‘Cinema’ Articles at Defenda Seu Dinheiro

Browsing Tag: cinema

    Filmes

    Rei da Polca – filme 2017

    20 de Janeiro de 2018

    Mais um filme chegando no Netflix sobre golpista. Em tempos de várias pirâmide financeiras pipocando, maioria com bitcoin, entre outras criptomoedas.

    The Polka King

    SINOPSE E DETALHES

    Um grande dançarino de Polca arrasta uma legião de fãs para onde quer que vá. Quandos suspeitas sobre a sua conduta começam a acontecer e ele, posteriormente, é acusado de seduzir fãs para um esquema de prostituição – fazendo com que sua vida vire de cabeça para baixo.
    Baseado em fatos reais.

    Até o próximo post.

    Filmes

    Serena – Filme 2015

    15 de novembro de 2015

    A trama se passa durante o pós-crash de 1929 nos Estados Unidos. Mostra a história de George e Serena Pemberton, recém-casados que mudam para as montanhas da Carolina do Norte buscando criar um império madeireiro. Serena rapidamente se adapta à vida nas florestas, além de apoiar seu marido a cometer atos implacáveis para conseguir seus objetivos.

    Podemos ver exemplos das velhas escolas políticas dos EUA, liberais de um lado e conservadores do outro, um querendo o desenvolvimento, riqueza e geração emprego e do outro lado alguém querendo apenas preservar a natureza e criar um parque florestal. Mais ou menos como se fosse no congresso Brasil: Bancada Ruralista x Bancada Ambientalista. Aliás, um dos motes do filme também se passa pela ideia do casal protagonista vir montar o seu extrativismo madeireiro no Brasil. A corrupção x moralidade também se fazem presentes.

    A parte mais dramática começa ocorrer quando Serena descobre que não pode ter filhos. Ali ela começa a perder a sanidade mental e planeja matar o filho bastardo que seu marido teve com uma empregada da madeireira.

    Serena

    Elenco:

    Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Rhys Ifans, Toby Jones, David Dencik, Sean Harris, Ana Ularu.

    Direção: Susanne Bier

    Gênero: Drama

    Duração: 109 min.

    Distribuidora: Imagem Filmes

    Orçamento: US$ 20 milhões
    cinepop.com.br/serena-34129

    Até o próximo post.

    Filmes

    Dicas de filmes, documentários e vídeos – parte 11

    4 de junho de 2013

    Vamos para a parte 11 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de filmes, vídeos e documentários ligados ao mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis, questões político-econômicas, e assuntos relacionados.

    1. Contágio
      Ótimo filme, apesar de ser um tema batido: catástrofe devido a doença causada por infecção em massa através de um novo vírus. Dentro disto vemos novamente as relações humanas, inclusive dos líderes tomando decisões totalmente pessoais, além de manipulação do mercado financeiro em favor de laboratório farmacêutico.
      O elenco é de tirar o fôlego.
      Vale muito a pena assistir.

      Sinopse:
      Contágio é um filme estadunidense dirigido por Steven Soderbergh e protagonizado por Matt Damon, Jude Law, Kate Winslet, Laurence Fishburne, Marion Cotillard e Gwyneth Paltrow. Estreou no dia 9 de setembro de 2011 nos Estados Unidos, em 13 de outubro em Portugal e 28 de outubro no Brasil no mesmo ano.

      Um vírus letal, altamente contagioso e transmitido pelo contato com pessoas infectadas ou com objetos que estas tenham tocado, se espalha rapidamente pelo planeta, enquanto a Comunidade Científica tenta descobrir uma possível cura. Contudo, a sociedade se mostra cada vez mais vulnerável à epidemia.
      pt.wikipedia.org/wiki/Cont%C3%A1gio_(filme)

    2. A Doutrina do Choque (The Shock Doctrine)
      Eu assisti há alguns anos atrás este documentário que é uma tremenda crítica ao capitalismo selvagem. Ele vai na mesma linha do documentário PROPAGANDA.
      Se a pessoa não tiver certeza que pegou o documentário certo irá pensar que nos 5 primeiros minutos é algo sobre medicina/psiquiatria. Eu tive q avançar um pouco para saber que estava certo.

      O documentário só mostra o lado negro do capitalismo, principalmente na implantação do mesmo, ele não mostra o auge do capitalismo na vida de muitos que viveram e vivem muito bem por que conseguiram gerar riquezas para si próprios , suas famílias e suas empresas….
      Não mostra nenhum caso de sucesso de uma pessoa que nada tinha e chegou a ser milionário, bilionário, ele e sua família. Coisa que o capitalismo permite.
      Também faltou mostrar:
      – Diversos casos de sucesso em privatizações;
      – Diversos casos de fracassos em estatizações;
      – Diversos ditadores de “esquerda” que fizeram estatizações com um estado corrupto. Alguns ainda em pleno curso hoje em dia.

      Eu sou a favor de privatizações em muitos casos, já em outros não. Vai do objetivo do governo, empresários e do setor em si.
      Estado mínimo também tem limite.

      Quem sabe a jabuticaba brasileira, um misto de mercado livre com estado forte não seja o novo modelo de governo para as próximas gerações???

      Dentre tudo do que já inventaram até hoje, o capitalismo ainda é a melhor forma de gerar riqueza e a democracia o melhor regime politico, não que sejam excelentes, mas no mínimo são os menos ruins, vai da óptica de cada um.

      O mundo é um ciclo mesmo. Agora que estamos tendo crise, querem condenar o capitalismo, o livre mercado, a democracia, etc., mas enquanto está tudo bem, ninguém condena nada e a maioria fica quietinha, pois isto lhes convém. Eu até estive conversando com a minha esposa na época sobre isto. Se descobrem algo muito bom no passado, todo mundo usa. Aí passado um tempo, começou a dar problemas, já querem implantar algo novo, mesma que seja “novo” (já feito no passado) como se fosse um completa inovação!
      Então ela supôs que talvez seja por que passando uma ou duas gerações os conceitos criados e sacramentados pelas gerações anteriores se percam e as coisas comecem a sair do lugar e começa-se tudo de novo….

      Este vídeo é bem tendencioso. Só mostrou um lado da moeda, como se fosse um estudioso querendo provar por todos pontos de vista positivos a sua tese que algo é uma verdade absolutamente indiscutível e ninguém pode discordar do mesmo.

      A documentarista só quis contar o lado ruim da história, o lado ruim do Friedman. Ela só mostrou o lado bom do Keynes, logo o objetivo dela era só provar por diversos argumentos e imagens chocantes, sensacionalistas que economia livre é algo 100% ruim, “obra do demo” e coisas assim.

      Um estudo para ser realmente bom, deveria mostrar mais de um ponto de vista, e não apenas querer mostrar a todo custo que a única opinião abordada é a correta, além do mais quando falamos de algo tão complexo como economia e política, as quais todos os seres humanos sofrem suas interferências.

      Enfim, são apenas nossas opiniões, cada um que interessar que assista o documentário, porém aviso de antemão que é preciso ter estômago, pois passa muitas cenas de guerra e suas vítimas, além de coisas correlatas!

      Um comentário sobre a arte em si, já que é algo para TV, videos, etc.:
      – A parte de cinema deixou muito a desejar. É muito monótona a narração da documentarista e as imagens são de baixa qualidade em sua maioria. Tem que gostar de economia e história, caso contrário a pessoa não aguentará ver até o final.

      Sinopse:
      Em A Doutrina do Choque, Naomi Klein destrói o mito de que a política de livre mercado global triunfou democraticamente. Expondo o pensamento, a origem do dinheiro e os joguetes por trás das crises e guerras que mudaram o mundo nos últimos 40 anos. A Doutrina do Choque é a história de como a política de “livre mercado” dos EUA passou a dominar o mundo, por meio da exploração de povos e países, assolados por desastres ou em estado de choque. Dirigido por Mat Whitecross e Michael Winterbottom, codiretores de Estrada para Guantánamo.
      3000filmes.com/a-doutrina-do-choque-legendado/#more-12813

    Até o próximo post.

    Filmes

    Dicas de filmes, documentários e vídeos – parte 10

    2 de junho de 2013

    Vamos para a parte 10 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de filmes, vídeos e documentários ligados ao mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis, questões político-econômicas, e assuntos relacionados.

    1. Um Negócio Nada Seguro (Cedar Rapids)
      Muito bom este filme de comédia, assim como o elenco e roteiro.
      Ele mostra de forma bem clara o jogo de interesses no mundo dos negócios, no caso, o setor de seguros nos EUA.
      Vale a pena assistir e dar muitas risadas, alem de servir de reflexão.

      Sinopse:
      Ed Helms ficou mundialmente conhecido por interpretar Andy no seriado The Office. Logo depois, porém, coprotagonizou a maior comédia adulta em bilheteria de todos os tempos, Se Beber Não Case. Agora, o ator tem a oportunidade de ser o principal nome de uma produção de médio porte.

      Em Cedar Rapids, Helms interpreta um vendedor de seguros que, pela primeira vez, deixa a segurança de sua cidadezinha para representar sua empresa em uma convenção em Cedar Rapids, Iowa. O problema é que o sujeito simples e tímido vai se deparar com outro vendedor (John C. Reilly), que vai apresentá-lo à farra e tentações do circuito das convenções de seguros.

      Anne Heche, Sigourney Weaver e Isiah Whitlock Jr. completam o elenco. Sobre esse último, o recém-lançado trailer inclui uma piadinha sobre seu trabalho anterior, a série de TV The Wire.
      filmow.com/um-negocio-nada-seguro-t30924

    2. Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro (Mad Money)
      Este filme não é bem sobre mercado financeiro, mas fala sobre dinheiro, atitude corrupta ao lidar com o dinheiro, além de ser uma boa comédia.

      Sinopse:
      Bridget Cardigan (Diane Keaton) fica chocada ao saber que está prestes a perder sua casa e seu confortável estilo de vida quando seu marido Don (Ted Danson) é rebaixado de cargo em seu trabalho. Armada apenas com sua formação em Inglês antigo e anos dedicados como mãe e dona de casa, Bridget é forçada a entrar no pouco familiar mercado de trabalho, sem nenhuma especialização. Finalmente, ela aceita a única posição que pode encontrar: zeladora no Federal Reserve Bank. Logo ela descobre que tem mais coisas em comum com seus novos colegas de trabalho do que pensava. Bridget se aproxima inesperadamente de Nina (Queen Latifah), uma mãe solteira muito trabalhadora que tem dois filhos para criar, e Jackie, uma garota ativa que não tem nada a perder. Presas num sistema que subestima seus talentos e mantém seus sonhos afastados, Bridget, Nina e Jackie resolvem mudar esta história. Depois de uma vida jogando conforme as regras, as três elaboram um plano para desviar cédulas velhas que seriam destruídas pelo banco. Quando o improvável crime dá a elas pilhas de dinheiro, parece que elas encontraram o crime perfeito. Com mais dinheiro do que elas conseguiriam gastar, as mulheres vão ao limite de sua ingenuidade para ficar um passo à frente da lei.

      Informações Técnicas
      Título no Brasil: Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro
      Título Original: Mad Money
      País de Origem: EUA
      Gênero: Comédia
      Classificação etária: 10 anos
      Tempo de Duração: 104 minutos
      Ano de Lançamento: 2008
      Estréia no Brasil: 04/04/2008
      Site Oficial: madmoneymovie.com
      Estúdio/Distrib.: Califórnia Filmes
      Direção: Callie Khouri
      interfilmes.com/filme_18901_Loucas.por.Amor.Viciadas.em.Dinheiro-(Mad.Money).html

    3. Sem limites
      Este é outro filme que eu assisti e vai bem na linha do “Sem sentido”, porém não tem o tom de comédia. Este é bem mais drama, mas é um filme muito melhor produzido, ótimos atores e trama, cheio de reviravoltas e simplesmente sensacional.

      A base de um remédio ainda não legalizado pela FDA(Food and Drug Administration, uma espécie de ANVISA norte-americana), o personagem central passa de um relés escritor a um grande escritor, trader de sucesso e homens de negócios. Tudo isto foi graças a um custo muito alto e não dá para falar muito mais, senão eu conto o filme todo.

      Eu recomendo por ser um filmaço!!!

      Sinopse:
      Eddie Morra (Bradley Cooper) sofre de bloqueio de escritor. Um dia, ele reencontra na rua seu ex-cunhado, Vernon (Johnny Whitworth), que lhe apresenta um remédio revolucionário que permite o uso de 100% da capacidade cerebral. O efeito é imediato em Eddie, pois ele passa a se lembrar de tudo que já leu, ouviu ou viu em sua vida. A partir de então ele consegue aprender outras línguas, fazer cálculos complicados e escrever muito rapidamente, mas para manter este ritmo precisa tomar o remédio todo dia. Seu desempenho chama a atenção do empresário Carl Van Loon (Robert De Niro), que resolve contar com sua ajuda para fechar um dos maiores negócios da história.
      adorocinema.com/filmes/sem-limites

    4. Lunar (2009)
      Este filme deveria ter sido melhor produzido. É um ótimo tema sobre energia renovável.
      A trama é bem “xarope”. Até gostei e lembra um pouco os filmes “A ilha” e “Sexto dia”.

      Sinopse:
      Sam Bell (Sam Rockwell) é um astronauta que cumpre uma missão de três anos na Lua, em uma base instalada pela Lunar Industries. Sua função é extrair do solo e enviar regularmente à Terra uma substância que ajuda a renovar a energia do planeta. Sam tem apenas a companhia do computador GERTY (Kevin Spacey) e está ansioso para completar o trabalho, o que ocorrerá dentro de duas semanas, quando um novo funcionário virá substituí-lo. Só que, repentinamente, Sam começa a delirar e sofre um acidente. A partir de então ele encontra um clone seu dentro da estação lunar.
      adorocinema.com/filmes/filme-136189

    5. Margin Call – O Dia Antes do Fim
      Mais um ótimo filme sobre a crise financeira de 2008 que os seus feitos de certa forma perduram até hoje.
      Vale a pena assistir, principalmente para quem é do mercado financeiro.

      Sinopse:
      No começo da crise financeira de 2008, um analista de operações tem acesso a informações que podem levar a queda da empresa onde trabalha e empurra a vida de todos os envolvidos para um desastre.
      interfilmes.com/filme_25675_Margin.Call.O.Dia.Antes.do.Fim-(Margin.Call).html

    6. Documentário: A Ascensão do Dinheiro
      Eu não li o livro do Niall Ferguson, mas o documentário que eu assisti da BBC, dividido em 6 episódios, é simplesmente fantástico. Pressuponho que o livro não fique para trás.
      Focado em entender o origem do dinheiro e do sistema financeiro atual em si, assim como as crises financeiras e as bolhas e seus estouros, surgimento de novas bolhas, ciclo “non stop”.
      Vale de mais a pena assistí-lo.
      Outros ótimos comentários sobre documentário você encontra aqui:
      http://www.senhormercado.com.br/a-ascensao-do-dinheiro
    7. Zona Verde
      Bom filme que lança uma bela crítica ao motivo da 2ª invasão do Iraque pelos EUA para “achar as armas de destruição em massa”, as quais nunca foram achadas, mas “ajudou” aos EUA aumentarem ainda mais o déficit fiscal deles.
      Com Matt Damon no elenco.

      Sinopse:
      Em 2003, o subtenente do exército americano Roy Miller (Matt Damon) e sua equipe são designados para achar armas de destruição em massa supostamente guardadas no deserto do Iraque. Mas, indo de um lugar cheio de armadilhas e trincheiras a outro, os homens que buscam agentes químicos mortais esbarram em uma farsa que subverte o propósito da missão. Agora Miller precisa vasculhar os serviços secreto e de inteligência escondidos em terra estrangeira para encontrar respostas que ora acabarão com um regime nocivo ora propagarão uma guerra em uma região instável. Nesse momento delicado e nesse lugar inflamável, ele descobre que a arma mais ilusória de todas é a verdade.
      interfilmes.com/filme_22463_zona.verde.html

    8. Uma Boa Ação (Good Deeds)
      Ótimo filme. É mostrado de forma muito evidente o confronto entre o fracasso e o sucesso financeiro vivido por seus protagonistas e as consequências disto. Claro que isto ocorre de uma forma muito improvável de acontecer na vida real, mas vale a pena conferir a trama.

      Sinopse:
      Um homem de sucesso sempre cumpriu as expectativas dos que o rodeiam: desde presidir a empresa de seu pai até se comprometer com sua bela noiva. Sua vida perfeita mudará quando a faxineira de seu escritório o apresenta a outra realidade.
      interfilmes.com/filme_29135_Uma.Boa.Acao-(Good.Deeds).html

    Até o próximo post.

    Filmes

    Dicas de filmes, documentários e vídeos – parte 9

    12 de Maio de 2013

    Vamos para a parte 9 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de filmes, vídeos e documentários ligados ao mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis, questões político-econômicas, e assuntos relacionados.

    1. Grande demais para quebrar

      Muito bom o filme, elenco e roteiro.
      Foi menos entretenimento que WallStreet, O dinheiro nunca dorme, e menos documentário do que Trabalho Interno, mas o filme ficou muito interessante.
      O foco ficou mais na correria do Tesouro Americano e Fed para resgatar os grandes bancos e seguradoras.
      Bem, uma coisa deu certo, a economia norte-americana e mundial não entrou em depressão, o capitalismo continou de pé, e de fato, eles eram muito grandes para falir, principalmente a AIG !
      O Paul Giamati de Ben Bernanke ficou hilário demais lol risada, o ator que fez o Henry Paulson poderia ser mais jovem para se parecer mais com o original, mas ficou bom.
      A Nancy Pelose, chefe do congresso, ficou muito parecida também.
      Foi sensacional ver o sufoco do Tesouro, Fed e Casa Branca para sairem com o acordo para pegar os US$ 700 bi com autorização do congresso e do senado, sendo que o projeto que era pequeno inicialmente, virou um verdadeiro Frankeinstein, como se falou muito na época.

    2. Minha Terra, Minha Vida (1984)
      É um belo filme, um drama sobre uma família de fazendeiros, que após muitos anos vivendo de uma fazenda da família que passou de geração para geração se vê nas garras dos sistema financeiros graças ao crédito rural, no caso, era banco público, mas também os bancos privados e mistos fazem este tipo de financiamento.

      E aí, vem o lado negro, obscuro, dos bancos, a hora que executam as garantias por falta de pagamento, com vimos muito bem recentemente na crise do subprime.

      O problema é que no caso dos fazendeiros, eles especulam, prevêem, esperam, que a fazenda vai produzir o suficiente para poder pagar o empréstimo, e aí, as previsões não se concretizam, o clima não ajuda, uma doença mata grande parte dos animais, e sem grana para pagar, e após várias vezes renegociando a dívida, dançam, e perde suas terras, equipamentos, animais, etc., e pior, a única forma de sustento de toda a família.

      O capitalismo e/ou social capitalismo é muito bom com o fornecimento de crédito para permitir o maior crescimento das empresas, agronegócio, etc., porém, como os bancos são agiotas legalizados, ou sejam, cobram juros abusivos no limite da lei, muita gente sem planejamento financeiro ou com expectativa de lucros do negócio, emprego, etc. acabam fracassadas e caem nas teias do sistema.

      Infelizmente o socialismo e comunismo por ter vários espertos (chefes) no seu comando, eles querem viver como sheiks ou reis com os servos vivendo das esmolas do sistema, e eles cheio de serviçais para sustentá-los e trabalhar por eles, exatamente como fez a Igreja e os Reinados na Idade Média.

      E dado o completo fracasso do socialismo e comunismo, que se não tivesse a ganância humana seria o ideal, tudo é de todos, o que temos ainda de menos ruim, mesmo com todas falhas, é o capitalismo.

    3. O Informante

      Este filme tem tudo haver com o mercado financeiro, no que tange a informação.

      Sinopse:
      Em 1994, ex-executivo da indústria do tabaco deu entrevista bombástica ao programa jornalístico “60 Minutos”, da rede americana CBS.
      Dizia que os manda-chuvas da empresa em que trabalhou não apenas sabiam da capacidade viciadora da nicotina como também aplicavam aditivos químicos ao cigarro, para acentuar esta característica.
      Na hora H, porém, a CBS recuou e não transmitiu a entrevista, alegando que as consequências jurídicas poderiam ser fatais.
      Baseando-se nesta história real, O Informante narra a trajetória do ex-vice-presidente da Brown & Williamson Jeffrey Wigand (Russell Crowe) e do produtor Lowell Bergman (Al Pacino), que o convenceu a falar em público.
      http://www.adorocinema.com/filmes/filme-22767

    Até o próximo post.

    Filmes

    Dicas de filmes, documentários e vídeos – parte 5

    10 de Abril de 2013

    Vamos para a parte 5 desta de série de posts onde compartilharmos dicas de filmes, vídeos e documentários ligados ao mercado financeiro, bolsa de valores, investimentos, finanças pessoais, macroeconomia, contábeis, questões político-econômicas, e assuntos relacionados.

    1. Cassino

      Como muitos vêem a bolsa como um cassino, este é um ótimo filme sobre o assunto. O elenco é de primeira categoria.
      Vale à pena conferir.

      Sinopse:
      Através de três personagens básicos: um diretor de cassino (Robert De Niro) com um passado comprometedor; uma prostituta de alta classe (Sharon Stone), que dominava a todos, menos o seu cafetão; e um gângster (Joe Pesci), que tomava conta do diretor do cassino e passa gradativamente, a seguir os passos dela, criado um painel de Las Vegas dos anos 70, quando a Máfia controlava o jogo, até o gradual surgimento das grandes corporações, que ficaram no lugar das quadrilhas e transformaram a cidade em uma Disneilândia.
      Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-14178

    2. Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro

      Este é um filme onde mostra-se a imprensa trabalhando para combater o crime organizado e a sua economia que gira num mundo paralelo à economia formal, no caso, crime de milícias + crime de corrupção política, além de mostrar um sistema com uma corrupção embutida em várias partes da sociedade até às esferas mais altas do poder, o governador do estado do Rio de Janeiro e Secretário de Segurança Pública.
      Parece que qualquer semelhança com o casal que comandou o referido estado por 8 anos, não será mera coincidência, porém vale ressaltar, por mais reflexiva que seja, ainda é uma obra de ficção.

      E para quem ainda não assistiu, eu recomendo fortemente este filmaço, um campeão de bilheteria do cinema nacional e um dos melhores filmes nacionais que eu já assisti até hoje.

      Sinopse:
      Wagner Moura retoma o personagem mais marcante de sua carreira, o capitão Nascimento, na sequência de Tropa de Elite, filme também dirigido por José Padilha, ganhador do Urso de Ouro no Festival de Berlin, 2008. Nascimento, dez anos mais velho, cresce na carreira: passa a ser comandante geral do BOPE e depois Sub Secretário de Inteligência. Em suas novas funções, Nascimento faz o BOPE crescer e coloca o tráfico de drogas de joelhos, mas não percebe que ao fazê-lo, está ajudando aos seus verdadeiros inimigos: policiais e políticos corruptos, com interesses eleitoreiros. Agora, os inimigos de Nascimento, são bem mais perigosos.

      Fonte: http://www.interfilmes.com/filme_22615_tropa.de.elite.2.html

    3. Trocando As Bolas (Trading Places)

      Ótimo filme de comédia que tem como pano de fundo um mega investidor da bolsa de valores e um mendigo de rua. Os dois protagonistas são especialistas em comédias.
      Vale à pena conferir para reflexão e dar muitas risadas.

      Sinopse:
      O que pode acontecer, quando um magnata de Wall Street encontra um esperto mendigo de rua? Descubra a resposta nesta clássica comédia que alavancou a carreira de dois super-astros de Hollywood, Eddie Murphy e Jame Lee Curtis. Do aclamado diretor John Landis, esta é a história de um malandro (Murphy) que troca seu estilo de vida com a de um investidor grã-fino (Dan Akroyd). Daí em diante, a diversão fica mais rica a cada minuto!
      Fonte: http://www.interfilmes.com/filme_18582_Trocando.As.Bolas-(Trading.Places).html

    Até o próximo post.

    Filmes, Off

    Comentários sobre o filme Lincoln

    17 de Fevereiro de 2013

    Para mim foi um bom filme, embora no começo seja meio amarrado, depois desenrola.
    Pode-se dizer que foi o mensalão do Lincoln.
    E fica a pergunta, pelo peso da causa, os fins justificaram os meios?
    Como era uma causa nobre, o preço seria pago em dinheiro ou em sangue, pela guerra, logo concluo que foi justo o preço pago.

    O pessoal da maquiagem e figurino deixaram o Daniel Day Lewis impecável e muito parecido com o Lincoln, fora sua atuação de gala.

    Resenha no IMDB:
    Lincoln (2012)

    Até o próximo post.