Hypermarcas desvaloriza após delação premiada e micocap despenca até 19% após plano de recuperação cancelado
Geral

Hypermarcas desvaloriza após delação premiada e micocap despenca até 19% após plano de recuperação cancelado

28 de junho de 2016

A Polícia Federal continua derrubando os ativos na bolsa de valores, claro que somente daqueles que ocupam as páginas policiais dos noticiários. A limpeza da corrupção segue a pleno vapor. Quem sabe um dia o Brasil não vire um país.

10h56: Hypermarcas (HYPE3, R$ 27,37, -3,46%)
O ex-diretor de Relações Institucionais do Grupo Hypermarcas, Nelson Mello, afirmou em delação premiada que pagou R$ 30 milhões a dois lobistas para que eles repassassem a propina para senadores do PMDB, entre eles o presidente do Congresso, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Eduardo Braga (AM). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a Hypermarcas afirmou que não teve nenhum benefício dos atos praticados pelo executivo. “Após a saída do ex-executivo, a Companhia contratou assessores externos renomados para conduzirem uma auditoria, já finalizada, que concluiu que o Sr. Mello autorizou, por iniciativa própria, despesas sem as devidas comprovações das prestações de serviços”, diz a nota.

10h44: Lupatech (LUPA3, R$ 1,56, -19,17%)
A Lupatech ameniza as perdas, que chegaram a 19,17% na mínima do dia, após informar que a 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo deu provimento a dois agravos de instrumento interpostos por credores do Grupo Lupatech no sentido de anular a decisão homologatória do plano de recuperação judicial do Grupo Lupatech, proferida pelo D. Juízo da 1ª Vara de Falências, Recuperações Judiciais e Conflitos Relacionadas à Arbitragem da Comarca de São Paulo.

Em comunicado, a companhia informou que aguarda a disponibilização da íntegra das decisões tomadas pelos Desembargadores componentes da 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial, e disse que tomará as medidas cabíveis para fazer valer a vontade da maioria dos seus credores reunidos em assembleia.

Mico cap Lupatech despenca na bolsa com recuperação judicial anulada
infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/5227784/hypermarcas-cai-apos-delacao-small-cap-desaba-ate-com-plano

Veja também:

Como funciona a Recuperação Judicial?

Até o próximo post.

2 Comments

  • Reply Vilmar 23 de dezembro de 2016 at 16:14

    Hypermarcas vende por R$ 1 bilhão seu negócio de produtos descartáveis para a Ontex
    Lopes Filho

    No mesmo dia em que esclareceu à Bovespa que não havia assinado instrumento vinculante, a Hypermarcas publicou na noite de ontem um comunicado confirmando um Contrato de Compra e Venda de Ações com a Ontex Group para alienação de seu negócio de produtos descartáveis. O preço, de R$ 1 bilhão, será recebido à vista no primeiro trimestre de 2017, quando a Hypermarcas espera concluir a transação, que depende da aprovação de órgãos de defesa da concorrência. O Negócio de Produtos Descartáveis é substancialmente composto pelas marcas de fraldas infantis Pom Pom, Cremer e Sapeka, além de Bigfral, marca líder no Brasil no segmento de fraldas para incontinência. A transação atual, em conjunto com a venda do negócio de cosméticos para a Coty em 2015 e com a venda do negócio de Preservativos para a Reckitt Benckiser Brasil este ano, conclui o processo de reestruturação do portfólio da Hypermarcas, que se torna, então, uma empresa farmacêutica pura. Notícia positiva.

  • Leave a Reply

    CAPTCHA *