar fora todo dia. Em seguida, começou a cortar despesas maiores, como os US$ 1 mil por mês que gastava com passeios de jatinho. Ele abandonou o estilo de vida de luxo para conseguir se aposentar antes e ter uma qualidade de vida melhor.

    “As pequenas mudanças levam você a fazer as grandes mudanças”, diz Reining. “Hoje em dia eu voltei a tomar aquele café de US$ 5 e realmente não é grande coisa, mas acho que foi muito importante fazer o esforço de economizar esse dinheiro para chegar onde estou hoje”, diz.

    Até mais.

    Convidados

    PME: 6 dicas para ganhar dinheiro com um negócio em casa

    5 de outubro de 2017

    O home office tem as suas vantagens, porém pode ser tornar uma dor de cabeça se o empreendedor não souber se organizar. É preciso saber como fazer isto.

    Home office negócio em casa

    Muitas pessoas que iniciam um negócio começam trabalhando de casa. Afinal, em geral o início de um negócio é feito de muito trabalho e pouco dinheiro e o trabalho de casa ajuda na redução de custos e na flexibilidade de horários.

    Mas não se engane. O home office tem as suas vantagens, porém pode ser tornar uma dor de cabeça se o empreendedor não souber se organizar para tirar proveito do que essa modalidade de trabalho tem a oferecer. Para ajudá-lo a ter sucesso no seu negócio em casa, a Exame conversou com especialistas que trouxeram dicas fundamentais sobre o tema. Confira a seguir:

    1 – Considere seus custos

    Uma das grandes vantagens de ter um negócio em casa é que você não precisa gastar com o aluguel de um ponto comercial, além de economizar com água, luz e telefone. No entanto, é aí que mora um dos principais erros de quem inicia seu empreendimento como home office, alerta o consultor do Sebrae Julio Tadeu Alencar.

    Segundo ele, é muito comum o empreendedor começar um negócio em casa e, por não ter gastos fixos com aluguel e luz, ele acaba vendendo o seu produto a um preço muito baixo. “Porém, quando ele cresce e vai sair da garagem de casa, de repente se dá conta de que precisa aumentar os preços e isso tem um impacto negativo no negócio”, afirma.

    “O correto é que o empreendedor desde o início contabilize esses custos. Aquela casa é da pessoa física, então a pessoa jurídica tem que pagar um valor pela área da casa que está usando”, explica.

    Mas e quando a empresa não tem caixa para pagar esse valor à pessoa física? “Não é problema não pagar no início, afinal essa é uma das vantagens de trabalhar de casa. Mas é importante que esse custo esteja contabilizado e que se reflita no preço do produto”, afirma.

    2 – Domine sua área

    Não é porque você vai começar um negócio na garagem de casa que pode fazer as coisas de forma amadora. Alencar lembra que é fundamental para o negócio que o empreendedor entenda do assunto, caso contrário, perderá dinheiro em processos.

    “É muito comum a pessoa começar o empreendimento sem domínio do setor. É um dos problemas que mais aparecem”, afirma Alencar.

    “Se eu começo um negócio de bolos, tenho que saber quais equipamentos vou precisar, mesmo que eu não consiga comprar tudo logo no início. Se não tiver domínio sobre a área, vale a pena investir um curso para aprender”, aconselha.

    3 – Faça um plano de negócio

    Mesmo trabalhando da sua própria casa, é importante que o empreendedor se planeje e faça um plano de negócio. “Ele precisa pensar quem é o seu cliente, quanto vai custar para produzir, qual será o seu preço, quais os seus custos, tudo na ponta do lápis”, afirma Alencar.

    Se a ideia é produzir marmitas em casa, por exemplo, é necessário que o empreendedor considere se é viável vender na porta de casa (será que você mora num local com grande circulação de potenciais clientes?) ou se terá que levar esses produtos até os consumidores. E se for esse o caso, como será feito esse transporte? Quanto isso vai custar?

    Com esse planejamento organizado, o empreendedor saberá se a sua ideia inicial é viável ou não. “Se, ao colocar essas questões no papel, eu percebo que algo não vai dar certo, já mudo antes de começar, sem perder dinheiro”, explica o consultor.

    4 – Tenha um local fixo de trabalho

    Trabalhar da cama, de pijama com o laptop no colo sem dúvida não é uma boa ideia se você quer prosperar com um negócio em casa.

    Para André Brik, criador do site Go Home, que fala sobre empreendimentos home office, é importante que o empreendedor defina um local de trabalho em sua casa. “Um quarto com porta é o ideal, pois fica mais fácil se isolar da rotina da casa”, afirma.

    Porém, se você não tem esse cômodo específico para trabalhar, definir uma mesa, ou um canto da casa como seu local de trabalho já ajuda na organização e na produtividade, garante o especialista.

    5 – Estabeleça um horário de expediente

    Outra dica é estabelecer um horário de expediente para trabalhar, mesmo que seu escritório seja sua sala de estar.

    “É importante ter hora para começar e hora para terminar. E também se vestir para trabalhar. Minha esposa passa inclusive maquiagem”, conta Brik.

    Ele explica que o hábito de se arrumar para o trabalho em casa ajuda o empreendedor a entrar no ritmo e o deixa preparado para ir a uma reunião em cima da hora ou mesmo receber algum cliente em casa.

    “A pessoa tem que estar com a cabeça no trabalho. Quando vai falar ao telefone, se estiver de pijama sua atitude vai ser diferente”, afirma.

    6 – Não confunda presença com disponibilidade

    Se você pretende ter um negócio em casa, é importante explicar para a família que você pode até estar presente, mas não está disponível para comprar pão ou lavar a louça no seu período de trabalho.

    “O problema de trabalhar de casa é que as pessoas confundem a presença com a disponibilidade”, afirma Brik. Segundo ele, a divisão entre vida doméstica e trabalho é o “grande calcanhar de Aquiles” do home office. Por isso, deixe claro que você precisa dar atenção ao trabalho e faça combinados com seus familiares.

    Veja também:

    Como renegociar as dívidas com o banco

    Até mais.

    Convidados

    Business Insider: Tenho 27 anos e poupei $ 200,000 – aqui estão os melhores conselhos que posso dar sobre o dinheiro

    4 de outubro de 2017

    I’m 27 and I’ve saved $200,000 – here are the 7 best pieces of advice I can give you about money
    man suit wealth

    O sonho de muitos profissionais é conseguir poupar dinheiro para se aposentar cedo, viajar ou ter uma vida mais confortável. Esse é o objetivo do “The Money Wizard” (“O Mago do Dinheiro”, em tradução livre) – nome de seu blog sobre finanças e de seu pseudônimo porque prefere não revelar seu sobrenome verdadeiro. Com 27 anos, ele conseguiu poupar US$ 200 mil, cerca de R$ 630 mil, economizando e fazendo investimentos.
    “Com esforço consigo poupar 60% do meu salário e estou planejando ter um portfólio de US$ 750 mil para me aposentar aos 37 anos. O Plano B é continuar guardando até 40 anos e o plano C é me aposentar uma década mais cedo do que a idade de aposentadoria “normal”, em torno de 50. Até agora, estou dentro do meu cronograma no plano A”, explica.

    A façanha de poupar muito dinheiro foi e está sendo alcançada porque ele teve essa consciência desde cedo. Aos 16 anos, o jovem morador do Texas, nos Estados Unidos, começou a juntar dinheiro. Ele tinha um trabalho braçal no campo para ajudar a família. “Eu trabalhava muito, mas teve um dia que foi especial. Era dia de pagamento e depois de meses, eu conseguiria juntar exatos US$ 500 [cerca de R$ 1.570] na minha conta bancária”, contou ao Business Insider.

    A ideia do jovem era aumentar esse valor ainda mais para poder começar a investir no mercado de ações. E dois anos depois ele atingiu esse objetivo. Com 18 anos já investia na bolsa de valores e começou a juntar ainda mais dinheiro. Ele, então, saiu do emprego no campo e começou a trabalhar em uma empresa pequena do mercado financeiro como analista. Mais um tempo se passou, foi aprendendo a investir e conseguiu manter uma quantia cada vez maior guardada. “Aos 25 anos, eu tinha US$ 100 mil, e aos 26, US$ 150 mil. E hoje, com 27 anos, economizei quase US$ 200 mil [cerca de R$ 630 mil]”, conta.

    Você pode pensar que ele é um gênio do mercado de ações ou um verdadeiro prodígio da área, mas ele nega. Segundo o blogueiro, seus investimentos em ações não deram um grande retorno em comparação com o mercado na época, e seu salário não era muito maior do que a renda média na sua cidade. “Na realidade, eu sou um cara normal com um trabalho decente, que teve a sorte de tropeçar em algumas dicas de dinheiro no início da carreira”, define. Hoje ele continua trabalhando no mercado financeiro e administra seu blog.

    O “Mago do dinheiro” selecionou algumas dicas sobre dinheiro que ele aprendeu durante essa jornada financeira.

    Confira a seguir:

    1) Escolha bem a sua carreira

    Fazer uma faculdade pode acarretar muitos custos, mas o jovem concorda com o bilionário Warren Buffett sobre a graduação: “o melhor investimento que você pode fazer é em você mesmo”.

    “Essa é a chave. Você precisa enxergar a faculdade como ela é: uma negociação de 4 anos para comprar uma carreira”, afirma. Segundo ele, é importante analisar o valor desse diploma. “Na hora de decidir qual curso você irá fazer avalie se você gosta e quais são as perspectivas financeiras dessa carreira. Alguns pagam bem, outros … nem tanto. Pesquise estatísticas salariais, converse com pessoas da área e participe de feiras de carreira”.

    Especialista em finanças e economia, o jovem encontrou um emprego rapidamente como analista financeiro, mesmo quando o mercado de trabalho estava instável. “Espero que o meu diploma estrategicamente escolhido continue a construir uma base para uma vida de ganhos”, afirma.

    2) Evite dívidas

    Uma vez que você está fora da faculdade e no caminho para ganhar dinheiro, o próximo passo é evitar a armadilha da dívida. “Simplificando: é impossível construir riqueza se você estiver pagando dívidas todos os meses, sejam de empréstimos ou de cartão de crédito”, explica. Tentar construir riqueza pagando juros é remar contra a correnteza. “Para evitar dívidas, comprei meu carro sem empréstimo, e apesar de usar cartões de crédito para ganhar as milhas de recompensa, nunca paguei um centavo de juro”, diz.

    3) Decida se seus gastos estão realmente fazendo você feliz

    Segundo o blogueiro, você sempre deve avaliar onde você coloca seu dinheiro. Por exemplo, uma casa com vários quartos faz sua vida mais feliz, ou só dá mais trabalho para cuidar e administrar?

    “Quando se trata do que você faz com o seu dinheiro, você está calculando os benefícios potenciais, ou está apenas seguindo o que seus amigos, a sociedade e a publicidade estão dizendo para você fazer?”, questiona.

    Ele diz isso porque escolheu morar em um apartamento bem simples para economizar dinheiro. E fez o mesmo com o carro, comprou um usado para não perder dinheiro. “Eu entendi que minha viagem seria a mesma com um carro de US$ 30 mil ou US$ 13 mil, então optei por gastar menos”, afirma.

    Você precisa saber quais são os gastos que podem ser cortados e quais valem a pena investir um pouco mais – se vão trazer mais conforto ou felicidade. Ou ainda, saber quais custo devem ser cortados – mesmo que seja um esforço – para alcançar algum objetivo financeiro mais para frente.

    4) Evite um estilo de vida caro

    À medida que vamos evoluindo na carreira é fácil querer gastar mais dinheiro com você mesmo. É difcil manter a disciplina fincanceira quando você tem mais dinheiro à sua disposição.

    Mas manter um estilo de vida caro pode ser um ciclo vicioso e só atrapalha a possibilidade de construir riqueza. É importante valorizar seus gastos: qual a vantagem em levar um estilo de vida luxuoso se você não tem um fundo de emergência ou nenhum dinheiro investido?

    “Em vez disso, reconheça que sua vida já é boa o suficiente e se mantenha firme poupando dinheiro. Se você quer um futuro saudável financeiramente é preciso administrar seu dinheiro desde já”, aconselha o blogueiro.

    5) A riqueza é construída através de consistência

    Depois de nem começar, um dos erros de investimento mais comuns que as pessoas cometem é investir de forma agressiva, segundo o blogueiro. “É um erro compreensível começar assim. Nossas mentes não são projetadas para entender intuitivamente o poder do juros compostos, e aí queremos começar ganhando muito dinhero rapidamente. É preciso ter paciência e aprender a investir”, afirma.

    Como resultado, muitos investidores iniciantes acham que a única maneira de se enriquecer é assumir riscos enormes. Eles fazem apostas ousadas no mercado de ações e ficam frustrados quando perdem dinheiro.

    “Quando olho para o meu caminho até agora, fico impressionado com algo simples. Eu não ganhei dinheiro com nenhuma estratégia ousada. Nem cheguei perto. Eu não criei uma empresa extremamente lucrativa, nem enriqueci rapidamente. Eu faço investimentos mais seguros. Eu optei por consistência. Meus investimentos rendem uma quantia menor, mas não perco dinheiro”, explica.

    Veja também:

    Os passos para ganhar mais dinheiro, de acordo com um milionário autodidata

    Até mais.

    Convidados

    O estudo dos hábitos dos ricos

    3 de outubro de 2017

    After 5 years studying rich people, I isolated an impactful reading habit any of us can adopt

    wealthy reading racegoers - After 5 years studying rich people, I isolated an impactful reading habit any of us can adopt

    O hábito de ler biografias de pessoas bem-sucedidas pode ser uma das melhores maneiras de alcançar o sucesso, segundo um estudo desenvolvido por Thomas Corley. O estudo tem o título de Rich Habits Study, onde foram entrevistados cerca de 360 milionários e identificado que o hábito de ler esse tipo de obra pode fazer toda a diferença.

    Conforme apurou Corley, todos os milionários entrevistados tinham um patrimônio líquido igual ou maior que US$ 3,2 milhões, cerca de R$ 10,1 milhões. Deste grupo, 177 construíram suas próprias fortunas, sem qualquer tipo de herança. “De acordo com os meus resultados, 68% dessas pessoas que ganharam dinheiro por conta própria leram biografias de executivos bem-sucedidos, enquanto 91% das pessoas “pobres” [aquelas com menos de R$ 110 mil em renda bruta anual] não leem biografias de quem já alcançou o sucesso”, explicou o especialista.

    Ao Business Insider, o autor explicou que esse dado é muito importante porque mostra que é crucial aprender a partir dos erros e acertos de quem já chegou onde você quer chegar. “Quando você começa a ler as biografias de pessoas bem-sucedidas, você se torna um estudante de seus erros – e um aprendiz de seus acertos”, afirma Corley.

    Ele destaca esse hábito comum entre os milionários porque a riqueza e o sucesso geralmente são provenientes de uma base de erros e acertos. Quanto mais erros você comete, mais você sabe o que funciona ou não e eventualmente você acerta. Por mais que cometer erros custe caro – tempo e dinheiro – são importantes para você crescer.

    “Esse é um hábito simples, inteligente e que qualquer pessoa pode praticar. Esses milionários entenderam que errar custa caro e por isso decidiram aprender o máximo possível com os erros dos outros, para economizar tempo e dinheiro”, explica Corley. Estudar pessoas bem-sucedidas é um dos “atalhos econômicos” para criar sucesso e construir riqueza.

    “Quando você se torna um aluno de pessoas bem-sucedidas, você pode antecipar erros antes de cometê-los”, diz o especialista. Uma vez que o sucesso demora para chegar, segundo o estudo de Corley cerca de 32 anos para as pessoas que constroem sua própria fortuna – a chave é evitar perder tempo e dinheiro com erros que poderiam ser evitados com as leituras de biografias, por exemplo.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Exame: 5 coisas sobre dinheiro que você deveria ter aprendido na escola

    29 de setembro de 2017

    5 atitudes para se tornar um investidor de sucesso

    A carência deste tema na sala de aula pode ter um impacto negativo em diversas etapas da vida, principalmente para jovens que decidem viver sozinhos, mas não têm o costume de planejar o pagamento de contas básicas. Caso não tenham alguns conhecimentos básicos sobre finanças na cabeça, podem acabar cometendo erros que irão levar ao adiamento de projetos, como uma viagem de intercâmbio, um casamento ou a compra de um bem. 

    Uma má decisão financeira pode ainda provocar um descontrole no orçamento e prejudicar o histórico de crédito no banco, fazendo com que a instituição financeira não libere dinheiro quando o jovem precisar adquirir uma casa ou um carro, por exemplo.

    Outro erro geralmente cometido é adiar a decisão de investir e ter de aplicar muito mais recursos no futuro para obter uma boa reserva para a aposentadoria. Isso porque o estudante não tem noção do poder dos juros compostos, que incidem sobre qualquer aplicação financeira.

    Veja abaixo cinco dicas básicas de finanças pessoais que você deveria ter aprendido na escola:

    1) Tomar empréstimos do jeito certo

    “Demonizar” o crédito e se manter afastado de qualquer dívida não é o melhor caminho para ter uma vida financeira saudável. Uma hora ou outra, você pode precisar dos recursos oferecidos pelo banco, seja porque surgiu uma emergência médica ou qualquer outro imprevisto que custe uma grande soma de dinheiro, maior do que uma eventual reserva de dinheiro acumulada ao longo dos anos.

    Portanto, ao invés de se aterrorizar com taxas de juros exorbitantes cobradas, por que não pesquisar sobre quais são as modalidades que oferecem as menores taxas? Também é importante consultar quais são as instituições financeiras que cobram tarifas mais baixas em cada linha, que podem fazer diferença no Custo Efetivo do Crédito (CET). Aliás, é para o CET que você deve olhar ao escolher o melhor empréstimo.

    Tomar empréstimos com o menor custo possível ajuda a pagar as parcelas em dia e criar um bom histórico de crédito, o chamado score. Quando alguém se mantém afastado de qualquer tipo de empréstimo, torna mais difícil para as instituições financeiras saber como ele irá lidar com um financiamento, caso precise. Ou seja, usar o cartão de crédito ou outro tipo de empréstimo pontualmente, quando necessário e de forma consciente, pode até ajudar a obter mais recursos no futuro.

    2) Conhecer o poder dos juros compostos e investir o mais cedo que puder

    Quanto mais cedo você souber que o tempo atua a favor quando se trata de investir, menos terá de poupar no futuro para projetos pessoais e, principalmente, para a aposentadoria.

    Isso porque incidem, sobre qualquer aplicação financeira, juros compostos. Por conta disso, quanto mais tempo deixarmos o dinheiro aplicado, mais os juros recebidos como rendimento poderão ser reaplicados e poderemos passar a receber mais no período seguinte.

    Um exemplo da chamada “mágica” dos juros compostos: se um investidor aplica 10 mil reais a uma taxa de 2% ao mês com reaplicação de juros, no primeiro mês receberá 10,2 mil reais. No segundo, os 2% irão incidir sobre os 10,2 mil reais, e se transformar em 10,4 mil reais. No terceiro mês, os juros serão calculados sobre o valor de 10,4 mil reais e o investidor passará a ter 10,6 mil reais, aproximadamente, e assim por diante.

    Se deixarmos o dinheiro aplicado nessa operação, ao final de 12 meses teremos 12.682,41 reais, ou 26,82% a mais que o valor original.

    Portanto, não deixe para o ano que vem uma aplicação que você pode começar hoje, ainda que com pouco dinheiro. A diferença de valor que você terá acumulado pode ser expressiva.

    3) Não subestimar o efeito dos juros do cartão de crédito e no cheque especial

    O cartão de crédito pode, sim, ser um aliado no orçamento mensal. Mas é necessário ter consciência de que os juros cobrados nesta modalidade podem jogar contra (e muito) caso você se acostume a ter uma fatura com valor alto e, por alguma eventualidade, não consiga pagá-la totalmente. O mesmo alerta vale para o cheque especial, que só deve ser utilizado em uma emergência.

    Quem não tem disciplina não deve subestimar o efeito “bola de neve” dos juros dessas duas modalidades. Isso porque o crédito rotativo, quando ficamos sem pagar o valor total da fatura, e também o cheque especial, é cobrado por dia de uso, e geralmente está na casa de dois dígitos. Ou seja, o efeito dos juros será, certamente, altíssimo. Por exemplo, quem fica 30 dias sem pagar uma fatura ou o cheque especial de 2 mil reais que tem uma taxa de 12% ao mês terá de pagar, ao final deste período, 240 reais.

    A regra básica é que o cartão de crédito e o cheque especial não servem para comprar coisas que estão fora do alcance do orçamento atual, mas, sim, auxiliar as finanças pontualmente, no caso de compras realmente necessárias em um determinado momento. É sempre melhor poupar para somente então adquirir bens.

    4) Criar um orçamento pessoal

    Ter um orçamento que consiga equilibrar o pagamento das contas básicas mensais, como aluguel, luz, água, telefone e internet, com eventuais compras e reservas financeiras é essencial quando se fala em lidar bem com o dinheiro.

    Sem os gastos em mente, de preferência colocados no papel ou em planilhas, é bem difícil visualizar quanto da renda, de fato, pode ser utilizada a cada mês. Esse planejamento é importante principalmente no momento em que um jovem vai morar sozinho, já que não está acostumado a pagar todas as contas mensais e não sabe o quanto irão representar da sua renda.

    Criar esse planejamento é essencial para conquistar objetivos financeiros. E isso não implica, necessariamente, em anotar todos os gastos mensais: basta ter uma boa noção do quanto pode ser gasto em cada segmento, como com lazer e roupas, por exemplo.

    5) Entender o conceito de risco e saber qual é o seu perfil de investidor

    No mundo dos investimentos, algo que deve ser bem claro para qualquer aplicador é que, quanto maior o retorno, maior o risco.

    Ou seja, dificilmente há almoço grátis: aqueles investimentos que oferecem rentabilidade tentadora geralmente também oferecem um risco expressivo.

    Com isso em mente, é necessário ter claro um outro conceito: qual o seu perfil de investidor, se mais conservador ou agressivo. Também faz diferença saber quais são os seus objetivos de vida para buscar o investimento mais adequado. Se o projeto for de longo prazo, pode valer a pena colocar dinheiro em ações, já que as oscilações tendem a ser menores em prazos maiores. Se o objetivo for de curto prazo, talvez seja mais coerente deixar o dinheiro rendendo em uma aplicação mais conservadora, sem correr o risco de perder tudo e inviabilizar o projeto por conta de uma oscilação pontual do rendimento.

    E vale sempre lembrar: quanto mais diversificados forem os investimentos, menor o risco. Só que esse conselho vale mais para altas somas de dinheiro. Para pequenos investimentos, é melhor que a aplicação seja certeira.

    Até o próximo post.

    Convidados

    Os passos para ganhar mais dinheiro, de acordo com um milionário autodidata

    22 de setembro de 2017

    wealthy suits -
 Homem que ficou milionário em 5 anos revela 4 formas de ganhar mais dinheiro

    The 7 steps to making more money, according to a self-made millionaire

    Grant Sabatier que ficou milionário em 5 anos revela algumas formas de ganhar mais dinheiro. Ele construiu sua fortuna sozinho, garante que acumular dinheiro e alcançar a riqueza não acontece do dia para a noite.

    Em meio à crise que o país enfrenta, muitas pessoas procuram formas de aumentar a renda. Existem muitas formas de conseguir um dinheiro extra. Você pode, por exemplo, fazer alguns trabalhos temporários, mudar alguns hábitos ou investir em um novo negócio, mas Grant Sabatier, um milionário que construiu sua fortuna sozinho, garante que acumular dinheiro e alcançar a riqueza não acontece do dia para a noite. “Há etapas que você pode cumprir para aumentar significativamente suas chances de ganhar muito mais dinheiro”, afirma ao Business Insider.

    Segundo ele, que tinha R$ 2 na conta, mas conseguiu juntar R$ 1 milhão em 5 anos, há 4 formas que você pode fazer para ganhar mais dinheiro hoje ou futuro. “A maioria das pessoas toma decisões pensando no curto prazo, sem refletir sobre os impactos no futuro. Para ganhar dinheiro é preciso ser objetivo, estratégico e ter planejamento”, diz.

    Confira 4 formas de ganhar mais dinheiro:

    1) Conseguir um aumento ou um bônus

    A forma mais rápida e fácil de conseguir mais dinheiro é aumentar a quantia que você ganha com a sua fonte de renda principal. “Quando se trata de dinheiro sempre tente otimizar o que já está nas suas mão primeiramente”, diz Sabatier. Talento tem alta demanda e você pode usar disso para ter uma alavancagem financeira na sua área.

    Segundo Sabatier não importa o segmento para qual trabalha, cada vez mais os empregadores encontram desafios na hora de achar talentos para suas empresas. Você pode usar isso a seu favor, para ter mais poder durante as negociações de salário, por exemplo. Ele aconselha que o profissional deve ficar sempre atento ao seu salário no nível do mercado, comparando o mesmo cargo em outras empresas, por meio de sites na internet, para conseguir negociar um aumento.

    2) Comece a vender suas habilidades

    Outra forma de ganhar dinheiro é via internet. Você pode passar a vender seus conhecimentos e arrecadar uma quantia extra por mês. Você pode, aos poucos, construir sua audiência por meio de sites, blogs ou vídeos, por exemplo e rentabilizar.

    “Há mais informações criadas a cada segundo na internet, mas as pessoas fazem mais do mesmo, não sabem onde procurar respostas ou idéias que realmente funcionam”, comenta Sabatier. Se você pode fornecer respostas, ajudar as pessoas a serem mais efetivas, mais eficientes ou mais bem-sucedidas, então você pode ganhar muito dinheiro.

    Segundo o milionário, este é o paradoxo da nossa era – uma quantidade infinita de informações está disponível gratuitamente online, mas as pessoas procuram professores e curadores experientes. “Você pode facilmente vender seu conhecimento, aproveite”, diz.

    3) Abra sua própria empresa

    Nunca foi tão fácil abrir seu próprio negócio. E entenda que para isso é preciso um investimento inicial, e o retorno geralmente não é imediato. Mas você pode construir um site em 20 minutos e vender produtos ou oferecer serviços em questão de dias, por exemplo.

    “Se você vai lançar uma empresa, eu definitivamente recomendo que você comece uma empresa de responsabilidade limitada (Ltda.)”, diz. Nesse modelo, a abertura da empresa é feita a partir do investimento dos sócios e cada associado tem sua participação definida com base em sua contribuição.

    Como é vetada a retirada ou distribuição dos lucros para os sócios, caso haja prejuízos para o capital da empresa, Sabatier, acredita que é um modelo seguro para começar. “Existem muitas vantagens em lançar sua própria empresa e gerenciar sua vida como uma empresa”, diz.

    Trabalhar para si mesmo em tempo integral não é fácil, mas é o caminho mais claro para a riqueza, segundo o milionário. “Todos os seus investimentos – seu tempo, redes, habilidades e, é claro, o dinheiro irão formar uma combinação ao longo do tempo, que vai resultar em novos fluxos de renda e oportunidades”, afirma.

    Quando você está empreendendo é essencial para aprender a analisar suas vendas ou oportunidades de negócios em um nível mais profundo. “Eu aprendi a analisar pessoas jogando pôquer na faculdade. O que o cliente realmente deseja? O que seu chefe realmente quer? Não pense apenas sobre o que eles estão perguntando – pense mais fundo sobre o que os está motivando”, explica o milionário.

    Sabatier diz que seu chefe ou cliente quer que o seu produto o esteja ajudando de alguma forma. Na próxima vez que você estiver montando ou tentando vender um projeto, pense em como você pode facilitar a vida do seu cliente. E claro, cobre por isso.

    4) Crie uma rede de pessoas que compartilhem dos seus interesses

    Networking é crucial também para ganhar dinheiro. “Embora eu goste de fazer novos contatos, não gosto de eventos que forçam a construção dessa rede. Não acredito que funcionem”, afirma o milionário. A construção de networking online é excepcionalmente mais poderosa, segundo ele. “As conexões mais rentáveis que fiz foram através do LinkedIn, meu próprio site ou com referências de clientes passados”, conta. Depois de ter um relacionamento bom com alguns clientes, você pode ter acesso a outros vários nomes e pode pedir referências.

    Se você quer construir um negócio, por exemplo, você precisa criar uma rede de contatos e uma audiência. Uma rede é um grupo de conexões que leva tempo para construir e é essencial para desbloquear oportunidades ao longo de sua vida. Com a audiência fica mais fácil vender seu produto. Se você tem um grupo de pessoas que já acompanha seu negócio, confia no que você faz e sente que seu trabalho realmente faz diferença, é mais concreta a chance de lucrar.

    Leia também:

    Como trabalhar menos de 10 anos, conta alguém que se aposentou milionário em 5 anos

    Até o próximo post.