Exame: Vale a pena comprar ações que custam centavos?
Geral

Exame: Vale a pena comprar ações que custam centavos?

26 de maio de 2013

A resposta para esta pergunta é simples e fácil: NÃO!
Exceto se o investidor souber especular, aí tanto faz o tipo de ativo que ele vai operar.
“Jogo é chance cega enquanto especular (do latin speculari) é ponderar; examinar com atenção; averiguar; observar; indagar, pesquisar; raciocinar; refletir.”
José Ulpiano de Almeida Prado
http://defendaseudinheiro.com.br/frases-e-pensamentos-parte-7

Quem especula deve traçar um plano de trade, pontos de entrada e saída, de acordo com a estratégia e controle de risco.
Agora se entrou no ativo de centavinhos com base na “dica quente”, viu o seu capital diminuir cada vez mais por que não sabia o que estava fazendo, foi levado pela ganância do lucro fácil e aí resolveu “deixar para LP (Longo Prazo)”, o negócio é fazer como diz o Bastter e seu vídeo Vamos Parar de Palhaçada!!!, vai escrever 5.000 vezes que nem no colégio: – Eu errei, eu errei, eu errei…..; e bola pra frente. Recuperar o prejuízo em outros ativos, quiçá outros mercados.
Quem não sabe brincar, não desce pro play!

Vale a pena conferir a matéria:

Ações | 26/05/2013 09:00
Vale a pena comprar ações que custam centavos?
Internauta quer saber se, para quem não tem grande volume para investir todo mês, vale mais a pena se voltar para as empresas cujas ações custam alguns centavos

PERGUNTA:
Empresas cujas ações custam centavos podem estar em dificuldade financeira, diz especialista
Dúvida do internauta: Disponho de cerca de 200 reais por mês para aplicar. Vale a pena comprar ações de empresas que, no momento, custam centavos? Ou é melhor recorrer a um fundo de investimentos?

RESPOSTA:
Empresas que custam centavos normalmente estão em dificuldades financeiras. Você até pode fazer isso mas o risco é muito grande. Pode ser que essa empresa se recupere e você venha ter um belo de um ganho. Eu só aconselho a entrar quem tem muito sangue frio. O ideal é que você guarde todo mês esses 200 reais e, quando tiver um montante de pelo menos 1.500 reais, que você faça a sua primeira compra no mercado de renda variável.
exame.abril.com.br/seu-dinheiro/dicas-de-especialista-para-seu-dinheiro/noticias/vale-a-pena-comprar-acoes-que-custam-centavos

Confira também:

Até o próximo post.

21 Comments

  • Reply Centaveira 18 de agosto de 2017 at 15:18

    18 AGO, 2017 12H21
    Atenção: units BBTG11 deixam de ser negociadas na B3 a partir de segunda-feira
    De acordo com a diretoria de relações com investidores do BTG Pactual, a medida visa o cumprimento de uma exigência da B3 contra ativos negociados abaixo de R$ 1,00 por 30 pregões consecutivos, situação das units BBTG12

    SÃO PAULO – A partir da próxima segunda-feira (21), as units BBTG11, do BTG Pactual, deixarão de ser negociadas na B3. Conforme comunicado da companhia datado de 4 de agosto, haverá uma migração automática de todos os atuais titulares remanescentes desses papéis para a estrutura de negociação segregada. Isso significa que os acionistas receberão, para cada unit BBTG11, uma unit BPAC11 e outra BBTG12. O prazo para a migração voluntária, a custos menores, se encerrou nesta sexta-feira.
    “A Migração Automática fará necessariamente com que a liquidez dos ativos das Companhias se concentrem nas units BPAC11 e units BBTG12, e continuará permitindo que os investidores – que assim desejarem – possam participar de ambas as Companhias simultaneamente tal qual originalmente, quando estavam reunidas por meio da units BBTG11, na medida em que ainda poderão montar posições em ambas as units BPAC11 e BBTG12”, explicou o banco em fato relevante.

    De acordo com a diretoria de relações com investidores do BTG Pactual, a medida visa o cumprimento de uma exigência da B3 contra ativos negociados abaixo de R$ 1,00 por 30 pregões consecutivos, situação das units BBTG12. Passada a migração, a companhia deverá realizar um grupamento de ações, o que reduzirá o volume de papéis negociados e elevará os preços, mantendo a lógica pelo valor de mercado. A operação ocorrerá em 6 de setembro.

    A partir de 8 de setembro, as ações classe A e as ações classe B de emissão da BTGP, serão grupadas na proporção de 9 para 1. “Após o Grupamento (i) as atuais 259.531.855 ações classe A passarão a ser 28.836.873 ações classe A, (ii) as atuais 519.063.710 ações classe B passarão a ser 57.673.746 ações classe B, e (iii) as atuais 259.531.855 units BBTG12 passarão a ser 28.836.873 units BBTG12. A composição de cada unit BBTG12 continuará a mesma, sendo 1 BDR classe A (representando 1 ação classe A) e 2 BDRs classe B (representando, cada, 1 ação classe B)”, explicou o banco no documento.

    Ainda segundo a diretoria d relações com investidores do BTG, investidores detentores de units com quantidade diferente de múltiplos de 9 units BBTG12 terão até o dia do grupamento (06/09) para adquirirem ou alienarem units BBTG para permanecerem titulares de quantidade que evite a entrada no mercado fracionário, de menor liquidez.
    infomoney.com.br/btgpbanco/noticia/6898655/atencao-units-bbtg11-deixam-ser-negociadas-partir-segunda-feira

  • Reply Vilmar 3 de junho de 2016 at 19:56

    O “mico” da Bolsa que Cunha tentou vender para estatal de petróleo por US$ 50 milhões – InfoMoney
    MANGUINHOS – RPMG3 / RPMG4

    http://www.infomoney.com.br/petmanguinhos/noticia/5095517/mico-bolsa-que-cunha-tentou-vender-para-estatal-petroleo-por

  • Reply Vilmar 6 de novembro de 2015 at 17:42

    Centaveiras ambulantes: é para passar bem longe delas!

    10h09 – Paula Barra
    Falência de empresas cria duas “metamorfoses” na Bovespa – e há mais 18 na espera
    Em meio à complicada situação financeira, duas empresas passaram por uma completa transformação na Bovespa esse ano, mudando ramo de negócio, nome, denominação social e, por fim, até seu ticker de negociação no mercado

    http://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4374102/falencia-empresas-cria-duas-metamorfoses-bovespa-mais-espera

  • Reply Vilmar 6 de novembro de 2015 at 14:15

    Fugindo da Bolsa: veja as 9 “penny stocks” que anunciaram grupamento – InfoMoney

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4389963/fugindo-bolsa-veja-penny-stocks-que-anunciaram-grupamento

  • Reply Vilmar 16 de setembro de 2015 at 22:57

    @valor_economico:
    Grupo de acionistas tenta barrar oferta e manter Estrela na Bolsa
    http://t.co/LOZ6gic6cP

  • Reply vilmar 16 de setembro de 2015 at 11:01

    Estrela
    O acionista controlador da fabricante de brinquedos Estrela (ESTR4) fará OPA (Oferta Pública de Aquisição) das ações para fechamento de capital da companhia. Carlos Antonio Tilkian fará oferta de R$ 0,37 por ação para adquirir todas as ações da companhia em circulação no mercado. O valor representa um prêmio de 2,8% sobre o último preço de fechamento dos papéis preferenciais, que não foram negociados na terça-feira e fecharam a segunda-feira cotados a R$ 0,36.

  • Reply Vilmar 1 de setembro de 2015 at 16:59

    13h05 : V-Agro aprova grupamento de ações

    O Conselho de administração da V-Agro aprovou grupamento da totalidade das ações ordinárias da empresa na proporção de 30 para 1. As ações devem passar a ser negociadas ex-grupamento no dia 21 de setembro, primeiro pregão após a realização da AGE a ser convocada para este fim. O grupamento tem a finalidade de reenquadrar esta ação ao regulamento da Bolsa que veda a manutenção nos mercados organizados pela BM&FBovespa de ações com valor de cotação inferior a R$1,00.

  • Reply Vilmar 20 de agosto de 2015 at 17:08

    MERCADOS 20/08/2015 11:44
    As ações que podem dar adeus à bolsa

    Penny Stocks

    São Paulo – Agora é pra valer, a Bovespa não aceitará mais as chamadas “penny stocks”, que são papéis cotados abaixo do 1 real na bolsa. “A ação muito baixa é volátil e atrai investidores que atuam de maneira especulativa. Nós queremos acabar com isso”, explica Flávia Mouta, diretora de Regulação de Emissores da BM&F Bovespa.

    Segundo o novo regulamento, a Bovespa faz um acompanhamento de todas as ações desde o último dia 18. Dessa forma, as empresas que tiverem papéis cotados a um valor abaixo do 1 real por 30 pregões consecutivos terão que apresentar uma proposta para a resolução do problema.

    A partir da apresentação dessa proposta, a companhia tem ainda um período de no mínimo 6 meses ou até a próxima assembleia geral da empresa para solucionar o problema. Caso a solução não ocorra, as negociações dos papéis podem ser suspensas e até mesmo excluídas da bolsa.

    A saída mais prática e provável para as empresas que atualmente tem papéis cotados abaixo do 1 real é a realização de grupamentos. Algumas companhias como a Nutriplant, Prumo Logística e o Banco Mercantil já sinalizaram que irão adotar essa medida.

    Mas, especialistas questionam a estratégia. “Nós temos exemplos de empresas que fizeram grupamentos, mas suas ações acabaram sofrendo muita pressão e voltaram a cair, o que levou novamente as ações à casa dos centavos”, comenta Felipe de Oliveira Martins Silveira, analista da Coinvalores.

    Para Flávia, a culpa das ações voltarem a “penny stocks” não pode ser colocada nos grupamentos. “Não é o grupamento que vai gerar uma pressão sobre o papel e sim a companhia. O grupamento sana um problema que não é bom para o mercado e aí os fundamentos da companhia é que vão levar o papel a cair ou não”, comenta.

    O regulamento já é válido desde agosto de 2014 para empresas que se listaram ou tiveram ações admitidas na bolsa a partir de então. Mas, para companhias que já estavam listadas na bolsa antes disso, as regras só passaram a valer no dia 18 de agosto desse ano.

    Confira a seguir as empresas que eram cotadas na casa dos centavos até o último dia 12 de agosto, de acordo com levantamento feito pela Bovespa.

    Tópicos: Ampla, Energia elétrica, Empresas, Empresas italianas, Serviços, Andrade Gutierrez, Holdings, Empresas brasileiras, Bancos, Banco Amazônia, Battistella, Construção pesada e engenharia, Beter, Bovespa, Bolsas de valores, BM&FBovespa, Serviços financeiros, Empresas abertas, Setor de seguros, BR Insurance, Brasil Pharma, Setor de saúde, Indústria de eletrodomésticos, CCX, Equipamentos, máquinas e peças, Cobrasma, Coinvalores, Contax, Serviços operacionais, Coteminas, Têxteis, Roupas, calçados e acessórios, Springs Global, Setor de transporte, Eneva – ex-MPX, Petróleo, gás e combustíveis, Equatorial, Brinquedos, Estrela, Brinquedos e jogos, Telecomunicações, Grupo Jereissati, Utilidades domésticas, Hércules, Ibovespa, Mercado financeiro, Inepar, Karsten, Siderúrgicas, Mineração, MMX, OGpar -ex-OGX, Indústria do petróleo, OSX, PDG, Construção civil e intermediação, Rossi, Materiais diversos, Tectoy, Teka, Viver, Vulcabras|Azaleia

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/as-acoes-que-podem-dar-adeus-a-bolsa-penny-stocks#1

  • Reply Vilmar 18 de agosto de 2015 at 12:59

    Dias contados para as ações de centavos

    Valor – 18/8/2015

    Um ano e meio após preparar o mercado para as mudanças, entra hoje em
    vigor de forma definitiva o novo regulamento para listagem de emissores da
    BM&FBovespa. Uma de suas principais medidas será a eliminação das
    chamadas “penny stocks”, ações ou units negociadas a centavos. A julgar
    pelos dados do pregão da última quarta-feira (12), cerca de 60 empresas têm
    razões para se preocupar, das quais 15 com papéis no Novo Mercado,
    principal segmento de governança corporativa da bolsa brasileira. No grupo
    dessas companhias com ações que valiam centavos na semana passada, há
    nomes conhecidos como Brasil Pharma, Coteminas, PDG Realty e Rossi,
    além das antigas empresas do grupo EBX, do empresário Eike Batista.

    Embora a pressão tenha aumentado para que essas companhias tomem
    medidas para elevar a cotação de seus papéis, na prática, a bolsa segue com
    um prazo flexível para a adaptação. A partir desta terça-feira, se o valor de
    uma ação estiver abaixo de R$ 1,00 por 30 pregões seguidos, a empresa terá
    que se enquadrar, independentemente de o papel ter sido negociado no
    período. O prazo para resolver o descumprimento será de no mínimo seis
    meses, ou até a data da primeira assembleia geral de acionistas realizada
    após a data de envio de notificação pela Bolsa.

    Segundo Flavia Mouta, diretora de regulação de emissores da
    BM&FBovespa, embora não haja um prazo máximo para a adequação das
    empresas, elas precisam cumprir determinadas etapas do processo (ver
    tabela ao lado) . “Estamos orientando as companhias para que elas não fiquem no
    limite”, afirma.

    Caso não cumpram as obrigações impostas, as empresas estarão sujeitas a
    multas de até R$ 500 mil, a suspensão da negociação e, em último caso, suas
    ações poderão ser excluídas da bolsa. “Se a companhia não tomar uma
    atitude para deixar de ser penny stock, nós tomaremos”, enfatiza Flavia, que
    espera uma movimentação grande nas próximas assembleias.

    Salvo se a empresa tiver alguma mudança de fundamento que altere o preço
    de seus papéis de maneira estrutural, como uma reestruturação societária ou
    uma fusão, a única solução para aumentar o valor das ações é o grupamento,
    que precisa ser aprovado pelos investidores.

    “Essa deve ser a medida adotada por quase todas as empresas. Há poucas
    alternativas, principalmente para essas companhias cotadas a centavos que
    estão em situações financeiras complicadas ou são muito antigas na bolsa”,
    observa Vanessa Fiusa, sócia do escritório Mattos Filho.

    Há ainda casos de empresas em recuperação judicial, como a Eneva (antiga
    MPX), que convocou assembleia geral extraordinária para o próximo dia 26,
    na qual deverá tratar do aumento de capital da companhia, no valor de até
    R$ 3 3,65 bilhões.

    A Bolsa avalia para que o grupamento a reduzir a volatilidade dos papéis, já
    que, quando cotados a centavos, oscilações irrisórias representam
    percentuais elevados de variação dos ativos. Devido ao baixo preço, as penny
    stocks também costumam atrair investidores com viés mais especulativo, que
    negociam valores mobiliários sem embasamento em fundamentos
    econômicos.

    Embora seja uma medida simples do ponto de vista legal, Vanessa assinala
    que o grupamento pode não ser eficaz para mudar o patamar de preço das
    ações de uma companhia, caso ela continue mal avaliada pelo mercado.

    “O grupamento, apesar de ter o objetivo e o benefício de aumentar a liquidez,
    de impedir uma volatilidade muito grande do papel, é bom para empresas
    que de fato estejam bem, que sejam saudáveis”, pontua a advogada. “Vários
    casos não foram bem-sucedidos no passado.”

    Para que todos detenham pelo menos uma ação após o grupamento, a Bolsa
    determina que o acionista controlador doe papéis para completar a
    participação de investidores detentores de frações, ou que haja uma
    aglutinação das frações em lote inteiro e sua venda em bolsa pela companhia.
    Ainda conforme o regulamento da bolsa, as detentoras de penny stocks
    deverão ser capazes de manter a cotação acima de R$ 1,00 por seis meses
    seguidos.

    Por se tratar de um evento de liquidez, contudo, o investidor poderá
    aproveitar o grupamento para vender as ações da empresa, ressalta Vanessa,
    que lembra ainda que não há um limite para a realização de grupamentos de
    ações, ainda que esse tipo de operação possa perder a eficácia quando feito
    em sequência.

    De olho no movimento de mercados mais maduros, a orientação da bolsa
    brasileira é que as empresas tentem deixar seus papéis num patamar de
    preço entre R$ 20 e R$ 40, que corresponde a uma “faixa ideal”, menos
    sujeita à instabilidade. “Uma faixa ótima de volume diário seria uma ação
    entre R$ 10 e R$ 40. Por conservadorismo, recomendamos essa faixa mais
    restrita”, diz Flavia, da BM&FBovespa.

    Nos Estados Unidos, por exemplo, a Securities and Exchange Commission
    (SEC, órgão regulador do mercado de capitais do país) estabelece que penny
    stocks são ações cotadas abaixo de US$ 5,00 e negociadas em mercado de
    balcão. A New York Stock Exchange (Nyse) veda a negociação de papéis com
    cotação inferior a US$ 1,00 por período superior a 30 pregões consecutivos.
    Casos famosos como o de Jordan Belfort, conhecido como “o lobo de Wall
    Street”, não têm mais vez nos EUA.

    Na Alemanha, por sua vez, penny stocks são papéis com cotação menor que €
    1,00 e não podem ser negociados nos principais mercados da Deutsche
    Böerse.

    As companhias brasileiras já estão cientes das mudanças. A Bolsa enviou há
    cerca de um mês um ofício que trata da entrada em vigor do novo
    regulamento e os principais pontos de novidade.

    Algumas empresas já têm inclusive se movimentado. Este é o caso da
    Nutriplant, que convocou assembleia geral extraordinária para o próximo dia
    20 para deliberar sobre um grupamento de ações na proporção de 100 para 1.
    “A administração da companhia, em face da atual volatilidade do mercado de
    valores mobiliários brasileiro, propõe a realização do grupamento de ações
    neste momento, como forma de, preventivamente, dirimir os riscos de não
    preenchimento dos requisitos de listagem na BM&FBovespa”, afirmou a
    empresa, em fato relevante.

    A Prumo Logística também vai submeter aos acionistas proposta para
    grupamento dos papéis à razão de 10:1. O Banco Mercantil de Investimentos
    informou que vai tomar a mesma medida, mas ainda não definiu a
    proporção.

    O regulamento da bolsa passou a valer em agosto de 2014 para empresas que
    se listaram ou tiveram as ações admitidas à negociação a partir daquela data.
    As empresas anteriores a essa data tiveram um ano para tomar as
    providências necessárias para atender a regra.
    valor.com.br/financas/4183426/dias-contados-para-acoes-de-centavos

  • Reply Vilmar 23 de julho de 2015 at 18:50

    FINALMENTE NOS CENTAVINHOS, O PÓ É O LIMITE!!

    17h21- Marília Kazmierczak
    Ibovespa recua 2,18%, enquanto dólar e DI disparam com corte na meta fiscal
    Bolsa fecha em queda em dia de piora generalizada no mercado doméstico por conta do anúncio do governo realizado ontem


    Entre as quedas, figuram as ações da Rumo (RUMO3, R$ 0,98, -5,77%) que voltaram cair forte hoje, figurando pela primeira vez de sua história abaixo de R$ 1,00. Os papéis caem por cinco pregões seguidos, período em que acumulam queda de 19,6%. A companhia teve seu rating cortado ontem de BA3 para BA1 pela Moody’s.

    infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4178252/ibovespa-recua-enquanto-dolar-disparam-com-corte-meta-fiscal

  • Reply Vilmar 25 de junho de 2015 at 18:33

    BREAKING NEWS:
    Minupar anuncia grupamento de 50 para 1 ação: mais uma cilada?
    http://www.infomoney.com.br/minupar/noticia/4124841/minupar-anuncia-grupamento-para-acao-mais-uma-cilada

  • Reply Vilmar 18 de junho de 2015 at 13:17

    BREAKING NEWS:
    Cilada confirmada: Lupatech desaba mais de 40% depois de grupamento
    http://www.infomoney.com.br/lupatech/noticia/4110205/cilada-confirmada-lupatech-desaba-mais-depois-grupamento

  • Reply Vilmar 18 de junho de 2015 at 12:57

    TecToy
    Outra “mico” da Bolsa por ter suas ações cotadas a centavos que está prestes a realizar a mesma operação é a Tec Toy (TOYB3; TOYB4). Hoje, acionistas da empresa aprovaram o grupamento de ações na proporção de 1 milhão para uma ação. Com a operação, a ação sairá dos atuais R$ 0,01 para R$ 10,00 – isso porque as ações da companhia são negociadas com lote padrão de 10.000 papéis; tradicionalmente, esse lote padrão é de 100 ações. O grupamento será realizado no dia 18 de agosto.
    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4109120/petrobras-deve-divulgar-reestruturacao-julho-recomendacoes-mais-noticias-radar

  • Reply Vilmar 5 de junho de 2015 at 11:49

    PRML3

    Logo devolverá tudo!!
    As centaveiras compradas no topo, muito longe de empatar o “desinvestimento” agora ficam cantando de galinhas, kkkkkkkk!!
    Pó e fim de papo, dedo podre do peruka charlata!!!
    EU AVISO!!!!
    Avisei e tinha dito!!!

    =]

  • Reply Vilmar 3 de junho de 2015 at 15:02

    TERI3 0,85 cents, quem vai??

    DESTAQUES DA BOLSA
    Bancos e Vale caem, Petrobras sustenta alta e Tereos afunda 15%

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4081702/bancos-vale-siderurgicas-caem-petrobras-sustenta-alta-tereos-afunda

  • Reply Vilmar 2 de junho de 2015 at 11:41

    Vendo suas ações valerem 1 centavo na Bolsa há pelo menos 4 meses, a Tec Toy (TOYB3; TOYB4) convocou seus acionistas para uma assembleia no dia 17 de junho para realizar um grupamento colossal de suas ações, na razão de 1 milhão em um lote de mil ações. Ou seja, se a operação for aprovada, as ações sairão de R$ 0,01 e passarão a valer R$ 10 cada.
    http://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4077966/petrobras-capta-vale-elevada-pelo-itau-bba-confira-mais-noticias

  • Reply Vilmar 26 de maio de 2015 at 11:53

    lupa3 mico news:

    09h36- Ricardo Bomfim
    Fornecedora da Petrobras entra em recuperação judicial; ação está suspensa na Bolsa

    A empresa que é fornecedora da Petrobras e já caiu quase 100% na Bolsa desde 2008 disse que a administração tem feito esforços na negociação com credores

    SÃO PAULO – A Lupatech (LUPA3) entrou nesta terça-feira (26) com pedido de recuperação judicial e convocou Assembleia Geral Extraordinária para ratificar pedido. Com isso, de acordo com comunicado da BM&FBovespa, os negócios com as ações da empresa ficam suspensos a partir de hoje enquanto se aguardam “esclarecimentos adicionais”.

    A empresa que é fornecedora da Petrobras (PETR3; PETR4) e já caiu quase 100% na Bolsa desde 2008 e disse que a administração tem feito esforços na negociação com credores.

    O cenário da companhia, que estava tempestuoso desde a crise econômica de 2008, piorou com o escândalo da Operação Lava Jato, que impacta diretamente o setor de Óleo e Gás. Com 64% das suas receitas dependentes de encomendas da Petrobras, a Lupatech sofreu pesadas perdas quando a petroleira optou por um maior rigor nos gastos e por refazer todas as suas grandes licitações por conta da situação da economia.

    No Fato Relevante divulgado hoje, a companhia cita justamente este cenário, junto com a forte queda do preço do petróleo desde 2014.

    “A decisão de ajuizar o pedido de recuperação judicial tem por objetivo preservar o valor da Companhia, sua função social e o estímulo à atividade econômica, atendendo de forma organizada aos interesses de seus credores e acionistas e contingenciando de maneira responsável os ativos da Companhia”, diz ainda o texto.

    Das suas cotações em setembro de 2008, as ações da companhia despencaram impressionantes 99,82%, saindo de R$ 22,30 para R$ 0,04.

    http://www.infomoney.com.br/lupatech/noticia/4063930/fornecedora-petrobras-entra-recuperacao-judicial-acao-esta-suspensa-bolsa

    • Reply Vilmar 27 de maio de 2015 at 11:02

      08h31- Rodrigo Tolotti Umpieres
      Falhas em obras da Petrobras, Eletrobras na justiça e mais 6 notícias no radar
      Qaurta-feira agitada na Bolsa com novidades envolvendo ainda a compra da B2W Viagens pela CVC e casos envolvendo a JBS e Sabesp
      ….

      Lupatech (LUPA3)
      A agência de classificação de risco Standard & Poor’s rebaixou os ratings de crédito da Lupatech de “CCC” para “D”, o que representa calote, depois que a companhia entrou com o pedido de recuperação judicial. A Lupatech concluiu seu programa de reestruturação em setembro do ano passado e converteu os títulos da dívida que não quitou em ações. O plano era vender mais ativos e reunir mais investidores, para conseguir recuperar suas operações.

      No entanto, as investigações de corrupção na Petrobras e a queda do preço do petróleo prejudicaram a indústria do commodity, impedindo a companhia de executar seu plano inicial, de acordo com a S&P.

      http://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/4066341/falhas-obras-petrobras-eletrobras-justica-mais-noticias-radar

  • Reply Vilmar 27 de janeiro de 2015 at 18:59

    All Ore (AORE3, R$ 0,39, +69,57%)
    Nesta sessão, a small cap disparou e bateu sua máxima destde agosto do ano passado, em meio à notícia de que a companhia de mineração All Ore desistiu de operar no setor de exploração mineral no Brasil e anunciou um acordo para comprar negócios de produção e distribuição de cosméticos e produtos de beleza e as atividades de franquia operadas atualmente pela SweetHair. A All Ore era uma companhia pré-operacional criada em 2008 para identificar e explorar oportunidades de mineração no país como ouro e minério de ferro. A empresa desenvolvia projetos de ouro nos Estados da Paraíba e Pará. No âmbito do carta de intenções vinculante que foi assinada com os sócios da SweetHair, a companhia será adquirida por meio de permuta de participações.
    http://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3830081/mineradora-muda-setor-dispara-sabesp-sobe-mesmo-com-falta-agua

  • Reply Vilmar 20 de janeiro de 2015 at 16:29

    15h53- Marina Neves
    Mais uma empresa com problemas agrupou ações na Bolsa: nova cilada à vista?
    Small cap que tem Luis Barsi como maior investidor pessoa física agrupou ações de 10 ações em uma, tirando a cotação da incômoda faixa de centavos; logo no pregão de estreia, papéis chegaram a cair 9%

    SÃO PAULO – Mais uma empresa com problemas operacionais amanheceu grupada na Bolsa na última segunda-feira (12), o que pode voltar a revelar ao investidor a “famosa” cilada que já vimos ultimamente com outras companhias. Desta vez, a Unipar (UNIP6) grupou totalidade de seus papéis na proporção 10 para 1. Na prática: as ações que fecharam a sexta-feira do dia 9 valendo R$ 0,45 “acordaram” na Bolsa a R$ 4,50.

    O que vimos com a Unipar no seu primeiro pregão pós-grupamento foi queda, algo que não chega a surpreender se vermos os casos de Oi (OIBR4) e JB Duarte (JBDU4), duas empresas “problemáticas” que resolveram agrupar suas ações nos últimos meses, com o intuito de deixar a incômoda faixa dos centavos. Os papéis UNIP6 fecharam a segunda-feira pós-grupamento com queda de 2,22%, a R$ 4,40, após chegarem a cair 9% na mínima do dia (R$ 4,11); nos próximos pregões, no entanto, a companhia demonstrou uma leve melhora na Bolsa e hoje os papéis operam na faixa dos R$ 4,50 novamente, com leve queda de 0,44%.

    Não existe uma fórmula segura para ganhar dinheiro na Bolsa, mas a vivência empírica tem revelado que comprar ações recentemente grupadas é uma forma bem eficiente de perder dinheiro. Mas por que empresas em situações delicadas realizam grupamento de ações, se isso só tem ajudado a “aumentar o espaço” para mais quedas na Bolsa – já que uma ação que vale R$ 4,00 tem caminho livre para cair mais do que um ativo cotado a R$ 0,40. Então por que essas empresas agrupam ações?

    Geralmente, o grupamento é visto como uma forma de impedir a grande volatilidade de papéis, sobretudo com pouca liquidez. No entanto, empresas com histórico operacional problemático, afundada em dívidas e com dificuldades de dar a volta por cima no mercado acabam tendo um efeito contrário: em menos de um mês grupada, a ação da Oi já caiu de R$ 10 para R$ 5,30 – quase 47% de desvalorização.

    Unipar: a queridinha do Barsi
    Mas não podemos generalizar as coisas: a Unipar é uma empresa completamente diferente da fabricante de bambu JB Duarte ou da operadora de telefonia móvel Oi. Então, o que faz a Unipar?

    Constituída em 1929, a companhia foi pioneira no setor petroquímico no Brasil, tendo participado da instalação do pólo petroquímico do estado de São Paulo – o primeiro do País -, e atualmente atua no setor de cloro-soda e derivados. Já em 2013 a Unipar adquiriu a participação de 50% do Grupo Occidental na sua subsidiária Carbocloro Participações, tornando-se titular de totalidade do capital social da Carbocloro. A companhia é especializada em produção de ácido clorídrico, cloro, dicloroetano, hipoclorito de sódio, soda cáustica anidra e soda cáustica líquida.

    A Unipar Carbocloro apresentou no 3º trimestre queda de 12% na receita líquida, na comparação anual, ficando em R$ 182,8 milhões. Já o lucro líquido da companhia praticamente sumiu na comparação anual, passando de R$ 354 milhões para R$ 1,7 milhão. No mesmo período, a companhia demonstrou redução de 14% nas despesas gerais e administrativas na comparação trimestral.

    No entanto, característica importante desta companhia não está no seu perfil operacional, mas sim na composição acionária atual, que conta com ninguém menos que o lendário investidor Luis Barsi Filho, detentor de 10,92% de ações ordinárias (UNIP3) e 13,65% de papéis preferenciais, o que o torna o maior acionista pessoa física da companhia. Em entrevista para o InfoMoney, Luis Barsi declara que companhias como a Unipar e Klabin, Eletrobras, Eletropaulo, Transmissão Paulista, Suzano, Eternit e Banco do Brasil são de seu agrado pois a economia não vive sem elas; “essas empresas não vão quebrar nunca”, declarou o investidor.

    Como mencionado acima, este foi o caso inicialmente da JB Duarte, que passados 19 meses do seu grupamento realizado em 2013, os papéis JBDU4 praticamente voltaram ao valor mínimo de Bolsa, valendo R$ 0,06. O motivo para esse “retorno” aos tostões refletiu a manutenção do cenário negativo da empresa: após iniciar sua história produzindo produtos químicos para a indústria têxtil e veterinários, a empresa centenária mudou seu foco de produção para produtos sustentáveis após o “boom” das commodities entre os anos 90 e 2000. Após algumas tentativas falhas de novos negócios, a JB Duarte decidiu apostar sua atuação na plantação de bambu e eucalipto, na tentativa de ajudar no crescimento de um novo mercado no País. No dia que amanheceu grupada, as ações da companhia despencaram 50%.

    Relembramos também que a história se repetiu no grupamento dos papéis da Oi, que desde o grupamento de seus ativos de R$ 1,00 para R$ 10,00, já vê derrocada 43%, fechando nesta segunda-feira cotados a R$ 5,70. A companhia segue sendo prejudicada por sua novela interminável com a Portugal Telecom: hoje, os papéis sofreram forte queda de mais de 13% em meio à notícia de que os acionistas da PT aprovaram hoje o adiamento da assembleia que iria discutir a venda dos ativos portugueses da companhia brasileira para a Altice. Com o adiamento, a assembleia deve ocorrer somente no dia 22 de janeiro.
    m.infomoney.com.br/unipar/noticia/3802967/mais-uma-empresa-com-problemas-agrupou-acoes-bolsa-nova-cilada

  • Reply Vilmar 22 de agosto de 2013 at 19:04

    Golpes e picaretagens – o “pump and dump”

    Pump and dump, ou pump’n’dump. Esse nome esquisito, que mais parece algum ritmo musical em moda nos clubs da vida é, na verdade, um dos mais conhecidos e manjados golpes de investimentos que existem. Tão conhecido e tão manjado… e um monte de gente ainda cai nele, não só no Brasil, mas no mundo todo.

    O nome significa, em Português, algo como “inflar e largar”, e a essa altura o leitor talvez já desconfie do que se trata. Normalmente ele é aplicado usando ações de baixa liquidez e com o preço muito baixo, de preferência cotado em centavos. Ações cotadas em centavos são muito mais “ariscas”, pois pequenas mudanças de preços representam grandes variações percentuais.

    O golpe é muito simples: uma pessoa, ou um grupo (geralmente organizado) compra grandes quantidades de algum “mico” da bolsa (“mico” é a forma carinhosa que a turma da bolsa se refere às ações de baixo valor e baixa liquidez) e aí começa um intenso movimento de tentar, artificialmente, transformar esse “mico” no próprio King Kong. E isso é feito simplesmente espalhando boatos sobre a empresa, para criar a expectativa de que ela renascerá das cinzas e deixará qualquer um que comprar suas ações milionário (essa é a fase do “pump”).

    Quando as pessoas começam a comprar as ações (e, acredite, elas compram!), o preço sobe (afinal, numa ação de baixa liquidez, basta alguns incautos comprarem algumas poucas ações que já se observa uma oscilação respeitável no preço), e isso atrai ainda mais gente que percebe uma movimentação anormal naquela ação. Aí, os autores do golpe esperam o momento de dar o “bote”, vendendo todas aquelas ações que foram compradas previamente com lucro, e muitas vezes essa única venda já é o suficiente para derrubar a ação a níveis abaixo daqueles que os golpistas compraram, mas pelo custo médio eles conseguem um bom lucro no esquema. A ação volta a ser aquilo que era antes, apenas um “mico” na mão de um investidor incauto que acreditou que estava tirando a sorte grande (essa é a fase do “dump”). Afinal de contas, aquela alta não tinha nenhum fundamento econômico e não passou de um “fenômeno social” passageiro.

    Antigamente, esse tipo de golpe normalmente era feito com ajuda do telefone. Os golpistas ligavam para as pessoas aleatoriamente dizendo que tinham informações privilegiadas e tentavam encorajar as pessoas a comprar as ações. A internet tornou tudo mais fácil, com email e fóruns online.

    Aqui no Brasil não é tão comum o pump and dump via email, mas algumas pessoas, principalmente aquelas que assinam newsletters estrangeiras, já devem ter recebido inúmeras dicas furadas de ações americanas e europeias, que normalmente vêm com alguma explicação cheia de termos técnicos (para parecer convincente) de que aquela empresa fez alguma grande descoberta tecnológica ou vai ser comprada por algum grande conglomerado.

    No Brasil o pump and dump é mais comum nos fóruns online. É comum entrar em alguns fóruns e ver mensagens com títulos chamativos como “A ação XYZ vai BOMBAR” (assim mesmo, com letras maiúsculas) ou “A ação ABC vai subir rumo ao espaço sideral!” (a criatividade do pessoal não tem limites…). Quando se abre a mensagem, se vê a mesma conversa fiada de sempre: que uma “fonte confiável” revelou que um grande grupo vai comprar a empresa, ou que um plano de recuperação está “quase aprovado”, ou que a empresa descobriu a fórmula mágica para transformar água em petróleo, e por aí vai…

    Operar “micos” na bolsa é algo muito interessante. Existem estratégias específicas para esse tipo de ação e conheço gente que ganha bastante dinheiro com isso, mas são investidores experientes, que sabem interpretar corretamente as informações e não entram nesse tipo de barca furada. Não é a toa que a maioria dos analistas e especialistas acaba recomendando aos investidores menos experientes ficarem com as “blue chips” mesmo…

    Mas ainda assim você se interessou pelos “micos” e quer criar alguns em seu zoológico particular? Então duas dicas:

    1 – Entre naquele site (aquele que começa com “G”) e procure estratégias específicas para esse tipo de ação (em Inglês eles chamam de “penny stock”). Estude muito, faça simulações e só entre com dinheiro de verdade quando se sentir seguro com sua estratégia;

    2 – Na próxima vez que entrar em algum fórum online e vir algo como “a ação XYZ vai BOMBAR, entre agora antes que seja tarde!”, faça um favor para si mesmo e “bombe” para fora daquele fórum…
    André Massaro
    andremassaro.com.br
    exame.abril.com.br/rede-de-blogs/voce-e-o-dinheiro/2012/03/12/golpes-e-picaretagens-o-pump-and-dump

  • Deixe uma resposta para Vilmar Cancel Reply

    CAPTCHA *