Celeste Pinto’s Articles at Defenda Seu Dinheiro
<h1>Archives</h1>
    Convidados

    Dicas para Lidar com seu dinheiro, Poupança, Fundo de Investimentos e Cartões

    16 de julho de 2018

    A caderneta de poupança é a opção tradicional de investimento do brasileiro comum. Nem por isso é sempre a melhor opção. A escolha de um investimento depende dos objetivos e do perfil do poupador.

    Uma coisa, porém, é certa: não há mágica, é preciso economizar e postergar (adiar) o consumo. Como diz o ditado, de grão em grão, a galinha enche o papo. Os investimentos ajudam a aumentar este número de grãos que a economia vai juntando. A seguir, vamos tratar de algumas questões relacionadas a dinheiro que podem lhe interessar.

    relogio-analogico-despertador-dourado

    Caderneta de Poupança

    As cadernetas de poupança existem no Brasil desde o Segundo Reinado. Seu surgimento aconteceu quase três décadas antes da Lei Áurea, por exemplo. Foram criadas em 1861 no decreto que estabeleceu as regras de atuação da Caixa Econômica Federal. Já naquele tempo, eram garantidas pelo governo. Foram criadas para servir de aplicação para as classes menos abastadas do Império e não aceitavam depósitos superiores a 50 mil-réis por semana.

    Atualmente, uma caderneta de poupança pode ser aberta em qualquer banco (o depósito necessário para abertura varia de instituição em instituição, mas é pequeno), normalmente as pessoas optam por usar os serviços de sac para obther informações.

    Entre as vantagens da poupança, está a simplicidade. Qualquer que seja o banco, a poupança será remunerada da mesma maneira, que é definida pelo governo federal e está ligada à taxa Selic de juros. Outro ponto positivo é que é fácil abrir uma conta de poupança. Além do pequeno deposito inicial, que já citamos acima, são necessários um documento de identidade com foto (por exemplo, o RG), o CPF e comprovante de residência. Por via das dúvidas, confira no site do banco em que pretende abrir a conta ou em uma agência deste quais são os documentos necessários.

    A poupança também possui alta liquidez: o dinheiro pode ser retirado a qualquer momento, sem aviso prévio de acordo com as necessidades do poupador. Apenas a partir da terceira retirada no mesmo mês, o banco pode começar a aplicar tarifa sobre a movimentação do dinheiro da poupança.

    Outra vantagem da poupança é que ela não está sujeita a Imposto de Renda, IOF ou taxa de administração. Além disso, em caso de que quebra da instituição financeira, o Fundo Garantidor de Crédito, fundo particular sem fins lucrativos que zela pela saúde do mercado financeiro, garante o dinheiro nas cintas de poupança da instituição até o valor de 250 mil reais por investidor. Por isso, a poupança é considerada uma opção bastante segura e conservadora.

    É preciso, porém, levar em conta que os rendimentos da poupança costumam ser relativamente baixos e, em alguns momentos, chegaram a ficar abaixo da inflação. De modo geral, costuma haver uma relação inversa entre segurança e rendimentos: quanto mais protegido um investimento, menores as possibilidades de rendimento dele. Contudo, a poupança tem grande mérito como opção razoavelmente segura para economizar, proteger o patrimônio da inflação e ir aumentando-o.

    Fundos de Investimento

    Uma outra opção de investimento interessante são os fundos de investimento. Eles são uma opção um pouco mais complexa do que a poupança, até por causa de sua multiplicidade. Repare que falamos em fundos no plural. Há varias opções, umas mais rentáveis do que as outras.

    Basicamente, um fundo de investimento reúne o dinheiro de vários poupadores, que compram cotas (a menor unidade à venda do fundo) e por isso são chamados de cotistas. O dinheiro das cotas é investido em um portfolio, um conjunto de ativos, ou seja, de investimentos.

    Entre as vantagens de um fundo de investimento, está o fato de que, como os custos operacionais são divididos entre os cotistas, o custo para cada um deles é menor do que seria se estivesse investindo e arcando com os gastos sozinho.

    Outra vantagem é que, por reunir os recursos de vários investidores, o fundo tem mais dinheiro do que o investidor individual e pode distribuí-lo por mais opções de investimento, diversificando mais. Isso aumenta a segurança dos investidores porque significa que, mesmo que uma classe de investimento (por exemplo, ações de estatais) na qual dinheiro tenha sido investido tenha se desvalorizado, outros investimentos feitos podem ter um desempenho que amenize ou mesmo elimine a perda. É a velha tática de não colocar todos os ovos (no caso, seu dinheiro) na mesma certa que pode ir ao chão a qualquer momento.

    Outro ponto positivo dos Fundos de Investimento é que são regulados e supervisionados por organizações como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA). Isso contribui para a segurança do investidor. Além disso, os fundos são administrados por profissionais aos quais o investidor provavelmente não teria acesso de outra maneira.

    Por outro lado, os fundos, desde 2016, não contam com proteção do Fundo Garantidor de Créditos em caso de quebra da instituição administradora. Porém, esta é uma questão relativamente pequena porque o dinheiro dos fundos não se mistura com o patrimônio da instituição. O que acontece em caso de quebra, portanto, é que os cotistas transferem o fundo para a administração de outra empresa.

    Os fundos podem ser classificados, entre outras maneiras, pelos investimentos que fazem. Alguns investem predominantemente em ações, outros em ativos em moeda estrangeira, outros em renda fixa, etc. Outros para os chamados fundos investem em uma larga gama de ativos.

    Os rendimentos variam de fundo para fundo e de época para época. Uma questão que deve ficar clara ao investidor é que rendimentos passados não são garantia de rendimentos futuros. Um fundo que investe pesadamente em ações podem render muito quando a Bolsa de Valores está “bombando” e perder dinheiro quando ela cai. Os administradores do fundo podem ter encontrado uma ótima oportunidade de investimento em um ano, mas não conseguir encontrar nada no ano seguinte.

    Cartões de banco

    Os cartões de banco (por exemplo, os cartões Ourocard do Banco do Brasil ou Bradesco Visa Internacional. Em caso de dúvidas contate um canal 0800 para mais informações) podem oferecer ao cliente opções de crédito, investimento e outros serviços, como internet banking, interessantes. Mas trata-se de uma faca de dois gumes, pois muitas pessoas cometem erros no uso desses recursos (por exemplo, excesso de uso de crédito) e acabam se enrascando.

    Entre os bancos que fornecem serviços interessantes, podemos mencionar o Banco Pan, que oferece produtos financeiros como financiamento de veículos e empréstimo consignado além de investimentos, como poupança, CDB (um título que bancos vendem para se capitalizarem) e LCI (letras de crédito imobiliário, um tipo de investimento em imóveis).

    Convidados

    Dicas para você viajar sem erros e em segurança

    2 de julho de 2018

    planejamento-viagem

    Viajar é um dos maiores prazeres da vida. Viajar é também uma oportunidade de expandir horizontes, descobrir novas belezas e novas maneiras de fazer as coisas, dentro ou fora de seu próprio país. Há, porém, algumas dicas que podem ajudar a tornar a experiência mais segura, mais barata e mais agradável. Citaremos algumas delas a seguir:

    Na hora de comprar passagens e fazer outros arranjos, use e abuse do poder da internet

    A internet facilitou radicalmente o acesso à informação. Isso é ótimo porque os preços de passagens, hospedagem, etc. pode variar radicalmente. Por isso, sugerimos uma boa dose de paciência e pesquisa.

    Nos sites das companhias aéreas, especialmente das mais barateiras, como a Gol, podem ser encontradas verdadeiras pechinchas. Muitas vezes, nas redes sociais das companhias aéreas, são ofertadas passagens promocionais. Vale a pena, portanto, ficar de olho na presença das companhias aéreas na internet.

    Se aguentar receber em seu email ofertas que não lhe interessam (uma opção é criar um email só para isso), assine as newsletters de companhias aéreas. Boas promoções costumam ser divulgadas por elas.

    Sites como decolar.com reúnem ofertas de passagens, hospedagem e outros produtos e serviços. Como sites diferentes possuem acordos diferentes com empresas diferentes, vale a pena consultar mais de um deles. Entre as outras opções estão skyscanner.com.br e o viajanet.com.br. Sites como booking.com, trivago.com.br ajudam a achar ofertas baratas de hospedagem.

    Lembre-se de que na internet você pode usar filtros para ver ofertas de acordo com destino, data, faixas de preço desejadas, etc.

    Outras observações financeiras sobre a compra de passagens

    Para quem pode escolher quando partir, vale a pena financeiramente procurar passagens para a baixa estação do destino, quando ele é menos procurado e as passagens e a hospedagem ficam mais baratas.

    Embora possam aparecer pechinchas de última hora, passagens compradas com boa antecedência costumam ser mais baratas. Então, se já sabe quando vai partir, seja proativo e compre as passagens o mais cedo que puder.

    Programas de milhas (incluindo cartões de crédito cujo uso rende milhas de viagem) são uma boa opção para diminuir gastos com passagens.

    Aprenda um pouco sobre seu destino

    Para evitar decepções e perigos, é bom procurar um pouco de informações sobre seu destino. Há algum risco de saúde comum na área? Como é a segurança pública? Há alguma época marcada por tempestades ou outros problemas naturais?

    Muitas pessoas esquecem que alguns países exigem que o visitantes comprem seguro de viagem para entrar em seus territórios. Esse é o caso, por exemplo, de quase todos os países da União Europeia além de Islândia, Suíça, Noruega e Liechtenstein. Embora a posse de seguro não costume ser cobrada na entrada nesses países, a falta dele pode fazer a pessoa ser barrada ou até deportada.

    Aproveite com calma

    A vontade de ter visto um monte coisas no final da viagem é quase irresistível. Ainda assim, antes de embarcar em uma daquelas excursões que cruzam a Europa Ocidental ou a América Central toda em uma semana, pense bem. Talvez, você se sinta melhor absorvendo mais do que o local onde você está tem a oferecer.

    Lembre-se um grande destino está onde você o encontra

    Pode ser Madri ou Salvador, os Lençóis Maranhenses ou a cidade histórica de Ouro Preto. O melhor destino turístico é aquele que fala às suas inclinações pessoais. Por outro lado, em qualquer lugar, você pode achar a beleza física e a riqueza da diversidade humana que tornam as viagens momentos especiais de nossas vidas.

    Não leve sua casa com você

    Os especialistas recomendam que você só leve consigo o essencial. Dessa maneira, você ganha mobilidade e menos dores de cabeça e em outras partes do corpo. Além disso, ganha espaço para lembranças que comprar.

    Evidentemente, a definição de essencial depende de você e de quem vai com você. Você provavelmente não quer passar suas primeiras horas no seu novo destino procurando fraldas para comprar (talvez em outra língua) para seu bebê.

    Tire fotos, mas não deixe que isso substitua a experiência da viagem

    Quem sabe quando (ou se) você vai ver de novo as paisagens e pessoas que está vendo agora? Tirar algumas fotos de recordação faz todo sentido do mundo e você vai aproveitá-las um bocado em casa. Mas lembre-se de que sua grande chance de aproveitar sua viagem é quando a está fazendo. Se ficar ocupado demais tirando fotos, vai perder a experiência de que deveria estar desfrutando.